Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Religião 20/Dec/2012 às 00:06
11
Comentários

Frei que violentou menores em confessionário é condenado a 20 anos de prisão

Frei foi preso dias antes da data em que fiéis promoveriam uma festa pelos seus 44 anos de sacerdócio

O juiz Felippi Ambrósio, de Forquilhinha, no sul de Santa Catarina, condenou o frei Paulo Back (foto), 69, a 20 anos de prisão, em regime fechado, por violentar dois jovens menores de 14 anos na confissão que antecedeu a primeira comunhão dos dois, na Igreja do Sagrado Coração de Jesus.

frei paulo back

Frei Paulo Back é condenado por abuso de menores.

O sacerdote foi detido preventivamente em julho deste ano no presídio Santa Augusta, em Criciúma.

Durante a tramitação do processo, a Justiça ouviu mais de 30 pessoas, incluindo vítimas, testemunhas e o religioso. De acordo com alguns relatos, Back assediava os garotos na faixa de 11 a 13 anos que frequentavam a catequese.

Um jovem disse à imprensa que foi abusado dentro da casa paroquial, quando foi lá pagar o dízimo. Falou que, depois de ter sido violentado, o frei lhe disse para rezar de modo que seus pecados, do jovem, fossem perdoados.

O juiz negou pedido do advogado de defesa o direito do réu de recorrer da sentença em liberdade. Ambrósio argumentou que, como houve justificativa para prisão preventiva, manter agora o frei encarcerado é uma “forma de assegurar a ordem pública, a instrução criminal e a aplicação da lei penal”.

Leia também

Back era considerado uma pessoa ilustre de Forquilhinha, cidade de 22 mil habitantes a 212 km de Florianópolis, a capital. Realizou centenas de casamentos, batizados e primeiras comunhões. Ele foi preso dias antes da data em que fiéis promoveriam uma festa pelos seus 44 anos de sacerdócio.

Uma comunidade de fiéis no Orkut agradecia ao frei por ensinar que “amor de Deus é o mais importante para nós”.

Paulopes e Justiça de Santa Catarina

Recomendados para você

Comentários

  1. Sérgio Postado em 20/Dec/2012 às 16:30

    Pior é o Frei Beto, que viola nossos cérebros com as abobrinhas que escreve.

  2. marcio Postado em 21/Dec/2012 às 11:05

    pelo menos voce tem a opçao de nao ler os escritos deste tal frei Beto. Ja estas crianças nao tiveram esta escolha. A pena foi demasiado branda

  3. Pessoa Postado em 21/Dec/2012 às 11:54

    "Conheci" esse cara na paróquia em que fiz a catequese...(em sp) ele olhava para os garotos de um jeito estranho, ficava fazendo umas "brincadeiras" , abraçava os meninos...Mas ninguém que sabia,ninguém que tinha provas,(os outros frades do próprio convento) queria denunciar...Há algum tempo (quando saiu a notícia da prisão) um homem que foi seminarista no convento que esse frei estava, contou que foi assediado por ele durante o seminário. Com certeza há muito mais vítimas desse homem! Muitas pessoas ficaram do lado dele, dizendo até que isso é uma "conspiração", que o frei é "santo" e que "nunca faria isso"... Será que todas as vítimas estariam mentindo que foram abusadas somente para "prejudicar" esse ser? Não consigo entender essas pessoas...

  4. eduardo Postado em 23/Dec/2012 às 18:51

    acho um absurdo tudo isso conheco o frei paulo desde 1978 nunca vi maldade nele sim pelo lado de orientacao seja religiosa o sexual mas infelismente as mentes estao muito modernisadas q distorsem as coisa e se leva por acedio. acho o frei inocente esta sendo vitima de pessoas infiltradas nestas "ceitas diabolicas" q querem nada mais q denegrir as pessoas de bem e a igreja catolica. com certeza o diabo ja esta puchando lenha p fritar esses caras.

