Redação Pragmatismo
Compartilhar
Direita 26/Mar/2013 às 14:03
101
Comentários

A revolta da "patroa" Danuza Leão com os direitos das domésticas

Tal qual os senhores de escravos do século XIX, que diziam que os negros não poderiam ser libertados, pois seriam entregues à própria sorte, a colunista Danuza Leão argumenta que a PEC das Domésticas na verdade pune tais profissionais, uma vez que, com maiores direitos trabalhistas, como FGTS e adicional noturno, elas serão dispensadas pelas patroas

No século XIX, os escravocratas tinham um discurso na ponta da língua. Negros não podiam ser libertados porque, sem a proteção dos fazendeiros, que, afinal de contas, lhes devam abrigo e alimentação, seriam entregues à própria sorte. Neste domingo, aquele velho discurso ecoou na Folha de S. Paulo, na coluna da escritora Danuza Leão, que já viveu seus dias de glória como socialite.

No texto “A PEC das empregadas”, Danuza escreve sobre o projeto de lei aprovado em primeiro turno pelo Senado Federal, que amplia direitos de tais profissionais, com a exigência de benefícios como o recolhimento de FGTS e o pagamento de FGTS. Ela prevê que o projeto, se não for bem discutido, colocará muita gente no olho da rua, uma vez que as patroas da classe média alta não conseguirão manter o privilégio – que, aliás, não existe em boa parte do mundo civilizado, que Danuza bem conhece.

CONHEÇA O PROJETO E ENTENDA O QUE MUDA COM A PEC DAS DOMÉSTICAS

Recentemente, Danuza já havia escrito que viajar a Paris e Nova York havia perdido a graça, porque havia o risco de dar de cara com o porteiro do prédio (leia mais aqui). Aparentemente, a socialite ainda não se acostumou com um Brasil em que as fronteiras sociais se movem e não são as mesmas do seu tempo.

Leia, abaixo, a coluna de Danuza:

A PEC das empregadas

Essa Pec das empregadas precisa ser muito discutida; como foi mal concebida, assim será difícil de ser cumprida, e aí todos vão perder.

A intenção de dar as melhores condições à profissional, faz com que seja quase impossível que o empregador tenha meios de cumprir com as novas leis; afinal, quem vai pagar esse salário é uma pessoa física, não uma empresa.

Vou fazer alguns comentários sobre as condições -diferentes- em que trabalham as domésticas aqui e em países mais civilizados.

danuza leão domésticas
Danuza Leão é o símbolo vivo de uma elite inculta, egoísta e vil (Foto: Reprodução)

Vou falar da França e dos Estados Unidos, que são os que mais conheço. Lá, quem mora em apartamento de dois quartos e sala, é considerada privilegiada, mas nenhum deles tem área de serviço nem quarto de empregada (costuma existir uma área comunitária no prédio com várias máquinas de lavar e secar, em que cada morador paga pelo tempo que usa); uma família que vive num apartamento desses tem -quando tem- uma profissional que vem uma vez por semana, por um par de horas.

Leia também

É claro que cada um faz sua cama e lava seu prato, e a maioria come na rua; nessas cidades existem dezenas de pequenos restaurantes, e por preços mais do que razoáveis.

Apartamentos grandes, de gente rica, têm quarto de empregada no último andar do prédio (as chamadas “chambres de bonne”, que passaram a ser alugadas aos estudantes), ou no térreo, completamente separados e independentes da família para quem trabalham.

Essas domésticas -fixas e raras- têm salario mensal, e sua carga horária é de 8 horas por dia, distribuídas assim: das 8h às 14h (portanto, 6 horas seguidas) arrumam, fazem o almoço, põem a casa em ordem. Aí param, descansam, estudam, vão ao cinema ou namoram; voltam às 19h, cuidam do jantar rapidinho (lá ninguém descasca batata nem rala cenoura nem faz refogado, porque tudo já é comprado praticamente pronto), e às 21h, trabalho encerrado.

Mas no Brasil, muitos apartamentos de quarto e sala têm quarto de empregada, e se a profissional mora no emprego, fica difícil estipular o que é hora extra, fora o “Maria, me traz um copo de água?”. E a ideia de dar auxílio creche e educação para menores de 5 anos dos empregados, é sonho de uma noite de verão, pois se os patrões mal conseguem arcar com as despesas dos próprios filhos, imagine com os da empregada.

Quem vai empregar uma jovem com dois filhos pequenos, se tiver que pagar pela creche e educação dessas crianças? É desemprego na certa.

Outra coisa esquecida: na maior parte das cidades do Brasil uma empregada encara duas, três horas em mais de uma condução para chegar ao trabalho, e mais duas ou três para voltar para casa, o que faz toda a diferença: o transporte público no país é trágico. Atenção: não estou dando soluções, estou mostrando as dificuldades.

Na França, quando um casal normal, em que os dois trabalham, têm um filho, existem creches do governo (de graça) que faz com que uma babá não seja necessária, mas no Brasil? Ou a mãe larga o emprego para cuidar do filho ou tem que ser uma executiva de salário altíssimo para poder pagar uma creche particular ou uma babá em tempo integral, olha a complicação.

Nenhum país tem os benefícios trabalhistas iguais aos do Brasil, mas isso funciona quando as carteiras das empregadas são assinadas, o que não acontece na maioria dos casos; e além da hora extra, por que não regulamentar também o trabalho por hora, fácil de ser regularizado, pois pago a cada vez que é realizado? Se essa PEC não for muito bem discutida, pode acabar em desemprego.

Leia, ainda, o texto de Eduardo Guimarães em resposta à Danuza Leão

Danuza Leão é o símbolo vivo de uma elite inculta, egoísta e vil

Há um setor da sociedade que simplesmente não consegue enxergar e aceitar o processo civilizatório em que o Brasil mergulhou após os seguidos desastres administrativos, econômicos e sociais que governos medíocres, vendidos e ladrões lhe impuseram até 2002.

Talvez o mais eloquente símbolo do processo civilizatório em curso no Brasil seja estar se tornando raro famílias de classes média e alta terem “empregadas domésticas” que trabalhem de sol a sol por ninharias que não pagam refeição em um bom restaurante.

Agora, após séculos de verdadeira escravidão a que mulheres e até meninas pobres se submeteram trabalhando nessas condições para famílias de classe social superior, o Congresso criou vergonha e estendeu aos trabalhadores domésticos os direitos de todos os outros.

Um dos muitos avanços sociais para a maioria empobrecida do nosso povo que os governos Lula e Dilma vêm proporcionando está na raiz do ódio que a elite tem deles, pois acabou a moleza de madames como a colunista da Folha de São Paulo Danuza Leão terem escravas.

Eis que a socialite-colunista, que já andou vertendo seu ódio de classe devido à conquista dos aeroportos e viagens internacionais pelas classes “inferiores”, agora se revolta com os direitos trabalhistas serem estendidos também às “domésticas”.

Para tanto, como bem anotou o site Brasil 247, a socialite-colunista se valeu dos “argumentos” que há mais de século os escravocratas brasileiros usaram para manter este país como o único em que persistia a escravidão de negros.

Os escravocratas diziam que se os negros fossem libertados, seriam os principais prejudicados porque não conseguiriam se sustentar sem a “proteção” do senhor de escravos.

Agora, uma centena e tanto de anos depois, a colunista da Folha diz que dar direitos trabalhistas a domésticas seria ruim para elas porque, dessa forma, não conseguirão emprego.

Essa mulher é colunista do dito “maior jornal do país”. Espanta como alguém tão desinformada pode ter espaço em um veículo de projeção nacional para provar por escrito sua ignorância desumana.

Danuza é o retrato de uma elitezinha minúscula, iletrada, desinformada, egoísta, racista, sonegadora e pervertida. A sua diarreia mental na Folha deste domingo (texto acima) não me deixa mentir.

No Brasil, com a revolução social da década passada – desencadeada a partir de 2004 – há cada vez menos pessoas dispostas a realizar trabalhos domésticos, sobretudo devido à falta de direitos trabalhistas e aos salários de miséria que gente como Danuza quer pagar para ser servida 24 horas por dia em troca de alguns trocados, um prato de comida e uma cama.

Se a elite que Danuza simboliza não fosse tão desinformada, iletrada, delirante e egoísta, saberia que o IBGE vem detectando que é cada vez menor o número de pessoas dispostas a atuar em tarefas domésticas.

No ano passado, por exemplo, segundo a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), do IBGE, apenas 6,6% dos brasileiros atuaram em serviços domésticos. Foi o resultado mais baixo desde 2003.

Danuza tenta preservar a escravidão no Brasil usando um argumento vazio, como se vivesse na época de seu ídolo Fernando Henrique Cardoso. Ela não sabe que a escassez de trabalhadores domésticos elevou o poder de barganha deles

Os salários dos empregados domésticos crescem sem parar desde 2003 e o nível de formalização (carteira assinada) é hoje o mais alto da história.

Nos últimos 12 meses, o salário médio de uma empregada doméstica aumentou 11,83%, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), índice oficial de inflação do País, também apurado pelo IBGE.

Segundo o coordenador da pesquisa do IBGE, “Por causa da oferta baixa e da demanda crescente o preço das empregadas domésticas chegou num patamar em que muitas famílias estão abrindo mão do serviço todos os dias e optando por ter uma empregada duas vezes por semana, por exemplo, para não configurar um vínculo”.

Segundo o estudo, “A mudança na situação do mercado de trabalho doméstico foi sustentada por dois motivos: aquecimento na criação de postos de trabalho e melhora na educação do trabalhador. Esses fatores fizeram com que os trabalhadores domésticos conseguissem migrar para outros ramos de atividades”.

Mais dados da PME, do IBGE: “Entre 2003 e 2012, o porcentual de trabalhadores analfabetos ou com até oito anos de estudo recuou 15,5%. Já a quantidade de profissionais com 8 a 10 anos de estudo aumentou 27,7%, enquanto a parcela dos profissionais cresceu 139,4% no período”

A quantidade de trabalhadores domésticos, por conta disso, vem caindo, em média, 2,7% ao ano.

O coordenador da pesquisa do IBGE ainda explica que “Com a melhoria da educação e oportunidade de trabalhar em outros nichos, as trabalhadoras estão conseguindo se inserir principalmente nos serviços prestados a empresas, uma parte mais voltada para terceirização”.

Já o economista Fernando de Holanda Barbosa Filho explica que “Em geral as pessoas não gostam de ser empregadas domesticas. Sempre que possível elas deixam essa profissão”. E as razões disso, a diarreia escrita de Danuza explica.

E o pior do texto dessa senhora é quando tenta fazer uma analogia entre os serviços domésticos no Brasil e nos países ricos.

