Luis Soares
Colunista
Racismo não 13/Sep/2011 às 14:08
51
Comentários

Justiça condena governo do PSDB a pagar R$ 54 mil por promover racismo

Crianças da rede pública de ensino em São Paulo receberam material de cunho claramente racista

Governo Alckmin racismo são paulo

Governador Alckmin: Teoria incompatível com a prática

O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou o governo estadual a pagar R$ 54 mil em indenização por ato de racismo. De acordo com a ação por danos morais, movida pela advogada Maria da Penha Guimarães, uma unidade de ensino distribuiu material pedagógico com conteúdo discriminatório.

Segundo os autos, a professora, “a pretexto de desenvolver a criatividade de seus alunos da 2ª série do ensino fundamental”, distribuiu o seguinte material (fls 14/17):

“Redação 8

Uma família diferente

A família lá no céu

Era uma vez uma família que existia lá no céu.

Leia mais

O pai era o sol, a mãe era a lua e os filhinhos eram as estrelas. Os avós eram os cometas e o irmão mais velho era o planeta terra.

Um dia apareceu um demônio que era o buraco negro.

O sol e as estrelinhas pegaram o buraco negro e bateram, bateram nele.

O buraco negro foi embora e a família viveu feliz.

“Criação de texto

Assim como André, invente uma família diferente.

Conte:
a) quais são os membros dessa família;
b) onde ela vive;
c) como ela vive.

1. Desenhe a família diferente que você inventou.
2. Escreva um texto dizendo como é a família diferente. Invente um título.” (fl. 17).

“UMA FAMÍLIA COLORIDA

Era uma vez uma família colorida. A mãe era a vermelha, o pai era o azul e os filhinhos eram o rosa.

Havia um homem mau que era o preto.

Um dia, o preto decidiu ir lá na casa colorida.

Quando chegou lá, ele tentou roubar os rosinhas, mas aí apareceu o poderoso azul e chamou a família inteira para ajudar a bater no preto.

O preto disse:

— Não me batam, eu juro que nunca mais vou me atrever a colocar os pés aqui. Eu juro.

E assim o azul soltou o preto e a família viveu feliz para sempre.

(fl. 14).

Posts relacionados

Comentários

  1. eduardo gorgone Postado em 13/Sep/2011 às 15:48

    Acho que esta bem claro para quem o PSDB governa... Pra uma minoria branca, racista e elitista, nunca para o povo em sua totalidade!!!

  2. Rodrigo Postado em 14/Sep/2011 às 00:37

    Acho muito engraçado a cegueira proposital de algumas pessoas, vcs acham mesmo que o governador determina que texto como esse sejam colocados em livros escolares a fim de promover racismo? Algo assim seria o mesmo que afirmar que a corrupção que se alastra no governo federal é orquestrada pela presidente Dilma.

  3. Re.Fem. Postado em 14/Sep/2011 às 09:39

    Opaaaa ótima notícia para começar o dia :-)
    Estamos reconhecendo e punindo o Racismo no Brasil! Mas...
    E o dinheiro vai para quem?
    E quem realmente é responsável pela escolha do material didático como fica?

  4. lilicca Postado em 05/Dec/2011 às 23:29

    Isso mesmo! Quem fica com essa grana?
    O responsável(direto)por essa publicação, foi punido?
    E...sejamos razoáveis. Até parece que Presidente, governador e prefeito são "obrigados" a saber tudo que é publicado e etc...etc...
    Se fosse assim, para que tantos ministros, chefes de gabinete, sub prefeitos?
    Só para aumentar a folha de pagto?
    Me poupem! O pior cego é aquele que não quer ver!

  5. luciana Postado em 06/Dec/2011 às 12:34

    sabemos que a praga do preconceito esta incultido no âmago dessa sociedade hipócrita que afirma não ser preconceituosa,como também sabemos que essa ignorância esta longe do fim,mas agora esta mais fácil é só mexer no bolso deles só assim eles entendem o que é o respeito as diferenças, pq diferentes todos nós somos o que não podemos admitir é que essas diferenças se tornem desigualdades.

  6. Leonardo Rocha Postado em 06/Dec/2011 às 13:25

    Realmente, o material promove a discriminação. Mas a quem estamos punindo? Foi o governo que escolheu o conteúdo do material?