  5. Priscila Postado em 29/Dec/2012 às 01:48

    Eu trabalhei com ele e fui muito amiga também! O Frei tem um lado bom, um lado pessoa, que é uma perfeição! Ajudou muitos e tenho certeza que por onde passou, deixou sua marca. Ele era carismático e sabia conquistar as pessoas com seu jeito de ser. Eu senti DEMAIS qdo. soube da prisão. Fiquei triste de verdade. Pois eu o via como um pai, ou como um avô! Mas ele tb tem esse outro lado, que precisava de tratamento. Eu considero essa atitude, uma doença! Mas que a pessoa tem q enxergar e ser forte, p/ querer se tratar! É muito triste frei... Vou orar por você... Pq apesar de tudo, vc é uma pessoa do bem, merece uma segunda, ou terceira chance de Deus (se quiser, é claro)... Que sua pena diminua e vc saia curado desse lugar! Eu já disse uma vez, que a cadeia é a segunda chance que Deus dá, p/ algumas pessoas aprenderem a melhorar o q está errado! Quem sabe não é o caso... O que nos resta, é orar...! Fiquem com Deus :)

  6. Antônio Alberto ( Pe. Alberto ) Mendes Ferreira Postado em 10/Jan/2013 às 14:31

    . Assim caminha a Humanidade ! Deus tarda , mas não falha ... Só hoje, 09/01/2013, fiquei sabendo da notícia abaixo: http://www.pragmatismopolitico.com.br/2012/12/frei-paulo-back-condenado-prisao.html Em 1982/83 eu denunciei , por escrito e com provas materiais, esse Frei Paulo Back e a maioria de seus colegas “ FORMADORES “ homossexuais da Ordem dos Franciscanos Menores , Província da Imaculada Conceição, à alta Hierarquia da Igreja Católica -, o arcebispo de Aparecida do Norte, Dom Geraldo Maria Penido; o Provincial da Ordem Franciscana Frei Antônio Masera; o Bispo da Região Sé/SP Dom Décio Pereira; o Bispo da Região Freguesia do Ó/SP, Dom Angélico Sândalo Bernardino; o Bispo da Região Tatuapé, Dom Luciano Mendes de Almeida; o Cônego Celso Pedro, do Seminário Central de Filosofia/SP e o Cardeal-arcebispo de São Paulo/SP, Dom Paulo Evaristo Arns . Não sabia, naquela oportunidade, que o Frei Paulo Back era primo e da mesma cidade natal do Cardeal arcebispo Dom Paulo Evaristo Arns. O grande problema Não era a homossexualidade em si , mas sua prática e a INCOERÊNCIA VOCACIONAL e POSTURA MINISTERIAL. Na época, inocente e crédulo da seriedade do Clero, achei que estava fazendo um bem à Igreja e à Humanidade. Ledo engano ... Eles, a alta Hierarquia, nada fizeram... Aliás, fizeram ! Montaram um esquema para desqualificar-me e assim, afastar-me de minha Vocação. Jogavam-me de um local para outro, mas antes enviavam a minha “ ficha “ já carimbada como raposa, perseguidor, anti-comunitário e perigoso. Dessa forma, a convivência nas casas Religiosas se tornava um verdadeiro suplício, mas tudo agüentei ... Até que em 1988, também com a “ ficha “ carimbada , fui parar na Diocese de Barra do Garças/MT. Aqui fui ordenado Presbítero/Padre , mas por questões sentimentais homossexuais do Bispo local da época – relatadas na revista Isto É ,edição nº 1883 ,de 16 de novembro de 2005, às páginas 34 e 38 - , ele NÃO permitiu que eu exercesse o meu Ministério Sacerdotal. O Prelado mencionado, apoiado por um Conselho de Presbíteros com sua maioria homossexuais, em um Processo Canônico viciado e falsificado junto à Santa Sé/Roma, no qual não tive acesso a uma vírgula – verdadeira Inquisição – em 2000 fui afastado de minhas funções Eclesiais. O Bispo citado, emérito daqui, morreu em Campinas/SP , dizem, com câncer no reto. O Frei, chefão dos Formadores Homossexuais, desde dezembro/2012, está preso por pedofilia. Fui perseguido , tripudiado e desmoralizado na Igreja e em algumas Comunidades, mas, a mim, basta a consciência do dever cumprido e da consciência tranqüila. Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé. Desde já me está reservada a coroa da justiça, que me dará o Senhor, justo Juiz ... ( 2Tm, 4-7)

    • Mario Genario Araujo Postado em 30/Apr/2015 às 06:55

      Gostei do depoimento Pe. Alberto e que sirva de alerta aos incautos como eu, você e muitos outros, que os padres e as freiras eram verdadeiros santos aqui na terra a disseminar a palavra de Deus aqui na terra. No passado o coração e a mente de uma criança de 12 anos era pura. E como disse no meu depoimento anterior, não fui abusado porque Deus não permitiu mas fiquei sabendo de vários casos na Paróquia de São José em Teresina, Piauí. Inclusive de meninas também como a Têtê que engravidou de um deles e a família ganhou uma casa em frente a igreja onde foi escrito "LAR SÃO JOSÉ" . Estive em Teresina há pouco tempo e constatei que o nome foi retirado da casa.

