Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Religião 16/Feb/2013 às 01:17
111
Comentários

A entrevista de Leonardo Boff sobre Bento XVI que a Folha não publicou

“O perfil do próximo Papa não deveria ser o de um homem do poder e da instituição. Onde há poder inexiste amor e desaparece a misericórdia. Deveria ser um pastor, próximo dos fiéis e de todos os seres humanos, pouco importa a sua situação moral, étnica e política”

Por Leonardo Boff, eu seu blog

Dei generosamente uma entrevista à Folha de São Paulo que quase não aproveitou nada do que disse e escrevi. Então publico a entrevista inteira a seguir para reflexão e discussão entre os interessados pelas coisas da Igreja Católica. As perguntas foram reordenadas. (Leonardo Boff)

1.Como o Sr. recebeu a renúncia de Bento XVI?

Eu desde o principio sentia muita pena dele, pois pelo que o conhecia, especialmente em sua timidez, imaginava o esforço que devia fazer para saudar o povo, abraçar pessoas, beijar crianças. Eu tinha certeza de que um dia ele, aproveitaria alguma ocasião sensata, como os limites fisicos de sua saúde e menor vigor mental para renunciar. Embora mostrou-se um Papa autoritário, não era apegado ao cargo de Papa. Eu fiquei aliviado porque a Igreja está sem liderança espiritual que suscite esperança e ânimo. Precisamos de um outro perfil de Papa mais pastor que professor, não um homem da instituição-Igreja mas um representante de Jesus que disse: “se alguém vem a mim eu não mandarei embora” (Evangelho de João 6,37), podia ser um homoafetivo, uma prostituta, um transsexual.

2. Como é a personalidade de Bento XVI já que o Sr. privou de certa amizade com ele?

Conheci Bento XVI nos meus anos de estudo na Alemanha entre 1965-1970. Ouvi muitas conferências dele mas não fui aluno dele. Ele leu minha tese doutoral: O lugar da Igreja no mudo secularizado” e gostou muito a ponto de achar uma editora para publicá-la, um calhamaço de mais de 500 pp. Depois trabalhamos juntos na revista internacional Concilium, cujos diretores se reuniam todos os anos na semana de Pentecostes em algum lugar na Europa. Eu a editava em portugues. Isso entre 1975-1980. Enquanto os outros faziam sesta eu e ele passeávamos e conversávamos temas de teologia, sobre a fé na América Latina, especialmente sobre São Boaventura e Santo Agostinho, do quais é especialista e eu até hoje os frequento a miúde.

leonardo boff bento xvi

Leonardo Boff: Que Papa esperar que não seja um Bento XVI?

Depois em 1984 nos encontramos num momento conflitivo: ele como meu julgador no processo do ex-Santo Ofício, movido contra meu livro Igreja: carisma e poder” (Vozes 1981). Ai tive que sentar na cadeirinha onde Galileo Galilei e Giordano Bruno entre outros sentaram. Submeteu-me a um tempo de “silêncio obsequioso”; tive que deixar a cátedra e proibido de publicar qualquer coisa. Depois disso nunca mais nos encontramos. Como pessoa é finíssimo, tímido e extremamente inteligente.

3. Ele como Cardeal foi o seu Inquisidor depois de ter sido seu amigo: como viu esta situação?

Quando foi nomeado Presidente da Congregação para a Doutrina da Fé(ex-Inquisição) fiquei sumamente feliz. Pensava com meus botões: finalmente teremos um teólogo à frente de uma instituição com a pior fama que se possa imaginar. Quinze dias após me respondeu, agradecendo e disse: vejo que há várias pendências suas aqui na Congregação e temos que resolvê-las logo. É que praticamentea cada livro que publicava vinham de Roma perguntas de esclarecimento que eu demorava em responder. Nada vem de Roma sem antes de ter sido enviado a Roma.

Leia também

Havia aqui bispos conservadores e perseguidores de teólogos da libertação que enviavam as queixas de sua ignorância teológica a Roma a pretexto de que minha teologia poderia fazer mal aos fiéis. Ai eu me dei conta: ele já foi contaminado pelo bacilo romano que faz com que todos os que aitrabalham no Vaticano rapidamente encontram mil razões para serem moderados e até conservadores. Então sim fiquei mais que surpreso, verdadeiramente decepcionado.

4. Como o Sr. recebeu a punição do “silêncio obsequioso”?

Após o interrogatório e a leitura de minha defesa escrita que está como adendo da nova edição de Igreja: charisma e poder (Record 2008) são 13 cardeais que opinam e decidem. Ratzinger é um apenas entre eles. Depois submetem a decisão ao Papa. Creio que ele foi voto vencido porque conhecia outros livros meus de teologia, traduzidos para alemão e me havia dito que tinha gostado deles, até, uma vez, diante do Papa numa audiência em Roma fez uma referência elogiosa. Eu recebi o “silêncio obsequioso” como um cristão ligado à Igreja o faria: calmamente o acolhi. Lembro que disse: “é melhor caminhar com a Igreja que sozinho com minha teologia”. Para mim foi relativamente fácil aceitar a imposição porque a Presidência da CNBB me havia sempre apoiado e dois Cardeais Dom Aloysio Lorscheider e Dom Paulo Evaristo Arns me acompanharam a Roma e depois participaram, numa segunda parte, do diálogo com o Card. Ratzinger e comigo. Ai éramos três contra um. Colocamos algumas vezes o Card Ratzinger em certo constrangimento pois os cardeais brasileiros lhe asseguravam que as críticas contra a teologia da libertação que ele fizera num document saido recentemente eram eco dos detratores e não uma análise objetiva. E pediram um novo documento positivo; ele acolheu a idéia e realmente o fez dois anos após. E até pediram a mim e ao meu irmão teólogo Clodovis que estava em Roma que escrevêssemos um esquema e o entregássemos na Sagrada Congregação. E num dia e numa noite o fizemos e o entregamos.

5. O Sr deixou a Igreja em 1992. Guardou alguma mágoa de todo o affaire no Vaticano?

Eu nunca deixei a Igreja. Deixei uma função dentro dela que é de padre. Continuei como teólogo e professor de teologia em várias cátedras aqui e fora do pais. Quem entende a lógica de um sistema autoritário e fechado, que pouco se abre ao mundo, não cultiva o diálogo e a troca (os sistemas vivos vivem na medida em que se abrem e trocam) sabe que, se alguém, como eu, não se alinhar totalmente a tal sistema, será vigiado, controlado e eventualmente punido. É semelhante aos regime de segurança nacional que temos conhecido na A.Latina sob os regimes militares no Brasil, na Argentina, no Chile e no Uruguai. Dentro desta lógica o então Presidente da Congregação da Doutrina da Fé (ex-Santo Oficio, ex-Inquisição), o Card. J. Ratzinger condenou, silenciou, depôs de cátedra ou transferiu mais de cem teólogos. Do Brasil fomos dois: a teóloga Ivone Gebara e eu. Em razão de entender a referida lógica, e lamentá-la, sei que eles estão condenados fazer o que fazem na maior das boas vontades. Mas como dizia Blaise Pascal:”Nunca se faz tão perfeitamente o mal como quando se faz de boa vontade”. Só que esta boa-vontade não é boa, pois cria vítimas. Não guardo nenhuma mágoa ou ressentimento pois exerci compaixão e misericórdia por aqueles que se movem dentro daquela lógica que, a meu ver, está a quilômetros luz da prática de Jesus. Aliás é coisa do século passado, já passado. E evito voltar a isso.

6. Como o Sr. avalia o pontificado de Bento XVI? Soube gerenciar as crises internas e externas da Igreja?

Bento XVI foi um eminente teólogo mas um Papa frustrado. Não tinha o carisma de direção e de animação da comunidade, como tinha João Paulo II. Infelizmente ele será estigmatizado, de forma reducionista, como o Papa onde grassaram os pedófilos, onde os homoafetivos não tiveram reconhecimento e as mulheres foram humilhadas como nos USA negando o direito de cidadania a uma teologia feita a partir do gênero. E também entrará na história como o Papa que censurou pesadamente a Teologia da Libertação, interpretada à luz de seus detratores, e não à luz das práticas pastorais e libertadoras de bispos, padres, teólogos, religiosos/as e leigos que fizeram uma séria opção pelos pobres contra a pobreza e a favor da vida e da liberdade. Por esta causa justa e nobre foram incompreendidos por seus irmãos de fé, e muitos deles presos, torturados e mortos pelos órgãos de segurança do Estado militar. Entre eles estavam bispos como Dom Angelelli da Argentina e Dom Oscar Romero de El Salvador. Dom Helder foi o mártir que não mataram. Mas a Igreja é maior que seus papas e ela continuará, entre sombras e luzes, a prestar um serviço à humanidade, no sentido de manter viva a memória de Jesus, de oferecer uma fonte possível de sentido de vida que vai para além desta vida. Hoje sabemos pelo Vatileaks que dentro da Cúria romana se trava uma feroz disputa de poder, especialmente entre o atual Secretário de Estado Bertone e o ex-secretário Sodano já emérito. Ambos tem seus aliados. Bertone, aproveitando as limitações do Papa, construiu praticamente um governo paralelo. Os escândalos de vazamento de documentos secretos da mesa do Papa e do Banco do Vaticano, usado pelos milionários italianos,alguns da mafia, para lavar dinheiro e mandá-lo para fora, abalaram muito o Papa. Ele foi se isolando cada vez mais. Sua renúncia se deve aos limites da idade e das enfermidades mas agravadas por estas crises internas que o enfraqueceram e que ele não soube ou não pode atalhar a tempo.

7. O Papa João XXIII disse que a Igreja não pode virar um museu mas uma casa com janelas e portas abertas. O Sr. acha que Bento XVI não tentou transfomar a Igreja novamente em algo como um museu?

Bento XVI é um nostálgico da síntese medieval. Ele reintroduziu o latim na missa, escolheu vestimentas de papas renascentistas e de outros tempos passados, manteve os hábitos e os cerimoniais palacianos; para quem iria comungar, oferecia primeiro o anel papal para ser beijado e depois dava a hóstia, coisa que nunca mais se fazia. Sua visão era restauracionista e saudosista de uma síntese entre cultura e fé que existe muito visível em sua terra natal, a Baviera, coisa que ele explicitamente comentava. Quando na Universidade onde ele estudou e eu também, em Munique, viu um cartaz me anunciando como professor visitante para dar aulas sobre as novas fronteiras da teologia da libertação pediu o reitor que protelasse sine dia o convite já acertado. Seus ídolos teológicos são Santo Agostinho e São Boaventura que mantiveram sempre uma desconfiança de tudo o que vinha do mundo, contaminado pelo pecado e necessitado de ser resgatado pela Igreja. É uma das razões que explicam sua oposição à modernidade que a vê sob a ótica do secularism e do relativismo e for a do campo de influência do cristianismo que ajudou a formar a Europa.

8. A igreja vai mudar, em sua opinião, a doutrina sobre o uso de preservativos e em geral a moral sexual?

A Igreja deverá manter as suas convicções, algumas que estima irrenunciáveis como a questão do aborto e da não manipulação da vida. Mas deveria renunciar ao status de exclusividade, como se fora a única portadora da verdade. Ele deve se entender dentro do espaço democrático, no qual sua voz se faz ouvir junto com outras vozes. E as respeita e até se dispõe a aprender delas. E quando derrotada em seus pontos de vista, deveria oferecer sua experiência e tradição para melhorar onde puder melhorar e tornar mais leve o peso da existência. No fundo ela precisa ser mais humana, humilde e ter mais fé, no sentido de não ter medo. O que se opõe à fé não é o ateismo, mas o medo. O medo paraliza e isola as pessoas das outras pessoas. A Igreja precisa caminhar junto com a humanidade, porque a humanidade é o verdadeiro Povo de Deus. Ela o mostra mais conscientemente mas não se apropria com exclusividade desta realidade.

9. O que um futuro Papa deveria fazer para evitar a emigração de tantos fiéis para outras igrejas, e especialmente pentecostais?

Bento XVI freou a renovação da Igreja incentivada pelo Concílio Vaticano II. Ele não aceita que na Igreja haja rupturas. Assim que preferiu uma visão linear, reforçando a tradição. Ocorre que a tradição a partir do seéculo XVIII e XIX se opôs a todas as conquistas modernas, da democracia, da liberdade religiosa e outros direitos.Ele tentou reduzir a Igreja a uma fortaleza contra estas modernidades. E via no Vaticano II o cavalo de Tróia por onde elas poderiam entrar. Não negou o Vaticano II mas o interpretou à luz do Vaticano I que é todo centrado na figura do Papa com poder monárquico, absolutista e infalível. Assim se produziu uma grande centralização de tudo em Roma sob a direção do Papa que, coitado, tem que dirigir uma população católica do tamano da China.Tal opção trouxe grande conflito na Igreja até entre inteiros episcopados como o alemão e frances e contaminou a atmosfera interna da Igreja com suspeitas, criação de grupos, emigração de muitos católicos da comunidade e acusações de relativismo e magistério paralelo. Em outras palavras na Igreja não se vivia mais a fraternidade franca e aberta, um lar espiritual comum a todos. O perfil do próximo Papa, no meu entender, não deveria ser o de um homem do poder e da instituição. Onde há poder inexiste amor e desaparece a misericórdia. Deveria ser um pastor, próximo dos fiéis e de todos os seres humanos, pouco importa a sua situação moral, étnica e política. Deveria tomar como lema a frase de Jesus que já citei anteriormente:”Se alguém vem a mim, eu não o mandarei embora”, pois acolhia a todos, desde uma prostituta como Madalena até um teólogo como Nicodemos.

