Redação Pragmatismo
Compartilhar
Especial 03/Jul/2012 às 14:49
61
Comentários

Conheça o País que consegue reabilitar 80% dos seus criminosos

A taxa de reincidência de prisioneiros libertados nos Estados Unidos é de 60%. Na Inglaterra, é de 50% (a média europeia é de 55%). A taxa de reincidência na Noruega é de 20%

biblioteca presídio noruega

Biblioteca de presídio na Noruega. Imagem: ForeignPolicy

A ação criminal contra o ativista de extrema-direita Anders Behring Breivik despertou a atenção dos americanos e do mundo para as “prisões de luxo” da Noruega

No princípio, os americanos ficaram horrorizados com a ideia de que o “monstro da Noruega” fosse parar em um estabelecimento correcional, cujas celas são bem melhores do que qualquer dormitório universitário dos Estados Unidos. Uma apresentadora de uma emissora de TV repetiu a zombaria que mais se ouvia no país: “Eu quero ir para a Noruega cometer um crime” (Veja o vídeo). Mas as autoridades norueguesas se explicaram a jornalistas americanos e ingleses. Hoje, os proponentes da reforma do sistema prisional dos EUA, há muito debatida, miram-se no exemplo da Noruega. Em termos de resultados, os obtidos pela Noruega são bem melhores.

A taxa de reincidência de prisioneiros libertados nos Estados Unidos é de 60%. Na Inglaterra, é de 50% (a média europeia é de 55%). A taxa de reincidência na Noruega é de 20% (16% em uma prisão apelidada de “ilha paradisíaca” pelos jornais americanos, que abriga assassinos, estupradores, traficantes e outros criminosos de peso). Os EUA têm 730 prisioneiros por 100 mil habitantes. Essa taxa é bem menor nos países escandinavos: Suécia (70 presos/100 mil habitantes), Noruega (73/100 mil) e Dinamarca (74/100 mil). Mais ao Sul, a europeia Holanda tem uma taxa de 87/100 mil, e uma situação peculiar: o sistema penitenciário do país tem “capacidade ociosa” e celas estão disponíveis para aluguel. A Bélgica já alugou espaço em uma prisão da Holanda para 500 prisioneiros. Ou seja, o melhor espelho para os interessados de qualquer país em melhorar seus próprios sistemas, está na Escandinávia e arredores, não nos Estados Unidos.

Leia mais

A diferença entre os países está nas teorias que sustentam seus sistemas de execução penal. Segundo o projeto de reforma do sistema penal e prisional americano, descritos na Wikipédia, eles se baseiam em três teorias: 1) Teoria da “retribuição, vingança e retaliação”, baseada na filosofia do “olho por olho, dente por dente”; assim, a justiça para um crime de morte é a pena de morte, em sua expressão mais forte; 2) Teoria da dissuasão (deterrence) que é uma retaliação contra o criminoso e uma ameaça a outros, tentados a cometer o mesmo crime; em outras palavras, é uma punição exemplar; por exemplo, uma pessoa pode ser condenada à prisão perpétua por passar segredos a outros países ou a pagar indenização de US$ 675 mil dólares a indústria fonográfica, como aconteceu com um estudante de Boston, por fazer o download e compartilhar 30 músicas – US$ 22.500 por música; 3) Teoria da reabilitação, reforma e correição, em que a ideia é reformar deficiências do indivíduo (não o sistema) para que ele retorne à sociedade como um membro produtivo.

As duas primeiras explicam o sistema penal e o sistema prisional dos Estados Unidos. Existem esforços para implantar e manter programas de reabilitação, mas eles constituem exceção à regra. Na Noruega, a terceira teoria é a regra. Isto é, a reabilitação é obrigatória, não uma opção. Assim, o “monstro da Noruega”, como qualquer outro criminoso violento, poderá pegar a pena máxima de 21 anos, prevista pela legislação penal norueguesa. Se nesse prazo, não se reabilitar inteiramente para o convívio social, serão aplicadas prorrogações sucessivas da pena, de cinco anos, até que sua reintegração à sociedade seja inteiramente comprovada.

“Fundamentalmente, acreditamos que a reabilitação do prisioneiro deve começar no dia em que ele chega à prisão”, explicou a ministra júnior da Justiça da Noruega, Kristin Bergersen, à BBC. “A reabilitação do preso é do maior interesse público, em termos de segurança”, disse. O sistema de execução penal da Noruega exclui a ideia de vingança, que não funciona, e se foca na reabilitação do criminoso, que é estimulado a fazer sua parte através de um sistema progressivo de benefícios — ou privilégios — dentro das instituições penais. O país tem prisões comuns, sem o mau cheiro das prisões americanas, dizem os jornais, e duas “instituições” que seriam lugares para se passar férias, não fosse pela privação da liberdade: a prisão de Halden e a prisão de Bostoy, em uma ilha.

Halden Fengsel

Qualquer projeto de construção de edifícios, na Noruega, reserva pelo menos 1% do orçamento para a arte. A construção da prisão de Halden foi concluída com obras do artista grafiteiro Dolk em um muro do pátio e toilettes, que incluiu mais de R$ 2 milhões no orçamento. As paredes dos corredores do prédio são cobertas por quadros enormes, de flores a ruas de Paris, e azulejos de Marrocos. A prisão foi construída em uma área de floresta, em blocos que “servem de modelo ao chique minimalista”, descreve a BBC. A prisão já ganhou prêmios de “melhor design interior”, com uma decoração que tem mesas de laminado branco, sofás de couro tangerina e cadeiras elegantes espalhadas pelo prédio (Clique aqui para ver as fotos).

dentista presídio noruega

Consultório dentário em presídio norueguês. Imagem: ForeingPolicy

A prisão tem ainda estúdio de gravação de músicas, ampla biblioteca, chalés para os detentos receberem visitas da família, ginásio de esporte, com parede para escalar, campo de futebol e oficinas de trabalho para os presos. Tem trabalho (com uma pequena remuneração), cursos de formação profissional, cursos educacionais (como aulas de inglês para presos estrangeiros, porque os noruegueses em Halden já são todos fluentes). No entanto, a musculação não é um esporte permitido porque, segundo os noruegueses, desperta a agressividade nas pessoas. Promover muitas atividades esportivas, educacionais e de trabalho aos detentos é uma estratégia. “Presos que ficam trancados, sem fazer nada, o dia inteiro, se tornam muito agressivos”, explica o governador da prisão de Halden, Are Hoidal. “Não me lembro da última vez que ocorreu uma briga por aqui”, afirma.

