Redação Pragmatismo
Educação 05/Apr/2013 às 00:55
61
Comentários

A melhor educação do mundo é 100% estatal, gratuita e universal

O documentário abaixo deveria ser assistido e discutido por todos os educadores, todas as escolas, todas as pessoas interessadas na educação no Brasil

A Finlândia tem a melhor educação do mundo. Lá todas as crianças tem direito ao mesmo ensino, seja o filho do empresário ou o filho do garçom. Todas as escolas são públicas-estatais, eficientes, profissionalizadas. Todos os professores são servidores públicos, ganham bem e são estimulados e reconhecidos. Nas escolas há serviços de saúde e alimentação, tudo gratuito.

Na Finlândia a internet é um direito de todos.

A Finlândia se destaca em tecnologia mais do que os Estados Unidos da América.

Sim, na Finlândia se paga bastante impostos: 50% do PIB.

O país dá um banho nos Estados Unidos da América em matéria de educação e de não corrupção.

Na Finlândia se incentiva a colaboração, e não a competição.

Mas os neoliberais-gerenciais, privatistas, continuam a citar os EUA como modelo.

Difícil o Brasil chegar perto do modelo finlandês? Quase impossível. Mas qual modelo devemos perseguir? Com certeza não pode ser o da privatização.

Veja o seguinte documentário, imperdível, elaborado por estadunidenses. Em inglês, com legendas em espanhol:

Leia abaixo matéria originalmente publicada no Diário do Centro do Mundo que trata da excelência do sistema de educação da Finlândia, reverenciado em todo o mundo.

Por que o sistema de educação da Finlândia é tão reverenciado

Acaba de sair um levantamento sobre educação no mundo feito pela editora britânica que publica a revista Economist, a Pearson.

É um comparativo no qual foram incluídos países com dados confiáveis suficientes para que se pudesse fazer o estudo.

Você pode adivinhar em que lugar o Brasil ficou. Seria rebaixado, caso fosse um campeonato de futebol. Disputou a última colocação com o México e a Indonésia.

Surpresa? Dificilmente.

Assim como não existe surpresa no vencedor. De onde vem? Da Escandinávia, naturalmente – uma região quase utópica que vai se tornando um modelo para o mundo moderno.

Foi a Finlândia a vencedora. A Finlândia costuma ficar em primeiro ou segundo lugar nas competições internacionais de estudantes, nas quais as disciplinas testadas são compreensão e redação, matemática e ciências.

Leia também

A mídia internacional tem coberto o assim chamado “fenômeno finlandês” com encanto e empenho. Educadores de todas as partes têm ido para lá para aprender o segredo.

Se alguém leu alguma reportagem na imprensa brasileira, ou soube de alguma autoridade da educação que tenha ido à Finlândia, favor notificar. Nada vi, e também aí não tenho o direito de me surpreender.

melhor educação mundo finlândia
Finlândia: a melhor educação do mundo é 100% estatal, gratuita e universal (Imagem: Reprodução / Documentário)

Algumas coisas básicas no sistema finlandês:

1) Todas as crianças têm direito ao mesmo ensino. Não importa se é o filho do premiê ou do porteiro.

2) Todas as escolas são públicas, e oferecem, além do ensino, serviços médicos e dentários, e também comida.

3) Os professores são extraídos dos 10% mais bem colocados entre os graduados.

4) As crianças têm um professor particular disponível para casos em que necessitem de reforço.

5) Nos primeiros anos de aprendizado, as crianças não são submetidas a nenhum teste.

6) Os alunos são instados a falar mais que os professores nas salas de aula. (Nos Estados Unidos, uma pesquisa mostrou que 85% do tempo numa sala é o professor que fala.)

Isto é uma amostra, apenas.

Claro que, para fazer isso, são necessários recursos. A carga tributária na Finlândia é de cerca de 50% do PIB. (No México, é 20%. No Brasil, 35%.)

Já escrevi várias vezes: os escandinavos formaram um consenso segundo o qual pagar impostos é o preço – módico – para ter uma sociedade harmoniosa.

Não é à toa que, também nas listas internacionais de satisfação, os escandinavos apareçam sistematicamente como as pessoas mais felizes do mundo.

Para ver de perto o jeito finlandês de educar crianças, basta ver um fascinante documentário de 2011 feito por americanos (vídeo publicado acima).

Comecei a ver, e não consegui parar, como se estivesse assistindo a um suspense.

