Redação Pragmatismo
Compartilhar
Revolução cubana 27/Dec/2010 às 17:49
40
Comentários

Médicos cubanos no Haiti deixam o mundo envergonhado

Eles são os verdadeiros heróis do desastre do terremoto no Haiti, a catástrofe humana na porta da América, a qual Barack Obama prometeu uma monumental missão humanitária dos EUA para aliviar. Esses heróis são da nação arqui-inimiga dos Estados Unidos, Cuba, cujos médicos e enfermeiros deixaram os esforços dos EUA envergonhados.

Uma brigada de 1.200 médicos cubanos está operando em todo o Haiti, rasgado por terremotos e infectado com cólera, como parte da missão médica internacional de Fidel Castro, que ganhou muitos amigos para o Estado socialista, mas pouco reconhecimento internacional.

Observadores do terremoto no Haiti poderiam ser perdoados por pensar operações de agências de ajuda internacional e por os deixarem sozinhos na luta contra a devastação que matou 250.000 pessoas e deixou cerca de 1,5 milhões de desabrigados. De fato, trabalhadores da saúde cubanos estão no Haiti desde 1998, quando um forte terremoto atingiu o país. E em meio a fanfarra e publicidade em torno da chegada de ajuda dos EUA e do Reino Unido, centenas de médicos, enfermeiros e terapeutas cubanos chegaram discretamente. A maioria dos países foi embora em dois meses, novamente deixando os cubanos e os Médicos Sem Fronteiras como os principais prestadores de cuidados para a ilha caribenha.

Números divulgados na semana passada mostram que o pessoal médico cubano, trabalhando em 40 centros em todo o Haiti, tem tratado mais de 30.000 doentes de cólera desde outubro. Eles são o maior contingente estrangeiro, tratando cerca de 40% de todos os doentes de cólera. Um outro grupo de médicos da brigada cubana Henry Reeve, uma equipe especializada em desastre e em emergência, chegou recentemente, deixando claro que o Haiti está se esforçando para lidar com a epidemia que já matou centenas de pessoas.

Desde 1998, Cuba treinou 550 médicos haitianos gratuitamente na Escola Latinoamericana de Medicina em Cuba (Elam), um dos programas médicos mais radicais do país. Outros 400 estão sendo treinados na escola, que oferece ensino gratuito – incluindo livros gratuitos e um pouco de dinheiro para gastar – para qualquer pessoa suficientemente qualificada e que não pode pagar para estudar Medicina em seu próprio país.

John Kirk é um professor de Estudos Latino-Americanos na Universidade Dalhousie, no Canadá, que pesquisa equipes médicas internacionais de Cuba. Ele disse: “A contribuição de Cuba, como ocorre agora no Haiti, é o maior segredo do mundo. Eles são pouco mencionados, mesmo fazendo muito do trabalho pesado.”.

Esta tradição remonta a 1960, quando Cuba enviou um punhado de médicos para o Chile, atingido por um forte terremoto, seguido por uma equipe de 50 a Argélia em 1963. Isso foi apenas quatro anos depois da Revolução.

Leia mais

Os médicos itinerantes têm servido como uma arma extremamente útil da política externa e econômica do governo, gahando amigos e favores em todo o globo. O programa mais conhecido é a “Operação Milagre”, que começou com os oftalmologistas tratando os portadores de catarata em aldeias pobres venezuelanos em troca de petróleo. Esta iniciativa tem restaurado a visão de 1,8 milhões de pessoas em 35 países, incluindo o de Mario Terán, o sargento boliviano que matou Che Guevara em 1967.

médicos cubanos Haiti EUA medicina

A imprensa mundial esconde os verdadeiros heróis para não envergonhar as grandes potências

A Brigada Henry Reeve, rejeitada pelos norteamericanos após o furacão Katrina, foi a primeira equipe a chegar ao Paquistão após o terremoto de 2005, e a última a sair seis meses depois.