Dizer que o um criminoso já está atrás das grades pode ser uma afirmação falsa. As celas da prisão de Halden não têm grades. Têm amplas janelas, com vistas para a floresta, e bastante luminosidade. As celas individuais são relativamente maiores do que a de muitos hotéis europeus, têm uma boa cama, banheiro com vaso sanitário decente, chuveiro, toalhas brancas grandes e macias e porta. Tem, ainda, televisão de tela plana, mesa, cadeira e armário de pinho, quadro para afixar papéis e fotos, além de geladeiras. Os jornais dizem que, de uma maneira geral, são acomodações bem melhores do que quartos para estudantes universitários nos EUA. E é normal que prisioneiros portem suas próprias chaves. As celas são separadas em blocos: oito celas em cada bloco (os blocos mantêm separados, por exemplo, os estupradores e pedófilos que, também na Noruega, não são perdoados pelos demais detentos).

Cada bloco tem sua cozinha. A comida é fornecida pela prisão, mas é preparada pelos próprios detentos. Eles podem comprar ingredientes na loja da prisão para refeições especiais. Podem comprar, por exemplo, de pasta de wasabi para fazer sushi a carne de primeira (por R$ 119 o quilo), com contribuições de todos que se sentam à mesa — normalmente, grupos de dez. Os livros mais emprestados na biblioteca de Halden são os de culinária. Os presos também podem ir à loja para reabastecer suas geladeiras nas celas com iogurtes e queijos, por exemplo. No restaurante, membros do staff da prisão (incluindo os graduados), sempre desarmados, sentam-se à mesa com os presidiários.

Para cuidar de 245 detentos, os 340 “membros do staff” passaram por dois anos de preparação para o cargo em uma faculdade, no mínimo. E entre eles, há profissionais da saúde e professores. São homens e mulheres, ainda jovens, que percorrem “sorridentes” o campus da prisão de Halden em scooters modernos, de duas rodas, com funções bem definidas, como as de coordenar as atividades e servir de orientadores, motivadores e modelos para os detentos, diz o governador da prisão. Uma das obrigações fundamentais de todos os membros do staff, a começar pelo governador, é mostrar respeito às pessoas que estão ali, em todas as situações. A equipe entende que ao mostrar muito respeito ao detento, ele vai aprender a se respeitar. Quando isso acontecer, ele vai estar preparado para respeitar os outros.

A prisão de Halden foi projetada para incorporar a ideia que os noruegueses têm de execução penal, diz a Time Magazine. A pena é a privação da liberdade. Não é o tratamento cruel, que só torna qualquer pessoa em criminoso mais endurecido, diz o governador de Halden. O objetivo é a reabilitação, não a vingança. Mas, os esforços de reabilitação não são exclusivos do sistema. Os detentos são obrigados a mostrar progressos nos treinamentos de qualificação profissional e de reabilitação, para ter direito a desfrutar das “prisões mais humanas do mundo”. Se, ao contrário, quebrarem as regras ou se recusarem a fazer sua parte nos esforços de reabilitação, podem regredir para prisões tradicionais.

Se a defesa de Breivik, o “monstro da Noruega”, for bem-sucedida e ele pegar uma pena de 21 anos prisão — em vez de ser considerado mentalmente insano e ser enviado para um manicômio judiciário, como quer a promotoria — ele dificilmente vai aterrissar em Halden ou na ilha de Bastoey. Elas não têm alas de segurança máxima. Ele deve permanecer em um prisão Ila, em Oslo, que já foi, no passado, um campo de concentração nazista, movimento com o qual ele se identifica. E esse é seu destino mais provável, porque o governo da Noruega anunciou nesta quarta-feira (27/6) planos para construir uma ala psiquiátrica nessa prisão, noticiou o Washington Post. Mas, caso venha a ser um candidato à reabilitação social no futuro, poderá terminar na prisão de Halden ou, melhor ainda para ele, na prisão de Bastoy.

Prisão de Bastoy

Para chegar a “paradisíaca” ilha de Bastoy, é preciso fazer uma viagem de uma hora de balsa, que é conduzida quase que exclusivamente por detentos. Os visitantes — não os familiares dos presos que embarcam com a ajuda dos detentos — se perguntam por que eles não aproveitam a oportunidade para fugir, diz uma reportagem da Vice TV, repercutida pela CNN. Não registros de tentativas de fuga de Bastoy, como não há da prisão de Halden. Os detentos dessas prisões estão negociando seu reingresso na sociedade, não o regresso para prisões comuns (Veja algumas fotos de Bastoy em reportagem do Mail Online).

Os detentos vivem, em pequenos grupos, em espécies de chalés espalhados pela ilha, com quartos individuais, cozinha completa, televisão de tela plana e todos os confortos de uma casa pequena. O lugar tem uma grande biblioteca, escola, sala de música, sala de cinema, sala de ginástica, capela, loja, enfermaria, dentista, oficinas para conserto de bicicletas (o meio de transporte dos presos pela ilha) e de outros equipamentos, carpintaria, serviços hidráulicos, estábulo (onde os prisioneiros cuidam dos animais), campo de futebol, quadra de tênis e sauna. Trabalham no estábulo, na oficina, na floresta e nas instalações do prédio principal, praticam esportes, fazem cursos, pescam, nadam na praia exclusiva da “prisão” e tomam banho de sol no verão — para o inverno, há uma máquina de bronzear.

