Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Rede Globo 01/May/2013 às 18:57
17
Comentários

A ditadura da Rede Globo: um poder que cresce a cada ano

A Globo não tem hoje menos poder, tem mais, muito mais. E esse poder está crescendo a cada ano. E se em 2013 conseguir colocar um despachante no lugar de Dilma no Palácio do Planalto, melhor será mudar o nome do país para República Global do Brasil

Eduardo Guimarães, em seu blog

Ouso dizer que se de repente a Globo simplesmente evaporasse da face da Terra, nem os outros braços do aparato político-ideológico-midiático que a organização multimídia da família Marinho lidera iriam chorar por seu sumiço; comemorariam com fogos de artifício

A parcela da sociedade política e ideologicamente alinhada aos governos progressistas que há uma década vêm conseguindo manter o poder contra essa máquina midiática, vem cometendo um erro de avaliação sobre o que convencionou chamar de “grande mídia”.

rede globo manipula

A Globo não prejudica o resto da comunicação no Brasil apenas ficando com quase tudo em termos de publicidade oficial e privada. A hegemonia da organização da família Marinho prejudica o país ao impor costumes, vetar projetos governamentais, leis, ao difundir ignorância, preconceito e muito mais.

Hoje, no Brasil, há um só grupo de mídia que, nadando contra a corrente que arrasta outros grandes grupos, vem obtendo lucros estratosféricos, crescendo e se solidificando a cada ano: as Organizações Globo.

É um fenômeno impressionante. De 2002 a 2012, a Globo perdeu 22% de sua audiência em rede nacional. Em 2002, no Painel Nacional de Televisão (PNT), a média diária da emissora, entre 7h à 0h, era de 22,2 pontos. De janeiro a agosto de 2012, a média diária foi de 17,4 pontos. Cada ponto equivale a 191 mil domicílios no país.

Em uma década, porém, a participação da Globo nos investimentos publicitários em TV aberta se manteve em 70%. O faturamento bruto da TV aberta da Globo com anúncios passou de R$ 5,65 bilhões em 2002 para R$ 18 bilhões em 2011.

Mais impressionante ainda: o lucro da Globo, ano passado, subiu 36% e chegou a R$ 2,9 bilhões – um aumento de 35,9% ante o resultado do ano anterior –, apesar da queda de audiência.

O paradoxo entre queda de audiência e aumento do faturamento se deve à estratégia multimídia das Organizações Globo. Além da principal emissora de TV do país, o grupo também detém jornais e revistas, além de participação em empresas como a Net e Sky e nos canais pagos da Globosat, como SporTV, Multishow e Telecine.

Não existe país nenhum no mundo com um império de comunicação como esse.

Isso ocorre enquanto outros grandes grupos de mídia como a Rede Record, o Grupo Folha, o Grupo Estado e a Editora Abril vêm amargando seguidos prejuízos.

O mais impressionante é o resultado publicitário da Globo no que tange a verbas oficiais. Apesar da queda de audiência, as plataformas de mídia globais açambarcam 64% das verbas de publicidade do governo federal.

Leia também

Como resultado dessa ditadura midiática e política, os irmãos João Roberto, Roberto Irineu e José Roberto Marinho ocupam, respectivamente, o 7º, o 8º e o 9º lugares na lista que a revista Forbes publica dos homens mais ricos do Brasil.

João Roberto e Roberto Irineu acumulam hoje uma fortuna de 8,7 bilhões de dólares cada um. Já José Roberto tem uma fortuna estimada em 8,6 bilhões de dólares.

Como não existe um marco regulatório que vete a monopolização de tantas plataformas de mídia – que, em enorme parte, são concessões públicas entregues aos Marinho pelo governo federal –, enquanto a Globo lucra como nunca os grupos de mídia que atuam politicamente em consonância com a ditadura global vão ficando com as gordas migalhas que caem da mesa, mas que não bastam para impedir-lhes os problemas financeiros.

Mas por que, então, vemos impérios de comunicação como o Grupo Folha, o Grupo Estado, a Editora Abril e outros aliarem-se à guerra aberta que a Globo, de forma aparentemente inexplicável, trava com um governo federal que se entrega à sua voracidade por dinheiro e concessões públicas?

