Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mulheres violadas 13/Sep/2012 às 16:50
66
Comentários

Os homens que odeiam as mulheres feministas: de onde vem tanta irritação?

Conviver com a liberdade das mulheres requer personalidades menos controladoras, gente mais segura e confiante, homens dispostos a colaborar em relativa igualdade. Quantos caras você conhece que cabem nessa definição?

feministas feminismo preconceito brasil

No Brasil, o feminismo atravessou diferentes fases e dilemas. Foto: BREscola

Noto que virou moda na imprensa brasileira falar mal das mulheres independentes. Qualquer um que deseje cinco minutos de fama desce o cacete no “feminismo”, entendido como a atitude auto-suficiente das mulheres em relação aos homens. No jornal que eu assino, houve na última semana dois artigos esculhambando mulheres que trabalham e não parecem interessadas em homens.

Além do esforço deliberado para causar indignação – que virou praga no jornalismo brasileiro – acho que existe por trás dessas bobagens um verdadeiro sentimento reacionário.

Muitos homens gostariam de voltar ao período em que todos os empregos e todas as prerrogativas pertenciam a eles. Muitas mulheres estão cansadas – ou assustadas com a perspectiva – de trabalhar duro pelo resto da vida, acumulando funções de mãe, dona de casa e funcionária exemplar. Em meio a eles, milhões estão inseguros sobre o seu ponto de vista ou sua situação social.

Leia também

Minha impressão é que começamos a viver um tempo de nostalgia, alimentado pela sensação de que a relações entre homens e mulheres nunca mais serão como antes. Tem gente morrendo de medo de ficar obsoleto.

Não é por acaso que os textos de ataque às feministas sempre arrumam um jeito de ironizar as mulheres que “vivem sem homem”. Os autores dizem que a independência afetiva das mulheres não passa de embromação. Sugerem que todas elas gostariam de ter um macho forte e provedor que as levasse pelo braço. “É genético!”, garantem. Na falta de um homem de verdade, cercadas de moleques incapazes de assumir seu lugar histórico, as solitárias inventariam fantasias de auto-suficiência.

Eu, francamente, não sei de onde vem tanta bile. Qual é o problema das mulheres dizerem que são independentes e que vivem na boa sem um cara que conserte a pia? Em muitos casos é a pura verdade. Entre ter um casamento de merda e ir ao cinema sozinhas, escolhem a segunda opção – mas tem gente que se ofende com isso. Os cáusticos talvez achem que a mulherada deveria aguentar qualquer marmanjo. Ou então ficar chorando pelos cantos quando o impiastro fosse embora, em vez de erguer a cabeça e tocar a vida, orgulhosas. As mulheres parecem que discordam. Qual o problema?

Isso significa o fim das relações estáveis entre homem e mulher? Não! Nunca ouvi qualquer mulher heterossexual dizer que não queria mais homens. Algumas não querem casar ou morar junto, mas isso é 100% diferente de recusar uma relação afetiva. Outras dizem preferir ficar sozinhas a estar com homens que não amam. Parece sensato. Há muitas solteiras e divorciadas no mundo em que eu vivo, mas isso pode ser apenas inevitável. Não anda fácil arrumar parceiros estáveis, de qualquer sexo. Enfim, vejo mulheres sozinhas, mas nenhum movimento que dispense ou hostilize a presença masculina.

Por que, então, tantos homens se sentem ameaçados?

Não sei. Mas a minha impressão é que viver nesse mundo de mulheres auto-suficientes está se tornando complicado. Se a mulher não precisa mais do nosso dinheiro para sobreviver, pode ir embora a qualquer momento. Isso é muito inquietante. Dentro de casa, elas passaram a exigir que o sujeito saia do sofá e colabore na hora de fazer comida e de cuidar dos filhos. “Um saco“.

Por trabalhar, as mulheres estão em contato diário com outros homens, potenciais concorrentes. Há que ter nervos para lidar com isso. Antes, uma mulher que trocasse de parceiros depois do casamento era punida com uma bruta censura social, senão com violência pura e simples. Agora, as mulheres fazem a troca sem que os parceiros possam objetar uma vírgula.

Enfim, o nível de controle masculino sobre o que as mulheres vestem, falam ou fazem caiu espetacularmente. Elas estão livres inclusive para repetir nossos comportamentos mais destrutivos e egoístas, e muitas vezes o fazem. Conviver com isso requer personalidades menos controladoras, gente mais segura e confiante, homens dispostos a colaborar em relativa igualdade. Quantos caras você conhece que cabem nessa definição? Poucos – e não adianta procurar entre os que odeiam as feministas…

Por Ivan Martins, Época

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Amanda Postado em 14/Sep/2012 às 21:40

    O engraçado são as propagandas que veem logo após a matéria: Fique 10 anos mais jovem e um portal de moda... É, o mundo não é mais o mesmo, e eu quero descer!

    • Moderação Postado em 14/Sep/2012 às 22:48

      Olá Amanda, As propagandas são aleatórias e infelizmente não é possível bloqueá-las com especificidade. Como não dispomos de verba de publicidades governamentais ou patrocínios do gênero, as publicidades aleatórias e de programas de afiliados representam a única maneira de manter o portal funcionando e de cobrirmos as nossas despesas, que não são poucas.