A Constituição de Cuba estabelece a obrigação de ajudar os países em pior situação, quando possível, mas a solidariedade internacional não é a única razão, segundo o professor Kirk. “Isso permite que os médicos cubanos, que são terrivelmente mal pagos, possam ganhar dinheiro extra no estrangeiro e aprender mais sobre as doenças e condições que apenas estudaram. É também uma obsessão de Fidel e ele ganha votos na ONU.”

Um terço dos 75 mil médicos de Cuba, juntamente com 10.000 trabalhadores de saúde, estão atualmente trabalhando em 77 países pobres, incluindo El Salvador, Mali e Timor Leste. Isso ainda deixa um médico para cada 220 pessoas em casa, uma das mais altas taxas do mundo, em comparação com um para cada 370 na Inglaterra.

Onde quer que sejam convidados, os cubanos implementam o seu modelo de prevenção com foco global, visitando famílias em casa, com monitoração proativa de saúde materna e infantil. Isso produziu “resultados impressionantes” em partes de El Salvador, Honduras e Guatemala, e redução das taxas de mortalidade infantil e materna, redução de doenças infecciosas e deixando para trás uma melhor formação dos trabalhadores de saúde locais, de acordo com a pesquisa do professor Kirk.

A formação médica em Cuba dura seis anos – um ano mais do que no Reino Unido – após o qual todos trabalham após a graduação como um médico de família por três anos no mínimo. Trabalhando ao lado de uma enfermeira, o médico de família cuida de 150 a 200 famílias na comunidade em que vive.

Este modelo ajudou Cuba a alcançar alguns índices invejáveis de melhoria em saúde no mundo, apesar de gastar apenas $ 400 (£ 260) por pessoa no ano passado em comparação com $ 3.000 (£ 1.950) no Reino Unido e $ 7.500 (£ 4,900) nos EUA, de acordo com Organização para a Cooperação Econômica e Desenvolvimento.

A taxa de mortalidade infantil, um dos índices mais confiáveis da saúde de uma nação, é de 4,8 por mil nascidos vivos – comparável com a Grã-Bretanha e menor do que os EUA. Apenas 5% dos bebês nascem com baixo peso ao nascer, um fator crucial para a saúde a longo prazo, e a mortalidade materna é a mais baixa da América Latina, mostram os números da Organização Mundial de Saúde.

As policlínicas de Cuba, abertas 24 horas por dia para emergências e cuidados especializados, é um degrau a partir do médico de família. Cada uma prevê 15.000 a 35.000 pacientes por meio de um grupo de consultores em tempo integral, assim como os médicos de visita, garantindo que a maioria dos cuidados médicos são prestados na comunidade.

Imti Choonara, um pediatra de Derby, lidera uma delegação de profissionais de saúde internacionais, em oficinas anuais na terceira maior cidade de Cuba, Camagüey. “A saúde em Cuba é fenomenal, e a chave é o médico de família, que é muito mais pró-ativo, e cujo foco é a prevenção. A ironia é que os cubanos vieram ao Reino Unido após a revolução para ver como o HNS [Serviço Nacional de Saúde] funcionava. Eles levaram de volta o que viram, refinaram e desenvolveram ainda mais, enquanto isso estamos nos movendo em direção ao modelo dos EUA “, disse o professor Choonara.

A política, inevitavelmente, penetra muitos aspectos da saúde cubana. Todos os anos os hospitais produzem uma lista de medicamentos e equipamentos que têm sido incapazes de acesso por causa do embargo americano, o qual que muitas empresas dos EUA de negociar com Cuba, e convence outros países a seguir o exemplo. O relatório 2009/10 inclui medicamentos para o câncer infantil, HIV e artrite, alguns anestésicos, bem como produtos químicos necessários para o diagnóstico de infecções e órgãos da loja. Farmácias em Cuba são caracterizados por longas filas e estantes com muitos vazios. Em parte, isso se deve ao fato de que eles estocam apenas marcas genéricas.

