Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Religião 05/Jun/2012 às 02:39
24
Comentários

Freira que defende masturbação, união gay e divórcio é repreendida pelo Vaticano

Sobre a homossexualidade, a freira, que apoia o casamento entre pessoas do mesmo sexo, pede que tais relações sejam respeitadas e considera que as pessoas devem “ter a possibilidade de a escolher ou não”.

papa bento vaticano

O Papa Bento XVI, líder mundial da Igreja Católica, aprovou a condenação feita pelo Vaticano à freira Margaret A. Farley

O livro da religiosa norte-americana Margaret A. Farley foi criticado nesta segunda-feira (04/06) pelo Vaticano, por sua “tolerância” ao casamento homossexual, à masturbação e ao divórcio seguido de um novo matrimônio.

Em nota oficial, a Congregação para a Doutrina da Fé solicitou aos católicos que não consultem o livro Just Love. A Framework for Christian Sexual Ethics.

“Não está em conformidade com a doutrina da Igreja”, destacou a nota divulgada pela assessoria de imprensa da Santa Sé, noticiou a Agência France Presse.

Para o Vaticano, o livro, publicado em 2006, contém “erros doutrinais cuja publicação causou confusão entre os fiéis”, razão pela qual decidiu realizar um posterior “exame com procedimento urgente“, que confirmou que suas “proposições são errôneas”.

Leia mais

As autoridades do Vaticano solicitaram a Farley, em uma carta de 5 de julho de 2011, que corrija “as teses inaceitáveis” de seu livro, o que não aceitou fazer.

A religiosa, professora de ética, defende a masturbação, que permite “às mulheres descobrir sua própria capacidade para o prazer, algo que algumas não descobriram e nem sequer conheceram em suas relações sexuais cotidianas com seus maridos ou amantes”, escreveu. “A masturbação geralmente não implica nenhum problema de caráter moral”, argumenta.

Sobre a homossexualidade, a freira, que apoia o casamento entre pessoas do mesmo sexo, pede que tais relações sejam respeitadas e considera que as pessoas devem “ter a possibilidade de a escolher ou não”.

Recomendados para você

Comentários

  1. Ayrton Postado em 05/Jun/2012 às 22:00

    Pior se não fosse, ora bolas.

  2. Ayrton Postado em 05/Jun/2012 às 22:04

    A Igreja também condena o menáge a trois e o swing, mas nem por isso os "partidários da suruba" (grosseiramente falando) ficam por aí atacando os católicos. Quer ser gay, problema seu, mas não tente interferir na liberdade religiosa. Para os que ficam ( levianamente) dizendo que a Igreja Católica é retrogada: . Padres inventores Descendo das alturas teológicas e filosóficas para o campo das ciências e das descobertas, os padres ocupam, de novo, o primeiro lugar. Entre centenas, citemos os mais conhecidos: Os padres Oton e Ardoíno inventaram o alfabeto. O padre Rogério Bacon inventou o telescópio. O padre Zeucchi aperfeiçoou-o, em 1652. O padre Humberto, o grande, inventou a bússola. O padre Flávio, de Nápoles, aperfeiçoou-a. O padre Tiago, de Vitry, aplicou-a à navegação. O padre Cassiodoro, em 505, inventou o relógio. O Papa Silvestre II fez o primeiro relógio de rodas. O padre Pacífico, de Verona, inventou o relógio de bolso. O padre Welogord, em 1316, fez o primeiro relógio astrológico. O padre Alexandre Spina, dominicano, no 13º século, inventou o óculos. O padre Magnon inventou o microscópio. O padre Embriaco descobriu o hidro-cronômetro e o sismógrafo. O padre Bertoldo Schwartz inventou a pólvora. Dom Galeno, bispo de Munster, descobriu as bombas. São Boaventura a teoria da termodinâmica. Os padres Lona e Becaria descobriram as leis da eletricidade. O padre Secchi, jesuíta, descobriu a análise espectral. O padre Procópio Divisch, em 1759, descobriu o pára-raios, e não Franklin, que fez apenas aplicá-lo à proteção das casas. O santo padre Beda descobriu as leis das marés. O padre Gilbert introduziu os algarismos arábicos. O padre Guido d’Arezzo inventou as notas musicais. O padre José Joaquim Lucas, brasileiro, inventou o melógrafo, ou modo de escrever as notas e sinais que correspondem à escrita musical. O padre Alberto, saxonio, imaginou as leis da navegação aérea.

