Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Política 21/Aug/2010 às 00:03
1
Comentário

Tucanos tentam barrar anúncio de delegados de SP na mídia

A Associação dos Delegados de Polícia de São Paulo (Adpesp) recebeu, na última sexta-feira, notificação judicial para suspender a veiculação no Estado de uma campanha publicitária de protesto às condições de trabalho e salariais da categoria.
Segundo informações da Adpesp, o mandado de suspensão teria sidoimpetrado pelo PSDB estadual, sob a alegação de que a campanha é umapropaganda eleitoral negativa. Procurado pelo Estado, o PSDB-SP não sepronunciou sobre o assunto. Ontem (19), em evento da AssociaçãoNacional de Jornais (ANJ), o candidato do PSDB à presidência daRepública, José Serra, deitou falação para defender a liberdade deimprensa e a liberdade de expressão. Mas parece que seu partido nãogosta muito que os servidores públicos usufruam desta liberdade.

A assessoria de imprensa do candidato do PSDB ao governo, GeraldoAlckmin, informou que se tratava de uma ação partidária e não dacampanha.

O tema segurança pública é considerado prioridade para todos oscandidatos ao governo de São Paulo e também à Presidência. José Serrajá anunciou inclusive a intenção de criar o Ministério da SegurançaPública, se eleito.

Em informe divulgado à imprensa ontem, a Adpesp critica declaração deSerra, na última sexta-feira, em que considera “bobagem” o argumento daentidade sindical sobre o fato de os salários da categoria no Estadoserem os piores do país.

A presidente da Adpesp, Marilda Pansonato Pinheiro, nega qualquerintenção político-partidária na campanha publicitária institucionalveiculada entre os dias 29 de julho e 1º de agosto. Segundo aassociação, a campanha veiculada em mídia eletrônica e na internetteria atingido cerca de 49% do Estado, especialmente nos municípios dointerior. Está prevista uma terceira fase da campanha, que seriaveiculada exatamente no mês de setembro, às vésperas da eleição.

“A campanha foi feita para conscientizarmos a sociedade sobre asituação da segurança pública no Estado”, afirma Marilda Pinheiro. Apresidente da associação afirma que há cerca de 3.200 delegados civisno Estado responsáveis por atender uma população de 42 milhões depessoas. “Fizemos um acordo com o governo Serra que não foi cumprido”,diz a presidente.

A assessoria de imprensa do candidato José Serra também não respondeu às perguntas enviadas pelo Estado por e-mail.

Outro lado. A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, porintermédio de sua assessoria de imprensa, diz que a incorporação do ALE(Adicional por Local de Exercício) aos salários foi um acordo com oatual governo e uma conquista da categoria.

A Adpesp não se convence com os argumentos do governo estadual. “Aincorporação do adicional será feita ao longo de cinco anos. Nósrecebemos o pior salário do país”, informa a presidente da associação.

“Somos apartidários e a nossa política é institucional. Eu não soufiliada a nenhum partido, nunca fui. Tentaram tirar nossa campanha doar antes e não tiveram sucesso”, continuou Marilda Pinheiro. A Adpespinformou que seu departamento jurídico já prepara recurso para derrubara suspensão da campanha.

Fonte: Agência Estado

Comentários

  1. Adir Postado em 21/Aug/2010 às 08:37

    O flórida é que o paulista/paulistano gosta do PSDB/DEMos.

O e-mail não será publicado.