Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Rede Globo 17/Jan/2013 às 15:05
8
Comentários

Justiça condena blogueiro a indenizar Ali Kamel, chefão da Globo

É inacreditável que Ali Kamel, diretor de jornalismo da empresa que comete todo o tipo de abuso contra a democracia, contra a dignidade humana, a empresa que se empenha dia e noite para denegrir a imagem do Brasil, pretenda processar um blogueiro por causa de um chiste

Miguel do Rosário, em seu blog

Lembro-me como se fosse ontem quando o Cloaca fez uma descoberta incrível. Havia um Ali Kamel na década de 80 que protagonizara filmes pornográficos, entre eles o clássico, O Solar das Taras Proibidas. Além de ser homônimo do todo-poderoso diretor de jornalismo das Organizações Globo, ele era absolutamente igual! Mesmo rosto, mesmo tom de pele, mesmo formato de cabeça. E a juventude do ator batia com a idade atual do jornalista.

ali kamel globo

Ali Kamel, diretor geral da Rede Globo. (Foto: reprodução / web)

O Cloaca publicou o post com o vídeo, sem mais comentários, sem sequer mencionar o Ali Kamel da Globo. Era uma piada pronta. Uma piada inocente, mas poderosa e engraçadíssima, por razões que me recuso a dar, porque são óbvias, numerosas, e fazê-lo equivaleria a escrever uma tese sobre as piadas de português. Posso ser um blogueiro meio prolixo. Não quero também ser um chato de galochas!

Algo tão engraçado naturalmente logo se espalhou pela internet. Virou uma espécie de meme da blogosfera. E agora eu fico sabendo que, anos depois, o nosso querido blogueiro Rodrigo Vianna, responsável pelo blog O Escrevinhador, é condenado pela justiça a pagar uma indenização a Ali Kamel por danos morais! Razão: Vianna teria difamado Ali Kamel ao publicar em seu blog que este trabalhara em filmes “adultos” na juventude.

Ali Kamel pode acusar quem quiser, mas a Justiça aceitar tal disparate, e condenar Vianna por causa de um chiste de humor totalmente inocente como este, me parece uma perseguição política (não muito) velada. Mais que isso, parece um ataque hediondo ao humor político e à liberdade de expressão.

Leia também

Mais uma vez, vemos a Justiça desempenhando o triste papel de empregadinha dos poderosos. Ali Kamel mostrou-se indigno de ser comparado a um profissional da indústria pornográfica. O Ali Kamel do filme “adulto” é que deveria nos processar por compará-lo a um sacripanta.

É inacreditável que o diretor de jornalismo da empresa que comete todo o tipo de abuso contra a democracia, contra a dignidade humana, a empresa que se empenha dia e noite para denegrir a imagem do Brasil, aqui e no exterior, cujos métodos de jornalismo fazem os crimes de Ruport Murdoch parecerem estrepolias de uma criança mimada, pretenda processar um blogueiro por causa de um chiste!

Entendo que todos nós blogueiros devemos ser extremamente prudentes quando acusamos uma pessoa. Se Rodrigo tivesse acusado Kamel – sem provas – de surrupiar ipads do escritório da Globo, eu acharia justo que fosse condenado por danos morais. Não é o caso. A condenação não é apenas injusta, é insensata, arbitrária e antidemocrática. Espero, pelo bem da fé que tenho na justiça, que seja revertida. Vianna já avisou que irá recorrer, o que faz muito bem.

O problema é que tudo isso implica em altas despesas advocatícias, as quais constituem uma espécie de penalidade.

Vianna tem toda a solidariedade do Cafezinho. Mais ainda. O episódio deveria incentivar os blogueiros progressistas a se organizarem numa espécie de associação, para se defenderem de ataques sórdidos como esse. Uma associação também facilitaria a obtenção de contratos de publicidade e patrocínio, pois se um blog oferece pequena quantidade de visitas, duzentos blogs podem oferecer duzentas vezes mais. Farei um post amanhã amadurecendo melhor a ideia.

Recomendados para você

Comentários

  1. ANTONIO TADEU Postado em 17/Jan/2013 às 15:15

    Como sempre, a justiça arriando as cuecas e ficando de 4 pra globosta.

  2. Ismael Postado em 17/Jan/2013 às 16:23

    Curioso que quando a questão é importante como essa os comentaristas de mensalões (só petistas) pouco dão as caras!!

  3. Walter Cesar Postado em 17/Jan/2013 às 17:03

    É isso! Urgente devem se associar. Sobretudo, o apoio Federal a pequena mídia começa por vcs.

  4. joão Paulo da fonseca Postado em 18/Jan/2013 às 10:16

    Dona Justiça cada vez mais putinha!!!