A pesquisa do IBGE mostra que a mudança na estrutura do emprego doméstico no Brasil o tornará mais europeizado e americanizado. Segundo os pesquisadores do IBGE, “Em países de economia mais madura ter um trabalhador doméstico todos os dias da semana é considerado luxo. Quem trabalha no setor, por sua vez, se especializa e, obviamente, cobra mais”.

Minha filha Gabriela (26) vive há quatro anos em Sydney, na Austrália. Para pagar os estudos trabalhou como babá, ganhando o equivalente a 7 mil reais por mês, viajando ao exterior toda hora, comprando carro e trabalhando apenas seis horas por dia.

Nos países civilizados, empregados domésticos fazem muitas exigências e recusam vários serviços, como recolher roupas íntimas usadas e imundas que socialites deixam no box do banheiro e outras humilhações.

“A tendência é haver pessoas especializadas em serviços domésticos. Não vamos ter analfabeto fazendo esse trabalho, como era no passado. Teremos pessoas com mais escolaridade nessa função com uma remuneração mais elevada”, diz o economista Barbosa Filho.

Danuza, que como toda madame fútil quer se mostrar uma “expert” nas condições sociais e econômicas de países ricos, viaja a eles e não consegue entender o que vê. Assim, escreve as cretinices desinformadoras que escreveu naquele que se diz “maior jornal do Brasil”.

Brasil 247

Recomendados para você

Comentários

  1. lucazan Postado em 26/Mar/2013 às 14:10

    Duvido que a feia...nao da nem pra chamar de bonitona...portanto feia...ia ter a mesma opiniao morando fora do país...é facil falar sendo minoria "rica" no país...ta achando ruim vai procurar trabalho na Europa...com essa inteligencia...no minimo a unica coisa que iria conseguir era lavar pratos...que nao tem tanta necessidade de pensar!!!

    • Bia Ashanti Postado em 26/Mar/2013 às 14:17

      Por que ela não vai morar em Paris? Sabe que vai ter de lavar prato e a latrina da própria casa. Esta mulher é um poço de egoismo e futilidade!

      • Elias Andrade Postado em 14/Jan/2015 às 18:20

        Ta quebrada, devendo, não possui condições de pagar as ações que sofreu na justiça, esta sim, justiça mais que bem aplicada !!!!

  2. Luís Fernando Postado em 26/Mar/2013 às 14:18

    Acho que ela devia se revoltar contra o cirurgião plástico dela primeiro...

    • Juliana Postado em 18/Dec/2013 às 17:08

      Concordo plenamente!

  3. Luís Fernando Postado em 26/Mar/2013 às 14:22

    Engraçado como ela nem cogita o uso de creches ou escolas públicas, como se elas nem existissem...

  4. Jocimara Postado em 26/Mar/2013 às 14:27

    Desculpe mas essa mulher realmente conhece a frança? A Educação è realmente de graça,mas as cantinas são os pais que pagam por mês ,e vira e mexe tem uma saida escolar,um projeto com as crianças e os pais tambèm dão sua participação.As empregadas (le bonne) realmente são pagas a hora,e muitos pais não conseguem vagas na creche e pagam baba para os filhos ,e conzinhamos sim,descascamos batata,cenoura ,todos legumes,à e os restaurantes são o olho da cara ,tenho um comercio ,o povo aqui na França preferem pagar o sandwich que è mais barato que um restaurante,madame desse desse pedestral que da forma que vivem patrões e empregados ,vc não conhece è nada.

  5. Joel Postado em 26/Mar/2013 às 14:31

    Discordo totalmente da Vanusa, isso é fato, mas parei de ler a resposta do Eduardo Guimarães no "Um dos muitos avanços sociais para a maioria empobrecida do nosso povo que os governos Lula e Dilma vêm proporcionando". Acho que o Pragmatismo Político deveria se valer de opiniões mais isentas para reiterar seus pontos de vista...

  6. Alexandre Postado em 26/Mar/2013 às 14:34

    Coitada quem lê esse artigo e é ignorante até acredita que eles dão emprego as analfabetas retirantes por caridade, faça me o favor, essa gente se aproveita das coitadas, e ainda tem a pachorra de dizer quer estão dando emprego... Se não tem dinheiro para pagar um salário decente e os encargos trabalhistas que não tenha empregada, aprenda a lavar suas calcinhas sujas. a pobreza sempre deu lucro por isso a manutenção da mesma, a elite desse país NUNCA trabalhou para ter um país civilizado e de primeiro mundo, sempre souberam que isso acabaria com a mão de obra barata que tanto os beneficiam, isso explica porque a educação universal é essa porcaria, felizmente o mundo anda pra frente com alguns tropeços e ameaças continuará seguindo goste quem goste.

  7. Gustavo Mac Postado em 26/Mar/2013 às 14:36

    a real é que essa politica "progressista" quer fomentar o informalismo ao inves de encarare a reforma fiscal, tributaria e da previdencia de forma séria. Nao querem onerar a previdencia social e preferem fomentar a informalidade tornando cada vez mais dificil para o empregador, manter seus empregados.

  8. geisa Postado em 26/Mar/2013 às 15:22

    "Maria me trás um copo d'água" Hahahahaha Realmente vai ser difícil distinguir o trabalho celetista do servil

  9. Ivan Carlos Postado em 26/Mar/2013 às 15:22

    É, Danuza... as vezes é preciso aprender a levantar a bunda da cadeira e limpar a própria sujeita! Já que adora falar de países ricos, na Dinamarca não existe esse trabalho de empregada doméstica, no máximo vc contrata um freela para limpar a bagunça depois de uma festa, pagando muito bem pelo seu trabalho.

  10. Paulo Postado em 26/Mar/2013 às 15:23

    Essa mão de obra é um LUXO. Se você não consegue dar conta da sua própria casa, quem sabe é porque ela seja grande demais... #nojo

  11. Sil Brasil Postado em 26/Mar/2013 às 15:26

    A cabeça dela ainda está lá na época dos escravos, não evolui nada, tadinha...#retardada

  12. Fernanda Postado em 26/Mar/2013 às 15:34

    Ela pode ter levantado questões válidas. Porém, demonstra a cultura da elite do país por trás das "boas intenções" (mascarada óbvio). Vou dar um exemplo, uma empregada nos USA, ganha por hora, mas é assim 2 a 4 horas, uma limpeza pequena, e ganham cerca de 400$$ nessa pequena visita. E tdos pagam satisfeito. No Brasil, os patrões, querem uma empregada domestica, babá, mãe nas horas de aperto, manicure, pedicure, e pet sitter. Por uma bagatela de 600 reais por mes, mais a condução. Quando ñ colocam a coitada pra explorar mais, ops digo morar com a família. O que é necessário ser alterado é A MENTE soberba dos Brasileiros, de se acharem superiores aos outros pelo simples fato de ter um cargo "gerencial" e se achar já o Jorge Paulo Lemann dos negócios, e que se lavar uma louça e colocar uma roupa na máquina de lavar, o faz PIOR ou na mesma categoria dos pobres. Isso é ridiculo, essa mente de ter sempre uma classe pra servir, isso é muito burguesia em pleno século 21. Agora, essas mesmas pessoas contra os direitos da classe, por ñ poderem arcar com certeza gastam 3 mil reais em um sapato importado, viagens e etc. Mas valorizar o trabalho de quem colocar pra conviver dentro de casa, é absurdo ne. Eu sugiro que, todas essas pessoas que ñ possuem condições de arcar com os direitos das funcionárias do lar, comprem máquinas de lavar, secar, lava louças, aspiradores e matriculem seus filhos em um colegio integral, ninguém irá morrer, já passou da hora do Brasileiro evoluir como pessoa, talvez isso é o que impede o verdadeiro crescimento do país.

    • Mario Postado em 19/Dec/2013 às 19:11

      > "mas é assim 2 a 4 horas, uma limpeza pequena, e ganham cerca de 400$$" --- O problema do brasileiro e' o complexo de vira-latas. La' fora e' sempre tudo melhor. Eu moro em uma das regioes mais ricas dos EUA (Nova Inglaterra) a quase 30 anos e posso afirmar categoricamente que este valor esta' totalmente fora da realidade. O preco da limpeza de uma residencia hoje varia de U$60 - U$140 dependendo de varios fatores. Geralmente a firmas de limpeza, muitas delas de brasileiros, visitam as casas em equipe. Quem fica com a maior parte deste dinheiro e' a empresa que e' dona do contrato. O peao que trabalha limpando a casa ganha uma merreca no formulario 1099 sem direito trabalhista algum. Nao tem direito a ferias, 13 salario, nada, nada, nada... O dinheiro pago e o bruto, e o empregado que se vire para pagar as taxas e impostos todos. No Brasil eu tenho um apto minusculo de apenas 1 quarto. Pago a pessoa que faz a limpeza R$100 reais para um servico que nao dura mais do que 2 horas. Nao e' muito diferente do que se paga aqui no lado rico dos EUA. Sei que na Florida se paga bem menos.

      • Iolanda dos Anjos Chini Postado em 18/Jan/2015 às 11:14

        Bom saber!

    • Antonio Palhares Postado em 24/Feb/2014 às 12:25

      Plenamente de acordo Fernanda. Existem uma monte de gente ignorante reacionária inculta metida a besta. Que aprendam e ensinem seus filhos fazerem o trabalho doméstico.

  13. Angélica Postado em 26/Mar/2013 às 15:58

    Concordo que as domésticas tem de ter os mesmos direitos de outros trabalhadores. Espero que num futuro próximo a profissão possa ser melhor remunerada e existam pessoas com algum grau de especialização para exercê-la. Por ora, só posso dizer que lamento muito por estar, nesse exato momento, assinando o aviso prévio na carteira da minha empregada, depois de sete anos. Com certeza não vou sentir mais que ela, mas sinto muito. Pensei um milhão de vezes antes de fazer isso. Mas já está muito difícil pagá-la com os benefícios que ela já tem, não tenho condições de pagar mais. Entendam: não estou dizendo que ela não possui direitos, estou dizendo que não posso pagar. E também não acho justo mantê-la de forma ilegal, sem carteira assinada. Gasto 987,00 por mês com despesas trabalhistas + vale transporte + salário, o que é pouquíssimo pra ela viver e muito pra eu pagar. É uma equação difícil de vencer. Mas espero mesmo que no futuro consigamos ser uma país menos desigual.

