Luis Soares
Colunista
Mulheres violadas 06/May/2013 às 14:30
29
Comentários

Garota de programa graduada em letras: 'Faço porque gosto'

‘Faço porque gosto’, revela garota de programa recém graduada em letras. Lola Benvenutti mantém blog em que relata experiências com seus clientes. Formada pela UFSCar em São Carlos, jovem tenta quebrar tabu sobre sexo

Ela tem 21 anos, é recém-formada em letras pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), exibe em tatuagens pelo corpo frases de Guimarães Rosa e Manuel Bandeira, adotou como pseudônimo um nome que faz referência a um personagem do escritor russo Vladimir Nabokov e assume, sem problemas, ser garota de programa. Gabriela Natália da Silva, ou Lola Benvenutti, mantém um blog em que escreve contos baseados nas experiências com seus clientes e chama a atenção ao tentar quebrar o tabu do sexo. “Sempre gostei de sexo, então tinha um desejo secreto de trabalhar com isso e não há nada mais justo, faço porque gosto”

foto garota programa graduada brasil

Gabriela Natália da Silva, ou Lola Benvenutti, se formou no curso de letras na UFSCar, em São Carlos, SP, mas optou por fazer carreira como garota de programa (Foto: Reprodução / Lola Benvenutti)

A realidade de Gabriela sempre foi diferente da vida de uma parcela das garotas de programa que são universitárias e optam por se prostituir para manter as despesas com os estudos. “Tem uma categoria nos sites de acompanhantes que são de universitárias e fazem isso porque fazem faculdade particular e precisam pagar, mas eu nunca precisei disso, sou inteligente, fiz faculdade, optei por isso, qual o problema?”, questionou.

Natural de Pirassununga (SP), se mudou para São Carlos para fazer faculdade, mas por temer algum tipo de retaliação resolveu manter sua identidade como prostituta com discrição até concluir o curso. “Fiquei com um pouco de medo de isso reverberar de alguma forma na faculdade, então achei melhor terminar a graduação para colocar o blog no ar”, disse.

O site recebe cerca de duas mil visitas por dia e é nele que Lola posta sua rotina como prostituta. Entretanto, vê diferença entre sua história e o fenômeno Bruna Surfistinha, pseudônimo de Raquel Pacheco, ex-prostituta que fez fama na internet e teve sua história publicada em livro e roteirizada em um filme. “Ela teve uma vida diferente da minha, com outras oportunidades”, comentou.

Leia também

Além de manter seus contos e servir como contato entre seus clientes, que chegam a cinco por dia, o blog serve também para levantar discussão sobre o prazer no sexo. “As pessoas são hipócritas, vivem de sexo, veem vídeo pornográfico, mas não falam porque têm vergonha. Um monte de mulher entra no blog e fala que adoraria fazer o que eu faço, mas não tem coragem; e dos homens escuto as confissões mais loucas e cada vez mais esse tabu do sexo é uma coisa besta”, avaliou.

Barreiras

Apesar da escolha em ser uma profissional do sexo, Gabriela não desistiu de seguir carreira acadêmica ou dar aulas após a conclusão do curso de letras. “Também quero dar aula, mas por hobby, e além disso também tem a questão financeira, porque dando aula hoje você quase não se sustenta”, analisou. “Acho que as duas coisas são difíceis de casar, é muito difícil que uma escola que sabe o que eu faço me permita trabalhar com eles, vou ter que derrubar barreiras”.

Ainda este ano, ela pretende se mudar para São Paulo, onde vai continuar trabalhando como garota de programa e acumulando um mestrado na Universidade de São Paulo (USP). “Cansei um pouco de São Carlos e agora quero outras coisas, tanto que o mestrado para o qual estou estudando é na USP, converso com alguns professores e quero pesquisar na área de prostituição ou fetiche”, considerou.

Esse tipo de assunto, segundo ela, já é seu objeto de estudo desde a adolescência. “Desde os 14 anos estudo o sadomasoquismo, que hoje está ficando mais popularizado com ajuda do livro ‘Cinquenta Tons de Cinza’, que é marginalizado para quem curte, mas abriu um leque para as pessoas que não conheciam”, explicou.

