Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Revista Veja 19/Sep/2012 às 14:12
11
Comentários

Todo poderoso da Veja tenta 'eliminar Lula' com um blefe e se dá mal

Como disse o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, Marcos Valério é “um jogador” e deve ser visto com cautela. Mas assim como o empresário, Roberto Civita, da Abril, também decidiu jogar cartas e trucou ao acusar Lula de ser o chefe do mensalão sem ter o Zap

roberto civita lula veja valério

Roberto Cívita, dono da editora abril, está engasgado com Lula Foto: divulgação

Algoz dos chamados “mensaleiros”, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel não comprou a estória relatada por Veja neste fim de semana, segundo a qual Marcos Valério estaria espalhando a “interlocutores” próximos a tese de que Lula era o verdadeiro chefe do mensalão. Gurgel disse que Valério é um “jogador” e que suas declarações devem ser tomadas com cautela – ainda que o advogado de Valério, Marcelo Leonardo tenha negado que seu cliente tenha dado qualquer declaração a Veja.

Ocorre que Valério não é o único “jogador”. Assim como ele, a revista Veja, de Roberto Civita, também decidiu jogar cartas. O objetivo, evidentemente, é aniquilar o ex-presidente Lula. E como numa partida de truco, Veja blefou sem ter o Zap – a carta que derruba todas as outras. No caso concreto, o Zap seria a fita com a entrevista de Marcos Valério. E a possibilidade de que essa fita exista é remotíssima, praticamente nula.

Leia também

A “existência” da fita, até agora, só foi confirmada pelo jornalista Ricardo Noblat. Disse ele que Valério deu entrevista a Veja e que, depois disso, diante da discordância do advogado Marcelo Leonardo, ele teria recuado e pedido à direção da revista Veja que a publicasse de forma indireta – atribuindo suas declarações a terceiros.

Ocorre que, para que essa estória fosse verdadeira, Valério teria que ter algum poder de pressão sobre Veja. Com que argumento um empresário praticamente falido, à beira da prisão, convenceria um jornalista e uma revista que caça Lula há oito anos a não publicar uma entrevista tão bombástica? Seria impossível qualquer tipo de acordo.

Se é assim, por que o PT ou os “petralhas” (como diz Reinaldo Azevedo) então não pedem a fita? Por uma razão bastante simples. Ninguém sabe, a esta altura do campeonato, qual é o estado emocional de Marcos Valério, um empresário que serviu ao PSDB, ao PT e que, em vez de ser recompensado, está prestes a ser preso. E por muitos anos.

O truque de Veja foi simplesmente utilizar uma das artimanhas mais manjadas do jornalismo – mas com uma audácia inédita. O “disse a interlocutores próximos” sempre foi um recursos utilizados por dois tipos de jornalistas: os que simplesmente inventam “offs” e aqueles que, de boa fé, aproximam-se de fontes que possuem informações relevantes, mas não podem se identificar. Só que, nestes casos, as “declarações” não são colocadas entre aspas – e nem vendidas aos leitores, na primeira página, como uma entrevista em “on”, com fita e gravador.

A reportagem foi apenas a peça inicial de um golpe engendrado. Uma entrevista inventada, tomada por verdade por adversários de Lula na política e nos meios de comunicação, e que paira no ar como o pretexto para uma futura ação judicial contra o ex-presidente.

Um blefe. Uma trucada. Mas sem o Zap.

Brasil 247

Recomendados para você

Comentários

  1. Pedro Souza Postado em 19/Sep/2012 às 16:16

    Então porq

  2. Pedro Souza Postado em 19/Sep/2012 às 16:17

    Então porque Lula calou-se ? oda vez ele faz isso, ao invés de se defender, coloca os alienadinhos do PT, e da BESTA pra propagar ideiazinhas na internet..Abre a boca Lula, já que você não deve, não se esconda.

    • Gustavo S Postado em 19/Sep/2012 às 17:02

      Simplesmente porque ir a público para justificar uma suposição ou algo que não se pode provar é alimentar as falácias de Veja e jogar o jogo que a revista quer. Lula é calejado e já provou que sabe mais do que muitos como lidar com situações assim.

      • Raquel Postado em 19/Sep/2012 às 17:40

        Concordo com Gustavo. Não cabe a um ex-presidente ficar se sujeitando a responder matérias de qualquer veículo de comunicação, principalmente quando nelas não há nenhum tipo de vínculo concreto comprometedor. Acho, sim, que tem o dever de responder a acusações judiciais no âmbito do judiciário, quando estas existirem.

  3. Hermes Filho Postado em 19/Sep/2012 às 17:44

    AQUI NO BRASIL OS PELEGOS QUE ACUSAM LULA NUNCA APRENDERAM QUE A REGRA PARA UM JULGAMENTO É O ACUSADOR PROVAR SUA DENUNCIA E NÃO O ACUSADO PROVAR QUE É INOCENTE. PORÉM ESSES PELEGOS, MORCEGOS DO PSDB, TENTAM A TODO CUSTO COLOCAR A JUSTIÇA E A OPINIÃO PUBLICA CONTRA O PT, SIMPLESMENTE MENCIONANDO FATOS INVERÍDICOS E SEM RESPONSABILIDADE. A CALÚNIA FALSA É OBRA DO DIABO E ELE TEM MUITOS SEGUIDORES.

  4. Henrique Postado em 19/Sep/2012 às 22:27

    Responder calúnias é ridículo. Esse é o golpe do COITO DE BANDIDOS e seus lacaios. Eu quero ver é respoder às provas cartorais e robustas da PRIVATARIA TUCANA.

  5. Juliano Postado em 19/Sep/2012 às 22:59

    Lula não comenta notícias da VEJA desde meados de 2000 ele sabe a qualidade das fontes e o tipo de "informação"que é colocada naquele panfleto.

  6. Marcel Postado em 20/Sep/2012 às 08:57

    Acho que ele nao responde porque existe esse tipo de gente que responde por ele...Aprendam, políticos nao devem ser idolatrados, e sim cobrados..constantemente, independente da preferencia política...

  7. Mugg Postado em 20/Sep/2012 às 12:41

    É claro que o todo poderoso está por trás do mensalão,não se comenta porque a maioria dos brasileiros colocaram ele no poder.A verdade está estampada. Os resultados financeiros do seu filhinho LULINHA.

  8. Waldir Postado em 21/Sep/2012 às 20:37

    Mensalão sendo julgado no mês da eleição com chamadas em todos os telejornais da Globo cheira mal aí tem .pergunta quanto o governo do estado esta gastando com propaganda na Globo acorda ministério publico .ese relator não passa nenhuma credibilidade sei não ????

  9. Romildo Borella Postado em 06/Nov/2012 às 15:11

    Concordo com Hermes Filho. Nos processos aglutinados e relativos ao pseudo mensalão no STF não constam nenhuma prova material que comprove a culpabilidade dos indiciados. Quem acua sem provsd também é um criminoso (denenuncia caluniosa) e este(s) deve responder por sua irresponsabilidade. Existe uma história da dívida monstruosa da Editora Abril, leia Revista oia;O governo Lula fez valer a lei, não aceitando que a maioria do capita dessa empresa fosse vendida aum grupo estrangeiro.Dá para notar a perseguição se trégua ao nossa grande presisdente Lula. Quanro ao relator dos processos no STF não merece, de tão hipócrita) não merecemeus comentários.