Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Esquerda 29/Mar/2010 às 13:21
3
Comentários

Caça Fantasmas

O equívoco de Cláudio Humberto ao comparar Lula com Getúlio

presidente lula getulio vargas

Luis Soares, Pragmatismo Político

Ainda bem que Lula não é Getúlio Vargas, como tenta sugerir. Teria que enfrentar Carlos Lacerda nos desaforos. Seria muita covardia” – Cláudio Humberto

Carlos Lacerda era o mais radical dos udenistas (a UDN foi a semente do que viria a se tornar a ARENA, o PDS, o PFL, o DEM e congêneres), perseguidor ferrenho de qualquer político mais chegado às causas populares. Naquele tempo, Getúlio era tido, de certa forma, como um esquerdista, embora nunca tenha assim se declarado. Lacerda, como jornalista e político, liderou a conspiração que terminou no suicídio de Vargas. É interessante mergulhar nessa história.

Depois, Lacerda continuou sua “missão” no combate a João Goulart, que acabou caindo. Ele (Lacerda) era um grande orador, temido por sua língua ferina.

O equívoco de Cláudio Humberto está no fato de não ser possível comparar Lula com Getúlio. Cada um deles representa um ponto marcante na história política do Brasil. O trabalhismo de Vargas era de cima para baixo, como seriam os de Goulart e Brizola. Já o trabalhismo de Lula é de baixo para cima. Essa é a diferença entre o PTB (o original, não esse de Roberto Jefferson) e o PT.

Certa vez, num dos seus inflamados discursos aos operários, Getúlio disse: “Um dia, vocês terão seu próprio representante!” Ele foi profético. Veio Lula e, embora ele cite Vargas com admiração, de forma nenhuma quer ser outro “paizão” dos pobres ou mesmo imitá-lo. No fundo, sabe que, no processo de evolução da consciência política do país, seu lugar é único e incomparável.

Carlos Lacerda, com todo o seu talento e eloquência, jamais teria argumentos para derrubar ou mesmo castigar Lula; muito pelo contrário. Saiba disso, Cláudio Humberto.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Luís Guilherme Simões Etienne Arreguy Postado em 29/Mar/2010 às 13:43

    A rigor, há 2 equívocos na frase "o trabalhismo de Vargas era de cima para baixo, como seriam os de Goulart e Brizola".
    Primeiro, o trabalhismo de Vargas era o mesmo que os de Goulart e Brizola e não "um de cada um", como a frase quer transparecer.
    Segundo, na realidade, o trabalhismo não era de nenhum dos três, mas do povo brasileiro.
    E, pra finalizar, alguém duvida de que o lulismo continua tão populista quanto o varguismo?
    Será que já existe um trabalhismo "de baixo pra cima"? Espero que sim.

  2. Luis Soares Postado em 29/Mar/2010 às 15:37

    Na verdade, o populismo não é igual em todos os políticos populares. O de Lula é atípico, diferente de todos os outros que o Brasil já conheceu ou conhece, pois é calcado na operosidade do seu simbolismo, que o tem ajudado a quebrar certos mitos como, por exemplo, o de dizerem que ele, Lula, não possui instrução formal suficiente para conduzir convenientemente os destinos da nação.

    E sim, é de conhecimento comum que o trabalhismo do Partido dos Trabalhadores nasceu para ser o contraponto àquele dirigido de cima para baixo.

    • adri Postado em 29/Jan/2016 às 11:48

      Gostei sucinto e real