Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Racismo não 22/Apr/2013 às 18:25
7
Comentários

Professora que teria abusado de aluna de 7 anos se defende: "não gosto de negras"

Acusada de abusar de aluna de sete anos, professora diz que não gosta de negras. Esther Irene afirmou que é tão racista a ponto de não ser capaz de encostar em um negro

racismo escola eua

Professora admite ser racista para tentar se livrar de acusação de abuso sexual contra aluna de 7 anos (Foto: Huffington Post)

A professora de uma escola de Humble, no Texas, Estados Unidos, fez uma forte declaração para se defender de uma acusação de abuso sexual de uma aluna.

Esther Irene Stokes, de 61 anos, disse que não poderia ter tocado as partes íntimas de uma garota de sete anos cuja mãe alega ter sido abusada na classe porque não gosta de alunos negros.

Segundo o site Huffington Post, a professora da Northwest Preparatory Academy disse ainda que foge dos abraços de alunos negros.

De acordo com o detetive do departamento policial de Humble, J. Blanchard, a aluna disse que estava sozinha na classe com a professora e que Stokes a tocou em partes íntimas por cima da roupa.

Para refutar a acusação, Stokes disse que não toca crianças negras nem nas mãos por conta de suas tendências racistas.

Leia também

Apesar de a escola onde teria acontecido o abuso dizer que a professora foi demitida, o nome de Stokes continua na lista de profissionais da instituição.

A mãe da garota, Shawntel Reace, disse que vai retirar seus quatro filhos da escola.

Recomendados para você

Comentários

  1. Natã Piva Postado em 22/Apr/2013 às 21:52

    Não gosta de negras??? hã como isso? Faço sexo com mulher... ah mas nem gosto de mulher! Ah, argumento de merda isso aí hein!

  2. Chico Lobo Postado em 23/Apr/2013 às 00:36

    o povo e a cultura norteamericana é tão perniciosamente filha da puta com a tolerância com o racismo, que isso pode até servir de "álibi" no caso de estupro a vulnerável. Olha como esse povinho de merda é torpe de ideia.

  3. Yasmim Postado em 23/Apr/2013 às 08:19

    Natã Piva, vc interpretou errado. Ela quis dizer que é impossível ela ter abusado dessa criança pois a criança é negra sendo assim ela jamais encostaria em uma pessoa negra. Talvez ela nem seja racista só usou esse argumento para fugir das acusações.

  4. Ricardo Machado Jorge Postado em 23/Apr/2013 às 10:44

    Nos Estados Unidos, o racismo era institucional, ou seja, partia do próprio do Estado e as lutas pelos direitos civis não foram nada pacíficas e muitos resquícios ainda são presentes e no Brasil não é diferente, o racismo existe e é velado porque se houver manifestação dessa conduta o praticante vai para a cadeia na mesma hora. Enfim, é uma estratégia inteligente para os padrões da sociedade norte americana, mas se não me engano lá o racismo é crime, mas tem outro problema as leis mudam de estado para estado e o que é crime em num estado no outro não é. Se for lei federal ai muda de figura. Se ela realmente fez isso (já que uma pessoa segundo a lei é inocente até que se prove o contrário e suspeita não é confissão de crime) deve ser condenada como qualquer pessoa. Na verdade, eu nem me interesso pelos EUA, e esse caso não altera a realidade brasileira, mas serve parar mostrar que o país da liberdade não é o paraíso que muitos alienados pensam que é. Prefiro me ocupar da realidade brasileira, pois essa sim influi na vida cotidiana.

  5. Fernanda Postado em 23/Apr/2013 às 11:44

    Chico Lobo, seu comentário merece meu aplauso!

  6. Pietro Impagliazzo Postado em 24/Apr/2013 às 09:48

    E o Brasil não é racista. /dreamland

  7. kanella Postado em 24/Apr/2013 às 16:35

    PEDÓFILA E RACISTA, É ISSO QUE ELA É.