Todos os educadores, todas as escolas, todas as pessoas interessadas na educação, no Brasil, deveriam ver e discutir o documentário.

com BlogdoTarso ; edição: Pragmatismo Politico

Posts relacionados

Comentários

  1. BMDC Postado em 05/Apr/2013 às 01:57

    Parabéns aos filandeses! Aqui no Brasil podemos ter esse tipo de educação, pois temos satélite em conjunto coma China. Ai resolveria a questão da internet 0800, pagamos muitos impostos ao goveverno, porém nossos recursos são destinados a mordomia do congresso que gasta quase 23 milhões por dia, basta enviar uma parcela para educação. A prosposta da presidente Dilma de 100% dos royalties para educação é um bom começo, porém não basta... quando investimos em educação nossas crianças irão perceber que o petróleo, não é uma boa opção para um mundo sustentável, vão preferir o biodiesel, mas ai teriam que lutar contra os imperialistas... Temos que investir pessado em ciência e tecnologia, isso inserido nas escolas. (.e.).

    • Pierrô Postado em 14/May/2014 às 01:11

      Camarada, Ao destinar 100% dos royalties para a educação, estaríamos cometendo um erro léxico. Royalty, no significado da lei, possui o sentido de compensação por DANOS na exploração, no caso do Brasil, de commodities. Portanto, estaríamos cometendo um CRIME. Tiraríamos o dinheiro de cidades que são diretamente afetadas nas atividades de produção de determinada commodity para aplicá-lo em lugares onde esses impactos não são sentidos! O quão injusto seria retirar dinheiro de, por exemplo, Parauapebas - fortemente afetada na extração de minérios do subsolo -, no grande estado do Pará, para aplicá-lo na educação em uma cidade, como por exemplo, São Paulo? Lembro ainda que apenas uma injeção de dinheiro, num setor que não tem capacidade para administrar o que já recebe, de anda adianta! A analogia aqui é, aproveitando o tema de commodities, jogar ouro em pó na peneira furada de um garimpeiro. De que adianta tanto desperdício? Abraços, Defensor das cidades afetadas pela extração de commodities

      • ANDRE FLN Postado em 16/May/2014 às 21:19

        Você está ERRADO. Danos ambientais, seja ao meio físico, biótico e sócio econômico se mitiga no ambito do Licenciamento Ambiental através de programas elaborados especialmente para este fim. E não pense que simplesmente vai se abrir um torneira e tchum vai jorrar money. Além disso é melhor ter dinheiro sobrando pra calar a boca de um monte de governador e prefeito que não cumpre, por exemplo, a lei do piso salarial dos professores, até hoje, do que deixar como está. É ISSO QUE VOCÊS DEFENDEM? DEIXAR COMO ESTÁ!? Esse discurso de que não tem onde gastar tanto dinheiro é uma grande mentira, basta ver quantos candidatos de vestibular ficam de fora, bolsas, laboratórios, infraestrutura, AS PARTICULARES DEVEM ESTAR TREMENDO DE MEDO!!! E se sobrar dinheiro agente aumenta o bolsa família oras!!! :)

  2. Saulo Postado em 05/Apr/2013 às 08:14

    "Na Finlândia se incentiva a colaboração, e não a competição." Isso que vejo como um mal, colaboração e cooperativismo, são chaves para nossa sociedade horizontalizada, antes era vertical, tinha-se que "competir" ainda hoj existem pessoas que estão no mercado de trabalho para "competir" o que é totalmente desnecessario, um pensamento equivocado, ultrapassado... Essa coisa de competir, é inutil...

  3. Larissa Postado em 05/Apr/2013 às 09:10

    Uma pena que nosso modelo de ensino foi construído com base no estadunidense. Aliás, como toda a cultura inútil que importamos dos EUA. Culpa da mídia corporativa e do nosso governo malandro. Só eu sei o que é ter que estudar no sistema público de ensino, no período noturno. Sem contar que, todo nosso sistema de ensino é retrógrado, pois só é voltado para o vestibular. Hoje em dia, o estudante só é valorizado pelas notas e ingresso em universidade federal. A arte do pensar, tão dispensada nas provas de vestibulares, é esquecida. O que vale é quanto o aluno decorou, leu ou formou opinião com base nos livros do sistema. Não vale se ele raciocinar em relação a uma questão, pois tudo deverá ser com base nos livros do ensino médio, embasado nas fórmulas de matemática, física, nas regras da gramática, na exatidão da química e biologia. Infelizmente, não vejo mais solução para este país.