  3. Paulo Cabral Postado em 05/Jun/2012 às 22:14

    Do mesmo modo seria interessante que a Igreja não interferisse na liberdade sexual alheia, para fora dos muros da igreja, nem na política e em outras questões que não lhe competem, como historicamente sempre fizeram e, vergonhosamente, continuam a fazer.

  4. DANIELE TERRA Postado em 06/Jun/2012 às 17:26

    Engraçado, o período mais NEGRO da História mundial, foi no apogeu da Igreja católica na Idade Média, as maiores atrocidades foram cometidas, arquivadas e até hoje tornam-se ocultas ao conhecimento de todos.Grandes filosofos, criadores,inventores, tiveram que se calar perante a conduta "falso moralista" da supracitada igreja, e o que ganhamos com isso? Eu vos digo, séculos de retrocesso intelectual.Agora um membro do próprio corpo alado de pronuncia e é AUTORITARIAMENTE CALADA, o que os diferem de Hitler?ao meu ver nada.

    • Héber Pelágio Postado em 28/Jan/2016 às 15:57

      Corrigindo, Daniele: o "período mais negro da história mundial" foi o da experiência socialista, para aqueles que tiveram de viver sob ela...!

  5. Ayrton Postado em 07/Jun/2012 às 00:00

    Marx odiava o Cristianismo e dizia que "a religião é o ópio do povo". Na verdade, a cultura judaico-cristã-ocidental alavancou a civilização a níveis jamais alcançados em áreas como ciência, filosofia, engenharia, arquitetura, artes plásticas etc. A família tradicional e o Cristianismo são os 2 alicerces da cultura do mundo ocidental (segundo Engels, Reich e outros). Mas estamos vivendo um novo período, no qual a perseguição HIPÓCRITA ant-icistã (e anti-semita) faz parte de um movimento esquerdista mundial. É hipócrita porque os mesmos que atacam o Cristianismo defendem Hugo Chávez (cristão), Leonardo Boff (cristão), Frei Betto (cristão), Dilma (cristã), Lula (cristão) Gilberto Carvalaho (cristão etc. Onde está a coerência minha gente????? Contradição é EVIDÊNCIA de falcatrua.

  6. Ayrton Postado em 07/Jun/2012 às 00:04

    Livro indicado "The Spanish Inquisition: A Historical Revision" de Henry Kamen http://www.amazon.com/Spanish-Inquisition-Historical-Revision/dp/0300078803

  7. Ayrton Postado em 07/Jun/2012 às 00:09

    Livro indicado "Para entender a Inquisição" - Prof. Felipe Aquino http://loja.tray.com.br/loja/produto-103175-2558-para_entender_a_inquisicao__prof_felipe_aquino

  8. Alessandra Postado em 07/Jun/2012 às 01:11

    Padre inventores, bem, tem coisinha bastante ERRADA e EXAGERADA aí não?

