Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Política 09/Jun/2011 às 23:09
0
Comentários

Imagens: O sofrimento do povo Líbio com a guerra da OTAN

Razan, de 5 anos, mora em uma escola com os pais, a irmã e a avó de 76 anos, diabética. A casa da família foi destruída por um missil da OTAN
Milhares de pessoas permanecem deslocadas no leste da Líbia como resultado do conflito que eclodiu em meados de fevereiro entre as forças do governo e da oposição. A maioria das pessoas está vivendo com com famílias líbias, em prédios vazios ou em escolas. 
Leia mais:
Outras pessoas assistidas pelo ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados), como refugiados e requerentes de asilo, fugiram das zonas de conflito, como a cidade de Misrata, para locais mais seguros. Eles esperam voltar para suas casas, na Líbia, serem reassentados para um outro país terceiro, ou voltarem a seus países de origem. Helene Caux, fotógrafa do ACNUR, registrou a situação das pessoas deslocadas internamente (PDI), os refugiados e migrantes em Misrata, Bengazi e Tobruk. 
Morador de Ajdabiya mostra a filha, ao lado da cunhada. Eles abandonaram a cidade por causa dos bombardeios e agora estão em Tobruk.
Civis caminham pela rua em Misrata. A cidade, controlada por Rebeldes desde o dia 18 de março, viu milhares de cidadãos fugirem para bengazi e outras localidades.
Civil líbio é atendido por médicos e enfermeiros em barco que levou 600 passageiros de Misrata para Bengazi
Muitas crianças em Misrata presenciaram bombardeios aéreos e algumas tiveram as casas destruídas ou perderam parentes. Essa realidade é refletida nos desenhos.
Essa refugiada iraquiana foi trazida de Misrata com uma gravidez avançada. As contrações começaram no barco e ela foi levada às pressas ao hospital de Tobruk, onde deu a luz a um menino, Yassef
Agências Internacionais e Opera Mundi

Comentários

O e-mail não será publicado.