    • crayancour Postado em 04/Jun/2014 às 04:25

      Marguerite Yourcenar: a primeira mulher a ingressar na Academia Francesa de Letras. De olhos abertos: Entrevistas com Matthieu Galey. E O FEMINISMO? Sou contra o particularismo de país, de religião, de espécie. Não conte comigo para fazer particularismo de sexo. Julgo que uma boa mulher vale um homem bom; que uma mulher inteligente vale um homem inteligente. É uma verdade simples. Quando se trata de lutar para que as mulheres, com mérito igual, recebam o mesmo salário que um homem, participo dessa luta; quando se trata de defender sua liberdade de utilizar a anticoncepção, apóio ativamente várias organizações desse gênero; quando se trata mesmo do aborto, nos casos em que a mulher ou homem em questão não puderam ou souberam tomar providências a tempo, sou pelo aborto, e pertenço a várias sociedades que ajudam as mulheres em casos semelhantes, embora pessoalmente o aborto sempre me pareça um ato muito grave. Mas em nossas sociedades superpovoadas e onde, para a maioria dos seres humanos, a miséria e a ignorância reinam, creio ser preferível interromper uma vida em seu início que deixá-la desenvolver-se em condições indignas. Quando se trata de educação ou de instrução, sou pela igualdade dos sexos; isso é obvio. Quando se trata de direitos políticos, não apenas de voto, mas de participação no governo, estou também mais que de acordo, embora duvide que as mulheres possam, como também não podem os homens, melhorar muito a detestável situação política de nossa época, a menos que uns e outros e seus métodos de ação sejam profundamente transformados. Por outro lado, tenho fortes objeções ao feminismo tal como se apresenta hoje (197?). na maioria das vezes, é agressivo, e não é pela agressão que se chega duradouramente a alguma coisa. Depois, e sem dúvida isso lhe parecerá paradoxal, ele é conformista, do ponto de vista do estabelecimento social, no sentido em que a mulher parece aspirar à liberdade e à felicidade do burocrata, que sai toda manhã com uma pasta sob o braço, ou do operário que toda manhã marca o ponto na fábrica. Esse homo sapiens das sociedades burocráticas e tecnocráticas é o ideal que ela parece querer imitar, sem ver as frustrações e os perigos que isso comporta, porque aí, de modo semelhante aos homens, ela pensa em termos de lucro imediato e de “sucesso” individual. Acho que o importante, para as mulheres, é participar o mais possível de todas as causas uteis e impor essa participação por sua competência. Mesmo em pleno século XIX, as autoridades inglesas mostraram-se brutais e grosseiras com Florence Nightingale, no hospital de Scutari: não puderam dispensá-la. Todo ganho obtido pela mulher na causa dos direitos cívicos, do urbanismo, do meio ambiente, da proteção do animal, da criança e das minorias humanas, toda vitória contra a guerra, contra a monstruosa explicação da ciência em favor da avidez e da violência, é a da mulher, se não do feminismo, e será a do feminismo por acréscimo. Acho mesmo a mulher mais em condições de se encarregar desse papel do que o homem, por causa do seu contato cotidiano com as realidades da vida, que com frequência o homem ignora mais do que ela. Acho também lamentável ver a mulher fazer jogo duplo, ver por exemplo, revistas, para se adaptarem à moda (pois as opiniões são também modas), que publicam artigos feministas supostamente incendiários, ao mesmo tempo em que oferecem a suas leitoras, que as folheiam distraidamente no cabeleireiro, o mesmo número de fotografias de belas jovens, ou antes, de jovens que seriam belas se não encarnassem de modo muito evidente modelos publicitários; a curiosa psicologia comercial de nossa época impõe essas expressões agastadas, pretensamente sedutoras, provocantes ou sensuais, a menos que não se aproximem do erotismo da seminudez, quando há oportunidade. Espanta-me o fato de as feministas aceitarem esse mundo de mulheres-objetos. Espanta-me também que elas continuem a se entregar de modo gregário à moda, como se a moda se confundisse com a elegância, e que milhões delas aceitem, em uma completa inconsciência, o suplício de todos esses animais martirizados para experimentar neles produtos cosméticos, quando não agonizam em armadilhas ou espancados sobre o gelo, para assegurar a essas mesmas mulheres adereços sanguinolentos. O fato de elas adquirirem com dinheiro livremente ganho em uma “carreira” (sic) ou oferecido por um marido ou um amante não muda em nada o problema. Nos Estados Unidos, acho que no dia em que a mulher tiver conseguido impedir que um retrato de bela jovem que fuma com um certo ar de desafio leve o leitor de revistas a comprar cigarros, que três linhas quase invisíveis, ao pé da página, declaram nocivos e cancerígenos, a causa das mulheres terá dado um grande passo. Enfim, as mulheres que dizem “os homens” e os homens que dizem “as mulheres”, geralmente para se lamentarem tanto em um grupo como no outro, inspiram-me um tédio imenso, como todos os que balbuciam todas as fórmulas convencionais. Há virtudes especificamente “femininas” que as feministas dão a impressão de desprezar, o que não significa, aliás, que alguma vez elas tenham sido o apanágio de todas as mulheres: a doçura, a bondade, a finura, a delicadeza, virtudes tão importantes que um homem que não possuísse pelo menos uma parte delas seria um bruto, e não um homem. Há virtudes ditas “masculinas”, o que também não significa que todos os homens as possuam: a coragem, a resistência, a energia física, o controle de si, e a mulher que não detiver pelo menos uma parte delas não passa de um trapo. Eu gostaria que essas virtudes complementares servissem igualmente para o bem de todos. Mas suprimir as diferenças que existem entre os sexos, tão variáveis e tão fluidas quanto essas diferenças sociais e psicológicas podem ser, parece-me deplorável, como todo o que leva o gênero humano, em nossa época, para uma sombria uniformidade. (...) O estupro é o crime de uma sociedade que não soube resolver, não tanto o problema dos sexos, mas o da sexualidade. Seria preciso que a criança aprendesse desde cedo que o coito é um ato sagrado, o que as civilizações primitivas souberam; que a satisfação sexual depende em grande parte das relações de ternura, de boa vontade de um para com o outro. Não é nem pela violência, nem pelo dinheiro, nem mesmo pelo amor louco que se chega à volúpia. É preciso uma compreensão recíproca. (...) - Se as mulheres têm uma existência tão limitada quanto a senhora diz [nota: Permito-me interromper meu interlocutor, pois é preciso protestar. Uma existência feminina de tipo tradicional não é forçosamente limitada em todos os sentidos: Fedra ou Andrômaca (ou, por que não, a Félicité de Un coeur simple?) são impulsos para o infinito], como explica que haja mulheres romancistas que só se interessam pelas mulheres? Talvez precisamente porque são mulheres e só se interessam por si mesmas. Se o mesmo ocorresse com os homens, não teríamos Dido de Virgílio, nem Madame Bovary, nem Madame de Langeais, nem Ana Karenina. (...) às vezes há, em grandes homens, uma tendência à impessoalidade total, de que [o imperador romano, personagem do romance Memórias de Adriano da autora] Adriano nos fala: “Um homem que escreve ou calcula não pertence mais ao seu sexo. Ele escapa mesmo ao humano.” É muito mais raro, pelo menos até nossos dias, mesmo entre as mais eminentes mulheres. - A senhora é um exemplo do contrário. - Se é verdade, uma andorinha só não faz verão. NESTE PONTO DISCORDO UM TANTO QUANTO DE MARGUERITE YOURCENAR: PASSARAM-SE SÉCULOS ATÉ QUE UMA MULHER (ELA PRÓPRIA, E INCLUSIVE POR ROMANCES CUJOS PROTAGONISTAS SÃO HOMENS) FOSSE ADMITIDA NA ACADEMIA FRANCESA DE LETRAS. ACHO PERFEITAMENTE COMPREENSÍVEL QUE MULHERES VENHAM A, POR UM BOM TEMPO, DEDICAR-SE PREDOMINANTEMENTE A DAR VOZ A MULHERES (E HAVERÁ EXCEÇÕES, BEM ENTENDIDO). A QUESTÃO ME PARECE UM POUCO COMO O QUE LEVOU O CINEMA BRASILEIRO POR MUITO TEMPO A DEDICAR-SE PREDOMINANTEMENTE A RETRATAR AS CONTRADIÇÕES SOCIAIS E HISTÓRICAS DO PAÍS, AO INVÉS DO O CHEIRO DO RALO. GAIJIN E O KASATO MARU, AO INVÉS DO NAUFRÁGIO DO TITANIC. Reproduzo abaixo trechos do romance Memórias de Adriano, de Marguerite Yourcenar, sobre as mulheres: não se trata necessariamente em tudo das opiniões da autora, mas sim do personagem, imperador romano do século II d.C.: podemos entretanto entrever a dela própria, e algumas pinceladas de estranha continuidade com o mundo atual: “Ignorava quase tudo dessas mulheres; a parte que entregavam das suas vidas cabia entre duas portas entreabertas. Seu amor, do qual falavam sem cessar, parecia-me por vezes tão leve como uma de suas guirlandas, como uma jóia da moda, um ornamento caro e frágil. Imaginava-as ataviando-se com sua paixão, tal como usavam o carmim ou colocavam seus colares. Minha vida íntima não lhes era menos misteriosa; não desejavam sequer conhecê-la, preferindo fantasiá-la segundo a imaginação. Acabei por compreender que o espírito do jogo exigia esses perpétuos disfarces, esses excessos nas confidencias e nas queixas, esse prazer ora aparente, ora dissimulado, esses encontros planejados como os passos de uma dança. Mesmo nas disputas, esperavam de mim uma réplica antecipadamente calculada, e a bela mulher desfeita em lágrimas torcia as mãos como num palco. Tenho pensado freqüentemente que os amantes apaixonados pelas mulheres se prendem ao tempo e aos acessórios do culto tanto, pelo menos, quanto à sua própria deusa. Deleitam-se com os dedos tintos pela hena vermelha, com os perfumes na pele, com os mil artifícios que realçam a beleza e, por vezes, fabricam-na por completo. Esses ternos ídolos diferem em tudo das grandes fêmeas bárbaras ou das nossas camponesas pesadas e graves; nascem das volutas douradas das nossas grandes cidades, dos cubículos dos tintureiros ou do vapor úmido das estufas, assim como Vênus das ondas dos mares gregos. Dificilmente se poderia dissociá-las da doçura febril de certas noites da Antióquia, da excitação das manhãs de Roma, dos nomes famosos que usavam, do ambiente de luxo em que o maior requinte era mostrarem-se nuas, mas jamais sem seus adereços. Eu teria ambicionado muito mais: queria a criatura humana despojada de tudo, sozinha consigo mesma, como teria sido forçoso que estivesse algumas vezes na doença, ou depois da morte do primeiro filho recém-nascido, ou frente a uma primeira ruga no espelho. Um homem que lê, pensa ou calcula, pertence à espécie e não ao sexo; nos seus melhores momentos ele escapa inclusive ao humano. No entanto, minhas amantes pareciam vangloriar-se de só pensar como mulheres: o espírito ou a alma que eu buscava ainda não era mais que um perfume. Contudo, ali devia existir alguma coisa mais. Como uma personagem de comédia que aguardasse o momento propício dissimulado atrás de um reposteiro, eu espreitava com curiosidade os rumores de um interior desconhecido, o som peculiar das tagarelices femininas, a explosão de cólera ou de risos, os murmúrios de uma intimidade, tudo o que cessava quando sabiam de minha presença. As crianças, a eterna preocupação com o vestuário, os problemas de dinheiro deviam reassumir na minha ausência uma importância que me ocultavam; o próprio marido, tão escarnecido, tornava-se essencial, talvez amado. Comparava minhas amantes à fisionomia desagradável das mulheres da minha família, as econômicas e as ambiciosas, incessantemente ocupadas na apuração das contas domésticas, ou em supervisionar a limpeza dos bustos dos antepassados; perguntava a mim mesmo se aquelas frias matronas, por sua vez, estreitavam um amante em seus braços sob o caramanchão do jardim, e se minhas fáceis beldades não esperariam apenas minha partida para recomeçarem suas discussões com o mordomo. Bem ou mal, procurava juntar aquelas duas faces do universo das mulheres.” (tradução de Marta Calderaro) “A condição das mulheres é determinada por estranhos costumes: elas são ao mesmo tempo dominadas e protegidas, fracas e poderosas, excessivamente desprezadas e excessiva-mente respeitadas. Nesse caos de costumes contraditórios, a sociedade sobrepõe-se à natureza: pior ainda, não é fácil dis-tinguir uma da outra. Esse estado de coisas tão confuso é, em toda parte, mais estável do que parece: no conjunto, as mulheres querem continuar como estão; resistem às mudanças, ou as utilizam em benefício próprio. A liberdade das mulheres de hoje, maior ou pelo menos mais visível do que a dos tempos antigos, não passa de um dos aspectos da vida mais fácil das épocas prósperas; os princípios e mesmo os preconceitos de outrora não foram seriamente atingidos. Sinceros ou não, os elogios oficiais e as inscrições tumulares continuam a atribuir às nossas matronas as mesmas virtudes de inteligência, castidade e austeridade que lhes eram exigidas sob a República. Aliás, essas mudanças, reais ou aparentes, não modificaram em nada o eterno desregramento dos costumes da classe baixa, nem a perpétua hipocrisia burguesa, e só o tempo poderá provar sua durabilidade. A fraqueza das mulheres, como a dos escravos, deve-se à sua condição legal; sua força desforra-se nas pequenas coisas nas quais o poder que elas exercem é quase ilimitado. Raramente vi o interior de uma casa onde as mulheres não reinassem; também vi várias vezes reinar ali o intendente, o cozinheiro, ou o ex-escravo. No campo financeiro, as mulheres permanecem legalmente subordinadas a uma certa forma de tutela; na prática, em todas as lojas de Suburra, é normalmente a vendedora de aves ou de frutos quem tem voz ativa no balcão. A esposa de Atiano administrava os bens da família com admirável gênio de homem de negócios. As leis deveriam diferenciar o menos possível sua aplicação: concedi à mulher uma liberdade acrescida do direito de administrar sua fortuna, de testar ou de herdar. Insisti em que nenhuma jovem se casasse sem seu próprio consentimento: essa transgressão das leis é tão repugnante como qualquer outra. O casamento é sua grande questão; é muito justo que elas só a resolvam por livre e espontânea vontade.” (tradução de Marta Calderaro)

