Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Geral 10/Aug/2012 às 19:54
6
Comentários

Máquina de medalhas chinesa: lutas e dores de uma potência olímpica

O sucesso olímpico chinês é fruto do ambicioso Projeto 119, criado em 2002, cujo nome reflete o número de medalhas de ouro que a China luta para conquistar

medalhas china

Menina chora enquanto o treinador pisa em suas pernas para estirar os ligamentos. Foto: Global Times

Minutos após receber a medalha do ouro olímpico, o pai da atleta de salto sincronizado Wu Minxia lhe contou que sua mãe está com câncer de mama e que seus avós maternos haviam morrido há mais de um ano. “Aceitamos há muito tempo que ela não nos pertence”, justificou o pai. “Nem sequer ouso pensar em coisas como desfrutar a felicidade familiar.”

Com a medalha de prata no peito, o levantador de peso Wu Jingbiao disse, desconsolado, a um repórter: “Eu desonrei o meu país, eu desonrei o time nacional de levantamento de peso, eu desonrei todos os que se importam comigo”.

Na plateia, quando Li Xueying venceu o levantamento de peso na categoria 58 kg, o seu pai, soluçando, disse que não havia planejado comemoração: “Só quero vê-la imediatamente. Nós não nos encontramos há dois anos! Ela é minha filha, afinal de tudo.”

Treinado na Austrália, o bicampeão olímpico de natação Sun Yang custou aos cofres públicos 10 milhões de yuan (R$ 3,2 milhões) apenas nos últimos dois anos, segundo a imprensa chinesa.

O pai de Lin Qingfeng, outro atleta vencedor do levantamento de peso, disse à imprensa que não reconheceu seu filho de 23 anos na TV – há seis anos, não o encontra. Só percebeu que era ele ao ouvir o nome.

Faltando poucos dias para o final dos Jogos, grande parte dos chineses está certamente orgulhosa pelo desempenho do país, que vem mantendo a liderança no quadro olímpico. Mas, à medida que a competição avança e histórias como as de acima se espalham, muitos vêm questionando se o draconiano e caro sistema esportivo estatal traz benefícios para os atletas e para a população.

Leia mais

O sucesso olímpico chinês é fruto do ambicioso Projeto 119, criado em 2002, cujo nome reflete o número de medalhas de ouro que a China luta para conquistar. O sistema recebe generosos recursos estatais e envolve uma rotina de treinamento excruciante com crianças de até 5 anos.

medalhas china

Técnico estira costas de aluno da Escola de Esportes para Crianças

O esforço fez com que a China ganhasse 51 medalhas de ouro quando competiu em casa, há quatro anos, um número recorde na história das Olimpíadas. Neste ano, tem liderado no quadro de medalhas até agora.

Apesar dos números exitosos, as críticas são várias. Em entrevista à revista “Caixin”, o comentarista esportivo Guan Jun resumiu as principais: 1) o sistema do “tudo ou nada” tira a alegria dos atletas; 2) não há estímulos para esportes de massa e prática esportiva entre a população; 3) o controle estatal tem provocado casos de abuso de poder e corrupção; e 4) o sistema falha nos esportes mais populares, como futebol e nas provas de atletismo.

medalhas china

Treinador força ligamentos de criança no centro de treinamento de Pequim

Nos microblogs, as críticas ao sistema vêm aumentando com o passar dos dias. Muitos dos que enviaram mensagens de apoio ao corredor de 110 metros com barreira Liu Xiang, que na quarta-feira tropeçou e se machucou de forma dramática no primeiro obstáculo, aproveitaram para criticar o programa estatal.

“Com este sistema de esporte nacional opressor, ele apenas tinha uma escolha _ganhar respeito se machucando”, escreveu um blogueiro, citado pelo jornal “New York Times”.

Mesmo na imprensa estatal há criticas. A versão em inglês do jornal “Global Times”, do Partido Comunista, publicou em seu site fotos dramáticas de crianças treinando ginástica.

Fabiano Maisonnave, Folha

Recomendados para você

Comentários

  1. Higor Postado em 11/Aug/2012 às 17:38

    Imaginando o monte de gente aleijada que esses centros esportivos despejam no limbo da sociedade chinesa e o governo esconde a sete chaves...

  2. deuscht Postado em 14/Aug/2012 às 10:58

    Devido a essas torturas a China deveria ser boicotada dos jogos olimpicos...Isso é desumano!!!

  3. Stephen Postado em 14/Aug/2012 às 15:59

    Putz! que tristeza ver o rostinho daquela criança caindo aos prantos. Como o colega ali falou, mais tarde são todos descartados, com problemas de saúde e passam a viver marginalizados. Triste.

  4. Rudy Postado em 14/Aug/2012 às 18:07

    Um estado opressor e ditatorial que quer passar a imagem de magnífico para o mundo só pode dar nisso..., e o pior é que muitos como o Brasil querem se espelhar nesse modelo chinês por causa do alto crescimento econômico da China nesses tempos, só que para isso ela tem uma população extremamente grande que ganha muito pouco para trabalhar excessivamente e fora isso tem também suas vidas comandadas e censuradas pela ditadura do governo chinês.

  5. Rodrigo Postado em 17/Aug/2012 às 17:01

    engraçado .. é melhor ver crianças matando, roubando, indo e voltando da febem, pedindo esmola, catando lixo, se marginalizando e se prostituindo do que fazendo alongamentos pesados e treinando??? .. Não se esqueçam que esporte é superação, raça, dor, vontade, força de vencer ... Esse é o problema .. o povo brasileiro tem dó das "criancinhas" mas elas não tem dó na hora de colocar uma arma nas nossas cabeças e em muitos casos atirar. Nunca mudaremos.

  6. Caio Postado em 24/Sep/2013 às 22:42

    Beleza rodrigo, mas para esse povo o esporte é muito mais do que superação e força de vontade. é tudo ou nada na vida deles, e essas vidas dessas crianças não pertencem a elas mesmas, são bonecos feitos para ganhar o ouro sem o mínimo de cuidado com o lado pessoal e afetivo, se eles ficam em segundo é uma tragédia, e se eles obtém a vitória é nada mais do que a obrigação. vc não queria seus filhos no tráfico eu tenho certeza, mas tambem nunca iria gostar de nunca poder vê-los. tb nao da pra ficar comparando tudo com o brasil né.