  9. gustavo bitencourt Postado em 07/Jun/2012 às 05:16

    AYRTON: 1. "A Igreja também condena o menáge a trois e o swing, mas nem por isso os “partidários da suruba” (grosseiramente falando) ficam por aí atacando os católicos." A igreja condena uma série de coisas, inclusive o divórcio. No entanto não se vê mais religiosos fazendo manifestações públicas pra impedir pessoas divorciadas de ter acesso a direitos civis. (No Brasil, pelo menos desde 77, quando a Lei do Divórcio foi finalmente aprovada. Antes disso, as instituições religiosas tinham em relação ao divórcio o mesmo discurso e postura que hoje têm em relação ao casamento gay.) Quanto aos padres inventores, eu realmente não entendo onde vc quer chegar com isso. Mesmo que toda essa tua lista estivesse correta, mesmo que uma invenção acontecesse por meio de uma única pessoa, e mesmo que houvesse uma diferença descomunal na proporção entre inventores padres e inventores não-padres, é impossível que você não saiba que na Idade Média e na Renascença, quando aconteceram essas invenções que você cita, ser padre não era exatamente uma opção. Para crianças pobres, e isso ainda acontece muito no Brasil, o seminário e o convento podiam ser o único acesso a comida, moradia e educação. Para outras crianças de famílias ricas, era comum uma família "dar um filho para a Igreja", em troca de favores, ou por conta de alguma promessa ou crença. Quer dizer, se se formou algum tipo de pensamento científico nesse meio, isso só indica que a Igreja tinha um grande poder político, tinha acesso a informação, e que padres tinham tempo pra pensar. No entanto essa mesma Igreja corroborava a pobreza e a disparidade social. 2. "Na verdade, a cultura judaico-cristã-ocidental alavancou a civilização a níveis jamais alcançados em áreas como ciência, filosofia, engenharia, arquitetura, artes plásticas etc.". Isso até faz algum sentido, mas não impede que se veja que isso se deu a custa de exploração econômica, perseguição religiosa, marginalização de grupos minoritários, por conta de etnia, sexo, orientação sexual, identidade de gênero, divergência ideológica ou religiosa. 3. "É hipócrita porque os mesmos que atacam o Cristianismo defendem Hugo Chávez (cristão), Leonardo Boff (cristão), Frei Betto (cristão), Dilma (cristã), Lula (cristão) Gilberto Carvalaho (cristão etc." Bom, em primeiro lugar é uma afirmação genérica e sem fundamento, mas digamos que fosse correta, qual seria o problema? O fato de uma pessoa ser religiosa não impede que ela tenha um discurso e uma postura éticas. Ao contrário de muitas instituições cristãs que perseguem grupos inteiros, como se fossem um bloco homogêneo, eu pelo menos prefiro entender quem é a pessoa, como ela pensa e age. Essa própria freira da reportagem é uma pessoa dentro da Igreja que pensa de um modo diferente. O Desmond Tutu é um religioso que lutou contra o apartheid quando a Igreja, de forma geral, preferia fingir que não existia, e por pouco não foi excomungado. Por que seria necessário me opor a uma pessoa dessas? Prefiro deixar esse tipo de atitude pra quem não é capaz de pensar por conta própria.

  10. gustavo bitencourt Postado em 07/Jun/2012 às 05:21

    P.S.: "Os padres Oton e Ardoíno inventaram o alfabeto". Te ensinaram isso na escola dominical?

  11. Ayrton Postado em 07/Jun/2012 às 17:22

    gustavo bitencourt "Tudo é relativo", não cansam de repetir os idiotizados do século XXI. Mas tenho que admitir que pode até parcer muito úitil quando um anti-cristão ou um marxista tenta argumentar, durante um debate. Desse modo, exatamente como você fez, ele escolhe o que quer tentar refutar e simplesmente continua a tal "argumentação" como se ninguém fosse notar (afinal, para alguns, TUDO é relativo e, sendo assim, não existe regra moral nenhuma). Com efeito, não entendi bem a sua numeração nesse..., digamos assim, "debate"... Em frente: 1 - Quando você se refere a "Igreja", desconfio (já que não epecificou) que está se referindo a Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Neste caso, o que a ICAR (e maioria das denominações cristãs no Brasil) combate é a PL 122 e todas as tentativas dos chamados grupos "porgressistas" de CRIMINALIZAR a leitura da Bíblia. Afinal, a cerca de 2000 anos, é parte importante das doutrinas cristãs adotar apenas a monogamia heterossexual como norma para os fiéis - que é o que diz a Bíblia. Portanto, quando gupos ou um governo dito democrático tentam impor restrições à leitura bíblica, e quando tenta impediras críticas a outras formas (bigamia, menage, swing, homossexualismo etc ), a Constituiução Federal é gravemente aviltada, uma vez que a liberdade religiosa é protegida na nossa Carta Magna. Além disso, ao se oficilizar a união gay, no futuro, corre-se o risco de que um padre seja preso por seguir sua fé e se negar a celebrar um casamento entre duas pessoas do mesmo sexo. Tanto é assim, que a presidente da república fez questão de frisar ao sansionar a lei da união homossexual. Você está enganado: a ICAR NUNCA deixou de criticar o divórcio. Entre alguns gays famosos que são (eram) CONTRA a oficilização do casamento gay estão o poeta Bruno Tolentino, Clodovil e Agnaldo Timóteo (todos eles gays). O saudoso Clodovil sabi muito bem que o movimento gay recebe verbas milionárias através de suas ONGs e manipulam muitos homossexuais com um discurso populista e enganador. Afinal, ainda sobre a PL 122, não vejo porque uma agressão a um homossexual é mais garve do que uma agressão a um "garanhão comedor" ou a um asceta.