A comida é preparada e servida pelos detentos e todos se sentam às mesas em companhia dos guardas, funcionários administrativos e do governador da prisão. Todos os recém-chegados passam uma semana em uma casa-dormitório com 18 quartos, fazendo um curso intensivo sobre como viver em Bastoy: aprendendo as regras, a cozinhar, a limpar e a conviver com os “colegas” e com a equipe de funcionários.

Todas as manhãs, os detentos se levantam, tomam um café da manhã “reforçado”, preparam um lanche para levar para o trabalho, que começa pontualmente às 8h30. Trabalham até as 14h30 (por cerca de R$ 21 por dia), almoçam a partir das 14h45 e, depois disso, estão “livres” para praticar outras atividades, até às 23h, quando devem se recolher a seus aposentos. Com o trabalho dos detentos, a prisão é autossustentável e tão ecológica quanto possível, diz o governador da prisão de Bastoy, Arne Kvernvik-Nilsen. Os detentos fazem reciclagem, usam energia solar e, a não ser pelos tratores, seus meios de transporte para trabalho, diversão e tudo mais são apenas cavalos e bicicletas. Bastoy é a prisão mais barata da Noruega.

A prisão tem um staff de 70 pessoas (35 dos quais são guardas), para cuidar de 120 detentos. À noite, apenas cinco guardas permanecem no local. O norueguês Gunnar Sorbye trabalha há cinco anos na prisão como chefe da divisão e instrutor dos presos nas artes da carpintaria, serviços hidráulicos e do “faça-você-mesmo”. Sob sua orientação, os presos que gostam do ramo cuidam da manutenção das instalações e se qualificam profissionalmente. O lugar também abriga professores, enfermeiras, padre, dentista e fisioterapeuta. E tem uma creche para cuidar dos filhos dos presos, enquanto eles passam algum tempo a sós com suas mulheres ou namoradas. As visitas são feitas um dia por semana, com três horas para presos sem filhos e todo o dia para os que tem filhos.

Na prisão, existem duas pequenas celas com grades, bem escondidas. Elas são destinadas a presos que quebram a regra cardinal: são proibidas a violência, bebidas alcoólicas e drogas. A última vez que uma delas foi usada foi há dois anos, quando um detento foi encontrado tomando uma bebida alcoólica. Ele foi colocado em uma das celas, até ser removido para uma prisão comum. Mas também já aconteceu o pouco provável: um preso declarou que sentia falta da prisão comum, onde tinha acesso a drogas.

Os prisioneiros provenientes das prisões normais, são os que mais se entusiasmam com prisões como a de Bastoy e Halden, abraçando até com certo ardor a proposta da reabilitação em troca conforto que o sistema oferece. Réus que recebem pena de prisão e são diretamente encaminhados para Bastoy ou Halden, se sentem infelizes, como qualquer preso que chega em qualquer prisão. Como não viveram em uma prisão que trancafia as pessoas 23 horas por dia, tudo o que percebem é que estão trocando a liberdade por uma prisão — mesmo que ela tenha todos esses confortos, diz o governador da prisão.

O sistema de execução penal da Noruega dificilmente será adotado pela Inglaterra (que tem 155 presos por 100 mil habitantes, mais de 87 mil prisioneiros e também não tem recursos para isso, segundo já declaram as autoridades inglesas); nem pelo Brasil (que tem 261 presos por 100 mil habitantes, uma população de mais de 513 mil prisioneiros e não tem dinheiro nem para colocar defensores públicos nas instituições); muito menos pelos Estados Unidos (que tem 730 presos por 100 mil habitantes, uma população de 2,3 milhões de prisioneiros, falta de recursos e uma crença indelével na teoria da vingança). Mas, há uma percentagem de americanos que acreditam em reabilitação. Como escreveu o articulista da Time Magazine: “Acho que devemos parar de criticar a Noruega e nos fazer um grande favor, observando como uma sociedade civilizada lida com seus criminosos, mesmo com monstros’ como Anders Breivik“.

João Ozorio de Melo, Consultor Jurídico

Recomendados para você

Comentários

  1. Guilherme Postado em 06/Sep/2012 às 21:45

    "Todas as manhãs, os detentos se levantam, tomam um café da manhã “reforçado”, preparam um lanche para levar para o trabalho, que começa pontualmente às 8h30. Trabalham até as 14h30 (por cerca de R$ 21 por dia), almoçam a partir das 14h45 e, depois disso, estão “livres” para praticar outras atividades, até às 23h, quando devem se recolher a seus aposentos." O principal motivo de indignação para quem se indigna com estas prisões é que o sujeito percebe que o preso é mais livre que ele, em sua vidinha inútil e escrava das prisões que o próprio sistema impõe: trânsito, chefes que abusam do horário dos empregados, juros de bancos, taxas para tudo etc. Estes presos sim, têm vida mais digna do que as pessoas "livres", pois em verdade, ali, naquele simulacro de uma sociedade justa, igualitária e comunitarista, eles estão livres dos grandes bancos, dos grandes empresários, das arbitrariedades. Presos, eles estão livres do Capitalismo mais selvagem, e essa prisão, eu queria a perpétua mesmo...

  2. Vínícius Postado em 11/Sep/2012 às 20:29

    Eu não consigo concorda com a Noruega nesse ponto, um terrorista neonazista mata 77 pessoas e pega só 21 anos de prisão ? Alguém acha q essa escória tem alguma chance de reabilitação ou q ele mereça isso ? pra mim ele merece a pena de morte, podem dizer o q for mais uma pessoas dessas não tem direito de viver. Não concordo com essas prisões de luxo

    • Nicolau Postado em 26/Jul/2014 às 19:23

      Que porra de "neonazista" quando na verdade o assassino Breivik e MAÇOM! Vai se informar, porra!

