Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mercado 27/Feb/2013 às 14:39
68
Comentários

Família alemã vive praticamente sem usar dinheiro há 3 anos

Famíla alemã vive há três anos praticamente sem usar dinheiro. Este novo modo de vida vem recebendo atenção de pessoas na Europa e fomentando discussões na internet

Um alemão de 29 anos conseguiu desenvolver um sistema de vida ao lado de sua família, cujo gasto de dinheiro é mínimo. Raphael Fellmer sustenta sua família há três anos com alimentos encontrados em caçambas de lixo de supermercados e adquire móveis e outros utensílios através da prática do escambo.

família alemã vive sem dinheiro

Fellmer mora com sua mulher e filho no bairro Kleinmachnow, em Berlim. (Foto: Reuters)

Fellmer mora de aluguel em um pequeno apartamento no porão de uma casa em Berlim, ao lado de sua esposa Nieve e seu filho. O casal paga as despesas de aluguel com serviços domésticos como jardinagem e reparos na residência. O único uso de dinheiro é para quitar contas de luz e água.

Leia também

O casal utiliza dinheiro somente quando não há escolha. Uma dessas ocasiões foi durante a gestação do menino, quando Nieve teve que fazer um plano pré-natal. Raphael, nascido em uma família de classe média alta alemã e formado em Estudos Europeus, percebeu que há coisas mais importantes na vida do que o dinheiro.

Para ele, o dinheiro é uma invenção do homem e seu sistema pode entrar em colapso a qualquer instante. Desta forma, Fellmer adotou o modo de vida para proteger sua família dos efeitos negativos do sistema. A inspiração ocorreu após decidir realizar uma viagem para o México ao lado de amigos sem gastar um centavo. Prestando serviços em troca de transporte em navios e contando com caronas em caminhões, o alemão percebeu que o dinheiro não é fundamental para a vida do ser humano.

família vive sem dinheiro

O alemão encontra os alimentos em caçambas de lixo de supermercados. Além de coletar comida na rua, Fellmer paga seu aluguel com serviços domésticos. (Foto: Reuters)

Já em relação aos alimentos, o Raphael encontra tudo o que precisa nas caçambas de lixo orgânico dos mercados do país. Segundo Fellmer, grande parte dos alimentos recolhidos na rua estão em perfeito estado. De acordo com a Organização de Alimentos e Agricultura das Nações Unidas (FAO), 30% de todo alimento produzido no mundo é desperdiçado.

Este novo modo de vida vem recebendo atenção de pessoas na Europa e fomentando discussões em fóruns na internet. Fellmer é tido como o líder do movimento, batizado de “vida-sem-dinheiro”.

Agência Reuters

Recomendados para você

Comentários

  1. joao Postado em 27/Feb/2013 às 15:18

    Entra em qualquer favela no Brasil e você vai ver um monte de famílias que também vivem praticamente sem dinheiro, comendo comida do lixo e fazendo bicos!!! Vai visitar o sertão nordestino e o que você vai ver é milhares de pessoas vivendo praticamente sem dinheiro... sem água, sem esgoto, sem escola, sem hospital, comendo calango... Só pode ser piada isso né.... "Movimento vida sem dinheiro" Os neoliberalistas devem olhar pra isso e pensar: Mas como são idiotas, fudemos com a vida deles e eles ainda se acham idealistas!!! Que situação de merda fizeram da Europa!!!

    • Pedro Postado em 18/Dec/2013 às 19:05

      A diferença é que eles vivem sem dinheiro e com qualidade, não morrendo de fome e tendo que se voltar ao crime.

      • Rafael Postado em 19/Dec/2013 às 08:57

        mostraram apenas um caso que está dando certo, e os outros milhares que passam fome? Imagine agora todos os que passam fome recolhendo esse lixo orgânico.. acha que seria organizado assim. A única forma disso funcionar em alta escala é mudando o sistema para outro que não seja monetário.

  2. mateus Postado em 27/Feb/2013 às 16:31

    Será que ele não percebe que está vivendo do dinheiro dos outros?

    • hubert Postado em 18/Dec/2013 às 19:49

      vivendo do desperdicio dos outros ...

  3. Diogo Rodrigues Postado em 27/Feb/2013 às 16:33

    Ele está 'protegendo a si e sua esposa' dos efeitos negativos do sistema, o dinheiro, utilizando-se do mesmo de forma indireta, uma vez que sem o dinheiro, não existiria tanto desperdício e alimentação disponível. É contra o dinheiro mas utiliza-se indiratamente do mesmo, conta outra ..

  4. Tessa Postado em 27/Feb/2013 às 16:39

    Existe um documentário muito bom falando sobre esse desperdício de alimentos e pessoas que vivem do "lixo" dos supermercados chamado "Taste the Waste".

  5. Pedro Postado em 27/Feb/2013 às 16:46

    Diogo Rodrigues, tem como alguém viver sem dinheiro? Fotossíntese?