  7. Raisa Covre Araujo Postado em 06/Dec/2011 às 14:52

    O racismo está em quem o viu e não em quem o escreveu. Lamentável que apenas citar a cor preta seja considerado racismo... Querem combater alguma coisa? Comecem saindo, vocês mesmos, dos seus cargos com um salário super alto e de ''mãozinha lavada''.

  8. Eloy Alves Postado em 06/Dec/2011 às 15:04

    concordo com o Leonardo Rocha, a quem estamos punindo!?

  9. Luis Soares Postado em 06/Dec/2011 às 15:11

    Estamos punindo O Estado enquanto agente público e regulador. Não UM Estado (geograficamente falando ou em termos de gestores político-partidários). É o Estado, enquanto órgão institucional e responsável pela manutenção da educação pública que está sendo merecidamente punido.

  10. Afrodescendencia Postado em 06/Dec/2011 às 16:09

    Raisa Covre Araujo, vc deveria ler um pouco mais, ou quem sabe melhor interpretar textos, pois ai há, no texto, uma clarevidência dos termos negro e preto como uma situação racial o racismo está assim ocultamente, e dia a dia vem nos tornando vítimas de uma sociedade que sempre tem uma frase como a sua:-"O racismo está em quem viu e não em quem o escreveu", Outra: Eu não sou racista... e ai vai mas cuidado, estamos atento, crescemos Raisa, o que cobramos hoje é o respeito pela nossa afrodescendência, ela existe e está em nossa sociedade e cabe ao Estado zelar pelo nossos direitos e se ele cometeu esse deslize que pague e se retrate.Que sirva de lição.

  11. Celso Deus me faça Funk Dias Postado em 06/Dec/2011 às 23:26

    afordescendencia, não foi a raisa que deu o nome de buraco negro, e não foi ela que inventou a cor preta, nem quem escreveu o texto, eu acho que voce deveria ir a onu e pedir para mudar o nome de buraco negro para buraco verde. aproveite e peça para excluir a cor preta. quem sabe na proxima vez o texto saia diferente.

  12. Luis Soares Postado em 06/Dec/2011 às 23:41

    Mas foi o homem branco que durante séculos humilhou, maltratou e assassinou o negro, tratado como de raça inferior e subumana. E quando oficialmente decretou-se o fim do racismo em sua formalidade, a informalidade pareceu ainda mais covarde e cruel.

  13. tjschneider Postado em 11/Dec/2011 às 19:17

    Infelizmente, por mais q digam o contrário, o racismo ainda é latente em nosso País, q vamos considerar, é um bebê, se formos comparar com a Europa, berço de nossos colonizadores e de onde vem os primórdios da escravidão.
    As leis todas, são feitas de forma a beneficiar um povo na sua totalidade, e o q vemos todos os dias ? Citem-me um, apenas um único corrupto brasileiro q fora preso ou q pelo menos tenha devolvido o dinheiro q surrupiou; e muitas outras patifarias q rolam pelo Brasil e ficam impunes. E com os negros não é diferente ! A boníssima Princesa Isabel assinou a Lei Áurea e decretou o fim da escravidão, e ficou nisso. Aqueles cidadãos foram libertados das correntes e senzalas e nada mais, ou seja, em q condições ? Passaram a ser remunerados honestamente pelo seu trabalho ? Tiveram suas vidas mudadas ? Ao contrário, as coisas só pioraram e se esta situação vem mudando, não é pq nós, os brancos, tivemos a decência de reconhecê-los como iguais; foi pq eles brigaram e brigam até hoje por direitos igualitários e nos enfiaram isso "goela abaixo".
    Meu Pai é alemão e minha Mãe italiana, duas raças complicadas, contudo, como somos de origem pobre, sempre moramos em um bairro de classe baixa, e ali sim, o racismo não existe; sejam negros, japoneses, italianos, alemães, ou qualquer outra raça. É neste ambiente q passamos a dar o devido valor a tudo e a todos. Aliás, por mais q meus Pais tenham melhorado de vida com o passar do tempo, continuam morando no mesmo local, e nisto lá se vão 70 anos. Alguns vizinhos já morreram, outros saíram, porém, cada vez q encontramo-nos na rua, os sorrisos brotam, as lembranças afloram e as amizades continuam firmes e fortes. Continuamos a ser as mesmas pessoas e a dar valor às mesmas coisas (sinceridade, honestidade, honradez, caráter, etc).
    Enquanto pequenos, costumávamos dizer q nosso bairro era igual um arco-íris, já q haviam praticamente todas as cores e elas se misturavam e cada vez ficavam mais belas.

