Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Dilma Rousseff 05/Mar/2012 às 23:03
2
Comentários

Presidenta Dilma é atingida por barra de ferro durante entrevista na Alemanha

No momento do incidente, a presidente falava sobre protecionismo dos países ricos, quando se afastou dos repórteres e manifestou dor. Dilma tirou de letra. Retornou, e em seguida disse: “Passou. Vou mancar até amanhã”

Dilma Alemanha MerkelA presidenta Dilma Rousseff concedia uma entrevista coletiva em Hannover, Alemanha, quando uma barra de ferro caiu e a atingiu no pé. Dilma reagiu imediatamente com uma expressão de dor, mas continuou a entrevista. Confira no vídeo abaixo, aos 4’54’‘.

No momento do incidente, a presidente falava sobre protecionismo dos países ricos, quando se afastou dos repórteres e manifestou dor. Ela retornou em seguida e disse: “Passou. Vou mancar até amanhã”.

Dilma concedeu a entrevista a jornalistas brasileiros antes de participar da abertura da Feira Internacional das Tecnologias da Informação e das Comunicações, a Cebit, ao lado da chanceler alemã, Angela Merkel.

Leia mais

De acordo com a assessoria do Palácio do Planalto, a presidenta foi atingida por uma barra de sustentação do cordão de isolamento que a separava dos jornalistas. Ainda segundo a assessoria, Dilma não necessitou de atendimento médico.

Com Agências

Recomendados para você

Comentários

  1. William Postado em 07/Mar/2012 às 15:54

    Não entendi por que essa noticia está aqui? Não tem nada de relevante na matéria.

  2. Cleber Postado em 08/Mar/2012 às 01:42

    Concordo, o vídeo é muito mais relevante que o fato descrito na notícia. O título deu a entender que ela foi atacada, mas não foi nada disso. Enfim, agora falando sobre o vídeo, a melhor coisa que o brasil faria seria comprar tecnologia pra melhorar os processos de produção, e usar essa parceria com as empresas da CeBIT pra transferência de tecnologia e propriedade intelectual, enquanto há tempo. Mas quem conhece bem o brasil, e o brasileiro, sabe que na realidade a única coisa que o brasil vai importar durante a nossa fase de "emergente" são produtos finais, como iPhones, iPads, televisores, e etc. Importar know-how e tecnologia mesmo, ha, que nada. Esse é o mercado quente pra todos os países desenvolvidos. A hora que a bolha estourar, a nossa moeda desvalorizar, e o fluxo de investimentos voltar a se direcionar pros países desenvolvidos, a nossa República das Bananas vai continuar do jeito que sempre foi.