      • Suadeira Postado em 14/Jan/2016 às 13:06

        Elas têm ódio porque sabem que se não fossem os homens elas ainda estariam vivendo nas cavernas sem nenhum tipo de conforto além disso a revolta pior é porque foram massacradas de toda forma na história humana e agora não por força delas mas com a ajuda dos próprios homens elas alcançaram melhor lugar na história aprendendo nas faculdades aquilo que os homens inventaram e descubriram há muito tempo o próprio homem criou cobra pra ser mordido.....

  2. Luiz Fernando Postado em 15/Sep/2012 às 11:01

    Talvez o desespero pela autoafirmação e o medo de um fracasso no máximo temporário de obtê-la seja uma origem de parte dessa raiva. Hoje é assim: se eu digo que mulheres são gente como a gente, não apenas objeto de prazer, pronto. Sou isso, sou aquilo, recebo os típicos adjetivos que os reacionários costumam empregar. De "baba-ovo do Femen" pra cima.

  3. Luiz Fernando Postado em 15/Sep/2012 às 11:06

    O final do comentário, caso questionem, foi intencional. Os reacionários mais "raivosinhos" têm medo de pensar, e fiz questão de satirizar isso.

  4. Fabiane Postado em 16/Sep/2012 às 15:58

    bom o texto, apesar de heteronormativo. faltou mencionar que há mulheres que, de fato, não querem se relacionar afetiva e/ou sexualmente com homens. e não são "odiadoras de homens mal-comidas precisando de um pênis para corrigi-las". a cultura está deixando de ser falocêntrica e os homens que se contentam em ser meros falos ambulantes estão reagindo à impotência (trocadilho infame, ohoho). por sorte, muitos homens não se contentam com isso, como ilustrado por esse texto. =)

  5. gold account Postado em 17/Sep/2012 às 09:34

    É simples. Basta que as pessoas encarem o deficiente como uma pessoa, e não como deficientes. Claro que não é para ignorar a deficiência da pessoa, mas encará-la como uma limitação, e não uma aberração. Uma deficiência pode acontecer com qualquer um, ninguém está livre.

  6. Bill Postado em 20/Sep/2012 às 09:48

    Quantos caras você conhece que cabem nessa definição? NENHUM! HAHAHA :(

  7. Alex Postado em 02/Oct/2012 às 18:23

    Feminismo é uma praga.Odiar o feminismo não é odiar a mulher,quem odeia a mulher, são as feministas querem transformar o mundo fugindo da ordem naturl das coisas.

    • Lucas Martins Postado em 05/Nov/2013 às 21:09

      concordo plenamente!

  8. LUCAS ROVER Postado em 25/Oct/2012 às 05:25

    pode parecer estúpido o que vou dizer, e um tanto ambíguo. Mas penso que a mulher tem que ser feminista, e anti-machismo... e o homem machista anti-feminismo. É o que mantém a tensão: ''homens são de Marte, Mulheres são de Júpiter.''

