Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Política 31/Aug/2010 às 14:34
0
Comentários

FHC destila críticas a Serra e chama Aécio a liderar "novo" PSDB

Em palestra fechada nesta segunda-feira (30) para um grupo de economistas em São Paulo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso não manifestou nenhum otimismo com a campanha do candidato do seu partido à Presidência, José Serra. “Esquecido” solenemente na propaganda eleitoral de Serra e dos candidatos tucanos ao governo, FHC fez críticas ao marketing utilizado pelo PSDB na campanha presidencial.
 
Segundo ele, a estratégia do marqueteiro Luiz Gonzalez não foi a mais apropriada para a disputa. FHC se queixou especialmente da tentativa de mostrar Serra como “Zé” — um esforço mal-sucedido da campanha para dissipar a ideia de que o PSDB é o “partido das elites”, sem apelo popular. “Serra não é Zé. Serra é Serra mesmo”, declarou um irritado FHC.

A sensação das pessoas que presenciaram a palestra é de que o ex-presidente nutre uma certa resignação ou desânimo com a campanha de Serra. Para amigos, FHC já manifestou bastante descontentamento com o fato de Serra não ter mencionado o seu governo (1995-2002) — mas ter aparecido na campanha em uma foto junto ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Visivelmente incomodado, Fernando Henrique disse que Serra não tinha mais moral para criticar outro candidato que posasse ao lado de Lula.

Embora tenha opinado que o PT não vai ter maioria no Senado e o PSDB deverá conquistar governos importantes — como os de São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Goiás —, FHC deu a entender que não nutre mais esperança de uma reação de Serra. Em sua opinião, o futuro do PSDB está diretamente ligado ao ex-governador Aécio Neves, candidato ao Senado por Minas Gerais.

De acordo com a plateia presente ao encontro, o ex-presidente não se mostrou pessimista com o futuro político do país no caso de vitória da candidata Dilma Rousseff, da coligação Para o Brasil Seguir Mudando. Num raro elogio ao PT e ao governo federal, FHC disse que Dilma não vai fazer nenhuma “maluquice”, como não fez Lula.

FHC minimizou até o discurso raivoso do PSDB e da mídia contra o viés estatizante do PT. Segundo o ex-presidente, há muita gente do PSDB que tem a mesma tendência. De qualquer forma, diz o ex-presidente, um governo Dilma não deve “mudar as regras do jogo”.
IG

Comentários

O e-mail não será publicado.