Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mulheres violadas 25/Mar/2013 às 20:53
11
Comentários

"As mulheres não existem para servir aos homens"

“Um moleque achou bonito assediar uma moça com uma cédula de dinheiro, dando a entender que ela estava à venda. Depois de pedir, várias vezes, para que parasse com aquilo, ela pegou a nota e rasgou-a ao meio. O pimpolho, claro, ficou possesso e foi para cima”

Leonardo Sakamoto, em seu sítio

Torço para que a quantidade bizarra de histórias sobre rapazes que creem que moças são objetos à sua disposição seja consequência do aumento de informação circulando por conta do crescimento das ferramentas de redes sociais e não por causa de uma mudança no comportamento da molecada. Ou seja, fatos que já aconteciam antes e que, agora, deixaram a penumbra e ganharam visibilidade. Caso contrário, vou entrar em depressão profunda.

Recebi reclamações de amigas que cansaram de se sentir como estátua de santa, daquelas que todo mundo passa a mão, em baladas. Isso não é novo mas, antes, o palhaço da história, quando tomava uma bronca, ficava constrangido pelo menos. Agora, ouço casos em que o homem (sic) fica agressivo e violento ao assediar e ser repreendido.

machismo mulheres homens

O pensamento machista não aceita a o fato de que as mulheres não existem para servir aos homens.

Não vou chover no molhado e discutir que muitos pais, para compensar a ausência, satisfazem todos os desejos dos filhos, criando pessoas que não conhecem frustração e não são capazes nem de viver em uma matilha com lobos, que dirá em uma sociedade complexa. Eles podem tudo o que querem quando crianças e, ao crescerem, continuam acreditando que não há nenhuma barreira entre eles e sua felicidade. Que é só chegar lá e pegar. Que tudo tem um preço, inclusive pessoas.

Fiquei bege quando ouvi a história de um moleque que achou bonito assediar uma moça com uma cédula de dinheiro na balada, dando a entender que ela estava à venda. Depois de pedir, várias vezes, para que parasse com aquilo, ela pegou a nota, rasgou-a ao meio e devolveu a ele. O pimpolho, claro, ficou possesso e foi para cima. Provavelmente, os outros homens (sic) no entorno acharam que o gajo estava no seu direito de se defender e não reagiram. Se ela e suas amigas não soubessem se impor, a história poderia ter acabado como tantas outras.

Leia também

O homem é programado, desde pequeno, para que seja agressivo. Raramente a ele é dado o direito que considere normal oferecer carinho e afeto em público. Manifestar seus sentimentos de uma forma mais delicada é coisa de mina. Ou, pior, é coisa de bicha. De quem está fora do seu papel. E vamos causando outros danos no caminho: há mulheres que, para serem aceitas nesse mundo de homens, buscam nos copiar no que temos de mais idiota.

Dou aula em uma universidade que possui muitos desses jovens mimados que acham que a cidade é uma extensão da tela do seu videogame, as ruas, um anexo do banheiro que usam pela manhã diariamente e o carro, uma continuidade do seu pênis. Ou complemento, o que varia de acordo com a forma com que cada um encara suas frustrações. Em muitos casos, basta beberem uma cerveja que passam a agir como se as mulheres fossem objetos de seu prazer. E não culpem o álcool, que apenas tem o mérito de desinibir o que já havia lá dentro.

– Você não tem namorado. Se tivesse, ele não te deixava sair sozinha.
– Mulher minha só vai para festa comigo do lado.
– Não importa que você não queira, se não me der um beijo, eu não deixo você ir.
– A culpa não é minha, olha como você tá vestida!
– Se saiu de casa usando só isso de roupa, é porque estava pedindo.
– Ei, mina, se liga! Se não queria ficar comigo, porque topou trocar ideia?

Esse tipo de assédio verbal ou físico é sim uma forma de violência sexual. E das mais perversas porque, como tal, não é encarado. Ainda mais porque jovens ricos, bêbados ou não, não cometem crimes, apenas fazem “molecagens” e, portanto, fora de cogitação qualquer punição. Isso se aplica apenas a moços pobres que ofenderem alguém rico na rua. Afinal de contas, eles têm que ser colocados no seu devido lugar.

Como já disse aqui antes, ataques como esse traduzem o que parte da nossa sociedade machista pensa. Que uma mulher que conversa de forma simpática em uma festa está à disposição, que uma mulher que se veste da forma como queira está à disposição, que um grupo de mulheres sem “seus homens”, andando na noite em São Paulo, está à disposição. E quando uma mulher não tem a garantia de que não será importunada, ofendida ou violentada, com ações ou palavras, toda a sociedade tem uma parcela de culpa pelo que deixou de fazer.

