Redação Pragmatismo
Compartilhar
Religião 12/Nov/2012 às 22:12
34
Comentários

"Deus seja louvado" ou "Deus não existe", o que soa melhor na nota de Real?

Na França, os símbolos religiosos de sedes de governos, tribunais e escolas públicas no final do século 19. Nossa primeira Constituição republicana já contemplava a separação entre Estado e Igreja, mas estamos 120 anos atrasados em cumprir a promessas dos legisladores de então

Leonardo Sakamato, em seu sítio

A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão de São Paulo pediu que a Justiça Federal determine que as novas notas de reais a serem impressas venham sem a expressão “Deus seja louvado”.

deus seja louvado nota real

“Deus seja louvado” soa melhor que “Deus não existe” na nota de Real?

De acordo com o MPF, o Banco Central (responsável pelo conteúdo das notas) informou que o fundamento legal para a inserção da expressão “Deus seja louvado” nas cédulas é o preâmbulo da Constituição, que afirma que ela foi promulgada “sob a proteção de Deus”. Depois, teria permanecido por uma questão de tradição.

O procurador regional dos Direitos do Cidadão, Jefferson Aparecido Dias, lembrou – em nota divulgada pelo MPF – que não existe lei autorizando a inclusão da expressão nas cédulas. “Quando o Estado ostenta um símbolo religioso ou adota uma expressão verbal em sua moeda, declara sua predileção pela religião que o símbolo ou a frase representam, o que resulta na discriminação das demais religiões professadas no Brasil”.

Leia também

Um trecho da acão civil pública exemplifica bem isso: “Imaginemos a cédula de real com as seguintes expressões: ‘Alá seja louvado’, ‘Buda seja louvado’, ‘Salve Oxossi’, ‘Salve Lord Ganesha’, ‘Deus Não existe’. Com certeza haveria agitação na sociedade brasileira em razão do constrangimento sofrido pelos cidadãos crentes em Deus”.

A França retirou os símbolos religiosos de sedes de governos, tribunais e escolas públicas no final do século 19. Nossa primeira Constituição republicana já contemplava a separação entre Estado e Igreja, mas estamos 120 anos atrasados em cumprir a promessas dos legisladores de então.

Em janeiro de 2010, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou uma nota em que rejeitou “a criação de ‘mecanismos para impedir a ostentação de símbolos religiosos em estabelecimentos públicos da União’, pois considera que tal medida intolerante pretende ignorar nossas raízes históricas”.

Adoro quando alguém apela para as “raízes históricas” para discutir algo. Como aqui já disse, a escravidão está em nossas raízes históricas. A sociedade patriarcal está em nossas raízes históricas. A desigualdade social estrutural está em nossas raízes históricas. A exploração irracional dos recursos naturais está em nossas raízes históricas. A submissão da mulher como mera reprodutora e objeto sexual está em nossas raízes históricas. As decisões de Estado serem tomadas por meia dúzia de iluminados ignorando a participação popular estão em nossas raízes históricas. Lavar a honra com sangue está em nossas raízes históricas. Caçar índios no mato está em nossas raízes históricas. E isso para falar apenas de Brasil. Até porque queimar pessoas por intolerância de pensamento está nas raízes históricas de muita gente.

Quando o ser humano consegue caminhar a ponto de ver no horizonte a possibilidade de se livrar das amarras de suas “raízes históricas”, obtendo a liberdade para acreditar ou não, fazer ou não fazer, ser o que quiser ser, instituições importantes trazem justificativas para manter tudo como está.

Como foi noticiado na época, o Ministério Público do Piauí solicitou, em 2009, a retirada de símbolos religiosos dos prédios públicos, atendendo a uma representação feita por entidades da sociedade civil e, no mesmo ano, o presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro mandou recolher os crucifixos que adornavam o prédio e converteu a capela católica em local de culto ecumênico. Algumas dessas ações têm vida curta, mas o que importa é que percebe-se um processo em defesa de um Estado que proteja e acolha todas as religiões, mas não seja atrelado a nenhuma delas.

É necessário que se retirem adornos e referência religiosas de edifícios públicos, como o Supremo Tribunal Federal e o Congresso Nacional. Não é porque o país tem uma maioria de católicos que espíritas, judeus, muçulmanos, enfim, minorias, precisem aceitar um crucifixo em um espaço do Estado. Ou uma oração em sua moeda.