Não deveria ser um homem do Ocidente que já é visto como um acidente na história. Mas um homem do vasto mundo globalizado sentindo a paixão dos sofredores e o grito da Terra devastada pela voracidade consumista. Não deveria ser um homem de certezas mas alguém que estimulasse a todos a buscarem os melhores caminhos. Logicamente se orientaria pelo Evangelho mas sem espírito proselitista, com a consciência de que o Espírito chega sempre antes do missionário e o Verbo ilumina a todos que vem a este mundo, como diz o evangelista São João. Deveria ser um homem profundamente espiritual e aberto a todos os caminhos religiosos para juntos manterem viva a chama sagrada que existe em cada pessoa: a misteriosa presença de Deus. E por fim, um homem de profunda bondade, no estilo do Papa João XXIII, com ternura para com os humildes e com firmeza profética para denunciar quem promove a exploração e faz da violência e da guerra instrumentos de dominação dos outros e do mundo. Que nas negociações que os cardeais fazem no conclave e nas tensões das tendências, prevaleça um nome com semelhante perfil. Como age o Espírito Santo ai é mistério.Ele não tem outra voz e outra cabeça do que aquela dos cardeais. Que o Espírito não lhes falte.

Recomendados para você

Comentários

  1. Augusto Camillo Postado em 16/Feb/2013 às 16:27

    Leonardo Boff "mamou na Igreja" até ficar gordo. Depois "cuspiu no prato que comeu". O fato de ter sido repreendido e posteriormente punido pelo então Cardeal Ratzinger, não é algo autoritário, mas o que ocorre em qualquer instituição séria que se preze. Imagine uma instituição sem regras, normas e punições para quem "pisa fora da linha"?! Vira bagunça, vira o caos! Desde que ele entrou no seminário sabia que era assim que funcionava. Foi padre sabendo que assim que funcionava (funciona e sempre funcionará). Ele "chora as mágoas" pq ele foi o repreendido, o punido. Não pode alegar que foi injustiçado e que não foi ouvido, pq como ele msmo disse, dois importantes Cardeais o apoiaram e o defenderam perante o então Cardeal Ratzinger e o Papa. Tb não pode alegar que foi injustiçado e perseguido por Ratzinger, pq ele mesmo disse que 13 Cardeais julgaram o seu caso (então os 13 Cardeais estavam errados?) e que ainda levaram ao Papa que "bateu o martelo". Injustiça seria se apenas um cardeal ou apenas o Papa o julgasse e o condenasse. E a Igreja não julga em "cinco minutos". É uma intensa e longa negociação. Marcel Lefebvre, arcebispo francês que fundou a cismática "Fraternidade Sacerdotal São Pio X" (FSSPX) e que culminou em sua excomunhão qdo ordenou 4 bispos sem autorização do Papa, a Igreja negociou, dialogou com ele por longos 20 anos e essa negociação "passou" por 4 Papas! Infelizmente em vão! Com Boff não foi diferente: foram anos! Agora, lógico que ele vai falar mal do pontificado de Bento XVI. Vai dizer que não tem carisma, que não tem pulso, que é tímido. Ora, quem conhece intimamente o ser humano e escolhe o Papa é o Espírito Santo. É doutrinário! Mas parece que Boff faltou a essa aula de Teologia que na verdade se ensina no catecismo. Deus não escolhe líderes que sejam fortes aos olhos humanos (veja o Rei Davi, por exemplo. Era o menor e mais "insignificante" entre os irmãos). E como não tem pulso se foi braço direito de João Paulo II por longos 24 anos? E como não tinha "perfil" para ser Papa se sua eleição foi num dos Conclaves mais rápidos da história da Igreja (foi eleito na quarta "rodada" de votações, chamada "escurtíneo"). É considerado o maior teólogo vivo e um dos maiores da história da Igreja. Agora se diz "porta voz" dos oprimidos, mas defende abertamente o aborto! Quais mais oprimidos que esses filhos de Deus feitos à Sua imagem e semelhança assassinados no ventre materno? Que "porta voz dos oprimidos" é esse? E mais, que "Teologia" é essa que, para se fazer justiça aos mais pobres, prega até a luta armada se necessário for?! Ora, o que Jesus disse a Pedro qdo este desferiu um golpe de despada no soldado que veio prende-lo decepando-lhe a orelha? "Guarda a sua espada. Pois com quem à espada fere, com ela será ferida". Que Teologia é essa que mistura ensinamentos de Karl Marx, o comunismo, justamente um movimento que oprimiu, martirizou e continua oprimindo e martirizando milhares de cristãos nos "países vermelhos"? Que teologia é essa que quer confundir a Cruz com a foice e o martelo? E ele vem dizer que o Papa está errado? Não dá!! Agora vejamos outra importante opinião sobre o Pontificado deste "humilde operário da vinha do Senhor" Legado de Bento XVI (pelo Prof Felipe Aquino) Bento XVI nos deixou um legado imenso, rico e indispensável: 1 – Não teve medo de enfrentar a “ditadura do relativismo”, que nega a verdade e ensina que cada um faz a sua, destrói a família e a sociedade. O Papa é o paladino e arauto da verdade que salva (cf. Catecismo §851). 2 – Deixou-nos três encíclicas fundamentais: Deus caritas est, Spes salvi e Caritas in veritate, que precisam ser estudadas detalhadamente. Proferiu muitas homilias, discursos, catequeses, visitas apostólicas, viagens internacionais, encíclicas, cartas, motu próprios, etc., de imenso valor. 3 – Abriu um diálogo profundo com os intelectuais, especialmente os ateus, com o Programa “Pátio dos Gentios”, levando o debate com os ateus nas maiores universidades do mundo, buscando quebrar a mentira de que entre a ciência e a fé há uma dicotomia. 4 – Deixou-nos uma quantidade imensa de excelentes livros, especialmente a série Jesus de Nazaré, escrita durante o pontificado. 5 – Enfrentou sem medo e sem meias palavras a herética teologia da libertação marxista, não tendo receio de pedir aos bispos do Brasil, em 05/10/2010, que a eliminem em suas dioceses tendo em vista o seu grande perigo a Igreja e para a fé do povo. Disse o Papa: “As suas sequelas mais ou menos visíveis feitas de rebelião, divisão, dissenso, ofensa, anarquia fazem-se sentir ainda, criando nas vossas comunidades diocesanas grande sofrimento e grave perda de forças vivas.” 6 – Não teve medo de enfrentar as acusações de recebeu de ter sido omisso diante dos casos de pedofilia, agindo com energia para corrigir o problema. Não se curvou diante de tantas blasfêmias contra ele, como a famigerada peça de teatro da PUC de São Paulo (Decapitando o Papa). 7 – Durante 25 anos como Prefeito da Congregação da Fé do Vaticano, enfrentou as heresias e os hereges de nosso tempo, tendo de sofrer as criticas e ofensas desses hereges apoiados pela mídia secular. 8 – Não se curvou diante de um feminismo vazio, interno à Igreja, e de um modernismo que quis lhe impor a quebra do celibato sacerdotal, a aceitação da ordenação de mulheres e outro erros. 9 – Tal como um novo São Bento de Núrcia, deu início ao reerguimento do Ocidente. 10 – Soube sabiamente interpretar e defender o Concílio Vaticano II dos ataques que recebeu tanto dos ultraconservadores como dos abusos dos ultramodernos. Essas coisas Leonardo Boff não viu, com exceção do número 5... mas que continua a não aceitar a autoridade do Papa. Ele, com certeza, quer ser MAIS CATÓLICO QUE O PAPA. E o fato de Boff ser teólogo não lhe dá nenhum "status" na Igreja, pelo contrário, "quem mais conhece, mais será cobrado". Lembrando que Lutero era Padre, Judas Iscariotes era Apóstolo, e... não esqueçamos, Lúcifer era o anjo mais lindo do Paraíso e, o braço direito de Deus! E se Boff quer "se achar" por ser doutor em teologia, o Papa tb é! Então, o melhor que Boff tem a fazer é ficar quietinho e pôr o rabinho entre as pernas.

    • Maurício Brito Postado em 19/Jan/2014 às 21:03

      Esse negócio de punição...nunca vi Jesus fazer isso com ninguém!!!Somo seres livres e únicos feitos à imagem e semelhança de Deus, e enxergamos Deus e a vida em prismas diferentes. A Igreja já cometeu muitos crimes, crimes de morte!!!Por exemplo a inquisição... onde está o amor de Deus nisso, onde está o Pai?Como disse Leonardo Boff onde há poder inexiste o amor e desaparece a misericórdia.Vamos nos lembrar de como Cristo veio ao mundo.Sim aquele pelo meio do qual todas as coisas foram criadas!!!!

    • D`charlles Postado em 27/Jan/2014 às 18:30

      Concondo com você no seu parecer acerca dessa falsa e diabólica teologia da libertação. Mas tenho que esclarecer uma coisa no seu texto acerca de Dom Marcel Lefebvre e o que você chamou de cismática fraternidade de São Pio X. A verdade é que cisma deveria ser substituido por injustiçado. Porque Dom Marcel Lefebvre foi um santo homem de Deus que buscou somente ser fiel a Tradição Apostólica e o que a Igreja tinha vivido em 1500 anos de história e que foi totalmente modificado pelo concilio Vaticano II. E ser chamado de cismático pelos progressistas é uma honrra quando se está defendendo A Missa Tridentina e a espiritualidade formadora da maioria dos Santos da Igreja Católica. Até o inferno é obrigado por Nossa Senhora a reconhecer a santidade e o zelo de Dom Marcel Lefebrve pelas coisas de Deus. Leia o livro: a revelação através dos padres exorcistas, no site amor Mariano tem disponivel para download. Fora isso meus parabéns e continue sempre firme na graça de Deus. A paz do Senhor, o amor de Maria e a justiça de José esteja convosco hoje e sempre!

    • ANTONIO JOSE PEREIRA BESS Postado em 10/Mar/2014 às 00:54

      São apenas discursos enfadonhos e que com certeza já cairam no acaso. Com tanta injustiça social, o que vemos são homens que descaradamente se ultilizam de artifícios, julgando os seus pares, quando poderiam formar um contexto de sólida vivência em Deus. Lamento, tanta letra que destrói, quando os pensamentos dos que se consideram tais, deveriam buscar a prática transformadora do verdadeiro Mestre Jesus. Amigos, seus disursos sãos os mesmos de sempre. Cristo, diante de vocês cobraria o Amor partilhado. Um amor que constrói caminhos para todos terem a oportunidade de sentir a verdadeira paz que brota de Deus. Lamento como pode tanto intelecto se transformar apenas numa crítica que só alimenta seu ego. Discurso vazio. Jesus ensinou o Verdadeiro espírito de solidariedade. Juntemo-nos aos que estudam muito sobre a vida e procuremos viver o seguimento de Cristo. Então, acredito, que as palavras não serão mais inquisidoras. Darei crédito somente as palavras que leva os homens ao sentido prático da Palavra de Deus. Lamentos os discursos que tem fundamentação somente naquilo que satisfaz ao meu ego. Enquano a fome, a miséria, a falta de moradia, a nudez, o descaso com a saúde, o infanticídio, a falta de perdão, o desemprego não forem eradicados, amigos, seus discursos são apenas um vento que passa. Paz e bem!!!

  2. Geraldino Postado em 16/Feb/2013 às 16:40

    Ora, assim começo a entender porque não me aprazem os escritores que se dizem entendidos noutras línguas além da sua própria, ou sejam o presente e o tal do Coelho, aquele tal que sai das cartolas dos editores internacionais sequiosos de grandes lucros e de criarem mais e cada vez melhores ídolos: escrevem mal a sua língua materna. Ou não será mesmo materna? Não sei. Essas pessoas não se explicam devidamente, corretamente e precisamente, apesar de dizerem que sabem de tudo; os engana os atos falhos que só Freud mesmo explica com a certeza de quem entende as coisas da alma. Muito complicadinho isso. E não vai ficar mais claro não, pois a missão de anos e anos de igreja tem sido a de complicar as coisas. Cada vez mais. A primeira de todas as multinacionais tem por razão de existência faturar como os bispos evangélicos e construir igrejas como esses mesmo o fazem. E se imiscuírem nos negócios dos mafiosos não é nada mais natural. Lavarem o dinheiro dos negócios escusos da Europa, nada mais certo. Rolarem um sistema oficial de prostituição de menores pelo mundo a fora, nada mais importante. Destruir as jovens menos preparadas para a vida, uma coisa inconteste. Mostrar a sua força super-humana é o que lhes mais importa. E que se dane o pecado e os pecadores. É o lixo humano que o Sr. "ex-padre" Boff não sabe como gerenciar em suas palavras em português brasileiro; a sua formação não o permite. Está por isso fadado a escrever mal, não porque entenda mal, mas porque quer esconder os seus próprios errinhos de formação, franciscanos ou nem tanto. Fazer o quê?

  3. Fernando Silva Postado em 16/Feb/2013 às 17:39

    Olá, Augusto Camilo... Fiquei intrigado com o "seu" ponto de vista. De onde você o tirou? É seu mesmo ou é a reprodução mimética de idéias dogmáticas vazias que fundam a religiosidade católica falida? Onde está sua personalidade, seu ponto de vista? Não duvido que esteja dissolvida num emaranhado de crenças ilusórias acerca de uma divindade feita à imagem e semelhança dos homens. Ora, por que você não argumenta com o L. Boff, outro (des)iludido com a religião, a partir de suas próprias elaborações intelectuais? Rsrsrsr... Mas o problema é que isso é impossível para quem foi despersonalizado pelo imperativo religioso (o que não é o caso do L. Boff), onde o modo de pensabilidade individual é forçadamente substituído pelo pensamento hierárquico religioso, o pensamento "oficial", este, portanto, pensado por outros dos quais nem se quer se tem contato direto. Seu modo de pensar, Augusto, não é seu, é comprado de outrem às custas da aniquilação de sua subjetividade. O que você pensa e fala é simplesmente o que foi internalizado acriticamente no decorrer de sua (de)formação religiosa. O modo de pensabilidade religioso não abriga a possibilidade da criatividade, havendo apenas "criatividade" no processo de demostração das idéias previamente elaboradas; não tem o objetivo de revelar uma "verdade" , mas de reproduzir um dogma vazio. Nesse sentido, o que você "diz" e literalmente copia, nada acrescenta ao que já se sabe do dogmatismo católico. Dito isto, fica minha questão: o que você tem a dizer a respeito de L. Boff que não é reprodução mimética despersonalizada de ideias alheias?