Rapazes, por fim, vou contar um segredo. É duro, eu sei, mas alguém tem que fazê-lo. Não chorem, tá? Lá vai: As mulheres não existem para servir aos homens.

Pronto, vivam com isso.

Recomendados para você

Comentários

  1. Betina Postado em 25/Mar/2013 às 21:43

    O problema dos jovens é que falta cérebro - para conseguir separar o certo do errado.

  2. Isabelle Postado em 26/Mar/2013 às 00:26

    Betina, se esse problema fosse só os jovens.. esqueceu de quem educa/educou esses jovens? é tipo os conservadores reclamarem da 'situação dos jovens atuais', esquecendo que eles mesmos os educaram.. agora me diz, de quem é a culpa dessa sociedade machista e violenta? dos pais? da sociedade? do próprio jovem? se uma criança foi educada naqueles parâmetros estúpidos e nunca teve que lidar com algo diferente, fica difícil culpá-la.. [ps - de forma alguma estou dando razão à esse comportamento estúpido, só estou questionando da onde vem] isso vale pras moças também. infelizmente existem moças machistas, moças que se consideram vítimas porque foram educadas para achar que se foram estupradas foi por causa da roupa ou por estarem andando sozinhas [PONHAM UMA COISA NA CABEÇA: NADA DO QUE A MULHER FAÇA JUSTIFICA ISSO!!!!]

  3. Isabelle Postado em 26/Mar/2013 às 00:28

    ..dando continuidade, já que eles foram educados dessa forma estúpida, essa mesma forma estúpida que é considerada certa pra eles. o problema não é saber discernir o certo do errado, e sim o bom senso do 'não bom senso', educação da falta de educação, respeito da falta de respeito.

  4. Rafael Postado em 26/Mar/2013 às 07:38

    Enquanto a humanidade existir, haverá sempre uma grande parcela de babacas. sem mais.

  5. Sheyla Alves Postado em 26/Mar/2013 às 08:04

    O comportamento dos filhos (as), na maioria dos casos, é reflexo da educação dos pais, sem tirar a parcela significativa da participação da sociedade de um modo geral.

  6. Vinicius Martins Postado em 26/Mar/2013 às 09:44

    o Marco Feliciano deveria ler esse texto

  7. SMalametal Postado em 16/Apr/2013 às 10:59

    A receita é simples: A mulher, antes de ser mulher, é outra pessoa. Igual a ti, com vontades e desvontades, direitos e deveres, boca, cérebro, músculos, e possivelmente, uma arma de choque. Não seja imbecil. E claro, menos religião e mais racionalidade social: Nada mais machista do que uma boa e ferrenha religião.

  8. rossiley Postado em 28/May/2013 às 10:14

    há muitos anos atrás, quando eu era ainda estudante do curso de História em uma Universidade no sul do país, houve uma festa, esta festa era do curso de Zootecnia, e claro, tinha tudo o que você pode imaginar de um rodeio. Pois bem, em um dado momento um rapaz achou de "bom senso" laçar uma menina como se laça um boi! Claro que houve uma grande polêmica, uma grande discussão, isto que eu estou te contando foi na década de 80. Para você ver que decaímos e não progredimos como querem nos fazer crer. Não tenho muita esperança nesta "juventude" não!

  9. Maria Amaral (RJ) Postado em 02/Oct/2013 às 10:57

    Os mesmos "machões" que odeiam as mulheres são também homofóbicos? Por que será, heim???

  10. Bruce Postado em 28/Oct/2013 às 12:33

    Não defendo esse tipo de comportamento, muito pelo contrário. Mas acredito que de certa forma esses absurdos é uma consequência das atitudes de mulheres ( claro que não todas) que se comportam como mercadoria. A mulher tem o poder de escolha no campo amoroso, e me parece estranho que a maioria escolha justamente os homens que as "compram". Esses dias, circulou na internet um vídeo no qual um homem convidava uma mulher para sair.Em um primeiro momento ela recusou e esnobou o rapaz, porém logo após ver o carrão dele ela mudou de ideia. Em relação aos homens que demonstram sentimentos e que são carinhoso existe outra contradição, basta olhar o mundo e ver que esses são desprezados pelas mulheres em favor de playboys, cafajestes, marginais...Enfim, peço que não tomem minhas palavras com rispidez. Estou apenas expondo a minha opinião, pois acredito que nem tudo é culpa do homem e que a mulher não é apenas a vitima desses absurdos. Tentei se respeitoso, é caso alguém queira refutar o que disse estou aberto a escutar e tentar entender o outro lado...