Redação Pragmatismo
Compartilhar
Direita 01/Nov/2011 às 17:26
8
Comentários

Caco Barcellos dá aula de jornalismo a Cantanhêde (Folha), mas Globo censura

O que se segue no vídeo abaixo é uma verdadeira lição de jornalismo de Caco que Cantanhêde talvez nunca tenha escutado

eliane Cantanhede folha caco  barcellos
Cantanhêde, aquela mesma, que um dia falou em Partido de Massa Cheirosa

Raul Longo e Rosângela Calado da Costa, Redecastorphoto

No dia 20/09/2011 foi ao ar o programa “Em Pauta” em que o entrevistado era o excelente jornalista Caco Barcelos.

Lá pelas tantas, a jornalista Eliane Cantanhêde (Folha) resolveu abordar o “bom momento” (sic) do jornalismo brasileiro. Caco, surpreso, logo retruca: “Você acha?”. Pois sabe bem ele que o jornalismo (?) no Brasil passa por uma das mais graves crises de credibilidade. Você vai perceber que Caco usa a expressão “jornalismo declaratório” como eufemismo ao péssimo jornalismo praticado inclusive pela Folha de São Paulo e seus colunistas amestrados.

O que se segue no vídeo é uma verdadeira lição de jornalismo de Caco que Cantanhêde talvez nunca tenha escutado.

Vergonhosamente, a Globo News cortou sumariamente este trecho da entrevista.

Durante a campanha eleitoral de 2010, a Folha (juntamente com Veja, Estadão, Globo etc.) praticou o mais abjeto jornalismo em favor do PSDB, mostrando apenas denúncias contra o PT e ocultando todas as denúncias contra o PSDB.

E até hoje tem sido assim.

Assista sem censura:

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. metaphysicaldeveloper Postado em 04/Nov/2011 às 13:15

    Excelente vídeo. Contudo, essa página mesma está vivendo no passado do jornalismo. Comentários no fim da página? Para ver o futuro/apoiá-lo, veja esse projeto no Kickstarter (http://www.kickstarter.com/projects/dwhly/hypothesis-taking-peer-review-to-the-internet).

    O ponto é: a responsabilidade de um jornalismo melhor é nossa. Não dos meios de comunicação do século passado. Como o Tim O'Reilly mostrou recentemente (http://twitter.com/#!/timoreilly/status/131923462376787968), os jornais gastam apenas 15% com as notícias (o resto é apenas para criar o meio com o leitor). Não é de surpreender que a qualidade seja tão ruim.

    Não, esse não é um problema do Brasil. É um problema da informação como um mercado criado no capitalismo do século 20, com todas suas ineficiências, e que vem sofrendo cada vez mais disrupção nesses dias. E precisa sofrer ainda mais.

  2. Luis Soares Postado em 04/Nov/2011 às 14:10

    Não te agrada o espaço para comentários no rodapé da página? Não deveria existir ou onde teria de ser posicionado? À vontade para usar de objetividade quando quiser sugerir ou criticar...

  3. metaphysicaldeveloper Postado em 05/Nov/2011 às 13:20

    Claro que deveria existir! Veja o vídeo do Hypothes.is ( http://www.kickstarter.com/projects/dwhly/hypothesis-taking-peer-review-to-the-internet ) para como algo bom pode se tornar muito mais contemporâneo.

  4. Impressões Postado em 15/Dec/2011 às 17:30

    Não entendi a parte q diz q a globo censurou, q cortou sumariamente o trecho da entrevista. O programa é ao vivo, eu assisti e ouvi o Caco falar tudo aquilo pra Eliane. Ele falou tudo ao vivo e o programa não tem reprise. Seria impossível haver "corte" nessa situação. Cuidado, vamos fazer as críticas que devem ser feitas, mas não vamos exagerar, sob pena de ameaçar a credibilidade de quem ainda a tem e repetir o exemplo da "grande mídia". Ouçamos as palavras de Caco Barcelos.

  5. Luis Soares Postado em 15/Dec/2011 às 17:35

    Impressões, a 'censura' refere-se tão somente à reprise do programa, que teve esse trecho especialmente (e curiosamente) cortado.

  6. Sofia Postado em 05/Mar/2012 às 15:36

    Luís Soares, se a 'censura" ocorreu apenas no programa reprisado, convenhamos que a chamada da reportagem está um pouco sensacionalista. Leio várias reportagens no Pragmatismo Político e vejo que muitas delas não são imparciais como pregam e como criticam em relação aos outros jornais/revistas. O jornalismo no Brasil não é imparcial. Pode-se dizer que existem jornais a favor do PSDB+demais partidos da oposição e jornais a favor do PT+base aliada. Claramente o Pragmatismo Político encaixa-se neste último e consequentemente critica os que se encaixam no primeiro grupo. Acho que as críticas devem ser feitas sim, pena que elas não são feitas com imparcialidade e em busca de um jornalismo isento e íntegro, mas são apenas manifestações de que se está em lados opostos.

  7. Luis Soares Postado em 05/Mar/2012 às 15:50

    Sofia, o que seria uma chamada mais isenta? Convenhamos, seria impossível censurar o debate ao vivo, a não ser que se utilizasse de muita cara de pau e colocassem os comerciais. Mas isso não seria inteligente. Entendo a tua crítica sobre a suposta ausência de imparcialidade. Mas no jornalismo imparcialidade é palavra subjetiva, de difícil alcance pleno. Se eu te pedir para me elencar veículos de comunicação imparciais, é muito provável que você não consiga citar um sequer. Um passo importante para a democratização das comunicações é reduzir o desequilíbrio editorial e de propagação do jeito que aí está posto. Neste aspecto, acredito que estamos a cumprir um papel relevante.

  8. jorge santos Postado em 09/Nov/2014 às 19:56

    Muita babaquice! Ela só repetiu o que um dos políticos dissera. Além disso, o Craco Barcelos não é nenhum exemplo de isenção partidária ou ideológica. Mas, para a PTralhada, só quem pode emitir opinião são os chapa-branca...