    • D`charlles Postado em 27/Jan/2014 às 18:53

      Sr Fernando Silva tenho tristeza ao ver sua ignorância e seu pseudo conhecimento do que você chama de reprodução mimética de idéias dogmáticas vazias que fundam a religiosidade católica falida. Devo lhe dizer que o único falido é o seu pensamento ateu-marxista. E que a Igreja já passou por perseguições do império romano, por criticas dos iluministas, por opressões do comunistas e nunca faliu e nunca há de falir como você pensar pois ela tem a assistência do Divino Espirito Santo. Quanto ao que você chamou de: "Divindade criada a imagem e semelhança dos homens", devo lhe dizer que até um animal qualquer é mais inteligente do que você pois sabe louvar e agradecer o criador, enquanto você miserável criatura que abaixo de Deus é pó e cinza, em seu orgulho mortal nega a verdade que está tão iminente em seu coração e que você pode descobri pela razão acerca da existência de Deus. E deixar eu lhe dizer mais uma coisa do que você falou sobre: O modo de pensabilidade religioso não abriga a possibilidade da criatividade. Saiba que a Igreja Católica é a maior formadora de sábios do mundo. O grande exemplo são os nossos santos doutores que são altamentes inteligentes no qual você não pode argumentar o contrário. E sem falar que a Igreja Católica é a instituição com o maior número de premios Nobel do mundo. E os seus doutores no qual a sua mente formada: Freud, Nietzcshe, Rousseau e Leonardo Boff não precisar nem falar. Por si só a vida já responde o ateismo é o maior formador de loucos no mundo. A paz de Senhor e o amor de Maria esteja convosco!

  4. Magno Postado em 16/Feb/2013 às 18:01

    Prezado Augusto Cnamillo, Gostaria de dar os meus parabéns por suas palavras. Penso que este momento será o ultimo para Leonardo Boff aparecer na mídia. Gostaria de citar uma frase de Clodovis Boff (irmão do Leonardo Boff) que li a muitos anos atrás: "QUEM DIZ VIVER PELO POBRE, VIVE DO POBRE". Fora estes momentos da igreja, não há nenhum outro no qual ele possa se destacar. Rezemos por ele.

  5. Clarissa Postado em 16/Feb/2013 às 18:16

    Augusto Camilo, com todas as suas ponderações, acredito que na verdade está reiterando a entrevista, ao invés de argumentando contra a mesma... "Todos os sistemas fechados tendem ao colapso."

  6. Flávio/Bhte Postado em 16/Feb/2013 às 18:33

    Ao Augusto Camilo Vocês, da direita, têm visão linear. São obesos, opulentos e hermeticamente fechados. Vocês não diferem em nada dos petistas e vivem séria decomposição moral, notadamente as seculares oligarquias representadas pelos próceres Sarneys, Magalhães, Jereissatis, Collors...

  7. Cida de Sousa Postado em 16/Feb/2013 às 18:45

    Sou católica e, como tal, estou preocupada com minha Igreja. Li atenta e respeitosamente a entrevista acima. Li também os comentários. Devo dizer que o caráter conservador, autoritário, desrespeitoso e preconceituoso dos senhores Augusto Camillo e Geraldino em nada engrandecem as discussões que hoje se fazem necessárias a nossa Igreja. Que Deus os perdoe! Que Deus ilumine nossa Igreja.

  8. Mariana fernandes Postado em 16/Feb/2013 às 18:52

    Acompanho a trajetória e publicações de Leonardo Boff e admiro sua coragem e suas idéias. Infelizmente a igreja vem mantendo sua postura autoritária, arrogante e centralizadora e ainda discriminatória às mulheres.

    • D`charlles Postado em 27/Jan/2014 às 19:12

      A Igreja discriminar mulheres? Saiba que depois de Deus no qual adoramos, temos os santos amigos de Deus no qual veneramos. E o maior santo que a Igreja já teve em mais de dois mil anos de história foi uma mulher, chamada Maria Santissima. Isso por si só já bastava, mas eu devo lhe dizer que a Igreja nunca irá deixar de fazer a vontade de Deus para agradar os homens. Eu acho que que você quis falar do sacerdócio feminino. É absolutamente certo que o sacerdócio feminino na Igreja não está admitido. A razão é de tipo dogmático e, conseqüentemente, é inamovível: Jesus escolheu somente homens como apóstolos entre seus discípulos, e nenhuma mulher foi chamada a este serviço. E é evidente que se Jesus - Deus feito homem - fez esta determinação, é porque alguma razão objetivamente justa teve. Em minha opinião, é necessário procurar a razão na diferença principal que existe entre o homem e a mulher: a capacidade reprodutiva. As mulheres são aquelas que têm as crianças, as nutrem durante longos meses e vivem com elas os primeiros anos da vida de forma quase contínua. Isto, sem dúvida alguma, produz uma relação especialmente estreita entre a mãe e seu filho. Uma relação muito maior da que pode existir entre um pai e aquele mesmo filho. E é neste ponto onde devemos recordar as palavras do Messias: Todos os que não deixam seu pai, sua mãe, seu irmão, sua mulher e suas crianças não são dignos de mim. Esta é possivelmente, a razão. Deus não pediria a uma mãe que deixasse seu filho. Conseqüentemente, a negação do sacerdócio feminino não é uma discriminação da mulher, mas a conseqüência lógica de uma diferencia biológica entre esta e o homem. E concluido saiba que a grande discriminadora das mulheres são as próprias feministas, que tentar transformar a dignidade que só a mulher tem em uma âncora de perdição. A paz do Senhor e o amor de Maria esteja convosco!

  9. Geraldo Moura Silva Postado em 16/Feb/2013 às 18:59

    Gostei de ver a igreja católica Romana ser chamada de primeira multinacional e que tem como objetivo faturar milhões,bilhões,assim como fazem os novos:pastores,bispos,apóstolos e etc,etc.

  10. ELIAS NOBRE ALMEIDA Postado em 16/Feb/2013 às 19:00

    ACHO FABULOSO COMO SEMPRE E CENTRADO AS EXPLANAÇÕES DE LEONARDO BOF, CONCORDO PLENAMENTE COM TUDO QUE ELE DIZ E VOU MAIS ALÉM ELE É IGREJA POVO QUE CLAMA POR DIAS MELHORES E JUSTIÇA ! REZEZEMOS QUE O NOVO PAPA VENHA A SER COMO LEONARDO FALOU POIS É QUE PRECISAMOS PARA DAR CONTINUIDADE QUE O NOSSO QUERIDO E FALECIDO PAPA JÕAO XXIII COMEÇOU! ELIAS NOBRE ALMEIDA - TEOLÓGO

  11. Laercio Andrade de Souza Postado em 16/Feb/2013 às 19:16

    O grande problemas das religiões, Católica e ditas "evangélicas", é que aquela (Católica) se restringe por uma exarcebada hierarquia, e, as evangélicas, por um mercantilismo altamente escandaloso!

  12. José Alves Postado em 16/Feb/2013 às 19:18

    Enfrentar as questões mundiais ligadas à educação, alimentação e consequentemente saúde pública, que realmente são fundamentais para os dias de hoje (ontem e sempre) coloca as denominações religiosas, hipócritas ou não, responsáveis apenas pelo que elas são realmente importantes: MELHORAR a pessoa como ser humano, apenas... E melhorar a pessoa significa acabar com preconceitos históricos, torná-las capazes de explorar ao máximo as ferramentas que tem ao seu redor, reconhecer seu potencial e explorá-lo, saber administrar suas fraquezas, transformando assim (para melhor) sua realidade e a do meio onde vive... O mundo será melhor quando cada um fizer melhor o seu papel: RELIGIÕES : Melhorar pessoas FAMILIA : Educar ESCOLA: Ensinar PODER PÚBLICO : Administrar ... Aqui em Juatuba os que organizaram a festa de São Cristovão comemoraram o "lucro liquido" de R$50.000, tendo vendido próximo de cem caixas de cerveja... Não há o que comemorar... Nossa responsabilidade, enquanto comunidade, diminui a "culpa" de papas, bispos, pastores, professores, prefeitos, médicos, etc...

  13. Edinho Postado em 16/Feb/2013 às 19:38

    Leonardo Boff é uma das figuras mais importantes no âmbito da Teologia no mundo atual. Ele não fala qualquer coisa. Suas palavras são fundamentadas e ditas com simplicidade incomensurável. A igreja não quer pessoas que busquem a transformação, mas fica presa na ideia de autoridade enquanto garantia de um poder dogmático. Admiro muito o trabalho do Leonardo Boff na defesa pelos direitos humanos, mostrando um Deus amigo do povo, não um Deus que que ajuda na constituição de um poder hierárquico. A Igreja deve apostar no amor, no respeito à diferença, na fraternidade etc.

  14. RENÊ ROLDAN Postado em 16/Feb/2013 às 19:44

    Um sinônimo de coerência para mim é Leonardo Boff, e ler comentários infundados sobre ele é lamentavel. Democracia tem disso.

  15. Claudia L. Postado em 16/Feb/2013 às 19:51

    Camillo, a única coisa que consigo ler na sua resposta é: ninguém pode falar da igreja católica, ninguém pode opinar, criticar. A figura do Papa continua sendo, para muitos, a do intocável e perfeito - simplesmente ridículo tal idolatria. Gosto de Leonardo Boff pq ele e sempre ponderado e educado - coisa rara hj em dia. Uma pena que vc seja tão radicalmente contra a liberdade de expressão.

  16. Luiz Fernando Postado em 16/Feb/2013 às 19:56

    Camilo e Geraldino supõem que não posso tocar, muito menos questionar, alguém tão antiquado e conservador como Ratzinger. Como muitos brasileiros que hoje xavecam com o século XVI e, cada vez menos timidamente, clamam por coisas obscuras e passos para trás como a volta das mulheres ao status de "submissa ao homem".

  17. aristeu adão duarte Postado em 16/Feb/2013 às 20:11

    A Igreja Católica vive um momento muito delicado em que seu Líder Espiritual deixa sua Missão de conduzi-la, por considerar-se fisica, psicologica e espiritualmente limitado para esse sagrado mister. É importante reconhecermos as limitações de um homem em avançada idade frente ao universo dos gigantescos desafios deste momento contemporâneo da Igreja de Pedro. O que deve nos preocupar, por outro lado, são as considerações do próprio Papa Bento XVI sobre as questões relativas à divisão do poder que estão minando os caminhos eclesiais, o que nos leva a pensar numa crise interna da nossa Santa Madre Igreja. Que o Divino Espirito Santo ilumine as mentes dos Cardeais na escolha do novo Pontífice, alguém que possa - com sangue novo idéias novas, muita luz e Caridade - conduzir nossa Igreja que é feita de homens santos e pecadores...

  18. cecil Postado em 16/Feb/2013 às 20:19

    boa leonardo se eh q posso chamar o senhor assim mais admiro muito o trabalho do senhor e assino embaixo em tudo isso acrescentando q o senhor foi ate bondoso com o papa .. q alem do mais nao tinha carisma e esta enferrujado como a igreja aparecendo ate fanaticos como os carismaticos e estremistas de direita como aqueles q negaram o holocausto no mais q deus eleja um bom papa moderno capaz de fazer frente ao mundo moderno e nao retrogrado como esse q caiu com missa em latim eu nao aguento ... um papa capaz de ter peito pra fazer as reformas q reamente precisa assim como joao XXIII agora quanto a esse doido citando felipe de aquino ele tem q estudar mais e nao reproduzir pensamentos que nao sao dele ta igual um robozinho com medo de ir pro inferno pq o papa eh santo .. ele eh um homem .. e como todos falhos .. faço votos q o proximo tenha menas falhas , se eh que existe a palavra !

  19. Aguinaldo Luz Postado em 16/Feb/2013 às 20:37

    Frei Leonardo Boff a frente dos tempos e ao lado do povo sofrido e oprimido pela DIREITONA CONSERVATORISTA e ESCRAVISTA .Ele se porta exatamente como JESUS se portou diante dos PODEROSOS.