Antonio Fernandez, do Ministério da Saúde Pública, disse: “Nós fazemos 80% dos medicamentos que usamos. O resto nós importamos da China, da antiga União Soviética, da Europa – de quem vender para nós – mas isso é muito caro por causa das distâncias.”

Em geral, os cubanos são imensamente orgulhosos e apóiam a contribuição no Haiti e outros países pobres, encantados por conquistar mais espaço no cenário internacional. No entanto, algumas pessoas queixam-se da espera para ver o seu médico, pois muitos estão trabalhando no exterior. E, como todas as commodities em Cuba, os medicamentos estão disponíveis no mercado negro para aqueles dispostos a arriscar grandes multas se forem pegos comprando ou vendendo.

As viagens internacionais estão além do alcance da maioria dos cubanos, mas os médicos e enfermeiros qualificados estão entre os proibidos de deixar o país por cinco anos após a graduação, salvo como parte de uma equipe médica oficial.

Como todo mundo, os profissionais de saúde ganham salários miseráveis em torno de 20 dólares (£ 13) por mês. Assim, contrariamente às contas oficiais, a corrupção existe no sistema hospitalar, o que significa que alguns médicos e até hospitais, estão fora dos limites a menos que o paciente possa oferecer alguma coisa, talvez almoçar ou alguns pesos, para tratamento preferencial.

Empresas internacionais de Cuba na área da saúde estão se tornando cada vez mais estratégicas. No mês passado, funcionários mantiveram conversações com o Brasil sobre o desenvolvimento do sistema de saúde pública no Haiti, que o Brasil e a Venezuela concordaram em ajudar a financiar.

A formação médica é outro exemplo. Existem atualmente 8.281 alunos de mais de 30 países matriculados na Elam, que no mês passado comemorou o seu 11 º aniversário. O governo espera transmitir um senso de responsabilidade social para os alunos, na esperança de que eles vão trabalhar dentro de suas próprias comunidades pobres pelo menos cinco anos.

Damien Joel Soares, 27 anos, estudante de segundo ano de New Jersey, é um dos 171 estudantes norte-americanos; 47 já se formaram. Ele rejeita as alegações de que Elam é parte da máquina de propaganda cubana. “É claro que Che é um herói, mas aqui isso não é forçado garganta abaixo.”

Outros 49.000 alunos estão matriculados no “Novo Programa de Formação de Médicos Latino-americanos”, a ideia de Fidel Castro e Hugo Chávez, que prometeu em 2005 formar 100 mil médicos para o continente. O curso é muito mais prático, e os críticos questionam a qualidade da formação.

O professor Kirk discorda: “A abordagem high-tech para as necessidades de saúde em Londres e Toronto é irrelevante para milhões de pessoas no Terceiro Mundo que estão vivendo na pobreza. É fácil ficar de fora e criticar a qualidade, mas se você está vivendo em algum lugar sem médicos, ficaria feliz quando chegasse algum.”

Há nove milhões de haitianos que provavelmente concordariam.

The Independent

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. pela cidade com minha bike! Postado em 27/Dec/2011 às 19:47

    Muito menos a verdade, chega aos homens...é preciso ir atrás!!!

  2. Ricardo Moreno de Melo Postado em 31/Dec/2011 às 14:09

    Alguns dirão que esse ato é apenas uma peça publicitária da Ilha. Mas o fato é que com todos os problemas por quais passa, Cuba dá exemplo sobejo de sua altivez e dignidade.

  3. leonardo :: Postado em 05/Jan/2012 às 11:36

    A medicina em Cuba é assim não graças ao Fidel, mas APESAR do Fidel. Deve-se parabenizar estes médicos, são verdadeiros profissionais, independente da ideologia que os querem rotular.