  6. Artur dos Santos Postado em 27/Feb/2013 às 16:48

    Ele vive do excesso dos outros, é uma atitude até certo ponto interessante mais também questionável. Porém ele mostra que as pessoas vivem em soberba e tudo que utilizam não são totalmente utilizados e como tudo que não é utilizado pode ser reutilizado, isso é um alerta ao alto consumismo da nossa civilização onde o excesso dos outros ainda serve pra alguem..

  7. Fernanda Postado em 27/Feb/2013 às 17:01

    Deve ser muito bom mesmo. Muito bom pra quem quer viver num porão (que, pela foto, está melhor que a minha casa!), comer alimentos com risco de contaminação (ou será que o lixo alemão é esterilizado? O daqui, com leptospiroses e afins, ficaria uma delícia) e expor o filho pequeno a uma série de privações (que, até que ponto, não seriam nocivas ao seu desenvolvimento). Claro, a diferença é que esse cidadão não vive assim por necessidade, vive assim por escolha, e sabe que sempre vai ter um papai rico para correr. Pq, se ser pobre na alemanha não está tão mal assim, não imagino o que seja pertencer a uma familia de "classe média alta" de lá. Vem para o interior do Sertão comer palma, não ter opção de "plano pré natal" e nem pra onde correr e depois me conta como foi. Pergunta que não quer calar: de onde vem o tal dinheiro ao qual ele, volta e meia, recorre??

    • Ana Postado em 06/Nov/2013 às 12:30

      Fernanda, Ele deve recorrer provavelmente ao dinheiro do estado. Pois,na Alemanha, o cidadão que nao possui emprego, tem um Arbeitsamt (acho que é assim a escrita... ) onde, mensalmente o estado te fornece dinheiro para custeio de plano de saude, alimentacao, e claro aluguel. Um valor alto, que chega a 80% do salario minimo do estado onde o cidadao se encontra. Entao, essa vida dele, de " Nao preciso de dinheiro, ou Sou superior ao dinheiro" é nada mais que a maquiagem pro idealismo dele. Pq eu concordo com o comentario do artur acima, de que ele vive é do excesso dos outros..

  8. Diogo Rodrigues Postado em 27/Feb/2013 às 17:14

    Pedro, conheço pessoas que vivem do que colhem, necessitam exatamente do que falaste, fotossíntese do reino vegetal, que provêm seus alimentos.

  9. luís gustavo Postado em 27/Feb/2013 às 17:19

    pequenos sacerdotes da negação, viver sem dinheiro significa viver a partir dos desperdícios do sistema, a principal característica do capitalismo. nesse, tudo tem que ser desperdiçado para que se adquira um similar novo. esse cara simplesmente atua no desperdício. se cabe mais um no carro, por que não ir de carona? se a comida descartada está boa, por que não aproveitá-la? se é possível trocar produtos por serviços, por que não fazê-lo? e, queira vc ou não, isso é honesto, íntegro e muito perto de viver sem dinheiro.

    • Ricardo Cardoso Postado em 30/Sep/2013 às 22:47

      Boa Luís...finalmente uma resposta sensata. O pessoal aí confundiu o teor da matéria

    • José Renato Postado em 30/Jul/2014 às 14:19

      Isso ai. A questão em jogo e a repugnação dos demais acho que esta muito mais ligada ao orgulho e a vergonha de mexer eu um lixo de mercado, ou feira. Que nao tem nada a ver com outros lixos. Isso é cultural, quando eramos crianças nossos pais diziam: "estuda se não vai virar lixeiro, é isso que você quer?" Fomos criados para ter vergonha e isso tem varios impactos sobre nossos verdadeiros valores. Reaproveitar algo, ou melhor aproveitar que foi jogado fora não deveria ser vergonha, deveria ser orgulho. Comer lixo como os mendigos do Brasil é nojento, pois as cenas que vemos de gente muitas vezes com problemas mentais, alcoólatras, drogados, sem perspectivas vivendo a margem da sociedade não é mérito pois não é consciente, planejado é loucura, desespero e uma forma de chamar a atenção dos outros, para que sensibilizando com o fato os deem um dinheiro para comprar comida que traduzindo é cachaça, droga, cola e por ai vai. Mas não será nunca deste pais mesquinho, ignorante, corrupto e orgulhoso chamado Brasil. Cada podo tem o governo que merece.

  10. Rafael Postado em 27/Feb/2013 às 17:27

    Que dá pra viver sem dinheiro, certamente dá. Mas é claro q vc teria q abdicar de algumas coisas como, dentista, internet, transporte, etc. Isso só seria possivel se vc fosse pra algum lugar onde vc possa morar num terreno sem ter q pagar IPTU e outros impostos e viver de sua própria horta pra comer.

  11. Valerio Oliveira Fernandes Postado em 27/Feb/2013 às 17:53

    nao se da perolas aos porcos... Um individuo q nao ve a nobreza envolvida na atitude desse alemao, nao esta apto para dialogos inteligiveis. Nescessita ainda educaçao basica, proveniente de alguma instituiçao de "credibilidade", como o Estado ou a familia, pois a logicao ainda nao é mais relevante do q o consenso, na mente jovem desses cidadaos alienados ao costume.