  5. duilio duka de souza zanni Postado em 18/Jan/2013 às 11:52

    Como acreditar nessa (in) Justiça brasileira? Como acreditar nesses ditadores do Direito? Eu não posso aceitar que coisas como esta continuem acontecendo e, principalmente, manipuladas pelo Todo Poderoso Chefão da Máfia Globa, ALI KAMEL! Até quando permitiremos que isto continue acontecendo? Concordo com o texto acima, do Miguel e temos que denunciar todos esses canalhas que se acham deuses para decidirem a vida do povo e, principalmente esse racista e homofóbico Ali Kamel.

  6. Sérgio César Júnior Postado em 18/Jan/2013 às 13:53

    O interessante é que a sociedade brasileira vai contra o presidente Hugo Chavez de não conceder mais espaço de transmissão à emissora oposicionista, contudo fala-se em democracia, liberdade de imprensa e no entanto a própria imprensa não respeita o direito da pluralidade de opiniões e o direito de lançar as opiniões e as críticas por outros colegas de comunicação. Sempre há denúncias, exposições dos outros, no caso do Ali Kamel se ele foi um ator de um filme erótico ou pornográfico ele sabia do risco que estava expondo de ser reconhecido posteriormente e não pode sair processando ninguém por isso. Quanto ao papel da justiça ela só trabalha com provas e se já que existem as provas de que ele realmente tenha feito isso, assim como o exemplo de Xuxa Meneghel, no filme de Walter Hugo Khouri (1983), então não há o que condenar ao blogueiro por calúnia ou por ter forjado provas. A liberdade de imprensa e de crítica da imprensa se é para ser respeitada deve ser respeitada por todos. O que não se deve esquecer é que a sra. Lili Marinho durante a campanha da candidata a presidente da República Dilma Roussef, fez um apelo para que a democracia fosse respeitada e assim a liberdade de imprensa. Então o juiz deveria reconhecer isto no blogueiro.

  7. Rodrigo Postado em 12/Apr/2013 às 12:48

    Inicialmente, importa salientar que a todo direito corresponde uma contrapartida, ou seja, um dever. Genericamente, quanto à liberdade de expressão e de crítica, ambas têm por limite necessário o respeito à honra, à imagem, bem como à intimidade da pessoa. Ou seja, assim como os demais direitos, mesmo a vida (pena de morte em caso de guerra declarada - Art. 5, XLVII, da Constituição da República - não haverá penas: a) de morte, salvo em caso de guerra declarada, nos termos do art. 84, XIX), a liberdade de expressão não é absoluta, um fim em si mesmo. De tal modo, a exposição da intimidade, da vida privada pode redundar em abuso de direito e gerar um dano moral, a exemplo de quem expõe a sexualidade alheia. No caso em questão, a "crítica" do blogueiro conectava, não inocentemente, mas com o intuito de zombaria, duas pessoas. Nas entrelinhas, ou não, seriam um só indivíduo. Mas certo é que ninguém vê prazer em ser identificado com um artista pornográfico (ao qual também é devido respeito). A sociedade ainda vê com maus olhos tal profissão e, claro, daí pode surgir um dano moral, como foi reconhecido judicialmente. O grande problema por detrás disso tudo é algo em voga no Brasil desde sempre. Não foi inventado pelos petistas, pois é recorrernte a todos os seres humanos: "já que não tenho argumentos, ou, tendo-os, estes não têm a necessária força/amplitude, ou eu não os tenho, vou desqualificar o indivíduo, ridicularizá-lo". Assim, direitistas e esquerdistas, buscam a via do "o importante é ferir a credibilidade". E, feita uma acusação, a resposta não é a contestação, mas uma agressão à pessoa, que será prontamente "esculhambada". Devemos parar com isso, a fim de cessar o mau exemplo. Discutir de forma sadia, pelas vias legais, mas não tentando destruir uma reputação. A eventualidade de Ali Kamel ter sido ator pornográfico, de Lula ser ou não alcoólico, de FHC ter ou não filho fora do casamento, caso procedentes, são afeitos à vida privada de cada um. Importante, novamente, é expressar os abusos de cada um, mediante provas - alegados abusos no exercício do jornalismo, alegado conhecimento do mensalão, alegada chefia de privataria. Todas estas, pois, abrem espaço à produção de provas que se julgue bastantes à demonstração de uma acusação e à sua defesa. Se a Ali Kamel são afirmadas condutas determinadas, valham-se dos meios legais ou ainda denunciem a conduta, sem desbancar a discussão para um nível sofrível.

  8. Rodrigo Postado em 12/Apr/2013 às 15:17

    *alcoólico