Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Eleições 2014 16/May/2013 às 10:35
31
Comentários

A operação ilusionista de Marina Silva

O argumento capcioso de Marina da Silva de que Feliciano estaria sendo mais atacado por ser “evangélico e não por suas posições politicas equivocadas” é uma operação ilusionista que tem por efeito inverter as posições de vitima e algoz

marina silva feliciano

Para Marina Silva, pastor Marco Feliciano é mais atacado por ser evangélico do que em razão de suas posições equivocadas (Foto: Divulgação)

Racismo e homofobia não são equívocos. São crimes de lesa humanidade! Produzem violência, discriminação e exclusão. Tratá-los como equívocos significa minimizá-los, descriminalizá- los. Torná-los, portanto, meros delitos de pequeno potencial ofensivo resultando, consequentemente na “redução” da culpa ou da pena do réu.

O argumento capcioso de Marina da Silva de que Feliciano estaria sendo mais atacado por ser “evangélico e não por suas posições politicas equivocadas” é uma operação ilusionista que tem por efeito inverter as posições de vitima e algoz. É querer nos fazer esquecer “quem atirou a primeira pedra”, usando o nome de Deus em vão! É querer nos fazer esquecer as inúmeras lideranças evangélicas que repudiaram publicamente as declarações nefastas proferidas por Feliciano perfeitamente conscientes de que pessoas como ele conspurcam a imagem da religião que professam e os seus valores cristãos.

Leia também

Passando ao largo de tudo isso, na “lógica” de Marina Silva, Feliciano tornou-se vitima de intolerância religiosa! Seria engraçado, não fosse trágico.

Mas, por outro lado, essa retórica de Marina parece antes, uma operação ditada por um fino cálculo político com o qual ela constrói a vitimização dos evangélicos e ao mesmo tempo se apresenta como sua legitima defensora. Uma senha poderosa para a organização desse segmento em torno de si, especialmente nesse momento em que ela demonstra tanta dificuldade para obter, naturalmente, o numero de assinaturas necessárias para a inscrição de seu partido, a Rede de Sustentabilidade…

Sueli Carneiro, Instituto Geledés

Recomendados para você

Comentários

  1. Rodrigo Postado em 16/May/2013 às 10:49

    Vamos ler e ouvir com atenção? Abaixem os porretes e prestem atenção no que ela disse: "Não devemos combater um preconceito com outro preconceito" (http://oglobo.globo.com/pais/e-um-erro-criticar-feliciano-por-ser-evangelico-diz-marina-silva-8402044#ixzz2TSmPT0HW) Em momento algum identifiquei hipocrisia, mas sim ela dizer que não devemos combater o preconceito proferido pelo pastor com o preconceito de quem o agride usando o fato de ele ser evangélico. Pode ser difícil de compreender, para alguns, mas, novamente, ela não o absolveu, apenas remeteu ao "não levante o tom de voz, mas melhore seus argumentos" - fale, pois, que ele está sendo preconceituoso, cometendo crimes, mas não tome todos os evangélicos pela mesma medida. E não sou evangélico. Apenas concordo que, querendo criticar, que se critique direito.

    • Ana Carol Postado em 16/May/2013 às 10:54

      Rodrigo, sugiro que releia o texto (se é que o leu) com mais atenção. O que Marina "pede" é o que já está sendo feito. Eu, particularmente, até agora não vi ninguém criticando Feliciano por ser evangélico, mas pelas razões mais evidentes, justas e necessárias. A paixão de alguns eleitores por Marina os fazem incapazes de reconhecer uma declaração equivocada. Muito parecido com o que ocorre com eleitores de Lula.

      • Lucas Postado em 16/May/2013 às 11:00

        A prova de que o Feliciano não está sendo atacado por ser evangélico é a própria Marina, que é evangélica e conseguiu 20 milhões de votos em 2010. Os ataques são decorrentes da postura homofóbica do deputado. A estratégia de Marina é arriscada e não concordo com ela, mas está claro que ela conhece bem a força do eleitorado evangélico e desde já está mexendo os pauzinhos para arrematá-los.

