Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Contra o Preconceito 03/Aug/2011 às 21:33
11
Comentários

Criança abandona escola em SP após ser discriminado por gostar de rock

Depois do episódio, Marcelo fica em casa, enquanto a mãe procura uma nova escola. A família vai processar a escola.

criança rock preconceito

Marcelo, 8 anos, é fã de Ozzy Osbourne e Iron Maiden

O primeiro dia de aula do garoto Marcelo Corrêa Carvalho, 8, no colégio Ponto Alfa, em São José do Rio Preto (438 km de São Paulo) foi também o último. Seus pais decidiram mudar o menino de escola depois de ele ser repreendido pela diretora por gostar de rock. Marcelo é fã das bandas como Iron Maiden e roqueiros como Ozzy Osbourne.

Tudo começou porque Marcelo começou a batucar na carteira como se estivesse tocando bateria. A professora não gostou e o mandou para a diretoria. Lá, a diretora Ana Maria Fernandes questionou seu comportamento e suas escolhas.

O menino teria dito a ela que quer ser guitarrista e que sonha em tocar com o Iron Maiden. A diretora mostrou imagens de capas de CDs das bandas, na tela do computador, e o alertou que “todas fazem referência ao demônio, com imagens satânicas e que lembram a morte”.

“Eu quis despertar nele uma reflexão para a realidade. Esse é meu trabalho, e as letras que ele ouve fazem alusão à besta, ao demônio. Não têm mensagem positiva”, disse a diretora Ana Maria.

Leia mais

Nara Corrêa Carvalho, 26, mãe do garoto, diz que ele voltou para casa apavorado com o que viu na sala da diretora. Segundo Nara, Marcelo contou que a diretora lhe mostrou imagens de demônios e disse que os roqueiros fazem rituais satânicos. “Ela disse que eles sacrificam animais, cortam as cabeças e que têm pacto com o demônio. Ele ficou apavorado.”

Ana relatou que queria ajudar o garoto e a família, que, de acordo com ela, não tem consciência do que dizem as letras das músicas que o menino ouve. “Eu conversei três horas e meia com Marcelo. Ele é agressivo, e isso se deve a esse hábito de ouvir essas músicas que estimulam a violência.”

O colégio Ponto Alfa é uma escola particular de ensino fundamental com apenas 15 alunos por sala de aula e atende a várias crianças consideradas “difíceis”. Todas as salas são monitoradas por câmeras. A diretora informou que vai colocar no Facebook as imagens do menino em sala de aula para provar o que se passou na escola e de que forma ele foi tratado.

A família de Marcelo mudou-se para São José do Rio Preto há 15 dias. A mãe, Nara Corrêa Carvalho, 26, é comissária de bordo e tem dois filhos: Marcelo e uma menina de cinco anos. Ela decidiu voltar para Rio Preto, onde moram seus pais. “Meu filho ficou traumatizado, mas não vai deixar de seguir sua vocação, que é a música”, disse ela.

Marcelo é fã dos Beatles e do The Who desde os dois anos, mas hoje prefere Iran Maiden e Ozzy Osbourne. É um garoto considerado superdotado, segundo ela. “Ele tem grandes habilidades, pertence ao grupo dos supertalentosos para a música, matemática e derivados”, afirmou Nara. A diretora confirmou ser perceptível que o menino tem grau de inteligência acima da média.

Depois do episódio, Marcelo fica em casa, enquanto a mãe procura uma nova escola. A família vai processar a escola. O caso está protocolado no Conselho Tutelar Sul de São José do Rio Preto, que deve apresentar a denúncia ao Ministério Público da Educação.

“Essa pessoa tem que entender que as crenças dela não podem interferir na educação das crianças”, disse Nara, mãe de Marcelo. A diretora Ana Fernandes informou que não tem religião, é uma pessoa cristã e lê apenas a Bíblia.

Agências

Recomendados para você

Comentários

  1. ANGENIRA LENNON Postado em 04/Aug/2011 às 10:14

    A pior ignorância de um ser é não conhecer o que faz o outro feliz!!!!! Não mato animais, não cultuo satã, não uso drogas , mas amoOOOOOOOO ROCK'N'ROLL ...... LONG LIVE ROCK'N''ROLL......réquiem aos ignorantes de plantão!!!!! Yeahhhhhhhhhhhhhhhhh
    Marcelo .....você é um privilegiado, de bom gosto e tenho certeza que é muito sensivel e inteligente!!!!! Seja muito feliz querido! Beatle-Beijão!!!!!

  2. Luis Soares Postado em 04/Aug/2011 às 13:26

    Incrível com o estado laico está mais distante da realidade prática que o estado teocrático no Brasil. A diretora da escola, na escola, refletindo extremismo religioso.

