Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Lula 01/Jun/2012 às 15:12
12
Comentários

Entrevista de Lula no programa do Ratinho: um breve resumo

Teve Corinthians, depoimento de Ronaldo Fenômeno, música de Geraldo Vandré e até brinde com cerveja oferecido por Zeca Pagodinho. Mas a entrevista de Lula ao Programa do Ratinho serviu basicamente para dois objetivos: tentar alavancar a candidatura de Haddad junto ao grande público e mandar recados (muitos) para a oposição. Assista a íntegra no fim da página.

Descontraído na maior parte do tempo, Lula subiu o tom, apesar da voz ainda debilitada, para dizer que não permitirá que “um tucano volte à Presidência do Brasil”. Disse que, para isso, aceitaria até voltar a ser candidato.

lula ratinho

O vídeo com a íntegra da entrevista do ex-presidente Lula no Programa do Ratinho pode ser assistido abaixo, no fim dessa página.

“Xi, o Serra então está ferrado”, brincou Carlos Massa, o Ratinho – que se apresentou como “grande amigo” do ex-presidente.

E foi no último minuto da entrevista que o apresentador e amigo perguntou ao ex-presidente sobre a polêmica envolvendo o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes, que acusa Lula de oferecer apoio à CPI do Cachoeira em troca do adiamento do julgamento do mensalão (Mendes é suspeito de ter viajado a Berlim com dinheiro pago pelo bicheiro Carlinhos Cachoeira, o que ele nega).

Leia mais

“Vou perguntar apesar de saber que a população não está entendendo isso”, frisou Ratinho.

“Não tenho interesse em falar nesse assunto, porque já respondi em nota. Quem inventou que prove. Quem acreditou, que prove. O dado concreto é que o Brasil hoje é muito melhor, e vai melhorar ainda mais.” E completou: “Quero que o Brasil que teve ascensão nunca mais retroceda.”

Na resposta, Lula lembrou que no Brasil existem os corintianos e os anti-corintianos, mas disse lidar bem com torcedores de outros times, como o são-paulino Haddad.

Não demorou e o ex-ministro da Educação, chamado de “galã” pelo apresentador, já estava do lado do ex-presidente numa cadeira à parte do palco. “Por que ele foi escolhido?”, perguntou Ratinho.

“Achava que era o momento de a gente apresentar uma coisa nova”, explicou o ex-presidente antes de apresentar as credenciais do afilhado: São Paulo, nas palavras do petista, precisa de um prefeito como o ministro da Educação que criou o Prouni e colocou um milhão de jovem da periferia na universidade.

Lula afirmou que Haddad, que patina nas pesquisas de intenção de voto, foi o ministro que mais criou escolas técnicas (214) e mais construiu universidades federais (14).

No mesmo instante, o apresentador chamou um VT sobre o Prouni, no qual uma beneficiária do programa dizia que, antes, a universidade não era lugar para pobre.

De terno cinza e camisa branca, sem gravata, Haddad ouviu o ex-presidente dizer que as mudanças na educação provocaram “a maior revolução já foi feita no País”.

O entrevistado, então, passou a ser Haddad. “O que um prefeito de São Paulo pode fazer para melhorar?”, levantou o apresentador.

“A saúde é problema número 1”, cortou o ex-ministro. Ele criticou a gestão municipal, falou do “drama das filas” dos hospitais e citou a desarticulação do SUS. “Foram injetados recursos novos, mas gestão de recursos não está tão boa.”

Por fim, citou os investimentos federais em educação (o orçamento, segundo ele, subiu de 20 bilhões para 80 bilhões de reais) e disse que os governos Lula e Dilma Rousseff melhoraram a vida econômica dos brasileiros da porta de casa para dentro, mas fora faltavam segurança e professores. “Isso é papel do prefeito”.

Foi uma jogada arriscada: Haddad e o PT podem ser punidos caso o Tribunal Regional Eleitoral entenda que a entrevista serviu como propaganda antecipada, embora o candidato não tenha pedido voto de forma direta. A campanha só começa oficialmente em julho.

De volta à cena, Lula fez elogios à presidenta Dilma e ironizou os que o criticam por manterem a amizade. “Não há possibilidade de divergência entre Dilma e eu. No dia que tiver, eu retiro o que pensei e ela fica.”