  20. Frederico Menezes de O. S. dos Santos Postado em 16/Feb/2013 às 21:42

    Concordo, em boa parte, com o que falou o Augusto e o Geraldino. A Igreja deve ser mais democrática, está próxima dos pobres, O Papa deve ser mais Pastor e está junto aos fiéis e menos conservador e poderoso. Ter mais abertura para o povo fiel e ser menos um museu e dogmática. Agora, tem algumas coisas, objetos de vários comentários, pessoas de outras religiões, etc que vêem apenas aquilo que se lhes convêm...Alguns exemplos: A Igreja não pode excomungar uma pessoa por ser gay ou lésbica mas a Igreja deve e tem OBRIGAÇÃO de dizer que isto é errado. Acham, vocês, que se Jesus Cristo, estivesse aqui agora diria para todo mundo que um Casamento gay é normal? que todas as pessoas do mundo deveriam ser casadas com pessoas do mesmo sexo? Como a espécie se perpetuaria? os animais dão-se dentro do mesmo sexo? É uma blasfêmia querer jogar a Igreja contra os gays...Os gays devem ser respeitados como são e ponto final. Não sou contra gays, cada um seja o que quiser. Nunca vi nenhum pai ou mãe dizer aos amigos:"-estou muito feliz na minha vida, tenho 3 filhos, dois rapazes gays e uma mocinha lésbica", ou então um pai ou mãe dizer para um filho:"-querido, escolha a vida que quiser, se quiserem case-se com uma mulher, caso contrário case-se com outra mulher". Humildemente não sou muito religioso mas vejo uns ponto-de-vista equivocados. Muitos querem que a Igreja seja moderna e democrática para coisas que a própria natureza humana condena. Nunca vi uma mãe dizer para uma filha:"-filha tome essas duas camisinhas porque se seu namorado quiser alguma coisa com você, estará protegida". Ou o filho de 9 anos dizer ao pai:"-pai leve essa camisinha pois poderá conseguir alguma namoradinha na farra com os amigos". Sabemos que essas coisas podem acontecer no dia-a-dia mas a Igreja institucionalizar que o uso de camisinha é normal e moderno? O que Diz as Sagradas Escrituras? As pessoas acham que é o Papa que não é moderno mas esquecem de Ler as Escrituras Sagradas. E o Aborto? Se o Papa falasse que o aborto deveria ser legalizado em qualquer situação seria, sim, um Papa Moderno mas qual a contribuição que estaria dando à milhares e milhares de famílias. São coisas que precisamos refletir. Não sou a favor e nem contra o Papa. Não tenho estudo suficiente para avaliar a sua saída. Muitas pessoas tornam-se doutores e, percebo, que quanto mais estudam mais hereges e ateus ficam. há uma decadência mundial tão grande, em nome da modernidade, que a família não dialoga com os filhos, vejo as pessoas que defendem suas religiões nos facebooks, twitters, etc. políticos, falso-moralistas, etc. Ñão estou a defender o Papa nem a Igreja Católica mas entendo, um pouco, que nós, brasileiros, somos cristãos, vindos do CRISTIANISMO...não deveriamos ter um embate desse nível. Uma pergunta simples: você conhece algum espírita Católico? conheço centenas...Então são Espíritas ou Católicos? o que falar do Papa, milhares de adeptos de Igrejas Evangélicas com seus Pastores? E aí esse embate é válido? Existem sites, home-pages, que só existem para denegris políticos e Igrejas...

  21. Dervile Postado em 16/Feb/2013 às 22:17

    Não conheço Augusto Camiloe Geraldino e menos ainda quero conhecê-los. Mas dá para perceber que suas opções não são as mesmas de Jesus. Conheço Boff, o admiro e bebo em sua sabedoria. Sua opção sempre foi clara e fiel ao Evangelho. Compartilho suas idéias e ideais. Quanto aos srs acima, permaneçam em seus castelos e práticas religiosas medíocres e medievais. Se isto faz bem, que mal tem! Mas aprendam a, pelo menos o que significa felicidade , solidariedade e principalmente respeito ao próximo.

  22. Norberto Lima Postado em 16/Feb/2013 às 22:34

    Bom seria se pudessemos sentir a presenca de Jesus... parece que isso, é que verdadeiramente está faltando. Um pastor de fato, nao um dono da verdade, mas alguem que verdadeiramente ame o próximo, que chame a todos para participar do Reino e nao do poder. Que poder???? Se todo o poder emana de Deus, que é dado aos homens gratuitamente como prova de amor e bondade de Deus, entao, é uma verdadeira afronta, alguem se achar dono da verdade, logo do poder. Leonardo, na sua humilde tragetória, tem contribuído muito. Mas fica meu recado aos donos da Igreja.... Ela nao é de voces... abram os olhos e vejam as acoes do Espirito, no mais humilde dos trabalhadores...é ali que nasce a Igreja, de pao dividido pelo suor do trabalho e nao pelo poder. Seria tao bom que o Espirito Santo, incendiasse os coracoes humanos na busca pela verdade e que todos os doutores, seja lá do que for tivessem a humildade de se sentirem homens, filhos de Deus ainda nesta Terra....

  23. Norma Almeida Souza Postado em 16/Feb/2013 às 22:46

    É aquele ditado popular: Opinião e trazeiro cada um tem a sua. Eu não posso dar um veridito final, porque eu não tenho estudo para isso. Porém, concordo com o Teólogo Leonardo Boff com suas colocações. E na minha ignorância eu acho que precisamos de um Dirigente Espiritual mais carismático e menos sizudo e principalmente justo. O que é errado é errado, o que é certo é certo. Não aceito encobrir o mal feito porque é Igreja, é Padre, é Bispo, é Papa, etc... Esconder a sujeira embaixo do tapete, eu não aceito. Como errar é humano e persistir no erro é burrice, vamos pelo menos lembrar o que escondemos dos outros, pode não ser visível aos outros, mas, para DEUS é impossivel ficar no anonimato. Como Ele (JESUS), diz "Nada ficará encoberto". Eu prefiro CRER exclusivamente no CÉU do que em Templos, em DEUS do que em Homens. O Senhor Jesus nunca me cobrou um centavo para me orientar e sempre teve tempo de ouvir os meus pedidos e me aceita do jeitinho que eu sou. E tem mais; nunca me decepcionou. Portanto nas minhas orações sempre peço ao Espírito Santo que ilumine a Mente dos nossos Dirigentes Espirituais para que eles nunca faltem com a verdade. Mesmo que doa, mas é a verdade.

  24. Vânia Maria de Vasconcelos Postado em 16/Feb/2013 às 23:24

    Leonardo, não tenho o conhecimento teológico aprofundado, mas o que sei me basta, na Igreja Católica só há um pastor, Jesus.

  25. valdemir Postado em 17/Feb/2013 às 00:09

    Isso é uma piada! o CAMILO foi contestar os agurmentos do Leonardo e ao postar as "benfeitorias e curriculo" do autofalido papa só confirmou toda crítica feita na entrevista. Ficou até mais claro entender os rumos da igreja e a sua falência. E Sendo assessor direto de João Paulo II, só demonstra que teve sua responsabilidade direta em uma epóca de perseguição como orgao repressor aos que clamassem por justiça, ou, por uma igreja mais humana e por consequencia mais santa.

  26. Mário Walraven Postado em 17/Feb/2013 às 00:00

    Frederico Menezes de O. S. dos Santos foi quem melhor falou!!! Acrescento só que fico triste com o que está acontecendo e aqui é o retrato desta realidade: o radicalismo de ambas as partes, com alguns conservadores de um lado e outros mais querendo combatê-los. Ainda outros só com o desejo de desconstruir. É uma torre de babel e isso é próprio da raça humana. Só Deus mesmo para julgar-nos pois é o único capaz de amar e perdoar um povo desses .

  27. RôOliveira Postado em 17/Feb/2013 às 06:09

    Sou católica ,admiradora do trabalho de Leonardo Boff. Como posso ser contra uma pessoa que prega a igualdade, a tolerância,a justiça social?Não eram essas ideias pregadas por Jesus ?

  28. Ana Postado em 17/Feb/2013 às 06:18

    Discussão eterna. A filosofia da igreja, ou a idéia evolucionista de Darwin, este é o verdadeiro ponto de interrogação. O não uso de camisinha para se evitar a procriação , onde o evangélio diz ” Crescei e mutiplicai-vos” (lembrando q no sec I não haviam problemas sociais ); não havia a discussão do casamento gay, pois o temor a Deus era interpretado ao pé da letra pelos pastores de então; onde as pesquisas com células tronco sequer eram imaginadas, portanto, não era confrontavam com o pensamento filosófico religioso de então; onde a pedofia não era conhecida, e se o era, não era divulgada. Enfim, temas desse porte, realmente abalam a estrutura clerical. Faz com que o pensamento da igreja, sucita discussão como essa . Se o Papa esta certo, acho que sim, pois segue seu pensamento. Ele foi até onde podia. Teve coragem em se despedir de nós, seres humanos para fazer aquilo, que para ele sempre foi seu Dom, PENSAR, ESTUDAR. Quanto a Leonardo Boff, espero q ninguém discorde q ele é um grande pensador da filosofia religiosa atual.

  29. Thildder Oliveira Postado em 17/Feb/2013 às 06:49

    Tô avaliando a página, sempre estarei em contato com ela, mas este é o momento de leitura profunda, de visão holística... Para isto não posso ser relativista, nem tão pouco buscar uma visão absoluta das coisas ao meu lado... Parabéns pela página...

  30. JULIO Postado em 17/Feb/2013 às 08:32

    Li a entrevista e alguns comentários. Confesso que senti muita pena de Augusto Camilo e Geraldino. Quem será o responsável/responsáveis por esta deformação encefálica??!!! Esse é o pior crime das igrejas fundamentalistas: destruir toda capacidade de raciocínio do ser humano e incutir um discurso pronto e falido! Que Deus tenha misericórdia dessas almas desprovidas de senso crítico.

  31. margarida Postado em 17/Feb/2013 às 09:31

    UM PASTOR SERVE PARA CONDUZIR OVELHAS, E OVELHAS SÃO DE FORMA GERAL SEGUIDORAS AONDE A LÍDER VAI AS OUTRAS SE ENCAMINHAM, SEM PESTANEJAR. NO MUNDO DE HOJE COM AS CARACTERÍSTICAS DIVERSAS E UM POVO COM EXCESSO DE INFORMAÇÕES, HÁ UMA DIFICULDADE INATA QUE ISTO ACONTEÇA, O CONSENSO É RESTRITO A UM NÚMERO CADA VEZ MENOR DE PESSOAS, DISCORDO ABSOLUTAMENTE DE LEONARDO BOFF. O PAPA RENUNCIOU POR NÃO ENCONTRAR FORÇAS FÍSICAS PARA SE OPOR A BARBÁRIE QUE SÃO OS BASTIDORES DO VATICANO, NADA A VER COM FÉ, PODE SER UM PAPA EXTREMAMENTE CONSERVADOR, MAS NESTE MUNDO CAÓTICO HÁ NECESSIDADE DE UM CERTO ORDENAMENTO SENÃO VIRA O CAOS. A IGREJA CATÓLICA TEVE EM JOÃO PAULO II, UM PASTOR E O QUE DAÍ RESULTOU , OS CATÓLICOS BEM INFORMADOS SABEM MUITO BEM. É FÁCIL OPINAR QUANDO SE AFASTOU DE TUDO QUE REALMENTE IMPORTAVA POR TER SIDO RESTRINGIDO EM SUAS ATIVIDADES. LUTAR CONTRA É PARA OS FORTES, CONSIDERO LEONARDO BOFF UM DESERTOR E UM SER HUMANO FRACO.

  32. Flamarion Pelúcio Postado em 17/Feb/2013 às 09:49

    No final, a questão resume-se à eterna pretensão humana de deter a verdade. Cada um acreditando que pode, e mais, deve, influenciar sobre os destinos da humanidade como um todo. Então, eis a minha verdade: não creio na Igreja Católica Romana como sendo uma via para a minha evolução espiritual. Ao contrário, acredito que ela, a Igreja, tem uma estrutura humana que a faz falha e cheia de defeitos como qualquer uma outra instituição social. Creio na possibilidade da minha religação com o Divino sem a interveniência de qualquer sistema de crenças e regras, pois todos são aprisionadores da Alma humana. Qto. ao meu Irmão Boff, admiro-o como intelectual e homem de fé. Junto-me aos que trabalham pela Paz Mundial, pela construção de uma sociedade mais justa, mais igualitária e de mais liberdade para todos. Abraço fraterno a [email protected]

  33. Flávio Postado em 17/Feb/2013 às 10:08

    .JESUS É MUITO DIFERENTE DESSA RAÇA DE VÍBORAS RELIGIOSAS.

  34. Marco Postado em 17/Feb/2013 às 11:33

    Li, atentamente, o texto do Leonardo Boff, assim como li, não menos atentamente, os comentários postados à seguir, e cheguei à conclusão de que sempre estive certo: ao me afastar da Igreja Católica, elegi como minha religião Jesus, seus ensinamentos, seus exemplos. A bandeira da Igreja Católica Apostólica Romana, como as bandeiras das demais Igreja, nada mais são do que meros partidos políticos, vendilhões do Templo mesmo, que têm interesse em conseguir auferir para si, e apenas para si, as "benesses" do poder. E que Jesus nos ilumine.

  35. messiascnn Postado em 17/Feb/2013 às 11:49

    Parabéns, Augusto Cnamillo, por suas palavras.

  36. Patricio Duarte Postado em 17/Feb/2013 às 11:57

    Prezado Augusto Camillo. Parabéns. Venho por meio desta lhe comunicar que o Sr foi aprovado com louvor na disciplina LAVAGEM CEREBRAL. Att. Patrício Duarte

  37. José Roberto Postado em 17/Feb/2013 às 12:20

    Acredito que o tema mais importante aqui, não é razão da renúncia, que é quase clara para a maioria das pessoas. Não sou teologo, apenas um humilde leigo.Ao meu ver uma pessoa que se posiciona ao lado de uma Igreja conservadora, retrógada e que não quer abrir mão de pensamentos de 20 séculos, de fato pensa como Ovelhas, e isso é um direito que lhes cabe, por outro lado, chamar Leonardo de fraco, é como assinar o próprio atestado de incompetência de falar ou escrever, afinal ovelhas não fazem nem uma coisa nem outra. Um homem ou mulher que tem a coragem de pensar por sí, e expor esses pensamentos mesmo que sejam contrários à grande e poderosa Igreja Católica, é um ser de muita coragem e merece ser ouvido e respeitado. O povo quer alguém que fale a língua deles, que esteja próximo deles, que viva no mesmo mundo que eles, que sinta os problemas da vida como um ser humano normal de HOJE, que tenha muita empatia e carisma e que seja prá nos ajudar em nosso espírito, não atrapalhar como proibir o uso anti-concepcionais etc..., afinal estamos no ano de 2013 e não 13. Que venha um NOVO Papa, com idéias coerentes e ajude a tornar a Igreja Católica mais adaptada aos nossos dias.

