Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Homofobia 25/Mar/2013 às 21:28
10
Comentários

Papa é usado para justificar agressão a gays na Argentina

Jovens usam novo papa Francisco para justificar agressão a gays na Argentina

Dois jovens argentinos que agrediram um casal gay em uma festa no fim de semana em San Isidro, próximo a Buenos Aires, citaram a escolha do papa Francisco como motivo para que não existam homossexuais no país sul-americano.

Segundo o jornal “Clarín“, Pedro Robledo e Agustín Sargiotto foram agredidos por dois irmãos em uma festa na casa de um amigo dentro de um condomínio da cidade, que abriga casas de classe média alta. O casal e os agressores comemoravam a volta de um amigo em comum, que fez um intercâmbio nos Estados Unidos.

papa-francisco-gays-argentina

Agressores fazem menção ao papa Francisco durante agressão a gays: “O papa é argentino, não pode haver veados argentinos. Vocês são uma vergonha ao país.”

Robledo e Sargiotto dançaram e se beijaram. Minutos depois, um dos jovens ordenou que eles se separassem. “Achei que era uma brincadeira. Perguntamos a ele o porquê, mas depois se aproximou o irmão e disse que a família dele era católica e que estávamos ofendendo toda a festa”, disse Robledo, ao canal de TV C5N.

O casal foi insultado pelos irmãos, que pediram também para que eles saíssem da festa. Em uma das frases, Robledo diz que os agressores fizeram menção ao papa Francisco, que é argentino. “O papa é argentino, não pode haver veados argentinos. Vocês são uma vergonha ao país.”

Após dizer que era católico, o jovem gay recebeu um soco e caiu. Enquanto estava no chão, seu namorado, suas irmãs e seus amigos intervieram para segurar o agressor. Ele foi internado em um hospital e cinco horas após o incidente registrou boletim de ocorrência.

Leia também

O nome dos agressores não foi informado, mas eles eram amigos da família do anfitrião. Em resposta à agressão, a Federação Argentina de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros (FALGBT) pediu que o Congresso argentino retome a discussão de leis contra a homofobia.

“É chamativo que os agressores evoquem a nacionalidade do papa Francisco na hora de dar os golpes. Esperamos não passar por uma onda fanática que não tem nada a ver com o espírito da maioria do povo católico”.

Assim como a maioria da Igreja Católica, o cardeal Jorge Mario Bergoglio não concorda com o casamento gay e mostrou sua oposição à aprovação da lei de casamento igualitário na Argentina, em 2010. Porém, defende mais direitos aos homossexuais e fez trabalhos com gays com vírus HIV quando arcebispo de Buenos Aires.

FolhaPress

Recomendados para você

Comentários

  1. Mr. Rover Postado em 25/Mar/2013 às 22:17

    não sou católico, mas o papa está na posição de sua crença... ele não está discriminando, só está falando o que já está imposto em sua religião. A parte de serviços sociais com os homossexuais (não sei se é verdade) mostra que não é porque não segue os princípios das leis da Igreja, que são deixados de lado.Seria (e é) hipocrisia criticar a orientação sexual e deixar de lado a principal finalidade do cristianismo: o amor ao próximo. O problema não é o papa, e sim o povo, que tem a cabeça pequena e acaba fazendo merda. Cristianismo é amor, a todos (na teoria). Tentem fazer a prática (é difícil), que os preconceitos (do lado ''favorável'') e a raiva(do lado discriminado) ACABAM. Paz de Mazda para todos ;]

  2. Thiago Corrêa Postado em 25/Mar/2013 às 22:24

    Os jovens agressores, transgressores da Lei, são fundamentalistas, fanáticos, homofóbicos.O Papa não tem nada a ver com isso. A Igreja é hoje contra o Casamento homoafetivo, mas defende a dignidade humana dos homoafetivos (e de qualquer ser humano) em várias frente. Inclusive na ONU, onde vota com a criminalização da homossexualidade por países que tem o islã como religião oficial Pesquisem!!!

  3. Willian Michel Schneider Postado em 25/Mar/2013 às 22:59

    Querer usar o papa Francisco para justificar uma agressão a gays na Argentina é como querer usar um homossexual e pedófilo para julgar todos os homossexuais ou ainda um extremista da Al-Qaeda para julgar todos os islâmicos. Isso é Hipocrisia.

  4. Elderson Gomes Postado em 26/Mar/2013 às 06:49

    a religião dele prega a escravidão, então o papa pode pedir em público que se escravizem seres humanos "inferiores?

  5. Robertha Smc Postado em 26/Mar/2013 às 08:32

    Concordo, Elderson! Quem se propõe a seguir a Bíblia deve segui-la em TODAS as suas orientações. E no meu entender, quando uma autoridade propaga a discriminação contra A ou B os seus fanáticos seguidores agem com violência. Lembrando q a Guarda Suíça, a que se encontra no Vaticano, só pode ter em seus quadros homens SUÍÇOS... tirem suas conclusões!

  6. Juca Postado em 26/Mar/2013 às 08:45

    Só quero fazer uma crítica aos redatores do site. Tenho encontrado erros em boa parte dos textos publicados no site, logo, evidencia-se que deem uma revisada melhor nos textos antes de publicar! Um exemplo é a citação que está em aspas no texto, a palavra nada foi confundida com anda, que foi publicada! Essa é uma crítica construtiva e espero que encarem dessa forma, visto que o erro exemplificado aqui e alguns outros são recorrentes e várias postagens!

  7. Carlos Nunes Postado em 26/Mar/2013 às 15:00

    Porém, erro maior é de conteúdo. Querer associar a imagem do Papa às atitudes destas bestas-feras é manipulação igual a que a nossa grande mídia é especialista. "Os fins não justificam os meios". A mídia alternativa precisa amadurecer e se livrar da herança stalinista.

  8. SOFIA Postado em 27/Mar/2013 às 16:58

    Porque que gente que se diz religiosa se preocupa tanto com a vida sexual dos outros? Seria uma forma de perversão? Seriam recalcados que se escondem atràs de seitas cheias de regras pra poder tentar sublimar ou negar o desejo que sentem? Como o machismo traduz o receio dos homens em relação as mulheres e o medo da castração, a hemofobia revela talvez aquilo que o homofobico não pode suportar: A visão da sua verdadeira natureza.

  9. Marcio Postado em 16/Apr/2013 às 20:56

    -Os agressores foram infelizes quando falaram que o papa condena o homossexualismo. Não é verdade. Quem condena o Homossexualismo é DEUS (O criador dos céus e da terra e de tudo que neles há). Deus condena também agressões!!!

  10. Thiago Postado em 19/Apr/2013 às 19:42

    Olha, Bergoglio não é responsável por meia dúzia de fundamentalistas. Asim como Lênin e Trostki não são culpados pelos crimes terríveis de Stalin(muito menos Marx); bem como Jesus de Nazaré não é culpado pelos ''marcos infelicianos'' da vida. Desde João XXIII não tínhamos alguém tão comprometido com os direitos humanos na cátedra de São Pedro. Se a miopia esquerdista continuar com essa má vontade em relação à figura do Papa Francisco, todos sairão perdendo.