  12. Thiago Postado em 27/Feb/2013 às 17:54

    Diogo, mas existe uma diferença grande entre viver do que planta e colhe e viver do que é desperdiçado por aí. Sai lá, parece até mendicância.

  13. Vla Postado em 27/Feb/2013 às 18:34

    A grosso modo, o que se está chamando de estilo de vida "vida-sem-dinheiro" é o que aqui chamamos de miséria. Inúmeras famílias no Brasil também vivem assim, só que não por opção ou visão política (embora ache que há mais uma visão publicitária que política), mas vivem sem dinheiro porque não possuem outra forma de viver. Muitas dessas famílias não tem nem conta de água ou luz, porque não possuem nenhum, nem outro. Também não moram em um apartamento, no sótão, pagando o aluguel com serviços domésticos mas num barraco, construído em terreno invadido e feito de madeira encontrada, onde? no lixão, como toda comida e roupas. Nessa situação de miséria vivem com menos de R$ 75 reais ao mês. Será que o nosso amigo Europeu gasta menos que isso? Sinceramente, isso é o que se chama de customização da miséria ou miséria chique. São estes os processos políticos do mundo globalizado, alguém faz para garantir a sobrevivência e o outro copia, incrementa um falso aporte político e fica famoso por isso.

  14. Diogo Rodrigues Postado em 27/Feb/2013 às 18:47

    Thiago, concordo contigo.

  15. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 27/Feb/2013 às 19:17

    Não acredito que ele aproveite das sobras do capitalismo, e sim das sobras do EXCESSO HUMANO que sempre existiu, muito antes do dinheiro. Ele é um exemplo claro de RECICLO. Parabéns!

  16. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 27/Feb/2013 às 19:24

    Quem vive do dinheiro dos outros são: políticos, ladrões e religiosos do show da fé. Vão se preparando, meus caros, cada dia mais o dinheiro valerá menos. Tratemos de plantar nossas hortas comunitárias, criar nossas aves ciscando no quintal, ter uma vaquinha para dar leite e etc... Façamos também algo: dividir alimentos com os mais necessitados. O Capitalismo está próximo de sua ruína como todo sistema tem começo, meio e fim. É assim e sempre será.

  17. jade Postado em 27/Feb/2013 às 21:20

    tinha que ter algum IDIOTA pra falar que nordestino come calango. --'

  18. jaime carvalho Postado em 27/Feb/2013 às 21:22

    é um experimento um laboratório...uma sociedade sofisticada tecnologicamente e que enfrentou duas guerras quer star preparada para mudanças climaticas como pessoas urbanas podem enfrentar um colapso. Trata se de um movimento e tem em sí mecanismos de diagnóstico frente a questões como resistencia de uma pessoas com imunidade deprimida a comida fora do esquema de vigilancia sanitária. Muito diferente de sociedades nativas aaqui e na africa..

  19. jessica Postado em 27/Feb/2013 às 21:26

    é um extremismo.. quando nao é 8 é 80. rrss

  20. Jc Postado em 28/Feb/2013 às 00:12

    Ao ler os comentários percebo o quanto é angustiante para muitas pessoas viverem sem dinheiro. As pessoas estão tão acostumadas com esse jeito de vida americano, ou seja," american way of life", que não se permite ser criativa ao modo de encontrar um estilo de vida alternativo. Temos que ter em mente que muitas das necessidades humanas não são necessariamente produzidas por nós. Essas necessidades são criadas pelo próprio sistema capitalista. No entanto,não tomamos consciência disso.Concerteza nos poderíamos abdicar de uma série de coisas, que julgamos ser necessário. Porém, estamos tão abitolados nessa lógica, que não enxergamos alternativa a isso.

  21. Márcio S Postado em 28/Feb/2013 às 07:10

    Estou aqui para ser o purificador desta vida cruel que o dinheiro proporciona, mandem tudo pra mim que eu os libertarei me submetendo a este sacrifício tão danoso.

  22. sollis Postado em 28/Feb/2013 às 09:46

    O sistema capitalista está tão forte na" mente" das pessoas que elas, pensam que esse é o único modo de "viver".Quando as pessoas vêem outro modo( talvez um inicio) de se viver sem ter esse CAPITALISMO..que eles não param para refletir que se tratando de " SERES HUMANOS", temos muitas críticas a fazer, mas ir a luta( aqui discutir novos mode de viver), encontramos "SERES HUMANOS" que pouco sabem, seu modo de viver.Se pararmos para analisarmos, o que esse cidadão quer nos passar, entenderemos o " propósitos" dele. A questão não é viver " sem- dinheiro"( ao qual foi inventado pelos " SERES HUMANOS"),onde o dinheiro foi tomado como "VERDADE" modo de se obter "BENS", isso foi posto para esses "SERES HUMANOS", que esse e eles acreditaram e acreditam até esse momento. O modo que podemos pensar é "ESSE SER HUMANO NOS MOSTRA QUE SE REDUZIRMOS A QUANTIDADE DE DINHEIRO CIRCULANDO NAS MÃOS DE BANQUEIROS..ELES TERÃO QUE NOS IMPREGNAR OUTRO MODO DE VIVER" e VOCÊS ESTÃO DISPOSTOS A FAZER ISSO? REDUZIR A QUANTIDADE DE DINHEIRO CIRCULANDO E FAZERMOS UM NOVO MODE DE VIDA...OU ENTÃO CONTINUA ENRIQUECENDO OS BANQUEIROS!