  14. TheDarkLord Postado em 19/Dec/2011 às 21:45

    "Buraco negro" e personagem de cor "preta" é racismo?? história infantil pow!! sou negro e vi nada demais nisso aew!! querem combater o racismo? comecem a dar bons empregos pra pessoas negras, ensinem os seus filhos a terem respeito por pessoas negras... o resto a gente se vira, precimos nem de esmola nem de ninguem olhando a gente como coitado nao, apenas tenham respeito, tem nada de contesxto racista aew, só pra quem é ignorante e nao sabe ler..

  15. TheDarkLord Postado em 19/Dec/2011 às 21:47

    se mais gente pensa assim, comecem a proibir guerra nas estrelas e senhor dos aneis na tv.. ambs dizem que o lado negro é ruim, dinheiro da educaçao bem mal gasto, aposto que desse nenhum centavo vai pra algum fundo para negros estudantes..

  16. Aruan João Baccaro de Freitas Postado em 24/Dec/2011 às 15:58

    Ok, discriminação aonde nessa porcaria?? Isso foi totalmente absurdo! O conteúdo simbólico escolhido para a cor preta é uma coisa, a analogia disso com a etnia negra é totalmente despropositada.

  17. Webspress Postado em 03/Jan/2012 às 14:58

    O negro não é amarelo nem rosa e sim preto, então citações como essa são racistas sim.

  18. lukinos Postado em 03/Jan/2012 às 19:51

    Chega a ser ridículo o discurso de quem afirma que não existe racismo. O maior aliado desse discurso é o silêncio sobre este tema. Mais ridículo ainda são algumas pessoas que se dizem negras e falam que a busca por reconhecimento é dar uma de coitado e não ter sua cidadania e cultura reconhecidas. Acreditar que vivemos numa sociedade "color blind" faz parte do imaginário colonizado pelo ideário eurocentrado.

  19. Didy Postado em 04/Jan/2012 às 00:49

    Acho que correndo por fora da discussão sobre racismo, há no texto uma grave incitação à violência, que independente da cor, ensinar que bater, bater e bater resolve o problema não é nada agregador para uma sociedade que clama por paz!!!

  20. Maria Lucia Postado em 14/Mar/2012 às 14:49

    Nao.nao foi o Governo diretamente quem fez o material porém o governo é responsável pela formação deste professor e pela visão que ele tem de que, a cor preto tem que ser o vilão da história sem conseguir refletir que instiga isso em seu aluno. Esse fato nos leva a reflexão não só do racismo enraizado mas da qualidade da formação que o Governo oferece. pS sou professora da rede publica

  21. Everson Merino da Silva Postado em 14/Mar/2012 às 15:27

    É claro que a responsabilidade é do governo, pois foi ele quem contratou os organizadores e idealizadores do material, como se trata de material de propriedade intelectual nem deve ter havido licitação, nesse caso a culpa é sim do governador, pois permitiu que uma ou mais pessoas publicassem esse absurdo em nome do seu governo. Em útima instância é o Alkimim que escolhe as pessoas que aprovaram tal material, pois não é ele quem contrata seus funcionários de chefia na educação, como por exemplo o Secretário de Estado?

  22. eder Postado em 15/Mar/2012 às 00:38

    concordo com TheDarkLord vcs etão viajando na batatinha sem falar nos falsos moralistas que eu pude perceber nos coments!!!

  23. Flávio Prieto Postado em 15/Mar/2012 às 02:15

    Houve racismo, provavelmente, por parte de quem criou o texto e de quem autorizou sua distribuição na referida escola. O texto é ambíguo mas denota claramente essa possibilidade. No entanto, isso não faz de todos os demais brasileiros que não são racistas 'habitantes de um país racista'. O racismo ainda é praticado por uma minoria, assim como a intolerância contra os deficientes, gays, idosos, etc. Isso não nos torna um país homófobo ou desumano, na totalidade.

