Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Política 09/May/2011 às 20:24
2
Comentários

Panfleto de Bolsonaro expõe fotos e ataca líderes gays

Líderes gays expostos em panfleto assinado por Jair Bolsonaro
Após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de reconhecer a união homoafetiva estável como unidade familiar, conservadores resolveram reagir. Panfletos com ataques a representantes de movimentos de defesa dos homossexuais estão sendo espalhados pela cidade de Resende, interior do Rio de Janeiro. O material é assinado pelo deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), que recentemente esteve envolvido em uma polêmica ao fazer declarações homofóbicas e racistas no humorístico CQC, da Bandeirantes. O material também está disponível no website do deputado (http://www.bolsonaro.com.br/jair/). 
Em uma das partes do panfleto, “Defensores do fundamentalismo homossexual em ação”, aparecem fotos e frases do presidente do Grupo Gay da Bahia, Luiz Mott, do presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), Toni Reis e de Beto de Jesus, integrante da executiva da entidade. O secretário de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do Ministério da Educação (MEC), André Lázaro também é mencionado em razão de um comentário dele sobre um dos vídeos que fazem parte do kit de combate à homofobia – apelidado pelos críticos de “kit gay” -, que será distribuído em escolas públicas. 
O panfleto está sendo distribuído no Rio de Janeiro e em Brasília. Alguns dos itens do Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de LGBT também são citados no material, que faz a seguinte apresentação:
– Ilustríssimos senhores e senhoras chefes de famílias. Apresento alguns dos 180 intens deste que chamo de Plano Nacional da Vergonha, onde meninos e meninas, alunos de 1 grau, serão emboscados por grupos de homossexuais fundamentalistas, levando aos nossos inocentes estudantes, a mensagem de que ser gay ou lésbica é motivo de orgulho para a família brasileira. Tirem suas conclusões sobre as absurdas propostas do Governo, algumas já em execução conforme publicações em Diário Oficial da União.
Na mesma página, em destaque, mais um “alerta”: “Querem transformar, na escola, seu filho de 6 a 8 anos em homossexual” – afirma em mais uma alusão ao kit de combate à homofobia que, segundo o MEC, será voltado exclusivamente para adolescentes.
No final do material, ao lado de uma foto do deputado Bolsonaro fardado, mais um recado:
– Com o falso discurso de combater a homofobia, o MEC em parceria com grupos LGBTs, na verdade, incentivam o homossexualismo (sic) nas escolas públicas de 1 Grau, bem como, tornam nossos filhos presas fáceis para pedófilos.
Logo depois da divulgação de que o Supremo se posicionou a favor da equiparação de relações estáveis homoafetivas a uniões estáveis heterossexuais, o parlamentar ironizou a decisão, dizedo que o próximo passo seria a legalização da pedofilia. O deputado também argumentou que a Corte Suprema extraplou sua função ao julgar tema já previsto na Constituição.
Terra Magazine

Comentários

  1. Wandyr Fortunato Postado em 04/Jan/2012 às 09:36

    O sr. Bolsonaro tenta desesperadamente incutir no povo a idéia de que a homosexualidade é condição para a pedofilia... mas não é! Seria o mesmo que dizer que ser político é condiçao para ser corrupto, ou que todo político é ladrão... apesar da grande incidência na categoria (muito maior do que entre homosexuais e pedófilos), uma coisa não justifica a outra.

  2. Pablo Vieira de Mendonça Postado em 28/Dec/2012 às 00:20

    Bolsonaro deve estar em busca de orgasmos mellhores, se é que já não faz o "fio terra".

O e-mail não será publicado.