  23. Marcos Oliveira Postado em 28/Feb/2013 às 10:30

    Gostaria de saber o que aconteceria se ele ficasse doente, o filho seria o novo 'catador' de alimentos? Não vejo esse método como algo duradouro, tá mais para um método como único fim ser objeto de matéria de jornal com um título bonito relacionando um dos mais ricos países da Europa.

  24. Rodrigo M. Postado em 28/Feb/2013 às 10:47

    Como é lindo ser pobre por opção num país onde o sistema de bem estar social cobre todas as suas eventuais despesas emergenciais, inclusive escola de filhos... catar comida no lixo é uma linda opção de vida, pra quem tem opção. Ai ai, as contradições da classe "média". Alguém ai oferece esse estilo de vida pra galera que trabalha no lixão de Gramacho, Duque de Caxias, no Estado do Rio de Janeiro...

  25. MARIA VALENTINA SENA E SILVA Postado em 28/Feb/2013 às 10:55

    Assim estou eu, vivendo sem dinheiro1 Trabalhando sem ganhar. Quero dar sem receber porque também não esotu ganhando nada.

  26. césar Postado em 28/Feb/2013 às 11:13

    Um Alamão de classe média alta ... vive sem dinheiro? ... Por favor sejamos mais pragmáticos.

  27. Vinicius Postado em 28/Feb/2013 às 12:21

    Então, aos espertos de plantão, a notícia diz que ele vive "praticamente sem usar dinheiro" Ele vive longe daquela vida consumista que a maioria de nós levamos, ele percebeu que consumismo é apenas algo superficial. Pra meio entendedor, meia palavra basta! Então, fiquem tirando suas conclusões sem prestar atenção ao que realmente acontece.

  28. Leticia Postado em 28/Feb/2013 às 12:41

    Incrível como temos dificuldade de conviver com o diferente, com a forma fora do padrão... Como nos é quase inerente nos meter na opção dos outros. Fiquem calmos, porcos capitalistas, esta modelo de vida, infelizmente, não deve estar se multiplicando como coelhos mundo a fora. A gente tá tão quadrado dentro do modelo que nossos pais nos encaixou, que precisamos de um esforço enorme pra conseguir enxergar com respeito a vida alheia - o modelo em que fomos criados nos ensina a julgar, mas desnaturaliza a generosidade e o altruísmo. A prepotência nos corrói quando não respeitamos a liberdade de escolha outro.

  29. Yuri de Lima Postado em 28/Feb/2013 às 13:25

    Ele está vivendo de meio termos ,infelizmente é impossível viver dentro da sociedade abdicando por completo o dinheiro , ele está apenas cortando mediadores , ele presta serviço pra família locatária que em troca lhe fornece a moradia ( porém se a família lhe pagasse em espécie ele usaria o dinheiro pra pagar o aluguel da casa ), ao meu ver, ironicamente ele está oferecendo mão de obra dele à preço mais barato ainda para as pessoas que ele presta serviços, além de constantemente ter de conseguir dinheiro pra pagar as contas de aguá e luz , ou seja , por imposição à quem deseja morar dentro de uma sociedade , é preciso manejar o dinheiro de forma indireta! Mas admiro o ato do homem de amenizar o uso do capital e negar o consumismo , isso por si só já é um grande ato!

  30. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 28/Feb/2013 às 13:43

    Meus caros, o LIXO europeu é nosso SACOLÃO mais chique. Quem foi lá sabe disso. Nós, brasileiros em perpétuo sono-social, exportamos o melhor e consumimos o nosso pior. Aqui compramos laranjas ruins, bananas ficando preta, morangos derretendo, hortaliças amareladas... Lá fora, rs, as frutas até brilham... daí você pergunta a procedência e eles falam: BRAZIL!!!! Acredito que se esse homem sanitiza seus alimentos, nunca vai ter NADA de problemas de saúde... Aqui no Brasil, as vezes você lava, ferve, JOGA LASER rs e mesmo assim passa mal! ... a não ser que TODOS estejam comprando em SUPER DELICATESSEM, o que duvido pois a carestia está forte, não?