      • rafa Postado em 26/Aug/2014 às 02:58

        com a diferença d q lula foi o presidente q mais fez pelo povo na hist, ao passo q marina nada fez nem fara

    • Luiza Postado em 23/Aug/2014 às 07:57

      Mas ele, Feliciano, trata questões POLÍTICAS com os conceitos RELIGIOSOS dos evangélicos. Ele e Marina, é que estão tratando as questões civis e individuais, ou seja, escolhas PESSOAIS, como sendo escolhas religiosas e isso NÃO PODE! O estado é laico, quem decide é o povo. Não podemos ter representante de parcela "religiosa" da População, mas do povo INDEPENDENTE de qualquer posicionamento religioso.

  2. Cacique Postado em 16/May/2013 às 11:08

    Não sou eleitor de Marina Silva. E muito menos sou evangélico. Mas acho que este site tem dado muita ênfase a textos impiedosos com ela. Neste caso em particular, acho que o que fizeram foi pegar frases isoladas ditas por ela, sem o seu contexto, e elaborar mil e uma interpretações para concluir que ela é apenas uma evangélica radical que acha que os evangélicos são coitadinhos e podem dizer o que quiser. Não, pelo que andei lendo em outros locais, não foi essa a intenção dela. Me parece que o ela quis, muito apropriadamente, foi chamar atenção para o fato de que as críticas ao Feliciano se confundem muito com críticas genéricas aos evangélicos. Ao direito de ser evangélico, inclusive. A leitora acima disse que não viu ninguém criticando o Feliciano por ser evangélico. Talvez não tenha visto comentários de facebook e listas de e-mail porque eu vi inúmeros comentários do tipo "esses evangélicos é que são o câncer do país". Tenho minhas críticas às igrejas evangélicas neopentecostais. Inúmeras. Indizíveis, algumas delas. Mas não acho de forma alguma que eles devam perder o direito de ser evangélicos neopentecostais. De manter seus rituais religiosos. De acreditar no Deus deles do jeito que eles quiserem. De ter e defender comportamentos conservadores. Tudo isso faz parte da democracia. o que não faz parte da democracia é querer impor a fé de uma religião a todo um país. É usar a política institucional para fins religiosos. É mentir sobre milagres. É tudo isso que o Feliciano faz. Mas ser evangélico, mesmo radical, por si só, não é errado. E me parece que foi isso que a Marina Silva, que é evangélica e tem todo o direito de ser, tentou dizer. Esse foi o crime dela, mais uma vez não perdoado pelos setores mais imaturos da esquerda.

    • Luis Soares Postado em 16/May/2013 às 11:15

      Como pontualmente disse Leandro Fortes, "Não, Marina. Feliciano é hostilizado porque é um cretino."

      • Glauber Frota Postado em 16/May/2013 às 11:17

        E pensar que a dita cuja, foi candidata vencedora aqui em Brasília, para a Presidência da República em 2010. Sendo um fenômeno político único no país inteiro. Com certeza e infelizmente, ela terá muito apoio daqueles que querem impor suas crenças religiosas a todo o povo deste país. Terá o apoio de evangélicos e não duvido, de algumas classes católicas também. Felizmente máscaras caem e a internet nos mantêm cientes de farsas como Marina Silva.

        • Kako Taurus Postado em 16/May/2013 às 11:19

          É justamente o contrário. Esse senhor não é criticado por ser evangélico, mas sim por suas declarações equivocadas.

    • Rita Postado em 25/Aug/2014 às 23:34

      Apesar do tempo decorrido desses eventos, ler a sua postagem tão lúcida foi algo extremamente agradável depois de mais um dia vivendo em um país em petição de miséria sob a direção de um governo tirano e mentiroso.

  3. Moderação Postado em 16/May/2013 às 11:41

    Olá Melky, Ao contrário de grandes veículos de comunicação como a Veja, Globo, Record, Estadão, Folha, entre outros, que abocanham milhões em dinheiro público, este site não recebe nem nunca recebeu um centavo oriundo de verba pública, seja de governo municipal, estadual ou federal. A quem interessar, desafiamos que provem o contrário. Diferente do que o colega imagina e do que outros possam imaginar, muitas vezes temos de tirar do nosso próprio bolso para manter o Pragmatismo no ar e não são poucas as vezes que fechamos o mês no vermelho. Não é mesquinha, aliás, a imaginação de que há sempre uma conspiração obscura e corrupta por trás da publicação de textos com opiniões que divergem das suas? Não, este texto em específico não traduz a opinião de todos que fazem o Pragmatismo; trata-se, em primeiro lugar, da opinião da articulista. E jornalismo também se faz com opinião. Abraços.

