Redação Pragmatismo
Compartilhar
Corrupção 02/Jun/2012 às 14:13
9
Comentários

PM de Marconi Perillo (PSDB-GO) espanca estudantes durante manifestação pacífica

Depois de perder o controle do governo, o respeito da população e força política, o governador Marconi Perillo agora perdeu o juízo. O resultado é agressão a estudantes, com chute nas costas, olho roxo e costela quebrada. Revolta se espalha nas redes sociais

Estudantes de Itumbiara, sudeste de Goiás, estão revoltados, e alguns, machucados. Acusam seguranças do prefeito de Itumbiara, José Gomes da Rocha, e do governador de agredi-los nesta sexta-feira, 1o, em manifestação com gritos de “Fora Marconi” durante inauguração, na cidade, de sede da Universidade Estadual de Goiás (UEG).

fora marconi

Foto: Goiás 247

José Gomes estava no palanque com o governador Marconi Perillo (PSDB), que teria apontado para os estudantes que gritavam embaixo do palanque. Um desses estudantes conta que já participou de outras manifestações e que o governador teria apontado diretamente para ele, reconhecendo-o. O dedo apontado, acredita, teria sido a senha para a ação truculenta que se seguiu.

Leia mais

Fotos e um vídeo mostram lances do acontecido. Neste sábado de manhã os estudantes foram a um hospital público e depois seguiram para a 2a Delegacia de Polícia de Itumbiara, para fazer Boletim de Ocorrência. Foram recebidos pelo delegado Ricardo Chuelli. No hospital, exames constataram olho roxo (resultado de um soco), luxação na costela e machucado de um chute nas costas.

O que o fato revela é que Marconi, depois de perder o controle do governo – não consegue nem trocar secretários, como gostaria –, perder o respeito dos cidadãos – o próprio #ForaMarconi mostra isso –, perder força política – o PSDB nacional acaba de deixa-lo sozinho com as explicações pouco convincente para suas ligações perigosas com o contraventor Carlinhos Cachoeira –, ele agora perdeu o juízo – não foi a primeira reação truculenta contra manifestantes; algo parecido já havia ocorrido nas edições do #ForaMarconi de Goiânia.

Cobrado, pressionado, criticado, em situação nunca antes vivida por ele, os erros de Marconi Perillo vão se multiplicando. As manifestações em Goiânia do #ForaMarconi – quatro em pouco mais de um mês – dão mostras de como está o ânimo da população com ele. E agora, a reação em Itumbiara, reforça a imagem de um governo e um governador perdidos. E sem apoio popular.

Em um blog, os manifestantes relataram o drama que viveram, e que teria começado já no aeroporto, na chegado do governador. O que veio depois é caso de revolta – pra começo de conversa. Acompanhe abaixo:

Marconi promove perseguição e agressões a manifestantes

Após desembarcar no aeroporto de Itumbiara, para participar de showmício de inauguração de sede da UEG, o governador Marconi Perillo revelou mais uma vez sua face de ditador. Ao apontar de cima do palco manifestantes do Movimento Fora Marconi, que se encontravam na plateia, cerca de 15 jovens passaram a sofrer agressões de PMs e de capangas suspeitos de serem ligados ao prefeito José Gomes da Rocha.

O grupo de jovens que estava no local para manifestar sua indignação com a corrupção instalada no seio da administração pública estadual acabou sendo atacado sem motivo algum, pela simples presença. Os relatos são de pânico e de desespero pela ultraviolência utilizada contra pessoas inocentes e indefesas.

Segundo a estudante Aymê Sousa, houve espancamento de manifestantes. “Fomos espancados aqui em Itumbiara a mando do Marconi. Nada fizemos. Fomos roubados: faixas, megafone, câmera digital, tudo”, disse. “Eu como pessoa, como cidadã, me sinto humilhada. Fomos perseguidos até a saída, rasgaram nossa constituição, me humilharam! Gente isso é muito grave”, reclamou.

Aymê pediu socorro por um celular emprestado de morador de Itumbiara. Desesperada e com a vida em perigo ela desabafou mais: “O coronel Marconi não deve e não pode acabar com a nossa sede de justiça. Um capanga falou abertamente que nos mataria e que se a gente voltasse para perto do palco esmagaria a cabeça de um dos nossos companheiros”.