  9. Cesar Prates Postado em 27/Oct/2012 às 23:29

    Pq vc não mostra materias MENTIROSAS desmoralizando os homens e enaltecendo as mulheres... Vcs são uma corja só, sempre querem diminuir os homens... Mulher agora é INIMPUTÁVEL ??? Não se pode mais expressar uma opinião embora seja contrarias a mulher ??

  10. leo Postado em 30/Oct/2012 às 00:36

    Não gosto da idéia do feminismo, nem do machismo. Sou hétero, amo mulher. Não acho que mulher só serve pra cuidar de casa e filho. Vejo homens e mulheres como iguais, de forma que se nós, machos, temos liberdade, elas também precisam ter. Contudo, não acho legal que a maioria dos homens sejam tão burros que não se dão valor, e se submetem a situações com mulheres interesseiras. Amo mulher, mas me amo primeiro!!!

    • Kamilla Postado em 06/Jun/2014 às 00:41

      Querido, Feminismo é um movimento que luta por igualdade. Então não entendi, vc não gosta da ideia do feminismo, mas sim da igualdade? Oi? Feminismo não é o antônimo de machismo. P/ variar, muitos criticam sem saber.

    • Júlio Postado em 06/Jun/2014 às 11:56

      Tu és feminista, pois o feminismo deseja a igualdade entre os sexos.

    • Cristiane Machado Postado em 02/Jul/2014 às 19:59

      Falou pouco, mas disse o essencial. Tem muitos homens que se metem conscientemente, com mulheres vagabas e depois de quebrar a cara com as piriguetes, quer sair humilhando e generalizando as outras mulheres, mesmo sabendo que a decepção que recebeu da puta, foi por sua própria culpa, quem manda não escolher bem a pessoa para se relacionar. Homens lembrem-se de uma coisa: beleza física e caráter nem sempre andam juntas. Sou assexuada, não tenho nada contra homem ou mulher, só tenho algo contra, quando é falso, e também sou contra o machismo e o feminismo, pois esses movimentos só deformam os homens e as mulheres. O importante é aproveitar a vida numa boa, pois a vida é muito curta para ficarmos brigando!!!

      • José Postado em 17/Nov/2015 às 23:43

        Concordo, esta é a questão. Sermos colocados como uma "forma" nos deforma.

  11. Natalia Postado em 30/Oct/2012 às 22:15

    O texto é muito bom e trata de um assunto que as pessoas não estão bem informadas ou tem preguiça de procurar saber o que é. Li os comentários e vejo gente utilizando de um discurso muito utilizado também pela midia e afins pra desqualizaficar a luta feminista, antes de tudo é precisa saber o que é o movimento e quais suas lutas e causas. Hoje feminista levanta bandeiras importantissimas contra o racismo, homofobia, além do sexismo, essas são um das lutas, temos várias outras. Feminismo busca a igualdade de direitos entre homens e mulheres, se não tivesse existido não teriamos avançado tanto e com certeza nós mulheres estariamos nessa momento somente como donas de casa.

  12. Maria Motta Postado em 01/Nov/2012 às 17:19

    Os homens não odeiam as mulheres feministas, gente, os homens odeiam as mulheres. Ponto. E se as feministas assumem a luta por seus direitos, este ódio explode através de ataques bem conhecidos por todos. E por que? Simplesmente porque as invejam. Freud inverteu o problema da inveja com o conceito de inveja do pênis. A inveja do pênis é uma realidade psíquica, sim, mas principalmente entre os próprios homens. Eles competem o tempo todo sobre quem tem o maior, etc, etc. Existem ainda mulheres que gostariam de ser homens e invejam o pênis da mesma forma. A inveja move todas essas pessoas e se manifesta em vários âmbitos de suas vidas. Quem compete inveja, maldosamente ou não. Há vários fatos históricos e pre-históricos que apontam para a origem da inveja masculina diante da capacidade da mulher em gerar vidas. É só procurar pesquisas antropológicas sobre o assunto. Porém, temos que nos precaver de focalizar o problema por um ângulo maniqueísta ou preconceituoso, não devemos cair em afirmações simplistas como " os homens são todos uns demônios, nenhum presta", etc, até porque eles não fazem isto porque são muito mauzinhos, eles têm lá seus motivos _ imaginários, certamente, e inconscientes, mas nem por isso deixam de ter motivos. Melhor seria que pudessem querer conhecer mais a si mesmos e aprender a lidar com essa angústia, contribuindo, desse modo, "para a felicidade geral da nação (da humanidade, do planeta)". E melhor ainda seria se as mulheres pudessem cada vez mais enfrentar as suas próprias angústias para terem condições de colaborar com esse esforço masculino. Sei que quase ninguém explicita o problema desta forma. Aceito críticas e sugestões, maldosas ou não.

    • João Gabriel Postado em 06/Jun/2014 às 01:18

      "os homens odeiam as mulheres. Ponto". Isso é no mínimo ofensivo. Uma fantasia extremista. Estava achando todos os comentários de muito nível, consistentes. Depois desta, não tem nem como ler o resto de forma séria e imparcial, na verdade perdi a vontade até de continuar acompanhando.

    • Felipe Postado em 01/Aug/2014 às 12:31

      "Homem odeiam as mulheres" HAHAHAHAHAHA A partir dai já da pra saber que todo o resto do texto é merda. Simplesmente vai usar isso de base e tecer toda uma história que tudo o que acontece e por culpa dos homens e mulheres são apenas pobres indefesas vítimas de uma sociedade que não da valor a elas, por mais que essa sociedade tenha feito tudo de inverso que as feministas anencefalas falam.

  13. Maya Postado em 14/Nov/2012 às 16:51

    Alex, o que seria a ordem natural das coisas? Desde que nasci, mesmo sendo a princesinha de papai, adorando maquiagem e saias desde pequena e vendo minha irmã usando calças, praticando esportes e usando maquiagem só em festa, tínhamos sonhos invertidos: minha irmã queria casar e ter filhos, eu queria ter uma carreira. Resultado: minha irmã contnua não usando maquiagem nem vestidos ou saias, está casada e tem uma filha. Eu continuo vaidosa, saí da casa dos pais, mudei de cidade, moro sozinha, pago minhas contas e minha carreira vai muito bem. Eu não deixei de ser mulher, das mais clichês em hábitos, pra ter uma carreira profissional, nem deixo de me apaixonar, de me envolver e ter espaço para um companheiro na minha vida, mas eu quero um companheiro, não um provedor. Assim como não tem nada arrado minha irmã ser mãe e esposa. Natural, Alex, é a gente ser quem a gente de fato é, e não o que os outros esperam da gente. A ordem natural das coisas pra mim e pra milhares de mulheres é ter vida própria, se você vê algo de errado com isso, o errado é você. E Cesar Prates, a opinião que não pode ser expressa é que mulher tem mais é que lavar a louça e luta por igualdade é falta de macho, porque isso não é uma opinião, é a demonstração máxima de ausência encefálica.

    • Jacqueline Sales Postado em 04/Jan/2016 às 23:10

      Perfeito.