    • Glauber Frota Postado em 16/May/2013 às 11:50

      Rodrigo, não há muito o que ler nem ouvir com atenção aí. Além de, como bem disse o Plínio (“ecoambientalista capitalista”), Marina visa a defender um parlamentar completamente despreparado para a função que exerce. E sabidamente conhecido por seu fanatismo e sectarismo religiosos e preconceito para com as minorias. Mas é mesmo de se concordar que, em política, a exercemos “pelas ações e atitudes”. As dela, vão dizer muito bem sobre a “maioria” que vai apoiá-la. Maioria esta que possui uma animosidade em fazer do país, uma nação cada vez mais obscurantista e fanaticamente dogmática.

  4. Larissa Postado em 16/May/2013 às 12:12

    É fato que se criou, nessa história do Marco Feliciano, pelo menos no senso comum, uma espécie de cruzada - Evangélicos vs. Gays/'esquerda' - sim. Vi milhares de postagens de pessoas contra a figura execrável desse Pr. dizendo que evangélico são acéfalos, que tem que ficar longe de politica etc. A Marina só bateu nessa tecla - a discussão precisa ser qualificada e não pautada por preconceito. Em outra oportunidade a Marina disse claramente que Marco Feliciano (o assunto da vez) não é qualificado para o cargo que ocupa hj, por não ter tradição ou experiência no campo de direitos humanos - termo que até subverte - do mesmo modo que o atual presidente da comissão de meio ambiente, de quem ninguém fala, não deveria ocupar o cargo que está ocupando, por representar o perfil do empresariado não afinado com questões ambientais.

  5. Lourenço Faria Postado em 16/May/2013 às 12:22

    Sem querer defender ninguém, mas achei horrível a colocação de que a declaração de Marina Silva foi "uma operação ditada por um fino cálculo político com o qual ela constrói a vitimização dos evangélicos e ao mesmo tempo se apresenta como sua legitima defensora." Isso parece ter saído da Veja. Talvez seja melhor rever seus articulistas. Eu até entendo o posicionamento da Marina Silva de querer mostrar "o outro lado". E sempre há um outro lado. Por mais que Marcos Feliciano seja um idiota e despreparado, haverá sempre pessoas que, por não entenderem a complexidade da situação, acabam generalizando a questão e passam a culpar todos os evangélicos pelas declarações e atos do pastor.E quem mantiver a opinião de que isso não existe está sendo, no mínimo, inocente. Claro que tocar nesse assunto e ainda expor uma opinião tão polêmica (ainda que tenha algum fundo de verdade) foi um erro de cálculo de Marina Silva, e um erro que pode custar uma parte de sua popularidade. É se expor para toda uma platéia que acaba associando suas declarações a uma "tímida defesa" de Marcos Feliciano. É da natureza humana que opiniões sobre temas complexos e sujeitos a polêmica sejam posicionadas em uma perspectiva dualista (bem e mal, direita e esquerda) para que sejam melhor interpretados, quando na verdade se trata de uma construção muito mais complexa.

  6. Rui Postado em 16/May/2013 às 12:24

    Alguém disse: "Eu, particularmente, até agora não vi ninguém criticando Feliciano por ser evangélico" Infelizmente, discordo. Há ainda muita gente que tece comentários sobre isso. Quando da noticia da decisão do CNJ, por exemplo, seja na página do G1 ou na página que sigo no face do "Eu sou a favor do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo no Brasil" havia muita gente comentando: "os crente pira", "os evangélicos pira" ou algo do tipo, em postagens que celebram mais essa vitória! Esse tipo de comentário me incomoda profundamente. Devíamos celebrar mais uma importante conquista em vez de atingir outrem.

  7. Adriana Sachs Cera Postado em 16/May/2013 às 13:15

    Fazer oposição por oposição ,é uma pratica bem conhecida por nós.Achar que ,por não condizer com oque vc espera que seja dito,não significa que esteja endireitando.Se opor ,apenas por se opor,não muda nada,aliás muito atraso nesse país se deve a isso.Quanto a Marina ,acho realmente que está aproveitando a polêmica do Feliciano,junto ao eleitorado evangélico ,para inscrição do seu partido.

