Redação Pragmatismo
Compartilhar
Rede Globo 22/Feb/2013 às 13:04
27
Comentários

Globo News promove debate patético sobre Yoani Sánchez

O debate sobre Yoani Sánchez exibido pela Globo News: questões menores e apresentadora sedenta para fazer valer o seu ponto de vista à força

Por Edu Guimarães, em seu blog

Pena que não tenho como reproduzir aqui o vídeo do último programa “Entre Aspas”, da Globo News, em que a apresentadora Monica Waldvogel recebeu os jornalistas Sandro Vaia, ex-diretor do Estadão, e Breno Altman, editor do site Opera Mundi, a fim de debaterem os fatos que marcaram a visita da blogueira cubana Yoani Sánchez. É divertidíssimo.

Mas você, leitor, não ficará sem assistir. Pode conferir a íntegra do programa por aqui ou, se quiser, pode apenas ler este post. A escolha é do freguês.

blogueira yoani sánchez globo

Debate sobre blogueira Yoani Sánchez exibido pela Globo News foi ‘bizarro’

Sobre o programa, um de seus méritos foi o de revelar quão desvirtuado vem sendo esse debate, pois a discussão que ali se viu girou, em grande parte do tempo, em torno das manifestações contra a blogueira.

Apesar de ser elogiável a coragem de Monica em convidar um divergente “fera” como Altman, este deve ser eximido de culpa pelo desvirtuamento do debate. Foram ela e Vaia que o desvirtuaram ao tentarem impedir o rumo que tomava entoando um mantra sobre os protestos de que Yoani foi alvo.

Muito nervosos, Vaia e Monica agiram em dupla pondo Altman sob fogo cruzado. Todavia, este conseguiu manter a linha de pensamento. Antevendo que perderiam o debate se o deixassem falar – a cada vez que abria a boca, estremeciam –, recorreram ao velho recurso de quem não tem argumentos.

Leia também

Vaia começou a comparar os protestos contra Yoani a movimentos do nazismo e do fascismo que, na aurora da ascensão daqueles regimes na primeira metade do século XX, espancavam pelas ruas da Europa os que pensavam diferente e ousavam dizer de público o que pensavam.

As expressões de incredulidade que se estampavam no rosto de Altman eram talvez mais demolidoras do que sua eloquente argumentação. Apontou a Vaia o “pequeno” detalhe de que os contrários de Yoani só exerceram o direito constitucional à liberdade de expressão em locais públicos e que não houve violência, ainda que possa ter faltado critério.

Aliás, vale explicar que se os protestos contra Yoani tivessem tido o menor resquício de violência – conforme tentaram vender Vaia e Monica – os manifestantes teriam sido reprimidos pela polícia, inclusive no último evento de que a blogueira participou, na Livraria Cultura, em São Paulo, no qual ocorreram novos incidentes e onde abundaram policiais.

Mesmo estendendo uma discussão menor e atuando de forma injusta, na base do dois contra um, Vaia e Monica ficaram vendidos. A apresentadora, acuada, decidiu fazer uso do poder de condução do programa e cassou a palavra de Altman em favor do outro entrevistado. E fez isso por mais de uma vez.

Quem assistiu ou vier a assistir ao programa constatará que Monica prejudicou um dos debatedores. Inclusive como é costume dela fazer nesse tipo de debate que promove, posicionando-se ao lado de um deles e, assim, reduzindo a possibilidade de argumentação do outro.

O mais interessante é que Vaia, sempre entoando mantra que comparava a garotada que vaiou (ops!) Yoani a vários movimentos autoritários europeus, em nenhum momento, ao falar naquelas ações autoritárias e antidemocráticas, citou as que mais fazem sentido aos brasileiros: as ações golpistas de 1964.

O entusiasta da “Revolução” tupiniquim fez isso porque a parte da direita que ele integra envolveu-se até os ossos com o estupro da democracia do país no século passado, razão pela qual foge de discutir aquele período de trevas. Assim, qualquer menção à única ditadura que todos conhecemos é logo respondida com frases pré-fabricadas sobre Cuba.

Esse escapismo do debate, porém, vai ficando cada vez mais frágil, sobretudo com uma Comissão da Verdade se preparando para contar ao Brasil uma história que já provoca suor frio e tremedeira nos adeptos de ontem e de hoje daquele regime de horror.