  4. Moisés Marcelo Nascimento Postado em 05/Apr/2013 às 09:44

    Sempre gostei principalmente do Design Escandinavo, já li vi muitas coisas da Finlândia (Helsinque) gosto do arquiteto Alvar AAlto mas fiquei surpreso com o trecho do texto acima que cita os finlandeses com mais felizes do mundo, li a muito tempo em algum lugar que eram tristes por fazer sol poucas horas por dia estaria eu equivocado, se puder responder agradeço, mesmo assim gosto muito, aprecio e parabenizo a educação e os finlândeses,

  5. A melhor educação do mundo é 100% estatal, gratuita e universal | Caminhos da Sociedade Postado em 05/Apr/2013 às 10:37

    [...] Fonte: Pragmatismo Político [...]

  6. Roberto Frega Postado em 05/Apr/2013 às 12:01

    Podem continuar aí estatizando o seu ensino. EU vou continuar colocando meus filhos nas melhores escolas e vou continuar pagando pelo melhor para a minha família. E também vou continuar competindo. Esta é a diferença entre líderes e rebanhos. Enquanto eu chefio vocês se contentam com a sua 'igualdade'.

    • Mira Postado em 30/Oct/2013 às 16:42

      Essa é a diferença entre seres humanos, meu caro. Uns acreditam na falácia da superioridade, outros defendem a igualdade de oportunidades. Até o dia em que, saindo do SUPER colégio dos seus ricos filhos, um marginal botar um revolver na tua testa, ou na testa deles. Daí tudo se esvai, vc entra pro rebanho e vai pra debaixo da terra sem ter tempo de lembrar que nenhum indivíduo tem o direito de ser superior ao outro.

    • ARMISTRONG SOUTO Postado em 18/Dec/2013 às 22:19

      Líderes e rebanhos? Você é tão perdido que confunde LÍDER com CHEFE. E essa confusão é tão primária, tão básica, tão tola. Parece que só você com as suas "melhores escolas" não sabe que líderes não possuem rebanhos. Líderes contam com parceiros. Chefes é que possuem "rebanhos". Ao menos pensam que possuem. Vai ver que tu chefias uma insignificante repartição pública, ou um setor qualquer de uma empresa, também, qualquer. E dentro de tua megalomania acredita que é, de algum modo, superior. Nada mais, nada menos, do que a velha estória dos micropoderes, e dos pequenos burgueses. Velho, e tardio, resquício do modelo escravocrata. Rizível!

      • eu daqui Postado em 18/Jul/2014 às 11:57

        Ele sabe que é inferior. Essa afirmação da pseudosuperioridade é, em verdade, uma tentativa de autocompensação. Só uma coisinha: não pense vc que psicopatas corporativos só existem no serviço público, tà?

    • arley Postado em 23/Apr/2014 às 00:27

      idiota,vc vai pro mesmo buraco...

    • arley Postado em 23/Apr/2014 às 00:28

      idiota

  7. Lecio Junior Postado em 05/Apr/2013 às 12:10

    Concordo que a estatização de serviços considerados estratégicos para os cidadãos é uma necessidade, e que a educação universal e gratuita como um direito de todos, independente de classe social, é um avanço social, entretanto, comparar uma carga tributária de 50% para um país de 5,4 milhões de habitantes, com PIB per capita de € 36.700, com a menor índice de corrupção do mundo e com uma tradição de capitalismo social, com eficiência e transparência em sua administração pública, seria leviandade sugerir a implementação da mesma carga tributária para um país como nosso, com administração pública corrupta e ineficiente. E não se enganem, a Finlândia não investe muito mais dinheiro do que o Brasil na educação, eles investem apenas 7% do PIB na educação básica, pouco mais que o Brasil que investe cerca de 5,7% do PIB, a questão lá é a eficiência da gestão dos recursos públicos e alta qualificação e produtividade dos servidores públicos. Para refletir, o problema aqui no Brasil não é de ordem financeira, e sim de ordem administrativa, política e social!

  8. Cassiano Postado em 05/Apr/2013 às 12:27

    Apenas uma informação relevante em relação ao ensino da Finlândia. Existe sim um uma taxa que as famílias pagam para seus filhos estarem na escola, mas são absurdamente baixas e variam de acordo com a renda familiar. Porém como dito no texto, não importa se a criança é filha do empresário ou do garçom, elas estarão na mesma escola e com a mesma qualidade de ensino.