  24. ELVECIO Postado em 15/Mar/2012 às 07:06

    O PRECONCEITO ESTÁ NOS OLHOS DE QUEM VÊ E NO CORAÇÃO DE QUEM SENT... SE VC ESTIVER ARMADO CONTRA A COR PRETA, TUDO Q SE RELACIONAR A ELA SERÁ OFENSIVO E PQ NINGUEM SE OFENDE SE FOR CHAMADO DE LARANJA, AZUL, VERDE OU OUTRA COR AMARELO E VERMELHO DO ASIÁTICO E DO ÍNDIO? HIPOCRISIA MAIOR É FALAR Q É CONTRA O PRECONCEITO E VC ESTÁ SENDO PRECONCEITUOSO CONTRA O Q VC MESMO DEFENDE...O PRECONCEITO É INERENTE AO SER HUMANO. SE VC ESTÁ NUMA COMUNIDADE NEGRA E VC NÃO É NEGRO, VC SERÁ DIFERENTE DA MAIORIA ALI TB, ENTRE OS ÍNDIOS TB E ASSIM ONDE QUER Q VC VÁ TEM Q APRENDER A CONVIVER C ISSO PQ O QUE SERIA DO PRETO SE NÃO EXISTISSE O BRANCO OU VICE VERSA?

  25. Drika de Jesus² Postado em 15/Mar/2012 às 11:38

    Como saber se este processo é verdadeiro? Pesquisei na net e não achei-o. Alguém pode publicar o nº do processo, vara, juiz e etc? E o nome do livro ou cartilha e autor? Mas, que o texto incita o racismo e a violência, isto #éfato !!!!