  31. Carolina Postado em 05/Mar/2013 às 06:11

    Moro na Alemanha e trabalho aqui e nao acho nada de fantastico. Nem no texto, nem da atitude. Tive um professor que nao usava desodorante, nem assistia tv/rádio e nao consumia alimentos prontos. Tudo contra o "sistema". Ele acha que faz a diferenca mas esquece que 70% das frutas e legumes na Alemanha, sao importados. A laranja que ele achou no lixo, atravessou o mundo, poluiu o mundo, encareceu o mercado produtor para que o preco nacional seja competitivo. Os alemaes tem pouca concsiencia de coletivo humano. Eles separam obsessivamente o lixo mas nao procuram modos de utilizar menos plastico. Se gabam do excelente sistema de transporte público mas nao levantam a bunda para dar lugar a uma senhora grávida. O indice de desemprego na Alemanha é minimo mas baseado no sistema de exploracao ( é possivel contratar alguém bem qualificado por 400,00€ - 10 horas por semana). Trabalho em uma empresa que hoje oferece 92 vagas de trabalho e 180 de estágio e 400,00€ por mês. Nao há limitacao para estas contratacoes e a tercerizacao é brutal. Esse cara mora em um porao, fácil! Ele mora por que quer e sonha sair no jornal de domingo. O dia que nao quiser mais, pode pedir ajuda social do governo. Quem tem filho, recebe uma mesadinha do governo também. Quem nao tem onde morar, recebe um aluguel social também. Quem paga? estrangeiros que trabalham muito, recebem pouco, nao obtém a cidadania nunca e possuem pequenas chances de se aposentar na Alemanha. O que falar dos imigrantes dos balcans que nao conseguem a cidadania e tem seus filhos enviados para locais como o Kosovo e Bósnia, onde as possibilidades de estudo e trabalho sao escassas. Imagine! Você cria o seu filho na Alemanha, ele fala alemao e é integrado a sociedade e ele é enviado ao Kosovo, já que nao é alemao! Quanta solidariedade! Faltam é ativistas na area da solidariedade, humanidade e sentimentos. Me admiraria com um alemao se ele fosse fazer passeata pelos imigrantes de estao a 20 anos tentando regularizar a documentacao ou que cedesse a sua casa para imigrantes sem condicoes de pagar os alugueis abusivos de Munique e Berlin. Ai sim, seria algo para capa de revista

    • Antonia Postado em 04/Nov/2013 às 13:56

      E porque é que os alemães teriam a obrigação de dar cidadania ao refugiados dos balcãs? Por acaso foram eles que provocaram a guerra de lá? Não acha que já foram muito solidários em acolher estas pessoas em seu território, dando-lhes inúmeras vantagens como segurança, oportunidades de trabalho, direitos humanos básicos, e outros benfícios sociais? Agora, são obrigados a perfilha-los porque?

    • Carlos Postado em 18/Dec/2013 às 20:42

      Nada como a experiência de alguém para jogar luz sobre propostas utópicas que querem vender por aqui. Como diz o chavão, não existe almoço grátis. Pra alguém ter benefícios sociais, muitos terão de sustentar tal vantagem. Vamos parar com esse papo de transporte público gratuito, bolsa disso, bolsa daquilo, cotas etc e acordar para a realidade: sem não trabalharmos muito, ficaremos eternamente esperando que o Estado supra as nossas necessidades. O Estado não existe pra isso.

  32. Diego Postado em 06/Mar/2013 às 07:36

    Então o melhor é não fazer nada para mudar, é só continuar vivendo o status quo e continuar com nossos modos de vidas incontestáveis que fomos presenteados ao nascermos ?? Melhor a comida (que já está no lixo) continuar apodrecendo do que reaproveita-la, reciclá-la?? É isso? Tem muita gente esquisita no mundo e com certeza não é a família da reportagem...

  33. Rodrigo Postado em 19/Mar/2013 às 11:31

    Ridículo... Estão tentando renomear a mendicância com algo mais bonitinho. Obviamente que o desperdício de alimentos e outros hábitos perdulários da sociedade devem ser combatidos, mas é muito fácil dizer que se vai viver sem dinheiro quando vc usa toda a cadeia de produção e suprimentos para se aproveitar de suas "sobras". Ele só consegue se aproveitar dessas "sobras" por que tem muita gente trabalhando antes disso. Obviamente que o sistema possui suas ineficiências, mas aproveitar-se disso para desmoralizá-lo é, no mínimo, um argumento desonesto. Para mim esse cara tem, na verdade, preguiça de trabalhar...