  12. Ayrton Postado em 07/Jun/2012 às 17:29

    gustavo bitencourt "Quanto aos padres inventores, eu realmente não entendo onde vc quer chegar com isso..." RESPOSTA A Santa Igreja Católica é a mairo responável pelos avançoes tecnológicos e em relação aos direitos e liberdades individuais. Foi a ICAR quem criou, por exemplo, as universidades, os hospitais, a noção de livre-arbítrio (que NÃO condena ao Inferno quem é gay ou quem se masturbra, por exmplo, pois o ÚNICO que pode julgar nossos atos, cremos nós, é Jesus Cristo)

  13. Ayrton Postado em 07/Jun/2012 às 17:38

    gustavo bitencourt, "Isso até faz algum sentido, mas não impede que se veja que isso se deu a custa de exploração econômica, perseguição religiosa, marginalização de grupos minoritários, por conta de etnia, sexo, orientação sexual, identidade de gênero, divergência ideológica ou religiosa" RESPOSTA Eu havia postado aqui um vídeo que conta porque a Santa Inquisição julgava os cátaros, qyue eram hereges que interpretavam ao pé da letra ou erradamente as Sagradas Escrituras e condenavam qualquer forma de sexo - o que pos a civilização em risco, por motivos evidentes. Historiadores contam que quem perseguia e quimava os cátaros eram a relaeza e o próprio povo. A Igreja Católica criou os tibunais de inquisição para JULGAR e DAR A CHANCE DE SE REDIMIRDAS HERESIAS, evitando assim, a fogueira (repito, método criado pela nobreza e muito comum na Idade Média). NENHUM judeu foi condenado à morte por ser judeu (infelizmente, o blogueiro apagou os links dos vídeos, mas tenatrei postálos novamente)

  14. Ayrton Postado em 07/Jun/2012 às 17:48

    gustavo bitencourt, "Bom, em primeiro lugar é uma afirmação genérica e sem fundamento" RESPOSTA De maneira nenhuma: todos os citados SE DIZEM CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANS ..................................... " O fato de uma pessoa ser religiosa não impede que ela tenha um discurso e uma postura éticas." RESPOSTA Em parte. Nem dentro de todas as religiões isso é possível, mas isso é verdade em religiões como judaísmo, catolicismo, protestantismo, budismo (filosofia ou religião?), entre outras. Já em muitos regimes teocráticos islâmicos fica proibido não contestar o dogma, como também MUDAR de religião ou escolher o cônjuge etc. .................................................... "Ao contrário de muitas instituições cristãs que perseguem grupos inteiros, como se fossem um bloco homogêneo, eu pelo menos prefiro entender quem é a pessoa, como ela pensa e age. Essa própria freira da reportagem é uma pessoa dentro da Igreja que pensa de um modo diferente. SIm, existem diversas correntes dentro do Catolicismo, assim como , como vc sabe, existem diversas correntes dentro do Cristianismo. No entanto, um integrante do clero deve obediência (mas não cega) aos dogmas e ao Papa. Você não sabia? ............ "O Desmond Tutu é um religioso que lutou contra o apartheid quando a Igreja, de forma geral, preferia fingir que não existia, e por pouco não foi excomungado. Por que seria necessário me opor a uma pessoa dessas? Prefiro deixar esse tipo de atitude pra quem não é capaz de pensar por conta própria." RESPOSTA Tutu é cristão , mas não é católico. É arcebispo da igreja Anglicana. De fato,foi muito bem lembrado: esse cristão exemplar foi um dos principais combatentes do regime de segregação racial na África do Sul. A ICAR jamais apoiou o apartheid.