  9. Felipe Verçosa Postado em 05/Apr/2013 às 12:31

    Sensacional, 50% de imposto é super aceitável, desde que este se converta em benefícios para a sociedade. Aqui, tem menos, 35%, mas as coisas não acontecem, então, com certeza, aumentar não é uma solução enquanto não se resolverem infinitos outros problemas prioridade, como "acabar" coma corrupção, redirecionar recursos e fazer planos de melhorias radicais em diversos âmbitos. Atualmente tenho me maravilhado com tecnologias e soluções descentralizadas como alternativa à solução da estatização, que não se mostra viável em um sistema governo opaco e corrupto. Dentre diversas outras coisas, acho que cabe ao menos discutir o sistema monetário dos bitcoins e soluções de financiamento coletivo. Tenho estudado projetos nesse sentido. Parabéns novamente ao pragmatismo pelo excelente trabalho.

  10. José caiano de Lima Postado em 05/Apr/2013 às 12:59

    "EXEMPLOS DE PODERES CONSTTIUIDOS E COMANDADOS POR ENTES PÚBLICOS DE GRANDE IDONIDADE MORAL, EXEMPLOS DE UMA VERDADEIRA DEMOGRACIA HUMANA E CIDADÃ. SERVE, COMO UM GRANDE EXEMPLO PARA SER SEGUIDO PELO NOSSO BRASIL" QUE ATÉ O MOMENTE, VEM, ADMINISTRADO POR UMA VERDADEIRA ZORRA.

  11. Alex Postado em 06/Apr/2013 às 08:26

    Muito cuidado na leitura que se faz do artigo acima: evidente que é necessário que o professor tenha conhecimento sobre o que vai ensinar, mas mais importante é saber ensinar. Escolher entre os 10% melhores alunos de graduação não é o melhor método, ao meu parecer. Outro ponto sempre negligenciado é que estamos engatinhando na universalização do sistema educacional: tem cidades que ainda nem possuem escolas, ou bibliotecas, ou museus... O fator cultural é importantíssimo e sequer mencionado: pais que tiveram escolarização tendem a valorizar mais que os filhos se escolarizem (ir pra escola para aprender); aqui a escola ainda é uma espécie de "creche" para crianças grandes para muitos pais. Nós brasileiros temos alguns dos melhores e mais premiados educadores do mundo, não precisamos importar modelos estrangeiros fora do nosso contexto e realidade social e cultural. O artigo na verdade, é bastante pobre e preconceituoso.

  12. Isabelle Postado em 07/Apr/2013 às 00:52

    Roberto Frega, em 5 de abril de 2013 às 12:01 disse: Podem continuar aí estatizando o seu ensino. EU vou continuar colocando meus filhos nas melhores escolas e vou continuar pagando pelo melhor para a minha família. E também vou continuar competindo. Esta é a diferença entre líderes e rebanhos. Enquanto eu chefio vocês se contentam com a sua ‘igualdade’. sinto muito, roberto frega, mas numa sociedade como a finlândia, você vai seguir competindo sozinho, consigo mesmo.. pensamento miserável esse teu, como se a vida fosse uma competição.. e já que tu a consideras competição, em competições não se confia em ninguém, já que todos querem passar um por cima do outro, então como tens certeza que estás a pagar 'pela melhor educação' sendo que se teus filhos forem bem educados eles serão concorrência para os próprios educadores? melhor parar pra pensar antes de qualquer coisa..

  13. Larissa Postado em 07/Apr/2013 às 13:43

    Doravante, não irei mais comentar neste site. Não entendo a moderação de vocês, Pragmatismo. Fiz um comentário sem nem sequer cunho pejorativo, ofensivo ou análogo, e não publicaram. Vejo que gastar tempo a comentar aqui, é simplesmente gastar tempo.

  14. Vinícius Postado em 07/Apr/2013 às 23:38

    o O sistema

  15. Vinícius Postado em 07/Apr/2013 às 23:46

    O sistema econômico dos países nórdicos é o Welfare State, que pode-se definir como um capitalismo bem moderado carregado de traços socialistas. No caso dos impostos, não é necessário pagar muito imposto, pegando por exemplo o caso do México, mesmo com poucos impostos seria possível o governo garantir um bem estar social, mas assim como no Brasil, o México convive com corrupção, que é o realmente faz o país andar para trás, só citando que na Finlândia não existe corrupção. No Brasil, alem da forte corrupção (independente da ideologia do partido) temos os políticos mais caros do mundo, e pagar imposto aqui não garante saúde, educação e segurança.

    • eu daqui Postado em 18/Jul/2014 às 12:01

      Aquela região ali tenta filtrar o que o socialismo e o capitalismo tem de melhor. Acho que eles tem conseguido. É como eu digo: radicalismos e extremismos seja pra um lado ou pro outro, não dão certo .