Interesse pelo sexo

O interesse precoce por sexo começou com uma vontade íntima de deixar de ser virgem, o que considerava ser um ‘fardo’. “Desde os 11 anos queria me livrar desse fardo, mas perdi a virgindade com 13 anos e a primeira vez foi péssima, com um homem de 30 anos que conheci pela internet”, relembrou.

foto lola garota programa

Lola Benvenutti mantém blog com histórias dos clientes em São Carlos (Foto: Felipe Turioni/G1)

No início, Gabriela ficou em dúvida sobre o prazer causado pelo sexo.“Não fiquei confortável, fiquei um tempo sem fazer pensando em como era possível as pessoas falarem tanto disso, mas aí depois de um tempo eu fui gostando e a percepção mudou”, revelou.

Segundo Gabriela, nunca houve um episódio em sua vida que despertasse um interesse incomum para sexo. “Todo mundo fica me perguntando qual foi o fato que desencadeou isso, eu respondo que nada, meus pais foram ótimos, tive uma ótima educação, entrei na faculdade direto, fiz uma boa universidade e só”, garantiu.

Relação com a família

Como a personagem Tieta, da obra de Jorge Amado, Lola causa alvoroço quando retorna para sua cidade natal, mas a relação com a a família atualmente é estável. “Eu não vou muito pra lá, sinto que toda vez que vou, levanto uma poeira de discórdia e os vizinhos ficam comentando. Minha mãe já desconfiava porque nunca pedia dinheiro para ela e a relação foi muito mais difícil porque ela se importa muito com o que os outros dizem, mas a gente se fala”, disse.

Com o pai, militar da reserva, há uma relação de respeito e separação entre Gabriela e Lola. “Meu pai ficou seis meses sem falar comigo, eu achei que fosse pra vida toda, mas aí teve a minha formatura e ele veio. Na ocasião, disse que a filha dele era a Gabriela, não a outra, deixando bem claro que não compactua com isso. Mas ele ficou do meu lado e acho ele um herói porque não me abandonou”, confessou.

Felipe Turioni, G1 São Carlos

Posts relacionados

Comentários

  1. Elsa Villon Postado em 06/May/2013 às 15:27

    Acho sincero e digno tudo que a Lola/Gabriela defende. Ela faz porque gosta, porque quer e ponto. É tabu? É tabu, mas acho que tem tanta gente hipócrita no mundo que quando surge uma genuína, causa espanto.

  2. Patricia Postado em 06/May/2013 às 15:57

    O problema ñ é ser puta por opção... É achar que merece um trofeu por isso. Ah, vá. ¬¬"

  3. Datto Horaciana Postado em 06/May/2013 às 16:04

    Uma história muito diferente da bruna surfisitinha..tsi tsi. Concordo com a Patricia, opção por gostar, ou querer fama??? Acho q ela quer mesmo um troféu.

  4. adriana Postado em 06/May/2013 às 16:59

    Se essa moda pega...

  5. Patrícia Postado em 06/May/2013 às 17:08

    Patrícia Falou muito bem. Lola não é diferente de nada. Ela para mim nem nada contra a maré. Ela nada a favor mesmo. Lola, Bruna não estou quebrando barreiras. Estou apenas reforçando-as. Estou esperando pela liberdade sexual faz tempo. Cadê ela?

  6. Lopes Postado em 06/May/2013 às 17:24

    Ele é dona do próprio corpo e faz dele o que bem entender. A grande vantagem é que está ganhando uma boa grana com isso. Parabéns Lola.

  7. Conrado Postado em 06/May/2013 às 17:26

    Olha, quem faz algo porque tem vontade e se dispõe a enfrentar todo o preconceito irracional inerente a isso, contribuindo assim pra quebra de tabus e valores arcaicos... merece algum reconhecimento, não?

  8. Flavio Postado em 06/May/2013 às 19:00

    Pois é hipocrisia é pouco né se "dá" porque gosta então porque cobra pra isso?