  4. Seditio Postado em 09/Feb/2012 às 15:37

    "os profissionais de saúde ganham salários miseráveis em torno de 20 dólares" MISERAVEIS? comentarioe rrado en tantoq ue um salario e bom o ruim dacordo com o que voce pode comprar com esse salario. 20 dolarese uma miseria se voce mora na City de Londres... o certo seria voces convertirem aquele salario a PESOS CUBANOS e comparar o salario co o custo de vida, descontando que os cubanos nao vao ter gastos em coisas como educçao, saude, aluguel etc, que é o que mais devora o salario nos NOSSOS paises. Salario minimo em Brasil e 200 dolares... na espanha e de 500... na BOlivia e de 100 dolares. Mais voce na Bolivia faz com 100 dolares o que voce faz no Brasil com 300. Faz a continha e corrige oa rtigo, que fica feio aquele termo "miseravel".

  5. Carmen Regina Postado em 09/Feb/2012 às 17:07

    Isso aí. Náo sabem o que falam, ficam papagaiando a globo, pelamordedeus. Vamos amadurecer, meu povo. Vamos valorizar o que tem valor. Um peso cubano vale mais que ouro em Cuba.

  6. Heitor Augusto Postado em 20/Feb/2012 às 17:34

    A medicina cubana deve ser um exemplo para o mundo!

  7. Benedito Batista Postado em 21/Feb/2012 às 10:54

    Concordo com sistema de saúde, Mas é só isso? Sou um admirador de Che Guevara, será que ele não teria avançado mais com a democracia?

  8. Toconojo Disso Postado em 22/Feb/2012 às 20:36

    MAS QUE LIXO É ESSE? VCS SABEM QUEM FOI O BANDIDO CHE? SEUS IGNORANTES. MARIAS VÃO COM AS OUTRAS1

    • Carlos Ramires Postado em 15/Dec/2013 às 11:06

      Sugestão de leitura pra você, Toconojo: O Conservador, da Prêmio Nobel de literatura de 1992 Nadine Gordimer. Isto se você consegue ler um livro, claro.

  9. Fatima Postado em 23/Feb/2012 às 11:57

    A materia está ótima, mas o título ficou dúbio mesmo.

  10. Açipoio Postado em 23/Feb/2012 às 14:51

    Se no Brasil, cpm todas as leis acontece o que acotece, imangie em Cuba. A primeira certeza é se esses não se matarem trabalnando, quando voltar pode até ter o diploma cassado e nenhum fogue por ter deixado toa familia e até filhos como prissioneiras deeses degenerados, capazes das piores atrocidades; como explodir os miolos de uma criança por roubar um pedaçõ de pão seco e isso Che contava com alegria e que até sangue que sujou os seus lábios esse bebeu

  11. Valéria F Postado em 24/Feb/2012 às 12:06

    Excelente reportagem, parabéns. E discordo do comentário que disse "APESAR" de Fidel. Ele pode ter defeitos e falhas no seu sistema, mas sim, a saúde e a educação naquele país são bem mais eficientes e ABRANGENTES que as nossas e é graças ao modelo cubano, sim. Não misturem as coisas.

  12. Lúcia Auozani Postado em 28/Feb/2012 às 12:33

    se não houver quem explorar, como os capitalistas vão acumular riqueza? Eles não se preocupam com as desgraças alheias só com o que dá "retorno"... desemprego, fome, miséria, revolta da natureza ... passa longe da atenção dos capitalistas... enquanto o povo não se orgniza, deixa acontecer....

  13. Luis Postado em 01/Mar/2012 às 16:23

    Ilustríssimos Senhores Pensadores, Respeitadas as opiniões em contrário, entendo que sendo o salário dos trabalhadores urbanos e rurais, independentemente do País em que vivam e da moeda corrente local, suficente para atender, no mínimo, a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e seguro social, com reajustes anuais que lhe preservem o poder aquisitivo, será justo e digno. Sendo o salário digno e justo, irrelevante discutir se tal Estado é unitário ou federativo, se é república ou monarquia, se o regime é presidencialismo, parlamentarismo ou monarquico, se o sistema econômico por ele adotado é capitalista, socialista ou comunista, se o estado é religioso ou laico.