A questão parece ser muito mais ideológica do que prática. Apesar de forrar as Globos com a parte do leão das verbas e das concessões públicas, os governos do PT são vistos pelo resto da grande mídia como inimigos do capitalismo.

As famílias Frias, Mesquita, Civita e congêneres acham que um governo tucano, por exemplo, distribuiria mais benesses ainda e as salvaria de uma situação que, em verdade, deve-se à voracidade Global.

Assim, os governos do PT tornaram-se o inimigo comum de grupos de mídia que, por trás da aparente cordialidade, são adversários ferozes na disputa pelas benesses do Estado.

Mas a Globo não prejudica o resto da comunicação no Brasil apenas ficando com quase tudo em termos de publicidade oficial e privada. A hegemonia da organização da família Marinho prejudica o país ao impor costumes, vetar projetos governamentais, leis, ao difundir ignorância, preconceito e muito mais.

roberto marinho figueiredo

Roberto Marinho e o general João Batista Figueiredo (Foto: Divulgação)

O padrão “racial” da publicidade e da televisão brasileiras, por exemplo, que exclui a verdadeira etnia de nosso povo, é oriundo de uma visão da Globo sobre o país. Novelas, publicidade, tudo o que se vê retrata um país de aparência europeia porque a Globo criou e mantém esse padrão.

A ausência de programas que discutam o país, que se aprofundem em debates importantes, inclusive políticos, é oriunda de uma programação da Globo feita para emburrecer e alienar o espectador.

Como a Globo é uma receita de sucesso, seu padrão é seguido pela concorrência na mídia eletrônica, sobretudo na televisão. Haja vista as cópias de excrescências como o Big Brother em outras emissoras, das novelas bobinhas com elenco ariano etc.

A teledramaturgia global, em particular, é dramática – para fazer um trocadilho. Novela após novela é encenada no eixo Rio-São Paulo, com enredos que se repetem sem parar, com vilões e mocinhos – e mocinhas – idênticos, sempre exaltando as classes sociais abastadas a que a cúpula da Globo pertence.

Todo esse poder da Globo se deve à sua capacidade de chantagear a classe política. Executivo, Legislativo e Judiciário ajoelham-se no altar Global de Norte a Sul do país. Nem a Presidência da República escapa.

Apesar de não vir conseguindo eleger o presidente da República desde 2002, a Globo, ao levar escândalos reais e inventados ao Jornal Nacional, novelas, programas humorísticos etc., selecionando os que quer expor e os que quer esconder, consegue a subserviência da República aos seus ditames.

Se até os grandes grupos de mídia além da Globo estão sendo sufocados por ela, imaginemos o que acontece com a mídia dita “alternativa”, que deve desaparecer em poucos anos se nada mudar.

Todavia, a própria grande mídia – Globo excluída – não deve resistir tanto assim. Com o passar do tempo, os Marinho irão adquirindo participações de tudo até que estabeleçam um imenso monopólio da comunicação nacional.

Não existe um só país da importância do Brasil e no qual vigore regime verdadeiramente democrático que tenha praticamente toda a comunicação nacional sob o tacão de uma única família, de um único império empresarial de comunicação.

Após uma década de governos progressistas que conseguiram distribuir renda, diminuir a pobreza e avançar em termos de solidificação da economia, com aumento exponencial de infraestrutura etc., o Brasil caminha para a Idade Média nas comunicações.

Como livrar o pais da ditadura da Globo? Boa pergunta. Se nem após dez anos de governos do PT conseguimos dar um mísero passo para desconcentrar o poder que a família Marinho começou a acumular graças à ditadura, parece quase impossível mudar isso agora.

A Globo não tem hoje menos poder, tem mais, muito mais. E esse poder está crescendo a cada ano. E se em 2013 conseguir colocar um despachante no lugar de Dilma no Palácio do Planalto, melhor será mudar o nome do país para República Global do Brasil.

