Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Saúde 13/Nov/2012 às 14:30
8
Comentários

Abuso de drogas caiu pela metade em país que adotou descriminalização

Dez anos após descriminalização, abuso de drogas caiu pela metade em Portugal. Nada disso é possível quando se está numa guerra

descriminalização drogas brasil

No Brasil já existe uma campanha nacional pela descriminalização das drogas

Os guerreiros da guerra às drogas muitas vezes afirmam que a legalização ou descriminalização das drogas nos Estados Unidos aumentaria o consumo vertiginosamente. Felizmente, temos um exemplo real dos verdadeiros efeitos de acabar com a violência, a caríssima Guerra às drogas e substitui-la por um sistema de tratamento para usuários.

Dez anos atrás, Portugal descriminalizou todas as drogas. Uma década após esta experiência sem precedentes, o abuso de drogas caiu pela metade:

Especialistas da área da saúde em Portugal disseram nesta sexta-feira que a decisão de Portugal há 10 anos para descriminalizar o uso de drogas e tratar os viciados em vez de puni-los é uma experiência que deu certo.

“Não há dúvida de que o fenômeno da dependência está em declínio em Portugal”, disse João Goulão, Presidente do Instituto da Droga e da Toxicodependência, numa conferência de imprensa para marcar o 10º aniversário da nova lei de drogas.

Leia também

O número de viciados considerados “problemáticos” – aqueles que repetidamente usam drogas “pesadas” e usuários de intravenosas – tinham caído pela metade desde o início dos anos 90, quando o valor era estimado em cerca de 100.000 pessoas, disse Goulão.

Outros fatores também tiveram parte nesse avanço, Goulão, médico acrescentou.

“Este desenvolvimento não pode ser apenas atribuído a descriminalização, mas a uma confluência tratamento e políticas de redução de danos.”

Muitos desses procedimentos de tratamento inovador não teriam emergido se viciados continuassem a ser presos e criminalizados em vez de tratados por médicos especialistas e psicólogos. Atualmente 40 mil pessoas em Portugal estão sendo tratadas por abuso de drogas. Esta é uma maneira muito mais barata e muito mais humana para enfrentar esse problema. Ao invés de trancar 100.000 criminosos, os Portugueses estão trabalhando para curar 40.000 pacientes e afinar uma abordagem totalmente nova de conhecimento de tratamento ao mesmo tempo.

Nada disso é possível quando se está numa guerra.

Forbes.com

Recomendados para você

Comentários

  1. Kleber Jorge Postado em 14/Nov/2012 às 19:14

    O viciado também é um criminoso, pois o dinheiro da compra é o mesmo que compra armamento por que não fazem uma campanha do armamento e assim iria diminuir bastante a criminalidade, mas não fazem pois a violencia é uma fonte de votos, é uma vergonha ver esses "artistas" fazendo uma campanha dessas bando de criminosos.

  2. Cássio Postado em 14/Nov/2012 às 20:32

    Campanha do armamento? Cara, não entendi bulhufas.

  3. Marco Aurélio Postado em 16/Nov/2012 às 04:33

    Kleber Jorge, você é retardado? O dinheiro da compra é o mesmo que compra o armamento PORQUE O GOVERNO ASSIM O QUER! Vá estudar história, leia sobre a proibição do álcool e como isso fortaleceu Al Capone. Seus argumentos são frutos de uma visão distorcida da realidade, incorporada por uma sociedade hipócrita que não sabe questionar. http://www.youtube.com/watch?v=uFeCVrZEtJs

  4. Edesio Postado em 27/Dec/2012 às 20:14

    Os grandes aliados do tráfico de drogas são o sistema financeiro e a indústria de armas, seus centros mais dinâmicos se encontram nos Estados Unidos da América do Norte, país cujos governos se aliaram inescrupulosamente a grupos de traficantes, sejam de drogas, sejam de armas, no combate a governos que contrariavam ou contrariam seus interesses. Foi assim no Vietnã, Panamá, México e mais recentemente Afeganistão!

  5. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 29/Dec/2012 às 22:42

    Sou a favor da legazição, mas insisto: O BRASIL deve agir para BRASILEIROS, e não em modelos importados. Isso exigirá COM CERTEZA um esforço diferenciado.

  6. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 29/Dec/2012 às 22:43

    errata: Legalização

  7. Marcus Evaristo Postado em 23/May/2013 às 00:41

    O cara lê o texto e ainda manda uma opinião dessas. Ô kleber, pensa, meu filho!!

  8. Débora Postado em 04/Jun/2013 às 14:57

    Perfeito. Adorei a matéria.