Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Palestina 21/Aug/2012 às 16:43
4
Comentários

Palestino é linchado por israelenses até sofrer parada cardíaca

Prisão de adolescentes por linchamento de palestino choca sociedade israelense. Um dos israelenses suspeitos, de apenas 15 anos, disse que “é melhor que [a vítima do ataque] morra”. Moshe Yaalon, vice-primeiro-ministro de Israel, classificou o linchamento de “terrorismo”

israel lincha palestina

Racismo em sistema educacional de Israel é abordado por especialistas. (foto: Cortesia/Olivier Fitoussi)

O linchamento de um jovem palestino no centro de Jerusalém e a indiferença mostrada por um dos suspeitos, um dos quatro adolescentes israelenses entre 13 e 15 anos, deixaram estupefatos setores da sociedade de Israel.

Na última sexta feira, dezenas de adolescentes israelenses – incluindo meninas e meninos – estiveram envolvidos em uma tentativa de linchamento de quatro jovens palestinos que passavam pela rua Yaffo, no centro de Jerusalém.

Um dos palestinos quase morreu. Um dos suspeitos, um menino de 15 anos cuja identidade não foi revelada, disse nesta segunda feira aos jornalistas que estavam na Corte que “por mim, é melhor que morra”, em referência ao ferido.

De acordo com a policia, o conflito se deu quando dezenas de adolescentes começaram a correr atrás dos jovens palestinos gritando “morte aos árabes” e outros xingamentos de conteúdo racista.

Leia mais

Não há precedentes na história de Israel de crimes tão graves, motivados por ódio étnico, e cometidos por pessoas tão jovens.

Um dos palestinos, Jamal Julani, de 17 anos, ficou em estado critico depois de receber socos e chutes na cabeça, chegou a sofrer parada cardíaca e foi ressuscitado pela equipe de salvamento que chegou ao local do crime.

Menores de idade

Nesta segunda feira os suspeitos foram levados à Corte de Jerusalém e o juiz determinou a prolongação da detenção, apesar de serem menores de idade.

Segundo a policia, mais adolescentes que estiveram envolvidos no incidente deverão ser presos em breve. A policia também afirma que uma das meninas do grupo incitou os garotos a agredirem os jovens palestinos.

O representante da policia na Corte, Shmuel Shenhav, disse que “foi um verdadeiro linchamento, o ferido perdeu a consciência e já era considerado morto, até a chegada dos paramédicos que realizaram a ressuscitação. Trata-se de um crime muito grave que, só por um milagre, não terminou em morte”.

A policia também mencionou que dezenas de transeuntes foram testemunhas da agressão e não intervieram.

‘Educação racista?’

A deputada Zahava Galon, do partido social-democrata Meretz, disse que o crime cometido pelos adolescentes é “chocante”.

Em entrevista à radio Kol Israel, a deputada atribuiu a responsabilidade ao sistema judiciário que, segundo ela, “não trata de maneira suficientemente enérgica aqueles que incitam o ódio na sociedade israelense”.

Para a pedagoga Nurit Peled Elhanan, da Universidade Hebraica de Jerusalém, o comportamento dos adolescentes envolvidos na tentativa de linchamento é “resultado direto da educação que recebem tanto nas escolas como de seus pais”.

Em entrevista, a pedagoga afirmou que “o sistema de Educação de Israel ensina as crianças a odiarem os árabes em geral e palestinos em particular”.

“As crianças são ensinadas, tanto pelas escolas, como por seus pais, que todos os árabes querem matá-las, e crescem sem desenvolver qualquer sentimento de empatia humana com eles”, disse.

“Daí, até a agressão física, a distância não é grande, e agora estamos vendo os frutos da educação que essas crianças recebem”, acrescentou Elhanan.

O vice-primeiro-ministro Moshe Yaalon classificou a tentativa de linchamento como “terrorismo”.

BBC Brasil

Recomendados para você

Comentários

  1. Leandro Coelho Postado em 21/Aug/2012 às 19:57

    Pelo que eu tenho visto, os assassinos israelenses do jovem palestino devem pegar uma pena pesada: de 10 a 15 DIAS (isso mesmo, dias) de prisão. Sairão provavelmente em 2 dias se tiverem um bom comportamento... Para os que acham que isso foi uma piada, é só lembrar do caso do soldado israelense que matou uma criança e pegou 45 DIAS de prisão....

  2. Leandro Coelho Postado em 21/Aug/2012 às 20:05

    Engano meu! O soldado pegou 45 dias de prisão por matar duas palestinas, mãe e filha: http://www.pragmatismopolitico.com.br/2012/08/militar-israelense-preso-assassinar-mulheres-palestinas.html Logo, um garoto palestino deve dar uma pena de uns 11, no máximo 13 dias de prisão..... Eles deviam para com essa demagogia e dar logo medalhas por cada palestino trucidado. Pensando bem, aí ia ficar feio. Ia parecer o que os loirinhos do Fuhrer fizeram lá na segunda guerra mundial, não é??? Aí eles devem pensar: "Então, vamos manter as aparências, e fingir que pelo menos os "culpados" são punidos". Isso a CNN não mostra....rs.

  3. Ricardo Postado em 21/Aug/2012 às 23:44

    Leandro Coelho, vc tem toda razão. E os israelenses se acham o povo escolhido por deus e que nenhuma nação conseguirá derrota-los. Conheci uma israelense e ela me falou sobre isto. O engraçado é justamente o povo que se diz vítima do ódio racista do nazismo, agir da mesma forma com o povo árabe. O assassinato de mãe e filha mostra como é a "justiça" destes cretinos.

  4. Leandro Coelho Postado em 22/Aug/2012 às 10:12

    Com certeza Ricardo. Os caras vivem lembrando o que sofreram, mas não percebem que eles próprios patrocinam genocídios e holocaustos. Afinal de contas, muitas das fábricas de armas de guerra são de famílias judias, sem falar nas medidas econômicas que suas megaempresas empurram goela abaixo dos países explorados, e que gera milhões de miseráveis famintos. Eu sou contra toda a barbárie cometida contra os judeus em anos de perseguições, mas por que é que eles não param para se perguntar o que gera tanta raiva contra eles? Será que eles não deveriam mudar um pouco de postura para com o mundo? Será que todo mundo está errado e eles são as únicas vítimas? É aquele velho ditado: "se alguém te chama de cavalo, não se preocupe. Se duas pessoas te chamam de cavalo, não ligue. Agora, se 100 pessoas te chamam de cavalo, é melhor você comprar dois pares de ferraduras". E tudo continua na mesma: os coitados dos palestinos (que para os judeus valem menos que ratos, só porque pedem algum pedaço de terra para existirem) vão sendo exterminados, enquanto o mundo prefere virar os olhos para isso e assistir o Batman, achando que os oprimidos tem um herói que os salvará....