Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mídia desonesta 25/Nov/2011 às 18:27
19
Comentários

Beth Carvalho rebate questionamentos sobre Cuba a revela: 'A CIA quer acabar com o samba'

Repórter questiona Beth Carvalho a respeito da liberdade na ilha caribenha, que responde: "Eu não me sinto com liberdade de expressão no Brasil"

beth carvalho cuba

Beth Carvalho fala que a hipocrisia reinante no Brasil faz com que nos acostumemos a uma ditadura velada

Ao abrir o elevador, ainda no hall de entrada do apartamento, um quadro com a foto de Che Guevara. Não há dúvidas. Ali é o andar de Beth Carvalho. Ela surge na sala, amparada por duas muletas, que logo deixa de lado para posar para as fotos. “Nunca vi coisa para cair mais do que muletas. Estas meninas caem toda hora”, diz, bem-humorada.

No fundo da janela, o mar de São Conrado, bairro vizinho à favela da Rocinha. “A CIA quer acabar com o samba. É uma luta contra a cultura brasileira. Os Estados Unidos querem dominar o mundo através da cultura”, diz a cantora, presidente de honra do PDT.

Entre os fartos risos, também não faltaram palavras ríspidas para defender seu ponto de vista.

Abaixo, a íntegra da entrevista realizada pelo portal iG

Leia mais

Qual foi a sensação ao voltar a andar?

BETH CARVALHO: A pior da minha vida. Quando pus os pés pela primeira vez no chão, achei que nunca ia andar de novo. Parecia que não tinha mais pernas, sem força muscular. Depois, com a fisioterapia, a recuperação foi rápida. Precisei colocar dois parafusos de 15 cm cada um, só isso me fez voltar a andar. Agora sou interplanetária e biônica (risos).

Em seu novo CD, a letra “Chega” é visivelmente feminista. Por que é raro o samba dar voz a mulheres?

BETH CARVALHO: O mundo, não só o samba, é machista. Melhorou bastante devido à luta das mulheres, mas a cada cinco minutos uma mulher apanha no Brasil. É um absurdo. Parece que está tudo bem, mas não é bem assim. Sempre fui ligada a movimentos libertários.

De que forma o samba é machista?

BETH CARVALHO: A maioria dos sambistas é homem. Depois de mim, Clara Nunes e Alcione, as coisas melhoraram. O samba é machista, mas o papel da mulher é forte. O samba é matriarcal, na medida que dona Vicentina, dona Neuma, dona Zica comandam os bastidores da história. Eu, por exemplo, sou madrinha de muitos homens (risos).

A senhora é vizinha da favela da Rocinha. Como vê o processo de pacificação?

BETH CARVALHO: Faltou, por muitos anos, a força do estado nestas comunidades. Agora estão fazendo isso de maneira brutal e, de certa forma, necessária. Mas se não tiver o lado social junto, dando a posse de terreno para quem mora lá há tanto tempo, as pessoas vão continuar inseguras. E os morros virarão uma especulação imobiliária.

Alguns culpam o governo Leonel Brizola (1983-1987/1991-1994) pelo fortalecimento do tráfico nos morros. A senhora, que era amiga do ex-governador, concorda?

BETH CARVALHO: Isso é muito injusto. É absurdo. Se tivessem respeitado os Cieps, a atual geração não seria de viciados em crack, mas de pessoas bem informadas. Brizola discutia por que não metem o pé na porta nos condomínios da Avenida Viera Souto (em Ipanema) como metem nos barracos. Ele não podia fazer milagre.

Aqui na sua casa há várias imagens de Che Guevara e de Fidel Castro. Acredita no modelo socialista?

BETH CARVALHO: Eu só acredito no modelo socialista, é o único que pode salvar a humanidade. Não tem outro (fala de forma enfática). Cuba diz ‘me deixem em paz’. Os Estados Unidos, com o bloqueio econômico, fazem sacanagem com um país pobre que só tem cana de açúcar e tabaco.

