Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Ditadura Militar 31/May/2013 às 17:26
25
Comentários

Sobre Amado Batista e a 'merecida tortura'

Amado Batista e a tortura. Merecem reflexões as declarações do cantor que diz ter merecido a tortura por ter feito coisas erradas e os torturadores o corrigiram como uma mãe corrige um filho

Urariano Mota, Direto da Redação

As declarações do cantor Amado Batista no programa “De frente com Gabi”, do SBT, merecem um pouco mais de reflexão. As notícias registram que assim falou o astro da canção brega:

“Eu acho que mereci a tortura. Fiz coisas erradas, os torturadores me corrigiram, assim como uma mãe que corrige um filho. Acho que eu estava errado por estar contra o governo e ter acobertado pessoas que queriam tomar o país à força. Fui torturado, mas mereci”.

amado batista tortura

Amado Batista, o homem que diz ter merecido a tortura. Nenhum outro torturado na história da humanidade concorda com o cantor. Muito ao contrário, os relatos de perversidade impressionam. (Foto: Divulgação)

A reflexão sobre uma frase assim não deve ir pelo caminho do deboche, no gênero da última comédia stand-up, que tudo avacalha como se a vida fosse uma só avacalhação. Portanto, não diremos que há pessoas que gostam de espancar, e outras que adoram ser espancadas. Nem tampouco diremos que no cantor de triste nome Amado sobrevive a síndrome de Estocolmo, aquela em que a vítima passa a se identificar emocionalmente com a tortura que sofreu do criminoso, pois tem medo de maior violência. Esse mal cairia melhor em Geraldo Vandré. Não, o caso Amado Batista é outro. Tentarei refletir por um segundo caminho, em duas ou três coisas.

A primeira coisa que destaco na frase do cantor Amado é a mentira, sob duas faces. Na que mais aparece, a mentira objetiva, da realidade a que se refere, pois a ninguém deve ser dada a punição da tortura, e no caso de Amado com o agravo do adjetivo “merecida”. Na outra face, mentira subjetiva mesmo, porque o não muito Amado desloca a dor sofrida para a felicidade da ética, aquela em que fazemos o justo, ainda que seja desconfortável. Por que esse deslocamento? A sua queda na consciência amoral deve ter ocorrido por motivos que ele não declara. Que bom acordo seguiu Amado Batista ao sair da tortura para o sucesso? É claro, todo conformista fala que as pessoas têm que sobreviver. Mas seria reveladora a apresentação da amada conta. Qual foi o seu valor?

Leia também

A segunda coisa é a vitória parcial do conservadorismo, da repressão, que se encontra na raiz do espírito de escravo e da história da escravidão no Brasil. Amado Batista fala como um escravo que saiu da senzala e se vestiu de senhor. Ele fala como um escravo agraciado que acha justo o pelourinho porque alguma coisa de ruim o homem – ou parecido com homem – que sofre a tortura fez. Castigo merecido, ele declara. E nesse particular, Amado Batista é o retrato de um Brasil oprimido que sobrevive. Os pobres cujo espírito não se liberta da pobreza carregam por toda a vida o respeito à ordem e à autoridade. Se um miseráavel ou marginalizado recebe a morte ou o espancamento, ele fez por merecer, dizem. Em um Brasil que atravessa a recuperação dolorosa da memória, a frase de Amado Batista é um escárnio. Nesta semana, as ex-presas Dulce Pandolfi e Lúcia Murat expuseram com a verdade o que é a tortura: estupros, abjeção além do limite, exemplos nos próprios corpos de aulas para torturadores.

A terceira e última coisa a destacar no escárnio stand-up, do saudoso da humilhação Amado Batista, é a ignorância, o nível de apreensão da vida, da sociedade, que não se confunde com a ignorância de muitos homens e artistas iletrados. João do Vale, ou Vitalino dos bonecos de barro, marginalizados que foram do ensino nas escolas formais, jamais sorririam assim dos choques sofridos no pau de arara. Esse nível do cantor de injusta alcunha Amado se reflete melhor, creio, nas letras que a sua arte comete. Não precisam escutar, leiam um dos seus poemas cantados:

“Princesa, a deusa da minha poesia, ternura da minha alegria, nos meu sonhos quero te ver. Princesa, a musa dos meus pensamentos, enfrento a chuva e o mau tempo pra poder um pouco te ver”.

