Redação Pragmatismo
Compartilhar
Direita 31/Jan/2013 às 17:55
42
Comentários

Myrian Rios e o poder maligno de sua carolice

Prioridade de Myrian Rios é transformar em lei questões de sua moralidade. Uma distorção maligna numa democracia

Fátima Oliveira*

Dá Dó a incapacidade de distinguir moral de ética

A deputada estadual Myrian Rios, atriz e missionária da Canção Nova, facção católica conservadora denominada renovação carismática, eleita em 2010 pelo PDT-RJ, hoje no PSD, exibe como foco do seu mandato transformar em lei questões de sua moralidade. Uma distorção maligna numa democracia.

myrian rios deputada atriz global

A deputada e ex-atriz global Myrian Rios (Foto: Assembleia RJ)

Em “Myrian Rios e sua visão de dupla moral sobre a pedofilia”, eu disse: “Ela tem todo o direito de professar a sua fé como desejar, desde que não cause danos a outrem”. E finalizei: “Desconheço pronunciamento da deputada a respeito da pedofilia clerical. Está passando da hora de fazê-lo!” (O TEMPO, 28.6.2011).

Não o fez até hoje. E legisla a partir de sua dupla moral. Hábil em se manter na raia da mídia, ela aprovou uma lei, sancionada pelo desavisado governador, que prima por pretender encabrestar o viver do povo do Rio de Janeiro numa moral única! Eis a Lei 6.394, de 16.1.2013 (D.O. de 17.1.2013):

“O Governador do Estado do Rio de Janeiro
Faço saber que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte lei:

Art. 1º. Fica instituído o “Programa de Resgate de Valores Morais, Sociais, Éticos e Espirituais” no âmbito do Estado Rio de Janeiro.

Leia também

Parágrafo único. O Programa deverá envolver diretamente a comunidade escolar, a família, lideranças comunitárias, empresas públicas e privadas, meios de comunicação, autoridades locais e estaduais e as organizações não governamentais e comunidades religiosas, por meio de atividades culturais, esportivas, literárias, mídia, entre outras, que visem à reflexão sobre a necessidade da revisão sobre os valores morais, sociais, éticos e espirituais

Art. 2º. O Poder Executivo deverá firmar convênios e parcerias articuladas e significativas, com prefeituras municipais e sociedade civil, no sentido de possibilitar a execução do cumprimento ao disposto nesta lei, com os seguintes objetivos:

I – promover o resgate da cidadania; II – fortalecer as relações humanas; III – valorizar a família, a escola e a comunidade como um todo.

Parágrafo único. Serão desenvolvidas ações essenciais que contribuam para uma convivência saudável entre pessoas, estabelecendo relações de confiança e respeito mútuo, alicerçada em valores éticos, morais, sociais, afetivos e espirituais, como instrumento capaz de prevenir e combater diversas formas de violência.

Art. 3º. O programa disposto no caput do Artigo 1º terá como órgão gestor a Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos.

Art. 4º. As despesas decorrentes da execução desta lei correrão por conta de dotações orçamentárias próprias, suplementadas, se necessário.

Art. 5º. Esta lei entra em vigor na data de sua publicação”.

É lamentável que uma Assembleia Legislativa e um governador não tenham percebido quão desrespeitosa é para uma democracia uma camisa de força de moralidade que se pretende única para todo o povo. Dá dó que tantas autoridades exibam analfabetismo filosófico: a incapacidade de distinguir moral de ética.

Ora, as moralidades são muitas, pois são os costumes, os valores relativos à pessoa ou a determinado agrupamento social, com unidade ideológica, étnica, racial ou sexual. Assim é que há até moral bandida. A ética nomeia os costumes ou os comportamentos relativos ao conjunto da sociedade, dos povos, que são mundos inerentemente pluralistas. Por espelhar a unidade a que chegaram as diferentes morais, a ética é em si uma codificação da unidade possível das diferentes forças políticas da sociedade.