  34. PI Postado em 28/Mar/2013 às 10:16

    O porão do cidadão é 10 vezes melhor que a minha casa! E os auxilios que o governo alemão oferesse para quem tem filhos? Um cidadão classe média alta, faz a opção de realizar escambo é capa de revista! Os milhares de famintos que morrem na Africa, Brasil, Balçãs e outros países, que chegam a comer terra, beber a propria urina, pessoas que tentam se matar porque já não aguentam mais passar fome, (digo isso, pois vivenciei isto de perto), isso não vira capa de revista é escondido, estes milhares de famintos são jogados a mercê da própria sorte. Porque este cidadão não vai para as ruas da Alemanha protestar contra o desperdicio das familias abastadas, que fomentam este capitalista avassalador, começando pela sua propria familia que é classe média alta, ai fica fácil, qualquer coisa corro para os braços da familia! E aqueles que não tem para onde correr? E este desperdicio desmedido, alguém pagou esta conta e com dinheiro! Pode ter certeza que alguém esta se matando de trabalhar em fazendas e grandes plantações para enviar produtos a preços baixos para vários países desperdiçarem. Dito isto, espero este nobre cidadão que venha conhecer uma parte do Brasil, que está esquecida a dezenas de anos, onde não médicos, hospitais, alimentos, apenas seca e o horizonte com um sol para você comtemplar esperando o juizo final!

  35. dinheiro é papel Postado em 16/Apr/2013 às 12:36

    inveja é foda! nego que comenta é muito recalcado...

  36. RECADO PARA OS IGNORANTES QUE AQUI COMENTARAM Postado em 16/Apr/2013 às 14:41

    Uma pessoa para tentar sair do sistema tem que começar por algum lado, hoje ele pode ir ao lixo buscar os alimentos que voces desperdicam(e que ironicamente se estao para aqui a queixar que ele vive a custa dos outros e bla bla, se nao gostem que hajam pessoas que aproveitem o que voces nao comem nos restaurantes ou o que voces deitam no lixo de casa, passem a NAO O FAZER), continuando, ele hoje pode ir ao lixo buscar alimentos e amanha pode ter uma horta no seu quintal e ja nem precisa de ir mais ao lixo e continuam a haver desperdicios. Voces que se preocupam tanto com o dinheiro, não deitem comida fora nao "mandem dinheiro ao lixo". Isto é uma grande atitude sim, porque este homem e esta familia fartaram-se de viver como ignorantes com vendas nos olhos a "comerem" tudo o que ouvem, a trabalharem para comprarem/consumirem bens superfluos como ipads, iphones, dvd's, carros xpto (entre muitos outros completamente desnecessarios e que nao ensinam nada, antes pelo contrario so "emburrecem" ainda mais o Homem) e morrerem, sempre neste ciclo vicioso. É muito facil criticar, mas ter a atitude para tentar sair da caixa, para PENSAR, para deixar de engolir tudo o que vos dizem na televisao, e lutar por uma vida diferente é bem mais dificil, por isso fiquem ai sentados nas vossas cadeirinhas confortaveis a criticarem quem tenta mudar e quem tenta deixar de viver na ilusao COMO TODOS NÓS VIVEMOS, continuem com essa forma de "pensar" a acharem que isto é que é viver que vao no bom caminho. Deixem esta familia optar pelo que a faz feliz. E agora voces? Sao REALMENTE FELIZES?

  37. ariel Postado em 17/Apr/2013 às 00:23

    é muito recalque mesmo.

  38. Moneyless Postado em 17/Apr/2013 às 15:46

    eu aposto! eu aposto que 99% das pessoas que criticam esse alemão são consumidores meia-boca que vivem com seus empregos (que odeiam) de 2 salários mínimos, no máximo, e que se acham os tais porque conseguiram comprar um carro em 72 parcelas... dariam tudo para ter um padrão de consumo "verdadeiro", mas como são uns "consumidores falhos", acham bonito criticar uma pessoa que está feliz abrindo mão de tudo o que eles sonham, mas dificilmente terão... eu não viveria sem dinheiro, mas achei muito bacana a atitude do alemão... que ele seja feliz do jeito dele... para os que vão morrer em seus empregos odiosos, meus parabéns por contribuírem para a manutenção de um stado que não dá a mínima para vocês... e vamos comprar coisas caras que lá fora custam a metade!!!!

  39. Pedro Carraro Postado em 17/Apr/2013 às 16:17

    De tudo o que li, o comentário da Carolina (em 5 de março de 2013 às 6:11), é o melhor! Parabéns.

  40. kenia Postado em 17/Apr/2013 às 18:55

    A dferenca é que essa família optou por esse estilo de vida e o cara trabalha e sim, paga algumas contas que são inevitáveis...A questão interessante dessa história é mostrar que se pode viver sem grandes posses indo na contramão do consumismo e do disperdício, a final sabemos que o problema da fome no mundo nao tem nada a ver com falta de alimento, e sim com o disperdício do q vai p o lixo...o q esse cara faz é como reciclagem de lixo, e pelo visto vive bem, e sim, saudavel, por incrível q nos possa parecer! Isso não tem nada a ver com a miséria e a fome sofridas pelas pessoas no sertäo, ou em qualquer outro lugar do planeta, pelo contrário isso só nos mostra mais uma vez q muitos passam fome enquanto tanta comida é desperdicada no lixo...

  41. Ciro Postado em 17/Apr/2013 às 20:51

    A: "Decidi viver do que eu plantar e colher" B: "Hum, legal. Agora imagina 6 BILHÕES de pessoas fazendo a mesma coisa!"