  14. conceição gomes Postado em 26/Mar/2013 às 16:06

    Só que vai poder ter uma empregada dpméstica é a classe alta e os milionarios. A questão mão é só salário, mas os encargos: FGTS, Darf, , INSS, que são altos. Um salario de 600,00 sai por quase o dobro, só de encargos,para o empregador. Se eu fosse mais jovem, iria ser doméstica, ganharia quase igual ao meu atual salario de aposentada.Espero que as coisas se ajustem parao lado dasdom,esticas e para o lado dom empregador, pois essa é uma relação de mão dupla. Um precisa do outro.

  15. Carlito Postado em 26/Mar/2013 às 17:20

    essa mulher do Pato Donald devia trabalhar em desenhos de terror

  16. Edu Postado em 26/Mar/2013 às 17:27

    Não concordo com a Danuza, mas o texto do Eduardo Guimarães não é isento de questinonamentos. Dizer que foi tão somente no governo Lula e Dilma que o Brasil começou a distribuir melhor a renda é ingenuidade. Lula pegou o país muito mais arrumado que seus antecessores e tudo que estamos vivendo hoje começou lá atrás com a abertura do mercado feito pelo Collor (não gosto dele, mas foi no governo dele que começou) e depois Itamar e FHC construiram uma transição para a solidificação do nosso real. No meio de tudo isso, certamente houveram coisas que deram certo e outras que podem ser questionadas. O governo PT é hábil em se apropriar de vitórias que não foram construídas por ele, e infelizmente o povo tem a memória curta ou o jornalista que redigiu o texto acima deve ter por volta de uns 25 anos e não se interessou pela história recente do país.

  17. Fatima Postado em 26/Mar/2013 às 17:56

    Se é pra comparar:deputado na suecia vive num quarto e sala,prepara a propria comida e lava sua prppria roupa em lavanderia comunitarias. Gente de classe media trabalham fora e os DOIS ajudam a limpar e cozinhar. Mas no Br enquanto existir as senhoras de engenho e os machos que nao podem lavar uma calcinha pq isso afecta sua masculinidade nada mudará...

  18. Maluf_PT Postado em 26/Mar/2013 às 17:59

    Precisamos nos ater aos FATOS. As domésticas precisam ter mais direitos, mas o FATO é que mesmo sem FGTS hoje muitas domésticas tem mais direitos e salário mais alto do que muitos trabalhadores TERCEIRIZADOS / PRECARIZADOS de empresas pequenas, médias e grandes. O FATO é que com a entrada deste esquema, haverá crescimento das domésticas TERCEIRIZADAS que trabalham 2 dias por semana em casas diferentes e sem benefício algum. Não se deixe enganar pois essa PEC é puro marketing e por traz disso está o movimento das mega corporações que estão retirando direitos dos trabalhadores e desejam lucrar em cima das empregadas domésticas em suas corporações e/ou terceirizações. Além disso essa PEC é para sensibilizar os mais ingênuos pois é politicamente correta, todo mundo sabe que existe trabalho escravo no ATACADO na zona rural, indústria, comércio e serviços. Os atuais governos estão concentrados em precarizar TODAS as relações entre pequenos. O patrão pessoa física não é interessante para os governos atuais. Eles estão sendo patrocinados por grandes grupos e preferem a escravidão no atacado

    • Iolanda dos Anjos Chini Postado em 18/Jan/2015 às 11:17

      Interessante.

  19. Juliana Postado em 26/Mar/2013 às 18:03

    Eu só queria saber quem é que "cuida" do SR. Eduardo Guimarães. Eu APOSTO que ele nunca lavou um banheiro, passou uma camisa, limpou seu armário, lavou uma cueca... Por favor, me desminta! Foi a mãe, a mulher ou a empregada da casa dele. Vai valer? Nosso país não oferece estrutura pra nada! Não tem creche, não tem hospital, não tem escola e não tem interesse em resolver o problema de ninguém - estão aí para complicar. APOSTO também que quem está votando essa lei tem seus empregados na folha de pagamento dos seus gabinetes em Brasília e, somos nós que estamos pagando pela mordomia deles. Minha colaboradora só não vai embora pq na minha casa ela tem apoio meu e não do governo ou de quem quer que seja. Fiquem de fora quem nunca precisou ou teve por obrigação fazer a própria comida, lavar sua própria roupa, em resumo, cuidar de si, sem mãe, esposa ou empregada! Os que nunca precisaram de alguém para ficar com seus filhos para que vc fosse ao trabalho, seja sua mãe, sua esposa ou sua empregada! Ninguém aqui está falando de elite e sim da classe média que sustenta esse país, que paga as contas desse bando de gente que aumenta seu salário sem se preocupar com quem está pagando! Isso sim é elite e fomos nós, os idiotas, que colocamos essa gente lá!

    • Elaine Postado em 17/Dec/2013 às 11:46

      Usando um problema para justificar outro, não é Juliana? Que coisa feia...é tão preconceituosa e elitista que não tem coragem nem de chamar sua própria empregada de empregada, mas de "colaboradora", como se o termo "empregada" ofendesse. Não, não ofende. É o termo correto para se designar uma pessoa que tem um vínculo empregatício com o seu patrão. Se você também trabalhar para alguém, de carteira assinada, também é empregada, e ser empregada não te diminui em nada. Você está usando o mesmo discurso da Danuza para justificar uma "necessidade" do íntegro-cidadão-de-bem-da-classe-média-que-paga-impostos (mas que vai sonegar sempre que tiver oportunidade...).

      • Terra Postado em 09/Dec/2014 às 01:06

        disse tudo

  20. Edson Postado em 26/Mar/2013 às 18:16

    Ela que se prepare para lavar seu próprio banheiro (que deve ser sujo como todos os outros), limpar a casa, fazer sua própria comida ou (se puder) que vá morar em um hotel.

  21. Evandro Postado em 26/Mar/2013 às 18:34

    Desculpem, mas o problema, sim existe um problema, é muito maior do que direitos, o problema é educação, vamos parar de contar mintirinha para os ingleses verem, fingir que temos educação, que temos segurança, saúde e direitos. não tirando o mérito das domésticas ou secretárias do lar, mas porque o governo não foca na educação, pare de forçar que alunos terminem o ensino fundamental sem saber ler, que terminem o ensino médio sem saber escrever, mas pensem.... o que dá voto, assistencialismo, é o bolsa familia que a doméstica que está sendo domesticada tem pelos dois filhos que ela larga na creche... grifo: lógico que nem todas... com a mesma roupa que foi entregue no dia anterior. é muito mais drástico... mas é mais fácil pegar um relatório do IBGE, falso também, para Inglês ver, como sempre foi. Fingir que estamos passando por um processo de redemocratização... aaaaaaaaaa valhame Deus, pegue o salário dos ex-presidentes, dos conchavos, da colundria e paguem professores, para aturarem crianças, adolescentes e marmanjos revoltados com regras e leis. como disse o problema é outro.... o problema é outro país chamado Terra Brasilis.

  22. Diane Postado em 26/Mar/2013 às 18:50

    As pessoas ao comentarem estao esquecendo dos idosos que tem cuidadoras Os jovens podem fazer o trabalho domestico! E no Brasil os idosos nao tem acesso a abrigos de qualidade por preços baixos! Hj quem defende esses direitos qd envelhecerem nao poderão arcar com esses custos ! Outra : por que uma domestica que nao trabalha todo dia tem q ter carteira se eu no meu emprego tenho q trabalhar todo dia?? So uma reflexão!

    • Luis Soares Postado em 26/Mar/2013 às 20:52

      Diane, cuidador(a) de idoso não é a mesma coisa que empregada doméstica

      • Taiguara Postado em 18/Dec/2013 às 17:19

        Pra lei, é.

  23. rosanir fernandes Postado em 26/Mar/2013 às 19:08

    coitada dessa mulher! pensa ser uma coisa e 'e outra...

  24. janaina Postado em 26/Mar/2013 às 19:17

    se não quer dar direitos a quem cuida de sua vida particular, que faça sozinha, mas temos sim direitos, e deveres, até pq cuidamos da vida particular do patrão, convivemos com sua privacidade, e muitas ainda são desrespeitadas, se não tem como contratar, não contrate, faça sozinha, quero ver essas patroas metidas a besta, agirem sozinhas, muitas delas não sabem nem como andam suas casas, tudo tem que perguntar.

  25. Luciana Postado em 26/Mar/2013 às 19:38

    QUE BOM QUE ELA DÁ CONTA DE CUIDAR SOZINHA DA PRÓPRIA CASA...

  26. bernah Postado em 26/Mar/2013 às 19:46

    ........então, quem precisa trabalhar pra sustentar a familia e ajudar o marido prá engrossar a renda, tem dois ou mais filhos pequenos, não tem mais direito de trabalhar, pois não pode pagar uma doméstica. Precisamos mais, de leis q ponha na cadeia e fique, os homens q batem nas mulheres e até matam, e não sustentam os filhos q colocam no mundo.

  27. Wilson Alberto Pereira Postado em 26/Mar/2013 às 21:02

    Estou, satisfeito com esta PEC. Penso, que seu eu tiver uma profissional de serviços domésticos, que atende minhas necessidades, que saiba, usar os produtos de limpeza, lavar bem o que for preciso, pago o que for e ficarei satisfeito.

  28. Márcia Postado em 26/Mar/2013 às 22:22

    Danuza levanta um problema muito sério. Muito mais antenada que esse tal de Eduardo, aponta para problemas reais do trabalhador doméstico brasileiro. Quem lê a crítica do pseudo- esquerda pensa que uma lei, nesse país , vem arrolada com os direitos. Não meu caro, pois mesmo com lei do salário mínimo e dos direitos trabalhistas a maioria das empregadas domésticas neste país ganha entre $100 e $400 reais. Tem criança trabalhando por $ 90 na lavoura e empregada da empregada ganhando $ 200 para cuidar dos filhos desta. Se liga, isso aqui não é a Suécia e essa fantasia de grande revolução social não passa de uma "grande" revolução para esse povo consumir e votar num governo que beneficia o capital. Demagogia pura! Cadê educação básica de qualidade, cadê saúde de qualidade? Já visitou um hospital público na periferia? Acho sim, que os trabalhadores, como assalariada que sou, tem que ter todos os direitos garantidos igualmente. O que fazer com quem não está cumprindo a lei? A empregada doméstica não vai mais trabalhar em casa de família mas vai trabalhar para uma empresa terceirizada de serviços de limpeza, que caso ninguém saiba paga um salário mínimo com alguns pífios direitos. O que Danuza está falando é sobre o problema dessa lei num país como o Brasil e não contra os direitos das trabalhadoras domésticas.