O estudante Victor Hipólito contou que o grupo de manifestantes teve dificuldades para sair do local e acabaram se refugiando numa casa. “Estávamos no Fora Marconi em Itumbiara, fomos espancados e estávamos sendo perseguido. O Marconi reconheceu e chamou um policial no palco e apontou para nós. Um dos capangas do prefeito da cidade me pegou e falou que quando eu sair da cidade ia esmagar minha cabeça. Estamos escondidos, estão atrás de nós, estou com medo. Estou com medo. Estamos cercados”, disse.

Goiás 247

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Lara Matos Postado em 03/Jun/2012 às 08:06

    Esse marconi e uma escoria para goias

  2. milton Postado em 03/Jun/2012 às 11:22

    Desejo uma morte lenta pra esse Carrasco!

  3. Ana Carolina Postado em 03/Jun/2012 às 12:51

    Quando é que o povo brasileiro vai se cansar de tudo isso?! Quando é que a justiça vai, finalmente, deixar de ser cega, surda, muda, inerte e subserviente? Quando é que a polícia vai deixar de servir àquele que lhe paga mal, que lhe humilha e que lhe subjuga? Quando é que vamos entender que todos nós estamos de um lado só, e que este lado não é, e nunca foi o mesmo dos políticos do Brasil?

  4. Henrique Postado em 04/Jun/2012 às 08:52

    Isso só demonstra o quanto esse governador é um despreparado para comandar Goias, não passar de um ditador e ladrão, esta milhonário e o estado cada vez mais pobre, então é isso gente, vamos derrubar esse covarde do comando do estado, contamos com todos que se sentiram envergonahdos com tudo isso.

  5. Fernando Almazon Postado em 04/Jun/2012 às 09:40

    Resquícios de DITADURA e MONARQUIA........ "O REI NUNCA ERRA"....

  6. Kauana Postado em 04/Jun/2012 às 18:13

    Olá, Sou estudante de Antropologia na UNILA, (Universidade Federal da Integração Latino-Americana) localizada na cidade de Foz do Iguaçu, Paraná, universidade que por meio de seus benefícios estudantis é capaz de manter jovens estudantes de países da América Latina. Porém enfrentamos um problema de integração com a comunidade local, para a maioria dos habitantes de Foz, somos estudantes sustentados pelo governo e ponto, e é onde questões de longo prazo se cruzam com medidas emergenciais. Atualmente a Unila não possuí moradia estudantil para abrigar a todos os beneficiados, então são alugados alguns quartos de hotéis para os alunos em vários pontos da cidade. Estamos completando uma semana de greve dos professores e no dia 03/06, estávamos em cerca de 50 pessoas em volta de uma fogueira, bebendo vinho e conversando, próximo a 1:30 A.M. a policia militar invadiu uma destas moradias, a qual eu moro, não possuíam mandado para entrar, e alegaram primeiramente que receberam denuncia de barulho, som alto o que não estava ocorrendo. Chegaram dizendo que queriam um responsável pela moradia, porém todos se mobilizaram e perguntaram o porque, depois disseram que iriam levar todo mundo para a delegacia (nestas palavras), após a correria das pessoas por causa de 3 disparos de arma de fogo pela policia e a quebra de um vidro da porta principal, os policiais prenderam e espancaram 7 estudantes, a maioria estrangeiros, 6 homens e 1 mulher, sendo que não tinha uma policial mulher, e a mulher foi detida por homens, foi indagada se era lésbica, se era comunista. Na delegacia (militar) os estrangeiros foram ridicularizados, ameaçados de deporte. Ao final, os sete estudantes foram indiciados e irão responder judicialmente por pertubação de sossego, e desacato a autoridade, o que não ocorreu. Temos vídeos de tudo o que ocorreu, o vídeo do sistema interno de segurança, e vários outros videos das pessoas que estavam no local. O que acontece agora, são noticias provenientes de várias partes da imprensa (segue em anexo uma das primeiras notas que saíram, no G1), que não buscam os alunos e nem os vizinhos que foram juntos na delegacia depor a nosso favor, dizendo que não acordaram com a suposta festa, sim com os disparos e com as sirenes da policia. Gostaria de saber, se você poderia me fornecer contatos na imprensa para a circulação de uma nota a nível nacional, que dialogue com os estudantes, pois estamos diante da construção de uma das maiores universidades do país, e lutamos para que ela se torne referencia na América Latina, mas sabemos que existem pessoas em todos os níveis que estão contra a este projeto idealizado pelo presidente Lula, juntamente com o reitor Helgio Trindade. São contra por questões politicas históricas, por ser uma Universidade que potencializa a integração latino-americana, e que a cada dia que passa, em vez de se tornar algo bonito e fundamental na América Latina, se tornou referencial de marginalidade e vagabundagem. Atenciosamente. http://g1.globo.com/parana/noticia/2012/06/universitarios-sao-detidos-pela-pm-apos-denuncia-de-barulho-em-hotel.html