  3. @bruhfiotinho Postado em 04/Aug/2011 às 15:15

    Ah ninguem merece... Ah Diretora nao sabe o que fala, o que tem o garoto ouvir Rock ?... Eu escuto Rock e ninguem foi contra isso, apenas algumas pessoas que me descriminaram como eu ser um negro e escutar Rock... Mais nao foi por isso que deixei de escutar...
    ENTAO VIVA AO ROCK N` ROLL

  4. ErickFolla Postado em 04/Aug/2011 às 23:28

    Ignorancia pura tentei achar o perfil dessa diretora no orkut pra dizer umas verdades a ela mas não achei, recriminar uma criança por que ela curti uma determinada banda sem o coonceito dos pais é uma patifaria total, o que será que ela tem a dizer de quem escuta funk será que ela recrimina também?

  5. eumesma.com Postado em 05/Aug/2011 às 14:54

    Sou de família católica e mesmo assim cresci escutando rock'n roll!!! Ninguém da minha família tem pacto com demônio, são todos pessoas de Deus, do bem... É muita ignorância... é um absurdo essa diretorazinha de meia tigela aí achar que pode discriminar uma criança pelo gosto musical!! Então quer dizer que se o Marcelo estivesse escutando o funk das popozudas ou hiphop e afins que fazem apologia à criminalidade, sexo e drogas, seria algo normal e aceitável?? Porque é exatamente o que rola por aí nas ruas brasileiras, infelizmente! A cultura do nosso país está decaindo cada vez mais e os conceitos de bom e ruim estão muito deturpados!! Agradeço meu pai, minha mãe e meus irmãos mais velhos que me influenciaram a ouvir e gostar de rock desde pequena, pq independente de quaisquer coisas, me ensinaram a ter caráter, dignidade, respeito e ser boa, do bem!!!

  6. Priscila P Postado em 23/May/2012 às 02:35

    Ñ discordo e nem concordo em 100% com a diretora. Mas acho que ela tem sim pelo menos um pouco de ignorância. Talvez tbém é radical. Ao invés de ajudar, conversar com os pais, já foi aterrorizando o garoto.Concordo que uma criança pode sim ouvir Iron Maiden e Ozzy, mas o problema é virar fã, ter obsessão.Devemos em todas faixas de idade ter discernimento pra muitas coisa. Os pais devem impor limites pra tudo, ex video-games, tv etc. Sou fã (ñ fanatica) sim de rock. Ouço muito rock pesado. Mas mesmo assim sou do bem,ñ invejo ninguém, ~m desejo e nem faço o mal, sou muito calma, minha fé é evangelica, ñ simpatizo, nem aceito religiões que tem satanismo e sacrificio de animais etc. Claro que um evangelico fervoroso só ouve ou mais ouve o estilo gospel, mas sinceramente dentro de mim rock nenhum tirou minha vontade de ouvir musica evangelica. A música é uma arte incrivel, que te prende ou te atrai sem vcê concordar com a mensagem dela. Conheço pessoas do mal, invejosas, desonestas, de má índole, que com 5 segundos de musica cristã ficam extremamente irritadas, já fiquei sabendo de casos de crianças expulsas de escolas, e mesmo assim TODA ESSA GENTE Ñ SIMPATIZA NADA COM QUALQUER TIPO DE ROCK, ALGUMAS ATÉ Ñ SUPORTAM ROCK.

  7. Thiago Postado em 13/Jul/2012 às 12:29

    Quase um ano depois, e ainda considero essa diretora uma energúmena de alto calibre.

  8. Marcos Postado em 25/Aug/2013 às 21:46

    Se fosse funk nada ocorria, por sinal o funk a expressão máxima da decadência musical humana, o verdadeiro abismo do fundo do poço humano, algo que me faz ter saudade de coisas como pagode entre outras coisas que pelo menos podem ser consideradas musicas, uma aberração sonora cujas letras fazem referencia a pedofilia, drogas, crimes entre outros coisas infestam o Brasil a professora é contra o Rock? Sinceramente que país é esse.

  9. Ana Fontenele Postado em 10/Jan/2014 às 06:43

    "A diretora Ana Fernandes informou que não tem religião, é uma pessoa cristã e lê apenas a Bíblia." o.O

  10. eu daqui Postado em 20/Jan/2014 às 14:16

    'CRISTÃ QUE LÊ A BÍBLIA" MAS NÃO TEM RELIGIÃO. Se imbecil não tem religião tem o quê? Inteligencia é que essa palhaça não tem, do contrário, reconheceria a dos outros. O simples fato de crer em deus, de ser teísta, com ou sem bíblia, já é ter religião sim. Pois o teísmo, mono ou poli, é criação das religiões, sim! Só quem pode dizer que não tem religião é ateista e agnóstico. Pois qualquer espécie de teísmo é parte tão integrante de uma doutrina religiosa como crenças, mandamentos, preceitos, rituais e outros banditismos. Todos inventados para uso como ferramenta de dominação, SIM !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!