Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Educação 19/May/2013 às 20:39
12
Comentários

Estudantes do Bolsa Família têm melhor desempenho do Brasil

Estudantes beneficiados do Bolsa Família têm aprovação maior no Brasil. A evasão também é menor

Estudantes beneficiados pelo Bolsa Família, que estão entre os mais pobres do Brasil, tiveram mais sucesso escolar no ensino médio do que a média do País. Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento Social, as taxas de aprovação (principal índice que mede o desempenho educacional) desse grupo são maiores desde 2008, quando comparadas com o geral. A evasão também é menor.

Tradicionalmente, a realidade socioeconômica é crucial para os resultados escolares. Mas, como a contrapartida do programa do governo federal é que as famílias mantenham os filhos na escola, há um impacto imediato nas taxas de abandono. Em 2011, enquanto a média de abandono no País era de 10,8%, essa taxa entre os alunos do Bolsa Família ficou em 7,2%. Uma diferença de um terço.

Além de não abandonarem a escola esses alunos estão sendo menos reprovados. A taxa de aprovação em 2011 no ensino médio era de 75,2% no geral. Para alunos de Bolsa Família, esse resultado foi de 79,9%.

estudantes bolsa família

Estudantes do Bolsa Família têm melhor desempenho do Brasil

Para a ministra do Desenvolvimento Social (MDS), Tereza Campelo, os resultados são uma surpresa. “Isso não é só estatística, é uma realidade que transforma a sociedade. Esse aluno não vai repetir a trajetória dos pais”, disse a ministra, que participou no 14.º Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, na Bahia.

Esse comportamento não existia no primeiro ano do Bolsa Família, em 2003, quando não se exigia comprovação de frequência – apenas a matrícula. O programa exige que estudantes entre 6 e 15 anos tenham passado pelo menos 85% do ano letivo na escola e, de 16 e 17 anos, ao menos 75%. Segundo o governo federal, mais de 96% das crianças e jovens participantes do Bolsa Família superaram o índice mínimo de frequência escolar. “Como precisa de frequência maior, o aluno tem exposição maior na escola”, explicou Tereza.

“É um dado positivo que surpreende. Se conseguirmos atrelar mais políticas de desenvolvimento social, saúde e educação em esforços conjuntos, será um grande avanço”, diz a diretora executiva da ONG Todos Pela Educação, Priscila Cruz.

Leia também

O ensino médio é apontado como um dos maiores desafios da educação básica. Embora cerca de 80% dos jovens de 15 e 17 anos estejam na escola, só 52,25% estão no ensino médio, a etapa adequada. Outros 25,5% ainda estão no ensino fundamental, segundo o Anuário Brasileiro da Educação Básica do Todos Pela Educação, que vai ser lançado no dia 22 no Congresso Nacional.

Fundamental

Alunos reprovados têm chance muito maior de abandonar a escola. No fundamental, a evasão tem índices menores que os registrados no médio, mas ainda assim são preocupantes. Entre 2008 e 2011, a taxa de evasão no País passou de 4,8% para 3,2% no fundamental, segundo dados do ministério. O resultado dos alunos do Bolsa Família também são menores a cada ano: foram de 3,6% para 2,9% no mesmo período.

Na aprovação, no entanto, os resultados dos beneficiados pelo programa de transferência de renda ainda não são iguais aos do ensino médio. Enquanto essa taxa era de 86,3% na média geral em 2011, para os alunos das famílias beneficiadas o índice é de 83,9%.

Apesar da diferença, Tereza Campelo diz que o resultado mostra evolução. “Ele significa que a gente não tem diferença entre pobres e o geral.” A ministra também destaca que no ensino fundamental das Regiões Norte e Nordeste tanto as taxas de abandono quanto as de aprovação são melhores entre alunos do Bolsa Família do que a média.

Agência Estado

Recomendados para você

Comentários

  1. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 19/May/2013 às 22:18

    Não são as bolsas que estão"resolvendo". É um fator: quem não tem nada e luta para ter, dá valor ao conquistado.

  2. Jean Postado em 20/May/2013 às 00:27

    Choram, reacionários, vão falar o que agora?

  3. Rafael Postado em 20/May/2013 às 00:56

    Pablo. Se não se tem nada, é aí que entra o Bolsa Família. Será difícil compreender isso? Caramba, é só um empurrão, uma força.

  4. Magali Postado em 20/May/2013 às 06:41

    Agora a classe média vai ficar mt aborrecida pq os resultados são bons...o q contraria a sua expectativa de ver os pobres do Brasil como os grandes culpados de tudo q acontece de ruim nas ruas

  5. Vinicius Postado em 20/May/2013 às 07:58

    Rafael, um empurrão vá lá. Tudo bem! Acho realmente muito interessante a ideia da bolsa família como medida de emergência. Mas fato é: o Brasil vive de medidas de emergência. Eu ainda sou partidário da vertente que prega que medida de emergência a longo prazo é solução ineficaz. E longo prazo é o mínimo da situação atual. E, numa boa? Quem aqui conhece o mínimo do ensino público sabe que ter um bom desempenho não significa nada. Individualmente, com certeza faz diferença ao beneficiado, no entanto, no contexto nacional e da realidade mundial, o ensino público é deficiente, praticamente aleijado.