  15. Ayrton Postado em 07/Jun/2012 às 17:51

    PS: A presidente Dilma fez questão de frisar que apenas o casamento CIVIL gay será oficilizado, mas NÃO o RELIGIOSO

  16. William Postado em 08/Jun/2012 às 00:28

    Comunistas, por que vocês não vão para a Rússia e vejam como os homossexuais são tratados lá? Vocês estão sendo usados como massa de manobra pelo estado, assim que ele conseguir o que quer, vocês serão reprimidos. Como dizia Lênin: "Esquerdismo, doença infantil do comunismo"...

  17. Ayrton Postado em 08/Jun/2012 às 01:18

    A Santa Madre contra a escravidão 1 - Em 13 de Janeiro de 1435, através da bula Sicut Dudum, o papa Eugénio IV mandou RESTITUIR À LIBERDADE os cativos das ilhas Canárias. 2- Em 7 de setembro de 1462, o papa Pio II (1458-1464) deu instruções aos bispos contra os tratamentos dos negros proveniente da Etiópia condenando o comércio de escravos como magnum scelus (grande crime) 3- Em 1537, o papa Paulo III (1534-1549), através da bula Sublimus Dei (23 de Maio) e da encíclica Veritas ipsa (9 de Junho), lembrava aos cristãos que os índios “das partes ocidentais, e os do meio-dia, e DEMAIS GENTES”, eram SERES LIVRES POR NATUREZA. 4- Em 1571 Tomás de Mercado, TEÓLOGO DE SEVILHA, declarava DESUMANA E ILÍCITA A TRAFICÂNCIA DE ESCRAVOS. Em sua Summa de TRATOS Y CONTRATOS, este autor afirmava não haver justificativa para negócio tão infame. 5- O papa Gregório XIV (1590-1591) publicou a CUM SICUTI (1591) condenando a escravidão. 6- O papa Urbano VIII (1623-1644), também se pronunciou contra a escravidão na COMMISSUM NOBIS (1639). 7- O papa Bento XIV (1740-1758) na Bula IMMENSA PASTORUM escreveu: “...recebemos certas notícias não sem gravíssima tristeza de nosso ânimo paterno, depois de tantos conselhos dados pelos mesmos Romanos Pontífices, nossos Predecessores, depois de Constituições publicadas prescrevendo que aos infiéis do melhor -modo possível dever-se-ia prestar trabalho, auxílio, amparo, não descarregar injúrias, não flagelos, não ligames, NÃO ESCRAVIDÃO, não morte violenta, sob gravíssimas penas e censuras eclesiásticas...” 8- O papa Gregório XVI (1831-1846) ao publicar a bula IN SUPREMO (1839) condenou a escravidão da seguinte forma: “Admoestamos os fiéis para que se abstenham do desumano tráfico dos negros ou de quaisquer outros homens que sejam...” Continua aqui: http://www.apologistascatolicos.com.br/index.php/magisterio/documentos-eclesiasticos/decretos-e-bulas/506-documentos-oficiais-da-igreja-contra-a-escravidao

  18. Jack Postado em 08/Jun/2012 às 03:23

    "A Igreja Católica criou os tibunais de inquisição para JULGAR e DAR A CHANCE DE SE REDIMIR DAS HERESIAS" Eu até estava levando os argumentos dessa criatura reacionária a sério, até esse comentário...hahaha sério pessoal parem de alimentar esse troll, quem sabe assim ele para de vociferar asneiras e vai arranjar um vida social.

  19. Ayrton Postado em 08/Jun/2012 às 14:01

    Contra FATOS não há argumentos, Jack

  20. Diogo Postado em 08/Jun/2012 às 15:26

    Viva a Santa Igreja Católica, farol da verdade e da luz nesse mundo de trevas. Viva o Papa!