  14. jardel lopes Postado em 11/Jun/2012 às 21:09

    Na verdade, trabalhando na área da saúde, sendo médico-veterinário, quero dar uma chegada na Ilha e conhecer todos os avanços. Principalmente quanto aos procedimentos. Há muito a a prender e a Ilha tá cheia de ensinamentos em todas as áreas. O negócio é verificar in-locu e vou dar um jeito de estar presente. Como dizia o Mestre Paulo Freire: a questão é aprender fazendo.

  15. Lucas Gastaldello Postado em 24/Nov/2012 às 16:39

    Acho bastante curioso algumas pessoas argumentarem contra o regime cubano citando que alguns cubanos desejam ir morar nos EUA. Se os EUA utilizasse a mesma política no Nordeste brasileiro que adota em Cuba ( fornecendo green card pra quem conseguir chegar em território americano) quantos nordestinos iriam pra lá?Alguém criticaria o regime brasileiro da mesma forma que critica o regime Cubano? Como ficaria essa equação?

  16. Lucas Gastaldello Postado em 24/Nov/2012 às 16:46

    Ah e pra quem usa o brilhante argumento: gosta de socialismo, vai morar em Cuba! retruco: Gosta do capitalismo? Vá morar no Zaire! ou no Zimbábue!

  17. MARCIO Postado em 22/Feb/2013 às 12:36

    FDP boca suja do kralho (Toconojo Disso) qualquer larva de qualquer espécie de qualquer forma de vida desse planeta é mais desenvolvida do que tu, sem falar na covardia porque nem sequer diz o próprio nome, essa tua carcaça imunda não servirá nem de adubo para o solo quando morreres, vai contaminar e esterilizar. A TUA EXISTÊNCIA É UM INSULTO A QUALQUER PESSOA SENSATA DESTE MUNDO, NÃO ÉS DIGNO DE PRONUNCIAR O NOME DE ERNESTO "CHE" GUEVARA DE LA SERNA, MÉDICO ARGENTINO QUE VIAJOU POR TODA A AMÉRICA LATINA, E QUE APÓS CONSTATAR A SITUAÇÃO EM QUE VIVIA O POVO NAS MÃOS DE GOVERNOS DITATORIAIS FANTOCHES DE ESTADUNIDENSES, RESOLVEU LUTAR CONTRA AQUELA SITUAÇÃO. E TU O QUE FIZESTE NA TUA VIDA? NO MÁXIMO (OU NO MÍNIMO) PARTICIPOU DE PARADAS GAYS EM NOME DA "LIBERDADE" E DA "DEMOCRACIA" EM QUE VEGETAS. PARABÉNS MALDITO! AVISO: MEU NOME ESTÁ AÍ, TOMA CUIDADO SE UM DIA VIERES AO NORTE, MAIS ESPECIFICAMENTE BELÉM, POIS SE TE ENCONTRAR EU VOU TE EMPALAR.

  18. Dylan Ricardo Postado em 07/May/2013 às 22:44

    leonardo ::, em 5 de janeiro de 2012 às 11:36 disse: A medicina em Cuba é assim não graças ao Fidel, mas APESAR do Fidel. Deve-se parabenizar estes médicos, são verdadeiros profissionais, independente da ideologia que os querem rotular. <------ eita bichinho falsooo danadooo, cara! que comentário desonesto! A medicina cubana é assim POR CAUSA da revolução feita por Fidel. Que cara intelectualmente desonesto vc é hem!!! Incrível!

  19. Francoorp Postado em 09/May/2013 às 19:15

    Essa reaça maldita só pensa na ideologia deles, o povo que se dane né... esses médicos custam menos que os nossos, e se brincar tem uma qualidade superior... O POVO TEM QUE TER MÉDICO.. se os nossos viraram somente mercenários em busca de grana em suas clinicas privadas e não querem mais prestar serviço no sistema publico, que se danem... se for ver tudo com olhos da ideologia politica aí e que nada vai pra frente mesmo!!