Não houve, então, uma parte interessante no programa? Houve, sim. E foi cortesia do editor do Opera Mundi.

Altman descartou que Yoani seja “agente da CIA”. Em sua opinião, é só uma ativista de perfil light que foi “abraçada” pelo conjunto de forças político-ideológicas que faz propaganda negativa contra o regime cubano e que viu nela oportunidade de “aggiornamento” da própria imagem pública, desde sempre identificada por uma face de ultradireita.

Além disso, o grande serviço que o jornalista progressista prestou à verdade foi o de desmontar a distorção que tentaram fazer de reunião em que o embaixador cubano ofereceu ao governo brasileiro material contendo a sua versão dos fatos e a sua visão sobre a natureza das ações de Yoani.

Monica tentou contrabandear insinuação descabida de que o governo brasileiro teria organizado os protestos contra a cubana, mas Altman a interpelou, de forma incisiva, cobrando explicações sobre a quem se referia, pois foi uma acusação velada.

O editor do Opera Mundi quis saber por que o governo cubano não poderia oferecer sua visão sobre a sua detratora e onde estaria a evidencia de que o governo brasileiro organizara os protestos contra ela. Monica abandonou a linha de argumentação em seguida devido à boa e velha falta de argumentos.

Não se pode deixar de reconhecer, entretanto, que a apresentadora prestou um serviço a esse debate mesmo dando espaço menor à opinião divergente. Afinal, apesar de ter tentado cassar a palavra de um entrevistado, o que ele conseguiu dizer por certo fez muita gente refletir que a blogueira de pés de barro tem excelente$ razõe$ para falar mal de seu país.

Altman deu, no ar, informação que a mídia nunca dá quando exalta Yoani: ela recebe fortunas de corporações – inclusive de mídia – que se opõem ferozmente ao regime cubano. Assim, sendo ou não agente da CIA, suas posições políticas a recompensam muito bem financeiramente, além da fama e da exaltação que as mesmas corporações fazem de si.

E o que é melhor: Yoani ganha tudo isso sem correr risco algum de retaliação pelo alvo de tanto ideali$mo, a terrível “ditadura” que a deixa sair pelo mundo detratando-a e que, em Cuba, nada faz para impedi-la.

Muito estranha a “ditadura” cubana, não? Se a tal Yoani fosse viva nos idos de 1964 e divergisse da “ditabranda” brasileira (by Folha de São Paulo) como diverge do regime cubano, a esta altura estaria vendo capim crescer pela raiz. Afinal, ditadura que é ditadura não permite uma palavra de quem diverge. Quanto mais verborragia como a dessa mocinha.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Sidnei Postado em 22/Feb/2013 às 13:17

    O link para o Entre Aspas - Debate sobre a Yoani Sánchez - http://globotv.globo.com/globo-news/entre-aspas/v/yoani-sanchez-e-um-dos-maiores-simbolos-da-luta-pela-democracia-em-cuba/2416376/

  2. magrelinha Postado em 22/Feb/2013 às 13:37

    Eu e meu marido vimos esse debate e demos boas gargalhadas. A atuação da apresentadora foi um vexame, o outro entrevistado tb e o editor do OperaMundi foi ótimo. Mas ele teve uma grande paciência com a burrice/má fé alheia.

  3. Tereza Thompson Postado em 22/Feb/2013 às 14:07

    Que que e isso? Comparar a Democracia Militar Brasileira com o regime cubano e no minimo desconhecimento dos fatos. Nao nos esquecamos que no Brasil os terroristas que morreram sob os militares nao chega a 500 (424) e em Cuba sao mais de 100.000, sendo que 17.000 deles morreram FUZILADOS no paredon de Fidel. E dai, pode-se comparar isso. La em cuba ninguem fez o que os terroristas daqui fizerm com: assalto a bancos, sequestros, roubos, atentados, bombas ehomicidios. Portanto no Brasil eles mereciam morrer, por terem enfrentado um governo legalmente constituido. Em Cuba foram mortos apenas por se oporem ao regime que lhes foi inpingido, por suas ideias contrarias. Isso jamais houve no Brasil. Todos tinhamos direitos de protestar, desde que nao praticassemos violencia. Os militares ate que foram muito tolerantes com esses que ora estao no governo do pais.