  42. Luis Postado em 19/Apr/2013 às 05:55

    Lendo alguns comentários por aqui é interessante constatar como muitos se sentem extremamente ofendidos pelo estilo de vida da jovem família! Realmente, falar em dinheiro hoje em dia é como lidar com algo sagrado. (o que me leva a concordar que o mesmo ocupa o lugar de Deus na sociedade atual). Esses mesmos que criticaram negativamente a atitude do alemão devem gastar pequenas fortunas em supermercados com alimentos industrializados achando que estão oferecendo o melhor para suas famílias... Pobres ignorantes. Quem teve uma oportunidade de viajar para outros países um dia percebe como os brasileiros são arrogantes, adoram criticar tudo mas não mexem a bunda da cadeira para mudar uma realidade social. Continuem se matando de trabalhar para manter esse estilo de vida insustentável influenciado pela mídia.

  43. Cláudia Postado em 22/Apr/2013 às 18:34

    Ciro, em 17 de abril de 2013 às 20:51 disse: A: “Decidi viver do que eu plantar e colher” B: “Hum, legal. Agora imagina 6 BILHÕES de pessoas fazendo a mesma coisa!” Qual era o problema?

  44. Loren Postado em 27/Apr/2013 às 10:12

    Acrescentando o pertinente comentário do Luis: Moro em Berlim e tenho amigas que sempre visitam o Raphael, pois estudaram com ele na escola. O que elas sempre me contam é que a vida dele não tem luxo mesmo e a idéia dele é viver sem dinheiro e mostrar que o que adquirimos com o dinheiro é na maior parte supérfluo. Se formos pensar bem, pequena parte de nossa renda é usada para pagar nossas contas básicas, como alimentação e moradia. Lógico que não dá pra comparar a vida de uma família alemã com a vida de uma família que vive em situação de miséria no Brasil. A diferença entre esses dois contextos é gritante, principalmente no que diz respeito ao suprimento das condições básicas de vida dos seus cidadãos. Porém o Raphael rema contra a corrente e optou por uma vida sem supérfluos, por um ideal. Cada um luta com as armas que pode, ele fez a escolha dele e é admirável! Para uma família no contexto como o dele, abnegar coisas como água quente, aquecedor a gás, fogão elétrico, internet, telefone e tudo mais, já é um grande passo! E isso tudo voluntariamente pra mostrar a sociedade que é possível! E é lógico que alguém está pagando pela comida que ele come, mas esse argumento é raso, já que é igualmente óbvio que todo o sistema econômico gira em torno do dinheiro e ele não é o sistema econômico personificado! Afinal, vcs queriam que ele lutasse contra o sistema capitalista vivendo onde, em marte? Até mesmo se ele morasse em Cuba o impacto seria outro, já que o mais interessante é que ele está no olho do furacão! Como dizem por aí: se quiser mudar o mundo, comece mudando a si mesmo! E ele vive seu ideal e vive para divulgá-lo... é inegável a sua coragem, a qual a nossa covardia e acomodação não deve suplantar!

  45. TAISE Postado em 10/May/2013 às 19:55

    NOSSA!!EU TÃO CONSUMISTA!!

  46. samuka Postado em 21/May/2013 às 13:01

    E índio tem dinheiro?

  47. Sidney Postado em 22/May/2013 às 14:39

    Galera não tem a menor ideia da mensagem que o cara ta tentando passar!!

  48. Romulo Postado em 02/Aug/2013 às 09:11

    Muito bom, mas não concordo de ficar pegando as coisas do lixo, ele pode pegar um doença, e ter que gastar tudo que economizou durante anos; sendo, que tem muitas coisas que da para aproveitar que estão no lixo, mas tem muita probabilidade de ter coisas poluídas.

  49. Jurandir Becker Postado em 05/Aug/2013 às 22:00

    Incrível... No último restaurante japonês que trabalhei, todo sushi do sábado ia pro lixo... Se aqui é assim, nos países onde o consumo é elevado (EUA, Europa) vai muita coisa em bom estado pra lixeira.

  50. silvia helenice nitschke Postado em 06/Aug/2013 às 17:34

    Também moro na Alemanha e o comentário da Carolina é quase perfeito. O Raphael está vivendo uma "aventura de ser pobre", posto que tem opcoes, diferentemente do que qualquer pobre, em qualquer canto do mundo poderia fazer. Acho válida a experiencia, pois quem sabe assim, ele aprenda um pouco sobre o que é sobreviver com muito pouco. Como todo e qualquer sistema economico ou político, a Alemanha também padece de problemas quase que insolúveis. Dentre eles, a falta de direitos dos trabalhadores, onde numa contenda contra o empregador, o empregado sempre sairá perdendo. Onde o empresariado se aproveita, em especial dos estrangeiros e dos desempregados, para oferecer "servicos escravos" a custos reduzidíssimos e assim vai. Eu finalizaria a idéia da Carolina para dizer que falta nao apenas aqui, mas no mundo inteiro, é uma real solidariedade e fraternidade. E sem estes elementos, jamais teremos liberdade e justica.