  14. Kássia Postado em 14/Nov/2012 às 17:53

    E dai que tem propaganda ? O fato de querer ser bonita . feminina e vaidosa não desmerece a mulher. As mulheres não precisam provar nada , não precisa '' ser baranga'' para provar que tem conteúdo. Não é uma questão de agradar padrões sociais impostos e sim, de elevar a autoestima. Toda mulher quer se sentir bonita e plena , o fato de querer emagrecer e ficar mais jovem se chama: cuidado com a saúde . A mulher para buscar seu lugar na sociedade não precisa descuidar da saúde e da aparência . É difícil para alguns homens aceitarem que uma mulher pode ser bonita e bem resolvida , logo é taxada de fútil Mais difícil ainda é ver mulher criticando outras mulheres por se cuidarem , isso me soa como inveja .

  15. Valdeque Postado em 17/Nov/2012 às 12:48

    O que se percebe é que as relaoções humanas estão descendo a um nivel depolravel, onde não se trata mas as pessoas como individuos e aceitando-as como são, mas, como grupos: feministas, marchista, homossexuais, negros.... Desta forma não há a liberdade de escolha e de pensamento, cada grupo ou individuos isoladamente se acha no direito de definir o certo, verdadeiro, errado, bom, e transformando apenas conceitos naquilo que lhe convem. Portanto tratemo-nos com auteridade para com o outro independente de preferencia sexual, raça, religião, classe social...

  16. Roger Max Postado em 18/Nov/2012 às 22:17

    Acho que o Feminismo é tão ruim quanto o Machismo, porque nos dois casos um busca sobressair sobre o outro. E por isso, o termo "feminismo" nesse texto, na minha opinião, é errado, independência não é feminismo.

    • adriano Postado em 10/Nov/2013 às 17:32

      machismo e feminismo são coisas diferentes max, machismo= sexismo (direito apenas para um sexo) feminismo= anti-sexismo ( direitos iguais para os dois sexos) logo, machismo é DIFERENTE de feminismo

  17. A Postado em 19/Nov/2012 às 22:10

    Ai que preguiça desses comentários "mimimi feminismo é tão ruim quanto machismo" e aí depois a pessoa fala "acredito na igualdade dos sexos". GENTE, VAMOS NOS INFORMAR? Tipo, na WIKIPÉDIA tem a definição. É só ler 3 linhas e vcs já vão entender que feminismo NÃO É o que vocês pensam que é. Não é pra mulher se "sobressair". Quanta falta de pesquisa, vocês hein.

  18. Magno Postado em 06/Dec/2012 às 14:58

    Acabou de conhecer um. Divido a conta do motel ,restaurante etc. ,Jamais vou ofender uma mulher comprando casa ou carro pra ela, afinal ela e indepente e pode consequir po si so. Nunca vi uma mulher como objeto,muito pelo contrario hoje em dia elas e que me veem assim. Deve ser pelo meus 1,94mts e 87 kilos ou meu status social. Viva o feminismo kkkkkk

  19. Persefone Postado em 06/Dec/2012 às 16:15

    Magno, perdeu a chance de ficar calado.... Vc é daqueles que, quando arrumar um amante homem, vai fazer de tudo por ele e ainda achar bom.

  20. Alexandre Postado em 13/Dec/2012 às 20:59

    A maioria dos homens gosta de mulher é verdade, gostam igual a piada do vinho, e de vez enquando uma empregada doméstica e uma babá.

  21. Doidão Postado em 16/Dec/2012 às 18:48

    Maria Motta mas se competição é inveja, então um atleta pode ter Inveja do outro que tenha uma marca melhor que a dele(a) se a atleta com tempo melhor for mulher aí sim acredito que tenha inveja. Mas tem um detalhe também a mulher não gera vida sem homem, logo o homem também gera vida

    • Edméia Postado em 11/Jan/2016 às 02:52

      Mulher pode ir numa clinica de fertilização e gerar vida dentro dela, sem nem conhecer o doador de semen, já o homem...

  22. Amanda Gabriel Postado em 29/Dec/2012 às 22:00

    MACHISMO nome masculino 1. ideologia que defende a supremacia do macho 2. atitude de dominação do homem em relação à mulher baseada na não aceitação da igualdade de direitos machismo In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2012. [Consult. 2012-12-30]. Disponível na www: . FEMINISMO nome masculino 1. sistema dos que preconizam a igualdade dos direitos da mulher e do homem feminismo In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2012. [Consult. 2012-12-29]. Disponível na www: . DEU PRA SACAR A DIFEREÇA OU QUE QUE DESENHE?!?!?!

  23. sara Postado em 06/Jan/2013 às 12:56

    amei seu texto, foi direto ao ponto, o q assusta esses caras é a insegurança, e tb pq foram tirados alguns privilégios q eles tinham simplesmente por terem um pinto no meio das pernas, é um tipo de gente bem desclassificada mesmo...

  24. daniela Postado em 06/Jan/2013 às 15:59

    Vários homens se incomodaram aqui, hein?! É errado achar que feminismo é a luta das mulheres para que possam se parecer com homens...Acho curioso como muitos simplesmente esquecem que graças a uma luta enorme e ainda viva, mulheres ganharam direito ao voto, a trabalhar fora, a optar por casar, a poder sair na rua sozinha sem ser chamada de puta, entre outras "bobagens" E não venham dizer que isso ainda existe só no passado ou em sociedades atrasadas, por que a violencia contra a mulher, física e moral, continua mundo afora, fazendo milhares de vítimas, no Brasil inclusive.

  25. Fred Postado em 06/Jan/2013 às 21:00

    Acho o machismo umas palhaçada e o feminismo também......acho que as mulheres devem sim lutar pela igualdade de direitos, pela diminuicao da violencia contra elas......mas tem gente que confunde as bolas e acha que a mulher tem que ser igual aos homens.....nunca seremos iguais e o que atrai um ao outro é justamente a diferença....a mulher é linda, delicada, sensivel, cheirosa.....tem seus dias de TPM tb.....enfim tantas coisas mais...tem gente que taxa vc de machista por algum comentario em que vc utiliza o termo homem, pra falar de algo bom....poxa...acho que as mulheres tem que parar com essa palhaçada, essa neura, mulherada hoje de 20 a 35 anos nao sabe fritar um ovo.....isso nao significa ser igual aos homens......gosto de cozinhar, mas nunca minha comida fica gostosa como de uma mulher, saber comprar um móvel pra casa, decorar, dar dicas sobre uma roupa, sapato.....as mulheres sao muito especiais...tem coisas que sao somente delas...como nos homens tambem temos as nossas diferencas, que faz falta em um relacionamento.....mulher geralmente que fala que nao precisa de homem ou é mal comida, ou lésbica, ou é insuportável...Falei!!

    • Melina Postado em 11/Sep/2013 às 17:26

      Quanta babaquice. HAHAHHAHAHHAHHAHHAHA

  26. Valéria Postado em 07/Jan/2013 às 23:18

    a resposta é óbvia: são todos homo ou bissexuais enrustidos.

  27. Filipe Freitas Postado em 08/Jan/2013 às 17:52

    Vem do mesmo lugar das mulheres feministas que odeiam os homens machistas.

  28. dezza Postado em 09/Jan/2013 às 14:02

    O Fred acabou de definir a mulher enfeite(linda,cheirosa,delicada e sensìvel)...estranho que mulher não pode ser decidida, batalhadora,saber se defender,ter voz ativa, não curtir coisas de casa, que já dizem que não depende d homem. E que é "masculina", eu não sou fã de pessoas enfeites, porque ia querere ser um adorno para exibição.

  29. íris Postado em 18/Jan/2013 às 13:44

    Na realidade, as pessoas precisam entender que o feminismo é a consequência do Machismo. Sem machismo não há feminismo. Se trata de uma merda questão dialética. Se o feminismo existe hoje, é porque ele serve de defesa de um machismo que ainda se faz sentir muito forte. Quando cessarem os golpes do machismo, acaba a defesa do feminismo e ai teremos a tão sonhada igualdade.

