Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Política 18/Jan/2011 às 04:31
5
Comentários

Como escrever uma crítica ao governo Lula

Os caluniadores não engolem o sucesso do governo Lula
É tão fácil como seguir uma receita de bolo! Um texto assim pode ser feito com o auxílio de fórmulas-padrão, como as usadas em romances policiais, telenovelas ou livros de auto-ajuda. Afinal, será um texto dirigido para um público específico e acrítico e sua função será nublar a discussão, não esclarecer.
Um intelectual reconhecido deve ser convidado a escrever (serão sempre os mesmos: F Gullar, A Jabor, M A Villa, F H Cardoso, etc.) É melhor evitar pessoas de fora de um círculo relativamente reduzido, para evitar resultados indesejáveis, mas há também economistas e jornalistas que sabem seguir a receita. (Como exemplo, entre aspas, frases de F Gullar.)

Os ingredientes básicos que devem compor o texto:

– Lembrar da ausência de educação superior formal do ex-presidente, esquecendo do seu aprendizado ao longo da atuação política (“pena que não fale tão bem português”.) Gafes devem ser ressaltadas, pontos altos (como os dois discursos em Copenhagen, em 2009) devem ser esquecidos.

– Desqualificar mudanças programáticas e políticas de Estado com impacto equivalente ao de reformas (Bolsa-Família, ProUni, Reuni, PAC, Brasil Sorridente, Minha Casa Minha Vida, Agricultura Familiar, novos mercados para exportações, salário mínimo, redução de juros, políticas anticíclicas, independência diplomática, redução de desmatamento, acesso à documentação básica, matriz energética, capitalização de estatais) atribuindo qualquer sucesso econômico ou à herança (“é só sentar-se e comer o almoço que os outros prepararam”) ou às condições internacionais, favoráveis sim, porém sabiamente aproveitadas (“a economia se expandiu e muita gente pobre melhorou de vida. …porque as condições econômicas o permitiram?…”)

– Superavaliar o Plano Real (na realidade variante de um programa corriqueiro na América Latina sob o consenso de Washington, Peru e Argentina utilizaram método semelhante para estabilizar suas moedas anos antes), que é o único cartão de visitas do governo anterior (“até a criação do Plano Real, a economia brasileira sofria de inflação crônica.”) As críticas da oposição da ocasião (Lula, PT, PDT, etc) à exacerbada (e realmente eleitoreira) taxa de juros devem ser confundidas com críticas à estabilidade monetária em si. Confundir é o que importa aqui.

– Omitir sempre o desastre econômico dos anos FHC : apenas 1 ano de crescimento (1995) a partir de utilização da capacidade ociosa (vinda da recessão 1990-1992, com Collor, e recuperação 1993-1994, com Itamar) e 8 anos de estagnação (1996-2003), nos quais a renda per capita cresceu apenas 0,5% a.a. Nunca mencionar que em 2002 a renda per capita era ainda a mesma que em 1989, ou que o desemprego e a informalidade foram recordes, pois isso tiraria qualquer brilho do neoliberalismo e privatismo adotados de 1990 a 2002 e ficaria visível que a política monetária impediu o crescimento econômico (ao contrário de outros países na mesma época.)

– Confundir popularidade efetiva (como a de Mandela ou de Roosevelt) em ambiente de plenas liberdades para críticas com popularidade induzida (como a de Médici ou dos governos estaduais paulistas recentes) em ambiente de restrição a críticas (“O presidente Emílio Garrastazu Médici também obteve, em 1974, 82% de aprovação.”)

– Publicar em algum jornal ou revista de circulação nacional, variando algumas frases, em intervalos de duas semanas até setembro de 2014.

Alguns problemas que podem surgir ao se preparar a receita:

Se fosse para a população brasileira atribuir valor ao Plano Real, ao modelo de gestão econômica do PSDB/DEM ou mesmo aos seus quadros mais expressivos (como FHC, Serra), já teria se manifestado nessa direção, nas urnas, em 2002, em 2006 ou em 2010.

Quanto mais se caminhar para o futuro, mais o acaso do sucesso relativo do Plano Real ficará distante, com o detalhe que sempre haverá o período Lula no meio.

 

Gunter Zibell

Comentários

  1. Carmen Regina Dias Postado em 18/Jan/2011 às 15:13

    Receba o beijo, na boca, desta poeta.
    Poucas vezes li algo táo maravilhoso. Inda mais sobre o Lulinha Paz AMor e
    Dignidade. Um dia diráo, como dizem de Ghandi - MahatmaLula. Mas o momento presente já será passado. Restará apenas a sua obra. Até agora magnífica.
    Se eu fosse o Mestre, diria Pai, perdoa-os, eles náo sabem o que dizem,
    o que escrevem e o que fazem, Pai. E muito agradecida por nos ter legado
    esse sujeito amigo irmáo camarada Luis Inacio Lula da Silva. Obrigada Meu Pai.

  2. Franco JR Postado em 18/Jan/2011 às 21:38

    Faz tempo que eu não leio algo tão ruim! Limitar a critica ao governo (seja lá qual for) á caluniadores é digno de gente que deixa a emoção cegar os olhos. Sua receita foi composta por ingredientes nobres, que infelizmente a miséria do bolsa familia não consegue comprar.

    “Onde não se pode criticar, todos os elogios são suspeitos.” (Ayaan Hirsi Ali)

    Ass: Um cara da zona Sul de SP (Capão Redondo), que não comprou casa própria, não viajou de avião, não recebeu bolsa família, mas trabalhou como um condenado desde que nasceu para apenas sobreviver, independente de quem governou.

  3. Guilherme Postado em 25/Jan/2011 às 16:35

    Um cara do interior de Minas Gerais que não recebu bolsa família, não tem carro, não viaja de avião, não tem casa própria e por ter o mínimo de bom senso colaborou para que os tucanos vira-latas não voltassem.

    Bom texto..O blog está de parabéns...

  4. rafael Postado em 06/Mar/2012 às 21:34

    é... o franco jr. não ganhou bolsa família, nasceu apenas pra sobreviver - mas sobreviver com internet e um português polido - miserável será? tb não recebi bolsa, não tenho carro, nem casa própria, não viajo de avião, mas acho q os descendentes de escravos q neste país construíram tudo merecem bem mais q bolsa família dos descendentes de senhores de escravos q hoje estão na internet.

  5. cleusa cavalini Postado em 17/Apr/2012 às 11:25

    ola pessoal sou empreendedora forever linving ,levo o bem estar as familias ,sobre o lula nao critica ,nao espere que os presidentes mude ,mude voces o modo de pensar ,de agir ,faça sua parte .ao presidente lula estou horando pelo senhor queria conhecer pessoalmente vejo na tv , e uma pessoa fantastica trabalho com a nutriçao da aloe vera a melhor nutriçao do mundo. lula usa o gel da aloe vera esse gel dental e bactericida e mata varias bacterias de doenças que entram pela doca

O e-mail não será publicado.