  8. Claudio Novais Postado em 16/May/2013 às 13:39

    Infelizmente ela perdeu a oportunidade de ficar calada e acabou falando merda! Se fosse assim, como ela, que é evangélica, conseguiu 20 milhões de voto em 2010? Eu mesmo votei nela e eu mesmo pretendia votar nela em eleições futuras. Mas agora, quero que ela se dane! Não voto mais nela e vou fazer campanha contra ela! A afirmação dela foi estúpida, porque no Brasil ninguém critica ou deixa de votar em algum por causa de sua religião. O Feliciano NÃO está sendo atacado por ser evangélico! Ele está sendo acusado por ser preconceituoso e homofóbico. Então, se a Marina não teve a capacidade de entender isso, acredito que não terá capacidade e/ou boa vontade de fazer um governo imparcial. Ela falou merda e optou em ficar do lado do Feliciano? Pois bem, para cada escolha há uma renúncia! Falou merda e perdeu meus futuros votos! Aliás, não apenas os meus, mas com certeza de milhares de outras pessoas!

  9. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 16/May/2013 às 15:56

    Li e ouvi o que a Marina disse. Em resumo: ela criticou TODA a intransigência. Não poupou gregos nem troianos; porém o Pragmatismo Político TENDENCIOSO, quiçá, ESQUERDISTA teceu um texto pobre que tiraniza a liberdade de expressão em parcimônia. Sou contra o Feliciano, aliás, sou contra a bancada dita evangélica; porém sou a favor que as pessoas discirnam entre o que são evangélicos falsos e verdadeiros, assim como, ativistas de fato e de moda.

  10. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 16/May/2013 às 16:11

    Digo mais: devido ao péssimo testemunho de 80% dos evangélicos da teologia da prosperidade, do preconceito, do mundo possuído pelo demônio e outras distorções absurdas do que traz a mensagem verdadeira de Cristo, dizer-se "evangélico" atualmente é virar alvo de descrença imediata. Isso é lógico: uma religião que prega o desamor, a intolerância, o obscurantismo e outras loucuras perde a credibilidade mesmo; assim como o catolicismo e seus escândalos de pedofilia vem perdendo força. Penso que estes pseudo-cristãos criaram este cenário de "guerra santa". Observem que a Marina fala desta intransigência e que não é favor do Feliciano e sua multidão de equívocos. Perceber os dois lados da moeda é tarefa para poucos. Pessoalmente afirmo: o nome "evangélico" já não se aplica ao verdadeiro evangelho; melhor usar o termo "cristão".

  11. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 16/May/2013 às 18:59

    Reconheço também que vale o ditado antigo: mexer em fezes dá mais fedor. ... talvez não fosse tão necessário o pronunciamento da Marina sobre este assunto nesta hora. Corajosa ou impulsiva?

  12. Dinio Postado em 16/May/2013 às 20:06

    Nem uma nem outra, caro Pablo, creio que sede de poder ! Qualquer coisa vale . . . até defender "bandido" ! Se discutíssemos e praticássemos mais EDUCAÇÃO DO QUE RELIGIÃO, teríamos um país bem mais evoluído. Deixo uma simples pergunta: - QUANTO PAGAM DE IMPOSTOS AS RELIGIÕES, QUE ARRECADAM BILHÕES DOS FIÉIS??? Cadê o IR da FÉ? ...Cadê o ICMS da FÉ?... Cadê o ISSQN da FÈ ?...Pagamos tantos impostos pelo Pão e pelo Vinho ...E ai, como é que fica? Abraço.

  13. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 16/May/2013 às 22:55

    Continuo com a minha opinião, caro Dinio pois falo de algo que poucos contemplam e endosso que as Igrejas devam pagar impostos. Obrigado pela pergunta que em nada me desabona.