    • betão Postado em 11/Apr/2015 às 10:07

      Por favor para de defender essas ideias fascistas... estamos pagando caro demais por isso, com o pcc colocando o governador Geraldo Alckmim e o de santa catarina de joelhos... mais cedo ou mais tarde eles vão ser soltos então é melhor que voltem reabilitados é uma questão de racionalidade...sejamos mais racionais e menos emotivos.

    • betão Postado em 11/Apr/2015 às 13:31

      Vinicius... vc não entende e não conhece o sistema penitenciário noruegues, Breivik vai apodrecer na cadeia...ele só pode sair se for considerado reabilitado, caso não seja será proorogada a pena.

    • Claudia Postado em 07/Jul/2015 às 21:38

      Não se pode mudar todo o sistema penal norueguês, pensado para uma sociedade pacífica, por causa de um fato isolado, por mais repugnante que este seja. O processo legislativo é lento, justamente para que se pensem todas as ações e reações, freios e contrapesos, causas e consequências. Se não for assim, a justiça vira vingança e os Breiviks vencem.

  3. Cássio Postado em 10/Oct/2012 às 16:53

    Vinícius, não concorda que ele tem direito de viver? Então quer dizer que é a favor da pena de morte? hm, ideias conservadoras por aqui não são muito bem-vindas...

    • Vidinha Postado em 24/Jul/2014 às 12:30

      Quer dizer então que os 77 que ele matou não tinham direito de viver, e ele tem.

      • Uriel Postado em 22/Dec/2014 às 19:49

        Não, quer dizer que "quem com a espada fere, pela espada será ferido". Ou seja, alguma hora alguém precisa parar de ferir com a espada, para não mais ser ferido. Entendeu? Alguém precisa deixar o orgulho de lado, essa é a lição. Abraço!

  4. Wellington Marques Postado em 10/Oct/2012 às 19:21

    Dos criminosos condenados a prisão perpétua e pena de morte 100% não voltam a cometer crimes!

    • yaggo Postado em 03/Aug/2014 às 14:44

      os condenados à prisão perpétua podem cometer crimes na prisão ! kkkk

    • Urias Linhares Alves Postado em 03/Aug/2014 às 21:37

      O que me impressiona é como a pena d morte serviu para a redução da criminalidade nos estados Unidos, não é Wellington? A discussão aqui vai para além da pena de morte, mas para a necessidade de devolver essas pessoas à sociedade e vice-versa. Veja que no Brasil não se pode falar em recuperação, primeiro por que o sistema carcerário falido não oferece forma de recuperar os presos, faz o contrário, e segundo porque a maioria dos presos brasileiros, negro pobre não será bem recebido pela sociedade que torce pra que eles não saiam nunca mais de lá e quando saem, por culpa de quem vcs quiserem achar, saem mais desumanos que entraram. Se o sistema prisional é injusto com a sociedade? Creio que não! Ao menos o índice de reincidência é o menor do mundo.

    • Claudia Postado em 07/Jul/2015 às 21:38

      Os inocentes executados também não voltam.

  5. Filipe Russo Postado em 10/Oct/2012 às 19:31

    "Todas as manhãs, os detentos se levantam, tomam um café da manhã “reforçado”, preparam um lanche para levar para o trabalho, que começa pontualmente às 8h30. Trabalham até as 14h30 (por cerca de R$ 21 por dia), almoçam a partir das 14h45 e, depois disso, estão “livres” para praticar outras atividades, até às 23h, quando devem se recolher a seus aposentos.” O principal motivo de indignação para quem se indigna com estas prisões é que o sujeito percebe que o preso é mais livre que ele, em sua vidinha inútil e escrava das prisões que o próprio sistema impõe: trânsito, chefes que abusam do horário dos empregados, juros de bancos, taxas para tudo etc. Estes presos sim, têm vida mais digna do que as pessoas “livres”, pois em verdade, ali, naquele simulacro de uma sociedade justa, igualitária e comunitarista, eles estão livres dos grandes bancos, dos grandes empresários, das arbitrariedades. Presos, eles estão livres do Capitalismo mais selvagem, e essa prisão, eu queria a perpétua mesmo… (2)

  6. Bruno Philipe Postado em 10/Oct/2012 às 19:54

    É por isso que eu digo. Os nórdicos são o povo mais avançado do mundo! Não tem o que discutir! A maior renda per-capita, o maior IDH, a menor taxa de mortalidade infantil e de desemprego, além da maior taxa de reabilitação criminal. FIM! Se algum dia eu for me mudar para outro país, quero ir para Noruega, Suécia ou Dinamarca, sem dúvidas!

    • Leonardo Postado em 03/Feb/2015 às 15:01

      São Capitalistas !

      • vinicius Postado em 29/Apr/2015 às 15:36

        O Brasil também é, mas a diferença está no assistencialismo prestado pelo estado. Algo tão reclamado pelos coxinhas de plantão.

  7. Nicole Postado em 10/Oct/2012 às 20:24

    Muito bom seu comentário Guilherme. Tomei a liberdade de copiar no meu face, infelizmente não tem como dar os devidos créditos, então me referi como "o comentário que disse tudo do Guilherme"

  8. Louis Postado em 10/Oct/2012 às 22:57

    Wellington Marques, tu esquece que dentro dos presídios, estes que cumprem prisão perpétua ainda assim podem cometer crimes, mesmo estando presos. E que a pena de morte, sentenciada à alguém que, por ventura se descubra que na verdade era inocente, é o maior crime que o Estado pode cometer.

  9. lekoiko Postado em 11/Oct/2012 às 01:00

    " Wellington Marques, em 10 de outubro de 2012 às 19:21 disse: Dos criminosos condenados a prisão perpétua e pena de morte 100% não voltam a cometer crimes!" Os babacas que repetem essa merda como se fosse novidade se esquecem que pessoas inocentes também vão presas.

  10. André Postado em 12/Oct/2012 às 17:27

    Toda sociedade consegue produzir o suficiente para fornecer bem estar e dignidade para a população, isso só não acontece quando a divisão é feita de forma a privilegiar uma minoria. Acaba que 1% da população tem mansões, aviões, fazendas e iates e uma grande parcela vive em cortiços.