  38. Maria Postado em 17/Feb/2013 às 12:58

    não devemos adequar JESUS à nossa maneira de pensar e sim nos adequarmos à sua palavra, a sua vontade que é soberana, boa e agradável, e só ela pode mudar a nossa maneira errada de ver as coisas, pois se pelo espirito mortificardes os feitos da carne vivereis, e a verdade não está escondida num homem e sim em DEUS.

  39. paulo Postado em 17/Feb/2013 às 13:14

    olha, eu estou cansado de todas essas coisas maléficas das trevas, praticadas por quem que seja. homens ou anjos,ou até conjuntamente. Mas debaixo da graças maravilhosa do Deus vivo e ativo. Graças Deus, não deixo de crer que Jesus está assentado à destra do todo Poderoso e é Senhor da terra e do universo. Aleluia e, nós estamos em Deus.

  40. alexander nassau Postado em 17/Feb/2013 às 13:31

    COMO ESSA MULTINACIONAL TEM DEFENSORES, NÃO?! IMPRESSIONA COMO, MESMO ASSIM, ELA TENHA (COMO DIZ A CARTA CAPITAL DESTE MÊS - AS OUTRAS REVISTAS NÃO TÊM CONDIÇÕES PARA ISSO) TANTOS BURACOS, TANTAS INCONGRUÊNCIAS E DESPAUTÉRIOS... SANTA EMPRESA! ESSA COMOÇÃO MUNDIAL PELO AFASTAMENTO (TARDIO) DO EX-SOLDADO DE HITLER DO TRONO VATICANO CHEGA A SER BREGA. O TOM QUE REPÓRTERES DA REDE GLOBO DÃO À TRAGÉDIA (o BBB não tem dado a audiência necessária, e o futebór mal retomou o ritmo de ópio), A ANSIEDADE DE OUTRAS MÍDIAS... MUITO PREGA E PREJUDICIAL A ESTE JÁ MALFADADO MUNDO. LEONARDO BOFF, RESISTA E DIGA!!!

  41. Marta Postado em 17/Feb/2013 às 13:53

    Marta, 17 de fevereiro de 2013. Sou evangélica, porém comungo com as idéias de Leonardo Boff, temos que exercer a misericorida e a compaixão, afinal não nos orgulhamos tanto em levar o nome de cristãos, ou seja seguidores de Cristo. Jesus amou até os seus algozes, deixando nos o exemplo que como irmãos devemos acolher a todos. E esta é a menssagem de Boff. Parabéns a todos que pensam como o nosso querido irmão Leonardo, ele sim é um exemplo de fé.

  42. Walace Postado em 17/Feb/2013 às 14:58

    A queda de Bento XVI é reflexo de uma Europa caída e sem perspectivas de encontrar caminhos fora de pensamentos fechados (sejam eles econômicos, religiosos, sociais, etc.) e fora de uma rigidez imobilizadora. A Europa, como um todo, precisa se repensar e a queda do "monarca" do Vaticano foi a gota d'água ideológica que somente reforça a ideia de uma Europa falida, imóvel e desestruturada.

  43. Josivane Sales Postado em 17/Feb/2013 às 16:14

    Augusto Camilo sua eloquência é impressionante, agora, o que realmente me deixa intrigada é : Como alguém que visivelmente teve acesso a educação e a cultura consegue se manter tão brutalmente ignorante? Geraldino, apesar de compartilhar de sua revolta com as negociatas da igreja católica, e não falo só da atualidade (desde sua formação temos venda de indulgências, de relíquias sagradas, entre outras) comparar o Boff com o Coelho é F… Compartilho da revolta, discordo do radicalismo mas respeito sua opinião. E por ultimo, mas não menos importante … Fernando Silva … Vc quer ser meu amigo ??? kkkk .Texto perfeito, bem escrito, idéias claras, objetivas e coerentes.. Parabéns.

  44. Alexandre Postado em 17/Feb/2013 às 17:12

    Por que ao invés do Leonardo Boff ficar criticando e julgando o Papa, ele não expõe claramente, as pessoas aqui, o que ele defende? Que tal ele começar a falar sobre Nova Ordem Mundial um movimento de natureza totalmente anti-cristã? Que tal falar sobre seu posicionamento sobre aborto, eutanásia e imposição para a sociedade do homosexualismo? Vamos expor as coisas que esse ex-padre defende. Leonardo Boff se Cristo não te serve vai seguir aquele que te inspira. Seja no mínimo um homem.'.

  45. DOM LUIZ FERNANDO-Bispo de Fortaleza-ICAB Postado em 17/Feb/2013 às 18:32

    Parabens Leonardo, por sua coragem e principalmente coerencia a verdadeira mensagem de Jesus.

  46. Ana Postado em 17/Feb/2013 às 19:14

    JULIO, comentário fantástico, parabéns!

  47. Cláudio Peró Postado em 17/Feb/2013 às 20:19

    Vou repetir: ELE não veio ao mundo para pregar, para os grandes, ricos e poderosos. ELE pregou para os pequeninos, cercou-se dos simples. Mandou Pedro fundar uma Igreja, a unica e a verdadeira Igreja, as outras são dissidências ou apelações; mas é Igreja dos Homens, como os homens, digo feito de barro; o que a mantem por milênios é a inspiração do ESPÍRITO de DEUS, daí se tornando a propagadora da fé em CRISTO JESUS. O que nós e estes teólogos temos a mania de complicar, de afastar, da Simplicidade, da PALAVRA.

  48. André Santos Postado em 17/Feb/2013 às 20:53

    Boff, desça a tabica nesses retrógrados!

  49. Ariovaldo Hauck Postado em 17/Feb/2013 às 22:04

    Parabens Julio, acrescente a Margarida na lista. È por esta conduta vaticana que o catolicismo cresce ... como rabo de cavalo ... para baixo, infelizmente. Quem quizer conhecer profundamente esta dicotomia, vá visitar a capela de Francisco , em Assis. Que enorme decepção!! Tanta riqueza e luxo a deturpar a humildade de Francisco. Graças a Deus temos um Leonardo Boff a nos iluminar!!

  50. Ismael Postado em 17/Feb/2013 às 22:31

    Penso o Augusto Camilo como mais um fundamentalista neoreacionário cançãonovista e baba ovo dos autoritários ao estilo opus dei da igreja paulista que mama nas tetas dos governos demotucanos desde de Mário Covas. Idiota.

  51. Paulo Scheunemann Postado em 17/Feb/2013 às 22:32

    A Igreja de Constantino está cada vez mais próxima de econtrar seu lugar ideal no mundo: um museu de arte, história... Já basta todo estrago que essa instituição fez na manipulação da humanidade, as milhares e milhares de vidas que foram sacrificadas, destruídas, abusadas, por essa instituição tarada por Poder, riqueza terrena e influência! Que fique cada vez mais obsoleta e sem relevância, para que enfim, a verdadeira igreja de Cristo: a humanidade, esteja livre dos grilhões e julgo pesado dessa instuição absolutista. A fé permanece, assim como tem permanecido mesmo nos tempos mais tenebrosos do mundo, nas pessoas, nos indivíduos, e não numa instituição corrupta e dominadora do mal! Que todos os católicos Romanos, ou não, sejam libertos pela liberdade já garantida em Cristo, muitos o são em realidade, verdadeiros santos, conheço muitos católicos amáveis e que participam de suas comunidades com respeito, e que mesmo que não se deem conta, já a muto não comungam com esta velha instuição, essa verdade de fachada que usurpou pra si o nome de Cristo, muitos já foram libertos pelo amor, e longe estão desses tentáculos... Espero que toda religião institucionalizada e hierarquizada acabe, e junto com ela toda dominação e exploração. A única cabeça da igreja é o Amor, e debaixo dEle, está toda a humanidade em fraternidade, sem títulos, sem complicações teológicas, farisaícas, de doutores e mais doutores da lei, e que cada um busque sua própria verdade, e não tenha que ser constrangido por culpa, medo, ameaças, pecado, autoridades, potestades, a engolir verdades que sustem uma elite religiosa que se autovalida nessa politicagem! É vergonhoso como a mídia brasileira tem medo dessa instituição, não busca informar ninguém do que aconteceu e continua acontecendo no vaticano e no mundo, isso sim é um "silêncio obsequioso"!

  52. ALAIR Postado em 17/Feb/2013 às 22:33

    As teorias sobre o futuro da igreja têm pouca importancia frente ao sentimento de desamparo e abandono dos seus fieis e seguidores.O rumo que a igreja segue está cada vez mais distante do que promente o discurso das bem aventuranças.Assim o que resta a todos é procurar os "melhores rumos" em busca da paz e do crescimento espiritual.

  53. maria de fatima leal ismael Postado em 17/Feb/2013 às 22:37

    Posso até compreender essa atitude de absoluta falta de pensamento crítico em relação à Igreja Católica uma vez que ela ,a instituição sempre pretendeu esse comportamento.No entanto se pensarmos um pouquinho saberemos que Jesus Cristo era um pastor e cuidava de seu rebanho muito bem.E como fazia isto? Através de suas pregações.Leonardo Boff não é apenas um grande teólogo,mas um ser humano possuidor de uma lucidez ímpar.Ele conviveu com o então cardeal Ratzinger,ele o conheceu melhor do que qualquer um de nós,ele tem propriedade para falar sobre esse pobre pontificado que (espero eu que realmente termine e não fique pelos bastidores).Fiz alguns cursos de teologia e em vários textos que li o que o cardeal Ratzinger dizia era totalmente contraditório ao que Bento XVI diz(será que era realmente a mesma pessoa?) .Infelizmente o poder tem esse atrativo.Não foi atoa que Jesus Cristo disse :Vá de retro satanás.Não está escrito que não tentarás o filho do Homem?Resumo a minha opinião assim : Igreja Católica ou qualquer outra = instituição feita pelo homem,portanto falível e cristianismo= a crença e o seguimento das palavras de Jesus Cristo.Maria de Fatima

  54. LEONILA Postado em 17/Feb/2013 às 23:03

    CINTO MUITA TRISTEZA EM VER TANTA DISCÓRDIA NO MEIO DO POVO CRISTÃO,DISCUSSÃO FUNDAMENTADA EM FORMAS DE INTERPRETAÇÕES DIFERENCIADAS, CADA UM TEM UM CAMPO DE VISÃO DIFERENTE O QUE AGRADA UM DESAGRADA OUTRO,TANTO O PAPA COMO LEONARDO BOFF SÃO DOIS MEGA CRISTÃO TRABALHANDO PARA O BEM DO POVO, NÃO DEVEMOS JULGAR SEUS MODOS DE PENSAR OU AGIREM,E SIM AGRADECER A DEUS PELA VIDA DELES,SÃO AS DIFERENÇAS QUE NOS FAZ CRESCER.

  55. Celso Antonio Postado em 18/Feb/2013 às 00:14

    Bom,o Augusto ao citar o Prof. Felipe Aquino dai podemos depreender de onde vem a sua cegueira religiosa, Canção Nova e a Associação Montfort, os rebotalho do conservadorismo....

  56. Paulo M Leite Postado em 18/Feb/2013 às 05:52

    A "Folha de São Paulo" bem que poderia republicar, na ordem certa e na íntegra, a lucida entrevista de LB, assim estaria contribuindo com uma profunda reflexão de um colega e contemporâneo de Bento XVI, justamente em um momento crítico da Igreja Católica, instituição milenar de importância transcendental para os milhões de fiéis e para o mundo. "O mundo paraliza e isola as pessoas das outras pessoas"LB. Convenhamos, com todo respeito, o comentário de Augusto Camilo é muito emocional.

  57. ELAINE GUEDES Postado em 18/Feb/2013 às 06:10

    Assistindo AGORA, esses dias, não consigo mais deixar de ver aquelas mesmas atrocidades e tentativas de impor um único ponto de vista a todo momento, seja ao ler sobre o Afeganistão, momentos atrás, seja lendo esse debate virtual acima. Enquanto a filósofa Hipatia se preocupava sozinha com o movimento dos planetas, outros destruíam a biblioteca e si mesmos com imensa violência e "verdade". Tanta simplicidade, o ser humano não mudou. A imposição e a certeza continuam a ser o único caminho para a maioria, enquanto o desconhecido e o imenso benefício da dúvida, da descoberta, do olhar o mundo com a felicidade de desconhecer quase tudo, em que tudo é bem maior que nosso universo individual...O ser humano ainda quer a segurança da verdade absoluta. A grande coisa que o Leonardo Boff disse foi: o medo é que atrapalha a fé. E na verdade é o medo da verdade do outro suplantar a sua que faz tanta desarmonia e palavras sarcásticas ou exageradamente emocionais estarem em todo lugar, desde Alexandria até hoje. Fora , claro, os jogos de poder que envolvem muito, mas muito benefício material.

  58. Paulo M Leite Postado em 18/Feb/2013 às 06:11

    Ratifico o comentário

  59. Rita Fortunato Postado em 18/Feb/2013 às 06:55

    Sou católica e só sei de uma coisa: a partir de agora infelizmente o Vaticano não será mais confiável o nosso Papa a partir de agora será apenas JESUS.Esses teólogos frustados podem colocar a opinião que quiserem com tanta radicalidade ,no mundo terrível que estamos vivendo quem teria moral pra dizer o que é correto para o PAPA e para nós pobres mortais? Continuo católica graças a Deus mas com muito cuidado a respeito desses dogmas de nossa igreja que está muito medieval pra esses tempos.(Vamos acordar para a vida senhores teólogos)

  60. VERA CRUZ Postado em 18/Feb/2013 às 07:58

    cada comentário que li, demonstra o perfil de cada comentarista...não pertenço a nenhuma religião ortóxica, porém, primo pela liberdade, com responsabilidade e que hajam regras e cuidados nas leis impostas...somos livres para caminharmos nas direções que escolhemos ...ninguém tem o direito de insultar o outro com maledicências, julgamentos... o mundo seria mais humano se houvesse respeito entre todos e, dessa forma, aceitar o outro com ele é...