Recomendados para você

Comentários

  1. Lee Postado em 01/May/2013 às 20:17

    Um avanço, que foi votado na Argentina e que poderia cortar pela raiz o poderio monopolista da globo, é a Ley de Medios, que regulamenta o acesso às concessões públicas destinadas às empresas de telecomunicações, como forma de favorecer os meios de comunicação alternativos, dar mais voz às organizações sociais e, acima de tudo, evitar um monopólio vergonhoso como o que acontece no Brasil. Mas aqui, desde os tempos da ditadura, é a globo quem realmente manda, e leis como a Ley de Medios não são votadas porque nossos políticos têm medo do poderio da Globo.

  2. Daniel Postado em 01/May/2013 às 23:08

    "... Após uma década de governos progressistas que conseguiram distribuir renda, diminuir a pobreza e avançar em termos de solidificação da economia, com aumento exponencial de infraestrutura etc ..." Mas que merda é essa??? Um texto bom, simplesmente anulado por essa frase petista.

  3. Thiago Santos Postado em 02/May/2013 às 01:00

    Bom algo que eu acredito é que as concessões públicas deveriam ser dadas a muito mais grupos ou pessoas. Quanto mais emissoras [locais e de Âmbito nacional]; jornais e que tais independentes uns dos outros e concorrendo entre si fica mais difícil de esconder informações ou formatar versões. Outro ponto é que o autor do texto se deixou cegar pelo partidarismo. Chamar o governo PTista de progresista... ¬¬ O governo que não investe em educação, nem saúde, nem segurança; que deixa as universidades federais em greve durante 4 meses e apresenta míseras duas propostas [Partido dos "Trabalhadores" que boicota negociações trabalhistas] [a despeito do mérito da greve, da exigências dos grevistas e das propostas do governo - não existem santos - a postura do governo foi lamentável]. Os portos, aeroportos, estradas... Nada de criar mais ferrovias, melhorar o funcionamento dos portos, hidrovias e etc.. O governo do PT é um governo popular; mas é igual ao do PSDB, com seus méritos e deméritos muito parecidos. No fim tudo isso é culpa da sociedade; nossa república é viciada, nossas eleições são meras legitimadoras de STATVS QVO; famílias se perpetuam no poder geração após geração "democraticamente". Grupos propagam revoluções que acabem com a exploração, aludindo a regimes e modelos falidos, virando meros motivos de piada. Concentram energias em discutir e planejar sonhos utópicos. Estes mesmo que muitas vezes são intolerantes com opiniões contrárias ao mesmo tempo que enchem a boca para falar que defendem a luta democrática. Não se iludam; para mudar isso cá que chamamos nosso país vai demorar e só tem um jeito. Educação. No dia que os políticos do alto escalão forem presos e condenados por crimes de corrupção; quando for inaceitável destruir patrimônio público, desperdiçar recursos do AERARIVM der cadeia; quando todas as escolas forem de qualidade o país terá futuro. E quanto ao bolsa-família é esmola; já vi gente sendo xingado aqui por essa denominação vou deixar claro. O direito que as pessoas têm é de receber saúde, educação e todos meios apropriados para ter uma vida digna. No momento de urgência é aceitável que se ajude pecuniariamente para evitar a miséria e a fome. Mas o que o governo do PSDB começou e o do PT aumentou e ampliou é puro clientelismo. O que era algo provisório e emergencial virou política oficial de combate à pobreza. Enquanto o prefeito de BH queria reduzir a verba da educação para gastar em obra para copa do mundo; o governo Dilma prefere cortar em educação do que nos programas assistenciais do governo. Enquanto o governo gasta em média R$ 1 bi por estádio para a Copa [são 12; 4 a mais que o necessário]; ele ficou sem negociar com os professores das UFs. As plataformas eleitorais se pautam no governo dizendo que a oposição vai cortar os programas assistenciais; e esses tentando algo para não dar essa impressão. Os programas são esmolas pq não resolvem o problema, são um mero paliativo; se o cidadão recebe um trabalho digno ou meios de prover seu próprio sustento com um relativa segurança você resolve o problema; se você garante o pão de hoje é esmola pq o problema continua aí, ele vai precisar receber o pão todo dia. E 10 [DEZ] anos, já é tempo suficiente para um governo progressista, que investisse em educação tivesse modificado a situação mais solidamente, ainda que insuficiente para resolver o problema. A despeito de seu mérito é uma arma eficiente e antiga que os governos usam para apaziguar o povo. A redução da pobreza não está umbilicalmente ligada aos programas assistencialistas; mas às medidas tomadas no começo plano real que foram seguidas no governo PSDB e do PT, ao bom momento da economia que teve o pico em 2008 e outras causas. Me "empolguei" um pouco ao redigir esse texto; soltei agruras e saí do tema. ^^/

  4. Carlos Postado em 02/May/2013 às 10:08

    Eles já tem um bom despachante, o Prevaricador Geral da República Roberto Gurgel e a Globo curte ele ainda mais por parecer com o Jô Soares!