E, o mais relevante: as denominações cristãs são parte interessada em polêmicas judiciais, como pesquisas com célula-tronco ao direito ao aborto. Se esses elementos estão presentes nos locais onde são tomadas as decisões, como garantir que as decisões serão isentas? O Estado deve garantir que todas as religiões tenham liberdade para exercer seus cultos, tenham seus templos, igrejas e terreiros e ostentem seus símbolos. Mas não pode se envolver, positiva ou negativamente, para promover nenhuma delas.

E não sou eu quem diz isso. Em Mateus, capítulo 22, versículo 21, o livro sagrado do cristianismo deixa bem claro o que o pessoal de hoje quer fazer de conta que não entende: “Dai, pois, a César o que é de César e a Deus, o que é de Deus”.

Estado é Estado. Religião é religião. Simples assim.

É um debate pequeno? Nem de longe, pois é simbólico. E, portanto, estruturante. De quem somos nós e o que limita nossas liberdades.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Priscylla Knopp Postado em 12/Nov/2012 às 22:21

    Essa discussão é imprescindível, parabéns ao autor! A última frase é perfeita "É um debate pequeno? Nem de longe, pois é simbólico. E, portanto, estruturante. De quem somos nós e o que limita nossas liberdades." Abraço Priscylla Knopp

  2. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 12/Nov/2012 às 22:22

    Coando mosquitos e engolindo camelos. Nada mais que isso.

  3. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 12/Nov/2012 às 22:33

    Faltou-me citar algo: PREÂMBULO CONSTITUCIONAL : "Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar; o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, SOB A PROTEÇÃO DE DEUS, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL." Fui informado que o Preâmbulo não tem caráter normativo e não possui foça vinculante. É essa a interpretação majoritária de toda a doutrina e jurisprudência, inclusive do STF. Isso me faz pensar que realmente o que está escrito ali não é considerado. Sugiro portanto que destruam esse preâmbulo inteiro para assim sermos TODOS menos hipócritas, ao menos em premissas. Parabenizo também o GRANDE ATO EM PROL DA NAÇÃO, da retirada da frase das notas. Isso vai acabar com as mazelas do Brasil. Ohhhh, proposta útil! Mudou minha vida! LAUDAMUS TE!

  4. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 12/Nov/2012 às 22:40

    Viva o Viés! ... com tanta coisa GRAVE em voga, Viva o Viés!

  5. LUCAS ROVER Postado em 12/Nov/2012 às 22:53

    ridícula essa discussão.

  6. Gustavo S Postado em 12/Nov/2012 às 23:03

    Concordo, Priscylla. A discussão é relevante, sim. Essa conversa de quem desmerece uma discussão sob o argumento de que supostamente “existem coisas mais importantes para se discutir” é manjada e desonesta. Aliás, é de uma pontualidade fundamental discutir a laicidade prática do estado, num momento em que religiões atravessam, vociferam e exercem influência política através de diversos meios, inclusive sob a batuta de regalias fornecidas pelo estado.

  7. Jana Postado em 12/Nov/2012 às 23:12

    Putz o autor conseguiu descrever tudo o que eu gostaria de dizer , parabéns

  8. Bruno Postado em 12/Nov/2012 às 23:13

    Quando vamos discutir o fim dos feriados religiosos? Ah é, esqueci que a galera só quer Estado laico quando não as convém. Podemos pensar também em demolir estátuas na Bahia que fazem alusão ao candomblé e que foram construídos com dinheiro público. E mais ainda, podemos pensar em retirar todas as imagens e símbolos pagãos que circulam por Brasília.

  9. Thiago G Postado em 13/Nov/2012 às 00:01

    Alá pode ser traduzido como Deus, pois os muçulmanos são monoteístas, logo não defendem seu deus contra qualquer outro deus, uma vez que existiria apenas um Deus. Buda não é destinatário de orações, pois não é Deus, ele é uma pessoa que atingiu iluminação e que, portanto, guia quem pede por seu auxílio. Não vejo o porquê de ateus se sentirem ofendidos por qualquer demonstração de fé alheia ou por qualquer símbolo religioso, mesmo os presentes em instituições públicas. Tanto é assim que esse foi o primeiro caso que eu tomei conhecimento de alguém questionar judicialmente essa frase nas notas de real. Desconfio que esse argumento que você apresenta a respeito de um constrangimento por parte de alguns grupos não procede. Também não entendo por que você escolheu a França como modelo de país avançado, por ser laica? EUA e Reino Unido respeitam suas tradições e também não são avançados? (estou utilizando o termo avançado como oposto de atrasado, que vc utiliza no texto) Quais são seus critérios para definir atraso? Quanto às raízes históricas, se eu entendi bem, seu argumento é que a existência de fatos negativos no passado exclui a possibilidade de defesa daquilo que possa ser considerado positivo? É interessante, mas é uma lógica tortuosa. Por fim, após defender tanto o laicismo, vc utiliza uma passagem da Bíblia para arrematar seu texto??? Isso foi ironia? Pois não me pareceu.