  21. Lyndy Luca Postado em 13/Jun/2012 às 09:17

    Ayrton, como você parece um grande conhecedor da "santíssima" (pedófila, pois encobre, é conivente com os crimes dos seus) igreja católica, apenas diga-me o seguinte: mostre-me ao menos 1 único versículo da bíblia em que JESUS, em narrativas de suas próprias palavras, tenha dito, de maneira clara e límpida, como todos os ditos cristãos que condenam a homossexualidade, que uma relação homossexual é condenada por Deus. Não peço mais nada, nadinha, apenas isso. Porque, se para a "santíssima" igreja católica vale mais palavras de profetas que antecederam Jesus Cristo (o Mestre, base maior para todas as crenças dos CRISTÃOS), ou mesmo um discípulo seu, nomeadamente, o apóstolo Paulo, antigo Saulo de Tarso, que fora um duro e fanático perseguidor dos cristãos, e que ainda carregava, mesmo depois de sua conversão, um forte "ranço" daquela dureza, daquele extremismo, falta de flexibilidade exemplificada por Seu e Nosso Mestre, Jesus, do que as próprias palavras, exemplos e ensinamentos de AMOR de nosso Grande Mestre, então, realmente, caro amigo, aí se encontra a verdadeira e maior contradição de todas. Quem diz-se cristão, é porque segue os exemplos de Jesus Cristo. Jesus Cristo foi todo amor! Fora disso, ninguém é verdadeiramente cristão, e é um absoluto ultraje dizer que segue a Cristo, incitando a preconceitos, negando direitos civis (e não religiosos, esses, são o próprio Jesus quem nos dá, assim como nosso livre-abítrio - e não a igreja católica ou qualquer outra). Jesus disse que as leis e os profetas, com sua chegada, ficavam substituídos pelos 2 mandamentos que deixou: amar a Deus, sobre todas as coisas e AO PRÓXIMO, COMO A SI MESMO! Como podem dizer que amam seu próximo como a si mesmos, se lhes negam direitos, também instituídos por nossa Carta Magna, em que TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI? Amigo, se você quer ser católico, é uma escolha e direito seu. Se eu quero ser umbandista, é direito meu. Se você é heterossexual, é sua condição íntima. Se eu sou homossexual, é minha condição íntima. Se a sua "santíssima" igreja considera ser pecado, em seus dogmas (porque Jesus, o Mestre Mor das doutrinas cristãs não condenou a homossexualidade, embora ela existisse, assim como o casamento homossexual, que existiu até 342 d.C, mais de 300 anos de sua passagem e morte na terra), isso é algo que apenas diz respeito aos seus membros. Travar direitos às pessoas, que são tão cidadãs quanto você e seus "irmãos de fé" é a maior evidência da negação do segundo mandamento de Jesus (já citado). O que as pessoas tem de entender é que não se trata de obrigar as igrejas a "casar" homossexuais, até porque nenhum homossexual quer ser recebido a contra-gosto em templo algum. O que nós desejamos é a legalização, os direitos, porque, se você ergue a Carta Magna, dando maior ênfase, por citar a liberdade religiosa, porque esquece-se que a mesma Carta Magna institui a todos, como iguais, perante a lei, e, assim sendo, tendo os mesmo deveres e DIREITOS? Quer coerência? Aí está. É exatamente isso que nós, homossexuais, buscamos. COERÊNCIA, e que se faça comprir a Carta Magna. Procuraremos os templos que nos aceitem, os verdadeiros cristãos.

  22. Carlos Postado em 01/Sep/2012 às 16:17

    @Ayrton Marx NÃO odiava o cristianismo, inclusive em "A questão judaica" ele recomendava aos judeus que aderissem ao Cristianismo como forma de facilitar sua emancipação na sociedade alemã. Engels criticava o islã e colocava o cristianismo num patamar avantajado, pois o mundo islâmico falhara em experimentar as mesmas mudanças conhecidas no mundo cristão. Por que faz questão de mentir em suas postagens? Com relação ao onanismo, creio que a Igreja toma uma posição correta, aliás, é uma parafilia desestimulada mesmo em sistemas socialistas, uma vez que destrói o jovem. Basta conversar com um onanista e logo perceberemos nele um sujeito estressado, ruim da cabeça e incapaz de agir normalmente em várias circunstâncias, obnóxio!

  23. Ademar amancio Postado em 08/Jan/2013 às 18:17

    Os praticante de suruba só fazem isso se quizerem.Os gays podem viver na abstinência(meu caso)que vão ser sempre tratado como bicha(meu caso).