Lula disse também que será cabo eleitoral para reelegê-la, e que só voltaria a se candidatar se ela não quisesse – ainda assim, apenas para evitar a volta dos tucanos ao poder.

O ex-presidente aproveitou a entrevista para criticar o papel da oposição em seu governo. Lembrou a articulação para derrubar a CPMF, a maior derrota de seu governo no Congresso. “Me tiraram 40 bilhões pra aplicar na saúde, com a intenção de me prejudicar. Foram mais de 120 bilhões no último mandato. Tínhamos um programa de saúde, queríamos colocar oftalmologista, dentista e otorrino dentro da escola. A CPMF era imposto para rico e foi derrubada porque evitava a sonegação”, disse.

Recém-curado de um câncer na laringe, Lula disse que o ideal era que todos os brasileiros tivessem, como ele, a possibilidade de se tratar em hospitais como o Sirio-Libanês. E ironizou os brasileiros que reclamam de pagar planos de saúde privados e descontam os gastos no Imposto de Renda. “Universalizar a saúde não é brincadeira. Precisa ter dinheiro”.

Ele citou avanços como a queda da mortalidade e desnutrição e o aumento de atendimentos a pacientes de câncer pelo SUS. Ainda assim, garantiu que os avanços são menores que qualquer presidente gostaria de alcançar.

Na entrevista, houve tempo ainda pra falar sobre o tratamento contra o câncer, os primeiros dias em casa após deixar a Presidência e de pedir para o apresentador intermediar um encontro com um pastor evangélico que lhe mandara um abraço. “Quero conversar com ele”, disse Lula, já de olho na parcela do eleitorado religioso que pode ser decisiva na próxima eleição.

Parte1

Parte2

Parte3

CartaCapital

Recomendados para você

Comentários

  1. Marcos Paulo Postado em 01/Jun/2012 às 16:46

    Eu assisti a entrevista inteira, ao vivo... O Lula menospreza nossa inteligência...ele acha que todo mundo é burro. cara...como pode ser hipócrita...mentiroso...Mas uma coisa ele é bom...Na arte de misturar aas palavras e enganar os desinformados...ahhhh..nisso ele mestre..como todo populista... Sentia vergonha em ser brasileiro qndo a plateia do Ratinho batia palmas pra besteiras que ele dizia... como que o cara tem coragem de dizer que foi bom p/ saúde./..p/ educaçao...Acha que todo mundo tem o nível de exigência pífio... Disse que quem paga pllano de saude desconta no Imposto de renda..e que por isso o governa leva prejuízo..>Ahhhhhhhhhh...a gente ja paga plano de saude pq vc e sua corja e os outros partidos sao um bando de incompetentes que nucna fizeram nda de relevante para saude educaçao...MENTIROSO LARÁPIO... Se fez algo de bom..NÃO FOI MAIS QUE OBRIGAçÃO...vc era NOSSO FUNCIONÁRIO..e tinha muita grana pra fazer as coisas..ainda fez mau feito...

  2. Marcos Paulo Postado em 01/Jun/2012 às 16:48

    O Lula se finge de HUMILDE...mas ta ai uma coisa que ele nao tem..Humildade...Arrogante, prepotente, desrespeitoso...Basta lembrar do episódio do "foda-se a Constituição" pra evidenciar mais ainda sua humildade.