  29. Dilcenir de Oliveira Pinheiro Postado em 27/Mar/2013 às 05:50

    Q bom , mta coisa vai mudar. Primeiro a elite vai aprender a se virar , n só mulheres, mas os homens tb, lindo isso , não? Agora o nível intelectual dos empregados domésticos via mudar bruscamente, ninguém vai dar tempo de irem se formar nas escolas, pois as primeiras concorrentes serão as prof ªs das escolas públicas de nível fundamental q ganham salário de miséria, sem nenhum benefício, nenhuma vantagem. Viajam 3 h por dia p chegarem ao trabalho, comem mal pois a merenda é horrível, n tem ar condicionado nas salas,limpam as sujeiras ,n é de uma criança não, mas 45 a 50, fácil não?! S será mto melhor trabalhar dentro das casas da elite limpando , sem calor , sem viajar nos BRTRENS da vida ,talvez residindo nos bairros nobres da elite,c direito a cultura e diversão gratuita, praias (rj) e de quebra ter a vantagem de frequentar as melhores bibliotecas p estudar pois é isso o q um prof gosta.Enfim consolidando essas leis vcs terão uma carreira c possibilidade de promoção.. de professorinha à empregada doméstica e depois ter a chance de concorrer a um cargo alto no poder judiciário (quem sabe), afinal morar minutos das melhoras bibliotecas vai ,fazer toda diferença! Seja bem vindas pofªs a essa nova chance q o Brasil está oferecendo,Há uma esperança, brasileiro N DESISTE.( sou pofª aposentada, cuido da minha casa , n tenho serviçais e sei do q estou falando).

  30. Cléa Barreto Postado em 27/Mar/2013 às 07:58

    Danuza tem lá seus exageros, sim. Mas, essa Lei irá gerar desemprego na classe das empregadas domésticas, motoristas, etc... A pobreza de pessoas no Brasil é enorme, tanto quanto a educação, saúde, segurança pública e por aí vai... Essa história de que não existe mais ninguém abaixo da linha da pobreza é balela. Blábláblá de políticos inescrupulosos. Não tenho empegada doméstica, somente diarista uma vez por semana, e mesmo assim são R$400,00 por mês, por enquanto. Não pertenço a classe média alta, como também, todos da nossa casa têm pós-graduação, e vivemos numa região nobre de Brasília.Viajamos para qualquer país, sem sufocar nossas finanças, porém...agora mais ainda, não dá para ter emprega doméstica em casa. É luxo para poucos, levando em consideração o padrão social normal da maioria dos brasileiros.Tomara que essa Lei não venha acomodar mais ainda a classe menos favorecida, e sim, ser um motorzinho gerando energia em busca de uma melhor qualificação profissional para essa gente. E vamos encarar as tarefas rotineiras de uma casa higienizada, com muita normalidade, a exemplo de países verdadeiramente desenvolvidos.

  31. Ana Tigrinho Postado em 27/Mar/2013 às 08:01

    Danuza Leão é o símbolo vivo de uma elite inculta, egoísta, vil e zoada pelos cirurgiões. Sério mesmo que essa mulher saiu da mesma barriga de onde nasceu a Nara?

  32. Alessandro Postado em 27/Mar/2013 às 08:27

    O mais interessante é ver como ainda há gente que defende esse status quo desumano, nojento... e que rosna pelas redes sociais seus preconceitos disfarçados de "boas intenções". "Ah, isso vai fomentar a informalidade..."/ "Ah, isso é conversa pra boi dormir..." Se essa medida viesse em um (des)governo DemoTucano, iriam querer elevar o presidente ao Prêmio Nobel da Paz como o "príncipe das questões sociais...". Porém, como isso vai de frente a quem os apóia, uma medida como essa JAMAIS teria espaço nesse caso. E quando um governo (com todos os seus muito defeitos) minimamente popular traz luz, equiparando às domésticas à qualquer outro empregado - questão aqui minimamente de dignidade humana - temos esse desfile do ideário fascista, desinformado, preconceituoso. Típico de leitores de certos órgãos que não merecem, nunca, ser chamados de imprensa.

  33. Guilherme Augusto Postado em 27/Mar/2013 às 08:42

    Isso que a Danuza tá falando pode até ser verdade, à curto prazo. Mas depois de um tempo que as madames caírem na real ela vão pagar sim, e bonitinho, todos os direitos que lhes couberem pagar às empregadas, e o número de profissionais vai aumentar. Porque o "apocalipse" da Danuza, nada mais é que a manutenção de uma situação já latente, a de que os profissionais domésticos não estão em alta, não estão empregados. Ora, se atualmente eles não estão, é pela falta de condições e infra estrutura garantindo a profissão, e se por um curto período vão continuar assim, será em decorrência da revolta das patroas. No entanto, como eu assinalei: é só questão de tempo. Acabou pra vocês, Danuzas! Agora vocês terão que lidar, não mais com servos em suas casas, mas com trabalhadores.

  34. Rosangela Silva. Postado em 27/Mar/2013 às 08:48

    Tema muito polemico, só sei que minha mãe trabalhou desde seus oito anos de idade, com esta idade ela já era babá, continuou trabalhando até seus sessenta e cinco anos na casa de até embaixador, durante quase toda vida pagou seu INSS como se trabalhasse por conta própria, só no final conseguiu dividir com seus últimos patrões esta mensalidade e sempre pagando um pouquinho mais, hoje ela está aposentada,com um salário de rs...800,00, e aí alguma coisa tem que mudar concordam??

  35. Letícia Postado em 27/Mar/2013 às 09:12

    ela tá a cara do Coringa nessa foto.. E tá bem afim de gerar um caos. ps: curti a fan page do Pragmatismo ontem e já estou adorando. Parabéns.

  36. Maria de Fátima Postado em 27/Mar/2013 às 09:38

    Não acredito em alguns comentários que li aqui, falam como se as empregadas domésticas não fossem profissionais como qualquer outro e tem que ter seus direitos garantidos! Por favor, né! Simplificando, se não pode arcar com o pagamento do que lhes é de direito, faça vc mesmo (a). Quando? à noite, nos finais de semana, sei lá, faça quando puder!

  37. Letícia Postado em 27/Mar/2013 às 10:21

    Eu vejo aqui, entre os comentários, que mais uma vez a pobre (no sentido de coitada mesmo) classe média se indigna com o fato de perder a mordomia de ter uma empregada doméstica em suas casas, alegando não poder pagar pelos novos salários dispostos... O caso é: se não tem como pagar um salário digno a alguém, se vire do jeito que for possível sozinho mesmo!

  38. Fabio Postado em 27/Mar/2013 às 10:21

    A opinião da Danuza Leão reproduz as crenças da elite brasileira, mas muito do que ela fala é real, e muito do que falavam os escravocratas também se concretizou, pois a forma como foram "libertados" os escravos no Brasil impôs a esse grupo anos de atraso que perdura até hoje, traduzido justamente em trabalho como o emprego doméstico e nas favelas esparramadas por todas as cidades brasileiras... Lembre-se que uma das primeiras favelas brasileiras foi formada no Rio de Janeiro por oriundos de Canudos, perseguidos pela elite e pelo estado por não se submeterem ao “trabalho escravo”, mesmo após a abolição... Ainda ontem um juiz impôs uma multa aos maiores produtores de suco de laranja deste país, em uma das regiões mais prósperas deste país, por usarem subterfúgios para não pagar os direitos dos trabalhadores... As conquistas que as domésticas e os domésticos vêm obtendo nos últimos anos estão muito mais relacionadas às questões de mercado, e da própria luta dessa classe de trabalhadores do que de iniciativas do governo. Há muito tempo que boa parte dos empregados domésticos recebe salário mínimo, férias, 13º e cumprem jornadas de 8h, no atual mercado de trabalho é praticamente impossível conseguir contratar um empregado doméstico sem esses direitos... Entendi no texto de Danuza que existem outras preocupações além das firulas de que “finalmente acabou a escravidão no país”... Quando um governo quer acabar com trabalho escravo, ou que seja análogo ao escravo, ele faz um grande projeto de educação, de saúde pública, de segurança, de habitação... Não existe liberdade sem educação, saúde, segurança e moradia... Ainda ontem, na cidade mais rica do país, um juiz ordenou que a PM agredisse velhos, crianças, mulheres e trabalhadores em geral, para devolver uma área de habitação social aos interesses privados da elite brasileira. A polícia do estado, a serviço do estado e contra a população, agrediu, violou direitos, humilhou pessoas que lutavam sozinhas por um direito estabelecido na Constituição Brasileira, mas negligenciado pelo estado, a habitação... Se o governo cumprisse suas atribuições de estado, já determinadas pela legislação, as empregadas domésticas não precisariam se submeter às vontades da elite brasileira e provavelmente já teriam adquirido muitos mais direitos do que os estabelecidos pelo sofrível senado brasileiro, muito mais preocupado em surrupiar dinheiro público do que com o bem estar da nação. Quanto ao texto do sr. Eduardo Guimarães, sofrível, perdeu-se uma oportunidade de se fazer uma reflexão crítica sobre o que realmente impõe ao trabalhador brasileiro, na construção civil, na transporte, na agricultura e no emprego doméstico, dentre outros campos profissionais, às humilhações, ao cerceamento de direitos, à insalubridade bem conhecida por todos nós... Um país só se transforma através da transformação de seu povo... Um povo só se transforma pela educação, o pior projeto deste país nos últimos 513 anos...

  39. Oscar Postado em 27/Mar/2013 às 10:31

    Essa danuza é uma aberração! Quem é essa perua pra ficar vomitando as asneiras que escreve? Aliás, só fico sabendo pelas reportagens e pelos comentários, pois eu jamais perderia meu precioso tempo em ler bobabens dessa retardada mental!

  40. Lígia Postado em 27/Mar/2013 às 10:34

    Ou oito ou oitenta hein! Se um é radical, o outro é mais ainda. Só por curiosidade... alguém sabe como funciona o esquema de trabalho dos dentistas nesse país???