*Fátima Oliveira é Médica e escritora. É do Conselho Diretor da Comissão de Cidadania e Reprodução e do Conselho da Rede de Saúde das Mulheres Latino-americanas e do Caribe. Indicada ao Prêmio Nobel da paz 2005. (Portal Vermelho)

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Jailson Morais Postado em 31/Jan/2013 às 18:42

    Ao ler esse artigo, é fácil entender porque o Rio de Janeiro é um dos municípios mais violentos e dominados pelo tráfico de drogas no mundo; se até hoje prevaleceu essa "democracia" defendida aqui pela insigne Dra. Fátima. A partir do momento que surgem leis com viso a resgatar valores-morais-sociais-relevantes, iniciando pela educação de nossos jovens, logo tais defensores do laicismo como regra única para todos surgem criticando com ares de um saber superior aos demais que pensam e querem uma cidade melhor para todos, inclusive ela. É uma pena que o artigo não trouxe à baila nenhum argumento concreto que demonstre que o seu modo de ver a democracia no Rio de Janeiro deu certo. No entanto, essa nova lei poderá trazer bons resultados; ninguém poderá dizer (ainda) que não.

    • Fernando Cavalcanti Postado em 12/Feb/2014 às 22:45

      É isso mesmo, Jaílson. O que esse pessoal das esquerdas deseja, na verdade, não é afastar uma pretensa imposição da moral de Míriam Rios, mas afastar qualquer moral. E que cada um faça o que quiser, inclusive na frente de crianças. O laicismo dessa articulista é, em toda a extensão, a consagração da amoralidade absoluta. Travestido de um feminismo ultrapassado, imagina que simplesmente desejar a transmissão de bons valores e costumes já é imposição de uma moral pessoal, quando é simplesmente preservar valores tradicionais, responsáveis pela construção da civilização. Onde esses valores foram abolidos os resultados foram os piores possíveis. Mas essa gente não se importa, há sempre uma desculpa para os fracassos passados, e sempre a renovação da esperança tola de que, em algum futuro, uma nova sociedade será construída. Só não explica como irá se sustentar no meio da balbúrdia e da depravação gerais.

    • Luiz Costa Postado em 18/Apr/2014 às 06:52

      Ao ler todos os comentários, percebi que a maioria faz parte daquela corrente do "quanto pior melhor". Não é de admirar que quase todos discordem da Myrian Rios. É porque, com certeza, todos gostem de ouvir palavras desagradáveis dos filhos, do cônjuge, dos pais, do bandido; devem gostar da ação dos pedófilos, dos estupradores, do cônjuge infiel; devem gostar, também, do estelionatário, do sonegador de impostos, do aliciador de menores, do corrupto. Será que é assim mesmo? Duvido! Pois os que criticam o moralismo da Myrian Rios e de qualquer outro, são os mesmos que gritam por justiça, moralização e punição aos criminosos de toda espécie. Por quê? Porque sabem que tais práticas estão fora dos padrões dos bons costumes.

  2. Diego Filipe Postado em 31/Jan/2013 às 18:45

    Eu li e reli o projeto e lei e realmente não consegui achar outra definição para ela do que essa: sua nulidade me comove!

  3. Ton Fernandes Postado em 31/Jan/2013 às 18:45

    A carolice de última hora da deputada é um perigo para a democracia. A sensação é que estamos construindo um Estado fundamentalista...

  4. Naelly Postado em 31/Jan/2013 às 18:48

    Lamentável mesmo, deputada Myrian Rios. Até mesmo porque os valores espirituais que contam neste caso são provavelmente os valores católitos... Meus pêsames a todo o povo do estado do RJ e a quem votou nessa carola.

  5. Sergio Postado em 31/Jan/2013 às 19:05

    Lamentável, dona Myrian Rios......

  6. Lari Postado em 31/Jan/2013 às 19:40

    Acho interessante a iniciativa, apesar de não acreditar que a lei possa realmente surtir qualquer efeito real. A Lei é inerte, pois não se exaure dogmaticamente. Assim sendo, não acho que traga grande prejuízo à democracia, ou ao laicismo, ou ao ateísmo, (só reflete a realidade com que esses elementos são tratados na politica brasileira) nem grande beneficio para o repensar de nossa sociedade falida, porque ela sequer se posiciona claramente. É uma lei vazia que não deve provocar nem jubilo, nem choro e ranger de dentes, para ninguém - irrelevante.

  7. lucazan Postado em 31/Jan/2013 às 19:47

    Não se esqueçam que a Deputada Myrian Rios...nao tem moral para falar de moral...visto que ja saiu nua ate na playboy...e ganhou para isso...como alguem pode levar a serio uma pessoa como esta...e ainda por cima falando de moral e bons costumes...me poupe...

  8. Helena Postado em 31/Jan/2013 às 21:03

    não vi nada de mais na lei, além disso se ela foi eleita o povo compartilha da mesma carolice já que a posição dela é bem nítida..