  61. eliane Postado em 18/Feb/2013 às 10:13

    continuo pensando q apesar d nao ser possivel ( tombado ) , o vaticano deveria ser privatizado. qta opulencia, qtos gastos. deus nao criou religiao, igrejas, templos, sinagogas. imagina, beijar o anel papal pa receber a comunhao. me poupem. vale dizer q nao tenho ligaÇao com nenhuma religiao pois considero todas manipuladoras.deus nao precisa d intermediarios. os templos ( catolicos, evangelicos ) devereiam transformar - se em casa pa os desvaidos !!sobre boff nao concordo com invadir terras como ele comanda !!! absssss da eliane

  62. Thadeu Madureira Postado em 18/Feb/2013 às 14:23

    A única coisa que me causa adimiração no caso do Leonardo Boff é ele não ter tido a percepção de que todas as religiões, sem excessão principalmente, a Catolica Romana são sistemas de poder. Para ter uma religião é nescessario abdicar do livre pensar e subordinar-se aos dogmas e ideias da religião escolhida. Ele devia ter pansado nisso e não seria nescessario passar pela humilhação de ser julgado pelo Santo Oficio. A Igreja se considera Mater et Magistra ao estilo antigo e não vai mudar. JoãoXXIII tentou e não deu em nada a não ser a missa não ser mais resda em latim e o padre de frente para os fieis ( veja bem: fieis). De resto a Curia Romana castou tudo.

  63. VALÉRIO Postado em 18/Feb/2013 às 14:34

    Esqueçam todas estas discussões que não levam a lugar algum. Preocupem-se apenas com o papel que a igreja católica ocupa nestes últimos dias como a grande prostituta de apocalípse e com o significado das profecias.

  64. Maria Auxiliadora de O.Machado Postado em 18/Feb/2013 às 16:03

    Todas as instituições politicas e religiosas e o que mais houver têm aquela trava no olho citada por Jesus. Quanto mais falam uma da outra mais cegas ficam com as próprias incoerências.

  65. tiago barufi Postado em 18/Feb/2013 às 16:58

    Adoro a maneira lógica como os católicos enxergam o combate à discriminação de homossexuais. Fazem escândalo e se referem à IMPOSIÇÃO do homossexualismo como se alguém realmente fosse os obrigar a fazer sexo com alguém do mesmo sexo. Repetem diatribes e ameaças do deus ogrão da Idade do Bronze, que adorava uma fumaça de churrasquinho de sacrifícios. É no mínimo suspeita toda essa preocupação com a sexualidade: será que, na verdade, não se trata de um certo medo de seus próprios desejos disfarçados? Será que o Augusto Camilo tem medo da parada gay porque sentirá algum desejo irresistível, que é proibido pelo manual de instruções que, entre outras coisas, abençoou a escravidão, o incesto e o genocídio dos povos inimigos? Alegar a obrigatoriedade do homossexualismo como imposição de alguma "nova ordem mundial" me soa tão ridículo quanto querer obrigar alguém a crer nesse amigo imaginário de hábitos vingativos. Tem muita gente com saudade do tempo em que essa doutrina bizarra era imposta sem questionamento às crianças.

  66. marcos Postado em 18/Feb/2013 às 18:27

    [email protected], Sou católico, mas também sou flamengo. Lendo alguns comentários sobre a entrevista, lembrei das rivalidades futebolísticas que às vezes terminam em agressão física, pancadaria, morte... Da mesma forma que evoco o lado olímpico do esporte, uma festa entre nações, para lembrar que mais importante do que a diferença entre torcidas, o que vale mesmo é a grande festa de um bom jogo de futebol, penso que as rivalidades de opinião acerca da religião - ou das religiões - poderia guardar o espaço adequado para o bom diálogo, aquele em que ouço e aprendo com o outro, mesmo quando não concordo. Afinal, a sagrada oportunidade de não egoísmo implica no amor ao próximo especialmente quando o próximo, justamente por ser próximo, tem sua opinião e percepção própria. Em favor do verdadeiro sentimento de amor e união que todas religiões inspiram, lembrando de que "quem não está contra Mim, está por Mim", deixemos de lado a rivalidade e a hostilidade, valorizemos a diferença como oportunidade... Um abraço fraterno, Marcos

  67. Filipe Postado em 19/Feb/2013 às 05:39

    O comentário do Augusto Camilo demonstra quão inútil e retrógrado é o pensamento mantido por alguns católicos que visa imprimir ao mundo suas concepções de filosofia. Preconizam um Deus que somente eles conhecem e são capazes de entender: para confirmar seus dogmas mataram milhões e mantém a alcunha de hereges todos aqueles que pensam e agem diferente de seus preceitos ridículos. Como disse Rubem Alves: "O maior pecado das religiões é pensar diferente". Leonardo Boff e tantos outros foram punidos com o silêncio - por que estavam no século XX, pois se estivessem séculos antes e o tribunal que o condenou se chamasse de Santo Ofício seu destino seria a fogueira ou masmorra - por que pensaram diferente. A Igreja não pode mais continuar impondo ideais que atrapalham a vida de quem não escolheu viver sua doutrina. Criminalização do aborto, condenação a homossexualidade entre outros, que eles mantenham dentro de seus templos para seus fieis. Quem deu a Igreja o direito de negar todos os direitos?

  68. Cesar Ricardo Postado em 19/Feb/2013 às 10:16

    Meus Deus, de onde saíram as ideias apresentadas por este Augusto Camillo e Felipe Aquino (novo Tomás de Aquino? rsr), mais parece uma incíclica reerguendo o INDEX e acendendo novas foqueiras da nefasta INQUISIÇÃO. Torquemada perde e longe, heheheh!!! Quanto atraso!

  69. Antonio H Postado em 19/Feb/2013 às 13:55

    Parabéns Augusto Camillo pela sua crítica. Muito voraz e consistente. De fato, o pessoal do relativismo pós-moderno (q juram q pensam de modo autentico... oh dó, quanta ingenuidade), realmente não vai entender a Fé Católica... afinal, o q a Igreja prega é loucura para o mundo; sempre o foi e sempre será assim. Que Deus abençõe o papa Bento XVI e a Igreja Católica , e continue protegendo a Sua Igreja de hereges como Leonardo Boff.

  70. brasileiroligado Postado em 20/Feb/2013 às 14:01

    essa foi uma das discussões mais absurdas que eu já havia lido. como pode haver ainda hoje gente tão fanática e cega? Parabéns Boff. Interessantíssimo ponto de vista.

  71. Leonardo Boff Postado em 21/Feb/2013 às 20:29

    Achei interessante a entrevista. A articulação e argumentação de meu são, realmente, incríveis. (omito, solenemente, minha opinião sobre o assunto)

  72. Luiz Postado em 22/Feb/2013 às 16:52

    O que Bento XVI tem exortado nestes últimos dias, com referência principalmente à verdadeira conversão, à hipocrisia religiosa, etc., é o que vemos de forma clara e redundante em Leonardo Boff. É um pavão a se gloriar de ter sentado como e no mesmo banco de Galileu Galilei, só fala no "Santo Ofício", como se isso fosse o mais importante acontecimento de sua vida! Deve ter sido mesmo e foi uma pena a Igreja ter investido tanto tempo e dinheiro numa pessoa como ele, sem humildade alguma e que como tantos milhares que a gente conhece: se fazem intelectualmente na Igreja e depois saem falando mal dela! Que Deus tenha misericórdia para com ele!

  73. Adão Postado em 22/Feb/2013 às 22:54

    Vivenciei e senti na pele e no coração a verdadeira fraternidade. A Igreja VIVA, no meios de povos , representativos de várias raças, categoria, profissões, pobres e ricos....do mundo todo. Uma verdadeira COMUNHÃO...o que prega JESUS no caminho , conversando com os APÓSTOLOS, em Atos dos apóstolos. E lá estava Leonardo Boff, assim como outros representantes fiéis da Igreja Católica,( Clodovis Boff, Marcelo Barros, Frei Beto, Dom Pedro Cassadaliga, Dom Celso, Dom Antonio... ) comprometidos com o amor, carinho, liberdade de expressão, evolução pessoal e defesa dos oprimidos...Foi no 6º Encontro Interreclessial das Bases - CEB's - em Trindade - Goiás, realizado em julho/1986, com o tema "CEB's - O povo de Deus em busca da terra prometida" As verdadeiras comunidades de base que os CARDEAIS CONSERVADORES, MILIONÁRIOS do Vaticano extinguiu . Verdadeiras experiências de comunidade, vivenciada com muita fraternidade, entre índios, negros, pobres, ricos e outras categorias...Era um início de uma transformação global, que iria abalar a estrutura politica do globo terrestre e principalmente da America Latina. Hoje, com 53 anos de idade, já com bastante vivencia, relembro, que a história da Igreja católica, decaiu muito. Está sem vida,mecênica, robotizada, fria, distante do povo. Em um mundo globalizado, com o advento do conhecimento tecnológico, da razão e da transformação, ainda tem gente que defende esta igreja que voltou ao regime pré-histórico, dos momentos de "torturas mentais inquisidoras" Ora, faça-me o favor, Senhor Augusto Camilo, você, com certeza, nunca sofreu privações na vida, para defender o conservadorismo desta igreja ainda medieval. Rezemos por você. Leonardo Boff, continue com a sua missão. Abraços Fraternos! Eu te admiro muito.

  74. Wallace Pintão Teixeira Postado em 23/Feb/2013 às 15:50

    Eu não sou a favor e nem contra. Muito pelo contrário.

  75. Carlos Postado em 24/Feb/2013 às 12:02

    Leonardo Boff demonstra cada vez mais que não há nada de doutrina cristã em seus discursos relativistas,ateistas, marxistas e esotéricos logo nenhum cristão verdadeiro que conhece verdadeiramente a Bíblia, a Sã Doutrina e a história não contaminada irá dar ouvidos a não ser indivíduos contaminados por vãs doutrinas falsas e ridículas que tenham um horizonte histórico contaminado por tais teorias e que não enxergam um palmo à frente do que é salutar para nossas almas e vidas verdadeiramente.

  76. Junior APS Postado em 25/Feb/2013 às 12:50

    Boff, você deveria sim, comentar e não omitir-se. Não me parece "uma voz que clama no deserto..." Acredito na Santa Igreja Católica e Apostólica Romana e no Papa. Quanto aos comentários acima, contra a minha Igreja, acho infundáveis.... Queridos, quem não for capaz de DEFENDER a Santa Igreja, não a ataque, saia dela. Isto seria muito mais "humano" e "menos inquisitivo". Mais uma coisa: A Igreja Católica que estão dizendo que está afundando é a ÚNICA Instituição que atravessou 2 milênios e sofreu muito mais do que pobres "leigos" irão saber.. Se não conhecemos a história como ela é, por favor, não a distorçamos. Deus vos abençoe

  77. Márcia Faria Postado em 26/Feb/2013 às 10:54

    Vou dizer uma coisa, esse tal Leonardo Boff, é apenas um candidato a ser filho de Martinho Lutero,e deve gostar tanto deste ser indigno de Martinho Lutero que até o imitou,deixando de ser Padre ou Frei, para se casar com uma mulher separada e com filhos, então neste caso o que ele quer é um Papa que aceite os padres da teologia da libertação, tipo o cardeal Evaristo Arns, que faz parte desta erva daninha, mas Deus é Pai esses cardeais da teologia da libertação ou carismáticos não ah de ser Papa, ah menos que eles sejam , para que os fiéis aprendem a dar valor na verdadeira Tradição, quando esse Papa começar a pregar sobre mãe terra, animais enfim , pregar mais sobre coisas mundanas do que em Deus ou em salvação das almas, ou seja não levar as pessoas arrepender de seus pecados, mostrando que o reino é deste mundo. Aí salvem -se quem puder pois vai ser caos e mais caos, rezemos!

  78. Leonardo Cesar Postado em 26/Feb/2013 às 12:31

    O Sr. Leonardo é mais um daqueles que diz coisas que nunca fez ou venha fazer. Um acomodado querendo se revistir de humildade e não passa de pura soberba e cheio de coisas ruins como seus adeptos sacerdotes da teologia da libertação que fala de pobresa mais nunca moram no meio delas e jamais podem contraria-los, loucos por dinheiro e procuram poder, pois falam de uma tal de libertação mais são mais amarrados em suas vontades e que Jesus para eles, é apenas uma maneira de ter onde se apegar para serem ouvidos pelo povo humilde e, que até posso arriscar em dizer, que eles ainda não conhecem Jesus realmente se o conhecesse viriam na face de seus superiores e principalmente do Santo Padre Papa Bento a figura de Jesus como seu legítimo sucessor. Sr. Leonardo, dobre os joelhos se revista de humildades assim quem sabe você possa ser ouvido. Desculpe o desabafo, mais é pouco pelas bobagens que este coitado diz em sua entrevista e que não consegue ficar em seu lugar e, por favor pare de ser um cancer para Igreja. Já deu o que tinha de dar, creia nisso, peça desculpas e se converta verdadeiramente.