  7. Alexandra Postado em 11/Jan/2013 às 19:41

    Que depoimento, Pe. Alberto! É isso aí: nome aos bois, registros e tudo o mais. Parabéns pela sua CORAGEM! Pena que tem gente ainda iludida: claro que o padre condenado devia parecer ser muito "bom e amigo". O pedófilo (no caso, um padre) não sairia com a batina levantada a dizer:" vem cá, meu filho que eu quero te estuprar". Ora essa!

  8. Eduardo Postado em 17/Mar/2013 às 17:00

    Fui seminarista em SC em 1991, no Seminário São Francisco em Ituporanga. Neste mesmo ano, tive a infelicidade de meu pai estar doente com câncer e mesmo assim este verme abusava das outras crianças e veio com perguntas que não lhe caberia fazer, se eu me masturbava, como negro qual era o tamanho e etc. Tive vários amigos que apos serem violentados e serem abusados por este verme, perguntavam se ele tinha feito comigo a mesma coisa, como sexo oral, masturbação mas como eu era adolescente de 17 anos, ele sabia do meu caso pai doente, ele se limito as perguntas e com os meninos de 12 anos ate uns 16 anos as coisas foram feia. Em uma sala ao lado do quarto dele nos meses que ele ia ao seminário de ferias ou a passeio deixava jogos de tabuleiro e outros para quem ficava esperando a entrevista e muitos ou saia sem jeito e vermelhos ou outros saiam brancos e eu ficava ate com medo sem saber o que acontecia neste quarto. Ele se dizia por ser psicologo e para ver se os meninos tinham ou não vocação ele tocava nas partes intimas para ver se os jovens se excitava quando não excitava com a mão ele colocava a boca, e se o jovem se excitassem ele dizia que não podia pois eles tinham que renunciar a isto e ainda mandava rezar etc .. verme. lixo, dejeto humano morra mofado na cadeia seu inútil

  9. Lia de Souza Postado em 15/May/2013 às 17:39

    Frei Beto é da turma do Evaristo Arns, parente do lixo. Isso prova que lixo atrai lixo. E padre que denunciou, sofreu tudo que diz que sofreu e ainda come na mesma gamela tem é muita culpa também. Deveria ter aprendido que seu Deus falhou: toda justiça que tarda é porque já falhou. Não sei se é burrice ou má-fé ficar numa instituição que descreve capaz de tanta vilania. Se continua nela é conivente e oportunista. Deveria ter se armado de maias provas e denunciado fora do âmbito religioso, estava na cara que acobertariam porque é isso que fazem há 2 mil anos. Os papas que o digam...

  10. mario genario araujo Postado em 26/Jul/2013 às 09:10

    Fui acólito (coroinha) durante um período em que minha vó, muito beata, tinha um desejo imenso que eu me tornasse um padre. Dos 9 aos 14 anos permaneci fiel a fé e a tudo obedecia, não fui abusado mais tive um primo que foi por um padre homossexual e isto é o que mais na igreja católica. Nesse idade já sentia o desejo de ter uma namoradinha e fui até ao Padre Araújo perguntar se poderia namorar pois tinha o desejo de constituir uma família e a resposta foi jamais e caso acontecesse eu seria excomungado e como não sabia o que seria excomunhão tornei a perguntar e me foi dito que não mais receberia o santo sacramento ou hóstia consagrada e para que isso não viesse acontecer comigo não voltei mais a igreja católica. Para mim os padres eram santos, mas bebem, fumam se prostituem com mulheres e essas mulheres são obrigadas a fazerem abortos, os filhos jamais o chamarão de pai pois são chamados de sobrinhos e como as pessoas geralmente são muito pobres recebem alguma recompensa para ficarem caladas. Conheço uma que ganhou uma casa em frente a igreja e hoje é freira.