    • Luis Soares Postado em 15/Mar/2012 às 12:05

      Informações adicionais: O governo paulista foi condenado por disseminar o medo e a discriminação racial dentro de sala de aula. A decisão é do Tribunal de Justiça que deu uma “dura” no poder público e condenou o Estado a pagar indenização de R$ 54 mil a uma família negra. De acordo com a corte de Justiça, a escola deve ser um ambiente de pluralidade e não de intolerância racial. O Estado quedou-se calado e não recorreu da decisão como é comum em processos sobre dano moral. O juiz Marcos de Lima Porta, da 5ª Vara da Fazenda Pública, a quem cabe efetivar a decisão judicial e garantir o pagamento da indenização, deu prazo até 5 de abril para que o Estado dê início à execução da sentença. O caso ocorreu na capital do Estado mais rico da Federação e num país que preza o Estado Democrático de Direito instituído há quase 24 anos pela Constituição Federal de 1988. Uma professora da 2ª série do ensino fundamental, de uma escola estadual pública, distribuiu material pedagógico supostamente discriminatório em relação aos negros. De acordo com a decisão, a linguagem e conteúdo usados no texto são de discriminatórias e de mau gosto. Na redação – com o título “Uma família diferente” – lê-se: Era uma vez uma família que existia lá no céu. O pai era o sol, a mãe era a lua e os filhinhos eram as estrelas. Os avós eram os cometas e o irmão mais velho era o planeta terra. Um dia apareceu um demônio que era o buraco negro. O sol e as estrelinhas pegaram o buraco negro e bateram, bateram nele. O buraco negro foi embora e a família viveu feliz. O exercício de sala de aula mandava o aluno criar um novo texto e inventar uma família, além de desenhar essa “família diferente”. Um dos textos apresentados ao processo foi escrito pela aluna Bianca, de sete anos. Chamava-se “Uma Família colorida” e foi assim descrito: “Era uma vez uma família colorida. A mãe era a vermelha, o pai era o azul e os filhinhos eram o rosa. Havia um homem mau que era o preto. Um dia, o preto decidiu ir lá na casa colorida.Quando chegou lá, ele tentou roubar os rosinhas, mas aí apareceu o poderoso azul e chamou a família inteira para ajudar a bater no preto. O preto disse: - Não me batam, eu juro que nunca mais vou me atrever a colocar os pés aqui. Eu juro. E assim o azul soltou o preto e a família viveu feliz para sempre”. A indenização, que terá de sair dos cofres públicos, havia sido estabelecida na primeira instância em R$ 10,2 mil para os pais do garoto e de R$ 5,1 mil para a criança, foi reformada. Por entender que o fato era “absolutamente grave”, o Tribunal paulista aumentou o valor do dano moral para R$ 54 mil – sendo R$ 27 mil para os pais e o mesmo montante para a criança. De acordo com a 7ª Câmara de Direito Público, no caso levado ao Judiciário, o Estado paulista afrontou o princípio constitucional de repúdio ao racismo, de eliminação da discriminação racial, além de malferir os princípios constitucionais da igualdade e da dignidade da pessoa humana. “Sem qualquer juízo sobre a existência de dolo ou má-fé, custa a crer que educadores do Estado de São Paulo, a quem se encarrega da formação espiritual e ética de milhares de crianças e futuros cidadãos, tenham permitido que se fizesse circular no ambiente pedagógico, que deve ser de promoção da igualdade e da dignidade humana, material de clara natureza preconceituosa, de modo a induzir, como induziu, basta ver o texto da pequena Bianca o medo e a discriminação em relação aos negros, reforçando, ainda mais, o sentimento de exclusão em relação aos diferentes”, afirmou o relator do recurso, desembargador Magalhães Coelho. Segundo o relator, a discriminação racial está latente, “invisível muitas vezes aos olhares menos críticos e sensíveis”. De acordo com o desembargador Magalhães Coelho, o racismo está, sobretudo, na imagem estereotipada do negro na literatura escolar, onde não é cidadão, não tem história, nem heróis. Para o relator, ao contrário, é mau, violento, criminoso e está sempre em situações subalternas. “Não é por outra razão que o texto referido nos autos induz as crianças, inocentes que são, à reprodução do discurso e das práticas discriminatórias”, afirmou Magalhães Coelho. “Não é a toa que o céu tem o sol, a lua, as estrelas e o buraco negro, que é o vilão da narrativa, nem que há “azuis poderosos”, “rosas delicados” e “pretos” agressores e ladrões”, completou. O desembargador destacou que existe um passado no país que não é valorizado, que não está nos livros e, muito menos, se aprende nas escolas. “Antes ao contrário, a pretexto de uma certa “democracia racial”, esconde-se a realidade cruel da discriminação, tão velada quanto violenta”, disse. Segundo Magalhães Coelho, na abstração dos conceitos, o negro, o preto, o judeu, o árabe, o nordestino são apenas adjetivos qualificativos da raça, cor ou região, sem qualquer conotação pejorativa. “Há na ideologia dominante, falada pelo direito e seus agentes, uma enorme dificuldade em se admitir que há no Brasil, sim, resquícios de uma sociedade escravocrata e racista, cuja raiz se encontra nos processos históricos de exploração econômica, cujas estratégias de dominação incluem a supressão da história das classes oprimidas, na qual estão a maioria esmagadora dos negros brasileiros”, reconheceu e concluiu o desembargador.

  26. Vivi Postado em 03/Apr/2012 às 06:51

    Por que não foi um dos cometas o vilão? Por que não foi a cor laranja, branca, lilás a representação da cor ruim? A questão não está na existencia ou não do buraco negro ou da cor preta e sim no uso dela, dentre tantas opções, para em dois textos seguidos, representar a maldade, o vilão... Além de nos dois textos haver estímulo à violencia, pois nos dois as coisas foram "resolvidas" no tapa. Quem é o responsavel direto? A secretaria de educação do Estado, seus funcionarios sabem (ou pelo menos deveriam saber) o conteúdo distribuido para os alunos que ficam sob sua responsabilidade. E, indiretamente, o governo do Estado e seu governador, afinal ele que nomeou o secretario. A ideia falsa de que não há racismo é que dá mais terreno para que ele floresça e continue nestes meandros e fique subliminar, indireto, encoberto.... Temos que lutar muito contra o racismo

  27. Iva Postado em 05/Apr/2012 às 07:07

    Gente do céu, não sei o que é pior, a cor dos vilões ou a incitação à violência...

  28. Nelson Simplicio Postado em 27/May/2013 às 18:51

    Ato de racismo é ignorancia. somos um todo, o povo de Deus . Fico muito chateado sempre, a vida inteira falar sobre racismo, e isto nunca termina.. lamentaveL.. O povo de DEUS nao tem COR...