  10. Rafael Postado em 13/Nov/2012 às 01:58

    Engraçado que somente cristãos acham essa discussão ridículo ou perca de tempo.

  11. jr fidalgo Postado em 13/Nov/2012 às 08:02

    Nem Deus seja louvado, porque o Estado é, ou deveria ser, laico. Nem Deus não existe, porque o Estado é, ou deveria ser, laico! Não se pode impor religião, porque o Estado é, ou deveria ser, laico. Não se pode impor ateísmo, porque o Estado é, ou deveria ser, laico. Aliás, dinheiro é dinheiro, e fim do bife.

    • Gustavo S Postado em 13/Nov/2012 às 09:14

      jr fidalgo, perfeito!

  12. João Postado em 13/Nov/2012 às 10:51

    Eu não entendo a ignorância passiva que assume o caráter de alguns que não enxergam os malefícios que uma determinada religião podem causar a um estado democrático de direito. Ou falta-lhes estudo ou a religião já corroeu vossos cérebros.

  13. Diego /furtado Postado em 13/Nov/2012 às 10:57

    Estamos muito atrasado nisso , como tem gnte reclamando se tivéssemos respeitado a constituição la atras qndo diz o estado e laico não estaríamos perdendo tempo agora com isso, mas nunca e tarde para mudar para melhor!

  14. Anon Postado em 13/Nov/2012 às 11:04

    o laico é igual a justiça brasileira = isto não existe

  15. Tiago Assis Postado em 13/Nov/2012 às 12:12

    Estado laico não é estado ateu, estado laico é um estado onde todos tem a liberdade de praticar suas religiões e crenças, que é o que temos hoje, pois hoje fulano pode até ser satanista, desde que não fira os direitos do outro. Tudo o que esta sendo discutido aqui é uma enorme perda de tempo, papo estapafúrdio entre mentes intelectoaloides que gostam de perder seu tempo com assuntos de minima importância tanto prática como social, pois se fulano perde tempo se sentindo ofendido ou perseguido pelo fato do nome de seu deus não estar escrito numa cédula, essa pessoa deve ter sérios problemas psicológicos pra querer se expor tanto por tão pouco.

  16. Rogerio Postado em 13/Nov/2012 às 13:55

    A palavra Allah significa DEUS. O autor deveria saber mais antes de falar bobagens. E a frase perfeita seria "Deus, dai-me paciência com esses ateus chatos". E quanto a medidas para valorizar a moeda? E o salário?

  17. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 13/Nov/2012 às 17:00

    Rafael disse : "Engraçado que somente cristãos acham essa discussão ridículo ou perca de tempo." Prezado cidadão, de onde você tirou essa patavina? De suas rasas observações? Perdoe-me, essa polemiquinha ou politiquice atinge a imaginação de muitos. Falamos de um símbolo que permeia o inconsciente coletivo das pessoas há milênios. Possuindo vários nomes: Deus, Jeová, Allah, Guaraci, Brahma, Zambi, Oxalá, Zeus, Marduk, Aton etc... Então meu caro, todas as pessoas pensam nisso e julgam o valor da causa como importante ou não. Conheço ateus que estão achando isso uma bobagem, uma perfumaria danada, pois não têm espírito belicoso e infantil de brigar contra ideia de Deus e nem com o próximo. Estão afim de um país de melhores leis. Os ateus maduros, não se envolvem nessas questões porque não creêm nisso! Os recalcados já se arvoram nesse Box no Sabão! Eu, Pablo, acho que é um HOBBIE essa atitude e não me espanta: somos uma nação sem prioridades. Criamos leis para o próprio Sistema que por sua vez, só vai gastar menos tinta ao imprimir as novas notas. Que economia, não? Nossas vida-cidadã vai mudar para melhor com isso, assim como chapeuzinho vermelho é minha filha! Meus caros, Monty Phyton perde por tamanha idiotice desse nobre e profícuo procurador! Isso é comédia.

  18. Orivaldo Guimarães de Paula Filho Postado em 13/Nov/2012 às 21:48

    Na minha opinião, a religião deve ficar restrita ao ambito pessoal e aos seus templos, e só. Não deve ser propagandeada nas concessões de serviços públicos, nem nas cédulas, não devem ser colocados simbolos religiosos em nenhum local público exceto nos seus próprios templos e devem ser extintos todos os feriados com caráter religioso, nada que seja religioso, de qualquer religião, deve ser misturado ao Estado. Simples assim.