  16. Juan Postado em 08/Apr/2013 às 10:32

    E as universidades?

  17. Rodrigo Teixeira Postado em 08/Apr/2013 às 12:54

    Gente competente e bem intencionada para gerir a educação aqui no Brasil não falta. Talvez isso tenha a ver com o fato de que muito pouco desses 35% do PIB em forma de impostos, de fato chegue a outra ponta. A os esquerdolóides desinformados, a educação nos EUA é quase que 100% estatal ( com exceção do ensino superior, que ainda assim, oferece bolsas para atletas e para quem tem menores condições de pagar). Nenhum autor de respeito que defenda o liberalismo entende que as escolas também devem ser tiradas do domínio do estado. Estado mínimo não é estado nulo. Pelo contrário ! Mesmo num regime absolutamente liberal do ponto de vista econômico, educação, saúde, segurança pública, legislação e justiça continuam sendo papel do Estado. Se a iniciativa privada tomou a educação para si no Brasil. é por que o Estado foi negligente com a educação nos últimos 60 anos. Há quem alegue que a educação foi sucateada por razões políticas ( o que é uma outra discussão !), mas o fato é que foi sucateada ! Se o Estado voltar a fornecer ensino de qualidade, a classe média voltará as escolas, simples assim !

    • Heloisa Postado em 15/Mar/2014 às 22:42

      Perdão, meu caro, mas ainda em tempo de fazer uma correção: saúde nos EUA é privada, e se não tiver dinheiro pra pagar vc morre. No Brasil, o SUS , modelo de saúde universal, que atende a todos, ricos e pobres, contribuintes ou não, é um modelo de política social dos mais bem sucedidos do mundo.Até o EUA tentaram implantar um programa semelhante lá. mas o Obama não venceu a resistência dos republicanos. Quanto a educação, como não temos universidades públicas pra tantos brasileiros que agora estão chegando ao nível superior, o governo já financia hoje pelo PROUNI 35% das vagas das universidades privadas para alunos que não podem pagar. Não acho errado valorizarmos o que de bom existe em outras culturas, mas acho ruim este complexo de povo colonizado que tem os brasileiros de acharem que tudo que vem da Europa e dos EUA é melhor que o nosso.Eles também têm mazelas e nós temos muitos méritos que eles não têm. A Europa e EUA hoje têm em comum a decadência de suas economias, enquanto nós, depois de 20 anos de ditadura, e da década perdida do governo FHC, estamos navegando e surfando com sucesso nas ondas destas duas crises recentes que abalaram o mundo. Precisamos acreditar em nós mesmos, este é o primeiro passo para existir solidariedade social.

  18. Wesley Postado em 08/Apr/2013 às 18:37

    Fornecer uma educação de qualidade exige uma sociedade solidária que queira o crescimento de todos. No Brasil é a lei do "Cada um por si, e Deus por todos". Como um país onde têm uma população egoísta, passiva e que idolatra vigaristas vai crescer? Nunca! O segredo não é o regime político e nem o capitalismo e sim como a sociedade funciona. É só observar os pequenos detalhes. Por exemplo, no Brasil a população é mal educada - joga lixo no chão, fala no celular em voz alta, os mais privilegiados não ajudam os mais carentes, etc. Nos EUA as doações são quase obrigatórias, e quem não ajuda as outras pessoas, não presta serviços comunitários se torna mal visto pela sociedade. Em termos de honestidade, a cultura americana valoriza muito mais que a brasileira e por lá quem não andar na linha se dá mal, já no Brasil o que prevalece é o "jeitinho brasileiro" (termo não pejorativo para a vigarice brasileira).

  19. Kátia Araújo Postado em 10/Apr/2013 às 16:21

    Gostei!

  20. Osvaldo Aires Bade Comentários Bem Roubados na "Socialização" - Estou entre os 80 milhões Postado em 18/Apr/2013 às 01:00

    10 (DEZ) PASSOS DA APRENDIZAGEM - EDUCAÇÃO E GESTÃO Entre a Finlândia e o Piauí http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2012/02/educacao-e-gestao-10-dez-passos-da.html . Abraço a Todos Osvaldo Aires

  21. Escola dos sonhos | Diário da Escola Pública Postado em 26/Apr/2013 às 08:03

    [...] http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/04/melhor-educacao-do-mundo-finlandia.html [...]

  22. Carlos Postado em 26/Apr/2013 às 18:55

    Serviços como os de saúde, de educação e de transporte devem ser públicos, ao contrário do que alguns defendem no país. Porém devem ser bem administrados e de forma transparente. A administração pública gastaria o necessário e não estaria visando sempre atingir o lucro com serviços mais caros pelo menor custo possivel.