  29. Norma Marques Postado em 04/Jun/2013 às 10:40

    Além de tudo, os textos são horrorosos. Quem gosta de ler texto assim??? Nada interessante, sem narrativa....Afff

  30. fernanda Postado em 16/Jul/2013 às 23:12

    Mas que professor consegue produzir uma coisa dessas??? Sim, imagino que quem trabalha nestes setores que produzem material didáticco, sejam , pelo menos pessoas com formação pedagógica. Imginem o nível cultural dessas pessoas, isso prova que o estado de São Paulo, realmente, não está nem aí pra qualidade do ensino, prova disso temos visto bastante nos noticiários de greves e salários baixos, além de insegurança funcional através de contratos que terminam quando chegam as férias.

  31. Edvaldo Postado em 17/Jul/2013 às 09:10

    Fico abismado com a hipocrisia de alguns. Quando convêm o significado da palavra, nesse caso "Preto", não tem significado algum. Mas como não ser pejorativo? Como podemos não considerar um texto como esse racista? Se o próprio dicionário da língua portuguesa, que digamos de passagem a pouco tempos atrás foi corrigido, manteve e inalterado o significado da mesma palavra Preto como: Difícil, lúgubre, funesto, encardido, em má situação, entre vários outros tão pejorativos quantos estes. Como não considerar racismo, se há termos, como a palavra "Denegrir (tornar negro)" quando se faz algo ruim é utilizado. Como? Como você explica para uma criança que tem acesso a um livro desse que ele não esta inserido nesse contexto. O mesmo Estado que tenta a todo custo nos convencer que não existe racismo, é o mesmo Estado que permite o genocídio de jovens e de boa parte da população negra nas periferias, é o mesmo Estado que tolera a existência de grupo de intolerância como Skin Heads, White Power's e por ai vai. Então pergunto. Será que somos nós os racistas? Será mesmo que temos que tolerar, em pleno século XXI esse tipo de tratamento?

  32. Gustavo Postado em 17/Jul/2013 às 11:18

    Para mim, racismo é exclusivamente quando é falado algo diretamente sobre alguém ou sobre a etnia. Qualquer referência que as pessoas ficam tentando tirar preconceito subliminar é totalmente absurdo. Primeiramente, é bastante claro que o texto não faz relação com cores normais de pele, utiliza cores variadas. Então a análise a ser utilizada deve ser a das cores, e não dos tons de pele. A escolha da cor preta para fazer o papel de um vilão é perfeitamente normal, e facilmente justificável sem remeter ao racismo. O exemplo mais claro que existe entre bem e mau é a disputa luz x trevas. É uma dupla frequente na bíblia, frequente em livros de ficção, frequente em filmes... pode estar presente em qualquer tipo de conteúdo que possa fazer a relação entre bem e mau. Não só em obras, também é algo do nosso dia a dia. Na luz, o ser humano se sente confortável, confiante, e no escuro, surge o medo e a apreensão, pois não se sabe o que pode estar escondido nas sombras. Sob esses conceitos, a associação com cores é óbvia. O lado bom, ou a luz, é representada normalmente pelo branco (cor básica da luz), amarelo (cor da luz do sol ou do fogo) ou azul (cor do céu, origem da luz natural). Já a escuridão, é o preto, a ausência de luz. Preto equivalente a sombras, escuridão, trevas... OU SEJA, não precisa de relação alguma com a cor da pele do homem para que se encontre outras referências COMUNS e ACEITAS pelo homem sobre a simbologia da cor preta (importante ressaltar este aceite do homem, pois muitas pessoas que lutam contra o racismo adotam normalmente o conceito das trevas como equivalência do mau).

  33. Humberto Mauro Postado em 17/Jul/2013 às 18:42

    Até eu que sou preconceituoso em algumas coisas achei um absurdo racista esse exercicio

  34. João Meurer Postado em 17/Jul/2013 às 19:39

    Não sabia que, agora, a cor preta significa "raça". Poderia usar, talvez, uma cor de vestimenta. Além da pobreza do texto. Infelizmente como professor digo, o material é MUITO POBRE DE CONTEÚDO, é desanimador ter de trabalhar com ele.

  35. Cassiano Postado em 17/Jul/2013 às 20:34

    "O negro não é amarelo nem rosa e sim preto, então citações como essa são racistas sim." Perfeito. Comparar com Star Wars é sacanagem. Completamente anacrônico e fora de contexto. E aos que alegaram que não é obrigação do governador conhecer o material completo produzido, chamo a atenção para que o processo foi sobre o partido, não uma pessoa. Isso inclui toda a máquina de governo, inclusive os responsáveis pela avaliação e fiscalização do material. As escolas estaduais, inclusive o material utilizado, são de responsabilidade do governo atual, sem isenção.