  9. Thiago Postado em 06/May/2013 às 19:44

    e meus parabéns vão para Patrícia que postou: "O problema ñ é ser puta por opção… É achar que merece um trofeu por isso. Ah, vá. ¬¬”"

  10. epifania silva Postado em 06/May/2013 às 21:26

    noooooossa ela concerteza é a primeira que faz isso!

  11. Julio Garcez Postado em 06/May/2013 às 21:38

    Essa opção que ela defende, esse querer, também é construído. Não sabemos o que construiu esse querer dela, o que a fez optar por isso. Há algo de diferente na história dela. Ela disse querer perder a virgindade aos 11 anos, mas que perdeu aos 13, com um homem de 30, que conheceu na internet. Onde estava a família dela nesse momento? Ela se colocou em uma situação de altíssimo risco. Como a família agiu? Algumas coisas surgem nessas entrelinhas. Além disso, ela não é a primeira e nem a última que torna-se prostituta por "opção".

  12. Victor Postado em 06/May/2013 às 22:28

    A liberdade de dispor de seu corpo é um direito tão óbvio... A conversa estúpida e retrógada, tentando moralizar um comportamento que é apenas uma escolha chega a dar asco. Gostei principalmente por ela ser fan do Nabokov, q é um dos meus favoritos. "Light of my life, fire of my existence. My soul, my sin. Lolita"... Victor - ultimoguerreiro82@gmail.com

  13. Jo 40 Postado em 07/May/2013 às 00:21

    ela é maior dona do nariz faz porque gosta, qual o problema? pior são os falsos moralistas que dizem uma coisa faz outra completamente diferente do que o que pregam... abraços a todos Jo 40

  14. Suzana Postado em 07/May/2013 às 01:19

    só quer aparecer e aumentar o preço da mercadoria, essa vagabunda!

  15. Patrícia Postado em 07/May/2013 às 01:24

    Ser fã de Nabokov... mais um clichê. Liberdade pela prostituição... uma releitura de um velho clichê. Sociedade hipócrita... a sociedade aceita a prostituição. E a prostituição está nos moldes da sociedade. Falso moralismo, bla, bla, bla... dizer que a prostituição é machista.

  16. Christian Postado em 07/May/2013 às 01:33

    Quantas pedras... E como as pessoas gostam de controlar o fiofó alheio. A indústria "honesta" usa o sexo pra vender carros, casas, cerveja e que mais for. Apenas as prostitutas entregam. Quantas pessoas dizem amar, mas entregam (e quando entregam) apenas sexo. As prostitutas não mentem. As grandes agências de publicidade que fazem, muitas vezes, coisas bastante questionáveis para vender os produtos de seus clientes recebem prêmios e são aclamadas. A menina recebe a pecha de só querer aparecer (mesmo enfrentando até cinco programas por dia). Um chama de vagabunda e o outro já procura uma causa para o "desvio" de comportamento e se apressa em culpar os pais. A menina está de parabéns. O corpo é dela e ela se utiliza dele como bem entender. Quanto aos críticos, sugiro uma boa trepada. Talvez alivie a tensão de vocês. Vivam e deixem viver, por favor.

  17. Ismael Wolf Postado em 07/May/2013 às 01:44

    Perdeu a virgindade com 13 anos e com um pedófilo que conheceu na internet. E não teve nenhum fato que desencadeasse no que ela faz hoje.

  18. Cristhian Postado em 07/May/2013 às 01:48

    "Flavio, em 6 de maio de 2013 às 19:00 disse: Pois é hipocrisia é pouco né se “dá” porque gosta então porque cobra pra isso?" Se for assim, ninguém pode ter um trabalho do qual goste, se deveria fazer de graça, não é verdade? Vamos todos trabalhar com o que é uma bosta pra nós mesmos, para poder ganhar um salário.

  19. Alexandre Postado em 07/May/2013 às 02:52

    Não entendo o problema da moça escolher se prostituir. Não está ferindo, atacando nem machucando ninguém.

