Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Política 13/May/2011 às 15:05
2
Comentários

Primeiro beijo gay da tv brasileira é exibido no SBT

Audiência da trama duplicou com a exibição do beijo
O alarde não foi à toa. Desde antes do lançamento de Amor e Revolução — novela que relembra os porões ditatoriais brasileiros —, o SBT fazia campanha pelo que seria o primeiro beijo gay em uma telenovela nacional. A estratégia deu certo.
Nesta quinta-feira (12), as personagens Marcela (Luciana Vendramini) e Marina (Giselle Tigre) protagonizaram a cena histórica e alavancaram a audiência de Amor e Revolução. Com a exibição do inédito beijo gay, a novela não apenas dobrou de audiência como também ajudou o SBT a empatar com a Record no ibope do horário nobre. 

A trama de Tiago Santiago — que vinha com média de cinco pontos de audiência — teve pico de nove pontos. Cada ponto equivale a 58 mil domicílios na Grande SP. No total, o capítulo teve média de seis pontos e 11% de share (participação de TVs ligadas). 
Assista ao vídeo abaixo:


“Pouco depois do beijo gay 7 pontos. Primeiro momento em que empatamos com a novela da Record! Momento a ser comemorado!”, escreveu Tiago Santiago no Twitter. A cena repercutiu nas redes sociais e chegou aos Trending Topics — lista dos assuntos mais comentados no microblog.

A postura do SBT foi elogiada, mas as críticas com relação à cena em si não passaram despercebidas. O movimento em que o pé de uma das atrizes insinua excitação, como se estivesse ensaiando um tango, soou cômico e foi bastante criticado. Além disso, o fato de Marina não ser homossexual também causou estranheza em parte do público.

Houve atraso de um dia na veiculação do beijo, que estava prevista para acontecer na quarta-feira (11). A cena tinha sido notícia no dia, inclusive no telejornal da emissora, uma das atrações que antecedem a trama. Alvo de críticas da mídia e do público, o autor, Tiago Santiago, se manifestou e atribuiu o atraso à estratégia de programação para aumentar a audiência.

O beijo — primeiro entre personagens do mesmo sexo da teledramaturgia brasileira — ocorreu numa cena em que Marcela revelou para Marina estar apaixonada pela amiga. Marina disse que a advogada é muito bonita e sensual, mas que a situação é muito inesperada, embora excitante.

“Assim você me provoca”, retrucou Marcela, pouco antes da duas se beijarem. Enquanto se beijavam, Marina pediu para a amiga parar, mas Marcela disse que não queria. A jornalista falou que não sabia se a amiga teria uma chance com ela e que não gostaria de criar mais ilusões. “Admiro muito essa sua coragem, mas eu não me imagino tendo uma relação assim. Talvez seja um pouco de medo, preconceito”.

No blog da novela, Giselle Tigre falou da importância de tratar um tema como este na televisão: “Se estamos falando em liberdade cabe a cada um de nós refletirmos para aprender a conviver com as diferenças e lutar sempre pelo direito de cada um ser quem é”, afirmou.
Agências

Comentários

  1. fabyanaoliver Postado em 13/May/2011 às 17:01

    Segunda a Revista Almanaque de Cultura Popular, a primeira novela brasileira a exibir um beijo gay foi a novela "Calúnia" na extinta TV Tupi no ano de 1963. A atriz Vida Alves era a protagonista e foi dela o beijo lésbico dado na atriz Géorgia Gomide. No Golpe Militar um ano após a exibição da novela, Vida Alves foi a primeira mulher e atriz a ser presa pela Ditadura.

  2. Luis Soares Postado em 13/May/2011 às 17:05

    Interessante a informação