  36. Felipe Postado em 18/Jul/2013 às 00:05

    Concordo com o Elvécio em comentário acima! É triste ver como o povo mesmo se descrimina! Poderia ser o azul o ladrão, o branco, o verde! Acho que é muita gente atoa, tirando vantagem partidária! Tanta coisa pior a se preocupar! Triste!

  37. Alexandra Postado em 18/Jul/2013 às 01:17

    Sem esses textos as crianças negras já são descriminadas na escola...com esses texto ai que fica pior!! só acha normal, aquele que nunca sofreu descriminação, por não saber,como doe profundamente o racismo!! eu já sofri na pele, então sei muito bem o quanto é triste,a ponto de não querer um filho negro, para ele não sofrer como eu sofri...doí na alma!!quando cresci entendi melhor, lidar com o preconceito, mas quando era criança era muito pesado para mim!!

  38. Descolonizarnossasmentes Postado em 18/Jul/2013 às 08:29

    É como venho dizendo, pessoas estudem, por favor. A ignorância agrava o racismo e o preconceito. Explicar as coisas pelo senso comum não cola mais. Agradeço às pessoas politizadas e bem informadas que deixaram aqui argumentações pontuais sobre a questão, infelizmente tem gente que não vê nada de mais, ainda delira com o Brasil do racismo cordial, sinto muito por avisar, mas a inocência já foi tarde. E ainda pensam que ofender com sarcasmo é argumento. E aos negros que não enxergam nada de mais, por favor, #descolonizar vossas mentes.

  39. Soraia Postado em 18/Jul/2013 às 11:31

    Eu li os textos e não vi nada de racismo....Em primeiro lugar já vou avisando que sou negra e que meu paizinho de tão negro que é chega a ser azul,alias um beijo pro meu negão que amo de paixão.......Sinceramente eu acho lamentável as pessoas enxergarem racismo em tudo,os textos referidos,não falam em raça e sim em cor...Se o Homem preto do texto fosse branco não teria nenhuma polemica ,porque se referir a uma pessoa de pele escura como preto não pode,porque é racismo..Mas se referir a uma pessoa de pele clara como branco,aí ta tudo bem.....Acho tudo isso uma grande hipocrisia .Não estou dizendo que o nosso país não é preconceituoso,é SIM,mas o preconceito está em não dar uma vaga de trabalho a uma pessoa por ela ser,negra,obesa,homossexual entre outras coisas...No mais, vamos cobrar de nossas autoridades o que nos é devido,por exemplo o repasse dos impostos que pagamos.Vamos nos preocupar com o que realmente faz diferença...Eu me preocupo muito mais no sentido da violência,pois o texto cita bater no homem preto e independente de cor ou raça ensinar que bater resolve os problemas é uma grande ignorância...

  40. vamoacordápravida Postado em 19/Jul/2013 às 12:30

    A mãe era vermelha, o pai azul, os filhinhos rosa... é difamação!!! Pois, se os filhos são rosa, eles teriam que ser filhos de vermelha e branco (vermelho + branco=rosa. Mas o pai é azul) Aliás, nunca conheci pessoas dessas cores. Já ouvi dizer que tem cadáveres que chegam a ficar azulados. Será que a intenção seria dizer que o cara, além de corno, estava morto? Ou então, quis dizer que pais de família são seres alienígenas? Ah... sabe-se lá quantos outros preconceitos subliminares estão ocultos aí, né? E também acho que, quando uma criança pensa em estrela e lua e etc... se ela for imaginar alguma ameaça a isso, é normal que pense em um dos buracos negros (realmente, devemos exigir que esse nome seja modificado, assim os afrodescendentes serão, "com certeza", muito mais valorizados aqui na Terra) Concordo com TheDarkLord: os negros não precisam ser "defendidos" o tempo todo, não. Quem fica fazendo essa patrulha do "politicamente correto" o tempo todo é que está sendo preconceituoso, pois consegue ver chifre em cabeça de cavalo.