  11. Matheus Postado em 25/Oct/2012 às 19:10

    Soluções diferentes para realidades e povos completamente diferentes. Vocês sinceramente acham que isso seria implementável no Brasil a curto prazo? Acreditam sinceramente que seria justo com o povo que trabalha pesado e ganha pouco, ver que os assassinos mais cruéis e sanguinários teriam um destino muito melhor do que a vasta maioria da população honesta? Eu acho que não, aliás, eu sei que não. Acredito que primeiro temos que passar por um estratégia americana, pra depois, em um momento onde nossa sociedade estiver mais evoluída(se um dia acontecer) partirmos para um estratégia Norueguesa. Notem que mesmo com tudo isso feito, 20% ainda retorna pro crime, ou seja, existe gente que está além da redenção, como eu sempre digo, tem gente que é ruim e pronto, não é vítima de nada, a não ser da mentalidade torpe delas mesmas. Também não encontrei na reportagem nada mencionando a natureza dos crimes em comparação com os EUA ou outro país, ninguém em sã consciência acha que "ladrão de galinha" tem que sofrer e passar 30 anos na cadeia, mas agora, um sádico que executa friamente uma adolescente de 15 anos e tira onda sobre isso na delegacia é outra história... É o que eu sempre digo, os países Nórdicos estão anos-luz na nossa frente em basicamente tudo, não dá pra simplesmente transplantar uma realidade de lá, existem estágios evolucionários que uma sociedade tem que passar antes disso. O que o povo Brasileiro precisa AGORA é tirar os criminosos de circulação e fazer o crime não valer a pena(não estou falando de matar, e sim de prender e manter preso), feito isso, podemos tranquilamente focar na reabilitação, não existe como pular etapas nesse processo, até porque, mesmo com os melhores esforços, como mencionei anteriormente, uma boa parte volta pro crime. É perfeitamente compreensível a mentalidade do bandido bom é bandido morto nas condições deploráveis e de descaso que vivemos, não dá para culpar o povo e dizer que é coisa de gente "desinformada, reacionária, cruel, etc etc", tem gente morrendo nas ruas, vivemos em um estado de guerra civil, como vocês esperam compreensão numa situação dessas?

  12. ENEIDA BICALHO Postado em 28/Oct/2012 às 20:58

    a maldade humana não EXISTE se vc é rico ou não.tem muito rico que mata,porque é capaz de fazer isto.o ser humano nunca foi e nunca será BOM.MALDITO O HOMEM QUE CONFIA EM OUTRO HOMEM!Mas se cometeu crime,é contra a LEI, tem de ter um castigo.E SE matou, tem que morrer, antes era assim, agora que somos chamados civilizados mudou. NOS, QUE TRABALHAMOS, temos de manter estes monstros,covardes.QUEM É MARGINAL,CRIMINOSO, MUDA SO PARA SAIR DA CADEIA,MAS NO INTIMO CONTINUA O MESMO. O CINISMO DELE PODE SER DECTADO POR QUALQUER PSICOLOGO.MAS NÃO TEMOS CADEIA PARA TANTOS CINICOS CRIMINOSOS.QUEM ESTUPRA TINHA D SER ESTUPRADO,OLHO POR OLHO DENTE POR DENTE-NOS PAISES DITOS CIVILIZADOS ELES TEM DINHEIRO,NÃO EXISTE FOME,TODO MUNDO ESTUDA BEMBEM MUITO ALCOOL, DROGAM-SE DEMAIS, E SE RECOPORAM POS GUERRA RAPIDO. NO BRASIL TDO É PROIBIDO,TEMOS TDO PARA SERMOS UM POVO RICO, MAS OS POLITICOS ROUBAM TUDO. LA POLITICO GANHA COMO UM EMPREGADO NORMAL. FAÇAM PESQUISA, EUROPA-EXCETO ITALIA E ESPANHA-POLITICO É UM TRABALHADOR, COMO OUTRO QUALQUER. VÃOPRA CADEIA,AQUI, SO SE FOR NO ANO 3.000.TEMOS DE TER ESCOLAS, PREFEITOS ADMINISTRADORES SEM ELEIÇÃO, PROFESSORES COMPROMETIDOS COM A EDUCAÇÃO, COM SALARIOS DIGNOS E VAMOS SER M BRASIL IGUAL A EUROPA. SONHA MARCELINO!!! ABAIXO OS POLITICOS DE BRASILIA, ABAIXO 40% DE IMPOSTO!!

  13. Betão Postado em 28/Feb/2013 às 14:35

    Matheus você é um idiota como a maioria dos brasileiros, nossas prisões turcas são as maiores responsáveis hoje pelo alto indice de criminalidade foram as condições crués de nossos presídios que criaram esse monstro virtualmente indestrutível chamado PCC que lidera a matança de policiais e ataques terroristas em Santa Catarina...Ta na hora de tirar de vez o estado da mão dos capitalistas e destina-lo exclusivamente em primeiro lugar impostos noruegueses 46% do pib, educação norueguesa, saúde norueguesa e segurança norueguesa.

  14. Isabelle Postado em 16/Mar/2013 às 13:50

    O negócio é investir pesado em educação. Sem mais. Na década de 70, a suíça era um dos países com maiores taxas de criminalidade do mundo, e o que fizeram? Investiram todo o dinheiro em educação. "Tiraram" de tudo pra jogar só na educação. Resultado? Em pouco mais de 15 anos, é o país que é hoje. Sem mais. O problema tá na educação [ou melhor, a solução]. A educação não é ruim por incompetência, é por competência, mesmo, dessa corja de engravatado que mata muito mais do que qualquer bandido armado. Por isso eu digo, corrupção deveria ser o pior crime com maior pena existente. Corrupção mata milhares.

    • eu daqui Postado em 05/Aug/2014 às 08:36

      O investimento em educação só tem retorno em país onde o povo quer ser educado.