  30. Nayhara Postado em 18/Jan/2013 às 20:31

    Só acho que as mulheres deveriam parar de achar que só porque um homem fala uma coisa que não agradou significa que eles são homossexuais enrustidos. Fica parecendo que quer rebaixar o cara por orientação sexual como se isso o fizesse menor. Tipo, não reclama de mim, se reclamar pode ir com outro macho que é o que você deve gostar. Por favor, vamos utilizar de argumentos mais sérios e competentes. "O Fred acabou de definir a mulher enfeite(linda,cheirosa,delicada e sensìvel)…estranho que mulher não pode ser decidida, batalhadora,saber se defender,ter voz ativa, não curtir coisas de casa, que já dizem que não depende d homem. E que é “masculina”, eu não sou fã de pessoas enfeites, porque ia querer ser um adorno para exibição." Querendo ou não a mulher tem delicadeza e sabe se sair bem em coisas do tipo, o que não faz dela uma derrotada. São apenas características femininas, tem homens que também as tem. Existe mulheres por outro lado que não assim. Poxa. Concordo totalmente com o comentário da Valdeque! Direito de igualdade cabe a todo ser humano. As mulheres tem sim e devem buscar sua independência, sou contra a repressão da mulher. Mas acho que as vezes algumas feministas que buscam tanto por igualdade gostam de rebaixar muito os homens, e isso acaba virando repressão e preconceito com eles. De que adianta buscar por uma liberdade sendo que não reconhecem as qualidades deles também? Ontem ou não sei que dia foi, vi uma postagem de uma moça que se declara feminista dizendo que não precisa de homens e apenas os desejos sexuais é que se pode utilizar deles, que as mulheres não deveria se casar porque podem criar seus filhos sozinhas. Ou seja, usa o cara e joga fora (isso tá parecendo familiar?) e depois engravida e se o cara quiser viver com os filhos, essa possibilidade simplesmente não existe. Assim não dá, mano que isso. Tem horas que algumas jogam na cara o significado do feminismo mas age de uma forma dessas.

    • Roberto Postado em 30/Jun/2014 às 20:47

      Perfeito o seu comentário. Definições de dicionário ou de enciclopédia não encerram o real significado das expressões. Eu percebo que quanto mais radical e aprofundada no feminismo, mas ódio visceral contra os homens de forma geral a mulher manifesta, disfarçado de "luta por igualdade". Igualdade começa em pagar as contas, respeitar as diferenças biológicas e psicológicas, não querer fazer dos homens simplesmente mulheres com pênis. E a tão falada "inteligência" ou respeito pela luta anti-sexismo ou anti-homofóbica termina quando, nervosas, as feministas xingam os "machistas" de ... gays enrustidos (pensando inferiorizá-los desta forma), que coisa não?

  31. Lizete Postado em 15/Feb/2013 às 19:40

    Agora que as mulheres não PRECISAM do homem pra sobreviver, eles tem que MERECE-LA, ser alguem que agregue alegria à vida dela. E muitos deles investiram apenas em si mesmos e não sabem o que fazer com uma mulher que nao pode ser facilmente comprada... É a realidade!! Faço parte da turma "antes só do que mal acompanhada", o que não significa que não esteja interessada em conhecer alguem interessante, mas sim, que está dificil achar alguém interessante, que some ao invés de sugar.

  32. Aluízio Seláron Postado em 20/Mar/2013 às 21:57

    Acontece que as mulheres estão confundindo "liberdade" com "libertinagem" e não sabem o que querem da vida! Se pudessem, pediria a Homem para gerar o filho no lugar dela... uma lástima! Na realidade, de tanto dedicar ao trabalho "religiosimente" esquecem que tem maridos(quando tem!) e não gostam de sexo, evitam mentindo, tem desinteresse sexual e não se cuidam e nem querem. E assim estão "vivendo" como nunca fossem morrer... E morrem como se nunca tivessem vividos. "pobres mulheres ricas" !!!!! NATAL/RN.

  33. Rebecca Postado em 29/Mar/2013 às 23:54

    Texto maravilhoso. Não tiraria uma vírgula. Há mulheres arrogantes com os homens, insuportáveis. Mas a maioria quer é paz - ainda que isso signifique solidão. Muitos homens também fazem essa escolha - de estarem sozinhos - e não são tão esculhambados. Eu prefiro estar só a ser empregada/babá de alguém que acha que é minha obrigação ser babá/empregada de luxo. E afeto que é bom, zero. Pois, no fim, como dizem os masculinistas, "é tudo só interesse" - só que eu fico com o trabalho pesado - não o macho. Pois bem: não mesmo. Já fui casada e nunca me casaria novamente. No thanks.Obrigada, meu Deus, pela minha liberdade.

  34. Max Postado em 11/Apr/2013 às 11:40

    Preguiça desse povo achando que igualdade não é feminismo. Aprendam, de uma vez por todas: feminismo = luta por giualdade entre todos os gêneros. Machismo = superioridade masculina. Femismo = superioridade feminina (dentro disso se inclui o FEMEN).

  35. fred Postado em 06/May/2013 às 17:14

    Sempre fui a favor do feminismo, e sempre achei um saco aquele tipo de mulher que acha que é certo ser subimissa. Mas fui vítima de uma tremenda injustiça de uma mulher que se auto intitula uma das maiores feministas do Brasil, por motivos de ciúmes ela escreveu uma carta anônima (covarde do caralho) para minha pós graduação tentando me difamar - resultado: riram dela até doer a barriga. Tudo isso porque sou homem - o que na cabeça da louca justifica qualquer ato contra mim. O que eu quero dizer é que mesmo entre as feministas há aquele tipo de mulher que (secretamente) pensa que machismo é igual ao feminismo, que acha que o sexo masculino é inferior e a causa de todos os problemas da humanidade... inclusive ela lia e defendia um manifesto escrito por uma (louca igual ela) mulher que falava sobre a extinção do sexo masculino. Tem muita feminista que se acha a Shena, defensora da moral e ética - Burrice existe em todos os grupos. Aí também não dá né. Acredito que por causa dessas e outras que o feminismo é tão mal visto, além de que a semelhança nos radicais - machismo e feminismo - corroboradas por atitudes de algumas (pouquíssimas, diga-se de passagem) ajuda a aumentar o preconceito. Mas de maneira geral, acho a luta muito importante, o machismo é um mal que existe, mas é preciso lutar contra isso de uma maneira sadia e ética.

  36. Nadja Ahmad Postado em 31/May/2013 às 18:11

    De que delicadeza vcs homens e mulheres machistas estão falando? Eu não sou romântica, delicada, vaidosa, e isso não é rebelião, eu sou assim desde pequena, parem com essa mania de achar q todo homem e mulher devem ser idênticos uns aos outros, bonecos de fábrica, extraterrestres de planetas diferentes. Graças a Deus nem toda mulher é fresca e chata e nem todo homem gosta de futebol e é estúpido.

  37. Genes Postado em 11/Jun/2013 às 10:03

    " Os homens não odeiam as mulheres feministas, gente, os homens odeiam as mulheres. Ponto " Depois de um texto importante como esse o cara lê isso aí. Assim fica difícil.