  9. eloi beneduzi Postado em 31/Jan/2013 às 21:48

    não foi ela que deu a carne ao diabo e agora está oferecendo os ossos a deus?

  10. beth zhalouth Postado em 31/Jan/2013 às 22:48

    excelente, sempre aprendendo por aqui...

  11. Carla Suhett Postado em 31/Jan/2013 às 22:58

    Poderia se esperar algo diferente de deputados religiosos???

  12. Manoel Emilio Postado em 01/Feb/2013 às 11:49

    Essa senhora é pura cretinice, muito pior que carolice!...

  13. Rafael Postado em 01/Feb/2013 às 11:52

    teocracia

  14. rodrigo Postado em 01/Feb/2013 às 11:57

    A lei não é irrelevante coisa nenhuma. Não esta especifico quais as bases que vão influenciar por exemplo este programa, como resgate de valores morais e esprituais. Isso vai abrir um brecha para que ela possa justmente usar dessale para disseminar seus próprios conceitos de moral e de espirtualidade em escolas, nas comunidades,entre os lideres. Isso não é pouca coisa, nem é inofensivo. Parece até coisa boa quem lê assim, descompromissado, no entanto diante das posturas atuais dela, é óbvio quais os interesses dela num tipo de lei assim.

  15. anderson Postado em 01/Feb/2013 às 12:22

    moral existe muitas. ética, existe muitas. familias, existe de vários tipos. é so enveredar para o a atualidade. a moral da liberdade de genero, a ética dos valores familiares e de todos os tipos de familas, familias homossexuais, heterossexuais, de um pai uma mãe, separados. existem muitas familias, muits éticas e muitas morais, em nenhum momento limita-se a um tipo. agora claro, quem recorrer deve pôr isso em pauta. a lei, claro, pretende criar uma moral católica, mas como citado acima, ela nao explicita essa lei, e se ela for praticada, é facilmente questionável.

  16. José Wilson Correa Garcia Postado em 01/Feb/2013 às 12:34

    Não gosto e nunca gostei da referida deputada, mas não vou deixar de afirmar que a matéria é tendenciosa, pois não existe nada na lei (com excessão do termo espiritualidade) que justifique a afirmação de a referida deputada está querendo transformar concepções de moralidade pessoais em questões legais comuns a toda sociedade. A lei, pelo contrário, afirma a promoção de ações de caráter moral, sem afirmar um tipo específico de moralidade. Que mal nisso? Pragmatismo Político já foi mais inteligente e menos tendenciosa...

    • Gustavo S Postado em 01/Feb/2013 às 12:55

      José Wilson, de duas uma, ou você está sendo malicioso ou ingênuo. "Ações de caráter moral sem afirmar um tipo específico de moralidade". Se você conseguir traduzir isso te dou um doce. Tendencioso é o teu comentário, só que mal elaborado, já que não consegue fugir de um emaranhado sem lógica e sem sentido para defender a lei e a deputada.

  17. carlos Postado em 01/Feb/2013 às 12:40

    Todos esses processos de moralização, que de tempos em tempos emergem na poli'tica brasileira, são em verdade mecânismos de contrôle e repressão sociall. Eles servem a domesticação e a desorientação da população, desviando a atenção dos problemas sociais e poli'ticos. Convertem a possibilidade de indignação contra o estado e as injustiças em prece ao senhor - o que garante o pão de cada dia. Os problemas socias e coletivos se tornam dramas pessoais que serão tratados no foro intimo e privado, em muitas vezes em questão de fé. Se as coisas estão mal, reformamos os invi'diuos. Se a vida vai mal, a questão é moral. Se alguns tem mais, "Deus misericordioso me reserva o melhor, mas para isso eu preciso ser digno dos milagres do divino".

  18. Tatiana Postado em 01/Feb/2013 às 12:42

    Não só saiu nua na Playboy como estrelou o filme "Oh Rebuceteio", com cenas de sexo explícito, orgia, uso, abuso de drogas, até sexo com personagem vestido de padre teve. Nada contra quem faça pornô, agora só não me venha com toda essa carolice e pudor, quando não tem moral nenhuma pra falar. Ok, as pessoas mudam? Talvez. E duvido muito que seja o caso dela. Mas lembro-me de que numa sessão ela criticou homossexuais (demonstrando todo o seu preconceito), só se esqueceu de dizer que no tal filme, ela também fazia sexo com outras mulheres. E não foi simulação, não, foi sexo de verdade, nu, penetração, sem camisinha e tudo mais. Agora quer falar o quê? Me poupe. Não tem mais espaço pra hipócritas neste mundo.