  7. gabriella Postado em 12/Jun/2012 às 13:35

    Queo que vc vire churrasquinho de cahorro para vc aprender espero que os mesmos um dia pegue seus filhos e o batam ate ate sair os miolos deles pois nao e assim que se faz justiça.

  8. José da Mota Postado em 15/Jul/2012 às 23:01

    UNE e DCE - Polícia agredi-los não! http://mariafro.com/2012/06/05/policia-do-parana-que-agride-estudantes-da-unila-e-desmentida-por-vizinhos/ 05 de junho - PM do Paraná com violência pra cima dos estudantes. Estudantes da USP agredidos pela Guarda Univer www.redebrasilatual.com.br USP Universidade em Movimento Porém, a situação piora com a presença da Polícia Militar, pois evidencia que não há ... Além do mais, vemos nesse caso uma clara demonstração de racismo, pois o estudante .... É preciso buscar o apoio ativo e declarado da maioria. Do autor do Blog antes de sua existência como comentários: Polícia e Universidade precisão de uma releitura da legislação, com uma explicação em separado de cada profissão para depois que as juntarmos, só para comparação, porque senão confusão, e das grandes, e da parte da polícia, quase todas as vezes com covardia, mentira e ódio por parte da polícia porque sabem que estão cometendo erros onde nunca poderiam sequer entrar a serviço. Os nossos governantes precisam entender que: universidade, foruns de debates intelectualizados, movimentos artísticos e encontros de cúpulas internacionais para debater temas de importância mundial entre outros movimentos intelectualizados é lugar para polícia especializada como Policia Federal, FBI, Interpool. Já para a polícia militar quando preciso e solicitada é treinada para ficar no máximo do lado de fora do cordão de isolamento para impedir a invasão dos mais exaltados. É questão do porque da existência de cada um, todos são importantes, mas dentro de suas responsabilidades. Primeiro: Policial é o ser humano treinado para defender a sociedade de individuos de alta pecuriladade que mata qualquer um, inclusive estudantes, em um piscar de olhos. E por tanto e para tanto no Brasil, ainda, ele é treinado armado de arma de fogo para ser truculento, mal educado, violento, torturador psicológico com intimidações para não serem denunciados como torturadores físicos quando o são e prontos, salvo rararas exceções, para matar sem nenhuma compaixão, eu, você, seu pai, seu filho, nossos alunos, professores, pesquisadores e qualquer um que às vezes os olhe de maneira que não lhes agrade. O resto que disserem é fantasia, pura utopia. Segundo: O estudante é o futuro da nação, é questão de patriotismo guarnece-los em tudo o quer for possível. Porque são corajosos, não tem medo de ferrões, até de mosquetões. Merecem o favo de mel do país porque segundo William Shakespeare: Só Não é merecedor do favo de mel aquele que evita a colméia porque as abelhas têm ferrões. Que tanto os valoriza, William Shakespeare, que lhes dedica um soneto. Quando penso que tudo o quanto cresce Só prende a perfeição por um momento, Que neste palco é sombra o que aparece Velado pelo olhar do firmamento; Que os homens, como as plantas que germinam, Do céu têm o que os freie e o que os ajude; Crescem pujantes e, depois, declinam, Lembrando apenas sua plenitude. Então a idéia dessa instável sina Mais rica ainda te faz ao meu olhar; Vendo o tempo, em debate com a ruína, Teu jovem dia em noite transmutar. Por teu amor com o tempo, então, guerreio, E o que ele toma, a ti eu presenteio. William Shakespeare Conclusão: Policia militar em qualquer entidade estudantil incluindo universidades é caso de Justiça e Policia Federal. Mas para prender a Policia Militar e principalmente a autoridade estudantil que os convoncou ou permitiu a sua intervenção ilegalmente. José da Mota Leite Neto. Posted 16th July by José da Mota Leite Neto