Redação Pragmatismo
Compartilhar
Xenofobia 13/Jan/2012 às 15:42
15
Comentários

O negro e a loira no refeitório: Uma verídica história contra racismo e xenofobia

Uma história contra o racismo, preconceito e xenofobia

Racismo não

Racismo não

Estamos num refeitório estudiantil, de uma universidade alemã. Uma aluna loirinha e indiscutivelmente germânica retira seu bandejão com o prato do dia e vai se sentar em uma mesa. Então, descobre que esqueceu de pegar os talheres, e volta para buscá-los. Ao regressar, descobre com surpresa que um rapaz negro – a julgar por seu aspecto, vindo provavelmente de algum lugar bem ao sul do Saara – tinha se sentado no seu lugar, e estava comendo da sua bandeja.

No começo, a garota se sente desconcertada e agredida, mas logo corrige seu pensamento inicial e supõe que o africano não está acostumado ao sentido de propriedade privada e de intimidade do europeu, ou quem sabem não tenha dinheiro suficiente para comprar sua própria comida, apesar de a bandeja universitária ser até barata, considerando o elevado custo de vida do seu rico país.

A garota, portanto, decide se sentar em frente ao sujeito, sorrindo amistosamente, o que o rapaz negro responde com outro sorriso pacífico. Em seguida, a alemã começa a comer da comida que está na bandeja em frente aos dois, tentando demonstrar a maior naturalidade possível, compartilhando aquela refeição com o colega com saborosa generosidade e cortesia. Assim, ele vai comendo a salada, enquanto ela aproveita a sopa, ambos beliscam igualitariamente o mesmo refogado, até limpar o prato, até que ele escolhe o iogurte de sobremesa, enquanto ela prefere a fruta. Tudo isso acompanhado de diversas expressões educadas, tímidas por parte do rapaz, suavemente condescendente e compreensivas por parte dela.

Terminado o almoço, a aluna alemã se levanta para ir buscar um café. E então descobre, na mesa que estava logo atrás dela, sua própria jaqueta colocada sobre o braço de uma cadeira, e em frente a esta, uma bandeja de comida intacta.

Leia mais

Dedico esta história deliciosa, que além do mais é verídica, a todos aqueles espanhóis (nota do tradutor: e se poderia extender também aos brasileiros) que no fundo nutrem um enorme receio pelos imigrantes e os consideram indivíduos inferiores. A todas essas pessoas que, ainda que bem intencionadas, observam o mundo com condescendência epaternalismo. Será melhor se nos livramos dos prejuízos, ou corremos o risco de fazer o mesmo ridículo que a pobre alemã, que pensava ser o cúmulo da civilização, enquanto o africano, ele sim imensamente educado, a deixou comer de sua bandeja, talvez pensando: “acho que esses europeus estão mesmo malucos”.

Por Rosa Montero, para o diário espanhol El País, Tradução de Victor Farinelli

Recomendados para você

Comentários

  1. la viea mon avis Postado em 13/Jan/2012 às 21:55

    ..adorei

  2. Elaynne Postado em 15/Jan/2012 às 19:57

    Muito bom!

  3. João Rodrigues Postado em 15/Jan/2012 às 21:42

    Essa história prova claramente que ninguém nasce preconceituoso. São os interesses sociais que geram o preconceito. O branco, por exemplo, para evitar a invasão do seu espaço social, difunde a ideia de que o negro é um indivíduo inferior. Individualmente, o branco e o negro não são preconceituosos - o exemplo acima prova isso - Coletivamente, o são.

  4. Harley Caetano Postado em 16/Jan/2012 às 18:08

    Olá! Bom exemplo de dignidade e respeito. Ao pensar que é superior, a alemã despresa o jeito e cor do cidadão e, com um pré-julgamento, dá o braço a torcer, senta e compartilha o alimento. Poderíamos fazer o mesmo: antes de tomarmos qualquer atitude, analisar e tomar atitudes inteligentes, sem deixar de lado o sentimento de união. Um abraço.

  5. SDM - Saia da Masmorra! (RPG) Postado em 19/Jan/2012 às 10:12

    Desculpem, a historia é boa, mas falsa.
    Situação similar é relatada por Douglas Adams no livro ""Até Mais, valeu pelos Peixes
    " (quarto volume da série Mochileiro das Galáxias).

    Não deixa de ser bem utilizada, mas, infelizmente, não é verídica.

  6. Carolina Postado em 17/Feb/2012 às 15:58

    "Será melhor nos livrarmos do prejuízo"? Não seria "preconceito"?

  7. Nikolas Resende Postado em 09/Mar/2012 às 20:22

    Esse espanhóis estão fazendo um papel ridículo com essas atitudes... Não foi a Espanha que passou mais de 1000 (mil!) anos sob a égide marroquina (ou 'moura') - do período de 452 (fim do império romano) até 1472 (época da 'reconquista')... O sangue do povo espanhol é tão europeu quanto é africano... vergonha, aliás, verguenza! rss

  8. Silvia Postado em 13/Mar/2012 às 09:41

    Bem veridica essa historia, eu conheco esta como a do pacote de biscoito e o mendigo, mesmissima historia

  9. Cleber Postado em 22/May/2012 às 19:29

    Achei péssima e racista horrivel, cheia de clichês , cheia de esteriótipos. Coitado do africano não tem o que comer, pobrezinho!!!! Vou oferecer umas migalhas para esse pober mendigo sem comida!!!!!!!!

  10. AMANDA OLIVEIRA Postado em 25/Nov/2012 às 21:40

    AS PESSOAS ACHAM QUE QUE E E SO OLHAR A APARENCIA DA OUTRA SABE COMO ELA E POR FORA MAS SE NAO CONHECER NUNCA VAI SABER COMO E LA E POR DENTRO!!!!!!!!!!!!!!!!

  11. AMANDA OLIVEIRA Postado em 25/Nov/2012 às 21:50

    NEM SEMPRE AS PESSOAS SAO COMO AGENTE PENSA

  12. OZIEL Postado em 21/Nov/2013 às 13:00

    AO MEU VER HJ EM DIA ESTÁ TUDO INVERTIDO, O PRECONCEITO CONTRA OS NEGROS ESTÃO ACABANDO ( GRAÇAS A DEUS) MAS POR OUTRO LADO A MUITA PALHAÇADA POR TODOS OS LADOS EX. SE EU GRITAR NA RUA LOIRA BURRA, NÃO DA EM NADA, MAS AI DE MIM SE EU GRITAR NEGRO BURRO. DA MSM FORMA SE EU USAR UMA CAMISA ESCRITO 100% NEGRO, TUDO BEM,MAS AI DE MIM SE EU USAR A MSM CAMISA 100% BRANCO.TEMOS QUE PRESTAS ATENÇÃO , IGUALDADE NÃO É INVERSÃO DE VALORES.SO A FAVOR DA IGUALDADE A TODOS DE FATOOOO.

  13. Luciano Postado em 25/Dec/2013 às 22:06

    Viva a mistura de raças sou negro tenho um caso com uma bela branca loira de olhos azuis, ja amei mulheres negras, mulatas, indias, brancas e etc. Cor de pele não torna ninguem inferior ou superior, eu tenho um tremendo orgulho quando vejo casais interraciais pelas ruas.

  14. Saulo Postado em 28/Feb/2014 às 08:25

    Esta história mostra também que a loira aí é bem burra mesmo. Ao voltar não viu que sua jaqueta estava em outra cadeira? Precisou acabar de comer pra ver isto?

  15. Eliza Souza Postado em 25/Nov/2014 às 10:47

    Que fofo!