    • Gustavo S Postado em 22/Feb/2013 às 15:07

      O comentário da Tereza Thompsom conseguiu ser mais patético do que a âncora do debate da Globo News. Que papelão...

  4. Robson Correa Postado em 22/Feb/2013 às 14:21

    "Democracia" Militar Brasileira, "governo legalmente constituido", "no Brasil eles mereciam morrer" . Nunca li tanta intolerância e ignorância juntas! Quando convém golpe é regime democrático, e o direito constitucional a vida se joga no lixo.

  5. Marcus Postado em 22/Feb/2013 às 14:25

    Tereza Thompson, que papo é esse de governo "legamente constituído"? "Todos tinhamos direitos de protestar, desde que nao praticassemos violencia", diz a senhora. Você não está falando sério? Entendi, é apenas mais uma "trollagem" da direita... "Os militares ate que foram muito tolerantes com esses que ora estao no governo do pais.", torturar é ser tolerante? "La em cuba ninguem fez o que os terroristas daqui fizerm com: assalto a bancos, sequestros, roubos, atentados, bombas e homicidios". Terroristas? Sinto muito, mas seus argumentos são tão batidos quanto massa de pão de ló. "Comparar a Democracia Militar Brasileira com o regime cubano e no minimo desconhecimento dos fatos." Parece-me que a desinformação não vem do artigo.

  6. Juliana Postado em 22/Feb/2013 às 15:36

    Geeeeeeente a Tereza Thompson foi a melhor de todas.... Ri demais! Que bizarro! To com vergonha por ela...

  7. João Carlos Postado em 22/Feb/2013 às 16:31

    Amigos, obrigado pelo link que conduz a reportagem, mas não tive estomago para continuar vendo, é repulsivo. Essa Globo News é um verdadeiro FEBEAPÁ.

  8. Alexandre Postado em 22/Feb/2013 às 17:20

    Odeio o uso ideológico da democrâcia e direitos humanos, principalmente porque ninguém tem o rabo limpo pra falar do outro, como sempre usam-se dois pesos e duas medidas, fica bem claro nesse debate a manipulação dos fatos com comparações exageradas com a dessa Sra Tereza, desonestidade intelectual é pouco.

  9. Johana Leoncio Postado em 22/Feb/2013 às 17:31

    Assisti ao programa Entre Aspas achando que seria sobre A blogueira e o futuro do Regime cubano, como conheço o jornalista Breno Altiman, achei que seria um bom debate, mas o que me decepcionou foi o tempo de fala totalmente desproporcional a favor do Sandro Vaia, das interrupções de Monica à fala de Altma, de como ela foi parcial como entrevistadora. Num determinado momento Altman consegue argumentar contra eles e denuncia um post raivoso no Tuiter que assim dizia: Fernando Hadad tem que fechar os bueiros para estes vagabundos que vão ao aeroporto de Recife protestar contra a Yoani, dai o Vaia diz: Fui eu que esscrevi isto! Nossa, senti nojo ao ver este programa, como uma jornalista se presta a este papel?!

  10. Luiz Fernando Postado em 22/Feb/2013 às 22:50

    "Señorita" Tereza Thompson, é sério que você chama de "democracia" uma era na qual até mesmo bebês eram torturados (http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/02/torturado-quando-bebe-morre-vitima-mais-jovem-da-ditadura-no-brasil.html)? Qual seria a fonte, tendo em vista que não é possível que isso tenha vindo de sua própria cabeça?

  11. Joelson Postado em 23/Feb/2013 às 00:06

    Tereza Thompson foi demais... Impagável!!!! hahahahhahahhahahahah

  12. Jc Postado em 23/Feb/2013 às 01:06

    Colega Thompson, vc mostra-se uma pessoa extremamente ingnorante. Gostaria de fazer uma pergunta a senhorita. Como a senhorita afirma as mortes praticadas pela ditadura brasileira foram ínfimas em relação a cuba,portanto cabe uma indagação porque a tanta resistência em abrir os arquivos da ditadura. Em países como Argentina e Uruguai , os militares pediram desculpas a sociedade e as investigações estão em processo bem mais adiantado do que o nosso país. Você saberia me dizer se ouve algo do tipo em nosso Pais? é obvio que não, e ainda acreditam que esse sistema foi benéfico a sociedade, a ponto de celebrarem uma festa no ano passado comemarando a dita "Revolução". Tendo apoio de uma imprensa corporativa que tenta apaziguar os males do regime para a sociedade, além de maquiar problemas da sociedade que é fruto desse regime. Em relação a esses números levantado pela senhorita, este são sucetíveis de questionamento.

