Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Contra o Preconceito 30/Aug/2012 às 11:15
19
Comentários

Pai usa saia para apoiar filho de 5 anos que gosta de usar vestido

Pai explica que não podia simplesmente abandonar o filho ao preconceito das outras pessoas. “É absurdo esperar que uma criança de cinco anos consiga se defender sozinha, sem um modelo para guiá-la. Então eu decidi ser esse modelo”

Um pai alemão começou a usar saias porque o filho de cinco anos gosta de usar vestidos. A história mexeu com um vilarejo tradicional no sul da Alemanha. Niels Pickert percebeu que seu filho gostava de usar vestidos e era ridicularizado por isso no jardim de infância. Segundo Pickert, “usar saia era a única maneira de oferecer apoio ao meu filho”.

pai saia filho vestido preconceito

O alemão passeia tranquilamente com o filho de cinco anos pelas ruas do pequeno vilarejo. Foto EMMA

Em uma carta, Pickert explica: “Sim, eu sou um daqueles pais que tentam criar seus filhos de maneira igual. Eu não sou um daqueles pais acadêmicos que divagam sobre a igualdade de gênero durante os seus estudos e, depois, assim que a criança está em casa, se volta para o seu papel convencional: ele está se realizando na carreira profissional enquanto sua mulher cuida do resto”.

Leia também

De acordo com o pai, ele não podia simplesmente abandonar o filho ao preconceito alheio. “É absurdo esperar que uma criança de cinco anos consiga se defender sozinha, sem um modelo para guiá-la. Então eu decidi ser esse modelo”. Um dia eles resolveram sair pela cidade vestindo saias. Chamaram tanto a atenção de uma moça na rua que ela, literalmente, deu com a cara em um poste.

De acordo com reportagem do Gawker.com o menino ainda pinta as unhas e de vez em quando pinta as do pai também, e quando os outros garotos começam a zombar dele, a resposta é imediata: “Vocês só não usam saias porque os pais de vocês não usam”.

Agências e Gawker.com

Recomendados para você

Comentários

  1. Lyndy Luca Postado em 30/Aug/2012 às 12:25

    Esse é um pai que deixou que o seu amor pelo seu filho falasse mais alto que qualquer convenção da sociedade... Louvável!

  2. Jossielli Postado em 30/Aug/2012 às 14:33

    É de pessoas assim que a sociedade precisa! Um pai que ensina o filho que ele não tem que ser igual a todo mundo só pra ser aceitado em uma sociedade hipócrita e idiota, que se acha no direto de mandar até na roupa que as pessoas usam. Pode ter certeza que esse menino vai ser muito mais feliz que qualquer outra criança, porque o pai o incentiva a ser que ele quer ser.Jossi

  3. Alessandra Garuzzi Postado em 30/Aug/2012 às 17:11

    :') ... quanta saudade de casa... Vontade de ir-me embora para "Pasargada"... lá os meninos de 5 anos poderiam usar vestidos vermelhos e sair às ruas sem serem hostilizados ou sofrerem o estigma do homossexualismo quando nem ao menos sabem o significado da palavra. E os pais nem precisariam usar saias se não quisessem, pois seus filhos de 5 anos não sofreriam represálias por expôr seus gostos, ideias, vontades... E assim pais e filhos poderiam se amar sem cobranças, sem provas, sem cuidado excessivo... Aaaahh... eu não vejo a hora de ir-me embora para "Pasargada"... lá todos somos reis... e todos os reis são amigos...

  4. Ubirajara Cunha Postado em 31/Aug/2012 às 10:17

    Lindo, lindo!!! Sobretudo, emocionante e, para completar, emoldurado pela sensibilidade da Alessandra Guaruzzi e seu texto! Aqui, do alto dos meus quase 63, renovo minha fé no homem e nas possibilidades de uma consciência coletiva na direção do respeito à pessoa e seus direitos inalienáveis. Enfim, querida Alessandra! Que novas sendas nos reconduzam às Pasárgadas...

  5. edson Postado em 01/Sep/2012 às 12:53

    Vi um filme intitulado "Bruno", que relata a história de um menino que gostava de usar vestido e o pai se comporta exatamente oposto desse pai. vale apena ver!!!