  15. luizdvd Postado em 16/Apr/2013 às 05:03

    Prezados, não tenho medo de dizer que sou conservador, acredito na pena de morte e detesto a ideia de fascimo, socialista ou de direita. Creio que não há solução para a recuperação de presos violentos no Brasil e, sim, não reconheço a eles o direito de viver. Contudo, confesso que neste governo que elege o Genoíno e o coloca na CCJ, que não publica a decisão final do mensalão e que vai chiar para aplicar a pena no Zé Dirceu, tenho receio de o mecanismo de aplicação de pena virar o velho e bom paredão do Fidel, do Stalin, do Mao, etc, etc.

  16. Lua Luz Postado em 24/Apr/2013 às 19:56

    Aí, concordo que o Brasil precisa evoluir em muitas coisas, mas não acho que manter gente presa é o melhor meio de chegar a esse fim. Os investimentos em educação, cultura e lazer é que trazem, a longo prazo, um desenvolvimento em relação à consciência. É claro que essa conscientização deveria começar lá no DF, com as pessoas que regem a nação, porque eles não são lá muito conscientes, mas essa é outra história, rs.

  17. Danielle Postado em 25/Apr/2013 às 10:46

    Invés de se investir em prisões, de luxo ou não... temos que investir em educação!! #fato

  18. Natália Leal Postado em 25/Apr/2013 às 12:34

    Lindo, exemplar, todos deveriam ser tratados com dignidade! "Na minha opinião, sentenciar uma pessoa à pena capital apenas porque essa pessoa não consegue curar seus defeitos é tão criminoso quanto matá-las você mesmo. Por que nada é feito para sanar suas aflições? Não seria isso equivalente a decapitar-se para escapar de uma dor de cabeça? Em vez disso, é o dever obrigatório da sociedade civilizada curar os defeitos desses criminosos. Devemos lidar com os criminosos com um coração humano e guiá-los para que se livrem de seus males." Prabhat Rainjan Sarkar

  19. Teresa Postado em 25/Apr/2013 às 21:18

    A proposta da reportagem não é dizer que temos que investir em prisões de luxo, mas sim que devemos pensar em reabilitação, claro que não podemos investir tanto em prisões, mas podemos sim mudar a lógica da prisão de vingança para reabilitação! E aí podemos diminuir a reincidência criminal.

  20. Hugo Machado Segundo Postado em 26/Apr/2013 às 11:40

    Excelente notícia. Nos faz pensar, sem dúvida. Quanto aos comentários, não deixa de ser curioso como algumas pessoas sempre associam qualquer tema à questão "direita x esquerda" ou, pior, à ultrapassada oposição entre "capitalismo x socialismo". Convém lembrar que os países escandinavos são capitalistas, havendo, lá, plena liberdade de iniciativa, sendo certo que as prisões russas, chinesas, norte-coreanas ou cubanas, agora ou em qualquer época de sua história socialista, nunca foram paradigma humanitário para ninguém.

  21. Thiago Postado em 27/Apr/2013 às 08:55

    Esse artigo é completamente doentio. Creio que vivemos numa época de generalização da síndrome de Estocolmo. A sensibilidade e ação em favor do oprimido se tornou um verdadeiro culto.

  22. Rogério Cruz Postado em 28/Apr/2013 às 12:03

    Alguns pontos devem ser salientados, li entre os comentarios "prisão de luxo para assassinos e etc" ... gente essa prisão tem um fim muito claro, não são todos que vão para esse tipo de cadeia, no Brasil temos exemplos de cadeias auto-sustentaveis (não a este nivel claro) mas temos, são pouquissimas e se baseiam exatamente no conceito da recuperabilidade do ser humano... é um fato que a maioria (e claro que tanto noruegueses quanto brasileiros terão alguma taxa de reincidencia, o primeiro passo para uma recuperação é aceitar o fato que as vezes não iremos recuperar todos, ter uma taxa baixa é importantissimo então comentarios como "ainda possuem 20% de reincidencia beira a idiotisse de criança mimada que quer somente apontar o ruim) É claro que um sistema desse não é implantado de uma hora para outra, é claro que é mais facil organizar um país com uma dimensão muito menor (se comparado ao Brasil) e com uma cultura menos miscigenada (parece detalhe mas ajuda na introdução de leis, modos de comportamento, quanto menos diferenças raciais, sociais você tiver)... e ai realmente entra o fator EDUCAÇÃO, não há como implantar sistemas que funcionem, se não tentarmos primeiro, evitar que essas pessoas cheguem ao ponto de cometerem crimes, o problema é que ter educação é questinar, é exigir, é parar e se perguntar se as coisas estão certas, se esse governo me representa, se a sociedade esta correta, EDUCAÇÃO É PODER, poder de refletir e meus caros, não sejam inocentes, nossos governantes sabem disso e vão lutar bravamente para que não nos sejam dadas nenhuma ajuda para termos um povo simplesmente melhor...

  23. Néa Macedo Postado em 28/Apr/2013 às 15:43

    Brilhante estratégia se analisada de forma pontual. Certamente serve satisfatoriamente para um pais como a Noruega. Em termos de Brasil, entendo que a análise deve ser feita de forma sistemática. Obviamente, as razões que motivam a criminalidade naquele país são diversas das que observamos por aqui. É certo que por lá não há questões sócio-economicas envolvidas nessas escolhas, pelo menos não em regra. Considerando a distribuição de renda absurdamente desequilibrada que vemos no Brasil, não é difícil entender porque a criminalidade só aumenta. É um ciclo. A falta de educação e oportunidades levam a ausência de auto estima e descrença nos valores morais. Se de um lado não desconsidero que há no Brasil um descompasso entre os métodos e as metas em termos de sistema carcerário, de outro, entendo que há uma causa maior a ser atingida que é o sistema educacional. Não vejo esse modelo prisional como o adequado para um pais como o nosso, pois fomentaria uma ideia de vantagem na prática de crimes e essa é exatamente a hipótese que deve ser afastada. Ações para melhorar o sistema prisional em detrimento da educação é como querer construir uma casa pelo telhado. “Eduque as crianças e não será preciso punir os homens”.