Mas e a falta de liberdade de expressão em Cuba?

BETH CARVALHO: Eu não me sinto com liberdade de expressão no Brasil.

Por quê?

BETH CARVALHO: Porque existe uma ditadura civil no Brasil. Você não pode falar mal de muita coisa.

Como quais?

BETH CARVALHO: Não falo. Tem uma mídia aí que acaba com você. Existe uma censura. Não tem quase nenhum programa de TV ao vivo que nos permita ir lá falar o que pensamos. São todos gravados. Você não sabe que vai sair o que você falou, tudo tem edição. A censura está no ar.

Mas em países como Cuba a censura é institucionalizada, não?

BETH CARVALHO: Não existe isso que você está falando, para começo de conversa. Cuba não precisa ter mais que um partido. É um partido contra todo o imperialismo dos Estados Unidos. Aqui a gente está acostumada a ter vários partidos e acha que isso é democracia.

Este não seria um pensamento ultrapassado?

BETH CARVALHO: Meu Deus do céu! Estados Unidos têm ódio mortal da derrota para oito homens, incluindo Fidel e Che, que expulsaram os americanos usando apenas o idealismo cubano. Os americanos dormem e acordam pensando o dia inteiro em como acabar com Cuba. É muito difícil ter outro Fidel, outro Brizola, outro Lula. A cada cem anos você tem um Pixinguinha, um Cartola, um Vinicius de Moraes… A mesma coisa na liderança política. Não é questão de ditadura, é dificuldade de encontrar outro melhor para ocupar o cargo. É difícil encontrar outro Hugo Chávez.

Chávez é acusado por muitos de ter acabado com a democracia na Venezuela.

BETH CARVALHO: Acabou com o quê? Com o quê?

Com a democracia…

BETH CARVALHO: Chávez é um grande líder, é uma maravilha aquele homem. Ele acabou com a exploração dos Estados Unidos. Onde tem petróleo estão os Estados Unidos. Chávez acabou com o analfabetismo na Venezuela, que é o foco dos Estados Unidos porque surgiu um líder eleito pelo povo. Houve uma tentativa de golpe dos americanos apoiada por uma rede de TV.

A emissora que fazia oposição ao governo e que foi tirada do ar por Chávez…

BETH CARVALHO: Não tirou do ar. Não deu mais a concessão. É diferente. Aqui no Brasil o governo pode fazer a mesma coisa, televisão aberta é concessão pública. Por que vou dar concessão a quem deu um golpe sujo em mim? Tem todo direito de não dar.

A senhora defende que o governo brasileiro deveria cassar TV que faz oposição?

BETH CARVALHO: Acho que se estiver devendo, deve cassar sim. Tem que ser o bonzinho eternamente? Isso não é liberdade de expressão, é falta de respeito com o presidente da República. Quem cassava direitos era a ditadura militar, é de direito não dar concessão. Isso eu apoio.

Por ser oriundo dos morros, o samba foi conivente com o poder paralelo dos traficantes?

BETH CARVALHO: Não, o samba teve prejuízo enorme. Hoje dificilmente se consegue senhoras para a ala das baianas nas escolas de samba. Elas estão nas igrejas evangélicas, proibidas de sambar. Não se vê mais garoto com tamborim na mão, vê com fuzil. O samba perdeu espaço para o funk.

Quem é o culpado?

BETH CARVALHO: Isso tem tudo a ver com a CIA (Agência Central de Inteligência dos EUA), que quer acabar com o samba. É uma luta contra a cultura brasileira. Os Estados Unidos querem dominar o mundo através da cultura. Estas armas dos morros vêm de onde? Vem tudo de fora. Os Estados Unidos colocam armas aqui dentro para acabar com a cultura dos morros, nos fazendo achar que é paranoia da esquerda. Mas não é, não.

O samba vai resistir a esta “guerra” que a senhora diz existir?

BETH CARVALHO: Samba é resistência. Meu disco é uma resistência, não deixa de ser uma passeata: “Nosso samba tá na rua”.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiel Postado em 26/Nov/2011 às 15:30

    Essa é guerreira!!