  13. Valter Augusto Postado em 23/Feb/2013 às 08:20

    Agradeço ao Sidnei lá de cima e vaio a Sra.Thompson!"Direito de protestar" durante os anos de chumbo?De onde ela tirou isso?Á época nós nem mesmo podíamos falar "ditadura".Essa mulher ou é louca ou está brincando.

  14. Valter Augusto Postado em 23/Feb/2013 às 08:41

    Não deu pra ver esse debate,não.Pra começar ele já começa viciado em favor da "heroína" e com um jornalista do Estadão!Depois tem a Waldvogel fazendo papel de idiota e o tiozinho Vaia-é isso que ele merece-comparando os protestos no Brasil contra a "heroína"Yoani aos atos violentos dos fascistas de Mussolini.Isso foi tão,mas tão patético que até eu fiquei com vergonha!Desculpa,gente,não deu pra rir,não.

  15. Rogério Postado em 23/Feb/2013 às 16:08

    Me digam se tudo isso é verdade? http://pt.wikipedia.org/wiki/Economia_de_Cuba Nesse link diz: Com 1 dólar o povo cubano pode: Pagar um mês de aluguel ou, dois meses de eletricidade ou, três meses de telefone ou, comprar a quota de arroz de uma família de 4 pessoas, correspondente a mais de três meses ou, assistir a 22 jogos de baseball de grandes ligas ou, comprar quase 90 litros de leite para seu filho menor de 7 anos. … e daí pra mais… alguém confirma? Se for verdade, por isso que queriam linchá-la!

  16. Fabiam Postado em 24/Feb/2013 às 13:49

    Tereza Tomphson, não querendo te corrigir, mas o Regime Militar não foi um governo constituído legalmente, foi um golpe militar!!!!!! Só antes de postar algo nos comentários, obtenha mais informações sobre assunto.

  17. Isaac Postado em 24/Feb/2013 às 15:09

    Patético é um elogio pra esse debate, que na verdade foi um diálogo entre a "mediadora" e o tiozinho lá, ou talvez um monólogo dela, é até cômico o nome do programa "entre aspas", de quem? do alvo do debate, dos debatedores ou da mediadora? ou o que pelo menos deveria ser. No final ela nega descaradamente o direito da palavra ao outro entrevistado e encerra o programa, que sujeita mais antiprofissional, antiética, programa que falha justamente na essência do seu propósito, credibilidade ZERO.

  18. Marcos Antonio Caliman Nalin Postado em 24/Feb/2013 às 18:11

    Enquanto a direita reacionária santifica a cabeluda do blog que ninguém leu ...Ruralista Bandido mata mais um....

  19. Jorge Postado em 25/Feb/2013 às 18:55

    Toda essa polarização é medíocre. Se ela recebe ou não dinheiro de corporações, que diferença faz? No Brasil todos os lados recebem dinheiro, assim como nos Estados Unidos, na França, na Rússia, na China, ou Japão. Ela pode ser parte do "sistema" e ainda assim ter uma causa legítima a defender, a da liberdade de expressão para seu país e seu povo. Não conheço Cuba pessoalmente e não me julgo a melhor pessoa para dizer o que ela pode estar exagerando ou até faltando com a verdade em seu blog, mas eu defendo até a morte o seu direito de dizer tudo o que acha, seja qual for a "agenda" dela. Assim como no Brasil o Maluf, o Sarney, o Renan Calheiros e tantos outros dizem o que querem e, mais que isso, têm ainda tanto poder. Não é essa a democracia?