  20. Maria Postado em 07/May/2013 às 06:14

    Infelizmente muitas garotas que começam na prostituição porque "gostam" , geralmente são egoístas que não se preocupam com o sofrimento dos pais, e nunca dizem que a vida de prostituta não é esse "glamour" todo que desejam passar, como um "trabalho normal". De "normal" isso não tem nada! É, na verdade uma decadência.

  21. Rafael Costa Alves Postado em 07/May/2013 às 07:07

    "Este país não pode dar certo. Aqui prostituta se apaixona, cafetão tem ciúme, traficante se vicia e pobre é de direita” Tim Maia

  22. GISELE Postado em 07/May/2013 às 08:32

    QUER SE PROMOVER E DA UMA DE BRUNA SURFISTINHA, MINA SEM PERSONALIDADE --'

  23. Vanessa Postado em 07/May/2013 às 09:17

    Concordo com a Patrícia, “O problema ñ é ser puta por opção… É achar que merece um trofeu por isso. Ah, vá. ¬¬””. Com certeza quer é chamar atenção. -_-

  24. mariah Postado em 07/May/2013 às 09:22

    Bem feito, tem muita mulher por ai que da como chuchu e de graça, agora ela é bem esperta, faz o que gosta e ainda ganha pra isso... Parabéns garota...

  25. Suzana Postado em 07/May/2013 às 16:07

    Christian, já saquei que vc é freguês desse tipo de trepada, fazer o que, nem todo mundo é amado nessa vida... vá você dar uma com amor pra sentir a diferença!

  26. Suzana Postado em 07/May/2013 às 16:09

    Ah, só mais uma coisa... "Lolita" do Nabokov, aquela apologia à pedofilia, é nojento!

  27. Julio Garcez Postado em 08/May/2013 às 20:24

    O querer é construído. Não fazemos escolhas ao acaso. Somos levados, muitas vezes sem perceber, a fazer escolhas que encontram justificativas na nossa história. Isso acontece com todo mundo e ela não é diferente. É de causar estranheza que uma menina de 11 anos tivesse o desejo de perder a virgindade e consumar o ato aos 13, com um homem de 30 que conheceu na internet. A família tem responsabilidades sobre isso sim, pois ela era menor de idade e portanto eles eram responsáveis por ela. Não podemos naturalizar essa situação. Um homem de 30 que conhece uma menina na internet, e transa com ela é algo muito sério.

  28. Róvson Postado em 14/May/2013 às 10:01

    Porque as pessoas de coragem q fazem diferente, incomodam tanto, vivemos num pais livre, democrático, cada um faz o q quizer de sua vida, deixem a moça em paz ela é livre de maior e tem o direito de fazer o q quizer desde q não prejudique ninguem, mas está incomodando meia duzias de idiotas q acham q tem o direito de direcionar e conduzir a vida das pessoas ( falso moralismo). parabens garota vá em frente faça o q vc acha q tem e deve fazer no final todos querem sentir prazer.

  29. Julio Garcez Postado em 14/May/2013 às 14:52

    Sinceramente, não vi nada de diferente. É o mesmo caso da Bruna Surfistinha e de tantas outras. Parece que ela quer fama, talvez para aumentar o valor dos programas. O que me causa curiosidade (e a única coisa na história dela que merece atenção, ao meu ver), é saber o que construiu esse querer dela de ser prostituta, e a omissão dos pais quando ela era menor. Uma menina de 13 anos, marcar pela internet um encontro com um homem de 30, e perder a virgindade com ele, é algo a se observar. Ela se colocou em uma situação de risco. E essa vontade de perder a virgindade aos 11, talvez faça parte de um meio de chamar atenção dos pais (apenas uma suposição). Me pergunto onde estavam os pais dela que não a orientavam para não marcar encontro com qualquer um pela internet, principalmente porque ela tinha apenas 13 anos. Pode muito bem ter caído na mão de um pedófilo. Enfim, logo as luzes sobre ela se apagarão.

O e-mail não será publicado.