Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Política 12/Jul/2010 às 13:21
0
Comentários

Jornal britânico diz que Brasil vive milagre econômico

O bom momento econômico do Brasil foi tema de uma reportagem de duas páginas publicada nesta sexta-feira (9) pelo diário britânico The Independent. Sob o título “No topo do mundo: Por que o Brasil está crescendo”, o correspondente do diário em São Paulo, David Usborne, afirma que “não é possível passar um dia no Brasil sem sentir os milagres econômicos que acontecem” no país.
 
A reportagem que ocupa as duas páginas centrais do jornal é acompanhada por três imagens. As fotos são da estátua do Cristo Redentor no Corcovado, de torcedores acompanhando uma partida de futebol da seleção brasileira e do presidente Lula em sua recente viagem ao Quênia. Ainda assim, a reportagem afirma que o Brasil “é um país que se moveu para longe dos clichês de sua marca internacional”.

“Brasília está agonizando sobre como manter o controle sobre seu boom econômico, enquanto o resto de nós (na Europa) está brigando sobre os respectivos benefícios da austeridade para cortar o déficit versus os gastos para estimular a economia”, observa o jornalista.

A reportagem comenta ainda a proximidade das eleições presidenciais de outubro, citando as pesquisas que apontam uma disputa acirrada entre a ex-ministra Dilma Rousseff, candidata do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, contra o ex-governador de São Paulo José Serra.

O jornal diz que o próximo presidente vai herdar um país em plena efervescência, com a perspectiva da realização da Copa do Mundo de 2014, da Olimpíada de 2016 e da exploração das vastas reservas de petróleo na camada do pré-sal.

Apesar disso, o jornal adverte que ainda é possível encontrar “muitas pessoas sensatas” no Brasil dispostas a identificar problemas, como a falta de investimentos em infraestrutura e em educação ou a burocracia e o sistema tributário complexo.

O texto lembra que o Brasil permanece um dos países com a maior desigualdade entre ricos e pobres, segundo o Banco Mundial, mas observa que essa diferença caiu durante o governo Lula.

“É verdade que as favelas, com esgotos a céu aberto, armas e drogas, permanecem uma característica da paisagem urbana, especialmente no Rio de Janeiro, onde será necessária mais do que uma plástica antes dos Jogos de 2016”, diz a reportagem. “Mas o número de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza caiu durante os dois mandatos de Lula de 50 milhões para 30 milhões” ressalta.

A reportagem comenta também a descoberta brasileira de reservas de petróleo na camada do pré-sal, a aproximação do país com a China e a estabilidade econômica.

Por fim, o jornal adverte que, apesar de todos esses sinais positivos, o futuro do país não está garantido. Segundo o texto, alguns economistas advertem para uma possível bolha de crescimento que estaria se formando principalmente por conta da entrada de uma grande quantidade de capital estrangeiro e do fortalecimento do real.

Portal Vermelho

Comentários