E agora comparem, enfim, a justeza e boa ética da tortura, que pune os criminosos na frase de Amado Batista, com as palavras de Dulce Pandolfi: “Dois meses depois da minha prisão e já dividindo a cela com outras presas, servi de cobaia para uma aula de tortura. O professor, diante de seus alunos, fazia demonstrações com o meu corpo. Era uma espécie de aula prática com algumas dicas teóricas“. E nas de Lúcia Murat: “A tortura era prática da ditadura, e nós sabíamos disso pelo relato dos companheiros que tinham sido presos antes. Mas nenhuma descrição seria comparável ao que eu vim a enfrentar. Não porque tenha sido mais torturada do que os outros, mas porque o horror é indescritível“. Tamanha era a dor e destruição que Lúcia tentou se matar duas vezes.

Tortura, a deusa da sua poesia, Amado Batista enfrentou a chuva e o mau tempo pra poder um pouco te ver.

Recomendados para você

Comentários

  1. ZéWalfrido Postado em 31/May/2013 às 18:50

    Tanta gente morreu durante a ditadura, gente que poderia ter feito coisas boas pelo Brasil e teve a vida e os sonhos brutalmente roubados por um regime cruel que só atrasou a Nação. E um demente desse sobrevive para passar décadas jogando bosta nos nossos ouvidos e emburrecendo ainda mais nosso país.

  2. Pedro Postado em 31/May/2013 às 21:21

    O amado aplicou, a sua maneira, a lei do perdão . Não seria melhor se fosse instituído o " perdão , amplo, geral e irrestrito" ? Temos muito a fazer actualmente para melhorar nosso respeito ao ser humano. Lembrem-se dos 45 milhões de mortos na China entre 1958 e 1962, no tempo do "grande" mestre Mao. 10 milhões na época de Stalin? 6 milhões sob Hitler? É possível restaurar a história desses milhões de coitados?

  3. silvana gonçalves Postado em 01/Jun/2013 às 01:57

    as feridas muitas das veses ao serem lembradas chegam a doer mais do quê a propia tortura pois, alem da tortura que o amado recebeu na época, lhe restaram as torturas das lembranças, não o podemos julgar pelas pelavras, pois so o interior dele sabe porquê as falou, e facil julgar, não passamos pelo horror daquela época, não sou fã de suas musicas mas,respeito o ser humano que tras profundas cicatrises no corpo e na alma

  4. Heloisa Postado em 01/Jun/2013 às 02:56

    Perturbador ler um relato desse. Parece efeito colateral do sleep-teaching descrito no Brave New World. 1984, idem. Tenebroso. Mas não há muito que esperar de quem sobreviveu à ditadura e se depara com o intragável mundo contemporâneo, compreendamos...

  5. Lima Postado em 01/Jun/2013 às 03:23

    Ok, Mas e as mortes do lado da guerrilha armada? E os mortos a sangue frio por Lamarca? E aqueles que mataram seus próprios companheiros de guerrilha no Araguaia? E a bomba que matou civis no aeroporto do Guararapes e etc? O problema de quem sempre adora cuspir na história do regime militar é sempre o mesmo: A INCRÍVEL incapacidade de ver o outro lado da mesma maneira critica com que o faz com outro.

  6. Sérgio Postado em 01/Jun/2013 às 11:18

    E tudo isso por um mísero R$ 1.200,00 mensal?? meu Deus, tem tanta gente idiota nesse mundo, se ele achou necessário a tortura, vá para os países que torturam seus presos, vá pra uma Rússia...Você precisa ler mais senhor amando ser torturado. Imbecil.

  7. Pedro Postado em 01/Jun/2013 às 13:48

    Você também precisa ler um pouco mais! Desde quando a Rússia tortura os seus presos? Isso é uma prática dos EUA e dos seus aliados da OTAN, veja o que é a base naval de Guantanamo!

  8. Luciana Postado em 01/Jun/2013 às 14:01

    Acredito que bateram muito na cabeça dele! rs

  9. Andreas Postado em 01/Jun/2013 às 14:38

    Acho que ele curte um BDSM... Só pode.

  10. Magali Postado em 01/Jun/2013 às 16:17

    Isso explica as músicas q ele faz... lembra uma caganeira

  11. ZéWalfrido Postado em 01/Jun/2013 às 22:04

    Acredito no perdão, creio que seria muito bom se as pessoas o exercessem mais. Não acredito que o tempo da ditadura foi uma luta entre o bem e o mal, pois a maioria lados lutava por interesse próprio. Mas quem assistiu a entrevista pôde ver claramente o qnt Amado Batista é imbecil, pq pelo que ele mesmo falou nunca fez parte de nenhum movimento e só foi torturado para falar o que sabia, nesse caso ele era um "inocente" útil.

  12. Aracelli Postado em 01/Jun/2013 às 23:51

    Que eu saiba, Geraldo Vandré nunca foi torturado...

  13. regina Postado em 02/Jun/2013 às 00:07

    Aracelli,. sim ele foi.