  79. Elânio Araujo Postado em 27/Feb/2013 às 08:57

    Minha gente o problema hoje enfrentado é que o Concilio Vaticano II foi mal interpretado... concordo plenamente com quem disse que "qq instituição que não tenha regras vira bagunça" (se não me engano foi Augusto Camillo)... O que a maioria dos catolicos fazem hoje em dia é interpretar os documentos da igreja, sejam eles: magisterio, sagradas escrituras, enciclicas, catecismo da igreja, etc. da forma que lhe convem e que lhe é mais agradavel, esquecendo que quem deu a sabedoria para ser escrito tal documento foi o Espirito Santo, e que o papa em exercicio apenas fez o seu trabalho de "Colaborador da verdade" (que é o lema do pontificado de Bento XVI) o papa é a pessoa em quem temos por pai, nós enquanto filhos ficamos atentos aos conselhos do nosso pai (ou mãe) biologico, e se não seguimos tal conselho o que é que acontece? tudo da errado, parece até que é uma praga, mas não eles foram iluminados a luz do espirito santo para nos ensinar e prepararnos para vida, da mesma forma o Papa, ele nos educa para seguirmos bem o caminho de cristo, qual criança tem a capacidade de guiar um carro ou qq meio de transporte melhor de que seu pai ou mãe? acredito que nenhuma, da mesma forma pergunto, quem, a não ser o Papa que foi escolhido pelo Espirito Santo, tem as melhores condiçoes de guiar a igreja confiada por Jesus a Pedro? não foi o proprio Jesus que falou que quem conduziria a igreja seria o Espirito Santo? ou será que durante 2000 anos o Espirito Santo vem errando, e só vai começar a acertar agora com a renuncia do Grande Papa Bento XVI? O que nós Catolicos Apostolicos Romanos e igreja de Cristo precisamos urgentemente aprender é a saber ouvir e por em pratica o que diz o nosso Santo Padre, da mesma forma que uma criancinha esculta e acolhe em seu coração o que seus pais a ensinam, embora não entendam, mas escultam e confiam, devemos tambem fazê-lo... Talvez o que está gerando tanto falatorio contra Bento XVI é pq nós esperavamos um João Paulo III, e Deus nos deu um Bento XVI, homem sabio que sabe o que faz, (não que João Paulo II não soubesse) falar que foi ruim pra igreja o pontificado de Bento, seria uma injustiça... não existe no mundo uma pessoa catolica praticante (embora revoltada com os ensinamentos de Bento) capaz de dizer que durante 7 anos, 10 meses e 9 dias não aprendeu nada com Bento, que não admirou a sua humildade, seu ato corajoso de renunciar ao Papado e mostrar que o Papado não é um titulo e sim um serviço, que não se encantou nem que fosse com um simples amém, que não pulou de alegria quando ouviu o HABEMUS PAPAM, que anunciou Bento XVI... meu coração deseja falar mas os dedos não aguentam... respondendo a mais uma objeção a cerca da volta do latim, gente olhem como eram bem celebradas as santas missas em latim no rito tridentino, olhem a dignidade que se dava a Jesus, olhem como naquela época se dava o melhor que tivesse pra Jesus... ai hoje dizemos assim, não mas o que importa é o coração... ai eu pergunto: "o que o nosso coração manda oferecer é uma tigelinha de barro, pra quem deu a sua propria vida para pagar os erros da minha?" claro que devemos da pra Jesus o que podemos, mas será que os investimento que são feitos são todos realmente necessarios? digo isso visando que as igrejas de hoje em dia estão se convertendo em grandes comercios, o que realmente é necessario, a salvação da alma fica em segundo plano, "vamos dar as mão e construir uma nova terra", gente quem criou o mundo foi Deus, e acredito que so quem pode construir uma nova terra é ele, e ele no momento certo fara isso, ou será que tbm deixamos de acreditar na volta gloriosa de cristo so pq ja esperamos 2000 anos... os mais antigos dizem, para Deus 1000 anos é como se fosse 1 dia... olha só... então se queremos que tudo aconteça no tempo dele devemos esperar não acham? ou será que quando dizemos no pai nosso "SEJA FEITA A VOSSA VONTADE" nos estamos querendo que a vontade de Deus se iguale a nossa? acho que o problema hoje é a apostasia, ninguem mais acredita em Deus, e tem até uma sociedade formada pra isso, que denominamos os ATEUS, e acham que a igreja ainda não e democratica e acolhedora? me digam quantos ateus voltaram pra igreja de cristo e foram recebidos a portas fechadas? quantas vezes a igreja impos que essas pessoas estariam no inferno? não pelo contrario, a verdadeira igreja de cristo amou e ama essas almas, quem despreza elas é pq ainda não entendem o que é a santa igreja! bom gente tenho muita coisa pra fazer ainda, passei muito tempo escrevendo esse texto, mas tenho certeza de que não foi em vão, o que realmente espero é que se cumpra tudo o que diz as sagradas escrituras, assim como se cumpriu em Maria Santissima, e que um dia toda a igreja de cristo possa dizer a uma só voz o que cristo falou " E HAVERA UM SO PASTOR E UM SO REBANHO"... Que a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo e o amor de Sua Mãe Ssma. faça-nos crescer na fé e no amor a Santa igreja de Cristo e ao seu guia o SANTO PADRE! AMÉM...

  80. Arnobio Verde Postado em 27/Feb/2013 às 21:29

    Agusto Camilo, pra voê argumentar teria que conher a teologia para se posicionar melhor. Onde arrancaste ese argumento?

  81. Marcelo Postado em 27/Feb/2013 às 23:15

    Este "Augusto Camillo" disse tantas bobagens que se derrubarmos o computador com o texto dele aberto na tela é capaz de sair sangue dos destroços de tanto ranço que este cidadão transmitiu em suas frases encardidas da sanha mais cristã de que se tem notícia... É típico de alguns espíritos menores babarem de ódio por quem tem um pouco mais de consciência, o que podemos chamar simbolicamente de "luz". Eu tenho apenas alguma simpatia, digamos assim, pela figura do Leonardo Boff, de modo que não sou nenhum de seus alunos. Esta entrevista nos induz a pensar o quê de sua figura? Algo que mereça o asco com que aquele internauta se dirigiu à sua figura? De modo algum. Leonardo Boff foi sim muito coerente e falou com todo o respeito da figura do papa e do seu pontificado. Em nenhum momento desferiu golpes covardes ou de quem "cospe no prato que comeu", como diz asquerosamente aquele cidadão. Aliás, não podemos esperar muito de alguém, este Camillo, que diz que "O Espírito Santo" é que "escolhe" quem vai ser o papa. Espírito Santo? Deixemos uma colher escolher o próximo papa que será mais lúcido, sensato, racional do que o "Espírito Santo". Mas é que esses tipos preferem fazer de conta de que no Vaticano o que sucede é pura política. Fazem questão de fazer de conta de que lá não estão somente seres humanos, falhos, limitados, animais, a decidir o destino daquele micro-Estado. E não coincidentemente são estes mesmos que, como o pouco educado Camillo, acabam beijando os chicotes que os castigam. É só ler com atenção o que ele diz... O mesmo nos quer fazer crer que o Leonardo Boff está errado em opinar sobre os métodos da Igreja, que a Igreja tem sim de punir quem julgar que deve, que toda instituição tem esse direito. Ora, cristãos são sempre muito contraditórios... Ouço sempre um padre me dizendo que a Igreja não é uma instituição, que está "para além disso". Sei, mas quando é necessário caricaturá-la como "instituição" aí sim faz valer? Lamento, mas a crítica muito branda - em minha opinião - que o Leonardo fez tem sim base e faz sim pensar. Mas pensar só para quem quer ou pode, evidente. E lembrando um lema católico: "Obreiro não questiona, OBEDECE!", esses cordeirinhos continuam fazendo bem seu papel. Mas vamos brincar: 1 – Não teve medo de enfrentar a “ditadura do relativismo”, que nega a verdade e ensina que cada um faz a sua, destrói a família e a sociedade. O Papa é o paladino e arauto da verdade que salva (cf. Catecismo §851). Ditadura do relativismo? Vamos pensar em figuras desde Protágoras até Rorty, Kuhn? Por que chamam de "ditadura do relativismo"? O que as ciências nos apresentam em seus resultados, o que grandes filósofos apresentam em seus estudos, o que isso nos traz senão conhecimentos o suficiente para fazer-nos gargalhar diante da Igreja? É por isso que estes tipos tentam pintar com cores de monstro o relativismo. Não sobrevivem a o relativismo e por isso os condenam. "Ditadura" aqui é apenas um emprego de termo para enfear o que já nos é muito sabido. 2 – Deixou-nos três encíclicas fundamentais: Deus caritas est, Spes salvi e Caritas in veritate, que precisam ser estudadas detalhadamente. Proferiu muitas homilias, discursos, catequeses, visitas apostólicas, viagens internacionais, encíclicas, cartas, motu próprios, etc., de imenso valor. Bem, estranho seria se não deixasse absolutamente nada. Isso sim seria muitíssimo estranho. Mas leia também o debate deste homem com Paolo Flores d'arcais e veja como o futuro papa simplesmente... perdeu. 3 – Abriu um diálogo profundo com os intelectuais, especialmente os ateus, com o Programa “Pátio dos Gentios”, levando o debate com os ateus nas maiores universidades do mundo, buscando quebrar a mentira de que entre a ciência e a fé há uma dicotomia. "Quebrar a mentira", isso fica a seu critério porque também há a linha dos que mostram claramente diferenças aberrantes entre a fé e aS ciênciaS (afinal ciência não é somente uma). 4 – Deixou-nos uma quantidade imensa de excelentes livros, especialmente a série Jesus de Nazaré, escrita durante o pontificado. E...? 5 – Enfrentou sem medo e sem meias palavras a herética teologia da libertação marxista, não tendo receio de pedir aos bispos do Brasil, em 05/10/2010, que a eliminem em suas dioceses tendo em vista o seu grande perigo a Igreja e para a fé do povo. Disse o Papa: “As suas sequelas mais ou menos visíveis feitas de rebelião, divisão, dissenso, ofensa, anarquia fazem-se sentir ainda, criando nas vossas comunidades diocesanas grande sofrimento e grave perda de forças vivas.” Aqui o internauta Camillo adorou e decorou! Na verdade todos os que anseiam pela panca de "conservador" adoram blasfemar - sim - contra a "maldita" Teologia da Libertação. E o que exatamente esta teologia visou atender? É o que o leitor deve ir buscar por conta própria, muito longe desses tipos metidos a conservadores, esses que, por eles, sairiam falando latim nas ruas ao invés do português. 6 – Não teve medo de enfrentar as acusações de recebeu de ter sido omisso diante dos casos de pedofilia, agindo com energia para corrigir o problema. Não se curvou diante de tantas blasfêmias contra ele, como a famigerada peça de teatro da PUC de São Paulo (Decapitando o Papa). Não ter medo de RECEBER acusações? Ele simplesmente FOI omisso e suas atitudes forem absurdamente irresponsáveis! Basta que o leitor pesquise melhor. Afinal perguntar para o padre da paróquia mais próxima não é lá uma fonte muito confiável. 7 – Durante 25 anos como Prefeito da Congregação da Fé do Vaticano, enfrentou as heresias e os hereges de nosso tempo, tendo de sofrer as criticas e ofensas desses hereges apoiados pela mídia secular. "Mídia secular", isso me lembra "mídia judaica", nos períodos nazistas. Ops! Não vou lembrar do passado do Ratzinger com o nazismo, afinal era apenas um jovem, e enquanto alguns bebem demais outros entram para... as milícias de Adolf Hitler. Mas ignorando essa besteira, é incrível como existe toda uma forma até na linguagem para se difamar quem foge da linha rígida e estúpida de uma religião... "As HERESIAS e os HEREGES", entendo... Então aqueles que pensam de modo levemente diferente da Igreja são "hereges", e se eles tem apoio é porque existe uma "mídia secular", interessante. Quando falar de OVNIS você me chama? 8 – Não se curvou diante de um feminismo vazio, interno à Igreja, e de um modernismo que quis lhe impor a quebra do celibato sacerdotal, a aceitação da ordenação de mulheres e outro erros. Esse é um ponto mais espinhoso do que muita gente consegue entender. De fato existe um feminismo vazio, rançoso, sexista, e que se alastra como que a peste. O que é diferente da ordenação de mulheres. São dois assuntos que tem laços somente. Quanto a questão do celibato, quem sabe assim deixem as crianças em paz?! 9 – Tal como um novo São Bento de Núrcia, deu início ao reerguimento do Ocidente. ... sem palavras. 10 – Soube sabiamente interpretar e defender o Concílio Vaticano II dos ataques que recebeu tanto dos ultraconservadores como dos abusos dos ultramodernos. Se eu fosse tolo chamaria isso de milagre. Mas como não creio em milagres fico apenas pensando comigo até onde esse papa realmente "defendeu" este Concílio, já que justamente é os seus iguais que tanto o maltrata! Não para menos Boff e outros lembram dos pequenos avanços que o Vaticano II permitiu, e que tão logo já começou a ser profundamente rechaçado por um sem número de Ratzingerzinhos. Em suma, que saudade esta figura deixa? A mim absolutamente nenhuma. Mas e aqueles que de fato procuram ser efetivamente cristãos? Aquela minoria bem distante deste Augusto Camillo? É aí que eu começaria a praticamente repetir cada palavra de Leonardo Boff.

  82. Elânio Araujo Postado em 28/Feb/2013 às 09:00

    As pessoas acham que quem muda é a igreja de Cristo, mas não vêem que quem realmente muda é o nosso pensamento, sabe o que é q as pessoas querem realmente: fundar uma igreja que lhe seja mais conveniente, que agrade a seu gosto... o que falta realmente é obediencia... sempre que leio os comentarios desse site fico mto triste em saber que existem pessoas com um pensamento ainda tão infantil... quando Jesus nos pediu para sermos como crianças, a intenção dEle foi pedir que fossemos "puro" como uma criança e não agir como criança, que faz tudo por impulso, e não tem responsabilidade em seus atos!