  23. FACEBOOK NÃO TIRA DO AR VÍDEO DE MULHER SENDO DECAPITADA | SCOMBROS Postado em 26/Apr/2013 às 19:02

    [...] A melhor educação do mundo é 100% estatal, gratuita e universal [...]

  24. Rodrigo Pires Postado em 13/May/2013 às 18:28

    Nem percam o tempo lendo. Um texto que começa fazendo comparações de um pais do tamanho de Campinas, com EUA e Brasil, países de proporções continentais, cai totalmente em descrédito. Seja em qualquer setor público, segurança, saúde, educação... é um absurdo a comparação.

    • Franklin Weise Postado em 18/Dec/2013 às 18:53

      Rodrigo, por mais que eu admire o estado do bem-estar social nos moldes europeus, concordo contigo. Administrar qualquer serviço público é infinitamente mais fácil em países pequenos.

    • Maria Postado em 06/May/2014 às 12:42

      Tb pensei a mesma coisa. A população da Finlândia não chega nem a 6 milhões. É menor do que de alguns estados brasileiros. Portanto, chega ser utópico querer algo semelhante, a não ser que se faça uma reforma profunda nas questões de governança. Federalização do ensino já seria uma boa alternativa. Mas duvido muito que um dia, cheguemos sequer perto desse modelo nórdico.

  25. Mary Postado em 27/May/2013 às 19:48

    Rodrigo Teixeira: " Se o Estado voltar a fornecer ensino de qualidade, a classe média voltará as escolas, simples assim !" Pronto! Esta resolvido o problema da educação brasileira e consequentemente da desigualdade social. Se as escolas públicas começarem a evoluir em sua qualidade de ensino, ao ponto de ficarem no mesmo nível ou melhores do que as particulares, em pouco tempo a classe média vai migrar para as públicas, e os pobres vão migrar para as particulares, pois como a pública será melhor, haverá uma seleção para o ingresso dos melhores alunos, que serão, adivinha? Os ricos. Um exemplo nítido é o caso das universidades públicas, como a USP, que concentra majoritariamente a elite paulistana, enquanto as particulares concentram os cidadãos comuns e menos favorecidos de ensino de base, exigido pelas instituições de ensino superior. É uma instituição pública mas, a grosso modo, pobre de escola pública não entra lá. Se você olhar para a história da educação no Brasil, verá que as primeiras escolas exigiam uma espécie de vestibular, pois era preciso ter um capital cultural, parafraseando Bordieu, para passar na prova e ter direito a educação pública de qualidade. Enquanto houver meritocracia, um dos pilares do liberalismo, falaciosamente defendido, as coisas não vão mudar, pois sempre se exigirá algo que os menos favorecidos não conseguem alcançar para se ter o direito de ter direito.

  26. Inapaz Postado em 28/May/2013 às 22:12

    Às vezes penso que nosso povo perdeu a memória. Nosso ensino público era muito bom. Tão bom, que as famílias de melhor poder aquisitivo mentiam a renda e usavam de meios heterodoxos para colocar seus bem nascidos filhos nas escolas públicas que, até os anos 70, eram destinadas a quem não podia pagar uma particular. Embora eu fosse criança, ainda lembro de conhecidos que se vangloriavam de terem conseguido "colocar" seus filhos numa escola estadual, pois era sinônimo de garantir um bom ensino. Já as escolas particulares, contavam-se nos dedos as de qualidade. O golpe de 64 e a posterior reforma de ensino de 1972 vieram a garantir o sucateamento do ensino público, destinando-o ao populacho, que serviria de mão de obra barata para a elite, que seria formada nas escolas particulares, daqueles que poderiam pagar por um ensino melhor, feito para formar as cabeças pensantes do país. Acabou-se, então, o "ensino científico" e veio o ensino técnico, retirando do ensino público matérias como filosofia, música, artes, e por aí vai. Quem estiver desmemoriado, que vá pesquisar, pois há material farto, na internet. Aliás, boa parte dos que estão aí, reclamando que têm de pagar pelo ensino, e que a escola pública deveria ser melhor, provavelmente são filhos de famílias que apoiaram o golpe que acabou com o ensino público no Brasil. Consertar esse estrago leva tempo, senhoras e senhores da classe média.