  19. Marilia T. Postado em 01/Feb/2013 às 14:36

    1- Não votei nem votaria na deputada Myriam Rios, não por causa do seu passado, porque acredito que as pessoas mudam com o tempo. Só porque ela posou nua quando jovem não quer dizer que ela esteja sendo desonesta na sua nova postura religiosa; 2 - Não vi nada de danoso na proposta da deputada, conforme a matéria afirma. O que eu acho ridículo aqui no Brasil é termos lei para determinar o óbvio: que criança não pode ser maltratada, que mulher não pode apanhar e que o governo, junto com a família, deve promover a cultura de respeito ao próximo, cidadania etc. 3 - A matéria é desonesta, na medida em que critica o tal programa mas não explica exatamente o quê, como se, independentemente dos credos e das muitas maneiras de ver o mundo, não houvesse um padrão de civilidade que separa as nações desenvolvidas, civilizadas, da barbárie.

  20. Wanderley Costa Postado em 01/Feb/2013 às 17:18

    É por isso que este país não tem futuro. Nunca irá dar certo enquanto existirem pessoas satisfeitas com a atual situação moral e ética caóticas. Nunca irá dar certo um país onde alguns primam pela falta de bom senso, pela falta de sensatez. Quando aparece alguém tentando resgatar valores perdidos e destruídos principalmente pela mídia, logo vem alguém para esculachar e reprovar de todas as maneiras tal iniciativa. Por isso que não acredito nesse país e estou certíssimo de que este povo merece, e muito, os políticos canalhas e criminosos que tem.

  21. Lolita Jung Postado em 01/Feb/2013 às 18:08

    Excelente iniciativa da Deputada, que representa seu eleitorado, e não pessoas que querem jogar a moral na lata do lixo e depois reclamar que mais nada funciona nessa país. Essas pessoas estão a exigir a legalização das drogas, a implantação do aborto, a cartilha gay, a mordaça gay. Mas a grande maioria da população, não quer isso. Porque é que não devemos eleger deputados e senadores, comprometidos a lutar contra essas barbaridades? O povo está acordando, muito lentamente, mas está acordando e reagindo. Justamente elegendo deputados e senadores, compretidos com a MORAL cristã sim!

  22. nelson Postado em 01/Feb/2013 às 23:21

    Em seu discurso contra uma lei que pune a discriminação contra LGBTs na ALERJ essa criatura comparou homossexuais a pedófilos e partiu do pressuposto que todos os LGBTs são pessoas perigosas, doentes e por aí vai.. De que moral ela está falando? A moral da Teologia da Prosperidade, do fanatismo dos carismáticos(braço neopentecostal da ICAR?), do fundamentalismo religioso? Em comentarios acima as pessoas confundem moral com Ética.Vamos ler Adolfo Sanchez e compreender melhor esse conceito. Será que entenderam o que a Dra. Fátima quiz dizer??? Concordo com quem disse que a lei é muito vazia, sem determinar como será a implantação dessa moral. Estranho que pessoas defendam idéia tão absurda!! E no Brasil faz-se leis com letra morta. Isso não vai dar em nada..Assim esperamos.

  23. Luiz Fernando Postado em 02/Feb/2013 às 11:22

    Tendenciosismo nada. A autora estava ciente do conjunto da obra dessa criatura, desde seu passado até suas declarações preconceituosas até mostradas nesse site em 2011. Quem sabe, sabe. Essa daí é moralista seletiva top de linha.

  24. Susana Bispo Postado em 05/Feb/2013 às 15:04

    O pior é que esse tipo de praga se alastra no Congresso Nacional.

  25. Tate Postado em 06/Feb/2013 às 21:16

    "A deputada estadual Myrian Rios, atriz e missionária da Canção Nova, facção católica conservadora denominada renovação carismática," Quanta contradição em uma só frase!