  2. Henrique Rocha Postado em 26/Nov/2011 às 15:41

    Minha querida e eterna líder e companheira! Afinal, como disse Che: " Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros." Uma luta constante e não se sabe até quando, a única certeza é estarmos combatendo lado a lado...
    Henrique Rocha

  3. JS Patrício Postado em 26/Nov/2011 às 19:23

    Esqueceu que, em 1997, a Nasa escolheu ‘Coisinha do Pai’ na voz da cantora para celebrar a entrada em funcionamento de um robô espacial americano em Marte.
    Ela ainda vive nos anos 60. Falou cada besteira e ainda é medrosa em argumentar melhor alguns questionamento. Tá com medo da Globo!

  4. Robson dos Santos Postado em 27/Nov/2011 às 11:14

    O comentário do JS Patrício é ridículo.

  5. falsobrilhante Postado em 27/Nov/2011 às 13:56

    JS Patrício, muita gente que vive vomitando jargões do tipo "... ainda vive nos anos 60...", na verdade vive no século 21 sem se dar conta da complexidade da História, das estrutura de poder e de dominação.

    Se você duvida que vivemos numa "ditadura civil", tente formar um partido político, procure encontrar um canal de televisão para de fato poder se expressar, concorra a eleição para substituir a direção corrupta de um sindicato cooptada pelo governo, procure saber por que o trabalhador está pagando até Imposto de Renda enquanto o Congresso se recusa a sequer discutir a regulamentação da taxação de grandes fortunas prevista na Constituição, reflita sobre a legislação e a justiça brasileira equacionando isso com a impunidade tendente a reinar em nossa sociedade.

    Isso tudo começa em algum lugar, em algum momento. Se não conhece a História, sai por aí falando bobagens.

  6. JS Patrício Postado em 27/Nov/2011 às 23:32

    Esse tipos de comentários em nada me atingem, pois eu sei que estou no site de esquerdista. Mais uma coisa, eu tenho a maior noção que não há muita diferença entre a ditadura de Cuba e a ditadura não oficializada que temos em nosso país. A diferença é que aqui a imprensa é que manda.
    "Chávez é um grande líder, é uma maravilha aquele homem.( opinião é opinião) Ele acabou com a exploração dos Estados Unidos( certo, porém virou um novo ditador). Onde tem petróleo estão os Estados Unidos. Chávez acabou com o analfabetismo na Venezuela,( mentira e das feias) que é o foco dos Estados Unidos porque surgiu um líder eleito pelo povo.( que não quer mais largar o osso) Houve uma tentativa de golpe dos americanos apoiada por uma rede de TV.( certo ele em cassar a tv)."
    Mais uma coisa, Che não passa de um assassino que foi santificado. Um pouco de estudo nessa área vão descobrir isso. E assassino sangue frio para piorar.

    Robson, ridículo é você mané!

  7. Diego Postado em 28/Nov/2011 às 09:30

    Na época de Che JSPatrício, e como Maquiavel fala precisava de "rei" que ganhasse respeito pela força pelo medo e não pelo "amor" na quele tempo teria sido esmagado facilmente se fosse bonzinho..

  8. RLocatelli Digital Postado em 30/Nov/2011 às 01:16

    Caramba, será que todo jornalista da "grande" mídia é um robô da direita, como esse aí? O cara só repetiu frases hipnóticas usadas pela Folha/Globo/Veja/Estadão...

  9. Luis Soares Postado em 30/Nov/2011 às 01:31

    Meu caro RLocatelli, o processo de domesticação é finalizado antes que assumam condição de titularidade. São robôs e dos bem limitados.

  10. Jornalista Miguel Martins Postado em 02/Jan/2012 às 15:12

    Infelizmente temos que acompanhar diariamente colegas da imprensa que parecem "micos de circo", pois sempre têm uma fala ensaiada para defender o lado do "Tio Sam"!