  83. luiz carlos Monteiro Lopes Postado em 02/Mar/2013 às 08:55

    Antes de tudo, digo que sou adimirador da sabedoria do Frei,L.Bof.Homem sábio.Um teólogo que merece respeito.Li a entrevista e senti que nele há uma queixa, relacionada à autoridade da Igreja. Parece-me que suas idéias teologais não convenceram, não só ao Papa, mas também ao alto clero da Igreja.Sabemos que a missão maior de Jesus foi de unir todos os seres humanos pelo AMOR. Também é verdade que nos deixou regras, ensinamentos e direcionou como um crstão deve se conduzir. Jeus disse:"...quem não estiver comigo está contra mim". Sendo assim, Ele fala de um inimigio. Pode-se ver com transparência a arrogância do inteligente Frei, achando-se o dono da verdade. Que supremacia é essa de querer ir além da autoridade papal. Bento XVI, além de Papa, inspiração do Espírito Santo, é homem extraordinariamente sábio e humilde. Dirigir uma Igreja, santa e pecadora, precisa de confronto, de disciplina. Para Leonardo Boof, parece ser tarefa fácil, basta concordar com os atos dos pecadores, seguir a onda que rola a bel-prazer. Como exemplo: é normal a união de homem com homem ou mulher com mulher. Isto está errado e precisa ser combatido, senão daqui a pouco é normal o homem se unir com um animal irracional. Jesus acolheu a todos e nos disse que devemos fazer o mesmo.Não devemos excluir ninguém, ao contrário, incluir os excluídos. Mas disse tamém: "...um homem se unirá a uma mulher e formaram um só corpo". Penso que a partir daí Jesus estabeleceu a monogamia. Frei Leonardo não se apega aos caprichos da Igreja, mas faça como S.Paulo fez, combata o bom combate.

  84. Cleide Postado em 02/Mar/2013 às 21:12

    Fora comentários infundados, desrespeito á idéia do outro, e falta de entendimento acerca das coisas da igreja, penso que o momento nosso, como igreja, é SER IGREJA.... SENTIR_SE IGREJA. Pessoas falam, escrevem e trabalham como se elas mesmas estivessem falando do outro, coisa alheia......não é bem assim.....Me sinto igreja, e quando falo mal, falo de mim mesmo, falo do que faço ou ainda maior, deixo de fazer como igreja. Fato é: entender-me como igreja, orar por nós todos e pedir que DEus nos conceda mais humildade, amor e compaixão é palavra de ordem. O momento nos pede cautela e prudência. Respeito as opiniões dadas acima. Penso que Leonardo Boff acrescentou uma idéia que merece respeito e reflexão, podemos aproveitar seus escritos para crescer como pessoas que procuram saber mais e melhor sobre DEUS e seu filho JESUS CRISTO, nosso irmão. A história, vida e palavras de Jesus tem que nos inspirar a procurar cada dia mais uma PAZ INQUIETA, uma vontade de aprender a conhece-lo ,apaixonar-se por Ele e leva-lo à nossas práticas diárias....Abraço a todos !!!

  85. JEFFERSON FERNANDES Postado em 03/Mar/2013 às 11:38

    Dos pontos e contrapontos, reservado o direito hermenêutico, vale uma exegese equilibrada e contextualizada para se aferir as verdades aludidas e elencadas pelas partes que ora debatem a transição, bem como, passado próximo, presente e futuro da igreja católica! Entendo que, Jesus teve como oponentes ferrenhos e inflexíveis, os fariseus entre outros grupos religiosos tradicionais, que estavam mais preocupados com seus privilégios do que com os necessitados de perdão e acolhida e o redirecionamento dos tais ao caminho de volta á presença e comunhão com Deus, diferente de João Batista e Martinho Lutero, que assumiram o compromisso com a verdade, e ao chamado que tiveram e corresponderam de forma exemplar em suas atuações como porta vozes de Deus. O que de fato pode e muda o ser humano é aceitação da VERDADE que liberta qual seja, JESUS CRISTO, e reconhecer os que são enviados legitimamente por DEUS á apregoar boas novas de salvação, e não propagação de entendimentos desvinculados e desvirtuados que de nada servem se não para confundir e iludir os incautos intelectuais perdidos em seus decursos vazios a exemplo de SAULO DE TARSO tomado extremo zelo e cuidado, um perseguidor dos cristãos que se converte ao cristianismo após ter um real encontro com JESUS CRISTO, perseguia os Apóstolos e consequentemente a Igreja militante que combatia o pecado, mas mostrando o caminho para libertação através da fé acompanhada de arrependimento., Intelectual, doutrinador, Paulo transforma as mensagens de Cristo em dogmas e prioriza a fé, embora não combata as comunidades. Nem fala, entretanto, da vida em comum. Seu foco era a fé, a ponto de ser questionado pelo apóstolo Tiago: “De que vale a Fé sem ações, sem obras?”. Não me surpreende ao saber que os homens ainda agem como fariseus, não mudam muito. Deus não muda nunca. Ele se opõe aos modernos fariseus da mesma maneira que se opunha aos antigos. "Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas...”.

  86. Maristela Godoy Postado em 07/Mar/2013 às 10:16

    Nossa nunca vi tanta bobagem junta, e tanta agressividade, se Boff é um nada um sem importância, porque fazer comentário a respeito do que ele escreve e diz? Por que seguir suas publicações. Projeção é mesmo algo terrível projetamos nos outros as nossas misérias e pior atacamos como se fossem verdades. Na fala do Boff em nenhum momento menosprezou o Papa apenas comentou o que de fato é todo mundo vê. Sou a favor de que as pessoas se manifestem digam suas opiniões e quando são diferencias proporcionam crescimento, mas quando precisamos desprezar o outro, agredir a outra pessoa, que pena mas o problema está em nós. Quando sabemos divergir as ideias sem desprezar ou tentar humilhar a outra pessoa aí sim isso é válido. Criticar o Boff por falta de humildade???? com qual humildade foi feita esse comentário???? Antes de humilhar o Boff deveria olhar um pouquinho ele já fez e faz, inclusive reconhecido pelo próprio Bento. Por isso que entendo porque há tanta injustiça neste mundo, pessoas que estudam que a principio deveriam ser compreensivas que se dizem da Igreja onde Jesus diz ame o próximo como a si mesmo. Como ficaria ao aplicar essa frase para essas pessoas que só criticam e tentam desmoralizar o outro??? a subjetividade é mesmo uma grande incógnita, ainda bem Albert Einstein, não escutou sua professora quando disse ele não servia para a Matemática a humanidade agradece, não seguiu as regras que sempre foram assim. Salve a diferença que embeleza a vida, salve o inconformismo que provoca boas mudanças. Que todas as pessoas de bem possam continuar tentando mudar este mundo cruel, independentemente de sua religião, cor etnia...

  87. JEFFERSON Postado em 07/Mar/2013 às 16:00

    Dos pontos e contrapontos,reservado o direito hermenêutico,vale uma exegese equilibrada e contextualizada para se aferir as verdades aludidas e elencadas pelas partes que ora debatem a transição,bem como,passado próximo, presente e futuro da igreja católica! Parabens Leonardo Boff

  88. Manoel Messias Postado em 11/Mar/2013 às 07:26

    O homem ideal para comandar a Igreja Católica chama-se: ODILO SCHERER. Limpo, competente, jovem, fala vários idiomas, mas os italianos já estão queimando o seu nome. Eles querem é um que abafe a pedofilia e os escândalos no banco do Vaticano. E assim a Igreja Católica vai se acabando. Devo acrescentar que sou católico.

  89. Patricia Regina Postado em 13/Mar/2013 às 08:57

    Penso que estes comentários, com algumas exceções, se afastam totalmente do objetivo de Jesus Cristo, que veio para ensinar ao homem encontrar Deus dentro de si e no irmão! Discutir sobre "quem pintou a asa da barata" se afasta tanto daquilo que Ele pregou. Leiam os Evangelhos, o nosso professor, o nosso Mestre nos indica o caminho, onde há a mão do homem sempre vai haver erros, pecados, diferenças até que sigam aquilo que Jesus ensina! Discussões vazias como os fariseus do antigo Israel, seguindo o preceito, a lei e não os ensinamentos. Que triste humanidade, que discute teoricamente e não coloca a "mão na massa" para ajudar o próximo como Jesus fazia. Prefiro seguir o lema de Madre Tereza, que o evangelho que praticava era o amor e o serviço ao próximo, como o mesmo amor do SENHOR!

  90. Kilgore T. Postado em 13/Mar/2013 às 17:12

    Ao que se lê um comentário reacionário, prolixo, verborrágico e virulento, esteja certo: Está-se à frente de algum leitor de Reinaldo Azevedo ~ se não for o próprio, travestido noutros nomes.

  91. José Postado em 19/Mar/2013 às 07:35

    O Judaísmo caiu no ano 70, porque o povo e seus líderes não tinham mais amor à Deus. Seu apego era nas tradições humanas, e aos rituais de adoração que camuflavam as verdadeiras intenções do coração humano: o egoísmo, o materialismo, a imoralidade e a corrupção. Quando Jesus Cristo falava a respeito do Reino de Deus, causava um mal estar generalizado na maioria dos líderes religiosos e políticos da época. Nada é diferente hoje...., muito se fala sobre dogmas e tradições, mas na pratica, poucos praticam o amor e a declaração pública que a solução final dos problemas da humanidade é o Reino do Cristo empossado nos Céus ! Paí nosso que estais no céus, santificado seja o teu nome, venha à nós o Vosso Reino...

  92. GLÓRIA Postado em 13/Apr/2013 às 03:01

    O primeiro cara a escrever (Augusto Camilo) aqui misturou crendices e fatos... ENFIM! O QUE ACHO NECESSÁRIO DIZER É: mesmo após o L. Boff ter saído da igreja porque ali ficou inóspito para ele, vi nas suas palavras alguma fidelidade canina ao Vaticano e à pessoa do papa... dizer que o secretário de João Paulo II era tímido não tinha tino para ser papa, desculpe não acredito! nos últimos anos como secretário Ratzinger pensava pelo papa! Decidia coisas pelo papa e erste só assinava o que ele administrava em seu lugar... SERÁ QUE NÃO É POR CAUSA DESSE PERÍODO ADMINISTRATIVO QUE ELE METEU OS PÉS PELAS MÃOS COMO SECRETÁRIO E AGORA COLOCARAM OUTRA FIGURA POLÊMICA EM SEU LUGAR PARA JOGAR AREIA EM NOSSOS OLHOS? ACORDEM CRISTÃOS! ELES NÃO NOS REPRESENTAM ESPIRITUALMENTE!

  93. Rodrigo Postado em 17/Apr/2013 às 06:20

    não dá pra ler L. Boff sem se indignar ele não tem direito de opinar acerca da Igreja pois a Mesma já assim decidiu e não adianta argumentar que isso seria autoritarismo demais... o CVII influi na Igreja e a Ela compete interpretá-lo... Boff não pertence mais à Igreja porque assim escolheu, logo, não pode opinar acerca do que se passa no interior dEla

  94. Rodrigo Postado em 17/Apr/2013 às 06:30

    mais umas coisas... 1- Augusto Camilo e Geraldino estão de parabéns por suas palavras (pelo menos as que eu li)... 2- esqueci de citar o Instituto Bom Pastor ao falar de L. Boff. o IBP é contra a interpreteção liberal do CVII e eles até chegaram a ser excomungados... Bento XVI retornou-os à Igreja e abriu a Igreja ao diálogo com tal organização 3- em relação ao último comentário, o Parkinson não afeta a cognição do doente, ou seja, o cardeal Ratzinger não pensava e muito menos decidia nada pelo Papa João Paulo II, visto que o mesmo era perfeitamente capaz de fazê-lo... aliás, seu problema era justamente assinar quaisquer documentos Ratzinger nunca meteu os pés pelas mãos (como secretário ou como Papa)... e sim, a Igreja e seus representantes (Papa, Bispos, Padres e Diáconos) representam toda a humanidade perante DEUS

  95. José Lima Postado em 19/Apr/2013 às 22:50

    Leonardo Boff,como todos sabem é um bom teólogo. Já tive oportunidade de lê alguns de seus vários. Escreve muito bem sobre espiritualidade, como franciscano que foi. Achei corajosa a sua atitude de deixar o exercício do sacerdócio católico. Na Igreja não havia mais espaço para o seu pensamento teológico em prol de uma Igreja mais aberta as questões sociais e menos clericalista. Muitos bispos e padres o estimam muito pelo homem e teólogo que é.

  96. Vendolino Postado em 16/Jul/2013 às 09:34

    A teologia da libertação infelizmente não alcançou seus objetivos,daí o atraso da religião católica.

  97. marcilio leão Postado em 03/Sep/2013 às 18:45

    Parabens a Augusto Camilo e Geraldino! e pensar que, por ocasião da renúncia de BentoXVI, teve gente que apontou Boff como um ótimo sucessor do Papa! Se Boff um dia chegar á cátedra papal, a Igreja vai virar um circo, um bordel, ou um manicômio, por sinal, nada que Boff ache tão pecaminoso assim....

  98. antonio Carlos da Silva Postado em 08/Oct/2013 às 14:57

    Os dissidentes tem uma história pra serem contadas. Não importa qual seja a sua história, precisamos ouvi-la. O espírito corporativista das organizações produzem cegueiras e com ela dissidentes. Nem sempre o corporativismo mantém a originalidade do seu meio fim e nesse momento entra aqueles que aborrecidos com tais equívocos, tais como Lutero, Calvino e tantos outros emergem como oposição sábia, inquiridas sei lá, pelo próprio Deus, afim de que seja preservado um remanescente justo que aflora ante um ambiente muitas vezes ostil e mantém por fim a verdade inegociável de um Deus inegocíavel. Leonardo Boff antes me parecia alguém vaidoso, desejoso de emergir-se das cinzas, contrapondo a seu bel prazer uma organização a qual havia servido, mas hoje especialmente o vejo com outros olhos, vejo antes de mais nada alguém que em perfeito juizo se opõe a ditatoriedade Organizacional e ideológica daqueles que presumem não mais serem um veículo da verdade, mas a própria verdade encarnada.