  41. Paulo Postado em 19/Jul/2013 às 12:44

    "Rodrigo, em 14 de setembro de 2011 às 0:37 disse: Acho muito engraçado a cegueira proposital de algumas pessoas, vcs acham mesmo que o governador determina que texto como esse sejam colocados em livros escolares a fim de promover racismo? Algo assim seria o mesmo que afirmar que a corrupção que se alastra no governo federal é orquestrada pela presidente Dilma." De fato, é impossível que o governador saiba e aprove o conteúdo do material. Ele tem total noção de que será um suicídio político. Mas há uma cegueira chamada obviedade. Precisamos ver além do óbvio. Essa notícia evidencia o nível conhecimento daqueles que assessoram o governador. É certo que o material não foi desenvolvido por profissionais gabaritados, com formação adequada e excepcional, ou seja, foi confiado um cargo técnico para um qualquer. Certamente esse qualquer é uma "dívida" política, alguém que deve ocupar algum lugar no governo, troca de favores. Quando um governo se sujeita a isso, ele é responsável sim pelas cagadas. Isso demonstra a seriedade do seu governo, principalmente na tão sofrível e sucateada educação que sempre teve prioridade no discurso eleitoral, nunca na prática.

  42. Regina Postado em 19/Jul/2013 às 16:22

    Absurdo!! E o dinheiro do pagamento das tais indenizações saem de onde? Dos impostos que pagamos... Mas é muito triste ler e saber que tem pessoas (me parecem jovens), que são tão ignorantes, não sabem distinguir classes sociais, desigualdades e falta de oportunidades mais iguais! Tudo que é mais escuro é ruim, tenho certeza que se as histórias fossem escritas diferentes "que o buraco branco.., que o homem branco.. " se estes fossem os maus teríamos comentários e defesas em nº muito maior.Quantos médicos negros, quantos governadores, presidentes, sala de aula com maior nº de alunos negros?Super heróis e heróis, somente Zumbi dos Palmares, vcs conhecem a história de lutas dos negros, da África

  43. Cintia Postado em 19/Jul/2013 às 18:10

    tjschneider, não concordo com o q vc disse. o preconceito, o racismo estaz infelizmente, presente em todas as classes sociais. dizer q na comunidades e bairros pobres não existe preconceito e mentira! to cansada de ouvir brancos pobres, de origem "humilde", se julgarem superiores pela cor da pele q tem. Não e por aí!

  44. Clayton Postado em 19/Jul/2013 às 19:59

    O único problema que vejo nesse texto é a má elaboração e pobreza, agora ligar a cor preta aos afro-descendentes é piada. O pior é que quem tem que ser responsabilizado é uma pessoa que nem sabia da existência dessa pobreza textual que estão utilizando em sala de aula. Deviam protestar contra o texto, mas fazer essa viagem é algo mais infantil ainda. O nível de inteligência emocional das pessoas está bem baixo e teremos que pisar em ovos se queremos trabalhar na educação daqui por diante. O considerado "ofendido" se deu bem com uma indenização gorda do Estado, que a propósito sairá do bolso do trabalhador e não do responsável. Pra mim isso é uma verdadeira ofensa. Se querem pegar alguém, corram atrás do responsável e não do dinheiro público. Brasil um país de malandros!!!

  45. Silvio Pennone Postado em 22/Jul/2013 às 21:05

    Não ficou claro para mim se o material distribuído foi criado pelo Estado ou pela própria professora.

  46. Glaucco Maselli Postado em 23/Jul/2013 às 03:20

    Acompanhando o texto companheiro, vejo que ele foi muito imaginativamente mal trabalhado. mas de qualquer forma acho um absurdo isso ainda, depois de ter lido ver como uma forma de racismo. O Racismo é de quem vê, de quem sente. se a coordenadora pedagógica fosse decente, tivesse estudado mais, ou motivada com um salário decente. Ela simplesmente iria aproveitar o texto para desenvolver entre os alunos exatamente uma cultura igualitária e não fascista. só é uma questão de ponto de vista.

  47. John Postado em 23/Jul/2013 às 12:58

    O texto diz que havia um homem mau que era preto, o que as pessoas querem mais para que seja caracterizado o racismo, que desenhem? Que façam uma iliustração mostrando o homem preto (se é que não tem)? Façam-me o favor....

O e-mail não será publicado.