  5. Thiago Postado em 02/May/2013 às 12:24

    Daniel, respire fundo de 8 a 10 vezes e repita pra si mesmo "tudo vai ficar bem". Sem xilique tucanóide por aqui, por favor.

  6. Bruno .R (@bruno_rms) Postado em 02/May/2013 às 18:00

    Ótimo artigo, também reforço a Lei que a Kristina na Argentina está tentando impor, na verdade, já impôs .. como supracitado por Lee seria de ótimo cabimento em nosso país.

  7. Moraes Postado em 02/May/2013 às 18:27

    Ridículo, o próprio governo fortalece a Globo para depois a usar como motivo para implantar mais canais oficiais e limitar a imprensa. Canais estatais é cabide de emprego, apenas isto, pronto falei! E o Daniel tem toda razão, entre outras "salto de infraestrutura"??? em que país este autor vive? "governo progressista", piada, e comentando o Thiago Santos, talvez melhor dizer que o governo está nas mãos de um partido populista, mas não governa para o povo e sim através do povo. "se nem o PT fez algo" - novamente ridículo, o projeto do PT é apenas o poder e não o progresso de qualquer coisa que seja. A propósito, retirando este site dos meus contatos, ideologia petista já tem demais por aí.

  8. Wesley Postado em 03/May/2013 às 01:08

    Ué, a Globo vive de Ibope e não teria tanto poder se não houvesse tantos patetas assistindo sua programação chula. Antes de culpar a Globo, culpe os patetas que assistem sua programação, pois ela vive disso. Se ninguém visse mais sua programação ela cairia rapidinho.

  9. Dinio Postado em 03/May/2013 às 12:35

    É isso Wesley, estamos hoje, estabelecidos como um "sub-povo" - "PATETAS E PECADORES" - ; Acreditamos na Mídia e seus Publicitários egoístas e otários, ... "abra a felicidade"... "pode ser mais ...pode ser "P"; Acreditamos em Deus e seus Emissários Empresários aqui na terra !!!!! Enquanto isso nossas crianças estão cada vez mais GORDAS...DIABÉTICAS ...EGOISTAS...AGRESSIVAS...e PECADORAS . . .e acreditam que o Face é informação e cultura! "Se Deus quiser...e sempre quer...Seremos os novos Estados unidos Da America... Estamos só perdendo tempo em não produzir armas nucleares, para termos assento numa cadeira permanente nas Nações Unidas !!!

  10. Rafael Postado em 04/Jun/2013 às 23:56

    Li nos comentários "belo texto" "texto inteligente". Pelo amor de Deus, até o público daqui está emburrecendo? Estão assistindo muito BBB! Esse texto foi um dos piores que já li por aqui. Além de mal escrito, é totalmente tendencioso e o pior: CADÊ AS FONTES? Que todo mundo odeia a Globo é fato. Não precisa parar para escrever um texto tão pobre. Tem tanta asneira aí em cima que fiquei com preguiça de ler os três últimos parágrafos.

  11. Beatriz Postado em 07/Jun/2013 às 18:20

    A programação é chula por causa dos telespectadores ou os telespectadores emburreceram por causa da programação chula? eis a questão! Na realidade, o que importa é o dinheiro e o poder, nada mais. A Globo poderia muito bem inserir programas com conteúdo de qualidade em sua programação, incitar reflexões e discussões que levem a um pensamento crítico. Claro que não teria, pelo menos a princípio, uma audiência tamanha como de um BBB, mas é certo que alguém se interessaria, e o boca-a-boca faria todo o resto. Mas aí ela correria o risco de que seus próprios telespectadores percebessem o quão fúteis são suas novelas e reality shows! E isso é o que a poderosa Globo menos quer. Por que parar com a política do pão e CIRCO se ela está conseguindo controlar o povo tão bem e com tanta eficiência? A fórmula mágica está pronta, é só usar. Simples, fácil e eficiente. Manipulação, a gente vê por aqui...