  11. Thiago Postado em 07/Jun/2012 às 23:47

    A cantora tem argumentos pequenos demais sobre seus ídolos e parece sim perdida no tempo ou no mundo das ilusões. Porém devo concordar sobre a ideia de que vivemos numa ditadura velada no Brasil. Sempre fomos tragados por ela e ruminamos ela quando não damos a devida atenção ao que está ocorrendo no país. Devemos constatar ainda que, na maioria das vezes, a mídia se aproveita de ser massiva para rebaixar, menosprezar, inverter e mentir determinados fatos. Mas minimizar a ditadura de Cuba é um absurdo ignorante assim como tirar concessão de TV por esta não apoiar o governo vigente. é outra falta de percepção doentia. Além disso um partido é visão unilateral. Que representatividade isso tem? Cada pessoa pensa de uma forma diferente, sobre circunstâncias distintas, ninguém é igual a ninguém. O Brasil está recheado de partidos hipócritas, pois não tendem a representar ninguém, apenas conquistar o poder. O mesmo faz os EUA: iguaizinhos ao Impérios passados, esta nação quer conquistar na base da porrada. Outra, ela fala, fala, fala sobre os EUA e esquece da Europa, do Japão, da China e até mesmo do próprio Brasil em relação ao seu próprio território e a de seus vizinhos.

  12. Romeu Cardoso Postado em 03/Dec/2012 às 18:22

    Beth Carvalho é um patrimônio nacional. Já devia ter estátua agora e não deixar pra fazer depois que se for. Thiago, meu filho, você não sabe o que diz. A tv em questão perdeu a RENOVAÇÃO do contrato porque apoiou, incentivou e divulgou um golpe de estado contra o presidente da república. Você sabe o que aconteceria se o mesmo se passasse nos EUA? Pena de morte para os donos do canal e jornalistas responsáveis. E quem diz isso não sou eu, mas Noam Chonsky, o maior intelectual americano vivo. Pena de morte. Chávez é considerado, pela sua própria gente, um "pendejo", ou seja, um banana, um molenga que não castiga com o rigor merecido os fascínoras que o adversam anti-democraticamente, por todos os meios sujos... Entendeu agora que falta de percepção doentia é a que querem incutir na tua mente? Não deixa. Procura saber o que realmente acontece. Sobretudo, foge da Veja e congêneres.

  13. Alessandro Postado em 26/Feb/2013 às 21:00

    Por incrível que pareça, uma entrevista corajosa, lúcida e articulada como essa é taxada de "perdida no tempo", "iludida". Aos ilustres Thiago e JS Patrício: com todo respeito, vão ler o site da Veja. O tipo de manchete que macaqueia mentiras, distorce fatos e mente como vocês gostam aparece por lá. E como Beth canta: "... pode chorar, pode chorar..." À grande Beth, minha admiração e respeito pleno!

  14. Ana Postado em 26/Feb/2013 às 21:05

    Existe muito mais coisa por trás das grandes potências econômicas mundiais do que podemos imaginar! O povo brasileiro está alienado, pois está condicionado apenas as informações de telejornais manipulados, e revistas sem prestígios (Veja e afins). Não sou a favor de ditadura, mas nosso país não é merecedor de democracia, pois não sabe usá-la!!!

  15. beth zhalouth Postado em 26/Feb/2013 às 21:06

    eu já gostava dela, depois dessa, agora sou sua fã incondicional, mulher de muito conteudo essa...

