Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Política 03/Jun/2011 às 15:24
2
Comentários

PV e PSDB se reuniram secretamente antes das eleições, revela deputado

Olho no olho: José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV)
Às vésperas da campanha de 2010, a presidenciável Marina Silva (PV) enviou aliados para um encontro sigiloso com o candidato José Serra (PSDB) no apartamento do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em Higienópolis, na capital paulista.
A “reunião secreta” (expressão do autor) é revelada no livro “O Efeito Marina”, do deputado Alfredo Sirkis (PV-RJ). A obra foi obtida em primeira mão pela Folha.
Mantida em segredo até hoje, a conversa na casa de FHC ocorreu em fevereiro de 2010, quando os tucanos ainda sonhavam com a possibilidade de Marina ocupar a vice na chapa de Serra.
Procurado, o tucano não quis se manifestar sobre o episódio.
Em seu relato, Sirkis diz que o encontro teve outro motivo: negociar o palanque duplo de Fernando Gabeira (PV), apoiado pelos dois presidenciáveis em sua candidatura ao governo do Rio.

SUSPEITA DE GRAMPO

O livro revela que Serra, ainda à frente do governo de São Paulo, acreditava estar grampeado em plena pré-campanha ao Planalto.
“Serra chegou à reunião muito desconfiado. Deixou seu celular em outro quarto, alegando que havia grampos capazes de monitorar conversas até por aparelhos desligados”, conta Sirkis.
O deputado diz que o tucano começou a conversa “meio tenso”, mas “relaxou” com ajuda da “contagiante simpatia” do anfitrião.
Ao fim da reunião, Serra levou Sirkis para jantar no Palácio dos Bandeirantes.
“Não falamos mais sobre a campanha eleitoral, mas sobre questões de gestão pública e lembranças dos tempos da ditadura e do exílio”, conta o deputado no livro.
Coordenador da pré-campanha de Marina, o verde revela que também foi a Belo Horizonte para uma reunião com o então governador de Minas Gerais, Aécio Neves.
Eles negociaram o lançamento de um candidato próprio do PV, que apoiava os tucanos no Estado. Em troca, os verdes apoiaram o tucano na corrida ao Senado.

_

O livro de Sirkis conta outros bastidores da candidatura de Marina.
Com informações da Folha de S.Paulo

Comentários

  1. Professor Eduardo Lima Postado em 03/Jun/2011 às 19:03

    É chato ver um homem como Sirkis que já teve coragem de pegar em armas para lutar contra a ditadura se aliar à direita reacionária que Serra representa. Mas são coisas da política.

  2. idiarte Postado em 04/Jun/2011 às 00:24

    O que não faz o rancor da Marina Silva? Cogitou se aliar com JOSÉ SERRA por ter sido preterida como candidata à presidente do PT. Isso apenas prova que Lula estava certo ao não escolher essa mosca morta como representante do governo mais exitoso da História do Brasil.

O e-mail não será publicado.