  3. Marcos Paulo Postado em 01/Jun/2012 às 16:54

    Não há mais dúvida sobre a tentativa indecorosa de Lula em interferir no julgamento do mensalão. O assédio do ex-presidente foi confirmado por alguns outros ministros do Supremo e sua atitude não deveria ser surpresa a ninguém. Em seu primeiro ano de governo, ao ser informado que a Constituição não o permitia expulsar do país um jornalista norte-americano que relatou seu apreço pelo álcool, Lula exclamou: “foda-se a Constituição”. Essa expressão foi a que regeu seus dois governos, aliás, foi a regente de sua vida. “Foda-se”. Já comentei antes com vocês e sempre volto nesse tema. Lula não tem noção de moral ou de ética simplesmente por não ter sido programado para isso. Lula não recebeu referência desses conceitos básicos. Para Lula, transgredir regras é “driblar o destino”, é “se dar bem”, “ser esperto”. Há tempos que me convenci que Luiz Inácio é um salafrário congênito. Foi programado desde antes da concepção para ser um delinqüente. Para sua família, achado nunca foi roubado. E o produto de um roubo, se usado para fins eleitos pela família como nobres, é perdoado e exaltado. O livro com a biografia de Lula, apesar de romancear passagens de sua vida, revela o ambiente delinqüente e sem parâmetros de moralidade em que Lula se criou, onde o roubo e o desvio de conduta eram encarados como sorte, como uma esperteza ou malandragem a ser utilizada como um drible à pobreza. Não há em sua programação princípios fundamentais como o respeito ao próximo. Lula é uma massa amorfa moldada pelo que há de pior no ser humano. E seus dois governos foram assim. Por ignorância, má fé ou simplesmente por amoralidade, tentou desestabilizar todas as Instituições democráticas. De Agências Reguladoras, Congresso Nacional e Justiça, seu governo tentou desmoralizar, infelizmente com algum êxito, é verdade. Lula não driblou seu destino, como gosta de afirmar sua malta. Ele forjou uma vida se apossando do que não é dele. Foi programado para isso. Para não ter caráter e “foda-se” o resto.

  4. Luiz Postado em 01/Jun/2012 às 18:40

    Eleito e reeleito. Com índices de popularidade recorde. Em 2014 estamos de volta Lula, para os reacionários acima engolirem mais uma vez!!!

  5. Erinaldo Postado em 02/Jun/2012 às 10:18

    Popularidade apenas significa que temos mais burros(como voce) do que pessoas esclarecidas.

  6. Ayrton Postado em 02/Jun/2012 às 23:28

    Pensei que isso fosse propaganda eleitoral ilegal. Mas como eu sou burro!

  7. SONIA SOUZA Postado em 03/Jun/2012 às 08:30

    Esse é pior que o Hitler O Hitler pelo menos, escreveu 2 livros e os alemãs vieram de uma guerra, infernal o Lula pegou um país em desemvovivento,faturou em cima disso de forma vergonhosa. Estabilidade financeira,redes sociais implantadas, abertura de crédito com o Banco MUNDIAL BID E BIRD portanto não precisando recorrer ao FMI, CALOTE DO SARNEY de 50 bilhões de dollares desde os militares resolvido pelo estadista FHC,O QUAL PEGOU O PAÍS DE FATO QUEBRADO LITERAL-MENTE!! De resto, o LULA E SO PROPAGANDA ENGANOSA!!!

  8. Henrique Postado em 04/Jun/2012 às 10:17

    Culpar quem paga plano de saúde foi o fim da picada. Como se ele tivesse pego a fila do SUS. Quem tendo condições é louco de se submeter sua família ao SUS. A popularidade do Lula me envergonha, como podemos ter tanta gente acreditando nesta farsa.

  9. Darci Bueno Postado em 04/Jun/2012 às 14:48

    Um presidente que diz que não houve o mensalão (abaixo do foguetório de notícias da imprensa -- escrita, falada, televisionada e internet -- sobretudo no ano de 2.005), não merece consideração e atenção do povo brasileiro. Pena que as pessoas não dão importancia às notícias políticas do país para se inteirarem bem dos fatos divulgados diariamente e preferem ver novelas, esportes e outros. Nada contra estes programas (pois tambem gosto) mas o dia em que todos prestarem atenção à situação exata do país, certamente, me darão razão.

  10. Marco Aurélio A. Rattes Postado em 30/Jun/2012 às 23:25

    Concordo com as opiniões acima. É tão cara de pau como Maluf, é incrível isso. Quando vejo essas coisas me vem à mente uma frase do Joelmir Betting: "O PT nasceu como partido de presos políticos e vai acabar como um partido de políticos presos". O problema maior de tudo isso é o eleitor. Vota com a barriga. Como se diz: jabuti encima de árvore, ou foi enchente ou mão de gente. Não tem outra.

  11. mnoel Postado em 24/Apr/2013 às 01:58

    Porque os antis acham que o lula foi tão ruim fora esse mensalão que se mpre existiu antes mesmo de lula mas a pf não podia investigar pois não tinha permissão