  16. Lyndy Luca Postado em 27/Feb/2013 às 10:22

    Uma das maiores fatalidades de um povo é não poder confiar nem no seu sistema judiciário. Perdemos a fé no sistema político, onde vivemos uma falsa, ilusória democracia, e o que nos restava de esperanças cada vez mais cai por terra... Nossos magistrados fazem vista grossa onde mais necessita-se de justiça, e passam pente fino onde nem teria tamanha avidez... Nossa justiça tem dois pesos e duas medidas, e o que define isso são as posses financeiras e o poderio que possuem. Aos ladrões de galinha, para aplacar a fome dos filhos, cada vez mais rigor ao punir... Aos ladrões de milhões ou bilhões, de crimes evidentes de lesa-pátria, de criaturas que deveriam ser as primeiras a dar o exemplo-mor, por estarem frente ao povo, "pseudo-eleitas" (pseudo sim, pois as urnas eletrônicas são cada vez mais e altamente manipuláveis, fraudáveis, passíveis de roubar votos) para zelar pelo país, que ganham as maiores fortunas do planeta para exercerem tais funções, e que, não satisfeitas com seus salários e benefícios astronômicos, ainda roubam, desviam, facilitam, engendram zilhões de maracutaias para benefício próprio e de seus pares, NADA! Estamos jogados no limbo, ao relento, porque perdemos a fé em tudo e em todos... Somos um povo que arrasta-se em uma promessa eterna do "país do futuro"... Crescemos um pouco, avançamos algo, mas a podridão a crescer e a avançar em ritmo totalmente galopante e indecente! Somos compleamente manipulados a acreditar que vivemos em uma plena democracia, que temos total liberdade de expressão, diferentemente do "horror" que é em Cuba (eu discordo do regime, mas sinceramente, aqueles que acreditam que viver no Brasil é zilhões de vezes melhor porque se tem liberdade e em Cuba não, estão completamente iludidos, exatamente conforme os canalhas, a corja que nos governa quer... Cuba tem sim, os seus problemas, mas e o Brasil não tem??? Cuba tem os melhores sistemas de saúde e educação - melhores que dos EUA! - são referência nisso... e aí eu pergunto aos iludidos que dizem: "ah, mas nós temos liberdade!": qual é o forte do Brasil? Um país onde somente depois do Lula assumir é que conseguiu reduzir um pouco a sua miséria, mas onde ainda milhões vivem com um salário mínimo que não dá pra m* nenhuma... e ainda vem aqui dizer que em Cuba eles ganham ração? E no Brasil, com os milhões que miraculosamente sobrevivem com um salário mínimo? Que saúde tem? Que educação? Que alimentação? Que moradia??? Que liberdade tem essa gente??? A liberdade em que o próprio STF pune quem contesta as urnas eletrônicas atrasadas e comprovadamente passíveis de roubar na também ilusória democracia do voto???) Parem e pensem, minha gente... pensem com os SEUS cérebros, e não com as idéias pré-formuladas que essa corja nos dá pra dizer que temos liberdade e uma democracia, quando o que temos, quando muito, é um esboço muito mal feito de democracia... E no entanto, o povo ainda está alheio e se nega a acreditar que somente nós, unidos, é que podemos colocar alguma ordem nessa zorra...

  17. celso Postado em 27/Feb/2013 às 18:15

    Estou com você Beth, o que me deixa p de vida e ver certo idiotas analfabetos politicos criticando esses grandes Homens que fez e estão fazendo a diferença ,Chaves,Lula,Dilma ,Fidel,saudades do Che Guevara,fico pensando com meus botões,meus Deus estamos ficando sem esses grandes lideres para por ordem nestes imperialista que fazem de tudo para derruba-los.Obs com esse povo analfabetos em questões politicas o risco e grande de se perder tudo que ja foi contruido

  18. Rosália Postado em 27/Feb/2013 às 18:57

    Gostei do posicionamento, sereno, coerente. Minha admiração e respeito!

  19. Correia Filho Postado em 08/Jul/2013 às 00:08

    Adoro a Beth, sou fã dessa mulher e cantora maravilhosa, mas não sabia dessa birra que ela tem com os Estados Unidos. Acho que todo mundo tem direito a pensar da maneira que lhe convier, mas achar que em CUBA há liberdade!!! Vc deve estar louca Betinha, e as famílias que eram proibidas de deixar Cuba? E os presos encarcerados só por pensar diferente? Se Che Guevara não tivesse sido eliminado, teríamos, hoje, mais ditadores na América Latina.