  20. Professor Kico Postado em 10/May/2013 às 15:24

    Estivemos em Cuba uma semana após o terremoto no Haiti, não existia necessidade de mandar médico para lá...eles já estavam no Haiti atuando em diversos lugares mas a pobre mídia NÃO VIU. Temos mais de 600 brasileiros estudando na ELAM gratuitamente que querem voltar e trabalhar trabalhar no Brasil principalmente na pequenas cidades onde nem médicos existem. Agora o governo anuncia a contratação de 6000 médicos cubanos e o CFM se coloca contra, CONTRA O POVO BRASILEIRO que não tem atendimento. PARABÉNS AOS NOSSOS MENINOS E MENINAS QUE VÃO PODER EXERCER TODO SEU CONHECIMENTO PARA MELHORAR A VIDA DE MILHARES DE BRASILEIROS E BRASILEIRAS. Quem desejar conhecer mais e melhor Cuba esta convidado para participar da XXI Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba-Foz do Iguaçu de 13 a 15 de Junho de 2013. http://www.convencaonacionalcubabrasil.org/p/inscricoes.html Até Foz.

  21. Roberto Locatelli Postado em 10/May/2013 às 17:58

    EUA espalham drones pelo mundo. Cuba espalha médicos.

  22. José Evaristo Postado em 18/May/2013 às 21:08

    Imaginem se Cuba não sofresse o embargo mantido até os dias de hoje pelo os Estados Unidos. Enquanto EUA arrota democracia e usurpa a dignidade alheia, Cuba mostra na prática o que realmente é cidadania .

  23. Hadukem Postado em 04/Jun/2013 às 08:53

    Tem mais 6.000 que estão disponíveis pra ir pro Haiti! Pode mandar todos

  24. Jorge Oliveira de Almeida Postado em 04/Jun/2013 às 16:49

    Quando o comunismo era uma força política vultosa no mundo, dizia-se que os comunistas comiam criancinhas. Sempre houve e haverá, como podemos confirmar em alguns comentários acima, quem acredita nessas propagandas montadas com destino certo, e não se dão conta de que estão sendo manipuladas. Quando da invasão do Iraque (que dispunha de um parque industrial incipiente) propagou-se a mentira de que aquele país dispunha de armamentos nucleares capazes de destruir o mundo. Era um país onde a maior parte dos médicos eram mulheres e estava procurando investir no desenvolvimento do país à custa do petróleo de que dispunham sob o seu solo, só que as potências imperialistas queriam esse petróleo para si. Isso era de uma evidência que não precisava ser provada, no entanto, muitos estúpidos acreditaram e agora as potências ocidentais estão satisfeitas: o Iraque transferiu para essas potências toda a exploração de seu petróleo e o povo está brigando lá entre si, estimulado por aquelas mesmas potências, que divulgam ser aquelas lutas religiosas, quando em verdade estão lutando pelo seu país. Se podemos ou devemos concordar com os métodos, aí é outra questão!

  25. Jorge Oliveira de Almeida Postado em 04/Jun/2013 às 16:53

    Concordo plenamente com os comentários do Ricardo Locatelli.

  26. GILBERTO NERY Postado em 05/Jul/2013 às 17:21

    Ô TOCONOJO DISSO, VERGONHOSO É O CODINOME QUE ASSUME SEU IDIOTA E VC O QUE SABE DO CHE? QUER DISCUTIR EM ALTO NÍVEL PONHA AS CARTAS NA MESA E VAMOS DISCUTIR, NÃO FALE O QUE NÃO SABE SEU CORNO.

  27. PauloH Postado em 06/Jul/2013 às 18:46

    O coxinha tem que dizer bobagens como: "se esses médicos pudessem, eles também fugiriam de Cuba". Eles estão no Haiti, amigo. Não estão em Cuba.