  14. Dinio Postado em 17/May/2013 às 12:38

    Claro, Pablo, nem pensaria nisto; Este fórum (o blog) busco usá-lo para o debate cordial de idéias; As religiões, cada um participa da que lhe convém - por seus motivos pessoais - e devemos respeitar, ou como no meu caso, não uso nenhuma e exijo respeito. A questão principal que busco focar, é que numa sociedade tão carente de educação, e de respeito pelo próprio tema, assim como pela saúde, e tanta cobrança que é feita em cima dos governos pela absurda carga tributária, no que eu concordo, como podemos ser passivos diante de MEGA EMPRESÁRIOS DA FÉ e da construção de seus IMPÈRIOS, inclusive de mídia, sem uma tributação que se equipare com outras atividades empresariais. Por isso usei o exemplo do PÃO e do VINHO; Se um Empresário vende pão , ele é tributado ; Se outro empresário vende Vinho, também é tributado. Porque um Empresário que vende a FÉ não o deve ser. Ou alguém ousaria me contestar que existe um Fantástico COMÉRCIO DA FÉ no Brasil? É isso, um abraço.

  15. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 17/May/2013 às 16:41

    Dinio, eu concordo que o sistema Igreja seja passível de tributos, afinal, é uma empresa que funciona desde Constantino, o imperador que DETURPOU ensinamentos de um visionário (Jesus) e os transformou em "nicho" político-econômico que de uns tempos para cá, devido a tal Teologia da Prosperidade, mostra-se cada dia mais "bancário". Um abraço.

  16. Postado em 07/Jun/2013 às 21:28

    Gente! Deus não existe!Quanta ladainha desnecessária!O brasileiro proletário só será livre quando a última Marina ser enforcada nas tripas do último Feliciano, pendurada no pescoço do último padre reacionário! E tenho dito! Amém! Estado laico para quem acredita! E dê-lhe pontos de exclamação!

    • Rasputin Postado em 07/Nov/2013 às 12:59

      Dizeres dos mais sábios... se, na sua concepção, fosse necessário a abolição do Estado, ideologia da qual compactuo, os dizeres seriam ainda mais revolucionários! Anarquia é ordem!

  17. Deborah Postado em 16/Jul/2013 às 11:52

    1º vivemos em um país democrático onde, todos tem direito a culto e liturgia livres. 2° vivemos em um país laico, no qual, a religiosidade não é e não deve ser fator determinante para tomadas de decisões á nível político. Não é contra a religião do senhor Marco Feliciano, é sobre toda a falta de ética que ele demonstra, como a 1ª autoridade dentro de uma comissão cuja a função é garantir dignidade e integridades física, moral e social, para todos (mas principalmente para com as minorias), fundamentadas principalmente em sua religião. Parto do princípio que ele não tem capacidade ética, moral, social e mais, os grupos sociais que mais necessitam de um trabalho no campo dos direitos humanos, estão contra ele.E com toda a razão.

  18. Geovane Postado em 15/Oct/2013 às 09:51

    Rich, se o "pastor" Marco Feliciano tivesse uma postura mais republicana e democrática com os cidadãos que ele chama de "doentes", por terem orientação sexual diversa da dele, ainda, se o "pastor" compreendesse a importância para toda a sociedade da Laicidade do estado brasileiro poderia então ser chamado de "deputado".

  19. Rasputin Postado em 07/Nov/2013 às 13:04

    Amigo, entenda que a bíblia, para os que não acreditam no seu deus, não serve de argumento nenhum. Ela tem uma fonte histórica altamente duvidosa e uma visão bastante tendenciosa a respeito dos fatos. Serviu tão somente apenas como instrumento de dominação da maioria explorada através dos séculos, visto que a escrita era inacessível a essas classes dominadas... a "conversão" religosa se dava pelos discursos dos iluminados (os que sabiam ler) e as pinturas sagradas, que representavam a história de jesus.

  20. Paulo Postado em 11/Mar/2014 às 15:56

    É bom ver pessoas lucidas cobrando impostos dos pastores parasitas que enriquecem explorando a ignorancia do povo,e o pior quando ficam doentes os evangelicos vao ao hospital construido com os impostos abusivos cobrados sobre a minha cerveja,se os pastores curam cancer porque querem hospital?viva a ciencia essa sim cura

  21. elaine Postado em 16/Aug/2014 às 14:55

    A minha opinião sobre o assunto religião é: deve ficar no âmbito pessoal como também a vida sexual de cada um, não interessa a ninguém. E quanto a essa embolação de políticos levantando bandeiras religiosas sou totalmente contra, as religiões devem ficar em seus templos e não no Palácio do governo. Tem muito político usando a Religião para conseguir votos.