  14. Altair Ahad Postado em 02/Jun/2013 às 02:29

    "Merecida Tortura"??? Não existe Merecida Tortura. Só nessa frase já existe uma grande contradição. esse cantor está com sérios problemas de cabeça. Realmente Lamentável!

  15. Onete Lopes Postado em 02/Jun/2013 às 17:19

    Urariano Mota analisou com muita sabedoria a pouca inteligência deste coitado acerca do mais vil dos modos de agir da (des)humanidade. De fato, a pouca capacidade do tal cantor para analisar o próprio "tratamento" está presente não apenas no reconhecimento de merecimento, mas também nos argumentos empregados.

  16. José Grego Júnior Postado em 02/Jun/2013 às 21:05

    e o o que o autor do texto esqueceu de citar foi a tal "bolsa ditadura" ou seja lá que nome isso tenha, e que ele deixou escapar que passou a receber após ter sido "procurado" para que pudesse ser assistido e ganhar uma merrequinha, uns mil e pouquinho. todo mês. Já que além de ignorante o danado ainda é masoquista, deveria era doar uma parte do cachê dos seus shows a algumas dessas almas caridosas.

  17. Espirito de Verdade Postado em 03/Jun/2013 às 07:33

    Pelo conjunto da obra esse "artista" devia "terminar o serviço" da ditadura: "desaparecer"! Vade retro!!!

  18. Vander Postado em 03/Jun/2013 às 10:03

    "Você também precisa ler um pouco mais! Desde quando a Rússia tortura os seus presos? Isso é uma prática dos EUA e dos seus aliados da OTAN, veja o que é a base naval de Guantanamo"!" Pedro, a Rússia de hoje pode não torturar, mas a antiga União Sovietica simplesmente matava. Basta ver o que foi feito com os presos politicos durante a segunda guerra mundia. Engraçado que os mesmos aqui que metem o pau na ditadura militar brasileira, batem palmas para Fidel Castro e sua Cuba que matou mais de 100 mil presos politicos. HIPOCRITAS.

  19. Carlos Eduardo Gomes Postado em 03/Jun/2013 às 17:45

    Que bobinho esse Amado Batista. A melhor palavra para descrevê-lo: um bobinho. Um bobinho foi torturado.

  20. stélio morais Postado em 04/Jun/2013 às 12:45

    " Não existe nada neste mundo que justifique a tortura "

  21. Débora Postado em 04/Jun/2013 às 15:08

    SENSACIONAL. lúcidas palavras, encerrou a matéria de forma exemplar. adorei.

  22. Katia Postado em 05/Jun/2013 às 15:10

    Pois eu concordo! Se voltasse a ditadura o mundo seria diferente, ja que hoje existem ate lei de tapinha, se uma mãe não pode corrigir seu filho deixe o mundo corrigir e fiquem calados! Quem sabe a ditadura corrija!?

  23. Carlos Postado em 07/Jun/2013 às 11:20

    Não defenderei a ditadura, talvez não a tortura... Mas se esta deve ser punida, que se punam dos dois lados, que se puna a sequestradora, a assaltante... E porque meu, seu, nosso trabalho deveria pagar pelas atitudes de um governo que eu não tenho NADA a ver? Nasci no final da ditadura... Quanto a ele ter saído disso para o sucesso, talvez devesse olhar para o outro lado também, e para os comunistinhas de boutique como Caetano, Chato Buarque, etc, que fizeram o mesmo mas depois. Que cantaram meia música contra o regime, fugiram como bundões que são (pois os fodas ficaram aqui e no mínimo compraram a briga)... Quanto à tortura, quero que quem cometa crimes contra outros, como sequestro, estupro, assassinato seja mais é torturado mesmo, afinal, não teve tal respeito pela condição do outro... OLho por olho e o mundo acabará cego, porém sem bandidos.

  24. Carlos Postado em 07/Jun/2013 às 11:22

    E quem é contra tortura aqui que imagine sua mãe, irmã, filha sendo molestada ou estuprada... Deixem de ser hipócritas...

  25. José de Senna Postado em 10/Jun/2013 às 22:55

    Pois é, Carlos. Eu também sinto raiva, muita raiva, tanta raiva desses criminosos que queimam pessoas, homens que violentam mulheres, pais que espancam os filhos, que sinto vontade de fazer com eles o mesmo que fizeram com os outros. Sem tirar, nem por. E então, no auge da minha raiva... Eu me dou conta de que se fizesse isso, estaria sendo igual a eles. Sem tirar, nem por. Não, Carlos. Não é pecado sentir raiva. Pecado é se deixar vencer por ela. HIPÓCRITAS são as pessoas que julgam o homem e o condenam fazendo o mesmo que ele fez. Sinto muito, mas essa é a verdade. Por mais que poucos concordem.