    • Franklin Weise Postado em 18/Dec/2013 às 18:57

      Eu era muito novo na época, mas se conta que, a despeito da boa qualidade, o ensino público pré-golpe não era universal. Havia uma enorme fatia da população que não freqüentava a escola. Optou-se por universalizar o acesso à escola, mas não conseguiram manter o bom nível de antes. Uma pena.

  27. Cuba é o melhor país da América Latina para ser mãe | Postado em 01/Jun/2013 às 00:22

    [...] A melhor educação do mundo é 100% estatal, gratuita e universal [...]

  28. Osvaldo Aires Bade Comentários Bem Roubados na "Socialização" - Estou entre os 80 milhões Postado em 02/Jun/2013 às 07:10

    LUTA CONTRA A DITADURA NÃO TEVE O FINAL ESPERADO http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2013/06/luta-contra-ditadura-nao-teve-o-final.html?spref=fb

  29. Osvaldo Aires Bade Comentários Bem Roubados na "Socialização" - Estou entre os 80 milhões Postado em 02/Jun/2013 às 07:14

    CONTRATAÇÃO DOS MÉDICOS CUBANOS: O QUE HÁ POR TRÁS DISSO? http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2013/05/contratacao-dos-medicos-cubanos-o-que.html

  30. Quais os segredos do país que tem a melhor educação do mundo? | PIBID Biologia - UFMA Postado em 03/Jun/2013 às 23:40

    [...] http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/04/melhor-educacao-do-mundo-finlandia.html [...]

  31. Samuel Postado em 05/Jun/2013 às 01:15

    Alguém sabe me dizer se os hospitais escandinavos ou Finlandeses também são 100% estatais e públicos ? Obrigado

    • Eleonora Goncalves Postado em 26/Apr/2014 às 03:35

      Moro na Suécia, pago um preço de 350 koroas sueca por uma consulta médica mas todos exames que preciso fazer estão incluídos nesse valor. Se vc for ao medico 10 vezes ao ano recebe o frikort läkabesök, que é como um passe livre. Esse passe livre vale por um ano.

  32. Giseli Postado em 06/Jun/2013 às 14:03

    Em termos de comparação geografica é realmente um absurdo.. Mas não da pra entender como um País como o nosso enquanto uns tem tanto que joga tudo no lixo , outros não tem nada. O problema está na desigualdade social, concordo com tudo o que Wesley disse.

  33. Derli Macagnan Postado em 30/Aug/2013 às 14:31

    Nao importa o quanto se gasta em educacao, e sim como se gasta,qual o efeito produzido

  34. Danilo Postado em 27/Sep/2013 às 11:16

    Mas uma vez uma idéia bacana que no Brasil não daria certo, não importa se pagarmos 25%, 45% ou 90% de impostos, o problema é que sabemos que esse dinheiro não irá retornar para gente. Antes de pensarmos em qualquer modelo novo de educação ( O da Filandia me pareceu bem legal) temos quete corrigir o problema da corrupção no país. Podemos aplicar as melhores projetos sociais desenvolvidos no mundo, quando chegar no Brasil irá falhar até resolvermos os nossos. Se o meu imposto resultar em uma educação estou disposto a pagar, mas no momento não sinto confiança nenhuma em investir um sistema corrupto.

  35. Jeremias Postado em 18/Dec/2013 às 17:39

    Esse modelo só funciona em lugares onde faz muito frio, as pessoas ficam mais tempo em casa estudando, lendo, trabalhando, se educando. Aqui no país do Sol escaldante, só putaria, mulheres de biquini ganhando dinheiro fácil e homens gastando tudo com elas. Eu sou um deles (fui um deles, acabou o dinheiro).

  36. camilo Postado em 18/Dec/2013 às 18:23

    Acho que no caso brasileiro há uma falta de cultura em esudar. O que predomina na visão não só dos governantes, mas principalmente das pessoas é aquela escola assistencialista e responsável inteiramente pela educação e formação do aluno. Os pais não se sentem agentes da educação do filho, acham que isso é somente dever do professor. Assim, o aluno, grosso modo, não é cobrado, ajudado e incentivado em casa a estudar. Acha que o tempo de estudar é aquele compreendido pelo horário escolar, que no nosso país é de 5h por dia.

  37. Nicolau Postado em 06/Jan/2014 às 18:43

    O que você quer onde o Zé Povão vota num molusco Analfabeto e Cachaçeiro que nunca estudou nem trabalhou! O que você quer onde os vagabundos corruptos socialistas do PT e do Mensalão roubam o povão, e o povão gosta e fica calado, só reage para futebol! O que você quer quando ninguem protesta contra o Mensalão, mas na parada gay em São Paulo sairam nas ruas mais de 3 Milhões de Pederastas!