  12. Dario Postado em 10/Jul/2013 às 17:18

    Aliás, a viúva do 'Dr. Roberto', d. Lily, recebeu a Dilma quando estava de candidata. Ou seja, a Globo, dizia publicamente: apoiamos (se não apoiamos, em contra não estamos). Portanto, a mensagem a seguir, é um NON-SENSE: "E esse poder está crescendo a cada ano. E se em 2013 conseguir colocar um despachante no lugar de Dilma no Palácio do Planalto, melhor será mudar o nome do país para República Global do Brasil"

  13. luciana Postado em 24/Jul/2013 às 16:26

    A Globo te faz de bobo. Jargão antigo. E o incentivo ao anti-petismo é nítido e claro. Não adianta os "ascaris tucanoidis" ficarem se revirando de raiva. O padrão dos irmãos Marinho não aceita que um torneiro mecânico de pouco estudo tenha construído mais faculdades e escolas técnicas do que todos os outros presidentes juntos, que tenha livrado da miséria mais de 30 milhões de brasileiros, que tenha levado o país ao segundo menor índice de desemprego do mundo (só perde pro Japão), que elegeu a sucessora e juntos tenham construído mais de 1 milhão e meio de casas para os de baixa renda e liberado crédito para mobiliá-las, etc... Ao ver o PT marchando tranquilo com Dilma para o 4º mandato consecutivo, a Globo aproveitou a onda de manifestações e conduziu a opinião pública para equilibrar um pouco a disputa de 2014. Mesmo assim os adversários de Dilma não apresentam nada de novo e nem carismáticos são. E não tem Globo que convença os mais necessitados e numerosos eleitores brasileiros a votarem contra quem se preocupou com eles pela primeira vez na história tupiniquim. Se isso é populismo, que bom para a maioria do povo, que usufrui dele e só espera a volta do Lula em 2018, após a reeleição da Dilma, obviamente.

  14. Maria Rosa Postado em 03/Aug/2013 às 10:35

    na minha opiniao, quem fica se gabando por ai so por nao assistir a rede globo, mas assiste a record, o sbt, a bandeirantes e a redetv, esta coberto por hipocrisia. se a globo nao eleva o nivel cultural do povo, essas emissoras concorrentes nao fazem nada para melhorar este cenario televisivo em que a maioria dos programas de televisao que sao exibidos aos fins de semana so alienam as pessoas . alem disso, os canais de tv a cabo so passam o que e importante para os donos das produtoras internacionais. ou seja: a globo e so uma das tantas emissoras de tv que alienam o povo. infelizmente, a industria cultural so pensa em valorizar a violencia, baixarias, vulgarizar as mulheres e banalizar o sexo, entre outras coisas.

  15. Maria Rosa Postado em 03/Aug/2013 às 10:49

    desculpem pela minha confusão. a entrevista forjada do gugu nao foi em 2001. foi no dia 7 de setembro de 2003.

  16. Silvio Celere Postado em 19/Apr/2014 às 00:55

    O mundo é muito complexo, mas temos ferramenta simples para resolve-las a ditadura da TV Globo. Não sou socialista,capitalista e comunista, mas tem que haver urgente um controle da mídia no Brasil. Não igual o que acontece na america latina, como Argentina e Venezuela, mas o fim da TV nacional e centralizadora. Vamos orar a Deus, amém, só Deus sabe o estrago desta família marinho.

  17. Gileno Correia dos Santos Postado em 31/Oct/2015 às 23:17

    A mídia é uma droga, principalmente a rede globo cujo efeito de quem assiste é ficar sem juízo. A rede globo é uma porta do inferno camuflado que contamina o ambiente de quem está assistindo ou prestando atenção porque sua programação é imunda causando prejuízo na mente das pessoas, deixando as pessoas desequilibradas mentalmente sob o efeito das imundícies de comportamento que transmite a humanidade inteira com o objetivo de prejudicar a boa formação das famílias do mundo inteiro.