  38. Paula Postado em 31/Jul/2013 às 00:38

    Discordo do último post. Também pudera, sou mulher. Feminismo não é "superioridade feminina". o Machismo veio antes, e o feminismo como revolução contra o padrão. Meu marido e eu trabalhamos fora, ambos cozinhamos e ambos fazemos faxina. Feminismo é aceitar a mulher como ser humano, sem rótulos. É destituir-se dos padrões que nossas avós e mãe acreditavam, "mulher tem duas jornadas de trabalho" - isso tem que acabar. Infelizmente uma grande parcela dos brasileiros realmente não está pronta para isso. Muitos homens ainda gostam de ser cuidados como bebês por suas namoradas/esposas/etc., e muitas mulheres ainda se submetem à chantagem emocional herdada em nossa sociedade. E ser feminista não quer dizer ser lésbica, by the way.

  39. Maria Motta Postado em 09/Aug/2013 às 11:16

    Olá, Doidão, não entendi bem o primeiro parágrafo da sua réplica ao meu comentário. Poderia esclarecer melhor? A única coisa que posso afirmar é que toda competição é filha da inveja, ainda que isso possa ser canalizado para atividades positivas, como o esporte e os jogos lúdicos. Quanto ao segundo parágrafo, ao colocar a expressão "gerar vida", obviamente não quis me referir apenas às celulas reprodutivas (óvulo e espermatozóide), mas ao fato de que toda a gestação se passa dentro do corpo da mulher, que ainda continua mantendo e desenvolvendo a vida gerada após o nascimento, com a amamentação.

  40. Desabafo masculino Postado em 12/Aug/2013 às 11:35

    O feminismo termina no 1 pneu furado ...no 1 rato ou barata que apareeça em casa ...na 1 conta que tenha que se dividir ... ou na pensão que elas exigem na justiça dos ex companheiros ... mulheres procuram parceiros de acordo com seu status social ...ou vcs acham que uma empresária de sucesso irá se apaixonar por um manobirsta de balada ????? o que incomoda as vezes nas mulheres é que elas usam uma 'fragilidade' quando as convém ... quando o bom é ser 'fortr' aí elas dizem que é 'independencia' .... eu to no meu casamento unicamente por causa do meu filho ... pois preciso ajudá-lo a vencer o complexo de édipo ..que é causador de 90 % do homossexualismo masculino . é brabo chegar em casa e ver uma mulher barriguda que nao se cuida , que fica pedindo dinheiro o tempo todo , nao arruma a casa e manda eu arrumar e pior ...eu arrumo ... troco fralda ...pois quem da banho no meu filho é minha sogra ..que é uma mulher de verdade ...e ainda ela diz que a culpa é minha pois nao fico tempo suficiente com meu filho ..pois tenho q trabalhar fora ..coisa que ela nao faz . minha parceria é com minha sogra , pois minha mulher é pessima .... minha vontade era dar um belo chute no traseiro pra aprender a ser gente .... e pior ela me ameaça q vai me por "chifre" como se eu tivesse me importando com isso .... minha maior alegria era q ela me traísse com qualquer um para eu ter um motivo de pegar a guarda do meu filho ... e aidna me ameaça a pedir 30 % de pensao .... coisa que seria uma maravailha ..pois casado tenho q gastar 100 % da minha renda que nao é pouca ....com pensao so pagaria 30 .. mas aguento tudo em nome do meu finho ..nao quero ve-lo homossexual ..e se queixando de mim . viva o feminismo de papel !!!!

    • Raphaela Postado em 11/Sep/2013 às 17:27

      Que dó de você e da sua história. Só que não né HAAHUAHUAHUHUHUA

    • Simone Postado em 19/Nov/2013 às 15:37

      Você não disse nada com nada e só desabafou sua amargura além de passar a imagem de uma pessoa apática, sem personalidade e sem pulso firme. Sempre divido as contas com meu noivo e pretendo fazê-lo por toda a vida. É algo natural, já que ambos trabalham, né? Quanto a pensão, por lei, ambos têm o mesmo direito. Conheço um sujeito que ficou viúvo com dois filhos e hoje recebe uma bela pensão (a esposa trabalhava no INSS), o que permite q ele fique com as crianças em tempo integral. Muito justo, uai! Quanto a pensão para filhos, caso o pai queira e tenha direito a guarda, tb terá direito a pensão dada pela mulher, ora bolas. Apesar da mulher ter preferência na guarda, nenhum juiz dará a uma mãe incompetente e desequilibrada. Pesquise mais sobre leis e direitos e reveja seus conceitos. E qual o problema de uma mulher bem sucedida querer outro homem bem sucedido? Geralmente é o que ocorre, não é? Acho difícil conviver com uma pessoa que não tem os mesmos interesses, o mesmo nível cultural, as mesmas perspectivas... Para aqueles que curtem um "enfeite" como citaram lá em cima até rola, mas é legal ter um parceiro(a) com quem vc identifica, que vc admira, compartilha ideais e e pode se inspirar para melhorar. Amigo, o problema não está nas mulheres de modo geral e sim na mulher que VOCÊ mesmo escolheu. E lembre-se nós sempre atraímos semelhantes, tente mudar seus critérios de escolha, ok?

    • schw Postado em 29/Nov/2013 às 02:43

      Desabafo..., sinto muito por sua situação conjugal que parece mesmo muito ruim. Mas, 1.o, isso não se deve ao feminismo - se fosse feminista, pra começar, sua mulher estaria trabalhando, inserida na sociedade, criando, engajada com a vida. Segundo, homossexualidade tem a ver com predisposição genética, se é essa a sua preocupação. Não é bom para uma criança, de qualquer sexo, crescer sem uma figura paterna, pq isso a priva de meios de inserção social e de um suporte afetivo extremamente necessário. Mas a ausencia do pai, se é prejudicial de varias maneiras, não transforma ninguem em homossexual.

    • Jane Postado em 02/Jan/2014 às 20:47

      Preconceito te define.

  41. Thais Linhares Postado em 21/Aug/2013 às 10:05

    Não acho que eu seja sortuda, mas conheço, e tive relacionamentos com homens legais. Bem evoluídos e que descartaram de suas vidas o comportamento primitivo e limitante dos machistas. Felizmente, estes existem, e o que é melhor, independente do movimento feminista. Ocorre que eles são simplesmente mais inteligentes que aqueles (homens e mulheres) que só sabem seguir no rebanho.