  38. Thiago Teixeira Postado em 15/Feb/2014 às 12:14

    O que arrebenta o país é a sonegação fiscal. O babaca gasta milhares de reais num camarote e durante seu expediente faz de tudo para burlar o sistema como já ouvi diversas vezes a expressão: "Acha que sou otário? Vou dar meu dinheiro para o Lula? Nem a pau."

    • eu daqui Postado em 28/May/2014 às 15:00

      O que arrebenta também é coitadismo e cotas dar mais ibope do que educação, estudo e outros esforços.

  39. Víctor Marcelino Postado em 14/Mar/2014 às 12:45

    Sabe quando o Brasil chegará ao nível de ensino dos escandinavos?? NUNCA!!! Aqui, o importante é copa do mundo, carnaval e bolsa putaria!!! Estamos a anos-luz de um ensino de excelência, mas ninguém dá bola pra isso mesmo...

  40. Diogo Postado em 20/Mar/2014 às 16:42

    A melhor educação do mundo é de um país europeu (branco). Nem adianta xingar a Finlândia pois esta nunca teve colônias.

    • eu daqui Postado em 28/May/2014 às 14:58

      Talvez ajude a aducação finlandesa o fato dos finlandeses quererem ser educados e gostarem de estudar

  41. Vanina Postado em 15/Apr/2014 às 10:02

    Correcão: A Finlândia NÃO É UM PAIS ESCANDINAVO (geograficamente), mas junto com os escandinavos, é um país NÓRDICO.

  42. docarmojoaquim@gmail.com Postado em 15/Apr/2014 às 20:13

    Alguem tem ai este documento-artigo, video revista ou etc- que fala a melhor educação no mundo é a Finlandia e não do Estados Unidos da America - EUA. por favor mande para mim: Joaquim do Carmo Belo por meio de meu endereço eletronico: DOCARMOJOAQUIM@GMAIL.COM ( tudo em letra minuscula) Joaquim Belo

  43. Letícia Vilarinho Ribeiro Postado em 17/Apr/2014 às 16:14

    O modelo finlandÊs é perfeito! porém aqui no Brasil é impossível de dar certo, já vivemos no sistema capitalista educacional desde seu primórdio, além de que com a corrupção que temos na direção, não podemos nem querer imaginar contarmos com o apoio total do governo para com o reconhecimento dos profissionais da educação nem mesmo com os serviços a parte prestados para os alunos, tais como saúde médica e odontológica por exemplo, isso é só uma justificativa que o governo pode colocar na mídia para justificar um aumento de imposto e consequentemente do PIB e o reparo mesmo que é bom não iria acorrer! Se não chegamos perto nem da educação de boa qualidade de Cuba a da Finlândia é incogitável!!!

  44. Daisy Postado em 09/May/2014 às 16:41

    Acerca da seguinte informação:"A carga tributária na Finlândia é de cerca de 50% do PIB. (No México, é 20%. No Brasil, 35%.)", parece que no Brasil não são investidos 35% do PIB. O documento do PNE coloca que deveriam ser investidos 10%, mas parece que não está sendo colocado em prática.

  45. Matthaus Postado em 14/May/2014 às 00:49

    Sim. E é por isso que a Finlândia é o país mais rico do mundo e com os melhores índices de inovação! Por favor caros colegas, acreditar que o melhor sistema de educação é aquele regido pelo Estado, é acreditar em "satu" - como diria meu professor de economia aqui em Helsinki. Como diria Milton Friedman, quando o Estado usa o dinheiro dos contribuintes para transformá-lo em benefícios para estes, temos aí a pior forma possível da utilização de dinheiro. Um sistema de vouchers funcionaria de maneira muito mais eficiente, onde o Estado fornece "vales" para toda a população. Estes vouchers, então, seriam usados pelos responsáveis dos alunos para pagar às escolas privadas. As escolas estatais seriam, portanto, banidas. Se abrirmos as portas para o livre mercado, a vida dos cidadãos seria muito melhor! Acordem e reflitam! Abs, Liberal escandinavo Mais Mises, menos Marx!

  46. Danilo Henrique Postado em 16/Jun/2014 às 13:56

    Esse texto abaixo explica bem o sucesso finlandês: http://www.cadec.com.br/component/content/article/45/92-a-educacao-na-finlandia-e-na-suecia-e-as-razoes-do-sucesso-na-avaliacao-do-pisa.html AUTONOMIA

O e-mail não será publicado.