  26. jadir neves Postado em 15/Feb/2013 às 12:10

    A Calúnia. . Por esse ensinamento que deu, disse Osíris que ao homem não cabe o direito de falar de outra criatura, por despeito, por inveja ou prevenção. [i]A difamação, mesmo que calcada em fatos verdadeiros, leva a paixão destrutiva da crítica porque tem o objetivo de ferir, logo, complementa tudo aquilo que é condenável[/i], conforme o segundo preceito da Vontade Superior. Como tal, e por extensão com agravantes, a injúria ainda é mais perniciosa, pois acusa o inocente de atos indignos que não cometeu. Cada um, antes de se preocupar com as más ações de seu semelhante, deve corrigir os seus próprios erros para que não seja vítima de suas próprias críticas. Então o ensinamento, nesse caso, seria [i]não caluniarás[/i] que vem a ser o mesmo que [i]não dirás falso testemunho[/i]. (Livro: Lendas de Osíris, Lake, psc Carlos de Brito Imbassahy, pg 68.) - obs: "Aliás, lendas o são, apenas no que se referem ao gênero literário, porque, [i]em verdade, o conteúdo é autêntico e real[/i]."; (Pág 8); - Eis aí, Myrian Rios, a minha primeira contribuição ao seu bem aventurado projeto além do colocado no orkut, em 'democracia';

  27. Guilherme Augusto Postado em 15/Feb/2013 às 20:35

    A questão não é confundir morais e éticas, a questão é confundir tudo isso com hipocrisia. Uma hipocrisia que frequentemente surge com face de falso moralismo, ou seja, em termos bem coloquiais: cagação de regra por quem não tem competência alguma para, sequer, pensar em erigir uma conduta moral regrada para a sociedade. Coisa que inclusive não deve ser engessada num texto de lei, afinal isso diz respeito ao que de mais humano temos: emoções. Não se doma emoções com leis, não se doma opiniões, formas de pensar e agir com lei, e digo mais, toda e qualquer lei é perigosa por permitir, segundo preceitos da hermenêutica jurídica, diversas opções de interpretação, dependendo do contexto ou do caso em que é aplicada. E o que é mais perigoso ainda, uma interpretação equivocada do que é moral e bons costumes (que provavelmente é a interpretação desta mulher) pode levar a um entendimento equivocado e aplicação equivocada da mesma lei, que, como eu já disse, estará engessada. Em outras palavras, a lei, em si, pode não nascer equivocada, mas dependendo da aplicação dela mediante uma interpretação equivocada, ela passará a estar concretizada e ser sempre aplicada dessa maneira, o que resultará em sanções e penalidades (como até prevê lei) equivocadas, equivocadamente a certos grupos ou pessoas. Entendem o "quantum" de equívocos? Isso, no fim de tudo, só irá gerar mais injustiças, como tantas leis vigentes em nosso país. A última esperança é o Ministério Público do Rio de Janeiro agir com sensatez e bom senso de entrar com uma ADIN contra tal aberração jurídica, pois seria o caminho mais curto para ela em questão de pouco tempo estar nas mãos do STF...

  28. Geraldino Postado em 16/Feb/2013 às 16:14

    perdoem os mais entendidos, mas a palavra correta não é 'carolice' -- é hipocrisia!

  29. Marco Postado em 18/Feb/2013 às 10:41

    Eu concordo com a lei e apoio a depultada e de pessoas assim que precisamos para mudar o mundo , pessoas com fé em Deus e todo mundo tem o direito de mudar!!!

  30. mauro augusto Postado em 21/Feb/2013 às 17:05

    Como sempre muitos falam,poucos entendem e nenhum chegam a uma conclusão sensata.Dogmas precisamos supera los...

  31. Frederico Postado em 14/Mar/2013 às 09:37

    Olá amigos, achei todos os pontos de vista expressados aqui excelentes, elucidam muito bem a questão. Apenas manifestando a minha humilde opinião, o parágrafo inicial da lei já dá uma ótima idéia do desejo "autoritarista" implícito da nobre Deputada: "Parágrafo único. O Programa deverá envolver diretamente a comunidade escolar, a família, lideranças comunitárias, empresas públicas e privadas, meios de comunicação, autoridades locais e estaduais e as organizações não governamentais e comunidades religiosas, por meio de atividades culturais, esportivas, literárias, mídia, entre outras, que visem à reflexão sobre a necessidade da revisão sobre os valores morais, sociais, éticos e espirituais". Ela acha mesmo que todas essas esferas vão cooperar ordenadamente em prol do favorecimento da sua visão Fundamentalista de inserção da sociedade em uma quase imposição de regras? Tirando algumas instituições, a Mídia principalmente só faz o que interessa à ela. Produzir e distorcer fatos, dentre vários outros "atentados midiáticos", são uma de suas especialidades. Como exemplo mais recente vejo a própria indicação do Bergoglio para Papa. Ok, o cara pode ter sido aliado de assassinos, Nazistas, mandou matar, prender, sequestrar Jesuítas e o caramba à quatro, mas mal ele foi escolhido e a Mídia já tratou de esculhambar o cara de cima abaixo rs! É óbvio que o povo tem o direito de saber quem é o cara e informações suas, mas fica evidente aqui também que boa parte dos canais de informação do mundo demonstrou que sua escolha não foi unânime entre esses meios. A nobre deputada acha mesmo que a Mídia a favoreceria irrestritamente? A Globo? Bom, talvez se ela desembolsar alguns milhões ou indicar umas cabeças, quem sabe... Vejo o "desejo" dela de uma sociedade com essas características, de acordo somente com suas palavras, quase como uma Utopia. Talvez até infantil, mas somos Humanos né... E, sem desmerecer qualquer opinião aqui, mas Guilherme, sua resposta foi sensacional! Lei no Brasil, assim como em qualquer parte do mundo, sempre pode ter umas vinte interpretações diferentes. Chega à ser até legal ficar procurando quais são rsrsrrsrs, pena que os Advogados desse país não correspondem à tanto, infelizmente.