  24. Esther Postado em 28/Apr/2013 às 18:17

    tenho medo de quem fala sem conhecimento sobre assuntos que pedem reflexão, cautela e compaixão, tenho medo dos teóricos. tenho medo dessa gente que atira pedra mas que não oferece nada a ninguém a não ser para si próprio e quem sabe com alguma misericordia aos seus. tenho medo. Tenho muito medo da crueldade, da crueldade pela crueldade. estamos realmente vivendo tempos sombrios.

  25. Eduardo Postado em 28/Apr/2013 às 19:09

    O problema é oferecer uma cadeia nestas condições enqto cidadaos de bem, passam fome.

  26. Lua Postado em 28/Apr/2013 às 22:31

    Wow! A Noruega é referência em muitos aspectos, mas nesse quesito eu discordo. Sou a favor da reabilitação, mas não desse jeito "5 estrelas". Isso é um ultraje ao cidadão de bem, que não é criminoso, que trabalha, que paga suas contas e impostos, que cumpre a lei. Acho que o tratamento foi exagerado. Dessa forma, fica implícito que "o crime compensa" e não o contrário.

    • Souza Postado em 04/Aug/2014 às 23:35

      Kkkkk CARA ISSO É NA NORUEGA. ONDE UM VARREDOR DE RUA GANHA MAIS QUE UM MÉDICO BRASILEIRO. LÁ DÁ CERTO PQ NÃO HÁ CORRUPÇÃO COMO AQUI. PARE DE FALAR MERDA.

  27. Bob Sacamano Postado em 29/Apr/2013 às 02:17

    Doentio é você, Thiago.

  28. Gonçalvez Postado em 29/Apr/2013 às 12:47

    A ignorância impera. Aposto que metade desses reclamões e "defensores dos bons costumes", trabalhadores e "pais de família" nem se deu ao trabalho de ler um terço da matéria. Nem após a COMPARAÇÃO de resultados, essas pessoas conseguem refletir e notar a diferença BRUTAL dos resultados. Justiça não é Vingança.

  29. Leonardo Padilha Postado em 29/Apr/2013 às 13:12

    "Dos criminosos condenados a prisão perpétua e pena de morte 100% não voltam a cometer crimes!" WeIlington Marques DOLO! E acho que a crucificação é a melhor maneira de demonstração de soberania da lei e do Estado!

  30. Marco Postado em 29/Apr/2013 às 20:20

    Isso nunca funcionaria no Brasil, ia ter gente cometendo crime pra ser preso. A realidade da Noruega é absurdamente diferente

  31. Fernando Postado em 29/Apr/2013 às 22:58

    Ver gente leiga em direito comentando sobre área que não exerce o domínio é uma lástima. Procurem estudar o objetivo de uma pena. Já não vivemos mais na era Medieval, a pena não é mais RETRIBUTIVA, leia-se, A ação A acarretará ao sujeito a pena B, é dizer, não se pune um indivíduo para que ele seja exemplo para os outros do sentindo de que : Joãozinho praticou um crime e ele foi punido, logo não vou praticar sob risco de ser punido também. A função social da pena hoje, muito mais humanitária do que em épocas passadas, visa a ressocialização do sujeito. Está muito certo o que estão fazendo. Quem não concorda sugiro que pare de gastar tempo na internet e aconselho uma boa leitura. Bando de ignorantes que não passam de Massa de Manobra.

  32. Bruno Moreira Postado em 30/Apr/2013 às 11:08

    É um sistema muito inteligente o norueguês - Quem ganha é a sociedade - A punição para quem cometeu algum crime é afastá-lo da sociedade, mas manter alguém em cárcere e devolver anos depois para sociedade sem que se aprenda algo, só piora o indivíduo e quem perde é o cidadão de bem. A reabilitação é o melhor caminho. Lembrando que o artigo deixa claro que depois de passar o tempo na prisão ele é re-avaliado para saber se tem condições de voltar para a sociedade, não é simplesmente devolvê-lo. No Brasil a pessoa é presa por roubar, aprende a traficar e matar na prisão, perde os dentes, perde a saúde, perde a noção - Volta para a sociedade sem chance nenhuma de sair do crime.

  33. Bob Cardassi Postado em 02/May/2013 às 13:43

    Apoiar a pena de morte não é o mesmo que dar-se o direito de matar alguém? Por vingança? Por dor? Nada muda o passado e nada vai tirar a dor.

  34. Marcelo P Postado em 03/May/2013 às 18:40

    O problema é que no Brasil muitos querem imitar esses exemplos e chegar no primeiro mundo sem não ao menos termos feito coisas básicas para estar no terceiro.

  35. Júlia Postado em 07/May/2013 às 12:18

    O criminoso ao ser preso perde o direito a liberdade e não o direito de ser um ser humano. Quem diz "queria cometer um crime pra morar assim" não conhece nem um pouco a realidade de estar privado da liberdade! Lembrem-se a maioria de nos aó não esta presa por que nossos erros não foram descobertos! Todo ser vivo pode ser recuperado!

  36. Daniela Postado em 08/May/2013 às 05:32

    Concordo com voce Hugo. Não da pra polarizar as soluções em socialismo ou capitalismo. É necessario apenas que cada sociedade tente tornar-se mais igualitaria e atenda, ao menos, as necessidades basicas de sua população. Violencia é apenas reflexo de sociedades injustas e desiguais e isso percebe-se nos dois sistemas. É preciso mudar o foco para o individuo e para o que podemos fazer dentro do sistema que ja temos. Debates como esse nao levam a nada.