  20. yordanys Postado em 25/Feb/2013 às 20:50

    Tereza. Soy cubano y, claro, voy a responderle en español (me disculpe). Vivo en Brasi hace 3 años, anteriormente viví en España. Quería preguntarle de dónde usted sacó esas informaciones sobre Cuba? Porque de verdad (soy formado en historia con doctorado por la universidad de Salamanca y hasta el momento no encontré esas cifras. Quizás mí ignorancia no permita encontrar esos datos. Por eso le ruego me informe las fuentes. Para no tener que llamarla de desinformada. Además usted muestra una de las peores cualidades de un ser humano: la inhumanidade, porque creo que nadie merece morir. En fin que ya le dediqué mucho tiempo. Por favor un último consejo: lea, se informe.

  21. Rogério Postado em 25/Feb/2013 às 22:34

    Minha conclusão sobre Yoani Acabo de ver pela net o programa entre aspas da globo news onde Breno Altman e Sandro Vaia comentavam sobre Yoani. Antes eu havia visto a entrevista dela no Roda Vida. Cheguei a uma conclusão: Ela é como se fosse uma pastora não evangélica. Vive de doações pelas suas pregações anti-castristas. Os cubanos vivem com um salário baixo, mas também com um custo de vida utopicamente baixo. O sonho dos cubanos que enfrentam tubarões para se aventurar nos EUA é de ganhar dinheiro lá, mas gastar em Cuba. Yoani descobriu um modo de fazer quase o mesmo, mas foi esperta. A direita ocidental sempre viu com maus olhos o regime cubano, e sempre houve uma vaga para um mártir, um Tiradentes que lutasse contra a "ditadura" castrista. Ela simplesmente preencheu essa vaga, teve visão para ver esse nicho e hoje desfruta dele. Por onde passa prega contra os Castro, faz cara de coitada, de oprimida, que sofre repressão e falta de liberdade e recebe doações bem intencionadas dos fanáticos anti-castristas. Por isso nessa volta ao mundo que vai durar 80 dias ela pretende regressar à Cuba. Fora ela ganha. Dentro de Cuba ela gasta

  22. Paulo Nagyidai Postado em 26/Feb/2013 às 13:15

    Essa Thereza deve ser fake, né não? Democracia Militar? Direito de protestar? Você é filha ou esposa de algum general da ditadura? Trabalha na Folha? Sério que eu nem sei o que pensar disso. Além dos números inventados, como convém a um bom mentiroso político, é claro. Com relação aos números, supondo que fossem próximos aos reais (e com certeza não são), agora nós validamos a democracia e liberdade de um governo pelo número de mortos políticos? Mais ou menos assim: "Gal. Castelo Branco, o senhor só matou 700 insurgentes, sua cota é de 1200 para ainda poder ser classificado de Democracia, quer que mando buscar mais umas 4 centenas?" Lixo total a tal da Thompson (até o nome parece fake)!

  23. Neemias Diogo Postado em 26/Feb/2013 às 20:34

    Bem, primeiro, o que vi nas respostas foi ofensas contra uma participante (Thompson) que falou o que pensa e todos acabaram esquecendo do que o autor desse site tentou fazer, debater sobre Yone Sanchez. Bem, Yone é super inteligente, corajosa e carismática. Denuncia um sistema atrazado, que acabou no resto do mundo e mantem Cuba sob uma condição de subdesenvolvimento miserável. Porquê o governo de Cuba proibe o blog de Yoane em Cuba? Quem não deve não teme, pois, ela não fala nenhuma mentira, pelo contrário. Essa é minha opinião, de quem votou no Lula por duas eleições e me decepcionei muito, pq achava sinceramente que ele como uma bandeira, tipo, Yoane, fosse acabar com os politicos corruptos, remanescentes da ditadura, e era promessa dele (lula), mas no fim, acabou abraçado tomando champanhe com todos eles, Sarney, Collor, Calhairos e et caterva. A verdade é essa e duvido que meu registro será publicado. Abraços a todos.

  24. Felix Albuquerque Postado em 28/Feb/2013 às 18:20

    Patético mesmo são essas pessoas que defendem o socialismo de Cuba. Duvido que algum de vocês gostariam de viver por lá, sendo reprimido pelo Estado. Essa é minha opinião!

  25. Marcelo Postado em 23/Mar/2013 às 06:09

    Tereza Thompson. Senti vergonha alheia, agora...