  32. Marcio Postado em 12/Apr/2013 às 00:56

    -DA PRA PERCEBER QUE OS HOMOSSEXUAIS E SEUS APRECIADORES, NÃO ACEITAM A VERDADE DE JEITO ALGUM. 1º MARCO FELICIANO (CRISTIANISMO) FOI PERSEGUIDO. AGORA, QUEM É PERSEGUIDA É Myrian Rios (CATOLICISMO)

  33. Marcos D´Avila Postado em 28/Jun/2013 às 17:35

    O cristianismo é a maior responsável pelo atraso da humanidade. Tudo bem que todos tem o direito de pensar, mas se falarem asneiras tem que ouvir verdades. Assistam viviane mose no youtube falando sobre nietzche

  34. Marcela del vechio Postado em 20/Aug/2013 às 22:19

    *Fátima Oliveira é Médica e escritora. É do Conselho Diretor da Comissão de Cidadania e Reprodução e do Conselho da Rede de Saúde das Mulheres Latino-americanas e do Caribe. Indicada ao Prêmio Nobel da paz 2005. **Myriam Rios é atriz, missionária e deputada estadual. Notam a diferença???

  35. gonçalves Postado em 28/Feb/2014 às 16:59

    o termo correto para tal situação chama-se CONTRAFACÇÃO ou seja parece divino mais é do mal. Sinais dos tempos. Da igreja de Pedro sobraram só as pedras. Hoje a musicas sejam evangélicas, sejam católicas virou um grande negócio lucrativo. Cristo pregava a humildade(verdadeira) não a CONTRAFACÇÃO ou seja a piedade fingida. os falso profetas. Mas também já previa tudo isso. MUITOS VIRÃO EM MEU NOME..quem prega a religião verdadeira de Cristo , vive de acordo com seus ensinamentos . Não residem em casas ou apartamentos caríssimos, ou tenham o melhor carro do ano, ou utilizam artifícios para manter as aparências (vaidades , vaidades somente vaidades).Falam (falácias) em edificar no ceu., mas constroem templos caríssimos na terra. Cristo pregava debaixo de arvores e com na areia, por chão , não precisava de templos dourados. A vestimentas dos padres , bispos , papa etc. são verdadeiro ultraje ao modo de vestir-se dos pobres fieis que as vezes nem sapato tem, e ainda precisam dar dinheiro para esse pessoal todo manter suas regalias e seu poder terreno.(Cristo dizia , Meu reino não é desse mundo). O evangélicos neopentecospal se vangloria de ter no mínimo três carros na garagem. Cade a religião verdadeira. Os dirigentes chamados bispos dessas congregações são multimilionários, tem mansões em Miami etc..Tudo hipócrita , fariseus . E dizem falar em nome de Cristo. A renovação carismática prega a santidade, condena o sexualidade, mas promovem o CARNAVAL CARISMATICO (PAGÃO). ´é fácil falar (amedrontar) os adolescentes com castidade , quando o sujeito que prega já tem 60 anos e já não tem hormônios suficientes para sexualidade.Padres pedofilos, , alcolatras (não vem a hora de tomar o vinho ) infestam a igreja . Pessoas se dizem convertidas quando não possuem mais a beleza da juventude e muitas viram politicas para continuarem no poder terreno.... haja hipocrisia....

  36. Mauad Postado em 01/May/2014 às 07:07

    Parabéns Deputada , Vossa Excelência e maravilhosa, não desista, resista. Te Amamos. José Miguel Mauad . Engenheiro Agrônomo