  42. Temis Postado em 29/Sep/2013 às 22:13

    Ai gente, tem horas que me dá preguiça de certas coisas que vejo soltas pelo ar. Tipo, "mulher tem que ser assim, homem tem que ser assado", "todo preto é pobre e favelado" "homossexualismo é contra a natureza das coisas"... Affff cansa!!!! Será possivel que as pessoas nunca vão entender que o bom mesmo é vc ser quem é, e ainda melhor encontrar quem goste de vc assim mesmo? Qual é o problema de uma mulher ser linda e cheirosa, ter uma carreira e pedir ao companheiro que lave a louça, passe a vassoura na casa ou bote o lixo pra fora? Uma coisa não exclui a outra não, gente! Concordo que ter um homem qualquer , que só vai ficar no sofá e enchendo o saco em casa, é pura perda de tempo. Mas ter um homem legal, que realmente te faça companhia, é muito maneiro tbm. Qual é o problema em cozinhar para a pessoa que vc gosta, de vez em quando? Sabia que tem mulheres que gostam de fazer isso? Sou pela igualdade formal, em termos de direitos e deveres, mas não pretendo ser igual a nenhum homem ( até porque, tem algumas atitudes deles que acho bem idiotas e não quero repetir isso). Nunca! Acho que saber trocar um pneu, fritar um ovo ou desentupir uma pia, deveria ser um saber de qualquer pessoa independente do sexo ( tá, tenho horror a barata, mas isso não é privilégio só meu não. Conheço muito "cabra-macho" que tem fobia dessas pestes. Especialmente as sacanas que resolvem voar). Às vezes prefiro eu mesma ter que fazer essas coisas a aguardar um tempão pelo seguro, ou me arriscar a um assedio na rua pois nunca sabemos quem vai parar o carro e o que pretende fazer. E quem gosta de pia entupida? Na maioria das vezes, uma boa dose de "Diabo Verde" e água fervendo resolve o problema. E quanto ao ovo frito, vai ficar com fome por pura preguiça/vaidade besta de se orgulhar de não saber fazer alguma coisa? Ah, faça-me o favor! Machistas, deixem de ser preguiçosos e inseguros, façam a sua parte ao invés de acusarem as mulheres de serem mal amadas, "mal comidas" (Parece até que mulher é marmita ou pastel de botequim, pra andar na boca dessa peãozada), masculinizadas e que não gostam de sexo! ( se Deus inventou alguma coisa melhor que sexo, certamente, não destiou à humanidade... o negócio é que tem que satisfazer aos dois, e não somente a ELE), e Femistas, vamos parar com essa ideia de que mulher não pode se arrumar e andar cheirosa que fica parecendo pessoa de enfeite! Não tem nada de errado em pintar as unhas, arrumar os cabelos e investir num bom perfume. Isso é pessoal! É gosto de cada um. Vamos tentar ter relacionamentos mais inteligentes, acabar com essa chatice de "isso é coisa de homem" "isso é coisa de mulher", affff, menstruar é coisa de mulher, fazer xixi em pé é coisa de homem, mas lavar a louça é coisa dos dois, limpar os banheiros é coisa dos dois, cuidar do filho é coisa dos dois, pagar as contas é coisa dos dois. Afinal, todo mundo come, todo mundo usa o banheiro e ninguém faz filho só, nem homem nem mulher. Mulheres, já que hoje podemos viver sem a ajuda financeira dos maridos/namorados e afins, façamos o seguinte, estendamos essa igualdade para as coisa praticas da vida tbm, presenteiem seus parceiros de vez em quando, levem-nos para um jantar, paguem a conta do barzinho de vez em quando, ofereçam-lhes um mimo, vez ou outra. Por que não? Homem também gosta de carinho, de presente. E homens, deixem a preguiça de lado, sejam mais inteligentes, pois se ajudam suas mulheres nessas coisas ditas "de mulher", as terão menos cansadas, desarrumadas e mais dispostas só pra vcs. Sejam úteis para elas tbm, ou voltem pra casa das suas mães, que te educaram assim, achando que mulher é mucama de macho preguiçoso. Não cai os dedinhos se fizerem as tarefas domésticas com elas. Mulheres, não há demérito em de vez em quando fazerem um almoço para seus homens, em fritarem um ovo, ou pagarem a conta de vez em quando. Muito menos em conhecerem seus carros e aprenderem a trocar um pneu ou argumentar com o mecanico. Em tempo: sou casada com um militar de 48 anos, sou advogada e me preparando para atuar como professora universitária tbm. Tenho 40 anos, adoro me arrumar, amo perfume importado e não abro mão de me cuidar. Sempre que posso cozinho para meu marido, ele adora a minha comida ( já engordou a beça por isso), mas terminada a refeição ele vai lavar a louça e por o lixo fora. Se eu precisar, troco lampada, já troquei o pneu do carro sozinha algumas vezes pois me pareceu mais sensato do que ficar numa rodovia sozinha tarde da noite no acostamento, esperando um "principe pra me salvar" ou o camarada da seguradora aparecer ( ajuda muito ler o manual. Meu carro tem. Se o seu não tiver, talvez encontre aqui, ó: www.google.com.br). Desentupo a pia ( as de casa e até do meu escritorio, se for preciso) e nem por isso sou menos mulher ou me sinto "escravizada" por um homem machista. Numa república de estudantes, por exemplo, cada um não tem que fazer uma parte do serviço ou ajudar a pagar alguém pra fazer? Em casa deve ser a mesma coisa, não tem porque uns terem privilégios em detrimento de outros. Gente, aprendam que o consenso é sempre melhor que o litigio, e, isso se consegue conversando, impondo IGUALDADE e não SUPERIORIDADE.

  43. Janete Carvalho Postado em 02/Jan/2014 às 20:44

    (Chimamanda Ngozi Adichie) Ensinamos as meninas a se encolherem Para se tornarem ainda mais pequenas Dizemos para meninas 'Você pode ter ambição Mas não muita Você deve ansiar para ser bem sucedida Mas não muito bem sucedida Caso contrário, você vai ameaçar o homem' Porque sou do sexo feminino Esperam que eu almeje o casamento Esperam que eu faça as escolhas da minha vida Sempre tenha em mente que O casamento é o mais importante Agora o casamento pode ser uma fonte de Alegria, amor e apoio mútuo Mas por que ensinamos a ansiar ao casamento E não ensinamos a mesma coisa para os meninos? Criamos as meninas para serem concorrentes Não para piadas ou para realizações Mas, para a atenção dos homens Ensinamos as meninas que não podem ser seres sexuais Da mesma forma que os meninos são. Feminista - a pessoa que acredita na vida social Igualdade política e econômica entre os sexos.

  44. eu daqui Postado em 06/Feb/2014 às 15:13

    Porto da Barra em Salvador: a praça Tahriri do Brasil. Ali mulher é agredida só por declinar um convite para conversar. Isso acontece toda sexta à noite numa feira de artesanato ao lado de um módulo policial. Atenção, autoridades !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Tem filho de politico da direita envolvido !

  45. Homem Postado em 10/May/2014 às 13:51

    Na boa, igualdade é realmente importante. O que esse artigo não fala é sobre como tem feminista louca, mesmo sendo hétero, por ai. Elas são sim carentes e inseguras com as coisas, mas querem mostrar que não são e ficam pegando no seu pé em cada hábito seu. O que parece que as feministas não entendem é que somos homens criados em uma sociedade machista, nossos hábitos e certos pensamentos são o que definem a nossa identidade de gênero. E mesmo os com mente aberta não querem perder essa identidade. Nos relacionamos entre nós mesmos através dela e não apenas em nossas relações sexuais afetivas. No fim o que é difícil mesmo ao se relacionar com uma feminista, pelo menos por experiência própria, são suas loucuras e encheções de saco por causa da caça aos nossos hábitos machistas. Na boa, meu conselho aos meus pares homens é manter distância desse tipo de mulher mesmo. Se for para manter uma relação afetiva com alguém que seja com alguém que goste de você pela forma que você é e não pela forma que ela quer que você seja. Elas querem que aceitemos sua nova forma mas também não querem aceitar como somos no fim das contas. Garanto que existem muitas mulheres independentes, inteligentes e interessantes por ai que não precisam ficar latindo ideais feministas.

  46. Rindo Litros Postado em 09/Jun/2014 às 13:29

    Feministas tem um lado bom. São cartas fora do baralho para homem que gosta de mulher de verdade !

  47. Dênis Postado em 06/Dec/2015 às 12:42

    Para mim no mundo de hoje, não há mais espaço nem pra feminismo e nem pra machismo. O que deve existir é direitos e deveres a todos. O que vemos é o feminismo lutando apenas por direitos, mas os deveres deixam pra lá. Chega de sexismos e direitos exclusivistas. Outra coisa, homens e mulheres são diferentes na maneira de pensar, sentir e agir. Assim sendo direitos e deveres iguais e que viva as diferenças entre homens e mulheres.