  41. Guilherme Augusto Postado em 27/Mar/2013 às 12:25

    Fabio, a previsão dos escravocratas só se concretizaram porque com o fim da escravidão, o pensamento racista não acabou. Acabou a escravidão como instituto, mas até hoje vemos pessoas que pensam segundo a lógica da escravidão. Isso não é humano, ao contrário do que pode se pensar então, isso é um sentimento pervertido da sociedade capitalista que passou a colocar a produção e a acumulação de lucro e riquezas em primeiro plano, segundo o mecanismo básico em que milhares trabalham pelos poucos patrões (proprietários, empresários etc.). Essa lógica é a que permeia o capitalismo, e para quem segue ela, é óbvio que seria muito melhor mesmo que esses milhares trabalhassem em condição de escravidão para garantir a riqueza e acumulação de capital por poucos. A partir daí uma grande indignação com os negros libertos tomou a sociedade de classe média e a casta elitista do Brasil República, em seus mais tenros anos. Através das décadas, cada um seguiu para o seu lado, baseados nessa oposição polarizada como um imã. Os negros, marginalizados e pobres para um lado (e.g. favelas) e todas as pessoas, sendo ricas ou não, que seguiram a lógica do capital, para outro. É importante ressaltar isso, porque não é apenas uma minoritária elite que garante faticamente esta clivagem, pelo contrário, é uma maioria de massa humana, que segue a lógica da minoria, por isso é garantido até hoje um sistema injusto, cego, racista, que visa apenas lucrar em cima de mentes e corpos humanos, como se nada fossem. Seguem esta lógica porque é mais fácil, a minoria detém os meios de produção e de divulgação (e.g. mídia no Brasil controlada por algumas poucas famílias ricas), e com este aparato disseminam ideologia, forma de pensar, até de agir (e.g. publicidade, BBB, novelas etc.). Por isso que a violência e a marginalização hoje estão relacionadas com o negro, e a riqueza, saúde, boa vida relacionadas com os branquinhos limpinhos e lindos que vc vê andando num bairro nobre de São Paulo. É só fruto dessa sociedade altamente racista do início do século passado, cujo é um pensamento que apenas se reciclou e nunca deixou a mentalidade brasileira, e hoje a sociedade não é expressamente racista, é um racismo velado, o que é pior ainda, pois é difícil de se identificar. Por tudo isso e mais alguma coisa que talvez eu tenha esquecido de citar aqui, é que vc viu se concretizarem as "sagazes" previsões dos escravocratas. Quanto às empregadas? Elas não vão perder o seu emprego, porque, atualmente, elas já não se encontram nesse mar de bons ventos do pleno emprego. A maioria não vê condições de seguir com uma profissão de empregada doméstica justamente porque lhes faltam direitos e garantias, fora uma infraestrutura institucionalizada a qual dê tranquilidade e possibilidade de previdência neste emprego. Claro, há as que estão atualmente empregadas, mesmo em condições vergonhosas de subemprego e mal conseguem sustentar uma família com salários ridículos, mal conseguem ter qualidade de vida, pois de manhã saem de um lado da cidade para chegar a outro na hora do almoço, e de tarde têm que voltar, para só então chegar ao outro lado de volta à noite. Existem essas, e digo mais, existe sim, em alguns casos específicos a possibilidade delas serem dispensadas? Existe. Mas não é uma generalização, são situações localizadas, e sabe por quê? Porque a a classe média, até mesmo pela sua própria situação de trabalho exaustivo (e.g. pessoas que trabalham num prédio na paulista ou na berrini, que saem de manhã e voltam à noite também para casa, por mais que sejam em seus carros particulares) depende, necessita do trabalhador, do profissional doméstico. Não é porque sempre foi fácil pagá-los e não se preocupar com os problemas deles de incapacidade de gerir as finanças (como os que possui a própria classe média também), que eles não mereçam agora ganhar salários mais dignos na forma da lei e do direito. Isto é, não elide o problema, o fato de que certa parte da classe média também passe por problemas financeiros, porque por mais que fique caro e difícil pagar alguns profissionais domésticos (veja bem, alguns, não são todos como facilmente se generaliza por aí), eles passam por problemas muito mais cruéis e densos de incapacidade financeira do que o integrante da classe média. A diferença é que este não estava acostumado com aquele tendo um piso fixo, um chão em que se apoiar, para também, como este, poder sonhar em "subir de vida", fazer uma viagem com a família, comprar mais coisas para colocar na mesa, até mesmo os sonhos consumistas mais fúteis, como comprar uma TV nova (por mais que eu seja contra os sonhos de consumo, pois eles são apenas mais uma forma de permitir longevidade ao capitalismo insustentável, do que uma forma de emancipação de uma classe).

  42. Iracema Postado em 27/Mar/2013 às 12:29

    Povo meu, somos um país que vive de falar muito e agir pouco. A remuneração das domésticas é algo mais que merecido. Porém, se observarmos quanto um professor ganha por 8 horas de trabalho, nos perguntaremos onde está o erro. Estudamos muito e pagamos escolas caras para nossos filhos garantirem um emprego que lhe trga uma boa remuneração e eles constatam que a doméstica de suas casas ganha tanto quanto um deles. Isto é certo? Não! O salário delas está certo, porém, dos demais profissionais ( inclusive o professor ) é que está errado. O governo não valoriza a educação porque é beneficiado com a ignorância das pessoas. Como ja dizia um amigo meu: "cada um vale o tanto que sabe".

  43. mauro v c Postado em 27/Mar/2013 às 12:29

    quando da aboliçao da escravatura se falou a mesma coisa

  44. Fabio Postado em 27/Mar/2013 às 12:40

    Nesse aspecto concordo com você, Guilherme, no entanto, não sou contra os direitos dos empregados domésticos, acho sim, que direitos muito mais importantes e transformadores, já "conquistados" através da legislação, são negligenciados, e é o cerceamento desses direitos que empurra o trabalhador brasileiro para semiescravatura... O Brasil precisa de um grande projeto de educação, educação de verdade, não o falseamento de índices, a distribuição de certificados e diplomas, a educação transformadora... É muito mais barato do que os estádios da copa, do que os salários dos deputados, do que as regalias dos juízes, do que as viagens dos funcionários públicos e mudará, total e definitivamente, esse atraso que mantem o país ancorado na virada do século XIX para o XX...

  45. Fabio Postado em 27/Mar/2013 às 12:44

    Veja este post: http://diariodocentrodomundo.com.br/por-que-a-finlandia-esta-fascinando-o-mundo-com-seu-sistema-de-educacao/

  46. Guilherme Augusto Postado em 27/Mar/2013 às 13:02

    Fábio, concordo plenamente. Ah, e não quis dizer que vc fosse contra os direitos dos empregados ou que isto estivesse implícito no seu texto, foi mais um movimento de divagação meu hahahah. Saí exatamente do tema da resposta ao seu texto, para abranger o que eu penso sobre a PEC. Mas a questão da educação é, sim, ponto fulcral no desenvolvimento de todo país. Você tem razão. E as verbas públicas, como no exemplo da Copa que você dá, são subutilizadas, desviadas etc. E tem político e empresário ganhando com isso, independente de partido, posição ideológica (até porque, pra mim fica claro que o poder corrompe e a facilidade de enriquecer com esse poder faz qualquer um esquecer suas raízes político-ideológicas). Quanto aos empresários que ganham com isso, eu acho absolutamente abominável a especulação imobiliária nas grandes cidades hoje no Brasil, evidentemente em São Paulo. É triste saber que estes mesmos empresários é que estão ganhando toneladas, mares, de dinheiro com essa história de construção preparatória para a Copa. E pode ter certeza que não vai mudar até 2016, nas Olimpíadas. O ramo podre imobiliário, em conjunto com políticos corrompidos, que não são poucos. Pra mim este é um aspecto visível do problema. Há outros, devem ter outros em que eu nem parei para refletir ainda. Essa corrida cega pelo dinheiro, e neste caso de corrupção, dinheiro fácil, simplesmente ignora o problema da educação. Simplesmente não há projeto. Preocupam-se com outras coisas, Copa, tapar buracos na Violência, inflação, crise econômica, sustentar bancos para que não quebrem, pensam meios de prolongar a falência do sistema capitalista. Negam proceder à sua eutanásia, na esperança dele sair do coma e tudo ficar bem; se esquecem que enquanto o sistema pregar a desigualdade, competição e acumulação individualista, ele próprio não estará tudo bem. Por outro lado, algo que me traz um pouco de otimismo é ver um movimento muito maior hoje, maior do que nunca foi, de pessoas preocupadas em pensar soluções e meios para a educação, pessoas com alguma influência, leigos comuns, como eu, enfim, muita gente estão preocupadas em sanar esse problema, porque, como nós, já perceberam que é daí que saem todos os outros (inclusive o da violência que eu brevemente citei aqui no parágrafo anterior).

  47. Robson Cruz Postado em 27/Mar/2013 às 13:25

    Eu não entendi qual é o problema com o que a Danuza escreveu. Ela em lugar algum se mostrou favorável ao status quo, mas que a PEC precisaria (e precisa sim!) ser melhor discutida, pois do contrário não só geraria desemprego, como também um descumprimento geral, talvez partindo das próprias domésticas. Acho que a reação do blog e de boa parte dos comentários foi totalmente desproporcional.

  48. Claudio J. Foschiera Postado em 27/Mar/2013 às 14:31

    A Danusa começou com aquele comentário, mais ou menos assim. Há agora não têm graça ir para Maime.Todo mundo vai, fazem á pretação. E a própria idiota egoista. As preocupaçoes com aumento dos custos, claro vão ocorrer é só os patrões tirarem um pouquinho dos superflos que a coisa se ajusta. Duvido que o maridão vai deixar de chegar em casa e ter qu contribuir um pouco com mais um turno. Nem a dondoca vai pegar no pesado.

  49. Helio Postado em 27/Mar/2013 às 14:59

    vocês clamam por uma igualdade que não conferem a DAnuza LEão. ela tem direito de reclamar e dizer o que bem pensa. ou, porque é rica, não tem direito de se expressar? pensando assim, no brasil os pobres não tem direitos, segundo vocês os ricos também não tem direitos. então, quem tem direito?

  50. Gelson da Silva Postado em 27/Mar/2013 às 15:34

    Que se mordam as madames pão como ovo, que terão de escolher entre pagar empregadas e trabalhar, pois mal conseguem se manter e tiram onda de Patroas!