  19. Lud Postado em 14/Nov/2012 às 15:33

    Texto sensacional!!

  20. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 14/Nov/2012 às 16:25

    Quero ver se vão acabar com feriado religioso! rs Isso não vai acabar nunca. "O brasileiro é um feriado." Se acabarem, mudo meu nome para Emilinha Borba e vou dançar pelado na rua. Gente, isso é briguinha de ateu imaturo ou querem gastar menos tinta mesmo. MIMIMIMIMI....

  21. Rogério Postado em 15/Nov/2012 às 13:03

    "Pablo Vieira de Mendonça, em 14 de novembro de 2012 às 16:25 disse: Quero ver se vão acabar com feriado religioso! rs Isso não vai acabar nunca. “O brasileiro é um feriado.” Se acabarem, mudo meu nome para Emilinha Borba e vou dançar pelado na rua. Gente, isso é briguinha de ateu imaturo ou querem gastar menos tinta mesmo. MIMIMIMIMI…." Muito bem lembrado. Uma frase nas notas é contra o estado laico, mas feriado religioso não. Vamos trabalhar ateus? Vamos trabalhar durante o próximo natal? E sexta feira santa, sábado de aleluia, corpus christi...? Se foi um "erro" colocar a frase na nota, será outro erro tirar. Deve-se recusar que se retire a frase, para não acostumar mal o MPF. Senão o MPF vai achar que pode fazer o que bem entende, até futilidades. Assim como os políticos, essa cambada também ganha seus salários com imposto que o povo paga. Então que gastem tempo com coisa útil, não fútil.

  22. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 15/Nov/2012 às 15:06

    Obrigado, amigo LÚCIDO Rogério. Um abraço.

  23. Terezinha Postado em 17/Nov/2012 às 23:41

    O que seria um estado laico? Ministrando aula no interior do Pará pude perceber algo que jamais tinha vista em uma escola pública. Todas as escolas daquela localidade tinha um oratório da virgem de nazaré. Como estava ministrando história da educação levantei a questão em sala de aula. O que seria o estado laico? Mas falar em laico, fico constrangida quando vejo certas discussões. E fico imaginando o que Deus pensaria disso? Um prostituta recebendo o Deus seja louvado depois de prestar serviço ao marido infiel. Os comerciantes do tráfico de drogas e de pessoas; Os Político corruptos que engoradam suas contas com o Deus seja louvado, enquanto muitas crianças morrem desnutrida. Enfim a lista é grande. Os critãos deviriam se preocupar com a difusão do evangelho seguindo os ensinamentos de Jesus quando disse: "O meu reino não deste mundo". Enquanto se discute O "Deus seja louvado" muito dinheiro público desce pelo ralo, inclusive com ajuda de cristãos.

  24. Jovam Brasil Postado em 21/Nov/2012 às 23:09

    Se o estado é laico, a primeira coisa que deve-se fazer é acabar com os feriados religiosos, pois esses muitos feriados em todo o País nos causa um prejuízo enorme à nossa nação. Mas ainda tem algo que deveria acabar também, é com os mentirosos, no meio destas autoridades. Esse procurador Jefferson Dias, se diz ameaçado de morte por cristãos, via e-mail, não dá para acreditar nisso, além de não ter o que fazer, ainda é um mentiroso. Um autêntico cristão nunca faz ameaça a ninguém, nem mesmo ao seu pior inimigo. CRISTÃO=seguidor de CRISTO, aos seus ensinamentos. O próprio JESUS disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida". Portanto, cristão não quer matar ninguém e nem ameaça a ninguém. Cristão tem cheiro de CRISTO, tem mente de CRISTO, fala como JESUS falou e portanto cristão é uma benção em qualquer lugar que chegar

  25. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 29/Nov/2012 às 17:46

    A MESMA VARINHA QUE BATE EM JOÃOZINHO BATE EM MARIAZINHA: É POR UM ESTADO LAICO? ENTÃO QUE SEJA DE FATO. QUEREMOS O FIM DOS FERIADOS RELIGIOSOS!

