Redação Pragmatismo
Compartilhar
Contra o Preconceito 29/Apr/2013 às 23:07
13
Comentários

Assexuados alegam ser vítimas de mesmos preconceitos que gays

A falta de desejo sexual gera complicações e problemas para os assexuados em suas relações com pessoas que têm vontade de desfrutar do sexo, admitem

Julian jamais experimentou o desejo ou a atração física, nem por homens nem por mulheres, como acontece com as pessoas assexuadas, um grupo de pessoas que representa, segundo estimativas, 1% da população mundial e que aos poucos estão dispostas a assumir uma condição ainda muito discriminada.

preconceito assexuados

Assexuados alegam ser vítimas de mesmos preconceitos que gays

“Compreendi que era assexuado ao ver um programa de tv a respeito”, explicou o engenheiro informático francês, 27 anos, que antes achava que sua ausência de interesse pelo sexo algo “anormal” e que, por isso, tentava reprimir o sentimento.

Julian mantinha relações sexuais com a namorada, mas só para dar prazer a ela e não por ser levado pelo próprio desejo, admitiu. Depois de ter compreendido que não tinha impulsos sexuais ou vontade de manter uma vida sexual, Julian navegou na web, em alguns fóruns especializados sobre o assunto, e conheceu outra jovem, assexuada como ele, com quem agora compartilha uma relação feliz e casta.

Os assexuados começam a se organizar na França, onde, nesta sexta-feira, realizam um dia destinado a defender o direito de ter uma opção sexual diferente da grande maioria. “A sociedade apresenta o sexo como uma obrigação”, analisa o vice-presidente da Associação para a Visibilidade dos Assexuados (AVA), que se identifica apenas como Paul.

Leia também

O contrário da promoção abusiva do sexo, a ausência de vida erótica, também é considerada uma espécie de perversão, lamentou. “Ser assexuado é uma forma de sexualidade. Faz parte da diversidade das sexualidades humanas e é muito mais importante reconhecer sua existência que tentar criticá-la”, enfatizou.

O certo é que não é fácil viver esta diferente orientação sexual em uma sociedade onde as relações sexuais são consideradas uma das chaves do bem-estar e desenvolvimento pessoal, disse ainda.

Há dois anos, uma conhecida jornalista parisiense, Sophie Fontanel, contou que parou de fazer sexo, em um romance intitulado L’Envie. O livro provocou críticas e valeu reprovações a sua autora que afirma não amar os homens. O romance vendeu bem, e muitas leitoras agradeceram a ela por colocar em palavras sua própria ausência de desejo.

A falta de desejo sexual gera complicações e problemas para os assexuados em suas relações com pessoas que têm vontade de desfrutar do sexo, admitem.

“Conheci uma mulher há cinco meses e me apaixonei por ela, mas não sinto nenhum desejo sexual e acho que ela está se distanciando de mim, e sei que é difícil porque ela me ama”, escreveu um homem no site especializado . “Que sofrimento, eu até choro de raiva!”, acrescentou o homem inscrito sob o pseudônimo “Empático de Lyon”, cidade do centro-oeste da França.

Segundo o vice-presidente da AVA, muitos assexuados formam casais com pessoas com a mesma condição. A Comunidade de Visibilidade e Educação Sexual (Asexual Visibility and Education Network – AVEN), fundada em 2001 pelo americano David Jay, indica que possui 70 mil membros no mundo.

Em 2004, um professor canadense da Brock University, Anthony Bogaert, estimou que os assexuados representam 1% da população mundial. Bogaert também estima que esta comunidade sofre discriminações. “A média dos heterossexuais sente por eles menos consideração do que pelos gays e lésbicas”, assinala.

O termo assexuado começou a ser conhecido no final dos anos 90 graças à internet e seus fóruns especializados. Em 2010, foi realizada nos Estados Unidos uma semana dedicada aos assexuados, com ações de sensibilização.

Os organizadores do primeiro Dia da Assexualidade na França estão dispostos a realizar iniciativas modestas, como o envio de poemas ao site .

Agência AFP

Recomendados para você

Comentários

  1. beth zhalouth Postado em 29/Apr/2013 às 23:14

    eles tem todo o direito de não fazer sexo, e devem ser respeitados...

  2. Ariane Postado em 29/Apr/2013 às 23:20

    homossexuAIS, héterossexuAIS, bissexuAIS, ASSEXUAIS. tá difícil de entender?

  3. Ariane Postado em 29/Apr/2013 às 23:21

    e assexuais podem sim fazer sexo, basta querer. assim como alguém que se identifica como homossexual pode fazer sexo com pessoas de outros gêneros, por exemplo.

  4. Daniela Postado em 29/Apr/2013 às 23:35

    O termo correto é 'assexual'

  5. paty Postado em 29/Apr/2013 às 23:41

    é isso ai!aposto que tem muita gente que se sente assim e nem sabe porque.