  51. Paulo Pp Postado em 27/Mar/2013 às 16:14

    COMO É LASTIMAVEL LER CERTAS COISAS: " Mais dados da PME, do IBGE: “Entre 2003 e 2012, o porcentual de trabalhadores analfabetos ou com até oito anos de estudo recuou 15,5%. Já a quantidade de profissionais com 8 a 10 anos de estudo aumentou 27,7% .... " - hoje é PROIBIDO nas escolas REPROVAR quem nao teve "qualificativas" do ano letivo. ou seja... QQ "ANALFABETO" chegara ao final do curso.. pois sabendo "assinar o nome" ja é o bastante para esse "Estado" que necessita da ignorancia do povo para se sustentar no poder ( povo nao culto, nao pensa") É PIADA ISSO NAO ? " ..O coordenador da pesquisa do IBGE ainda explica que “Com a melhoria da educação e ...." " ...Minha filha Gabriela (26) vive há quatro anos em Sydney, na Austrália. Para pagar os estudos trabalhou como babá, ganhando o equivalente a 7 mil reais por mês, viajando ao exterior toda hora, comprando carro e trabalhando apenas seis horas por dia. ..." -QUE RIDICULO PENSAMENTO, vejamos se nao, E OS PATROES ? para pagarem 7 mil por mes, quanto ganham ? É OUTRO NIVEL DE RENDA PERCAPTA, nao te é claro isso sr.?? ( dificil entender ? ) - Nao conheco dna Danuza, tao pouco tenho algum tipo de afeto ( ou desafeto) para com a mesma. MAS É INEGAVEL a INTELIGENCIA DEDUTIVA do raciocinio empregado por ela no assunto ( É OBVIO. É CLARO. É MAIS QUE EVIDENTE) ... porem me frusta ver comentarios como o que este Sr. tende a dar sobre A REALIDADE BRASILEIRA onde tem-se um salario minimo de 600 reais. - MAS É COMPREENSIVEL... como disse acima, ter diploma ( ou seria dipRoma) hoje em dia! Te-lo nao é sinonimo de cultura ou inteligencia/intelecto. Isto pelo "nivel" dos estudos/escolas hoje. Um cidadao ( minha epoca 1960/1970) com 4º ano primario é ( ou era) mais culto,informado do que os que hoje vejo formando-se no segundo grau ( **e olha, ate mesmo dos que saindo de faculdades).. né ? Assim, te entendo Eduardo, seu pensar, seu entender!. Lastimo, mas te entendo! abraços. (por favor, me poupem desses comentarios idiotas sobre "escravatura" etc etc.) TRABALHA COMO DOMESTICA QUEM QUER... QUEM NAO.... trabalha em outra coisa ( NINGUEM PEGA A FORCA E FALA.... VC VAI FICAR AquI EM CASA E SER MINHA DOMESTICA/ESCRAVA).. perdao aos senhores TENDENCIOSOS.

  52. Popota Postado em 27/Mar/2013 às 16:25

    Desculpem-me. Inculta, egoísta e vil? A Danuza Leão? Quem poderia ser indicado como tal foi quem escreveu tamanha barbaridade sobre ela sem ter lido direito o que ela colocou. Sim - existem inconsistências na nova lei que NINGUÉM sabe o que podem acarretar, ou como serão interpretadas. E sim, no Brasil isso pode gerar desemprego pq nosso governo esquece que não se trata apenas de legislar. Mais valeria uma política assistencialista para distribuir de forma mais igualitária os benefícios que são gerados pela arrecadação absurda tributária. Mais do que carregar de mais custos a contratação de profissionais que são essenciais a várias camadas sociais. Aliás, leia-se bem o quanto escrito e que se veja a realidade: ela criticou a inexistência de serviço de transporte público de qualidade, ou de creches públicas seguras ou de uma preocupação real com o registro em carteira dessas profissionais, que, em sua maioria, apesar da lei dizer ao contrário, ainda são mantidas na informalidade. Criticar uma lei não torna ninguém vil. São pontos diferentes de opinião que devem ser respeitados. Inculto é quem acusa alguém com nomes por defender uma opinião - que, ao final, não é contra nem a favor das profissionais domésticas - só acusa as lacunas no sistema.

  53. Maria Machado Postado em 27/Mar/2013 às 18:16

    Temos outra opção? se não quisermos trabalhar temos que aceitar e pronto. Ficar questionando para quê.

  54. Délia Ramos Postado em 27/Mar/2013 às 21:28

    Basta parar e pensar um pouquinho para constatar que realmente, embora merecidos, justos e legais, os novos direitos das empregadas domésticas, ao invés de evoluir para formalidade, fará crescer a informalidade e isso é uma realidade, pois quem melhor remunera os empregados domésticos é a classe média e essa não terá mais como arcar com os gastos. As contratações passarão a ser pelo salário mínimo, tão somente. Será mais "barato", ter uma faxineira por no máximo 02 dias por semana, que não caracteriza vínculo de emprego e no mais é colocar a mão na massa e fazer com que toda família seja mais organizada nos afazeres domésticos.

  55. Dondoka kkkk Postado em 27/Mar/2013 às 21:46

    Minha duvida é qt aos funcionarios q tenho no sitio. Acordam a hora que querem, usam minha piscina, minha churrasqueira, meus jardins para os filhos e convidados sempre q ñ estou lá. Coisas são abdusidas, como panos de prato, panela, ventiladores, tapets... papel higenico, lampadas, haaaa as lampadas, so as q queimam são as da minha casa kkkk qd chego no fim de semana é uma correria danada para fazer o trabalho que teria de ser feito ao longo da semana. Trabalho duro a semana inteira para poder me dar ao lluxo q ñ fazer nada nos fins de semana, coisa q ta longe de acontecer, pois qd chego lá só aborrecimentos, piscina suja, jardim cheios de folha... sem falar na casa, que como gosto de receber amigos e servir bons petiscos, preparados por mim e ñ por empregada alguma, gosto de trabalhar em local limpo com panelas ariadas, coisa q nunca encontro, ñ me importo em fazer desde o momento q eu ñ tenha nenhuma pessoa bem paga pra isso, agora pagar e ñ receber é fogo. Vão me chamar de dondoka da zona sul do rio?? kkk me poupo de ter empregada no rio para poder ter no sitio e isso q recebo qd chego lá. Esse fim de semana ñ vai ser diferente, ha tres meses q so faço trabalhar e muito e so quem tem ido é meu marido para fazer pagamentos etc... e homem ja viu tá sempre tudo bom, kkk chatas somos nos mulheres, vms ver como vou encontrar o sitio. Sou a favor de qualquer lei que beneficio os empregados, de todas as classes, sejam eles domestico, babas, enfermeiros, medicos, porteiros, seguranças, engenheiros, frentistas, economistas.... todos tendo ou não nivel superior teem direitos mais ñ podemos esquecer dos deveres. Pq lidar com o ser humano e em se tratando de alguns, que adotam a lei de Gerson, levar vantagem em tudo, fica dificil confiar nas horas realmentes trabalhadas. Como vou saber se os caseiros realmente estão cumprindo o horario? cartão de ponto? livro de ponto? quem vai controlar? se estou no rio trabalhando para pagar o salario deles? contrato um supervisor? kkk A solução é que será mais um, um ñ dois desempregados. Contrato firma de manutenção de jardim e um jardineiro.

  56. val araujo Postado em 28/Mar/2013 às 01:37

    li todos os comentarios depois da ANA TIGRINHO,más, não consegui mais me concentrar,pois toda vez que lembro começo a rir.'elite inculta,egoista,vil e zoada pelos cirurgiões'

  57. Karen Postado em 28/Mar/2013 às 07:47

    Me desculpe, não pertenço à elite brasileira... eu e meu marido ralamos e muito para manter nossa casa e nossos bens e nossa filha no colégio... Pago bem mais que um salário mínimo pra minha "ajudante", vale transporte e refeição, registrei ela... pago o inss (integral), Décimo terceiro e férias, tudo como manda a lei... Mas sinceramente mais um item a pagar, está dificultando e muito mantê-la no serviço... isso não é desprezar ou menosprezar o profissional em si, é uma realidade... Não sei até que ponto exigir que se cumpram essas normas é dignidade, ou respeito ao trabalho... Não sou pessoa jurídica... Acho que para levar adiante essa regra vou sair nas ruas e exigir que o Governo me pague um salário também... já que ele aprova leis para que eu pague, oras... porque ele também não paga?... rs

  58. filipe Postado em 28/Mar/2013 às 07:48

    a mulher é tapada mesmo mas venhamos e convenhamos "Nos países civilizados, empregados domésticos fazem muitas exigências e recusam vários serviços, como recolher roupas íntimas usadas e imundas que socialites deixam no box do banheiro e outras humilhações." humilhacao uma ova! ganhando 50dolares a hora eu esfrego ate cueca frenada com escova de dente! ganhando bem que mal tem?

  59. Marina Postado em 28/Mar/2013 às 11:07

    Ela é uma pelada, falida e que já deve pagar muito mal a empregada e agora tá ferrada!!!

  60. Thiago Postado em 28/Mar/2013 às 11:32

    Ridículo. Mais triste é a Folha manter uma "jornalista" dessas tão desprezível em sua folha de pagamento. Entrem na seção dela e leiam os comentários, até parece que não foi da propria folha que postou aquelas mensagens de apoio, pois o meu não publicaram. http://www1.folha.uol.com.br/colunas/danuzaleao/1251556-a-pec-das-empregadas.shtml

  61. Lombardi Postado em 28/Mar/2013 às 22:06

    Essa tal de Danuza é feia de dar dó. Pior do que a cara, só o caráter. Vil, egoísta e ridícula.

  62. Clarissa Postado em 29/Mar/2013 às 07:37

    Entendo que o que ela quis dizer... Realmente vai ficar muito mais difícil formalizar o emprego doméstico. Ter uma empregada domestica de carteira assinada ficou muito caro. Tudo bem que para elas, como para qualquer outra pessoa, regularizar o seu trabalho, com todas as garantias, é o ideal. Mas vejo também que com isso, a informalidade vai aumentar. Há muitos anos não vejo ninguém assinando carteira de empregadas doméstica, mas mesmo assim as consegue tê-las em casa como diaristas. A que eu tinha na minha casa, muito boa por sinal - não só no âmbito profissional, mas como pessoa tb - teve que parar de trabalhar aqui porque ENGRAVIDOU (acreditem!!!)! Ela trabalhava em tripla jornada, pois não conseguia um emprego que lhe assinasse a carteira. Fazia 2 dias na minha casa, 2 dias em outra casa e à noite ia para um barzinho, trabalhar até as 2h da manhã - todas as noites... É claro que estando grávida, ela não suportou esse pique infernal, injusto e desumano! Claro, que se eu tivesse condições, lhe assinaria a carteira, mas pagar apenas a diária já estava pesado para mim. Acho que todo esse avanço é bom sim, mas infelizmente, falta escolaridade e capacitação das pessoas para que elas possam procurar outro ramo de trabalho. O Brasil peca por querer ter pensamento de país desenvolvido, mas se esquece da sua realidade. Infelizmente, somos sufocados com tanta carga tributária. Não temos creches públicas decentes, não ganhamos bem - em nenhuma profissão -- vale ressaltar que o brasileiro ganha muito pouco pela profissão e cargo que exerce (basta citar os professores, fisioterapeutas, enfermeiras, advogados, administradores e até os médicos - e médicas que há muito tempo não encontram emprego de "carteira assinada" e também correm atrás de dupla e até tripla jornada, como fazia minha jovem e simpática diarista, para poder sobreviver...). Hoje todos correm e se matam por um emprego público, que mesmo não pagando tanto, como nos casos de concursos públicos feitos pelos estados e, principalmente, pelas prefeituras, ao menos nos dá uma garantia de estabilidade... (Pelo menos é o que nos faz permanecer trabalhando no meio desse caos, aceitando tanto descaso e condições tão ruins de trabalho). Nosso dinheiro aqui não rende. .. Tudo custa muito caro - diferente dos EUA e Europa... A gasolina é cara, as roupas custam caro, temos que pagar por escolas caras, plano de saúde, previdência privada, já que a social está falida... Até uma máquina de lavar roupas e lavar louças custa caro (vão ver quanto custa uma dessas na Europa!!) Olha, lá vc já compra o apartamento, já com armários e eletrodomésticos - todos, até mesmo os populares!!! E aqui mal vem com o piso... A situação não está ruim somente para as empregadas domesticas não, está ruim para TODOS NÓS! Sinceramente, acho que o futuro do Brasil é sombrio.

