Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Desigualdade Social 26/Apr/2013 às 15:46
4
Comentários

'Super-ricos' escapam do trânsito em São Paulo pelo alto

Na megalópole de 20 milhões de habitantes, a ex-modelo Cozete Gomes e dezenas de outros milionários viajam de um lado para o outro de helicóptero, para evitar os congestionamentos, que podem superar 200 quilômetros de extensão

São Paulo, maior cidade do Brasil e capital econômica da América Latina, tem cerca de 420 helicópteros registrados, a segunda maior frota do mundo, ficando atrás apenas de Nova York, segundo a Associação Brasileira de Pilotos de Helicópteros (Abraphe).

“Para mim, o helicóptero é uma ferramenta necessária. Eu o uso em minhas atividades cotidianas, para meus negócios, minhas reuniões. Facilita muito a minha vida”, explica Gomes.

Com uma fortuna de cerca de 125 milhões de dólares, Gomes, de 41 anos, é uma das empresárias mais bem-sucedidas do País e integra um seleto grupo de “super ricos” paulistanos que são proprietários de seus helicópteros ou que podem se dar o luxo de alugá-los por 1,3 mil dólares a hora.

No começo de abril, Gomes alugou um helicóptero particular de seis assentos para viajar a um hotel de luxo em Campos do Jordão, a 50 minutos de voo de São Paulo, acompanhada por uma equipe de jornalistas da AFP.

ricos helicóptero são paulo

A milionária Cozete Gomes sobrevoa São Paulo. (Foto: Nelson Almeida/AFP)

No controle estava o piloto Guilherme Tomazzolo Juc, de 29 anos, empregado do Helicidade, um heliporto paulistano com 80 helicópteros que pertencem a particulares ou a companhias privadas.

Leia também

Cerca de 500 voos diários de helicóptero são realizados em São Paulo, que tem 193 heliportos. “O negócio dos helicópteros no Brasil cresceu 20% nos últimos anos”, disse Carolina Denardi, porta-voz da Abraphe.

O país tem uma frota nacional de 1.909 helicópteros, incluindo 692 no estado de São Paulo, com uma média de mais de 300 licenças de operação emitidas anualmente nos últimos três anos, segundo a Associação.

Todos os dias ricos empresários e celebridades cruzam o céu de São Paulo, alheios ao trânsito caótico que deixa a grande maioria dos habitantes da cidade à beira de um ataque de nervos. Eles viajam entre seus condomínios de luxo, suas reuniões de trabalho e suas casas na praia ou no campo.

Segundo o relatório Wealth Report 201, publicado pela Wealth-X, uma empresa de pesquisas sobre riqueza com sede em Cingapura, no ano passado São Paulo foi o lar de 1.880 indivíduos com fortunas de 30 ou mais milhões de dólares. A previsão é que este número chegue a 4.556 em 2022.

Gomes, uma ex-modelo e rainha da beleza que é dona de oito companhias de marketing promocional, de organizações de eventos e de modelagem, disse que é uma das poucas mulheres brasileiras que acumularam sua própria fortuna. Ela ganhou fama nacional em janeiro, com sua participação no reality show “Mulheres ricas”, que mostrava o estilo de vida extravagante do crescente grupo de milionários brasileiros: viagens, carros de luxo, joias, compras e muito champanhe.

“Concordei em participar do programa para compartilhar meu êxito, a história de minha vida com todo o Brasil, para mostrar a experiência positiva de uma mulher que começou do nada e construiu seu próprio negócio”, afirma Gomes ao chegar em Campos do Jordão, vestindo com um elegante blazer branco e blusa vermelho escarlate.

A pequena cidade de 50 mil pessoas, com belas paisagens, é conhecida como a Suíça brasileira por sua arquitetura em estilo europeu, chalés e restaurantes suíços e alemães. Também é conhecida por abrigar mansões de ricos e famosos. “Existem poucas mulheres milionárias. Mas somos fortes, independentes e determinadas. Espero que meu êxito inspire muitas mais mulheres a seguir meus passos”, diz, enquanto bebe champanhe em pequenos tragos em uma pousada de luxo com heliporto próprio.

Gomes afirma que sua riqueza lhe trouxe independência, a permitiu desfrutar dos prazeres da vida e satisfazer sua paixão pelos sapatos de luxo. “Tenho mais de 600 pares agora”, confessa com um leve sorriso. “Uso dois ou três pares todos os dias, para diferentes ocasiões”.

De família portuguesa e italiana, ela viaja com frequência para a Itália, onde tem parentes em Nápoles.

A ex-modelo afirma não estar preocupada com sua segurança pessoal e que se sente segura em sua Range Rover blindada, com sue chofer-segurança.

Amanda Gabriele, a assessora de Gomes, de 25 anos, conta que o sucesso de sua chefe inevitavelmente gera ciúmes e inveja, particularmente de outras mulheres. Mas “há muitas outras brasileiras que são muito mais ricas que eu”, disse.

O relatório Wealth-X identificou 50 brasileiros com ativos superiores a 1 bilhão de dólares.

Segundo a revista Forbes, o brasileiro mais rico é o magnata da cerveja Jorge Paulo Lemann, de 73 anos, um dos donos da Ambev e da AB InBev, com ativos de 17,8 bilhões de dólares, seguido pelo banqueiro Joseph Safra, de 74 anos, co, 15,9 bilhões.

A brasileira mais rica é Maria Helena de Moraes, de 83 anos, com uma fortuna de 6,2 bilhões de dólares vinculada a seus 25% de participação no grupo familiar Votorantim, um dos maiores conglomerados industriais, com operações em cimento, finanças, energia, aço e celulose, entre outros, de acordo com a Forbes.

Agência France Press

Recomendados para você

Comentários

  1. Bruno Postado em 26/Apr/2013 às 16:01

    O problema não é a riqueza. É a mentalidade das pessoas e a falta de oportunidades iguais para todos chegarem na riqueza, e digo mais, aqui no Brasil, quem tem dinheiro é automaticante errado.

  2. Alek Postado em 26/Apr/2013 às 17:03

    Tirando os 600 sapatos ( é uma mulher ou uma centopeia?! ) ele é uma pessoa como outra qualquer ...

  3. Bruna Postado em 27/Apr/2013 às 14:31

    O problema é a riqueza. A riqueza mal distribuída, que gera monstrengas alienadas como essa.

  4. Anderson Postado em 11/Jun/2013 às 14:31

    Isso mesmo Bruno, e têm pessoas cegas que ficam com esse papo de riqueza mal distribuida. Trabalhei/estudei muito, mais muito mesmo para ter uma vida aceitável, mesmo tirando o fato dessa merda de governo assistêncialista tirar mais de 75% do que eu ganho com impostos dos quais eu nunca vou usufruir. Quem mal distribui a riqueza é essa merda de governo e não as empresas privadas, vocês têm que enxerga isso. A partir do momento do qual eu decidir o que comprar com o dinheiro que é meu, sem imposto, teremos a distribuição de renda que todos querem. Vai estudar um pouco economia menina burra! Pensa que esse mundinho esquerdista é o paraíso? Não enxerga o que está na sua cara, devido a essa educação xucrá que recebe na faculdade, por um professorzinho comunista. Não enxerga essa lavagem cerebral? Abraço