Redação Pragmatismo
Compartilhar
Desigualdade Social 16/May/2013 às 00:17
16
Comentários

Faça o cálculo: quantos escravos trabalham para você?

Quantos escravos ‘trabalham’ para você? Que tal fazer o cálculo e descobrir quantos trabalhadores escravos estão envolvidos na cadeia produtiva dos produtos que fazem parte do nosso “estilo de vida?”

trabalho escravo

Quantos escravos trabalham para você? Clique no link e faça o cálculo

No dia 13 de maio de 1888 era assinada a lei áurea, abolindo de forma oficial a escravidão do Brasil, o último país das Américas a tomar tal iniciativa. O nosso passado escravocrata influencia a vida brasileira até hoje. Somos o país do racismo velado. Muitos são racistas, mas ninguém se assume racista. Ou pior, não reconhece o racismo nas suas próprias atitudes racistas.

Muitos pensam que a escravidão tornou-se um assunto de livros de história. Uma passado manchado de vergonha na história da humanidade. Mas não é bem assim. Hoje, milhões pessoas trabalham em condições análogas à escravidão. Essas pessoas fazem parte da cadeia produtiva de produtos que eu, você e todo mundo consome.

No Brasil, essa situação fica mais evidente na exploração de imigrantes bolivianos nas confecções, que prestam serviços a marcas de prestígio, e nas carvoarias “escondidas” nos nossos rincões. Entretanto, essas situações não são uma exclusividade brasileira. Se reproduzem na cadeia produtiva industrial em todo o mundo.

Leia também

Para denunciar essa situação, a ONG Slavery Footprint desenvolveu um SITE onde podemos descobrir quantos trabalhadores escravos estão envolvidos na cadeia produtiva dos produtos que fazem parte do nosso “estilo de vida”.

Sem informar marcas, o cálculo tem como base as informações sobre os processos de fabricação dos 400 produtos mais consumidos mundialmente, incluindo informações obtidas em investigações das cadeias produtivas. Os dados base são do Departamento de Monitoramento e Combate ao Tráfico de Pessoas e do Departamento de Trabalho dos Estados Unidos, da Transparência Internacional, da Organização Internacional do Trabalho, entre outros órgãos.

De acordo com a ONG, o objetivo é incentivar hábitos de consumo conscientes e mandar uma mensagem dos consumidores as marcas: “Nós queremos saber o que vocês fazem para combater o trabalho escravo!” Para isso, a Slavery Footprint também criou o aplicativo gratuito Made in a Free World, desenvolvido para celulares com sistema Android e Iphones. A ideia é o usuário fazer check-in em lojas e questionar se há escravos envolvidos na fabricação dos produtos. O recado é repassado para as marcas e para outros consumidores que estão no Twitter e no Facebook, que podem colaborar com a discussão.

Acesse o site e comece a pensar se os seus hábitos não estão contribuindo para que pessoas continuem trabalhando como escravos.

Renato Rovai, Revista Fórum

Recomendados para você

Comentários

  1. Vander Postado em 16/May/2013 às 10:00

    Ridiculo essa materia.

  2. amanda Postado em 16/May/2013 às 11:43

    vander, recomendo que você leia a matéria completa antes de fazer um comentário.

    • Berta Jaque Postado em 16/May/2013 às 12:51

      23 Foda! muito foda! maioria na china

      • Tiago Luiz Postado em 16/May/2013 às 12:52

        47... Não sei se é muito ou pouco..

      • Alex Postado em 30/Dec/2013 às 22:57

        1 único já seria muito, um absurdo, um exagero.

      • Juarez Postado em 30/Dec/2013 às 23:09

        só 24, eu tenho 48, a maioria por conta dos brinquedos da Bárbara.

