Redação Pragmatismo
Compartilhar
Educação 13/Sep/2012 às 12:04
5
Comentários

Absurdo: Prefeitura proíbe distribuição de livros gratuitos em São Paulo

"Os próximos gestores têm de oferecer uma política eficiente de incentivo à leitura, para que as bibliotecas não sejam depósitos de livros como são hoje", diz responsável pela distribuição dos livros

livros distribuição sp proibição ong

Prefeitura impediu distribuição de livros que seria realizada pela ONG Educa São Paulo. Foto: divulgação

A organização não-governamental Educa São Paulo havia programado para a manhã de segunda-feira (10), a distribuição de cerca de 8.000 livros, entre obras de literatura brasileira, livros infantis e gibis, no Viaduto do Chá, região central.

A intenção era, além de incentivar a leitura, protestar contra o abandono das bibliotecas da cidade, que, segundo o presidente da ONG, Devanir Amâncio, “têm livros, mas não têm leitores.”

Uma perua Kombi estacionou no Viaduto do Chá por volta das 23h de domingo (9) para organizar e separar os títulos por autor e gênero, mas foram impedidos.

Quatro guardas-civis metropolitanos disseram para os integrantes da ONG que eles deveriam ter autorização da prefeitura para realizar a distribuição. “Eles disseram que estavam em alerta, esperando pela ação, e que a ordem era impedir”, disse Amâncio.

Leia também

A iniciativa, intitulada Bienal Relâmpago, agora será transformada em Bienal Móvel. Segundo Amâncio, duas Kombis – equipadas com aparelhos de som e faixas – percorrerão locais movimentados da região central da cidade oferecendo livros às pessoas.

“Devemos começar ainda pela região do Viaduto do Chá, porque ali é área de Zona Azul e, se pagarmos, podemos estacionar por um tempo para distribuir os livros.”

livros distribuição educa sp

Cerca de 8 mil livros seriam distribuídos nas ruas da cidade de São Paulo. Foto: ONG Educa SP

Ainda sem itinerário ou data marcada para a ação, Amâncio disse que é provável que a distribuição seja realizada neste sábado. Segundo ele, os livros foram doados por moradores da cidade. “Os próximos gestores têm de oferecer uma política eficiente de incentivo à leitura, para que as bibliotecas não sejam depósitos de livros como são hoje.” As informações são do jornal “O Estado de S.Paulo”.

Agência Estado

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Hamilton Postado em 13/Sep/2012 às 13:04

    Acho que o buraco é mais embaixo. É preciso saber qual o conteúdo do material a ser distribuído. Vivemos num tempo em ONGs não são mais sinônimo de boas intenções. Existem com diferentes propósitos e muitos deles alheios ao objetivo de educar ou atender ao bem estar da população. Querem também difundir tendências e idéias religiosas, ideológicas, mercadológicas, políticas, etc e cada segmento tem "patrocinadores" que dispensam fortunas pra promover tais intenções. Todas se revestem de paladinos do desenvolvimento intelectual da população. O buraco é mais embaixo...

  2. Gustavo S Postado em 13/Sep/2012 às 13:37

    Hamilton, entendo a sua preocupação, mas ela não se aplica a este caso especificamente. São livros doados por escolas e que teriam o lixo como destino. Conheço o trabalho da Educa São Paulo e, acredite, há livros fantásticos disponíveis para distribuição, como clássicos da literatura brasileira dos nossos autores mais notados.

  3. Diego Postado em 13/Sep/2012 às 14:16

    Deviam fazer estantes públicas no metrô e, assim, deixar que a população escolha o livro que quer levar.