  63. Pedro Reis Postado em 29/Mar/2013 às 10:38

    Quem não tem competência ou cacife, não se estabelece. Houve um tempo em que pude e que precisava manter uma pessoa para cuidar das tarefas domésticas. E sempre paguei os benefícios que eu mesmo como trabalhador possuía, tinha que pagar carnê de INSS e depositar 8% do salário numa poupança conjunta e eu arcava integralmente com esses valores e ainda pagava o transporte, tudo bem feito, com recibo e tal. Vão mais de 20 anos. Mas esses novos direitos legais dos empregados domésticos, se assemelha muito com a "Libertação dos Escravos". É bom que se veja que muitas dessas pessoas não terão tempo ou condições de se capacitar para outros serviços, não vi ainda nenhum movimento para capacitar profissionalmente e até para evitar que pessoas jovens, tenham como única alternativa, laborar nesse ofício. Direitos iguais para todos é absolutamente necessário, mas que não se abandonem à própria sorte os beneficiados esperando que a sociedade "entenda" o significado desse avanço. No Brasil até para legislar somos marqueteiros. Todo cuidado é pouco.

  64. Excalibur Postado em 30/Mar/2013 às 13:33

    Sempre ouvimos as vozes irrefletidas do senso comum se levantarem em prol do politicamente correto. Mas, meus caros, o politicamente correto está infinitamente longe da prática real. Onde vocês estão com a cabeça? Primeiro, é fato que a classe média brasileira, que é a maior usuária dos serviços domésticos, NÃO pode arcar com todos os direitos concedidos. Aliás, nem a classe média alta conseguirá. Os domésticos, em sua maioria, serão demitidos, como já estão sendo, e substituídos por diaristas. Respondam: QUEM absorverá essa mão-de-obra? Os novos direitos são sim, por um lado, justos, no que se refere à busca pela igualdade material; no entanto, injustos, quando se trata de taxar uma atividade que não visa lucro, nem gera produtos. Repito, as novas medidas aumentarão sobremaneira o desemprego e a informalidade. O Brasil não possui mercado de absorção do material humano que se verá desempregado em função dos novos direitos estabelecidos. Não sou contra medidas equalizatórias (igualizatórias); sou contra a forma desarrazoada, não planejada e demagógica/politiqueira/eleitoral com que tenho visto tais mudanças serem implantadas no ordenamento brasileiro. Qualquer jurista conhece o fato de que qualquer mudança implantada sem o devido planejamento se torna letra morta, cheia de efeitos colaterais deletérios. Vocês, entusiastas do politicamente correto, deveriam se informar melhor sobre a realidade que os cerca, e pararem de se posicionar a favor de tudo o que a mídia sensacionalista e vendida defende; a sua alienação é causa mestra do estado decadente e deplorável do país.

  65. PauloC Postado em 30/Mar/2013 às 15:48

    Nem tanto ao mar, nem tanto à terra. De que vale ter todos os direitos, e estar desempregada? Excesso de leis trabalhistas só contribuem para a marginalização da mão de obra. Qualquer mão de obra. Especificamente no caso das (ou dos) domesticas (os), contribui para a tendencia que já se mostra presente em outras partes do mundo, onde realmente ter empregada em casa é um luxo. Sob outro ponto de vista, porém, nos outros cantos do mundo, a equação também é diferente. Por exemplo. em Miami, as diaristas andam de Toyota Corolla ou Honda Civic do ano. (No BR isso é carro para diretor de empresa). A relação entre a renda e o custo de vida é bem diferente. No dia em que o Brasil aprender a equilibrar sua equação, a necessidade de uma lei trabalhista para domesticas deixa de existir.

  66. Elenice Silva Postado em 01/Apr/2013 às 08:00

    Pega prá fazer então!vai lavar roupa, cozinhar e tudo mais que uma empregada doméstica faz.

  67. X-Dreamer Postado em 01/Apr/2013 às 21:57

    Engraçado é ler como algumas pessoas aqui criticando as palavras da Danuza têm a mesma atitude cultural dela, sem perceber. Dizem para ela ir para outro país e só vai conseguir lavar pratos (?!?!?!?). Pessoas que lavam pratos e limpam casas são burras????? Burro é esse preconceito e esteriotipação, lá dos anos bolinhas, quando os portugueses chegaram ao Brasil e viram os índios: Eu uso roupa. Você não. Sou melhor. Será meu empregado. Eu tenho dinheiro. Você nunca viu. Será meu empregado. Eu sou branco e falo uma língua que meus amigos entendem. Você não. Será meu empregado. Entendem??? Já deu a hora das pessoas se informarem, né? Tem vários comentários aqui carregados de preconceito enrustido... Também concordo com o colega ali em cima: vamos defender o certo sem parcialidade política. A discussão não é entre pobres e ricos, mas entre humanos e humanos. É isso que muitos não entendem...

  68. Rafael Postado em 02/Apr/2013 às 09:41

    Entendo o que ele quis dizer: ela só comentou uma situação! Também acho que as meninas hoje em dia não querem ser mais empregadas domésticas (está muito difícil de achar uma, só as antigas ainda estão fiéis nas casas de seus patrões). Ela não falou em nenhum momento que não deveria haver esses direitos, só comentou que com os mesmos ficará ainda mais difícil de se pensar em ter empregada ou babá em casa, será mesmo um luxo e isso vai modificar as mentalidades! Ela comparou com a situação das pessoas nas grandes cidades americanas, não nas francesas. que estão em plena crise, diga-se de passagem... E que história é essa de babá na Austrália que ganha 7 mil por mês??? que o autor do artigo citou Na casa de alguém muuuuuito rico com certeza! Seja lá como for, cuidado, o dono do artigo foi tendencioso, e além do mais pelo que eu sei, Danuza, não tem carro, mora sozinha num apartamento minúsculo com seus dois gatos e há muito não frequenta as festas cariocas!

  69. Cleide Postado em 03/Apr/2013 às 22:30

    Acho justo que as domésticas sejam bem remunerads, elas limpam tantas sujeiras, aguentam muitos desaforos de alguns patrões e filhos de patrões, fui doméstica por muitos anos, sem registro em carteira,hoje estou sentindo os problemas de saúde que adquiri com trabalhos forçados e não poderei aposentar antes dos 60 anos, mesmo já tendo 30 anos de trabalho, por não ter contribuído para o INSS. estou trabalhando e aguentando as dores com remédios e com a graça de Deus. E acho que doméstica tem os mesmos direitos,na jornada de trabalho de 8 hrs dia, férias, décimo,FGTS e seguro desemprego. Também sou a favor de que só tenham domésticas em casa se puderem pagar, do contrário lavem, passem, cozinhem, limpem e cuidem de seus filhos na maioria das vezes malcriados sozinhas...Se eu pudesse pagar o que uma doméstica merece eu teria uma empregada,mas como não posso, faço eu mesma, tá madames...Fica a Dica.

  70. Gilmar Cardpsp Postado em 04/Apr/2013 às 13:14

    Danusa Leão, como sempre o bom senso de quem lê e questiona. A maioria das pessoas continua com mentalidade de funcionário público (barnabés) petistas de carteirinhas e acomodados por natureza. Esse negócio de creche é o fim da picada. O Estado não consegue prover as necessidades básicas de seus cidadãos e agora empurra via PEC.

  71. Elias Sousa Postado em 05/Apr/2013 às 01:27

    Essa mentalidade de Danuza não é atoa. É fruto de uma elite atendida por partidos políticos que sempre sucatearam os orgãos públicos e jamais quiseram dar educação de qualidade para a população. Somente os filhos da elite podiam cursar faculdade e ter cargos majoritários no governo. Erra disso que acontece agora que Regina Duarte tinha medo, quando disse ter medo que Lula ganhasse para Presidente. Faculdade para Todos. Empregos para Todos. Liberdade Financeira para Todos. Passagem de avião acessível. Igualdade de direitos para todos os trabalhadores. Empregadas domésticas com escolaridade baixa sendo remunerada pelo seu trabalho braçal e podendo ser indenizada em caso de assédio moral. Danuza tem cara de quem já assediou moralmente um trabalhador braçal. Os empregados de Danuza que com seu empobrecimento perderam os empregos sem justa causa poderão avisar a todos que não é uma boa trabalhar para ela. A menos é claro que ela goste de um rústico fortão que pegue qualquer bagulho. A Turma da Danuza não quer: 1 - Faculdade para Todos 2 - Emprego público somente sob concurso. 3 - Vestibular Unificado e transparente. 4 - Pobres virando classe média. Que a mente velha, velha fique. Que de tanto velha já não veja. Que de tanto velha não ouça. Que de tanto velha já não fale. Que a mente velha, se renove. Que olhe para o que se move. Que se sinta nova para mover-se junta. Que regenere a pele o olhar e volte a amar, ou que aprenda a amar agora.

  72. leni Postado em 07/Apr/2013 às 01:54

    Gente, me esclareçam uma coisa! Teve uma época, ñ. me lembro aonde, em que país, que pegaram os aristocrátas e enforcaram! É verdade? Se for, poderiam fazer isso aqui no Brasil, quem não puder pagar pelos serviços da e. doméstica, teria que ser enforcado E essa Danuza seria a primeira! Me perdoem, mas eu ñ. tô aguentando mais, tanto descaso das autoridades!

  73. Graça Postado em 07/Apr/2013 às 18:36

    Tanta incultura, inclusive do articulista respondão, é fruto de um sistema educacional falido, da mesma forma que esses parasitas que estão no poder têm feito com os outros segmentos da administração pública. ELES, também, NÃO PAGAM POR NADA. Só MAMAM NAS TETAS das 'VIÚVAS'! E, nós, do povo, não interessa a classe, é que pagamos pra essa gente criar e sobreviver de seus sonhos mirabolantes! Com certeza, o 'articulista' é um deles!