    • Valerio Postado em 31/Dec/2013 às 07:18

      A materia é ruim mesmo. nao é pq vc concorda com o suposto tema cerne que vc deve achar bom algo que foi escrito de maneira superficial, quando nao tendenciosa. Existem infinitas outras abordagens possiveis para esse assunto, sendo as possiveis soluçoes e alternativas itens que deveriam ter maior visibilidade nesse tipo de debate. O aplicativo é algo inutil, para consumidores e escravizados, pois apenas fornece mais dados para os especialistas em marketing elaborarem suas estrategias; alem de um mal maior que é a canalizaçao e domesticaçao da revolta humana em vies institucional. ou seja, o individuo, consumidor, terceiriza tanto sua indignaçao diante injustiças sociais quanto sua Responsabilidade nessa "roda macabra" do consumo, causa conhecida da injustiça social. Tendo-se fornecido Representaçoes de "Bem" e "Mal" a esse individuo, ele se torna um espectador passivo que tem a firme convicçao de que atuou efetivamente contra a injustiça, quando em verdade teve sua consciencia e revolta Absorvidas e Neutralizadas. Nao é nescessario que lhe digam a "Verdade" sobre Trabalho/Consumo, é Nescessario Pensar de maneira Critica, dialetica... Por uma simples analise é possivel compreender a situaçao de exploraçao em que se encontram os trabalhadores fabris pelo mundo: Ora, se no setor de comercio e prestaçao de serviços, qual o consumidor tem certo contato direto com o trabalhador empregado, é possivel observar grandes injustiças levadas a modus operandi por parte administradores e patroes, o que se dira das condiçoes de vida e trabalho daqueles que estao bem distantes dos olhos inocentes de uma classe media que nao compreende as afliçoes e dificuldades daqueles que sofrem de preconceito social e economico? Nao é preciso muita analise para perceber que, ainda que o preço seja mais caro, é melhor comprar produtos e serviços de Micro Empresas Nacionais nas quais os Donos tenham Atuaçao direta nos trabalhos da mesma e que possam assumir as responsabilidades sociais dos impactos de sua atividade sem que essa responsabilidade seja minimizada e distribuida atraves de uma Imensa Cadeia Produtiva.

  3. Pan Postado em 16/May/2013 às 13:26

    É preciso repensar em como os nossos hábitos têm um grande reflexo na vida de muitas outras pessoas. A desinformação ou a informação excessiva de coisas inúteis nos causam uma cegueira, e essa é a principal arma das maldades. Pequenos gestos podem ter grandes consequências, e essa pode ser a nossa forma, mesmo que simples, de combater grandes maldades. Por um consumo consciente sim. Parabéns Pragmatismo Político por ressaltar ideias mais que bacanas!

  4. Ricardo Postado em 17/May/2013 às 09:24

    Pois é... Estamos vivendo em um mundo consumista, onde o que importa é ter e não o ser. Esta todo mundo preocupado em ter o carro do ano, a calça da moda, a televisão de 60 polegadas, o celular de ultima geração. Só que ninguém está preocupado com a linha de produção das industrias, em como eles conseguem produzir tanto a preços tão baratos.

  5. MUDDY WATERS Postado em 21/May/2013 às 19:25

    Escravos bolivianos? Nosso salário mínimo é menor do que o praticado na Bolívia! Somos dos menores salários das Américas! Somos um dos países mais caros para se viver no mundo todo. Temos suecos pagadores de impostos e etíopes no recebimento de benefícios! Somos escravos até hoje! Fato! Há um borbulhão de dinheiro, toneladas de papel moeda circulando pra cá e pra lá em forma de Copa de Mundo, estádios belíssimos com dinheiro do erário sendo construídos, nenhuma estação de metro, nenhum hospital, nenhuma forma de transporte ou qualquer coisa que agregue qualidade de vida posteriormente à Copa do mundo!

  6. Marcia Postado em 23/Jun/2013 às 16:10

    Entendo o que a matéria quer mostrar. Não compro produtos chineses se puder comprar de fabricantes brasileiros, apesar de ser pobre não compro roupas de 10 reais pois sei quando custa o tecido e o trabalho dos outros. Tento fazer a minha parte e ensinar aos meus parentes e amigos a fazer o mesmo.

  7. francisco cardoso Postado em 05/Jul/2013 às 15:34

    76 :(

  8. poisé Postado em 08/Jul/2013 às 23:49

    os tão deprimidos-sorridentes escravos modernos, última tecnologia em matéria de servidão, mas não é só o isso, se vc ligar AGORA, vai levar uma programação "escravo-vc-tem-q-pagar-pela-sua-jaula" totalmente GRÁTIS, mas só se vc ligar agora.

  9. Carlos,Gabi e Mel Postado em 03/Aug/2013 às 10:49

    ...só o teste em si já é uma grande ajuda para nos alertar de como funciona hoje em dia o planeta. É válido sim. E manter esse alerta na mente é p desafio para o nosso dia a dia...nas coisas que compramos, nas ações e usos de 'suprefluos'...todos temos coisas a corrigir e tentar ser cada vez mais 'simples'. "Viva consciente....preserve o meio ambiente" se aplica a tudo que fazemos.

  10. Adalberto Postado em 23/Oct/2013 às 12:01

    A Apple não fabrica nada nos EUA, é tudo montado na China, onde não existe direitos trabalhistas e o trabalho escravo é quase uma instituição. Mesmo com toda essa "economia", seus produtos são os mais caros.