  51. Ana Postado em 06/Aug/2013 às 23:38

    Tudo bem, entendi tudo, achei legal sua filosofia de vida, combina com o momento "pensante" atual, mas... só não ficou clara a formação acadêmica dele: "Raphael, nascido em uma família de classe média alta alemã e formado em Estudos Europeus, percebeu que há coisas mais importantes na vida do que o dinheiro." ...OK, realmente há muita coisa na vida mais importante que o dinheiro; mas gostaria de saber o sinônimo, a palavra que traduziria melhor a carreira de um profissional formado em "Estudos Europeus". Quem saberia dizer? Obrigada!

  52. patricia Postado em 07/Aug/2013 às 13:18

    Carolina, ta fazendo o que ai? vai embora dai e manda eles pra PQP. E nao vem com esse papo que no Brasi lvc nao tem oportunidades, porque o Brasil ta cheio delas.

    • Lidiane Postado em 31/Oct/2013 às 21:07

      Não é? Se lê cada uma... " Moro na Alemanha e trabalho aqui e não acho nada de fantástico" Engraçado...o Brasil continua no mesmo lugar, só chegar. É tão ruim que tem um monte de gente tentando ficar. Ironia por ironia, essa não fica atrás. Povo adora falar mal, mas pintou uma brecha, pegam a mala e voam pra Europa e EUA. E quanto às observações ridículas, como a de dizer que o cara e a familia vivem assim há três anos só pra aparecer no jornal - ??? !!! - dizer o que? Se as pessoas julgam os outros muito pelo que são em seu íntimo, faz sentido. Patético.

  53. Claudia Meireles Postado em 11/Aug/2013 às 17:24

    Acho importante esses novos modos de se viver, ir contra é negar a possibilidade que existe pra esse cara. Ele não propôs resolver o problema do mundo, do nordeste brasileiro, é só um jeito de talvez estar mais feliz, e compartilhar outros modos de se viver, e dissolver sim as marcas desse sistema arruinador dos nossos desejos. Ele encontra um jeito potente sim ( mesmo que pra sua família) e aí o que fazem muitos ? Anulam a possibilidade da diferença, o que justamente o capitalismo faz conosco … Aplaudo essas inaugurações de vida. Bem vindos aos que enxergam o outro, da forma que desejam ser.

  54. jose Postado em 24/Nov/2013 às 17:08

    Acho que vocês não entenderam! A questão é para refletir! Como viver de forma sustentável, idiotas? Esse modelo que aí está é ultrapassado, ou nunca representou um modelo adequado para se viver.

  55. Flávio Postado em 18/Dec/2013 às 22:04

    Cada resposta idiota. Não confundam dinheiro com necessidades básicas. Dinheiro não se come, dinheiro não é seu teto, dinheiro não te esquenta, não te dá saúde e muito menos te da amor. O homem já viveu milhõess de anos sem esse papel. Esse cara só achou um brecha no sistema capitalista que vivemos para viver assim. Se ele vive no que vcs chamam de miséria é graças a esse sistema. Antes que esse sistema nos engula mais, a terra é de graça, a água é de graça, o ar é de graça, a natureza é de graça, e você não precisa mais do que essa graça pra viver se souber trabalhar e os barões desse papel não te atrapalharem, não te roubarem e te matarem assim como fazem com quem vive da terra, vulgo indígenas.

  56. Vitor Postado em 18/Dec/2013 às 23:49

    Queria ser racional como esse rapaz...

  57. Heloise Postado em 17/Jun/2014 às 12:19

    Tem uma mulher também que ela vive sem gastar dinheiro... passou até no ratinho kkkkk ela era conhecida como "a mulher mais muquirana do mundo". Esse homem aí não é diferente... É muquirana também kkkk brincadeira pessoal ^^ só pra aliviar o clima tenso desses comentários

  58. Alexandre Alves de Castro Postado em 16/Jul/2014 às 15:04

    quando pequeno já vivi tendo que comer alimento retirado do lixo da feira e não me envergonho disso tambem tinha uma fabrica de pão de grutem que doava pao mofado aos meninos carentes que minha mãe esquentava para nos comermos eramos eu e mais tês irmãos obs meu pai era preposto juridico e so andava de carro do ano, anel de ouro e rubi era o doutor Castro legal né ?

  59. lucia moreira Postado em 17/Jul/2016 às 13:47

    Eu diminui bastante meus gastos,,ñ vou a salão ,,n~a restaurantes,,,tirei bastante de mim ,pra poder ajudar os animais k passam fome nas ruas,,tem cães com sarna k um remedio iper barato acaba com a sarna,,,,,então amigos muitas das pessoas largaram de se esnobar para poder ajudar,,ñ critique quem esta fazendo o certo ñ ao consumismo,,,eu aprovo e estou nesta