  28. MAX Postado em 06/Jul/2013 às 23:28

    ACHO QUE OS MEDICOS CUBANOS SERÃO DE GRANDE VALIA PARA AJUDAR ESTE SISTEMA PODRE DA SAÚDE , ACHO QUE ELES VÃO DAR UM GRANDE EXEMPLO PARA NÓS BRASILEIROS EXEMPLOS DE HUMILDADE E AMOR AO PRÓXIMO, O RESTO É CULPA DO SISTEMA EGOÍSTICO QUE ASSOLA O MUNDO A MILÊNIOS..........................................................

  29. Carlos Henrique Falk-Juruna Postado em 07/Jul/2013 às 15:28

    Cuba é uma referencia na área de saúde,do hospital central aos médicos de família,é um País que trata o Ensino de qualidade com muita eficácia esta é a prioridade das prioridades,o ensino é público e gratuito,mas quando um profissional se forma tem o compromisso,com o povo Cubano e o atendimento não pode ser cobrado,é assim que a educação de qualidade,se paga.Além de que em Cuba a Saúde é tratada,desde a prevenção,é o médico de família que visita a sua casa,em cada quarteirão existe uma Clínica,para o atendimento de pacientes,que vivem ali. Se vê muito pouca gente de óculos em Cuba,porque lá é feita cirurgias que nem imaginamos que possa se fazer e isso desde a década de 1970,não é de hoje,muitas cirurgias estão chegando no Brasil,hoje,obesidade é tratada como doença e existe um processo de controle alimentar,para evitar esse tipo de problema e esse controle também existe desde a década de 1970.Nenhum programa foi criado hoje, na área de saúde em Cuba. Mas lá a saúde não é um produto que se possa comercializar,não existe planos de saúde em Cuba,para fazer qualquer tratamento ou Cirurgia,não precisa ter dinheiro,qualquer Cubano pode,porque a Saúde é compromisso do Estado e é fruto de uma Educação de Qualidade. Os médicos Cubanos precisam dar aula para os médicos do mundo inteiro,não podem ficar com todo esse conhecimento,só para eles enquanto a saúde no mundo está cada vez mais se transformando em comércio,quem tem dinheiro compra a saúde e nós pobres,compramos um plano,que esteja ao nosso alcance,junto com um plano funeral. Falta pouco para o mundo entender,que enquanto não existir Amor,Humanismo,Igualdade e Solidariedade,não vamos chegar a lugar nenhum,pois o mundo está muito desigual,não aproveitamos o que existe de bom,a muita coisa para ser copiada principalmente de Cuba,o Sistema de Saúde e o Sistema de Ensino,porque esses são de qualidade. Parabéns aos médicos Cubanos,parabéns pela Lição de Solidariedade,que cada um de vocês,passam para o mundo inteiro.

  30. Mary Postado em 07/Jul/2013 às 20:10

    O sicialismo/comunismo se pauta pela constituicao de um homem mais solidario, cooperativo e humano. Esse eh o grande diferencial!! Nosistema capitalista neoliberal, o homem se constitui pela competitividade e pelo individualismo. Eu me lembro, na decada de 1970, qdo Fidel disse: hoje o ultimo cubano estah alfabetizado......

  31. Geovane Postado em 08/Jul/2013 às 12:40

    "TOCONOJO DISSO" EU "TOCONOJO DE TI". O "bandido" Che cometeu um crime muito grave nesse mundo: Devolveu Cuba aos cubanos, expulsando os americanos parasitas que só saqueavam a ilha para benefício próprio, apoiados pela ditadura local de Fulgêncio. Confesso que as vezes penso: não caberiam eleições democráticas para escolha de novos representantes na ilha? Mas no segundo seguinte lembro do "circo eleitoral" instalado no Brasil e no resto do mundo e vejo que isto não é o mais importante, pois apesar de votarmos não escolhemos nossos representantes, que são escolhidos pelo agronegócio, pela indústria, pelos meios de comunicação, pelas elites falidas e por aí vai. Nós só servimos para dar um "ar democrático" a esta corja instalada no mundo. Estas discussões acerca de Cuba para mim são muito reveladoras, pois mostram claramente a inversão de valores, pois ao passo que Cuba investe em saúde e educação, fato inegável, alguns babacas como tu criticam a ilha por não se render ao consumismo desenfreado do resto do mundo. Deixa os cubanos viverem sem Mac'Donalds, viva os paladares!!!