  26. maria costa Postado em 05/Dec/2012 às 12:49

    Bom, não sou contra nem a favor, apesar de eu crer em Deus e em Jesus Cristo. Querem tirar a frase? Tirem. Ótimo. Agora sejam, senhores promotores do MP, ao menos coerentes e lutem para acabar com os feriados religiosos, diga-se de passagem, católicos, que acabam com o nosso país, resultando em menos dias de trabalho, atrapalhando em muito nas nossas atividades, atrasando o nosso país que assim tem menos dias de trabalho. Aí todo mundo adora quando pode enforcar a quarta, quinta, sexta, sábado, domingo, segunda... Ora façam-me o favor! Se os senhores desejam um estado laico, por favor, retirem todas as referências religiosas. Nem nos EUA, país construído sobre bases protestantes, tem esse tanto de feriado religioso. Pronto, falei.

  27. Felipe Postado em 04/Jan/2013 às 16:13

    Gostaria de ver a reação dos cristãos que acham isso uma discussão a toa, se ao entrar em algum departamento público verem um crucifixo de cabeça para baixo ou dizeres como Satanás seja louvado.

  28. Marcelo Postado em 21/Jan/2013 às 21:48

    "Estado Laico", significa apenas que o Estado não tem uma religião oficial, e não que não possa haver manifestações religiosas conforme se decide. Por exemplo: nãoc reio em imagens católicas, mas não me ofendo se querem botar imagens em edifícios públicos, etc. A esquerda atéia quer proibir tudo e pregar contra a intolerância religiosa ao mesmo tempo.. piada isso... Respeitem a crença dos outros, pois o 1º PIB do mundo, dos EUA - que não é comunista, por isso vcs nesse blogueto chinfrim não citam - têm como lema nacional "IN GOD WE TRUST" ("EM DEUS NÓS CONFIAMOS"), e quem não crê que Deus existe, isso nada significa, deixam passar livre... Só que a esquerda não, a primeira coisa é "terminar com toda liberdade, em prol de todos", aff... Querem demolir o Cristo redentor tb é? Esses são 1ºs passos...

  29. Alan Santos Postado em 08/Feb/2013 às 00:52

    O estado é laico e não antirreligioso. Nenhuma denominação religiosa no Brasil(como o Candomblé) tem se "incomodado" com a existência de simbolos de outras religiões (como o cristianismo), todo esse burburinho é feito pela camada atéia que se sente ofendida. Um texto tendencioso.

  30. Roberto Postado em 16/Mar/2013 às 22:27

    O que vejo atualmente é uma falsa tentativa de tolerância religiosa, sendo que por trás cresce um preconceito contra os evangélicos. Questões absurdas têm sido inventadas, como essa aí das cédulas, onde não tinham o que fazer e resolveram criar polêmica, que é o que a maioria dos brasileiros gosta. Querem acabar com o preconceito acentuando sem perceber uma discriminação contra os cristãos. E o que é certo ou errado então? Quem somos nós para julgar ou apontar o dedo? Vamos trabalhar honestamente e cuidar de nossas famílias e bem-estar, respeitando o próximo, fazendo o bem sem olhar a quem. Por favor, não confundam casos isolados (polêmicas com pastores) dentro de um conjunto bem maior, que é o nº de pessoas cristãs, dizendo que os cristãos são "idiotas, otários, ladrões, patéticos". Cadê o tão pregado respeito aí? Quando é contra o cristão é só atirando pedra mesmo que resolve??

  31. João Lua C. e Sarmento Postado em 14/Nov/2014 às 14:48

    Excelente texto, muito bem escrito, parabéns.

  32. ilza Pereira da silva Postado em 15/Nov/2015 às 10:08

    Em todos os lugares, encontramos pessoas sempre dispostas ao comentário desairoso e ingrato relativamente ao que não sabem. almas levianas e inconstantes, não dominam os movimentos da vida, permanecendo subjugadas pela própria consciência. E são essas justamente aquelas que, em suas manifestações instintivas, se portam, no que sabem, como irracionais. Sua ação particular costuma corromper os assuntos mais sagrados, insultar as intenções mais generosas e ridicularizar os feitos mais nobres. Guardai-vos das atitudes dos murmuradores irresponsáveis. Concedeu-nos o Cristo a luz do Evangelho, para que a nossa análise não esteja e fria e obscura. O conhecimento com Jesus é a claridade transformadora da vida, conferindo-nos o dom de entender a mensagem viva de cada ser e a significação cada coisa, no caminho infinito. Somente os que ajuízam, a cerca da ignorância própria,respeitando o domínio das circunstancias que desconhecem, são capazes de produzir frutos de perfeição com as dádivas de Deus que já possuem.

  33. "Países com democracias laicas são mais prósperos, felizes e saudáveis" - Pragmatismo Político Postado em 29/Jan/2016 às 12:09

    […] “Deus seja louvado” ou “Deus não existe”, o que soa melhor na nota de Real? […]