  74. Ricardo Machado Jorge Postado em 09/Apr/2013 às 11:46

    Eu moro em um apartamento de 02 dormitórios e raras as vezes, eu pago uma diarista para fazer uma limpeza mais eficiente, pois como sou portador de rinite alérgica, eu não consigo fazer tipos de tarefas como: tirar pó de móveis e usar certos produtos de limpeza por causa do cheiro forte e cada vez que eu passo por uma crise dessas fica mais caro do que contratar uma pessoa para fazer essa limpeza. A mulher que faz esse serviço para mim me cobra R$ 100,00 e o transporte e eu como almoço em casa e almoço marmitex pago mais um e isso não faz cocegas no meu bolso. O trabalho de doméstica é muito puxado, uma dondoca como a Danusa não aguentaria nem metade do que essas pessoas fazem. Os direitos vieram em boa hora, pois o que não se conta ai é que muitas dessas pessoas são submetidas a constrangimentos, humilhações e mais uma série de coisas desumanas. Está na hora de aprender a respeitar os profissionais dessa categoria e nova PEC já é um caminho, pois esse setor também é digno de respeito. Só uma elite mal informada, alienada e mau caráter cuja maior representante tem crises graves de diarréria mental é que se presta defecar asneiras pela boca. É hora de romper com essa mentalidade tacanha, que impede a justiça social, a democracia e segura o subdesenvolvimento e corrobora para manter o Status Quo. Fora Danusa!

  75. Ana Postado em 11/Apr/2013 às 09:52

    Falida ridícula! Se acha tão melhor viver lá fora...Vá com Deus minha filha!

  76. greta Postado em 15/Apr/2013 às 19:57

    (lá ninguém descasca batata nem rala cenoura nem faz refogado, porque tudo já é comprado praticamente pronto). mas...essa sra. realmente conhece a europa??? aqui limpamos...cozinhamos,,,e descascamos batata e cenoura...sem falar na grande crise que atinge a europa. o povo cada vez mais come em casa pq restaurantes sao caros. Ela deveria conhecer um pouquinho a vida fora do Brasil antes de falar besteiras.

  77. Marcio Postado em 16/Apr/2013 às 00:28

    -Desculpe, se entendi mal, mas parece que querem conceder 10% do FGTS para as "funcionárias domésticas". Os órgãos responsáveis pelos direitos do trabalhador devem ver isso. Continua diferente dos direitos dos demais trabalhadores!

  78. XXX Postado em 16/Apr/2013 às 16:32

    O que ninguém disse é que as empregadas de países de 1o mundo possuem um nível de trabalho que corresponde ao que ganham. Morei na Austrália por mais de 18 anos e isso náo existe por lá. Porém para q possamos dar todos esse direitos, eh necessário que os profissionais melhorem a qualidade de serviço. E as refeições? vale transporte etc? Concordo que o trabalho delas é tão digno como qualquer outro. Porém, um treinamento será essencial. O Brasil possui ótimas leis, só que muuuuitas não são cumpridas e aí? Como é que fica?

  79. tauanda Postado em 18/Apr/2013 às 11:58

    hora hora, somos patroas pessoa fisica, nao somos empregadores como a Petrobras, que tem muita grana para pagar impostos e cabides de emprego. Domesticas tem seus direitos, mais e ai, como ficam os doentes de alzeimer e os cuidadores deles. Alguem pensou nisso? agora teremos que colocar nossos pais no asilo, jogados a propria sorte, porque nao temos como manter 3 pessoas numa carga de 1500,00 cada um fora os folguistas. ora bolas, o povo é um otario, dilma fez isso pra ganhar mais grana no inps e reter dinheiro na caixa economica das pobres coitadas.

  80. Luiz L. Marins Postado em 21/Apr/2013 às 12:30

    Trabalhador sem direito nenhum, é escravo .. com direitos demais, é desempregado. A lei servirá para que empregadas e patroas tenham um código em que possam acertar um meio termo razoável às duas partes.

  81. Lee Postado em 26/Apr/2013 às 15:08

    A PEC das domésticas foi um dos poquíssimos avanços políticos que tenho visto recentemente na sociedade brasileira. Esse último elo que nos mantinha ainda atrelado à época escravagista, a figura da empregada doméstica que não recebe direitos trabalhistas, realmente tinha que ser cortado. O comportamento de pessoas como a sra. Danuza Leão não me surpreende. Ela pertence à mesma elite que, alguns séculos atrás, lutava pela manutenção da dinâmica escravagista, que continua a vigorar em nosso país, com nomes diferentes, mas atrelada às mesmas desigualdades. Essas pessoas que argumentam que o serviço da doméstica vai ficar mais caro, curiosamente não se incomodam de pagar escolas caríssimas para seus filhos, entre outras coisas que a esmagadora maioria da população não pode adquirir. Se vai ficar muito caro, há uma solução: Aprendam a limpar a própria bunda e lutem para que a desigualdade que serve de lastro para a servidão desses homens e mulheres seja obliterada. Mas isso não vai acontecer, porque os senhores são preguiçosos demais para se limparem, e se nutrem dessa desigualdade.

  82. Eduardo Postado em 04/Jun/2013 às 17:04

    Li a coluna da Danuza. Achei um abuso os seus comentários, raciocínio este que se repete em algumas postagens aqui no espaço. Acho que, em alguns casos mais especiais, dispor de cuidadores de idosos etc é imprescindível. No entanto, fico muito constrangido quando vejo "secretárias do lar" (aquelas moças vestidas de branco, que cuidam da prole dos outros enquanto os outros se divertem) acompanhando as suas patroas em shoppings, parques... Não é à toa que os estrangeiros ficam incomodados, mas possuindo dólares, passam a adorar a opção porque o custo por aqui fica muito mais em conta; quase de graça! Uma nova colonização, para ser mais preciso. Acho que empregados domésticos são um resquício de certo período. Mas se alguém quer uma pessoa cuidado da limpeza de suas roupas, de sua casa, então, que tenha meios e disposição de arcar com os custos do trabalho, que é um trabalho como qualquer outro e deve ser adequadamente remunerado. Não tem condição? Então, dispense os serviços, afinal obter o trabalho de outrem à custa de refeições, alojamento etc é o mesmo que escravizar. No entanto, o(s) Governo(s) não está(ão) nem aí para os empregados, porque a intenção é mesmo arrecadar! Se estivesse(m) muito preocupado(s) com as pessoas teria(m) investido em educação para combater essa forma trabalho, que submete o ser humano a outro ser humano por alguns trocados, comida e abrigo.

  83. Maria Alice Gonzalez Postado em 05/Jun/2013 às 16:15

    O nosso Brasil nunca vai ser um país civilizado enquanto tivermos esse tipo de pessoa assinando colunas em jornais. Essa feia senhora podia muito bem dar o fora daqui e deixar-nos em paz.

  84. Cristiane Postado em 05/Jul/2013 às 10:27

    Piniqueira tá muito caro.

  85. regina Postado em 13/Aug/2013 às 19:02

    Falar é facil D. Danuza, venha morar nos USA, voce vai ver o que é cuidar da própria casa, lavar a tua roupa, se morar em apartamentos como voce falou e usar lavanderias comunitarias é uma delicia,são imundas, cheias de cabelos alheios, e outras coisinhas intimas, é fácil falar, com certeza a tua casa vai ser suja e mal cheirosa como de qualquer americano que limpa a casa cada 15 dias porque eles não conseguem fazer nada, e com certeza com voce não vai ser diferente, uma familia para ter uma baba, tem que pagar no minimo $500.00 por semana, uma diarista cobra para fazer uma limpesa rápida de no maximo 3 hs no minimo $100.00, então como é facil né?!?!? Fácil porque voce sempre teve a vida fácil e alguem para te carregar no lombo, saia do Brasil que voce vai ver tua vidinha maravilhosa no que vira, e se Deus quiser ai no Brasil as coisas vão melhorar e pessoas como voce, vão ter que limpar sua própria m...., e lavar a própria roupa, voce é falsa, tua vida é falsa, voce viveu a vida inteira de expedientes, indo atrás de quem tinha dinheiro e até hoje tem que correr atrás porque senão não vai ter dinheiro nem para pagar a empregada baratinha do jeito que voce quer, muito menos visitar Paris, junto com os pobres brasileiros que trabalham duro e honestamente, e conseguem com sacrificio fazer uma viagem de féria, que eles merecem muito mais que voce, porque não exploraram ninguem com certeza...Vai trabalhar de verdade para fazer dinheiro ai voltamos a conversar...

  86. Julio Alan Postado em 08/Nov/2013 às 14:30

    O texto ficaria agradável se os escritores do Pragmatismo (e outros blogs) usassem os adjetivos somente quando necessário, e não pra encher linguiça (contra-atacar)... Em contra-partida poderiam embasar e contra-argumentar... Coisas básicas de filosofia.

  87. Geraldo Postado em 18/Dec/2013 às 19:49

    A questão é simples: a burguesia odeia que o porteiro do prédio possa ter um carro melhor que o dele. Viva a igualdade social e a diminuição do buraco entre quem ganha mais e quem ganha menos. PSDB nunca mais...

  88. Cris Postado em 19/Dec/2013 às 15:16

    A tendência é que pouquíssima gente tenha empregados domésticos daqui para frente, o que já aconteceu na maioria dos países europeus e nos EUA. As pessoas cuidam de suas próprias casas e têm faxineiras(os) bem remunerados que vão uma vez por semana fazer a limpeza mais pesada. Mas tem um outro lado, por exemplo, para ter babás nos EUA eles contratam dos países latinos, pagando uma miséria! Muinha filha trabalhou um ano em Seatle nessa condição, e não era ilegal não, foi com visto de trabalho!

  89. dione Postado em 03/Jul/2014 às 18:52

    O que tenho visto em tudo isso é que eu, como assalariada que sou e com três filhos pra criar, não posso sair da minha casa pro serviço e deixa-los sozinhos, sem comida fresca, sem quem leve e traga da escola. Eu me encontro numa situação muito difícil porque os mesmos que pregam pelo salário e valorização da domestica não conseguem visualizar que não são as dondocas que precisam de ajuda e sim o povo. Se eu ficar em casa cuidando dos meus filhos quem bancará nossos custos? Bolsa família? Já que se falou tanto em pesquisa do IBGE (e eu já trabalhei lá) cadê os dados das crianças fora das creches integrais? Posso até não falar bonito como alguns que se dizem donos do conhecimento e da informação mas não vejo como trabalhar e cuidar da família sem a ajuda de alguém e não tenho como assinar carteira já que eu mesma ganho salário mínimo.

  90. andre Postado em 26/May/2015 às 18:44

    Quanto ela cobraria para assombrar uma casa de quatro cômodos?