  32. esdras lopes saraiva Postado em 08/Jul/2013 às 14:56

    que deixem vir os médicos cubanos, eles serão a salvação nosso aqui no brasil. por que o medo com eles? por causa dessa política mercantilista que existe na medicina aqui no brasil? por que aqui, com a crise no SUS os hospitais ganham mais e os médicos tambem? deixem vir os cubanos, tem uma formação mais humanitária que os médicos qui no brasil que nada fazem para ajudar ninguem, a não ser que tenha mita grana. por que a exigencia com a REVALIDAÇÃO? se aqui no brasil existe muitos e muitos que não passariam nesta bendita revalidação (exemplo é a OAB) moro numa cidade do interior do estado, dificilmente tem médicos aqui (todos eles ganhando) o que é uma vergonha. QUE VENHAM OS CUBANOS

  33. Sérgio Postado em 13/Jul/2013 às 11:13

    O que as pessoas não entendem é que em CUBA existe uma cultura que é diferente do mundo capitalista, lá o povo foi direcionado a uma visão de mundo diferente, avesso ao consumismo, ao mercantilismo profissional ou religioso de uma forma impositiva...doutrinária... é um laboratório que a mais de meio século continua desfrutando de um olhar parcimonioso de esquerdistas, centristas e até mesmo de setores da direita, "ver: Essa Joana D'arc Liberal de Mário Vargas LLossa". Não conheço Cuba, mas acredito que seu projeto hoje é uma Utopia que no final das contas acabou por condenar uma geração, a sociedade tem seus méritos mas o fato de restrições tão limitadoras onde o indivíduo é controlado e tem sua vida restringida demonstra que um novo modelo está por vir, não devemos criticar o Povo Cubano pois eles se sentem cidadãos de segunda classe e menosprezados diante das sociedades desenvolvimentistas atuais. Esse é meu ponto de vista pessoal!

  34. DELOURDES Postado em 14/Jul/2013 às 02:23

    Parabéns a CUBA e seu povo. Principalmente aos médicos.

  35. victor bastos Postado em 20/Jul/2013 às 19:56

    Para quando a atribuição do Prémio nobel da Medicina ou o Prémio Nobel da Paz ao corpo médico cubano?

  36. Gabriel Postado em 04/Aug/2013 às 16:13

    Não tem nenhuma lógica o "MUNDO FICAR ENVERGONHADO" com os médicos de Cuba. Na realidade o Mundo está pouco ou nada se lixando para isso.

  37. paulo Postado em 06/Aug/2013 às 23:12

    que venham esses médicos, e mostrem suas boas vontades, coisas que os brasileiros estão aquém. Qdo vc entra p ser consultado o médico já esta com a receita na mão antes msm de fazer a consulta

  38. Carlos Ramires Postado em 15/Dec/2013 às 11:09

    Viva a desinformação produzida por um burguês envergonhado!

  39. NANCI RAMOS DE MENEZES Postado em 26/Dec/2013 às 13:25

    Quem sabe os nossos médicos aprendam com os companheiros cubanos o que é colocar a solidariedade em pratica,e os seus juramentos ... ´Pois os cubanos aprenderam que ser doutor é SER HUMANO e os nossos aprendem que ser doutor é para deixar de SER HUMANO para TER MAIS CAPITAL....Eu acredito que um dia teremos mais médicos brasileiros que sguiram nossos médicos CUBANOS.....