Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Política 19/May/2011 às 18:08
2
Comentários

Globo ataca livro adotado pelo MEC e escritores riem da tese da emissora

Os escritores Marcelino Freire e Cristovão Tezza participaram nesta semana do programa “Entre aspas”, apresentado por Mônica Waldvogel na GloboNews. Com bom humor, os dois escritores rechaçaram a tese da Globo (e da velha mídia), que, a partir de trechos retirados do contexto, ataca o livro “Por uma vida melhor”, adotado pelo Ministério da Educação para turmas de jovens e adultos.
Quando a apresentadora fala em “regra errada do português”, imediatamente Tezza, professor aposentado da UFPR, a interrompe e a corrige: “Variedades não padrão”.
Mônica responde: “Estamos tucanando aqui”. Ao que Tezza rebate: “É um conceito linguístico esse. Todas as línguas do mundo funcionam assim, são variedades. […] A diferença entre dialeto e uma língua é que uma tem exército, e a outra não. É a história das línguas.”
Marcelino Freire cita o poeta Sérgio Vaz: “Quando a gente diz nós vai, é porque nós vamos”.
Tezza explica:
O ABC da velha mídia tem a ver com desonestidade e ignorância
“Quando você constrói uma gramática escrita, você escolhe formas, passa a escrever essa formas, passa a defendê-las. E elas passam a ser o certo. E aí se começa a estigmatizar o que não está daquela forma. Isso é construção histórica das línguas padrões […].
O conceito de variedade linguistica é fundamental, não há mal nenhum em mostrar aos alunos, mesmo dos primeiros anos, que a língua é um conjunto de variedades, inclusive para trabalhar com a diferença e a importância da norma culta. O que não precisa é humilhar ninguém para fazer isso.. é um processo esmagador, a escola tem muito poder, o aluno chega lá, só fala a variedade dele, o professor vai olha, você é burro, senta ali no milho… não. Vamos trabalhar de outra forma. É uma questão didática.”
“Que conselho vocês dão aos que estão tão preocupados?”, questiona a apresentadora, ao final do programa.
É a deixa para Freire arrematar:
“Vão de Adoniram Barbosa: “Arnesto nos convidou / prum samba ele mora no Brás /  Nóis fumo, num encontremo ninguém…” [mais risos]
Fonte: Site do Deputado Dr.Rosinha

Comentários

  1. kekedascully Postado em 19/May/2011 às 23:42

    Não vi e não li o livro ou o texto em questão, muito menos sei qual é sua real proposta. Seja lá como for, nada disso que é discutido no vídeo é novidade para quem está em sala de aula ministrando aulas de Língua Portuguesa, pois explicar ao aluno sobre variedade linguística faz parte do currículo escolar há muito tempo.
    O que desejo saber é como o livro expõe tal tema. Se a proposta for dizer ao aluno somente "Você pode falar em qualquer lugar e situação 'Nóis vai', 'nóis foi', 'os livro'" é enganar o aluno.
    Um dos papéis da escola é munir o aluno de conhecimentos, inclusive da própria língua. Sendo assim, digo as o meus alunos que estudarão a variedade padrão da língua, uma vez que eles em diversos momentos necessitarão usá-la. "Vocês sabem português desde sua infância" reforço. Explico que, na escola, lidarão com a norma culta que tanto é cobrada social e profissionalmente.

  2. Luis Soares Postado em 20/May/2011 às 00:35

    Olá Keke, segue abaixo um link com um resumo bastante esclarecedor:

    http://pragmatismopolitico.blogspot.com/2011/05/os-livro-maior-falsa-polemica-dos.html