  37. gabriela Postado em 10/May/2013 às 00:50

    Imagina, uma prisão dessas no brasil, um dentento passa dois anos no lugar, sai e tem que voltar para sua realidade, na maioria das vezes bem inferior ao padrão de uma dessas prisões , isso é reabilitação? o que deve ser trabalhado no brasil antes de mais nada é a prevenção (governo investir em educação, saúde e segurança), e sim, temos que passar como disse o matheus, por uma evolução em nossa moral antes pensar ou sugerir uma opção dessas. E também concordo com o que o Hugo disse, não se trata de capitalismo x socialismo, discussão bem ultrapassada, sendo bem clara, é "saber dançar a música" como a noruega e os países nórdicos sabem fazer. e sobre a questão de idéias "conservadoras não são bem vindas aqui", avalie seu comentário antes de falar do de alguém.

  38. Davi Postado em 10/May/2013 às 15:26

    Dica:Esqueça ocidente,esqueça Jesus,esqueça esquerda e direita,esqueça capitalismo,esqueça Freud,esqueça tudo.Deu tudo errado.Nossa civilização apesar apesar de gloriosa é uma lástima.Bora virar budista,é mais negócio.

  39. Victor R. Postado em 11/May/2013 às 10:52

    Na Holanda existem celas ociosas porque lá a maconha é tolerada, assim existem menos prisões relacionadas com posse de drogas, que é o que mais coloca pessoas na cadeia no mundo.

  40. Kainã Postado em 13/May/2013 às 00:29

    Muito bom!

  41. Osvaldo Aires Bade Comentários Bem Roubados na "Socialização" - Estou entre os 80 milhões Postado em 26/May/2013 às 22:33

    ATENÇÃO, A POLÍCIA FEDERAL PUBLICOU NOTA NA MANHÃ DE HOJE AFIRMANDO TER "DESCOBERTO" A ORIGEM DOS BOATOS SOBRE O FIM DO BOLSA FAMÍLIA http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2013/05/atencao-policia-federal-publicou-nota.html

  42. Clovis Postado em 29/May/2013 às 10:36

    Relembrando frase do velho De Gaulle, "o Brasil não é um país sério", isso há 50 anos atrás. Hoje, sem comentários...alguém assistiu o filme inglês V (de vitória)? Assistam e depois façam uma analogia com o nosso "CONGRESSO"... VOU EMBORA PARA PASÁRGADAS!

  43. Blue Eyes, Na Resistência Postado em 05/Jun/2013 às 06:46

    Ninguem fala que o estado brasileiro hoje é socio da marginalidade de modo consciente e necessario a suas ambições politicas... ninguem para pra pensar que nossas leis são feitas PROPOSITALMENTE para proteger e INCENTIVAR a bandidagem... ninguem para para analisar porque existem atualmente grupos paramilitares como PCC e CV, com hierarquia e disciplina, igual a um exercito e que isso tem mais de 40 anos qndo grupos marxistas terroristas ensinaram os detentos de prisões onde passarami tecnicas de guerrilha... ninguém informa que morrem 50.000 pessoas por ano no pais de morte violenta porque o estado nacional é omisso e negligente porque não pode romper tratados anteriores feitos com marginais... ninguem aceita a verdade dos fatos e qndo ouvem, tapam os ouvidos, não querendo escutar... ninguem fala que nossos representantes, em todas as esferas politicas estão até o pescoço envolvidos com o crime organizado e não conseguem mais se desvencilhar... ninguem tem coragem para investigar a relação do FORO DE SÃO PAULO com as FARC e o PCC, pois um é fornecedor e outro é revendedor, com anuencia do estado brasileiro... enfim, NINGUEM TEM CORAGEM DE DIZER QUE VIVEMOS UM PROCESSO REVOLUCIONARIO EM PLENO ANDAMENTO NO BRASIL... ou seja, niguém liga até acontecer com alguém que ama... todos são idealistas e humanitarios, mas ninguém quer ser REALISTA... ESTAMOS EM GUERRA!!!...

  44. Jeremy Melton Postado em 09/Jul/2013 às 19:47

    Só que não é justo comparar a taxa de reincidência de prisioneiros de um país como EUA com o de um país como Noruega, até porque não podemos esquecer que Estados Unidos tem ~300 mi de habitantes enquanto Noruega tem ~5 mi.

  45. larissa Postado em 21/Dec/2013 às 06:34

    e otimo ver um pais que ve a reabilitação do preso nao como uma mera escolha mas como obrigação! afinal de contas ele volta pra sociedade! afinal nem todo mundo comete crimes barbaros muitas vezes pequenos furtos dentre outros! nao precisa desse alarde todo nem todo mundo precisa de pena de morte as pessoas estao exagerando! isso e um pais q sabe investir dinheiro!

  46. Jáderson Postado em 19/Feb/2014 às 13:49

    Não adianta, tem que ser civilizado para entender a estratégia deles. Infelizmente nossa população ainda não é. "Ninguém" leu que essas são 2 cadeias TOP até para eles, "ninguém" leu que tem que merecer estar lá, "ninguém" leu que eles preparam até a própria comida, “ninguém” leu que eles trabalham dentro da cadeia(R$21, apróx. US$8, para eles é miséria, e possivelmente ainda gera "lucro" para a cadeia), "ninguém" leu que pisou na bola volta para a cadeia "comum" (que com certeza é melhor que a nossa) e "ninguém" leu que se não der provas que pode retornar para a civilização ele continua na cadeia. O que adianta fazer prisões iguais as nossas? Nossos detentos já custam mais do que ganha boa parte da população, não fazem nada o dia todos e todos os dias (a não ser arrumar confusão) e retornam piores que entraram. As vezes é difícil entender, mas só porque nos limitamos a não pensar nas consequências, só pensamos no imediato.

  47. Gudrun Gabriel cartao de credito bradesco Postado em 30/Mar/2014 às 18:51

    Provavelmente vou estar de volta para ler mais. gratidao

  48. Flaviano Alves Postado em 17/May/2014 às 13:34

    Educação de qualidade acima de tudo, que seja capaz de formar cidadães conscientes, além de justiça social e respeito total aos direitos humanos, seja de "bandidos" ou de pessoas de "bem", é a melhor forma de se reduzir a criminalidade.