  6. Gmann Postado em 20/May/2013 às 09:03

    Vinícius, você acha que o valor do bolsa família é quanto? Cinco salários mínimos? R$10.000? Não é. O valor do bolsa família é muito pouco. A média é R$97,00. Esse discurso de que Bolsa Família forma vagabundo, muito popular por aí, é uma fala fora da realidade. O Bolsa Família tem um valor modesto, mas que incentiva o beneficiado a querer trabalhar(!!), pois ganhando um mínimo, e tendo acesso à um mínimo de recursos, fará com que o beneficiado busque ganhar mais recursos para ter mais acesso. E está fazendo a juventude estudar - vide questão da frequência e aprovação escolar. É claro que o ensino básico e médio é muito deficiente e, como disse, praticamente aleijado, mas ainda assim, pessoas que tinham tudo para não querer estudar, pessoas na faixa extrema da pobreza, estão frequentando e tendo um MÍNIMO de conhecimento - mesmo que superficial. Já é um grande passo à frente da realidade geral - ou da tendência nacional. É belo ver esse movimento das classes baixas acontecendo.

    • Victória Postado em 31/Dec/2013 às 22:36

      Adorei isso. Parece que o pessoal acha que ganhar o Bolsa Família é o mesmo que na Mega-Sena. Ou querem achar, para não ter que assumir que o Brasil não está assim por causa do Bolsa Família (que ajuda muito a quem não tem nada), está por causa deles também, que muitas vezes assumem atitudes corruptas no dia-a-dia, enquanto reclamam da corrupção política, e que não dão a mínima para as pessoas que tem menos. Muitos não abrem a boca para dar um bom-dia para o porteiro ou a faxineira, mas dão grandíssimos discursos contra o Bolsa Família e a PEC das domésticas. Isso só prova que não tem nenhuma sensibilidade, e que nunca experimentaram a pobreza.

  7. Vinicius Postado em 20/May/2013 às 13:11

    Gmann, ainda é ineficaz, pois como você disse, é superficial e de longe não tem por alvo o maior problema do país: educação de qualidade. Como eu disse, um empurrão vá lá! Mas que a educação seja de qualidade! Que a educação seja suficiente para impedir a adoção de outras medidas emergenciais. É possível que apenas eu pense que investir em educação de qualidade é a única solução para a imensa gama de problemas sociais que enfrentamos no nosso dia-a-dia? Quanto ao valor do bolsa família, eu já estava ciente, nunca pensei ou dei a entender que o valor era alto e que serve para sustentar vagabundo (ainda mais que isso não permite sustentar ninguém).

  8. Stella Duarte Postado em 19/Jun/2013 às 21:40

    O bolsa-família é um grande incômodo para a "burguesia", pois não é do seu interesse que os 'pobres' melhorem um pouquinho a qualidade de vida e possam comprar comida e roupa, sim, pois ao contrário do que alguns pensam, os pobres também têm direito a usar roupas novas e não aquelas com cheiro de mofo e suor que os mais abastados tiram dos seus guardarroupas pois querem substituir por outras novas. Além do mais não é do interesse desse mesmo grupo que os filhos dos pobres estudem. Já imaginaram o perigo???eles começariam a pensar com mais clareza, seriam donos de conhecimentos e poderiam mudar a cara deste país, afinal são a maioria. E como falou alguém, o bolsa-família é só um incentivo para esses jovens que recebem um pequeno valor em dinheiro, mas muito significativo para eles. E os parlamentares brasileiros, já procuraram se informar sobre o valor dos seus salários, as mordomias que recebem e mais o que eles desviam? contabilizem tudo isso.

  9. Eduardo Postado em 30/Jun/2013 às 00:14

    ... Nada é tão bom que não precise de ajustes, o Bolsa Família é exemplo para o mundo segundo a ONU, mas isto não quer dizer que ele é perfeito em todos os seus méritos... a saber, quanto a fiscalização para coibir abusos de uns poucos, mas não interessa, não pode ter abuso nenhum, é dinheiro público é meu, é seu é de todos, então tem que ser zelado. Quanto ao tempo de participação no programa sem participação nos cursos desenvolvidos com recursos do próprio programa. Em suma é um programa social abrangente e justo, mas tem que ser aperfeiçoado para que se evite o comodismo e a dependência perpetua do governo, ele tem que ser extendido para aqueles que precisam e ainda não recebem, mas também tem que ser tirado daqueles que continuam recebendo sem que dele precise mais.

  10. Elenita Andrade Postado em 07/Aug/2013 às 23:02

    Gmann concordo com você plenamente. Sou testemunha da transformação q os programas de transferência de renda ( bolsa escola , bolsa alimentação , vale gaz ,PETI , BPC ) e hoje Bolsa Família causaram nas famílias de baixa rendap do nosso querido Brasil. No ano 2000 mais da metade das famílias pobres não tinham certidão de nascimento (pq não tiraram ,ou perderam ) CPF, RG a maioria nem sabia q existia. O cadastro realizado p receber o Bolsa Família exige se toda a dcmentacao . O nosso povo hoje tem identidade , e cidadão . As condicionalidades exigidas para a permanência no progama, freqüência escolar, acompanhamento na saúde p as crianças e gestantes , cursos de qualificação profissional oferecidos as famílias , tudo isso fez esse povo sofrido ter esperança ,ser valorizado e mostrar sua superação . Conheço essas famílias a mais de vinte anos acompanhei as transformações e sei que hoje sao cidadãos que sabem e podem lutar pelos seus sonhos!!!

  11. Sertão Postado em 24/Nov/2014 às 18:12

    Uma ótima notícia! Que a gente do meu país continue descobrindo que pode mais!