  6. Guilherme Postado em 02/Sep/2012 às 18:23

    Se o medo da sociedade é que essa criança vire uma menina, bom, com essa atitude do pai, o impacto psicológico na criança pode muito bem ser o exato inverso. Se não for também, dane-se! A criança tem um norte, um amigo e alguém em quem se apoiar pelos caminhos tortuosos que ela vai ter que seguir diante de uma sociedade reacionária. “Vocês só não usam saias porque os pais de vocês não usam”: uma resposta inocente, vinda da criança, mas poderia significar "Vocês só não têm coragem de mostrar a verdadeira face e serem livres sem preconceitos porque são reprimidos pelos pais hipócritas e demagogos de vocês"

  7. rogério Postado em 03/Sep/2012 às 06:55

    E se mais tarde o menino quiser ser homossexual, o pai vai querer ser também?

  8. val Postado em 03/Sep/2012 às 11:03

    Rogério, você tem problemas mentais?

  9. Hamilton Postado em 03/Sep/2012 às 16:27

    E se mais tarde o menino quiser ser homossexual, o pai vai querer ser também? (2) Talvez ele já o seja...

  10. Arlindo Reis Postado em 08/Sep/2012 às 13:55

    Esse é mais um exemplo de pai ba-ba-ca que acha que para ser pai bonzinho, tem que deixar uma criança de apenas cinco anos decidir tudo o que quer. Vai ser bem feito se quando adulto, portanto com outra cabeça, o filho se revoltar com pai, por este apoia-lo quando criança, num comportamento tão ridículo, que poderá prejudicar sua imagem la na frente. Filhos quando jovem insistem em fazer ca-ga-das, e la adiante por conta das consequencias muitas vezes desastrosas, fazem reclamações do tipo: “- É que minha mãe (ou pai) bem sabia que eu era criança (ou adolescente) e não entendia bem da vida, podiam ter sidos mais duros pra evitar que eu fizesse a burrice que fiz, mas não foram firmes como deveriam”. e isso e aquilo... No caso dessa criança podera no futuro ridicular esse pai i-di-o-ta dizendo algo como: “- Eu era apenas uma criança de cinco anos, portanto não tinha noção das coisas, mas meu pai já era um adulto, e fazer um papel tão ridículo no lugar de me eninar...” JA TENHO PRESENCIADO ALGUNS CASOS DO TIPO NA MINHA VIDA.

  11. Arlindo Reis Postado em 20/Sep/2012 às 01:05

    Convenções sociais fazem parte de qualquer sociedade desde os primordios dos tempos. Quem não tem conciencia disso, deveria viver no mato, longe até mesmo dos bichos , ja que eles mesmo que de forma mais simples, tambem tem suas convenções. Se rebelar contra convenções de forma racional é uma coisa, porem ficar se rebelando de forma cega as convenções sociais, a ponto de se passar por ridículo, certamente é sintoma de alguma patologia de ordem psicológica ou ate mesmo psiquiátrica.

  12. Mi Postado em 18/Oct/2012 às 14:25

    Dá pra perceber no comentário do Arlindo Reis quanta raiva no coração. Não consegue entender mesmo o que esse pai fez pelo filho.

  13. Ismael Postado em 09/Nov/2012 às 17:40

    Não acredito que hajam imbecis, indivíduos patológicos que ousam criticar uma ação tão bonita de respeito e amor com um filho! Não, lixos o cara não é viado, não estúpidos! Ele apenas se solidarizou e dividiu o sofrimento do filho diante de filhos da p. preconceituosos como vocês!

  14. [email protected] Postado em 14/Nov/2012 às 18:51

    E se mais tarde o menino quiser ser homossexual, o pai vai querer ser também?[3] Será que alguem aqui sabe oque é ser pai? SER PAI = AMOR =ENSINAR O QUE É CERTO E ERRADO! ser gay é normal? SIM Gays devem ser respeitados? SIM se o filho dele for gay ser ele deve continuar o amor pelo filho? SIM o homem nasceu para se relacionar com o homem e a mulher com a mulher? NÃO um garoto de 5 anos sabe disso? NÃO, e o pai deveria ensinar isso pra ele.. MAS ESTE PAI, NÃO VAI ENSINAR ¬¬

  15. Reginaldo Postado em 05/Dec/2012 às 19:43

    O dever dos pais é ensinar, mostrar o que é certo e o que é errado, não incentivar uma coisa que vai fazer o filho sofrer no futuro. Uma criança de 5 anos não tem noção do que é de menino e o que é de menina. Quer dizer entao que quando essa criança for pra escola e bater o pé que quer ir de saia, unhas pintadas e batom nos labios, todas as outras crianças que não seguem esse estilo de vida, vão estar erradas de achar isso estranho? O pai incentivando isto, vai fazer com que o filho ache isso cada vez mais certo, ele esta distorcendo as coisas so para não ir contra os gostos de seu filho. Acredito que tudo tenha limites. Ao invez desse pai incentivar esta criança a se vestir de maneira errada, ele deveria mostrar como são as coisas, e se no futuro, quando ele tiver noção das coisas, e quiser seguir um caminho diferente, ai sim. É só uma criança, não sabe o que esta fazendo, mas o pai sabe. Concordo plenamente com o Arlindo. E se mais tarde o menino quiser ser homossexual, o pai vai querer ser também? [4]