  6. Luciana Postado em 30/Apr/2013 às 00:25

    Eu sou assexual e isso não me torna pior e nem melhor que uma pessoa sexual. Espero que no futuro que as pessoas entendam mais sobre assexualidade.

  7. fabão Postado em 30/Apr/2013 às 07:51

    Quando o grupo das pessoas assexuadas crescer, os funtamentalistas religiosos vão dizer que isso é coisa de Satanás? As pessoas tem o direito de serem felizes da sua maneira. Todos tem o direito de escolher como se deve ser feliz.

  8. Raíza Postado em 30/Apr/2013 às 16:02

    Ariane, os assexuais devem ser respeitados, pois não dependem deles o desejo sexual. E, ao contrário do que você disse, os homossexuais em geral também não podem "querer" ter relações com pesoas do sexo oposto se assim não sentirem vontade ou atração. Não confuda as coisas! Sou homossexual assumida, e nunca tive vontade de ter relações com pessoas do sexo oposto, e não, não "basta querer". Não faço sexo com pessoas do sexo oposto, porque não gosto e não quero. Conheço pessoas bissexuais, essas sim fazem sexo, ou não, com os dois gêneros.

  9. Thiago Teixeira Postado em 01/May/2013 às 15:19

    Vivendo e aprendendo. Nunca ouvi esse termo.

  10. João Postado em 03/May/2013 às 10:27

    Mas, em teoria, o mesmo desejo que alguém tem de não fazer sexo e querer ser respeitada por isso, deveria não se chocar com o desejo de outras praticarem o ato. Se eu, sendo hetero, tiver um amigo homossexual e ele, de uma hora pra outra, começar a me olhar com outros olhos, se apaixonar por mim, e isso gerar um tipo de situação que eu opte por me distanciar dele, eu estaria sendo preconceituso? Se dou encima de uma garota e ela me repudia, ela estaria sendo heterofóbica? Claro que não! Mas devemos observar a diferença entre preconceito e direito de escolha. Se muitos casamentos acabam por problemas na vida sexual do casal, o que dirá então no começo de uma relação na qual uma das partes tem desejos fisiológicos diferentes do par. Seria uma tremenda canalhice começar a sair com uma pessoa assexuada com o pensamento de que no futuro "iria curar ela". As pessoas devem ser honestas consigo mesmas, e se isso causar o afastamento, é melhor do que prorrogar uma situação que cause incômodo. Um relacionamento não envolve apenas sexo, mas confiança, cumplicidade. Se o sexo(e a ausência dele) pode ser um complicador para a relação, é melhor isso ficar claro para não causar problemas mais tarde.

  11. João Batista Berto Postado em 07/May/2013 às 19:28

    O sexo entre os animais tem um objetivo biológico, a reprodução. Geneticamente, como qualquer animal, somos empurrados por nossos genes à sexualidade para perpetuação da espécie. Isto é natural. Entretanto, entre qualquer espécie animal, por razões as mais diversas, há aqueles que não seguem este impulso, que, afirmo, ser apenas irracional. Entre os humanos, no entanto, há uma avalanche de informações de todo o tipo de mídia, pouco inteligente, incitando o sexo como uma necessidade absoluta para a felicidade do indivíduo e do grupo familiar e social onde está inserido. O que é uma grandissíssima besteira. Mais do nunca os seres humanos estão valorizando outros fatores da vida que lhes fazem felizes. Repito, por razões hormonais ou outra qualquer, mas principalmente por vontade intrínseca, numa atitude puramente racional, alguns têm o sexo como algo desnecessário, a reprodução não é um objetivo e são felizes assim. Isto é absolutamente natural, inteligente e racional. Quero deixar claro que sou heterossexual, mas não faço disto algo supernatural. A diferença entre nós e os demais animais é a nossa capacidade de pensar. Infelizmente, não são todos os humanos capazes de pensar e abstrair. Até pensam, mas não abstraem do que pensam.

  12. Gobette Postado em 25/Jul/2013 às 19:49

    Ariane, mas é diferente fazer sexo porque quer e fazer pra agradar o parceiro. E outra: você disse "basta querer", como se a vontade fosse algo tão fácil como pressionar um tecla do computador. Sua comparação com os homossexuais também foi infeliz. Os homossexuais não sentem atração pelo mesmo sexo porque querem. Simplesmente sentem. Não controlam. O mesmo ocorre com os heterossexuais. Os assexuais não têm esse desejo, portanto não há motivo para terem relações. Eles se apaixonam mas não sentem a necessidade do ato sexual. Tomara que, caso eles entrem em evidência na mídia, não venham governos e religiões querendo inventar alguma "terapia", pois fica claro que os assexuais se sentem felizes sem o ato sexual e a única fonte de frustração é essa exigência infundada da sociedade (e das igrejas).