Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Desenvolvimento Brasileiro 26/Oct/2012 às 17:00
3
Comentários

Redução da desigualdade: renda de negros e nordestinos cresce o dobro da média

Renda de negros e nordestinos da classe C cresce o dobro da média. Contribuição de mulheres para renda da faixa subiu 76% e de homens, 47%. 77% dos homens da classe C têm certeza que esposas escondem dinheiro

renda negros nordestinos classe média

Renda das mulheres cresceu mais que a dos homens. (Foto: divulgação)

A renda de negros e nordestinos cresceu o dobro da média da classe C nos últimos dez anos, segundo dados do estudo “Vozes do Brasil” e do Data Popular. O crescimento da renda geral da classe média foi de 57% – e se elevou 123% para os negros e nordestinos entre 2002 e 2012.

“Os dados mostram que a classe média cresceu com redução da desigualdade. Havia mais negros e nordestinos entre os mais pobres, e os mais pobres foram os mais impactados pelo aumento do salário mínimo e pelo acesso a empregos melhores”, diz Renato Meirelles, do Instituto Data Popular.

Mulheres

A participação das mulheres na renda da classe média aumentou mais que a dos homens e a influência delas nas decisões da família também, o que aponta um “empoderamento” da população feminina, segundo a pesquisa. A contribuição das mulheres para a renda da classe C aumentou 76% nos últimos dez anos, enquanto a dos homens subiu 47%.

O total de mulheres na classe média cresceu 13% nos últimos dez anos. A quantidade das em idade de trabalho aumentou 19% nessa fatia da população, e a quantidade de mulheres com carteira assinada subiu 59%.

Leia também

Entrevistados na pesquisa, 78% dos homens da classe C dizem que preferem mudar de opinião para não brigar com a esposa e 77% têm certeza de que elas guardam dinheiro sem ele saber. Além disso, 63% afirmam que a esposa confere a conta deles e sabe exatamente o que ganham.

Essa conduta dos homens em relação às mulheres é mais forte na classe C que nas outras, diz Meirelles, porque o protagonismo feminino é mais recente na classe média. “O processo de emancipação feminina é mais recente, então eles não aprenderam ainda a lidar com isso”, afirma.

Elas também influenciam fortemente as decisões pelos parceiros, de acordo com a pesquisa. Na classe C, 85% dos homens afirmam que a esposa é a principal responsável pelas decisões de compras de supermercado, 78% diz que elas têm mais espaço na decisão das viagens de férias e 72% diz que elas também definem as roupas deles. A responsabilidade delas também é primordial no carro da família (62%).

A pesquisa será divulgada no “Fórum Novo Brasil : Vozes da Classe Média Brasileira”, que acontece nos dias 12 e 13 de novembro, em São Paulo.

Agência Globo

Recomendados para você

Comentários

  1. silver account Postado em 27/Oct/2012 às 16:31

    Classe média movimenta R$ 1 trilhão, indica estudo Setembro 20, 2012 CLAUDIA ROLLI DE SÃO PAULO A classe média brasileira deve movimentar neste ano R$ 1 trilhão, segundo estimativas do governo. São 104 milhões de brasileiros, ou 53% da população total do país. Há dez anos, eram 38%. Se esse contingente de pessoas formasse um país isolado, ocuparia o 18° lugar no ranking das 20 nações com maior consumo do mundo - o "G20 do consumo", segundo dados do Banco Mundial.

  2. gold account Postado em 27/Oct/2012 às 21:51

    Nos últimos dez anos, 35 milhões de pessoas foram incluídas na classe média, o que leva a 53% da população brasileira. A pesquisa classifica como classe média os que vivem em famílias com renda per capita mensal entre R$ 291 e R$ 1.019 e têm baixa probabilidade de deixar esse padrão no futuro.