  16. Henrique Postado em 10/Dec/2012 às 22:55

    Bom gente... eu não sou ... mas sou filho... concordo com Reginaldo! Uma criança de 5 anos não tem essa noção, até entendo a ação do que ela é de boa intenção no contexto da história, mas o certo seria ele ensinar o filho as diferenças entre as vestes de meninos e meninas.. deveria ensina-lo a gostar de roupas masculinas ou algo do tipo. Me desculpem qualquer coisa, não sou preconceituoso, mas essa não foi a melhor ideia que o pai poderia ter! "Reginaldo" O dever dos pais é ensinar, mostrar o que é certo e o que é errado, não incentivar uma coisa que vai fazer o filho sofrer no futuro. Uma criança de 5 anos não tem noção do que é de menino e o que é de menina. Quer dizer entao que quando essa criança for pra escola e bater o pé que quer ir de saia, unhas pintadas e batom nos labios, todas as outras crianças que não seguem esse estilo de vida, vão estar erradas de achar isso estranho? O pai incentivando isto, vai fazer com que o filho ache isso cada vez mais certo, ele esta distorcendo as coisas so para não ir contra os gostos de seu filho. Acredito que tudo tenha limites. Ao invez desse pai incentivar esta criança a se vestir de maneira errada, ele deveria mostrar como são as coisas, e se no futuro, quando ele tiver noção das coisas, e quiser seguir um caminho diferente, ai sim. É só uma criança, não sabe o que esta fazendo, mas o pai sabe.

  17. Neilor Postado em 11/Dec/2012 às 14:49

    Tenho 3 filhos, um de 24 já casado, com casa própria, carro e esposa grávida. Quando ele era pequeno uma a mae dele tinha um cabelo extremamente longo e bonito, e ele por algumas vezes enrolava uma toalha na cabeça e dizia que ele era a mamãe, até ai normal ele admirar a mae, acha-la bonita e até achar que podia ser como ela. Eu como pai o orientei dizendo que a mamãe era mulher, e ele era menino, que tinha “pipi”, que quando crescesse seria homem como o pai e poderia se casar com uma mulher tao bonita quanto a mamãe. Ele entendeu, cresceu e se tornou o home que é. Minha filha nunca me deu preocupação, está com 16 anos e namorando. Meu filho mais novo (4 anos) imita o pai, copia as atitudes, “me ajuda” com as coisas que tenho que fazer e sempre fala coisas como “Né pai que só os homens fazem isto, porque a mãe é mulher né pai...” (lavar o carro por exemplo, ou cortar a grama). Crianças NÃO TEM NOÇÃO DE A QUE VIERAM AO MUNDO, e procuram nos pais a orientação para isso. Se quando meu filho colocava toalha na cabeça eu tivesse deixado meu cabelo crescer para “apoiá-lo” como ele estaria hoje. Talvez fosse gay, claro eu o amaria da mesma forma, mas talvez, se ele não fosse feliz nessa condição me culparia por não telo orientado. Esse pai aí é um pobre coitado que tentando ser “politicamente correto” pressionado por uma sociedade cada vez mais libertina, desencaminhada e hipócrita apoiou o erro de seu filho de CINCO ANOS errando junto. Lamentável.

  18. Catia Postado em 30/Dec/2012 às 21:16

    Sabe sempre me surpreendo com o que os pais são capazes,por amor aos filhos, não estou julgando que é errado ou certo, pois apoio o pensamento que a criança, não se deve adequar a um modelo que é aceito pelo sociedade...Da mesma maneira que pra nós mulheres não era aceito usar calças,pq pra eles deveria não ser permitido usar saias ou vestido? Se fosse meu filho eu apoiaria tbm.

  19. Luís Postado em 19/Aug/2013 às 00:57

    Por favor, né, Amigos. A criança tem 5 anos, ela não sabe o que é o certo e o que é errado, na escola crianças com a mesma idade dele estão rindo dele e também não sabem porque... Isso é fruto do preconceito enraizado na cabeça estagnada no passado dos pais deles.